ICFUT – Palmeirenses se revoltam e xingam Thiaguinho no Facebook: ‘Verme’

Fonte: globo

Cantor se anima durante a festa do bicampeonato mundial do Corinthians e acaba puxando coro contra arquirrival. Alviverdes não perdoaram

As provocações do cantor Thiaguinho ao Palmeiras não repercutiram nada bem com os torcedores alviverdes. Horas após o pagodeiro puxar gritos de “Ei, Palmeiras, vai tomar no c…” na festa do título mundial do Corinthians, nesta terça-feira, a torcida do Verdão passou a postar uma sequência de mensagens ofensivas na página oficial do cantor no Facebook. Uma imagem de protesto foi criada para endossar a campanha.

Assim como Thiaguinho, o atacante Jorge Henrique também provocou o arquirrival, relembrando a queda para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Com o microfone em mãos, ele cantou "Você já caiu, porco!", lembrando a queda do Palmeiras para a Série B neste ano.

protesto Thiaguinho torcida Palmeiras (Foto: Reprodução)Protesto da torcida do Palmeiras contra Thiaguinho: revolta após as provocações (Foto: Reprodução)

Por Cleber Aguiar – No trio elétrico, Sheik manda recado a desafeto santista: ‘Chupa, Léo’

Fonte:Globo.com

Jorge Henrique e Thiaguinho também aproveitam empolgação da festa para tirar onda da queda do Palmeiras à Série B: ‘Você já caiu, Porco!’

Por GLOBOESPORTE.COM São Paulo

O atacante Emerson, do Corinthians, estava entalado com o lateral-esquerdo Léo, do Santos, que criticou o tumulto causado por torcedores do Timão no aeroporto de Guarulhos no embarque da delegação para o Mundial de Clubes, no Japão. Nos últimos dias, Sheik vinha usando o Twitter para responder ao santista, mas sem citá-lo diretamente.

No entanto, o jogador do Timão, aproveitando a empolgação do desfile no trio elétrico pelas ruas de São Paulo, nesta terça-feira, após a conquista do bi mundial, se soltou e mandou, em alto e bom som:

– Chupa, Léo!

No fim do desfile, Emerson aproveitou para tirar uma casquinha do São Paulo, que foi campeão da Copa Sul-Americana, na quarta-feira passada, vencendo o Tigre, da Argentina, em jogo que só teve um tempo – os argentinos não voltaram do intervalo.

– Nós fomos campeões do mundo disputando o jogo inteiro – disparou.

Chicão, Alessandro, Emerson Sheik e Jorge Henrique comemoração Corinthians (Foto: Ag. Estado)Chicão, Alessandro, Emerson Sheik e Jorge Henrique na comemoração do Corinthians (Foto: Ag. Estado)

Já o atacante Jorge Henrique preferiu provocar o Palmeiras, principal rival corintiano, que foi rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador também já havia se envolvido em polêmicas pelo Twitter, citando o arquirrival alvinegro.

– Ô, ô, ô, você já caiu Porco.

Por fim, o cantor Thiaguinho, autor da música “A amizade é tudo”, considerada o tema da conquista do bicampeonato mundial, também relembrou os alviverdes. Em cima do trio elétrico, ele puxou o coro, para delírio da torcida que acompanhava o trajeto de perto, contida por uma grade.

– Ei, Palmeiras, vai tomar no c…

 trio eletrico corinthians (Foto: Gustavo Tilio / GLOBOESPORTE.COM)Corintianos no alto do trio elétrico festejam título mundial (Foto: Gustavo Tilio / GLOBOESPORTE.COM)

 

ICFUT – Goleiro do Tigre revela que gravou vídeo do vestiário no intervalo

Fonte: gazetaesportiva

Finalmente, a diretoria do Tigre, da Argentina, parece estar próxima de apresentar alguma prova da suposta agressão sofrida no último dia 12, na final da Copa Sul-Americana, no Morumbi. Isto porque o goleiro Agustín Cousillas afirmou que filmou a conversa entre as delegações do clube e da Conmebol, que queria ignorar a situação dos jogadores e dar sequência ao jogo normalmente.

