ICFUT – LINK AO VIVO – BORUSSIA DORTMUND X REAL MADRID – LIGA DOS CAMPEÕES 2013

Borussia-Dortmund-vs-Real-Mad-495x278

ICFUT – LINK AO VIVO – BORUSSIA DORTMUND X REAL MADRID – LIGA DOS CAMPEÕES 2013 – clique aqui !

LINK 2 – CLIQUE AQUI !

Fonte: O Estado de São Paulo

Real Madrid enfrenta um Borussia abalado na Copa dos Campeões

Nesta terça-feira foi anunciada a transferência de Mario Götze para o Bayern

DORTMUND – Superar o fortíssimo Real Madrid na semifinal da Copa dos Campeões já seria naturalmente difícil para o Borussia Dortmund, mas as coisas ficaram ainda mais complicadas ontem, quando foi anunciada a transferência de seu jogador mais talentoso, Mario Götze, para o Bayern de Munique no meio do ano. Agora, cabe ao técnico Jürgen Klopp impedir que a notícia faça seu time perder a concentração no jogo de hoje, às 15h45 (de Brasília), na Alemanha. (Confira no final da matéria uma arte especial com todos os detalhes da partida)

O Borussia não queria vender Götze, muito menos para seu maior concorrente, mas o Bayern decidiu pagar a multa de rescisão de contrato, estipulada em  37 milhões (R$ 97,2 milhões). Restou ao clube de Dortmund a resignação. “Ele queria trabalhar com Pep Guardiola e não poderíamos censurá-lo”, disse Klopp, referindo-se ao próximo técnico do Bayern. Ele praticamente implorou para que os torcedores que forem hoje ao Signal Iduna Park não vaiem Götze, já chamado de traidor por muita gente em Dortmund. “Aqueles que estiverem afetados pela notícia, que deixem a dor de lado. E os que não puderem fazê-lo, que deem seu ingresso para outra pessoa.”

Os olhares estarão voltados para Götze - Uwe Anspach/EFE
Uwe Anspach/EFE
Os olhares estarão voltados para Götze

Amante dos duelos psicológicos nas vésperas de partidas importantes, José Mourinho, técnico do Real, não opinou sobre a saída de Götze do Borussia Dortmund, mas certamente adorou ver seu adversário ser abalado pela notícia. O português preferiu tentar negar a condição de favorito, que todo o planeta atribui à sua equipe.

“A eliminatória está equilibrada, os dois times têm as mesmas possibilidades. Não é fácil jogar contra o Borussia”, argumentou o técnico, que parou nas semifinais da competição nas duas últimas temporadas. “Gostaria que o futebol fizesse justiça com os meus jogadores, já que muitos deles nunca venceram a Copa dos Campeões.”

Por Cleber Aguiar – Sindicato acusa o Paulista de Jundiaí de atrasar salários

Fonte: Folha Online

O Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo encaminhou à Federação Paulista de Futebol denúncia de atraso no pagamento de salários aos jogadores do Paulista de Jundiaí.

O Tribunal de Justiça Desportiva da FPF não havia recebido a documentação até a noite de ontem. Ao tomar conhecimento do caso, caberá ao TJD fixar prazo ao clube para liquidar a dívida e evitar aplicação de punição.

Segundo o artigo 21 do regulamento do Estadual, “o atraso na remuneração (…) sujeitará o clube à perda de três pontos por partida a ser disputada depois de reconhecido o descumprimento por decisão e enquanto perdurar a inadimplência”.

Se perdesse três pontos, o Paulista cairia da 13ª posição para a 17ª, o que provocaria o seu rebaixamento à Série A2 –o Mirassol ficaria na elite.

