por Cleber Aguiar – Corrida de Mascotes tem vitória inusitada do Íbis, o pior do mundo

Fonte: Globo.com

Os representantes dos clubes pernambucanos participaram de uma disputa animada pelas ladeiras de Olinda, em clima de futebol e carnaval

Dizem que tudo é permitido no carnaval de Olinda. Por isso, nenhum lugar seria melhor para misturar atletismo, futebol e folia de Momo em um pacote. Como os pernambucanos realizaram essa proeza? Simples, foi criada a Corrida dos Mascotes, competição no qual os símbolos dos clubes do estado correm 900 metros até a linha de chegada no sítio histórico da cidade, ao som do frevo das ladeiras.

corrida mascotes olinda (Foto: Lula Moraes / GloboEsporte.com)Mascotes se prepararam para representar bem os clubes na corrida (Foto: Lula Moraes)

– Estou me preparando há algum tempo. É sempre bom representar o Santa Cruz seja no gramado ou em outro ambiente. E, competindo, é que fica melhor ainda. Espero chegar entre os primeiros – disse a cobra coral, Gleyson Freitas. 

Um leão (Sport), um timbu, uma cobra coral (Santa Cruz), uma patativa (Central), um periquito (América) e um pássaro íbis (Íbis) mais uma vez disputaram o título do mascote mais veloz de Pernambuco na quarta edição da corrida. Eles participaram de uma bateria da Corrida dos Bonecos Gigantes de Olinda, que pelo crescente sucesso dos mascotes nos estádios, resolveu adotar a paixão clubística.

– O pessoal dos bonecos gigantes queria correr com camisa de times. Não deixei. Mas comecei a ver que os clubes estavam tendo sucesso com atores encarnando os mascotes e resolvi abrir uma categoria. Acabou dando certo – explicou o organizador da festa, Josemar Chiarelli.

corrida mascotes olinda (Foto: Lula Moraes / GloboEsporte.com)Os favoritos em campo foram apenas coadjuvantes
(Foto: Lula Moraes / GloboEsporte.com)

Com um prêmio de mil reais para o primeiro colocado, uma disputa estava acirrada entre dois mascotes. E dessa briga, os favoritos em campo Náutico, Sport e Santa Cruz ficaram de fora. Os pequenos América e Íbis é que entraram como fortes candidatos. O periquito do América, que defendia o título, foi no sacrifício.

– Vou tentar o bicampeonato, mas não estou tão bem fisicamente porque até sexta-feira estava internado no hospital por conta de uma hérnia de disco. O médico me liberou, mas pediu que eu pegasse leve – lamentou, com uma fisionomia dolorida, o periquito Sandro Sérgio da Silva.

O clima de disputa estava mais para o pássaro íbis, Nilson Filho, que protagonizou o momento mais célebre da história da corrida de mascotes. No ano passado, o representante do Pior Time do Mundo fez jus a agremiação que defende e quando liderava a prova, a dez metros de distância da chegada, tropeçou quando comemorava a vitória. Perdeu e ainda teve mãos e joelho ralados.

– Estava liderando e fui olhar para trás para ver se alguém me acompanhava. Só que quando voltei para frente, a cabeça do mascote girou e fiquei sem enxergar, tudo escuro. Tropecei no paralelepípedo e caí de cara no chão, na frente dos fotógrafos e cinegrafistas. Esse ano vou olhar para frente e evitar aquele mergulho à la Mauro Shampoo – lembrou Nilson Filho, citando o folclórico ex-atacante do clube, Mauro Shampoo.

Sob um calor escaldante, no colorido das ladeiras de Olinda, o sexteto largou do Mercado da Ribeira até a sede da Prefeitura, em um trecho de leve descida. E, apesar torcida de tricolores, rubro-negros e alvirrubros, o íbis não olhou para trás e venceu a corrida, colado a patativa centralina.

– É uma nova era, um presságio de que o Íbis vai ganhar tudo neste ano. Vamos subir para a Primeira Divisão do Pernambucano e, se no futebol não fomos tão bem, na corrida dos mascotes o Íbis comanda – gritou Nilson Filho, explodindo de alegria no braços da mãe.

Atrás do Íbis e do Central, o sacrificado periquito fechou o pódio, mostrando que são as aves que voam na corrida dos mascotes. O leão do Sport, que havia chegado atrasado, ficou em quarto, e ainda precisou ser atendido na ambulância, porque passou mal. Além de ser animado, carismático e carinhoso com as crianças, mascote em Pernambuco também precisa ser atleta.

  •  

corrida mascotes olinda (Foto: Lula Moraes / GloboEsporte.com)O  pássaro íbis venceu a Corrida dos Mascotes, seguido da patativa e do periquito (Foto: Lula Moraes)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s