Por Cleber Aguiar – À la Marcos e Ceni, Rafael diz: ‘Quero ficar minha vida toda no Santos’

Fonte: Lancenet.com.br

Goleiro do Peixe diz que não pretende deixar o clube tão cedo e sonha em conquistar mais títulos. Em entrevista exclusiva, ele faz balanço de 2012 e fala dos planos para o novo ano

Bruno Cassucci 

Rafael - Santos (Foto: Ivan Storti)
Rafael tem contrato com o Santos até o meio de 2014 (Fotos: Ivan Storti)

Com seis títulos, Rafael já é o goleiro mais vitorioso do Santos depois da era Pelé. Ele, porém, quer mais. Inspirado em Marcos e Rogério Ceni, o camisa 1 do Peixe quer se eternizar na história alvinegra e cogita passar toda a carreira no clube de Vila Belmiro.

– Eu quero ficar minha vida toda no Santos – revelou, ao LANCE!Net.

Para que isso aconteça, no entanto, Rafael terá de abrir mão de propostas tentadoras de equipes do exterior e do sonho de atuar na Europa, comentado no passado. Mas ele garante ter motivos de sobra para ficar no clube que o revelou.

– Goleiro tem de permanecer bastante tempo na mesma equipe, é complicado ficar trocando, até porque só um joga. Meu objetivo é ficar, porque amo aqui, estou bem na cidade, cresci na base… Espero ficar muitos anos aqui, conquistando títulos e fazendo uma história legal, como Marcos e  Rogério. Quem sabe, né? – comentou o jogaodr, que tem 161 jogos pelo Peixe.

Consolidar-se como ídolo da torcida santista é um dos principais objetivos do camisa 1 para os próximos anos e uma das principais motivações para ele seguir no Alvinegro. Embora tenha levantado taças importantes pelo Santos, como a Libertadores (foi o goleiro mais jovem a vencer o torneio) ele ainda não se considera unanimidade no clube.

– Graças a Deus tenho conquistas significativas, como o tri paulista e a Libertadores, que só Gilmar tinha conseguido. Mas, para se tornar ídolo tem de trabalhar mais. Às vezes sou ídolo de alguns, mas não de outros. Sou novo, vejo que crianças gostam de mim, mas quero mais títulos. Ídolo de uma torcida toda, não. Espero ser – disse.

O jogador tem passaporte europeu, o que facilita sua ida para o Velho Continente. Recentemente ele recebeu sondagens de times da Itália, como Roma, Palermo e Milan, mas não abriu negociações. Segundo Paulo Afonso, seu empresário, ele só deixa o Santos se for para atuar em outra equipe de ponta.

No Peixe desde os 12 anos, Rafael, que hoje está com 22, tem contrato até agosto de 2014 e logo terá de decidir entre renovar o vínculo ou buscar novos caminhos. Pelo discurso do goleiro, não resta dúvidas: ele fica, e por um bom tempo.

Brasileirão, a meta do camisa 1 para 2013

A conquista do campeonato nacional é a grande obsessão do goleiro Rafael. Dos torneios que o Santos disputará em 2013, o Brasileiro é o único que ele ainda não venceu (o Peixe ainda não sabe se jogará a Copa Sul-Americana, outro torneio que o camisa 1 não ganhou).

Assim como o craque Neymar, que diz sonhar com tal título, Rafael comenta que o Brasileiro é a principal meta para a temporada que está prestes a se iniciar.

– A gente sempre conversa muito sobre isso… Por várias situações não estamos conseguindo jogar sempre com força máxima e isso nos tem prejudicado. Em 2012, no começo do campeonato estávamos na Libertadores e depois sofremos com desfalques e várias convocações. Nossa expectativa é brigar por esse título em 2013. Como não temos a Libertadores nesse ano, vamos em busca do Brasileiro e da Copa Sul-Americana, que o nosso grupo ainda não tem – destacou. 

Bate-bola com Rafael, em entrevista exclusiva ao L!Net

Como avalia seu desempenho em 2012? Termina o ano feliz?
Acho que foi um ano bom, como foi 2010 e 2011, com dois títulos. Lógico que um dos títulos foi a Recopa, que no Brasil não tem tanta expressão, mas para gente foi importante manter essa média. Tive oportunidade de ser convocado para a Seleção também. Mesmo com a lesão aprendi muito. Apresentei qualidade para estar na Seleção e voltei recuperado. Mais joguei do que tomei gol, foi um ano produtivo… esperava que fosse melhor, pela Olimpíada, da qual fui cortado, mas Deus sabe o que faz. Só tenho o que agradecer pela temporada.

Individualmente, você foi melhor em 2011 ou neste ano?
Acho que o individual é sempre em segundo plano, em primeiro é o clube. 2011 foi melhor pois conquistamos a Libertadores, mas esse ano foi importante porque conseguimos o tri paulista, que só o time do Pelé tinha conseguido. Todo título é importante, é difícil analisar qual ano é melhor… A gente lamenta não ter ido bem no Brasileiro, o que nos afastou da Seleção e tirou visibilidade por não estarmos brigando pelo título. Torcemos para que em 2013 a gente consiga brigar por todos os títulos .

Por que acha que foi “esquecido” por Mano depois da Olimpíada?
Opção, apenas. Os goleiros que estavam indo mereciam estar lá. Temos muitos bons goleiros e ele estava tentando definir quais jogariam.  Vou trabalhar muito para voltar à Seleção em 2013 e falar pouco.

Você fala em ficar a carreira toda no Brasil. Para a Seleção, isso ajuda ou é melhor estar na Europa?
Depende. Se você estiver fazendo um trabalho bem feito no Brasil, a visibilidade é grande, até porque a imprensa fica em cima. Mas, se estiver fora, chama mais atenção. Não sei, vai de cada treinador…

Tem alguma meta para 2013?
Eu me cobro bastante, mas, para goleiro não é que nem atacante… Por exemplo, o Barcos chegou e falou que queria fazer 27 gols. Eu não estipulo números, quero tomar o mínimo possível, jogar mais do que tomar gol, como foi em 2012. Almejo conquistas, valorização, tudo isso a gente pensa para cada ano que passa. Quero continuar fazendo bom trabalho e tomar poucos gols.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s