Rubens Cavallari/Folhapress
Jogadores do Paulista comemoram gol em vitória contra o Santos em fevereiro
Jogadores do Paulista comemoram gol em vitória contra o Santos em fevereiro

Por Cleber Aguiar – Irmão de Galhardo, do Santos, morre em acidente de carro

Fonte: Globo.com

Marcos era jogador do Tombense e havia passado a folga ao lado do irmão

GALHARDO irmão (Foto: Reprodução)Marcos Galhardo era jogador do Tombense
(Foto: Reprodução)

O irmão do lateral-direito santista Rafael Galhardo, Marcos Vinícius Galhardo, morreu depois de sofrer acidente de carro na BR 356, na altura de Retiro do Muriaé, distrito de Itaperuna, cidade do norte do Rio de Janeiro, nesta terça-feira. O jogador, que era conhecido como Marquinhos Galhardo, voltava de Santos, onde havia passado o fim de semana de folga com o irmão e o restante dos familiares, para o município mineiro de Tombos, onde mora. Marcos, que era meia, estava emprestado pelo Friburguense e atualmente defendia o Tombense, que está nas semifinais do Campeonato Mineiro.

O veículo em que estava Marcos, de 22 anos, saiu da pista e caiu numa ribanceira. O jogador foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao hospital São José do Avaí, em Itaperuna, mas não resistiu aos ferimentos e morreu em seguida.

A diretoria do Tombense está em Itaperuna para prestar apoio aos parentes. O corpo do jogador foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itaperuna e será sepultado em Nova Friburgo nesta quarta-feira, ainda sem horário definido. O Fribuguense divulgou uma nota de luto pela morte do jogador.

Em rede social, amigos prestam homenagens
Em sua página em uma rede social, fãs e conhecidos expressaram solidariedade. Diversas pessoas postaram mensagens e fotos com o jogador. Ex-companheiro de Friburguense, o atacante Ziquinha também prestou sua homenagem.

– Luto. Perdi hoje não um amigo, e sim um irmão. Marquinhos, você estará sempre vivo na minha memória e coração – postou.

A última publicação de Marquinhos foi no dia 17 de abril, quando o jogador disse.

– Pai, não conheço teus planos, mas o Senhor conhece meu caminho – comentou.

GALHARDO irmão (Foto: Renato Freitas/Blog do Adilson Ribeiro)O carro de Marcos Galhardo ficou totalmente destruído (Foto: Renato Freitas/Blog do Adilson Ribeiro)

Por Cleber Aguiar – Nicolas Leoz deixa cargos na Fifa e no COL e sai da Conmebol dia 30

Fonte:Gazetaesportiva.net

Por motivos de saúde, Nicolas Leoz convocou entrevista coletiva nesta terça-feira para anunciar sua saída do Comitê Executivo da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. Após fazer referências nominais a José Maria Marin, presidente da CBF, e Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), o dirigente paraguaio de 84 anos revelou também que deixará o cargo de presidente da Conmebol no próximo dia 30 de abril.

“Neste dia colocarei meu cargo de presidente da Conmebol à disposição dos presidentes das associações nacionais”, revelou Leoz, que foi desaconselhado por seus médicos a realizar viagens longas. À frente da entidade máxima do futebol sul-americano desde 1986, o paraguaio se submeteu a uma cirurgia de desobstrução de artéria em São Paulo, em novembro do ano passado. Os problemas cardíacos impedem sua continuidade nos cargos.

Divulgação/Fifa

Nicolas Leoz ocupa o cargo de presidente da Conmebol desde 1986; em 97, as federações determinaram que seu cargo era vitalício

Ao abrir mão dos cargos na Fifa e no COL, Nicolas Leoz agradeceu o apoio ao seutrabalho, desempenhado desde 1998 no primeiro e 2007 no segundo. “Deixo os cargos com a consciência de ter feito um trabalho sincero e honesto. A Del Nero, que siga bem no Comitê Executivo da Fifa, a José Maria Marin, que faça uma Copa do Mundo fantástica. Estarei sempre perto de todos. Me sinto muito orgulhoso de todos os meus companheiros, amigos da América do Sul. E também aos jornalistas”.

Em maio de 2012, Leoz havia anunciado que seu cargo de presidente da Conmebol era vitalício por conta de um acordo estabelecido em 1997, envolvendo os presidentes de todas as federações sul-americanas. Como concorreu sozinho a todas as eleições desde 1986, o modo de escolha do novo presidente da entidade ainda é desconhecido, mas uma eleição interna deve ser costurada para o início de junho.

