Por Cleber Aguiar – Conmebol anuncia datas dos jogos de ida das oitavas de final

Fonte: Globo.com

Mata-mata do torneio continental começa na próxima semana com apenas um brasileiro: Palmeiras enfrenta o Tijuana na quinta-feira

A Conmebol anunciou nesta sexta-feira as datas dos jogos de ida das oitavas de final da Taça Libertadores. O Palmeiras é o primeiro brasileiro a entrar em campo: joga na próxima quinta-feira contra o Tijuana, no México.

Na semana seguinte, São Paulo e Atlético-MG se enfrentam no Morumbi, no feriado de 1º de maio (uma quarta-feira), mesma data de Boca Juniors x Corinthians, em Buenos Aires. Grêmio e Fluminense jogam no dia 2, respectivamente contra Santa Fe (em Porto Alegre) e Emelec (em Guayaquil).

Confira abaixo os oito duelos.

São Paulo x Atlético-MG
Jogo de ida: 01/05 (quarta-feira)

Tijuana x Palmeiras
Jogo de ida: 25/04 (quinta-feira)

Boca Juniors x Corinthians
Jogo de ida: 01/05 (quarta-feira)

Newell´s Old Boys x Vélez Sarsfield
Jogo de ida: 25/04 (quinta-feira)

Grêmio x Santa Fe
Jogo de ida: 02/05 (quinta-feira)

Real Garcilaso x Nacional
Jogo de ida: 24/04 (quarta-feira)

Tigre x Olimpia
Jogo de ida: 30/04 (terça-feira)

Emelec x Fluminense
Jogo de ida: 02/05 (quinta-feira)

Por Cleber Aguiar – Brasileiros fazem história com seis classificados. Confira os confrontos

Fonte: Globo.com

Atlético-MG x São Paulo é único duelo entre brasileiros na próxima fase. Corinthians reedita a final de 2012 contra o Boca Juniors, da Argentina

Pela primeira vez na história, um país, no caso o Brasil, conseguiu garantir seis representantes nas oitavas de final da Taça Libertadores da América. Atlético-MG, Corinthians, Fluminense, Grêmio, Palmeiras e São Paulo avançaram e seguem na luta pelo título continental. Apenas um duelo brasileiro na próxima fase, entre Galo e Tricolor Paulista, impede que todos tenham chances de chegar às quartas.

O Corinthians, atual campeão, fará uma reedição da decisão de 2012 diante dos argentinos do Boca Juniors. O melhor segundo colocado geral, o Tijuana, do México, será o adversário do Palmeiras. Enquanto o Fluminense vai encarar o Emelec, do Equador. Os três brasileiros irão decidir a vaga em casa. O único que terá que lutar para avançar em território inimigo na partida de volta é o Grêmio, que pega o Santa Fé, da Colômbia, na sequência do torneio.

Veja como ficaram todos os confrontos abaixo:

tabela Libertadores 2013 oitavas (Foto: Editoria de Arte)

Projetando as fases seguintes, um novo duelo brasileiro se desenha nas quartas: vencedor de Atlético-MG e São Paulo contra o Palmeiras. O Corinthians está do mesmo lado da chave dos rivais paulistas. Fluminense e Grêmio só se encontrariam com os demais compatriotas numa eventual final. No entanto, caso cheguem apenas dois times brasileiros na semifinal, eles se enfrentam independentemente da formação das chaves.

FLUMINENSE LEVA SUSTOS, MAS VENCE O CARACAS, ACABA LÍDER E PEGA O EMELEC

Rafael Sobis faz o gol da vitória em São Januário, time é primeiro do Grupo 8 e tem pela frente nas oitavas de final da Libertadores um rival equatoriano

O Fluminense fez o dever de casa. Contra um limitado time do Caracas-VEN, os tricolores chegaram a levar sustos, mas nos pés de Rafael Sobis encontraram a salvação. O atacante fez o gol da vitória por 1 a 0, na noite desta quinta-feira, em São Januário, e ajudou a garantir a primeira colocação do Grupo 8 da Libertadores, com 11 pontos. O Grêmio, que empatou com o Huachipato (1 a 1), no Chile, ficou em segundo. Com a classificação de cariocas e gaúchos, é a primeira vez que seis times brasileiros avançam às oitavas de final. O adversário do Flu na próxima fase é o Emelec, do Equador. O Tricolor disputa a segunda partida em casa. As datas ainda serão divulgadas. Se passar pelo Emelec, o Fluminense enfrentará o vencedor do duelo entre Olimpia e Tigre.