“Dá para ver alguns jogadores falando com a Confederação, que queria que jogássemos o segundo tempo de qualquer forma, sem se importar com o que os jogadores haviam passado”, revelou Cousillas ao Olé. No entanto, o arqueiro diz que não conseguiu capturar a agressão. “No vídeo não estão as agressões porque cheguei tarde. Estava vendo o campo, fora do vestiário”, explicou.

De acordo com o atleta, o vestiário do Tigre no intervalo da partida estava tomado pela “tristeza”. “Imagine. Todos estavam muito tristes e surpresos. Ninguém tinha condições de jogar o segundo tempo. Tive que consolar o Pato. Apontaram uma arma para o Albil. Seria uma loucura prosseguir”, afirmou Cousillas, exaltando a “impotência” dele e de seus companheiros.

Divulgação

Jogadores do Tigre teriam sido agredidos pela Polícia Militar e obrigados a jogar o segundo tempo

Cousillas espera que o vídeo gravado possa ser um bom aliado do Tigre. “Tomara que sim, porque isso não pode ficar assim. O São Paulo não merece ganhar um título assim, e nós não merecemos perder dessa maneira”, declarou. “Que pelo menos o vídeo sirva para que o Tigre não seja punido. Seria o cúmulo”, finalizou o goleiro.

Relembre-se: antes do jogo, os atletas do time argentino tentaram realizar o aquecimento no gramado do estádio do Tricolor, mas foram barrados pelos seguranças. Depois, os jogadores pularam as placas de anúncio e conseguiram trabalhar nos minutos que antecederam o polêmico encontro. Depois de um primeiro tempo marcado pelas fortes divididas no gramado, a confusão chegou ao ápice.

Depois de a comissão técnica e jogadores do Tigre passarem mais de 15 minutos no vestiário, o árbitro do jogo encerrou a partida, declarando o São Paulo vencedor da Sul-Americana por W.O.. Após a decisão, a delegação argentina, que fez um boletim de ocorrência em uma delegacia da cidade paulista, afirmou que seguranças são-paulinos e até mesmo policiais militares a agrediram.

Por Cleber Aguiar – Herói em 2002, Fábio Costa abre o coração: frustrações, erros e acertos

Fonte: Globo.com

Fundamental no histórico título, goleiro elege melhor defesa, momento mais difícil, fala de seu afastamento do Peixe e do acidente que matou um amigo

Por Marcelo Hazan Santos, SP

Pedaladas. Molecagens. Meninos da Vila. Diego e Robinho. Palavras e pessoas que remetem diretamente ao título do Santos de campeão brasileiro de 2002, que completou dez anos no último sábado. No entanto, o importante troféu, que tirou o time de uma fila de 18 anos sem títulos de expressão, não veio só com jogadas de ataque. E o nome que melhor resume a boa defesa da fase de mata-mata da competição é o de Fábio Costa. Em função de uma grave lesão no tornozelo direito, ele fez apenas seis dos 31 jogos da campanha vitoriosa – na primeira fase do campeonato, Júlio Sérgio foi o titular. A participação foi ainda mais evidente na final do dia 15 de dezembro, com vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, no Morumbi. Diante do bombardeio do Timão, o goleiro fez pelo menos três milagres.

Ídolo da torcida à época, Fábio Costa sempre teve quem o contestasse em virtude do seu jeito explosivo. O tempo passou e a carreira do jogador tomou outros rumos. Nos últimos dez anos, ele ganhou mais títulos pelo Santos, atuou pelo arquirrival Corinthians, retornou ao Peixe, time pelo qual não atua desde o dia 21 de junho de 2009, e ainda teve uma passagem pelo Atlético-MG – o último jogo como profissional foi no dia 23 de setembro de 2010, na goleada do Fluminense por 5 a 1 sobre o Galo, pelo Brasileirão. Apesar disso, ele se diz bem fisicamente e afirma que seu reflexo caiu um pouco, mas não perdeu o dom.

Desafeto declarado da atual diretoria do Peixe, Fábio Costa, aos 35 anos, está esquecido no clube e treina em horários separados do restante do elenco. Com contrato até dezembro de 2013, ele ainda não tem perspectivas de onde atuará na próxima temporada e aguarda uma proposta que agrade a ele e ao Alvinegro. Até o momento, nada compatível aos dois lados.

