Por Cleber Aguiar – Vasco rescinde contrato de Felipe

Fonte: O Globo – RJ

  • René Simões não gostou de declarações do jogador em entrevista nesta semana

Tatiana Furtado

RIO – O elenco do Vasco sofreu mais uma baixa. Depois das saídas de titulares como Fernando Prass, Alecsandro e Juninho Pernambucano, nesta sexta-feira foi a vez de Felipe. O meia, porém, teve seu contrato rescindido pelo clube, de acordo com o Lancenet. O diretor executivo do Vasco, René Simões, não gostou das declarações do jogador em uma entrevista ao jornal Extra e entendeu que não haveria clima para uma continuidade. O alto salário de Felipe também pesou na decisão.

– Ainda não conversei com o Felipe, mas seus empresários foram comunicados. É uma decisão que tomamos, pois não podemos aceitar que um funcionário diga que, por estar com salários atrasados, não poderá ser cobrado por ninguém. Nossa situação está melhorando, mas como acho que vamos sofrer um pouco ainda nesse começo com atrasos, não poderia aceitar essa situação. Quem chegar atrasado, faltar, será cobrado disse René Simões ao Lancenet.

Diretor técnico do Vasco, Ricardo Gomes entendeu a decisão, mas disse que não ficou contente com a saída de Felipe.

– Depois de Juninho, agora o Felipe. É um baque sim, pelo que representam para o grupo e o clube. Não participei diretamente da decisão, mas fui notificado. Entendo que foi uma questão de disciplina, que é importante em qualquer trabalho. Não fico contente com a situação porque perdemos mais um jogador de qualidade.

Veja a entrevista com Portal Extra:

Felipe critica planejamento do Vasco: ‘René, pra quê? Tem que contratar jogador e, não, dirigente’

Felipe volta para o Rio nesta quinta-feira e vai procurar René Simões para avisar que quer ficar
Felipe volta para o Rio nesta quinta-feira e vai procurar René Simões para avisar que quer ficar Foto: Ivo Gonzalez /
Marluci Martins

O sol que bronzeia Felipe, em Fortaleza, não brilha para o Vasco. Mas o calor da torcida mantém acesa a chama do amor pelo clube. De férias, Felipe volta ao Rio nesta quinta-feira para dizer à diretoria que quer ficar. E ajudar. Apesar da mágoa revelada nesta entrevista exclusiva.

Tem acompanhado as notícias sobre a debandanda dos jogadores do Vasco?

Estive em Miami e, agora, estou em Fortaleza. Tenho acompanhado, sim. Esses jogadores não devem ser criticados de forma nenhuma. Garanto que esses jogadores que estão saindo fizeram o possível e o impossível para continuar.

Juninho tem seu apoio?

Concordo com Juninho e todos os que estão saindo. O Vasco não deu somente um motivo. Deu vários. E o último erro foi gravíssimo: pagou salários a somente 13 jogadores. Isso foi um tiro no pé. O Vasco não é só esses 13 jogadores. Eu, particularmente, não recebi. Não estou dentro. Faltou respeito a mim e a outros profissionais.

Você se certificou de que o Vasco pagou a 13 jogadores?

Foi o que eu soube. E, mesmo que eu tivesse recebido, estaria chateado. Como podem manter o salário do Dedé em dia e deixar outros há quatro meses sem receber? A ideia era segurar alguns mais importantes? Fiquei muito chateado com essa situação. O presidente poderia até ter feito isso, desde que chamasse os outros para conversar e explicasse: “Não temos receita para pagar a todos. Vamos fazer uma vaquinha para segurar alguns”. Do jeito que foi feito, é a mesma coisa que uma pessoa te dever dinheiro, passar por você na rua e não falar nada. Fomos campeões da Copa do Brasil com os salários atrasados. Disputamos o Brasileiro com os salários atrasados. Há muito tempo, isso não é novidade no Vasco.

Está preocupado com a situação?

Em 16 anos como profissional, com a maior parte da minha vida dedicada ao Vasco, é a fase mais preocupantes que já vivi no clube.