– É bom se sentir importante, num momento importante. Fizemos um jogo para classificar, fomos inteligentes na medida do possível, vínhamos de uma sequência forte de jogos. O que vale é o resultado final – disse Rafael Sobis, herói do jogo.

Antes de a bola rolar, uma pequena parte do público presente (12.158) chamou a atenção no espaço destinado aos torcedores do Caracas. Nada a ver com futebol. Opositores ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, levaram cartazes pedindo a recontagem dos votos que elegeram o chavista por uma margem pequena. Porém, houve ameaça por parte de quem é a favor do mandatário atual. E os opositores deixaram o estádio. O público pagante foi de 10.224, com renda de R$ 223.070,00.

Antes de voltar à Libertadores, os comandados do técnico Abel Braga têm um compromisso pela última rodada da fase de grupos da Taça Rio, domingo, contra o Bangu, às 16h (de Brasília), em São Januário.

Faltou sorte, faltou tamanho

Rafael Sobis gol Fluminense Huachipato (Foto: AFP)Rafael Sobis corre para comemorar o gol da vitória tricolor em São Januário (Foto: AFP)

A torcida afagou seu lateral-esquerdo com cantos de “Força, Carlinhos” – na última semana, sua esposa, que estava grávida, perdeu o bebê. O incentivo parece ter mexido com o jogador. Eram pelo lado esquerdo as investidas preferenciais. Mas o Fluminense também encontrava certa facilidade. René Flores dava espaço e não recebia muito auxílio dos seus companheiros de meio de campo, que deixavam os passes de Wagner e Rafael Sobis chegarem sem problemas. Além disso, o time venezuelano entregava a bola para os tricolores em seguidas saída de jogo. O caminho para o gol tricolor parecia simples.

Em um dos lances de Carlinhos, faltou a Wellington Nem mais um pouquinho de altura para mandar a bola para a rede. O atacante, de 1,65m de estatura, finalizou de cabeça na pequena área. Direto para fora. A Rhayner faltou foi aquela sorte que teve ao tentar cruzar e estufar a rede contra o Resende, auxiliado por um toque do goleiro Mauro, em seu primeiro e único gol com a camisa tricolor. Desta vez, ele deu um chute bonito, colocado, que parou no travessão.

O Caracas chegou a dar sustos em lances de bola parada. Mas os sustos maiores foram dados pelo goleiro Renny Vega. Sempre atabalhoado para cortar cruzamentos, desguarneceu por vezes a baliza. No entanto, fez o milagre quando solicitado. Saiu mal, como de costume, mas voltou a tempo de evitar o que parecia já estar decretado. Leandro Euzébio só poderia lamentar a defesa.

Ah, Gum! Boa, Sobis!

Edinho jogo Fluminense Caracas (Foto: Felipe Dana / AP)Capitão do Flu, Edinho se estica para afastar o perigo (Foto: Felipe Dana / AP)

Na volta do intervalo, Wellington Nem mudou para o lado direito do ataque para explorar o cansaço do lateral-esquerdo brasileiro Amaral. Uma estratégia para confundir e surpreender o adversário. Confuso mesmo ficou Gum. O zagueiro vacilou na saída de jogo e entregou o doce para Peña. O meia finalizou bem, mas a bola foi para fora, raspando a trave direita de Cavalieri.

O Fluminense parecia não ter entrado em campo ainda na segunda etapa. Ninguém acreditava muito no cruzamento que virou finalização de Cure. A bola explodiu na trave de Diego Cavalieri e pipocou no meio da área até a defesa tricolor afastar, aos sete minutos. Aos oito, João de Deus entrou em ação para aliviar o sofrimento. Carlinhos cruzou, Rhayner dividiu, e a sobra, na medida, caiu nos pés de Rafael Sobis. O atacante bateu firme, sem chances para Vega. Preciso, anestésico. A torcida inflou os pulmões. Gritos de alegria soltos.