Em conversa de pouco mais de uma hora com o GLOBOESPORTE.COM, por telefone, Fábio Costa falou sobre tudo. O pior e o melhor momento no futebol, fez uma revelação sobre a saída para o Corinthians, em 2004, admite ser uma pessoa difícil e comenta sobre a atual fase de ostracismo.

Emocionado, o jogador falou ainda do acidente de carro que matou o motorista e amigo Fernando da Mancha de Carvalho, sofrido em maio, em Angra dos Reis. Fábio, que estava no carro, diz ter nascido de novo.

A seguir, os melhores lances do papo com o goleiro.

Fábio Costa, goleiro do Santos (Foto: divulgação/Santos FC)Afastado, Fábio Costa treina separado no CT Rei
Pelé (Foto: Divulgação/Santos FC)

Por ser uma pessoa explosiva, de poucos amigos, você sempre foi rotulado de estrela, marrento. Concorda com essa visão?

Sou um cara de difícil convívio, não sou político. Falo na cara. Nem todos gostam. Não faço e nem falo nada para agradar, mas, sim, dentro do que julgo correto. Se passei do limite em algum momento, também não tenho problema em pedir desculpas. É como diz o ditado: “Prego que se desprende da tábua toma martelada”. Quem toma atitudes diferentes é visto de outra forma por atletas e principalmente dirigentes. Eles não querem questionamento, só querem pagar o salário e que você trabalhe. Não querem um cara que questiona o motivo de se pegar um voo às dez da noite e chegar às três da madrugada se era possível viajar de manhã, com menos desgaste. É complicado. Uns falam, outros não. Cada um no seu perfil.

Esse seu jeito prejudicou a sua carreira?

Pode ser que sim. Depende da visão de cada um. Hoje poderia estar em um p… time, jogando com meu jeito de ser. Ou não. Hoje estou afastado no Santos. São opções. Respeito. Provavelmente, para eu jogar em 2002, alguém foi preterido. Hoje, para o Rafael jogar, estou sendo preterido, assim como o Vladimir e o próprio Aranha (reservas do Santos). São escolhas normais do futebol.

Qual a grande diferença do grupo de 2001, que tinha vários medalhões, para o de 2002, formado por garotos e que foi campeão?

Em 2001, tinha uma vaidade normal de um grupo cheio de estrelas. Onde tem dinheiro, tem vaidade, mas não era problema. Só que não havia um entrosamento de grupo vencedor. Apesar da qualidade, não conseguimos reunir um objetivo de todos. Um estava pelo dinheiro, outro pelo título, enfim. Em 2002, era um time franco atirador, não tinha nada a perder. O máximo que poderia acontecer era brigar pra não cair. Todo santista devia pensar isso. Ninguém conhecia Robinho e Diego. Pensando nos dias de hoje, se você pega um moleque com 17 anos e coloca no Palmeiras, Corinthians, Flamengo ou Santos, todos olham com desconfiança. Como vai abrir mão de um Robert, jogador consagrado e com títulos, para dar prioridade ao garoto de 17 anos? Isso despertava desconfiança. Mas futebol é inexplicável.

Fábio Costa - Santos (Foto: Divulgação/Santos FC)Fábio Costa não disputa um jogo oficial desde setembro de 2010 (Foto: Divulgação/Santos FC)

O que passou na sua cabeça quando levou aquele gol do Ricardinho, do Corinthians, nos últimos segundos da semifinal do Paulistão de 2001?

Foi o meu pior momento dentro do futebol. Existia uma expectativa muito grande. Chegamos muito próximos. Todo mundo em sã consciência sabia que era uma final antecipada entre Santos e Corinthians. Quem passasse enfrentaria o Botafogo-SP, com jogadores de qualidade, mas sabíamos que seria muito difícil perder. Foi uma frustração enorme. Até os 47 minutos do segundo tempo tínhamos simbolicamente o título nas mãos. Mas Deus tem um propósito e não era nosso momento. Tivemos de esperar, reciclar e montar um time para a outra temporada.

Qual sua principal defesa no título de 2002?

