ICFUT – LINK AO VIVO PARA OS JOGOS DECISIVOS DE HOJE 28/04/2013 – CLIQUE AQUI !!!

linksaovivo

1ª Rodada
 
 
Quartas-de-final
  28/04 – 16h00 –  
 
Ponte Preta  x Corinthians
 
  28/04 – 18h30 –  
 
São Paulo  x Penapolense
Segundo turno
  28/04 – 15h50 –  
 
Operário  x Atlético
 
  28/04 – 15h50 –  
 
J. Malucelli  x Toledo
 
  28/04 – 15h50 –  
 
Coritiba  x Londrina
 
  28/04 – 15h50 –  
 
Paranavaí  x Paraná
 
  28/04 – 15h50 –  
 
Arapongas  x Rio Branco
 
  28/04 – 15h50 –  
 
Cianorte  x Nacional
11ª Rodada
 
2° Turno
  28/04 – 16h00 –  
 
Botafogo    x   Nacional
 
  28/04 – 16h00 –  
 
Campinense    x   Auto Esporte
 
  28/04 – 16h00 –  
 
Sousa    x   Treze
Taça Estado do Pará – Semifinal
  28/04 – 17h00 –  
 
Paragominas  x Tuna Luso
Taça Estado do Pará – Semifinal
  28/04 – 17h00 –  
 
Paragominas  x Tuna Luso
Semifinal
  28/04 – 16h00 –  
 
Villa Nova  x Cruzeiro
Final
  28/04 – 16h00 –  
 
Mixto  x Cuiabá
Segundo Turno
  28/04 – 15h45 –  
 
Santa Quitéria  x Balsas
 
  28/04 – 16h00 –  
 
São José  x Maranhão
 
  28/04 – 18h00 –  
 
Sampaio Corrêa  x Americano
 
  28/04 – 19h00 –  
 
Imperatriz  x Cordino
Semifinal
  28/04 – 16h00 –  
 
Goianésia  x Atlético
Semifinal – Taça Farroupilha
  28/04 – 16h00 –  
 
Internacional  x Veranópolis
2ª Fase
  28/04 – 16h00 –  
 
Tiradentes  x Horizonte
 
  28/04 – 16h00 –  
 
Guarany-S  x Ceará
 
  28/04 – 16h00 –  
 
Fortaleza  x Icasa
Semifinal
  28/04 – 16h00 –  
 
Avaí  x Criciúma
Semifinal Taça Rio
  28/04 – 16h00 –  
 
Fluminense  x Volta Redonda

Por Cleber Aguiar – Técnicos são durões e carrancudos, mas só da porta para fora

Fonte: O Estado de São Paulo

Técnicos são durões e carrancudos, mas só da porta para fora

Quem garante são as mulheres de Tite, Gilson Kleina, Ney Franco e Muricy. Para elas, os treinadores são sensíveis, apaixonados e superprotetores

Gonçalo Junior – O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – Muricy escondeu o anel embaixo da mesinha da televisão. Era uma meia aliança de brilhantes pequenininhos, capaz de refletir até o brilho do olhar de quem ganha um presente assim. Para encontrá-lo, a mulher, Roseli, teve de seguir as pistas de vários bilhetes espalhados pelo apartamento do casal, em Puebla, no México, onde eles se casaram. Foi de papelzinho em papelzinho até a joia. 

Quem pensa que isso só acontecia no início de casamento, deu com os burros n’água. Depois de 33 anos, o carrancudo técnico do Santos continua bonzinho, como define a mulher, e volta e meia aparece com orquídeas, sua flor preferida. 

Felipão prefere as rosas. Após inúmeras viagens, ele sempre trazia para Olga um buquê de rosas, nem que fosse comprado no farol. Vermelhas, claro. 

O comportamento do técnico da seleção chamou a atenção da imprensa britânica. O The Independent fez uma grande matéria sobre a estabilidade do casal, que está junto há mais de 40 anos, durante o período em que Felipão dirigiu o Chelsea.

Mesmo depois de 28 anos de casado, Tite vai além. É do tipo que faz loucuras de amor. Em um aniversário recente da esposa, estendeu uma faixa de “parabéns pra você” no meio de um restaurante. “Ele gosta de andar de mãos dadas e dizer que me ama”, orgulha-se Rosmari, a senhora Tite. “É amabilidade”, diria o corintiano com seu vocabulário característico.

Ney Franco, chamado carinhosamente de Pretinho pela esposa, Hérika, aproveitou a vitória heroica sobre o Atlético Mineiro, na semana passada, para levá-la ao restaurante português Trindade, em São Paulo. Tomou cuidado para escolher um vinho francês com a uva preferida da amada, a pinot noir, uma das mais elogiadas pelos especialistas. “Poderia ser mais romântico. Acho que falta alguma coisa”, diz o são-paulino. 