Entre um ataque e outro, os comandados de Abel ajudavam a aumentar os batimentos dos torcedores. Cabezas cruzou todo torto, parecia mandar na lua, mas a bola caiu no travessão. Depois, Cure recebeu na área e bateu no cantinho. Diego Cavalieri salvou. Felipe ainda entrou no lugar de Wagner para cadenciar a partida. Jean quase ampliou. Houve um bate-rebate na área, mais uma chance para marcar, mas a classificação estava garantida com o 1 a 0. Fim de papo, e os jogadores, que durante o jogo se perguntavam quem seria o adversário, tiveram a resposta: Emelec.

GRÊMIO SOFRE, EMPATA E BRIGA COM O HUACHIPATO PARA AVANÇAR ÀS OITAVAS

Tricolor leva gol nos minutos finais, segura pressão do rival e, classificado, deixa o campo após confusão envolvendo jogadores e comissões técnicas
por Lucas Rizzatti

Está salvo, vivo e renovado o “Projeto Libertadores”. O Grêmio não fez chover, como sugere a cidade de Talcahuano, cuja tradução é “céu trovejante”, mas arrancou um empate em 1 a 1 sofrido e brigado com o Huachipato para se classificar às oitavas de final. Literalmente brigado. O espetáculo em campo deu lugar a um clima de guerra assim que o árbitro encerrou a partida. O técnico do Huachipato, Jorge Pellicer, invadiu o campo e se estranhou com Vanderlei Luxemburgo, gerando confusão generalizada, com direito a invasão de torcedores. Na ida para o vestiário, na entrada do túnel de acesso, o treinador tricolor escorregou e caiu no gramado, sendo agredido. A polícia agiu rapidamente e impediu um problema ainda maior.

Luxemburgo confusão jogo Huachipato Grêmio  (Foto: Marcelo Hernandez / Photosport / AFP)Luxa sorri diante das provocações, antes da confusão ficar pior (Foto: Marcelo Hernandez / Photosport / AFP)

Com o triunfo do Fluminense sobre o Caracas, o Grêmio acabou em segundo do Grupo 8 e vai enfrentar o Santa Fé-COL, decidindo o mata-mata fora de seus domínios, em data a ser definida. A equipe não terá Zé Roberto no jogo de ida. Autor do gol tricolor contra os chilenos, ele levou o terceiro cartão amarelo.

Apesar do gol sofrido no fim – Aceval empatou aos 43 do segundo tempo, dando contornos dramáticos ao até então jogo mais importante do semestre para o Grêmio -, a partida desta quinta, na portuária Talchuano, a 500 quilômetros da capital Santiago, mostrou que, da clarividência do capitão Barcos às defesas seguras de Dida, o time de Luxemburgo tem algo além daquela equipe insossa, sem brilho nem gols dos últimos jogos do Gauchão. O estadual, aliás, é a próxima parada gremista. Enfrenta o São Luiz, na segunda, pelas quartas de final da Taça Farroupilha.

Casa cheia e Barcos de capitão

Sempre abaixo dos cinco mil na Libertadores, a torcida do Huachipato desta vez atendeu ao chamado, aproveitou a promoção de dois ingressos por um e encheu o pequeno estádio CAP. Encheu, mas não lotou. Com alguns espaços vazios, não chegou a dez mil espectadores. Mesmo assim, todos os chilenos gritaram em uníssono por dois nomes em especial: o então artilheiro da Libertadores, Braian Rodríguez, e… Vargas. Sim, valeu mais a nacionalidade do atacante gremista do que a momentânea rivalidade.

A novidade mesmo ficou por conta de Vanderlei Luxemburgo, que alçou Barcos a capitão. Uma exceção à regra, para aproveitar o castelhano afiado do argentino. A longo prazo, o dono da braçadeira segue sendo Zé Roberto. Aliás, o meia virou atacante, compondo uma linha de três, com Vargas e Barcos. Foi a surpresa maior de Luxa, sem poder contar com Elano, lesionado, e usando também três volantes.