São várias. A mais difícil foi uma bola desviada pelo Paulo Almeida para trás, chutada pelo Rogério. O tempo de reação foi muito curto. Uns dois metros de distância no máximo. Foi a defesa do campeonato, mais difícil e mais bonita.

Você acha que é valorizado como merece pelo que fez naquela conquista?

Sei da minha importância e do que representei para o Santos. Isso me basta. O reconhecimento é de cada um. Alguns têm vaidade de ser o mais importante, eu sou tranquilo. Tenho consciência do que fiz, do que sou e do que representei naqueles seis jogos (dos mata-matas, das quartas às finais). Ajudei o Santos a ser campeão. O Diego e o Robinho foram maravilhosos, mas há outros personagens tão importantes quanto eles. O Alberto ajudou muito o Robinho e o Diego com experiência. O Robert também. Nossa defesa era equilibrada. Em dez anos, nunca vi uma dupla de zaga se dar tão bem como André Luis e Alex. O Elano e Renatinho eram monstros no meio. Enfim, a valorização do Diego e do Robinho é natural, mas, analisando friamente, sempre achei que tínhamos jogadores tão importantes quanto eles. O próprio (técnico) Leão, apesar de eu ter algumas discordâncias com seu método, manteve o grupo focado no objetivo.

Sou uma pessoa de convívio difícil. Não sou político. Falo na cara”
Fábio Costa

Quais discordâncias?

Às vezes, ele era meio exagerado, com punições em momentos desnecessários, mas quem sou eu para questionar as convicções de qualquer um? Discordava de algumas coisas, mas só chegamos por causa dele. O time era jovem e tinha empolgação geral. Se um jogador chegava atrasado para o treinamento que começava às 8h, no outro dia o Leão iniciava às 7h. Teve dia de chegar às 6h30 no CT. Não concordava, mas achava necessário. Ele fez certinho. Apesar das críticas de que é ultrapassado e antiquado, eu discordo. Se não tivesse essa cobrança do Leão, o grupo poderia ter se perdido. Ele teve um feeling primoroso para segurar.

O Diego nos contou que, certo dia, jogaram suas roupas no ventilador de teto e você ficou irritadíssimo. Como era esse clima de molecagem no vestiário de 2002?

Eu ficava p… da vida, mas era normal do nosso vestiário, nada da maldade. Isso era legal, bacana. Não era para rasgar a roupa, mas para sacanear. Sabiam que eu ficava nervoso e faziam mesmo para provocar. O Robinho e o Diego enchiam o saco do André Luis e ele queria matar os dois. Por isso, o Leão foi primordial, pois sabia segurar quando a brincadeira passava do limite. Na minha humilde opinião, o Leão foi mais importante até do que os jogadores, pois disciplina é fundamental.

Você se considera ídolo do Santos?

Sou ídolo para a minha família. Alguns torcedores me admiram, outros me rejeitam. É normal. Depende muito. Naquele momento, fui ídolo do Santos, fui importante. Se continuo? Depende de cada um. Sei que ajudei e atrapalhei, mas sempre buscando o melhor para o Santos.

E a ida para o Corinthians, em 2004? Acha que foi um erro?

Não. Foi uma escolha do Leão, não achava importante eu ficar no clube. Apareceu a proposta e aceitei. Não foi uma escolha minha, mas do clube. Não me queriam e eu precisava trabalhar. Alguns torcedores que não gostam de mim me chamam de mercenário, mas, ao contrário do que pensam, fui para lá ganhando menos do que recebia no Santos. Era a única proposta concreta no momento. Fui para jogar. Nunca fiz contratos de um ano e lá tinha estabilidade, foram dois anos. Fui feliz lá, ganhei títulos, e voltei. Tanto que depois conquistei títulos no Santos, o que mostra a minha importância para o time na história. A verdade é essa, o que acham é problema de cada um.

Acha que vai voltar a jogar futebol em 2013?