Moral da história: os treinadores brasileiros escondem, debaixo do agasalho esportivo, da carranca, da obsessão pela vitória, da carapaça de durão, das pranchetas e das medalhas que adornam o peito, um coração sensível e apaixonado. São cordeiros em pele de lobos. 

Déa Kleina conta que o marido tem dupla personalidade por causa dessas mudanças de humor. “Ele parece um general no campo, mas é um farrista. É romântico do jeito dele”, conforma-se. 

O psicólogo do esporte Rodrigo Scialfa Falcão não vê problemas no comportamento duplo. “Todos nós temos de exercer papéis diferentes diariamente. É saudável que eles sejam flexíveis e não sejam durões o tempo todo. É importante não ser tão rígido.” 

Sensíveis, apaixonados e superprotetores. Todas as esposas só deram entrevistas aoEstado após consultar seus respectivos. Os treinadores só autorizaram a participação das esposas nesta reportagem depois que tiveram a certeza de que seus colegas também tinham permitido. “Eles querem preservar a família por questões de segurança”, diz um amigo de um dos técnicos. “A gente compartilha tudo”, ameniza Roseli. 

NOVAS PALAVRAS

Em tempos de relacionamentos instantâneos, chama a atenção a longevidade dos casórios dos técnicos. Aí, os conselhos variam de acordo com as cores dos uniformes que defendem. Ney Franco separa ao menos um dia da semana só para os dois, sem as crianças. Roseli fala de tudo, menos de futebol. Rosmari é a psicóloga e a ouvinte. “O casal precisa buscar um bom relacionamento. É preciso ter vontade e trabalhar por ele”, receita Hérika. 

Como uma bola, a cumplicidade vem com o tempo e o tempo traz mais cumplicidade. Até chegar o momento em que o olhar vale mais do que mil palavras, expressão usada por vários casais para definir o estágio em que se encontram. 

Déa tem a liberdade de corrigir o português do marido nas entrevistas. Kleina gosta de incorporar novas palavras. Antes de usá-las, o palmeirense consulta a esposa e tasca as palavras na entrevista. Sua última “aquisição” foi “haja vista”. 

A intimidade dá carta-branca para piadinhas que não seriam feitas no namoro. “A barriga dele é grande para suportar o tamanho do coração. Ele é uma pessoa muito bondosa”, diz Déa. 

CIGANOS

Nem tudo são flores – literalmente – na vida de uma esposa de treinador. O problema principal é a vida cigana do futebol. Roseli conta que ficou nove anos vivendo longe de Muricy no período em que ele passou por Pernambuco (Náutico), Santa Catarina (Figueirense) e Rio Grande do Sul (Internacional).

“Nessa época, fui pai e mãe das crianças”, conta a mãe de Fabíola, Muricy Junior e Fábio. Com um problema parecido, Déa dá graças a Deus quando acaba a bateria do celular do marido. 

Mas, como toda história de amor – e também as reportagens sobre técnicos de futebol – implora por um final feliz, ficam aqui dois. Depois de uma crise de diverticulite, Muricy prometeu desacelerar. E, apesar de estar atarantado para dar uma padrão de jogo à seleção, Felipão ainda é um grande cliente dos ambulantes no farol.

66333

O técnico Gilson Kleina e a esposa Déa são casados há 15 anos. Apesar da aparência de durão e disciplinador, Kleina é descontraído e brincalhão na opinião da esposa

66336

Muricy e Roseli são casados há 33 anos e têm três filhos: Fabíola, Muricy Junior e Fabio. Rosei conta que os dois costumam se comunicar várias vezes por dia e ainda se mantêm apaixonados como no começo

66337 (1)

Juntos há 28 anos, Tite e Rosmari falam sobre todos os assuntos, principamente futebol, tema que a maioria das esposas de treinadores evita. O casal tem dois filhos Gabriela e Matheus

66347

O técnico Ney Franco e a esposa Hérika no condomínio que moram, em Alphaville, em São Paulo.