E o jogo começou à feição do Grêmio. Um Huachipato afobado, primando pelo atropelo, deu espaço ao tão almejado contragolpe tricolor. Vargas se sentiu à vontade no lado direito, enquanto Zé ocupava a ponta oposta. A primeira chance, inclusive, foi brasileira. Pará cruzou, a bola viajou às costas da zaga e caiu na cabeça de Barcos. O Pirata, sem cavanhaque, mas com fome de gol, até porque não marca há seis jogos, torneou, mas errou o alvo, aos seis minutos. A resposta foi instantânea. Pelo alto, conforme anunciado e alertado pelo próprio Grêmio. Braian Rodríguez levou a melhor sobre Bressan, substituto de Cris, suspenso. Mas parou nas mãos gigantes de Dida.

O estádio, enfim, se transformou num caldeirão com o frisson pelo gol iminente. Mas logo voltaria a emudecer. Aos 17, Barcos tinha à frente dois zagueiros e um balão torto da zaga. Transformou o obstáculo em chance de gol. Desvencilhou-se dos dois e chutou por cima. Poderia até ter servido a Zé Roberto, que passou zunindo ao seu lado. Pouco tempo depois, Pará demorou a passar para o camisa 10, que levou as mãos ao céu enquanto saltitava tamanha a bronca com o erro do colega.

Zé do ataque resolve a parada

Quem errou mesmo foi Fernando. Saiu jogando de maneira displicente, perdeu a bola, que foi aberta para o lado direito. Caiu no pé de quem? Braian Rodríguez. O artilheiro ingressou livre na área. O chute forte só não virou gol porque Dida espalmou, em milagrosa defesa. Isso aos 29. Cinco minutos antes, Alex Telles entrara na vaga de Adriano, lesionado. André Santos assumiu o meio-campo, e o garoto foi à lateral-esquerda – estava fora desde 24 de fevereiro, quando fraturou a face no Gre-Nal, pelo Gauchão.

Zé Roberto gol Grêmio x Huachipato (Foto: AP)Zé Roberto marca e comemora o gol do Grêmio (Foto: AP)

Aos 32, André Santos, mais avançado, lançou Barcos, que aparou de cabeça. Ela chegou até Zé com o camisa 10 de costas. Mas, enfim, chegou, após duas tentativas frustradas. Criativo, tirou um movimento de puxeta para não precisar dominar a bola. Veloso sujou o impagável uniforme rosa em vão: Grêmio 1 a 0, com Zé Roberto, o Zé da galera, do gol e, nesta noite, do ataque.

Luxa, que deu pulinhos e urros de indignação com o erro anterior de Fernando, desta vez abriu o sorriso, abraçou os integrantes do banco de reservas. Um gol que valia muito, pois o Huachipato precisaria virar para arrancar a classificação do Grêmio. O que não conseguiu no primeiro tempo, que chegou ao fim com inabalável cantoria dos “hinchas” chilenos.

Fora da partida por lesão, Marco Antonio acompanhou a partida ao lado de Cris, Busatto, Willian José e Jean Deretti. Ao deixar o espaço e ir ao corredor, foi abordado por um torcedor. Eufórico, ele recomendou.

– Agora, tem que furar a bola!

Huachipato assusta, mas vaga é brasileira

Que nada. O Grêmio seguiu fazendo o que, em tese, o seu grupo sempre teve potencial: jogar bom futebol, em vez de apenas se retrancar. Mas é fato que foi bastante fustigado pelo Huachipato, embora sem chances claras de gol. O perigo maior eram os cruzamentos, que muitas vezes passavam como se fossem chutes, de tão venenosos. A melhor delas foi aos oito minutos, em cobrança de falta de González raspando o poste.

Coube a Zé Roberto, tomando gosto pelo ataque, tirar o marasmo do embate. Aos 23, invadiu a área e colocou de pé canhoto. O ângulo estava à espera da bola, mas ela teimou em fazer a curva pela linha de fundo. Mas Zé já havia marcado uma vez. E havia Dida, em noite até ali mais do que inspirada. A vaga seria do Grêmio, mas com drama de novela mexicana no final.