Antes de assumir a presidência da Conmebol, o dirigente paraguaio foi presidente do Libertad durante 10 anos, alçando ao cargo de presidente da Liga Paraguaia de Futebol (LPF) nos períodos de 1971-1973 e 1979-1985. Com a gestão reconhecida e depois de desempenhar até a função de presidente do primeiro tribunal de justiça da Confederação Paraguaia de Basquete, foi eleito para a Conmebol exatamente no dia 1º de maio de 1986.

Por Cleber Aguiar – Müller decide, Bayern engole o Barça e dá grande passo rumo a Wembley

Fonte: Globo.com

Meia-atacante marca duas vezes e participa de outros dois nos 4 a 0 dos bávaros na Allianz Arena. Catalães, com Messi, precisam de milagre

Um caminhão chamado Bayern de Munique atropelou o time de maior sucesso na Europa nos últimos anos. Se ainda é cedo para falar numa nova era no continente, ao menos os bávaros têm a convicção de que estão muito mais próximos de sua terceira final da Liga dos Campeões nos últimos quatro anos. Em grande noite de Thomas Müller, autor de dois gols e decisivo nos outros dois, a equipe treinada por Jupp Heynckes engoliu o Barcelona na Allianz Arena e, com vitória por 4 a 0, praticamente garantiu presença no lendário Wembley no próximo dia 25 de maio. Fora o baile.

Apesar da apagada atuação mesmo com maior posse de bola (63%), o Barça tem motivos para reclamar da arbitragem, já que Mario Gómez estava impedido no segundo gol. No terceiro, os jogadores também contestaram a não marcação de uma falta de Müller em Jordi Alba – Robben completou cara a cara com Valdés. O comentarista da TV Globo, Leonardo Gaciba, porém, não considerou irregularidade no lance. De quebra, o Bayern poderia ter obtidovantagem ainda maior se o árbitro húngaro Viktor Kassai tivesse assinalado pênalti de Piqué ainda no primeiro tempo.

Mosaico Bayern de Munique x Barcelona (Foto: Editoria de Arte)

Com o reforço ao menos do lateral Adriano para a partida de volta, na próxima quarta-feira, no Camp Nou, o Barcelona precisará de basicamente um milagre para tirar a vantagem dos alemães. Se repetirem o placar, os comandados de Tito Vilanova levarão o confronto para a prorrogação, enquanto um gol do Bayern os obrigará a marcar ao menos seis vezes por conta do saldo. Na memória recente há uma motivação: em março, pelas oitavas de final, Lionel Messi e companhia conseguiram os 4 a 0 contra o Milan, embora num outro contexto – havia perdido a ida por 2 a 0 na Itália.

O passado, no entanto, em nada ajuda o Barça. Nenhum time foi eliminado de qualquer competição europeia depois de abrir quatro ou mais gols de diferença no primeiro jogo. A derrota sofrida foi ainda a pior do Barcelona desde 1997, quando sofreu os mesmos 4 a 0 do Dínamo de Kiev, pela Liga dos Campeões – foram 149 jogos desde então. Em competições gerais, o “jejum” é reduzido até 2007 (ou 457 partidas), quando o Getafe aplicou 4 a 0 pela Copa do Rei.

A expectativa era por uma batalha pela bola. O Bayern, segundo maior dono de posse da Champions, desafiava o Barcelona, líder no quesito em seus últimos 301 jogos. A motivação de uma Allianz Arena lotada poderia ainda incentivar os bávaros a saírem para o jogo e tentarem colocar o modelo catalão à prova. Mas o fato é que nada disso foi necessário ao time de Schweinsteiger, Javi Martínez, Ribéry, Müller… A estratégia já estava muito bem definida.

Com 38% do tempo com a bola nos pés, o Bayern soube desafiar o Barça como poucos no mundo. Messi, liberado pelos médicos, não estava 100% fisicamente, mas a impressão é de que não faria tanta diferença no primeiro tempo mesmo se estivesse. Incansáveis na marcação, os bávaros não deixavam o craque argentino tocar na bola com mais de um segundo de liberdade, assim como funcionava – e bem – a vigia sobre Xavi, Iniesta e Busquets.