66342

O técnico Luiz Felipe Scolari com Olga, em 2004, em uma das raras aparições da esposa

66349

Jennifer Setti, esposa do treinador do Botafogo, Oswaldo de Oliveira, é modelo e atriz. É considerada uma das esposas mais belas do futebol brasileiro

Por Cleber Aguiar – PAULISTA A2: Audax e Comercial sobem e Rio Claro é finalista

Fonte: Futebolinterior.com.br

Rio Claro, Audax, Portuguesa e Comercial estarão no Paulistão de 2014

– O Quadrangular Final do Campeonato Paulista da Série A2 encerrou-se na manhã deste domingo com todos os quatro jogos. No Grupo 2, o Guaratinguetá tropeçou em casa e o Audax foi quem ficou com o acesso. Já na outra chave, deu a lógica e o Comercial garantiu o retorno à elite. O Placar e a Rádio FI acompanharam os jogos.
No Vale do Paraíba, o Rio Claro venceu o Guaratinguetá, por 3 a 2, e garantiu vaga na decisão do campeonato. Os gols do Galo Azul foram marcados por Éder, Gilberto e Jobinho, enquanto que Jonatas Belusso e Cleiton Campos marcaram para o rival. O Rio Claro terminou na liderança do Grupo 2, com 13 pontos, e o Guará foi o terceiro, com sete.

No outro jogo do grupo, o Audax venceu o Red Bull, por 2 a 1, contou com o tropeço do Guaratinguetá, e ficou com o inédito acesso a elite de 2014. O time da capital abriu 2 a 0 no placar com Rafinha e Paulo César, mas, depois, Allan Dias descontou para o time campineiro. O Audax, fundado há apenas oito anos, foi o segundo colocado, com nove pontos. O Tourão, com seis, terminou em quarto.

Lusa goleia e Comercial perde no ‘Joia’
Mesmo atuando com um time todo reserva, a Portuguesa comprovou o bom momento e venceu o Catanduvense, por 4 a 1, no Estádio do Canindé. O argentino Flecha Arraya foi o grande destaque, com três gols. Matheus marcou o terceiro para a Lusa e Hermínio diminuiu.

Essa foi a terceira vitória seguida da Lusa na competição – todas elas depois da goleada sofrida para o Comercial, por 7 a 0 -, que terminou na liderança isolada, com 15 pontos. Com o acesso garantido, o time agora se prepara para disputar a final contra o Rio Claro. Já o Catanduvense perdeu a chance de conquistar o acesso, na lanterna, com cinco pontos, dois a menos que o Comercial.

O Comercial jogou com o regulamento em baixo do braço, perdeu para o Capivariano, por 1 a 0, no Palma Travassos, em Ribeirão Preto, mas ainda assim ficou com o acesso. Mesmo com o revés, o Bafo ficou na vice-liderança do Grupo 3, com sete pontos ganhos. O Capivariano, por sua vez, foi o terceiro com a mesma pontuação, só que por ter menor saldo de gols: 5 a -1.

Final!
A decisão da Série A2 de 2013 será disputada entre Rio Claro e Portuguesa, líderes dos Grupo 2 e 3, respectivamente. O primeiro jogo acontecerá no próximo final de semana, em Rio Claro, e o segundo no Canindé, na capital paulista.

Domingo
Grupo 2

Guaratinguetá 2 x 3 Rio Claro
Audax 2 x 1 Red Bull

Grupo 3

Comercial 0 x 1 Capivariano
Portuguesa 4 x 1 Catanduvense

Por Cleber Aguiar – Jornal italiano afirma que Seedorf pode substituir Allegri no Milan

Fonte: Lancenet.com.br

Atual técnico rossonero seria demitido caso não termine o Italiano entre os três primeiros; meia holandês do Botafogo assumiria equipe na próxima temporada

Gazzetta dello Sport - Seedorf (Foto: Reprodução)
Parte da capa da Gazzetta dello Sport deste domingo (Foto: Reprodução)

O apoiador Seedorf é um dos favoritos a assumir o Milan na próxima temporada, diz a edição de domingo da “Gazzetta dello Sport”, um dos principais jornais esportivos da Itália e da Europa. A notícia estampa a capa da publicação e traz temor pelos lados de General Severiano, já que o jogador é o principal nome da equipe que está cada vez mais próxima de conquistar o Campeonato Carioca.

De acordo com o jornal, a ideia de Silvio Berlusconi, proprietário da equipe rossonera, é demitir o treinador Massimiliano Allegri caso ele não consiga colocar o Milan entre os três primeiros colocados do Campeonato Italiano. Terminar no “top 3” dá uma vaga na Liga dos Campeões da Europa da próxima temporada.

Então, o camisa 10 do Botafogo seria o principal favorito a assumir o cargo. Um dos maiores jogadores da História do Milan, Seedorf é amigo pessoal de Berlusconi e desde que assinou com o Glorioso, em junho de 2012, a imprensa italiana volta e meia especula sobre uma possível volta à Milanello.