Werley sentindo dores musculares deixou o time com um a menos, afinal, Luxa havia feito as três trocas – Alex Telles, Welliton e Kleber entraram. Assim, Souza virou zagueiro. O defensor pulava em campo, não conseguia correr. Foi para o ataque só para fazer número. Sem um marcador, o Huachipato pressionava. Fernando, na entrada da área, tocou a bola com a mão. Falta perigosa, que Aceval cobrou e empatou, aos 43 minutos. Dida nem saltou, e pareceu ter pedido desculpas aos companheiros.

Praticamente com um a menos, o Grêmio segurou a pressão. Teve três escanteios contra em sequência. Mas o sufoco passou. Está nas oitavas.

confusão jogo Huachipato Grêmio  (Foto: AP)Delegação do Grêmio fica encurralada no túnel de acesso ao vestiário (Foto: AP)

PALMEIRAS PERDE NO PERU, MAS FICA NA PONTA GRAÇAS A GOL NO FIM DO LIBERTAD

Contra um Sporting Cristal já eliminado, Verdão joga sem a raça dos últimos jogos e perde. Adversário nas oitavas será o Tijuana, do México
Alexandre Lozetti

Sabem o tão falado clima de Libertadores? Jogos tensos, pressão da torcida, ambiente hostil e muita raça? Esqueçam tudo quando falarem de Sporting Cristal x Palmeiras, disputado nesta quinta-feira, em Lima, no Peru. Um dos jogos de Libertadores com menos cara de Libertadores que já se viu. Nem a cara do Palmeiras foi a mesma das últimas cinco vitórias. Longe do time aguerrido que os empolgados torcedores apoiaram, da organização e do bom futebol, a equipe foi derrotada por 1 a 0 (veja os melhores momentos no vídeo). O resultado, porém, não alterou a situação do Verdão, que avança às oitavas de final na liderança grupo 2. Até os 45 minutos do segundo tempo, o Tigre vencia o Libertad por 5 a 2, e garantia a ponta no saldo. Só que o terceiro tento paraguaio, já nos acrescimos, recolocou o time alviverde na primeira colocação. No primeiro mata-mata, o Verdão vai enfrentar o Tijuana, do México. As datas ainda serão definidas pela Conmebol.

Palmeiras e Tigre terminam a primeira fase com nove pontos. O time brasileiro tem saldo zero. Os argentinos ficaram com menos um. Essa é a diferença que fez o gol do Libertad.

Sem clima

A vinte minutos de os times entrarem no gramado do estádio Miguel Grau, nenhum torcedor estava na arquibancada. Nenhum! Só funcionários, convidados e loiras estonteantes com pequenas blusinhas dos patrocinadores da competição. Os portões foram abertos, e cerca de 300 pessoas entraram. E nem para ficarem juntos… Um bloco de peruanos no centro da arquibancada, outro atrás do gol, e palmeirenses do outro lado.

No camarote reservado para o Sporting Cristal, apenas uma mulher. Ninguém do clube. Já a comitiva palmeirense, inclusive o presidente Paulo Nobre, sentou-se nas cadeiras numeradas, logo abaixo das câmeras de televisão. De uma cabine de imprensa confortável, mas sem luz, os jornalistas brasileiros relataram a partida.

Em campo, muitos erros de finalizações, posicionamento, marcação… Erros que o Verdão terá de corrigir para as oitavas de final, ainda sem datas confirmadas. Antes disso, domingo, pegará o Ituano para tentar melhorar sua posição na última rodada da primeira fase do Paulistão – atualmente é quinto, com 34 pontos.

Charles jogo Sporting Palmeiras (Foto: AFP)Charles disputa lance com Lobatón no jogo disputado no Peru nesta quinta-feira  (Foto: AFP)

 

Primeiro tempo muito fraco

Com o desfalque de Ronny, vetado em razão de uma amigdalite, o Palmeiras teve Caio e Emerson adiantados, e a falta de entrosamento prejudicou demais o setor ofensivo. Os lances de perigo dependiam do apoio dos jogadores de meio e do lateral Ayrton, que, por exemplo, recebeu bom lançamento em profundidade, mas teve de finalizar sem ângulo porque não havia ninguém na área.