Você vai deixar o Vasco?

Independentemente dessa situação, eu quero continuar. Espero ajudar dentro e, também, fora de campo. Tentei arrumar um patrocínio no Qatar e paguei as passagens do meu próprio bolso. Não tive ainda retorno em relação a essa conversa e acho que nem vou ter. Mas tentei.

 

Apesar de o presidente ter me dado motivo para botar o Vasco na Justiça, quero ficar. Gosto e respeito essa torcida

Felipe

Não vai, então, acionar o Vasco na Justiça?

Não pretendo, apesar de o Vasco ter me dado motivos. Pela minha história, por ser o maior vencedor da história do Vasco, eu merecia mais consideração. Num elenco com 36 jogadores, se 13 recebem, o que fazem os outros 23? Entram na Justiça? Qual é o critério para pagar? Por que o tratamento é diferente? Isso desmotiva, desgasta. Dá vontade de ir embora. Mas, pelo carinho que tenho pela torcida, mais uma vez eu vou deixar isso pra lá.

O que acha de o Dinamite ter dito que nunca recebeu salários em dia?

O salário da minha carteira está atrasado há três meses. O direito de imagem está atrasado há quatro ou cinco meses. Já até perdi a conta. Então, é duro escutar o presidente falando isso.

Por que, então, vai ficar?

Porque tenho identificação muito grande com o clube. Repito: apesar de o presidente ter me dado motivo para botar o Vasco na Justiça, quero ficar. Gosto e respeito essa torcida. Chego ao Rio na quinta-feira à noite. Pretendo conversar com o René Simões. Quero saber se vou ser útil ao clube. Quero ficar… A não ser que não esteja nos planos do René Simões…

 

Não tenho nada contra o René Simões… Mas, pra quê? Tem que contratar jogadores e, não, dirigente

Felipe

O que está achando das mudanças no departamento de futebol?

Chegou o Ricardo Gomes, beleza. Ele e o (diretor) Daniel (Freitas) faziam uma boa dupla. Mas vejo que não existe planejamento. Essa troca de dirigentes… Não tenho nada contra o René Simões… Mas, pra quê? Tem que contratar jogadores e, não, dirigente.

Está aborrecido com a fritura do diretor Daniel Freitas, com quem tem boa relação?

É mais ou menos aquela situação que a gente já conhece: a prata da casa só é valorizada depois que sai. A situação financeira já não está boa. Pra que vir outro? Está trabalhando de graça? Não está, né? Ninguém trabalha de graça.

Vai exigir um elenco forte? Não teme se queimar?

No Vasco, já joguei em outros times desfigurados. Será mais um desafio na minha carreira. Mas é lógico que vamos conversar sobre isso, sim.

A torcida ainda pode ter esperança?

Garanto que vou fazer o possível e o impossível para ajudar o Vasco. Agora, se a gente vai ganhar, não dá pra saber. Quero que o Vasco se acerte financeiramente porque, assim, tudo vai fluir naturalmente. Um exemplo é o Corinthians, que caiu, levantou, se organizou e… onde foi parar? Fizemos um jogo de igual para igual com o Corinthians na Libertadores. Mas, na hora H, papai do céu ajuda quem trabalha de forma mais correta, quem está em dia… Se o Vasco fosse campeão da Libertadores, se o Vasco fosse para o Mundial, estaria sendo coroado o modelo errado. O Vasco não tem centro de treinamento, não paga em dia e não faz as coisas corretas. Tem que se adequar, estruturar a base…

Quer encerrar a carreira no Vasco?

Meu contrato termina em dezembro de 2013. Em princípio, quero. Mas a gente nunca sabe. Com certeza, a ideia do Juninho também era essa.

Qual é a saída para o Vasco?

A diretoria está tentando acertar, mas cometeu um erro maior ao pagar a 13 jogadores. Como vai cobrar do cara que não recebeu? Agora, só vai poder dar esporro em quem recebeu. Em mim, não. Eu não recebi p… nenhuma!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s