Questionado sobre a possível saída do principal astro da sua equipe, o técnico Oswaldo de Oliveira foi taxativo e até brincou com a situação:

– Se ele conseguir conciliar isso, de ser jogador do Botafogo e técnico do Milan, pode ir sem problemas. Mas precisamos dele aqui.

Vale lembrar que Seedorf possui contrato com o Alvinegro até junho de 2014 e uma possível saída dependeria de uma negociação com o clube. No final do ano passado, o holandês revelou a vontade de ser treinador após encerrar a carreira e disse que gostaria de começar por um time grande.

Restam apenas cinco rodadas para o fim do Calcio e o Milan ocupa justamente a terceira colocação. Neste domingo, a equipe recebe o Catania e uma vitória, aliada a um revés da Fiorentina – principal concorrente pela vaga na Liga dos Campeões – diante da Sampdoria fará a equipe rubro-negra de Milão abrir uma vantagem de quatro pontos sobre a Viola. Atualmente, o Milan tem 59 pontos e a Fiorentina, 58.

Por Cleber Aguiar – Muricy vê cobrança excessiva a Neymar: ‘Estão agredindo demais’

Fonte: Globo.com

Treinador do Santos lamenta críticas e vaias recebidas pelo jogador em amistoso da Seleção e vê torcedor brasileiro ‘chato’

Por Lincoln ChavesSantos, SP

As vaias e gritos de “pipoqueiro” dirigidos aNeymar no empate da Seleção com o Chile por 2 a 2 irritaram o técnico Muricy Ramalho, do Santos.

Incomodado com a reação do público quarta-feira no Mineirão, o treinador avaliou que a torcida brasileira anda “agredindo demais” o atacante, a quem considera a principal esperança do Brasil para a Copa do Mundo de 2014.

Neymar foi tema de praticamente toda a entrevista coletiva de Muricy após a classificação do Santos à semifinal do Campeonato Paulista – o Peixe empatou com o Palmeiras em 1 a 1 no tempo normal, batendo o rival nos pênaltis por 4 a 2, na Vila Belmiro (veja no vídeo acima).

Temos de ter carinho com esse fenômeno. As pessoas estão agredindo demais. O brasileiro está ficando um pouco chato”
Muricy, em defesa a Neymar

O treinador, inclusive, citou a participação do atacante no clássico como exemplo. Ele destacou que o astro, mesmo no sacrifício (o camisa 11 deixou o jogo de quarta com dores na coxa esquerda e era dúvida até minutos antes da partida contra o Alviverde), foi a campo diante do Verdão e mostrou disposição e profissionalismo.

– Temos de ter carinho com esse fenômeno. Quase não temos ídolos no país, e acabamos os maltratando como no último jogo (contra o Chile). O que ele jogou e correu hoje (sábado) foi espantoso pela lesão que ele teve. Temos de preservar nossos ídolos e ele mostrou que, se temos alguma chance de ir bem no Mundial, ela passa por esse jogador. As pessoas estão agredindo demais. O brasileiro está ficando um pouco chato em relação a isso – disparou.

Muricy enalteceu a disposição de Neymar em jogar sempre, ignorando problemas físicos.

– Eu conheço muito jogador que valoriza a dor, mas ele (Neymar) fez teste hoje (sábado) e disse que estava dentro. Não quis saber de mais nada. Um cara desses não pode ser criticado dessa forma toda hora. Outro no lugar dele não jogaria. Mas ele foi para o pau. Jogou muito, correu, quase fez gols. Acho que temos de rever a quantidade de críticas que estamos fazendo a ele – completou.

faixa torcida santos neymar e palmeiras paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Torcida do Santos levou faixas para apoiar Neymar na Vila (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Muricy disse, ainda, repensar a opinião que sempre sustentou, sobre a ida de Neymar para a Europa antes de 2014. Para justificar, o treinador recordou o caso do meia-atacante Mario Götze, do Borussia Dortmund, que, mesmo negociado com rival Bayern de Munique dias antes de a equipe encarar o Real Madrid pela Liga dos Campeões, não foi vaiado durante o jogo – o alemão teve boa atuação e deu uma das assistências para os gols de Robert Lewandowski na goleada dos germânicos por 4 a 1.

Muricy ramalho santos coletiva (Foto: Marcelo Hazan)Muricy, em entrevista coletiva (Foto: Marcelo Hazan)

– O número 10 (do Borussia) foi vendido para o Bayern, a torcida não gostou, mas não vaiou o cara em campo. Se isso acontecesse no Brasil, pelo amor de Deus… O cara (Neymar) é diferente, daí vão lá vaiar o cara? Por isso, estou chateado. E tem mais uma coisa. Ele é um ídolo bom, é um cara bom, um exemplo para a molecada. Atende bem a todos, humilde. Temos de dar um tempo. Ele tem só 21 anos – criticou.