Já no eliminado Sporting, nada tinha muita qualidade, mas tudo parecia ser mais bem pensado. A começar pelos volantes Lobatón (e que time peruano não tem um Lobatón?) e Cazulo, e pela visão de jogo de Calcaterra. Ele achou Ávila livre na área após vacilo de Vilson, mas Fernando Prass impediu o gol. A outra grande chance foi de Rengifo. A bola caiu em seus pés no chute de Cazulo. Sozinho, girou por cima do gol palmeirense.

Já agasalhadas porque a temperatura baixa bastante quando cai a noite no Peru, as loiras seguiam passando por trás da diretoria, dos torcedores, e sendo fotografadas. Poucos queriam saber do jogo. Até no time do Palmeiras. Havia um buraco no meio, e Maurício Ramos atuava pelo lado esquerdo da zaga, algo que não está acostumado. O Verdão foi para o intervalo, e os resultados até então apontavam o Tijuana, do México, como adversário alviverde nas oitavas.

Ayrton jogo Sporting Palmeiras (Foto: AFP)Ayrton teve atuação apenas regular na partida em que o Verdão perdeu para o Sporting por 1 a 0  (Foto: AFP)

Pouca luz, pouco futebol

Na precária iluminação do estádio, escolhido porque o Nacional, primeira opção, recebeu um show de rock na véspera, e o Alberto Gallardo, casa do Sporting, nem refletores possui, o Palmeiras também foi opaco. Escuro. E a substituição do técnico Roberto Mosquera ainda melhorou sua equipe. Chiroque substituiu Ross, e a marcação palmeirense teve mais um para se preocupar. Ele abriu espaço para Ávila, de longe, acertar belo chute de esquerda e acertar o ângulo esquerdo alto de Prass.

Golaço que parte da torcida festejou com os instrumentos de bandinha de colégio, outra aplaudiu com um ar blasé, como se fosse um winner de Novak Djokovic. O narrador local, estranhamente, só gritou um minuto depois. O Tigre logo fez 4 a 2, e a liderança do Palmeiras ficou no fio da navalha. Mais um gol dos argentinos ou do Sporting jogaria o Verdão para baixo.

Mas os comandados de Kleina seguiram passivos, e os anfitriões marcando com todos os jogadores no campo de defesa, à espera de um contra-ataque que não veio. O técnico, então, resolveu mostrar que queria a vitória. Tirou dois jogadores defensivos, Marcelo Oliveira e Charles, para a entrada do meia Tiago Real e do atacante Maikon Leite. Saiu dos pés deles a melhor chance brasileira. Tiago, pela esquerda, invadiu a área e cruzou para Maikon bater por cima.

Gol! Do Tigre… E lá se foi o Palmeiras para a segunda colocação. Talvez por isso os atletas passaram a ocupar o campo ofensivo com mais intensidade, mas não foram felizes na armação e nas conclusões. Mesmo sem conseguir fazer sua parte, o Verdão ganhou um presente inesperado nos acréscimos, com o terceiro gol do Libertad em Assunção, fato que recolocou o alviverde na primeira colocação do grupo 2.

Libertad 3 – 5 Tigre Copa Libertadores 2013
Sporting Cristal-PER 1 x 0 Palmeiras
Fluminense 1 x 0 Caracas
Huachipato 1 x 1 Grêmio, GOLS – Copa Libertadores 2013
Luxemburgo é agredido – Huachipato CHI 1 x 1 Grêmio 