Messi, Bayern de Munique x Barcelona (Foto: AP)Messi acompanha a festa do Bayern de Munique: argentino teve atuação apagada (Foto: AP)

Chances de perigo? Apenas para os donos da casa. Aos 15, os alemães cobraram do árbitro Viktor Kassai um possível pênalti de Piqué, que colocou a mão na bola após chute de Lahm. O húngaro preferiu ignorar. Mas o gol não demoraria a sair. Aos 24, na maior fraqueza do Barcelona, o Bayern abriu o placar: Robben cruzou da direita, Dante escorou em dividida com Daniel Alves e Müller completou para o fundo das redes.

O Barcelona tentou responder na sequência no que acabou sendo o seu único grande lance de perigo na etapa inicial. Aos 28, Pedro cruzou da direita na direção de Messi, mas Dante se esticou e salvou gol certo dos visitantes com um carrinho. O susto basicamente foi o último suspiro de um primeiro tempo claramente a favor do Bayern, que ainda reclamou de uma outra penalidade quando Dante tocou de cabeça e a bola resvalou no braço de Sánchez.

Müller e companhia engolem o Barça

Robben, Bayern de Munique x Barcelona (Foto: Reuters)Robben fez o terceiro em lance polêmico (Reuters)

Tito Vilanova preferiu não mexer na volta do intervalo. Dominado, mesmo aparentemente tendo o controle do jogo, o Barcelona acabou punido logo aos três minutos. E de novo na bola aérea. Com média de 1,83m de altura em campo, o Bayern fez prevalecer a sua superioridade e ampliou diante de um rival bem menor (1,75m). Robben cobrou escanteio da direita, Valdés saiu mal, Müller, sempre decisivo, cabeceou para o meio eMario Gómez, adiantado, emendou.

Não adiantou aos catalães reclamarem com a arbitragem. Era preciso também jogar, fazer valer toda a fama conquistada nos últimos anos. Mas só dava Bayern. Aos cinco, Müller arriscou de fora da área, a bola passou perto. Quatro minutos depois foi a vez de a dupla “Robbéry” entrar em ação, mas o francês acabou concluindo para fora após boa jogada do holandês.

Curiosamente nas bolas paradas, o Barcelona encontrou uma maneira de levar perigo. Aos 23, Bartra apareceu livre na frente de Neuer, mas rateou no momento da finalização. Do chute fraco, ele resolveu emendar com força aos 31, quando recebeu em lance semelhante. E em outro lance polêmico, aos 27, Robben tirou Jordi Alba para dançar, Müller, como numa jogada de basquete, encostou no espanhol, que desabou. O caminho ficou livre para o holandês tocar na saída de Valdés. O comentarista da TV Globo, Leonardo Gaciba, não considerou irregularidade.

O que já parecia ótimo para os alemães se tornou excelente. Todo aberto, o Barça sofreu um golpe que praticamente sepultou suas chances na Liga dos Campeões. Agora pela esquerda, Alaba tabelou com Ribéry e cruzou para Müller, que exercia papel de centroavante, fechar a conta e antecipar a Oktoberfest em Munique. Ao menos por uma semana.

Mueller, Bayern de Munique x Barcelona (Foto: AFP)De carrinho, Müller sela os 4 a 0 do Bayern sobre o Barcelona (Foto: AFP)

Ficha técnica:

Bayern de Munique: Neuer, Lahm, Boateng, Dante e Alaba; Javi Martínez e Schweinsteiger; Robben, Müller (Pizarro) e Ribéry (Shaqiri); Mario Gómez (Luiz Gustavo). Técnico: Jupp Heynckes.

Barcelona: Valdés, Daniel Alves, Piqué, Bartra e Alba; Xavi, Busquets e Iniesta; Pedro (Villa), Messi e Sánchez. Técnico: Tito Vilanova.

Gols: Thomas Müller, aos 24 minutos do primeiro tempo. Mario Gomez, aos três, Robben, aos 26, e Müller, aos 34 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Mario Gomez, Javi Martínez, Schweinsteiger (Bayern de Munique); Bartra, Sanchez, Iniesta e Jordi Alba (Barcelona).

Estádio: Allianz Arena, em Munique, Alemanha. Data: 23/04/2013. Árbitro: Viktor Kassai (Hungria).