Na sequência, Muricy foi questionado se vê Neymar saturado com as cobranças.

– Eu acho que ele está. Eu sempre defendi que ele permanecesse no Brasil, caso contrário, não teria mais ninguém (no Brasil). Com ele, são aeroportos cheios, hotéis cheios… É o único. Às vezes, o cara oscila, a gente tem de entender. No começo, eu não sabia se ele jogaria lá (na Europa), porque tem 300 como ele. Esse era meu medo. Vai lá fazer o quê? Se ele fica lá parado, pode ser que a gente o perca para o Mundial. Só que agora já acho diferente. Também estou de saco cheio de ouvir certas coisas – finalizou.

Por Cleber Aguiar – RAFAEL BRILHA NOS PÊNALTIS, SANTOS VENCE O PALMEIRAS E CHEGA À SEMI

Fonte: Globo.com

Em dia de pouca inspiração de Neymar, goleiro salva o Peixe após empate por 1 a 1 no tempo normal. Adversário será o Mogi Mirim

A CRÔNICA

por Lincoln Chaves e Marcelo Prado

O susto foi grande, mas o Santos está classificado para a semifinal do Campeonato Paulista. Em uma noite ruim de Neymar, que foi recebido com festa, mas jogou com dores, quem brilhou na vitória sobre o Palmeiras foi Rafael. Depois do empate por 1 a 1 no tempo normal, o goleiro defendeu as cobranças de pênalti de Kleber e Leandro, garantiu a vitória por 4 a 2 e manteve o Peixe vivo na luta pelo inédito tetracampeonato estadual. A raça mostrada pelo Verdão, desta vez, não foi o bastante. Agora, o foco passa a ser a Taça Libertadores.

Rafael, goleiro do Santos (Foto: Marcos Ribolli)Rafael defende chute de Leandro (Foto: Marcos Ribolli)

O Santos esteve com a vaga nas mãos durante a partida. Cícero abriu o placar ainda no primeiro tempo, mas a equipe não soube aproveitar as chances de gols. Neymar, escalado de última hora por causa de dores na coxa esquerda, perdeu duas oportunidades claras, parando em belas defesas de Bruno. O Palmeiras foi guerreiro novamente. Kleber marcou de cabeça em falha de Edu Dracena e levou a decisão para as penalidades.

Se Neymar não foi bem, a torcida do Santos aproveitou para dar apoio a seu grande ídolo da atualidade. Faixas de incentivo ao jogador foram espalhadas pelas arquibancadas da Vila Belmiro. Na última quarta-feira, o atacante recebeu muitas vaias e chegou a ser chamado de “pipoqueiro” pelos torcedores mineiros durante o empate do Brasil com o Chile, no Mineirão.

Nas semifinais, o Santos enfrentará o Mogi Mirim, que goleou o Botafogo de Ribeirão Preto por 6 a 0 e terá a vantagem de fazer o jogo único contra o Peixe em seu estádio.

Já o Palmeiras volta a se concentrar apenas na Taça Libertadores. Classificado para as oitavas, o Verdão encara o Tijuana, terça-feira, às 22h30m (de Brasília), no México. A partida de volta está marcada para 14 de maio, no Pacaembu. Quem passar pega São Paulo ou Atlético-MG.

Durval santos charles palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Durval ganha de cabeça a disputa com Charles (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Verdão começa melhor, mas Peixe marca

Gilson Kleina deve olhar com inveja para Muricy Ramalho. A raça mostrada nos últimos jogos fez o Palmeiras crescer, mas neste sábado não foi o bastante para superar um adversário que tem Neymar. O Santos não precisou de nenhuma grande exibição. Sua maior estrela também não foi brilhante, voltando de contusão. Fez o básico, capaz de levar a vantagem no placar para o lado alvinegro.

Mesmo com uma formação mais cautelosa, o Palmeiras começou melhor a partida. A velocidade do ataque confundiu a marcação santista, principalmente na frente dos zagueiros. Neymar chegou a provar do próprio veneno ao levar um lindo drible de Leandro. Rafael salvou. Em seguida, o mesmo Leandro quase marcou ao desviar um cruzamento de Vinícius. A bola saiu rente à trave.

faixa torcida santos neymar e palmeiras paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Torcida do Santos levou faixas de apoio a Neymar (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

O susto fez o Santos despertar e se ajeitar no ataque. Arouca foi liberado para descer pelo lado direito, quase como um lateral, aproveitando os espaços dados por Marcelo Oliveira. O gol não demorou a sair. Após cobrança de escanteio, aos 12 minutos, Neymar dominou no peito na área e chutou cruzado com a perna lesionada. Cícero, livre de marcação, apenas desviou.