4 GOLS
Deportes Iquique-CHL – Villalobos
Desportes TolimaCOL – Leichtweis

São Paulo-BRA – Luís Fabiano

Clube PG J V E D GP GC SG A%
Grupo 1
Nacional-URY 10 6 3 1 2 10 6 4 55,6
Boca Juniors-ARG 9 6 3 0 3 7 7 0 50,0
Toluca-MEX 8 6 2 2 2 8 11 -3 44,4
Barcelona -ECU 6 6 1 3 2 5 6 -1 33,3
Grupo 2
Palmeiras-BRA 9 6 3 0 3 5 5 0 50,0
Tigre-ARG 9 6 3 0 3 9 10 -1 50,0
Libertad-PRY 8 6 2 2 2 10 9 1 44,4
Sporting Cristal-PER 8 6 2 2 2 8 8 0 44,4
Grupo 3
Atlético-BRA 15 6 5 0 1 16 9 7 83,3
São Paulo-BRA 7 6 2 1 3 8 8 0 38,9
Arsenal-ARG 7 6 2 1 3 10 15 -5 38,9
The Strongest-BOL 6 6 2 0 4 8 10 -2 33,3
Grupo 4
Vélez Sarsfield-ARG 13 6 4 1 1 10 3 7 72,2
Emelec-ECU 10 6 3 1 2 5 4 1 55,6
Peñarol-URY 9 6 3 0 3 7 7 0 50,0
Deportes Iquique-CHL 3 6 1 0 5 5 13 -8 16,7
Grupo 5
Corinthians-BRA 13 6 4 1 1 10 2 8 72,2
Tijuana-MEX 13 6 4 1 1 8 4 4 72,2
San Jose-BOL 5 6 1 2 3 5 11 -6 27,8
Millonarios-COL 3 6 1 0 5 2 8 -6 16,7
Grupo 6
Santa Fe-COL 14 6 4 2 0 9 4 5 77,8
Real Garcilaso-PER 10 6 3 1 2 8 7 1 55,6
Deportes Tolima-COL 8 6 2 2 2 7 5 2 44,4
Cerro Porteño-PRY 1 6 0 1 5 3 11 -8 5,6
Grupo 7
Olimpia-PRY 13 6 4 1 1 16 7 9 72,2
Newell’s Old Boys-ARG 9 6 3 0 3 11 10 1 50,0
Universidad de Chile-CHL 9 6 3 0 3 7 9 -2 50,0
Deportivo Lara-VEN 4 6 1 1 4 8 16 -8 22,2
Grupo 8
Fluminense-BRA 11 6 3 2 1 5 5 0 61,1
Grêmio-BRA 8 6 2 2 2 10 6 4 44,4
Huachipato-CHL 8 6 2 2 2 10 8 2 44,4
Caracas-VEN 6 6 2 0 4 6 12 -6 33,3
18/04 – 19h45 Libertad-PRY 3 x 5 Tigre-ARG
18/04 – 19h45 Sporting Cristal-PER 1 x 0 Palmeiras-BRA
18/04 – 22h00 Fluminense-BRA 1 x 0 Caracas-VEN
18/04 – 22h00 Huachipato-CHL 1 x 1 Grêmio-BRA

ICFUT–LIBERTADORES: Brasileiros fazem história com seis classificados. Confira os confrontos

Fonte: globo

Atlético-MG x São Paulo é único duelo entre brasileiros na próxima fase. Corinthians reedita a final de 2012 contra o Boca Juniors, da Argentina

Pela primeira vez na história, um país, no caso o Brasil, conseguiu garantir seis representantes nas oitavas de final da Taça Libertadores da América. Atlético-MG, Corinthians, Fluminense, Grêmio, Palmeiras e São Paulo avançaram e seguem na luta pelo título continental. Apenas um duelo brasileiro na próxima fase, entre Galo e Tricolor Paulista, impede que todos tenham chances de chegar às quartas.

O Corinthians, atual campeão, fará uma reedição da decisão de 2012 diante dos argentinos do Boca Juniors. O melhor segundo colocado geral, o Tijuana, do México, será o adversário do Palmeiras. Enquanto o Fluminense vai encarar o Emelec, do Equador. Os três brasileiros irão decidir a vaga em casa. O único que terá que lutar para avançar em território inimigo na partida de volta é o Grêmio, que pega o Santa Fé, da Colômbia, na sequência do torneio.

Veja como ficaram todos os confrontos abaixo:

Atlético-MG x São Paulo

Palmeiras x Tijuana-MEX

Corinthians x Boca Juniors-ARG

Vélez Sarsfield-ARG x Newell’s Old Boys-ARG

Santa Fé-COL x Grêmio

Nacional-URU x Real Garcilaso-PER

Olimpia-PAR x Tigre-ARG

Fluminense x Emelec-EQU

Projetando as fases seguintes, um novo duelo brasileiro se desenha nas quartas: vencedor de Atlético-MG e São Paulo contra o Palmeiras. O Corinthians está do mesmo lado da chave dos rivais paulistas. Fluminense e Grêmio só se encontrariam com os demais compatriotas numa eventual final. No entanto, caso cheguem apenas dois times brasileiros na semifinal, eles se enfrentam independentemente da formação das chaves.

ICFUT–LIBERTADORES: Fluminense e Grêmio estão classificados; Tigre surpreende

Fonte: futebolinterior

Pelo Grupo 2, o Palmeiras classificou na primeira colocação

Publicado na sexta-feira, 19 de abril de 2013

Campinas, SP, 19 (AFI) – Os últimos três classificados para as oitavas de finais da Copa Libertadores da América foram conhecidos na noite desta quinta-feira. Pelo Grupo 8, o Fluminense e o Grêmio garantiram o primeiro e segundo lugar, respectivamente. O Tricolor Carioca derrotou o Caracas por 1 a 0, enquanto que o Gaúcho empatou com o Huachipato por 1 a 1.

Atuando no Chile, o Grêmio abriu o placar logo no início com um golaço, de bicicleta, de Zé Roberto. O Huachipato chegou a empatar com o Aceval, mas foi pouco, deixando assim o Tricolor Gaúcho na segunda posição com oitos pontos, classificando como o sétimo segundo colocado e tendo como adversário na próxima fase o Santa Fé-COL..

Já o Fluminense fez um jogo duro com o Caracas, mas conquistou a vitória graças ao gol de Rafael Sóbis e as boas defesas de Diego Cavallieri, o que rendeu ao Tricolor Carioca a primeira colocação com 11 pontos e agora enfrenta o Emelec. Esta foi a primeira vez que seis times do mesmo país estão classificados para as oitavas de finais da competição.

Grupo 2

Mais cedo, pelo Grupo 2, o Tigre surpreendeu a todos ao vencer o até então favorito Libertad, pelo placar de 5 a 3 e por pouco não garantiu a primeira colocação. O clube argentino precisava tirar uma diferença de três gols e torcer para o Palmeiras perder para terminar na liderança. E estava conseguindo até os minutos finais, quando a equipe Paraguai fez o terceiro, recolocando o Palmeiras na primeira posição, mesmo este perdendo para o Sporting Cristal por 1 a 0.

Precisando vencer para garantir a vaga nas oitavas, o Tigre não perdeu tempo de ir para cima do adversário, que contava com o apoio da sua torcida para classificar, e marcou logo no início de jogo com Botta. Samudio diminuiu logo depois. Ainda no primeiro tempo, mais três gols saíram. Matias Pezes Gacia e Gáston Diaz para a equipe visitante e Nunez para os donos da casa.

No segundo tempo, Garcia e Botta, novamente, deixaram o Tigre na frente por 5 a 2, o que garantia o primeiro lugar, até que quando ninguém mais acreditava, Velasquez diminuiu, o que fez com que a equipe argentina terminasse em segundo lugar com nove pontos, a mesma pontuação que o Palmeiras, mas perde pelos critérios de desempate.

No outro jogo, o Sporting Cristal segurou o Palmeiras e venceu por 1 a 0. A equipe peruana pouco atacou, mas acabou aproveitando uma das únicas oportunidades que teve. Ao contrário do Verdão, que cansou de desperdiçar chances e graças a Velasquez terminou na primeira colocação. Libertad ficou em terceiro com oito, seguido por Sporting Cristal, com também oito. Nas oitavas de finais o Palmeiras encara o Tijuana-MEX e o Tigre pega o Olímpia.

Confira os jogos dessa semana da Libertadores:

Quarta-feira
Barcelona-ECU 1 x 0 Nacional-URY
Tolouca-MEX 3 x 2 Boca Juniors-ARG
Arsenal-ARG 2 x 1 The Strongest-BOL
São Paulo 2 x 0 Atlético

Quinta-feira

19h45
Sporting Cristal-PER 1 x 0 Palmeiras

Libertad-PRY 3 x 5 Tigre-ARG

22 horas
Fluminense 1 x 0 Caracas-VEN

Huachipato-CHL 1 x 1 Grêmio