A vantagem aumentou ainda mais o controle do Santos sobre o rival. O craque do Peixe também subiu de produção e transformou o lateral Ayrton em seu alvo preferido com dribles desconcertantes. Em um deles, Henrique também ficou para trás, mas Marcelo Oliveira impediu que a bola chegasse a André na pequena área. Antes do fim, Bruno ainda salvou o Verdão duas vezes em chutes de longe de Edu Dracena e Neymar.

neymar santos gol palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Neymar comemora com Cícero o gol do Santos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

 

Neymar perde gols, e Kleber empata

O Palmeiras voltou mais ofensivo para a etapa final. Gilson Kleina trocou o volante Léo Gago pelo centroavante Kleber. A mudança não surtiu grande alteração, mas deixou a equipe mais ofensiva e exposta na defesa. Por sorte, o Santos não conseguiu aproveitar. Em um lance polêmico, com Montillo impedido pela direita, Cícero cruzou rasteiro, Neymar chutou e Bruno fez bela defesa.

O Verdão também teve seus momentos para chegar à igualdade no placar. Com um homem mais preso na área, a equipe conseguiu atrapalhar a marcação rival. Em um dos espaços criados pela movimentação do setor, Leandro saiu na cara de Rafael, driblou o goleiro, mas foi desarmado por Léo antes de tocar para o gol vazio.

Percebendo a dificuldade do Santos em marcar, Muricy Ramalho trocou Alan Santos, volante improvisado na lateral direita, pelo zagueiro Neto. No ataque, André, mais uma vez apagado, deu lugar a Miralles. O argentino, aliás, fez companhia a Neymar na lista de gols perdidos. Livre na área outra vez, o craque parou em Bruno novamente. O gringo pegou o rebote e Maurício Ramos salvou.

kleber palmeiras gol santos paulistão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)kleber fez o gol de empate do Palmeiras e levou a decisão para os pênaltis (Foto: Marcos Ribolli)

Fez falta. O Palmeiras não desistiu de, pelo menos, levar a decisão para os pênaltis e passou a atacar com mais frequência. O empate veio depois de uma bobeira de Edu Dracena, até então um dos melhores em campo. Souza fez boa jogada e cruzou da direita. A defesa não cortou e Kleber apareceu livre para cabecear forte e fazer o primeiro gol dele com a camisa palmeirense. Nos minutos finais, Neymar ainda tentou buscar um fôlego extra para decidir o jogo, mas era tarde, e a decisão ficou para os pênaltis.

Nas cobranças, Rafael pegou as batidas de Kleber e Leandro – Wesley e Souza anotaram para o Palmeiras. Miralles, Cícero, Montillo e René Júnior marcaram e classificaram o Santos.

Santos x Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / globoesporte.com)Jogadores do Santos comemoram a classificação (Foto: Marcos Ribolli / globoesporte.com)

Por Cleber Aguiar – Galo supera Tombense e amplia vantagem para chegar à decisão

Fonte: Gazetaesportiva.net

Do correspondente Wanderson LimaBelo Horizonte (MG)

O Atlético-MG ainda não voltou a apresentar o futebol que encantou o Brasil no início da temporada, mas fez o suficiente neste sábado, para vencer o Tombense por 2 a 0, no estádio Almeidão e dar um grande passo para chegar a decisão do Mineiro e brigar pelo bicampeonato estadual.

O primeiro gol do jogo foi anotado pelo meia-atacante Luan, que pegou rebote do goleiro, após cabeçada de Alecsandro e estufou as redes do Almeidão. No segundo tempo, Leandro Donizete fechou o placar com chute de rara felicidade. Por ter feito melhor campanha na fase de classificação, o Galo pode até perder o jogo de volta por dois gols de diferença que avança para decidir o estadual.

Na sequência do Campeonato Mineiro, Atlético-MG e Tombense voltam a se enfrentar no jogo de volta pela semifinal do estadual, dia 5 de maio, no Independência. O Galo, porém, dá um tempo no estadual e passa a focar a Libertadores, na quinta-feira, os alvinegros enfrentam o São Paulo, pelas oitavas de final da principal competições de clubes das Américas.

O jogo – Mesmo atuando fora de casa, o Galo começou a partida dominando as ações, e quase abriu o placar com Alecsandro, que no primeiro minuto desviou cobrança de escanteio, assustando o goleiro Marcelo. Com os retornos de Tardelli e Bernard, o Atlético-MG voltou a ter qualidade no toque bola, envolvendo o time de Tombos em alguns momentos do jogo.

Apesar da maior posse de bola, o Galo teve dificuldades para furar o bloqueio da equipe da casa, que apostou nas jogadas de contra-ataques. Sem espaço, o meia-atacante Luan resolveu arriscar de fora da área, mas encontrou o goleiro do time de Tombos bem colocado para fazer a defesa.

Após os 20 minutos, o Tombense decidiu a adiantar as linhas de marcação, dando trabalho para defesa alvinegra. Com isso, a partida passou a ter um cenário de equilíbrio. Aos 26, o Galo aproveitou os avanços da equipe da casa e conseguiu emplacar uma ótima trama ofensiva, que terminou com a conclusão de Luan, que pegou rebote do goleiro, após cabeçada de Alecsandro e estufou as redes do Almeidão.

Com o gol, o Atlético-MG teve mais tranquilidade para girar a bola de um lado para outro, na tentativa de encaixar a assistência perfeita para dilatar o marcador. Com poucas alternativas, o time do técnico Marcelo Cabo tentava a todo o momento roubar a bola para chegar ao empate, o que prevaleceu até o fim do primeiro tempo.

Na volta para a etapa complementar, o Atlético-MG manteve o ritmo dos primeiros 45 minutos, ou seja, tocando a bola com tranquilidade, sem pressionar o time da zona da mata, que seguiu apostando nos erros do Galo para chegar ao empate. Dessa forma, o duelo entre o alvinegro e o Tombense, transcorreu sem muitos lances de emoção.

A primeira chance de real perigo do segundo tempo só surgiu aos 11, com chute cruzado de fora da área do lateral Beto, que obrigou Victor a se esticar todo para mandar para escanteio. O Galo deu a resposta na sequência, com troca de passes envolvente, mas com falha na conclusão da jogada, que ao menos serviu para acordar a torcida nas arquibancadas.

Discreto na partida, principalmente no segundo tempo, o atacante Diego Tardelli teve ao menos um chance clara de gol, com finalização cruzada, que passou muito perto da trave direita de Marcelo. No último quartil do jogo, o técnico Marcelo Cabo foi obrigado a colocar o Tombense para jogar no campo de ofensivo, criando, inclusive, oportunidades de igualar a contagem.

Insatisfeito com o desempenho do Atlético-MG em campo, o técnico Cuca reclamou bastante de seus comandados, cobrando uma marcação mais efetiva em cima dos atacantes da equipe visitante, que passou a ser mais agressiva que os atleticanos no final do jogo. Aos 36, no momento que o time de Tombos era melhor, o volante Leandro Donizete acertou um chute de fora da área, de rara felicidade, para fechar o marcador em 2 a 0 para o Galo.

Por Cleber Aguiar – Torcedores fazem festa no retorno do Maracanã

Fonte: O Dia Online

Após três anos, finalmente o carioca pode matar a saudade do Maracanã. A partida entre Amigos do Bebeto e Amigos do Ronaldo funciona  como primeiro evento teste do estádio que vai ser sede da final da Copa do Mundo de 2014.

Cerca de 30 mil ingressos foram disponibilizados para os operários que participaram das obras do estádio. Antes do começo do evento, os torcedores já faziam festa no estádio.Confira a foto:

Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia

Torcedores fazem festa no Maracanã | Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Cleber Aguiar – Juventude bate Grêmio nos pênaltis e está na final da Taça Farroupilha

Fonte: Globo.com

Tricolor fica perto da classificação, mas André Santos e Vargas erram, e time de Caxias avança

Por Hector WerlangDireto de Caxias do Sul (RS)

O Juventude está na final do segundo turno e eliminou o Grêmio do Gauchão. Após igualdade em 1 a 1, o time de Caxias superou o Tricolor por 5 a 4 nos pênaltis, na noite deste sábado, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. Aguarda, agora, o vencedor de Inter e Veranópolis, que se enfrentam neste domingo. E, de quebra, mantém a invencibilidade de dois anos em casa: são 47 partidas sem perder.

Resta ao Tricolor, que não ganha há seis partidas – pelo segundo ano seguido, sob comando de Vanderlei Luxemburgo não chega à final do Estadual -, a Libertadores. Enfrenta o Santa Fé, quarta-feira, na Arena, no jogo de ida das oitavas de final.

Nas penalidades, Zé Roberto foi o primeira a bater. Converteu. Alan fez o mesmo. Barcos manteve o Grêmio na frente. Zulu igualmente marcou. Fernando fez o terceiro. Adailton chutou por cima: 3 a 2 Tricolor. Pará ampliou a vantagem. Diogo manteve a esperança alviverde. André Santos errou. Feio. Por cima do gol: 4 a 3 ainda no placar. Moisés empatou em 4 a 4 e a série foi para as batidas alternadas. Vargas teve a cobrança defendida por Fernando. Gustavo converteu e determinou o 5 a 4 e a classificação do Juventude.

As duas equipes encorparam o espírito de decisão antes, durante e depois do jogo. Ainda nohotel, Vanderlei Luxemburgo comandou uma palestra que durou 50 minutos. Na chegada ao estádio, todos os jogadores que se manifestaram admitiram a má produção de partidas anteriores e a necessidade de fazer dos 90 minutos seguintes um ‘divisor de águas’. Uma reunião no meio-campo logo após entrar em campo finalizou a preparação tricolor.

O Ju não fez diferente. Evitou o favoritismo que a invencibilidade de 46 partidas em casa poderia supor. Adotou o discurso de ‘extrema dificuldade’ e ‘superação’. Chegou com antecedência ao palco da exibição. Resultado: o público foi contagiado.

Juventude x Grêmio (Foto: Itamar Aguiar / Futura Press)Vargas disputa a bola com jogador do Juventude (Foto: Itamar Aguiar / Futura Press)

A cada desarme, a cada carrinho, a cada passe e a cada finalização, a torcida azul ou verde se manifestava. Vibrava, apoiava. O futebol, porém, ficou aquém do visto nas arquibancadas.

Com começo melhor, o Grêmio ameaçou duas vezes em três minutos. Sempre pela esquerda, com André Santos servindo Zé Roberto. Na primeira, o meia errou cruzamento a Barcos. O chute, na segunda, obrigou boa defesa de Fernando. Um indício de melhora, que não se sustentou. O time apresentaria a mesma dificuldade de atacar: lentidão, pouca criatividade e indiferença à marcação.

O Ju respondeu ao passar a tomar o controle do jogo. No esquema 3-5-2, para suprir a ausência de Bergson, os alas Moisés e Robinho obrigavam os volantes Fernando e Souza a saírem do lugar. Os atacantes Zulu e Diogo Oliveira, portanto, enfrentavam zagueiros sem proteção. Diogo Oliveira, aos 15, livre, chutou para fora. O centroavante ainda perderia chance após cruzamento da esquerda. A superioridade teve a contribuição da baixa participação de Fábio Aurélio.

A etapa inicial ainda teria dois lances polêmicos. Vargas mandou para o gol após cruzamento de André Santos, mas a arbitragem assinalou impedimento do lateral. Por sua vez, o time da casa pediu pênalti de Pará em Diogo Oliveira.

Ação e reação

Os times voltaram com as mesmas escalações, porém, com posturas diferentes. O Ju partiu para cima, conforme anúncio feito por Lisca. O Tricolor não conseguiu sair do campo defensivo. Em dois lances, pela esquerda, em combinações entre Alan e Rogerinho, duas faltas foram cavadas. As duas, batidas por Diogo Oliveira, assustaram. A primeira tentou encobrir Dida, mas errou o alvo. A segunda, após má saída do goleiro, quase encontrou a cabeça de Rafael Pereira.

A válvula de escape azul, preta e branca foi Vargas. Bem posicionado, o atacante manteve a boa produção do primeiro tempo. Conseguiu, enfim, usar a velocidade para levar vantagem sobre os zagueiros. Pecou no último passe ou na demora em chutar a gol.

Foi quando Luxa decidiu mudar. Sacou Fábio Aurélio, apostou em Marco Antonio. No primeiro lance, o meia lançou Vargas na esquerda. O atacante até perdeu a bola, mas Souza a recuperou e serviu Barcos. De fora da área, em chute com extremo efeito ganhou de Fernando: 1 a 0, aos 19 minutos. À exceção de Pará e Dida, todos os jogadores correram para comemorar com o Pirata, que deu fim a um jejum de seis jogos. Mas…

Não durou. No lance seguinte, aos 20, o Ju empatou. Alan cruzou da esquerda, Dida demorou a sair e Diogo Oliveira, de cabeça, igualou. Reação à ação. O goleiro se recuperaria logo em seguida em grande defesa após chute de Adailton.

Na base da pressão e com jogadas combinadas, o Grêmio quase chegou ao gol da vitória. Pela direita, Vargas e Pará tabelaram, e o segundo serviu Marco Antonio, mas o chute cruzado saiu fraco. Ainda deu tempo para Barcos bater forte e obrigar boa defesa de Fernando. E a decisão foi ao pênaltis. No fim, de virada nas penalidades, Caxias do Sul foi ao êxtase.