Vivo um dia após outro. Não fecho nenhuma ideia na cabeça. Tenho um ano de contrato com o Santos. A porta que Deus abre ninguém fecha. Tive uma prova clara de que Deus está olhando por mim, pois perdi uma pessoa que amava muito no acidente. O carro estava irreconhecível e o local onde eu estava sentado ficou intacto. Sempre que entrei em campo para treinar ou jogar com a camisa do Santos, dei 110%. Talvez não seja bom para algumas pessoas, mas o que eu tinha para dar eu dava. Estou com a consciência tranquila. O Santos cede um lugar para treinos e eu cumpro minha parte. Se você tem um carro e não quer usá-lo, é um direito seu. O Santos tem essa prerrogativa, prefere que eu não esteja no grupo.

Eu sei da minha importância para o Santos em 2002. Isso me basta”
Fábio Costa

O que mudou na sua vida depois desse acidente?

Tinha uma amizade especial com o Fernando. Só Deus sabe o porquê de ele ter ido e eu não. Foi uma perda grande, era um cara que me completava e me ensinou muito. Quando fui afastado do grupo, conversava muito com ele. Foi traumático. Você questiona tudo nessas horas. Mas tenho certeza que Deus está cuidando de mim. Isso me basta. Profissionalmente é algo que não passa só por mim. Ganhei uma nova vida, nasci de novo com certeza.

Você tem alguma proposta?

No passado, vieram algumas interessantes para o Santos, mas não para mim. Outras boas para mim, mas não para o clube. Não conseguimos casar os interesses. No momento certo, vamos resolver algo bom para todos. Não programo nada, porque em um mês tudo muda muito. Tenho vontade de jogar, mas agora é trabalhar. Vamos ver o que aparece.

Há dez anos você era um goleiro promissor e muito elogiado. Hoje está esquecido. Onde acha que errou?

Errei e acertei em vários momentos. Não acho que seja só por um ou outro erro que estou afastado do grupo. Não acredito que seja por isso. Não fui o primeiro jogador a fazer coisas boas e ruins, nem o primeiro a realizar coisas importantes e também prejudicar. Todos vivem de erros e acertos. Tenho a consciência tranquila, pois jamais fiz nada de caso pensado, sempre tentei o melhor. A decisão do clube não me diz respeito. Não tenho contrato com Marcelo Teixeira ou com Luis Alvaro (ex-presidente e atual, respectivamente), mas com o Santos. Honro isso.

ICFUT – Zagueiro Lúcio rescinde seu contrato com a Juventus

Fonte: lancenet

Brasileiro chegou a um acordo nesta segunda-feira com a diretoria do clube italiano. São Paulo aparece como principal interessado em contratar o defensor

Lucio - Juventus (Foto: AFP)
Lúcio não é mais jogador da Juventus (Foto: AFP)

O zagueiro Lúcio rescindiu nesta segunda-feira o seu contrato com a Juventus (ITA). O jogador não vinha sendo aproveitado como titular da equipe italiana e estava desanimado com a situação. O diretor esportivo da Velha Senhora, Giuseppe Marotta, já havia prometido ao L!Net uma posição sobre o caso nesta segunda.

Jogador e diretoria já estavam em negociações para o rompimento amigável do vínculo. Lúcio chegou a Juve na metade deste ano, depois de três anos defendendo a Internazionale.

O São Paulo aparece como o principal interessado em contratar o defensor de 34 anos. A diretoria do presidente Juvenal Juvêncio sonha com Lúcio desde o meio do ano, antes do desligamento do jogador com a Inter de Milão, clube que defendeu entre 2009 e 2012. A imprensa italiana também afirma que o futebol brasileiro deverá ser o destino provável do jogador.

ICFUT – Mais um que deixa o Vasco: Juninho é anunciado pelo New York Red Bulls

Fonte: lancenet

Jogador já comunicou a diretoria vascaína sobre a negociação, frustrando o desejo do clube de renovar o vínculo para 2013

Juninho (Foto: Divulgação/New York Red Bulls)
Juninho já com a camisa do Red Bulls (Foto: Divulgação/New York Red Bulls)

Por intermédio de seu site oficial, o Red Bulls, de Nova York, anunciou a contratação de Juninho Pernambucano para a próxima temporada, frustrando os vascaínos, que ainda aguardavam por uma renovação. O jogador já informou ao presidente Roberto Dinamite e ao diretor executivo René Simões sobre sua decisão. O contrato com o clube americano será de um ano.

Segundo o LANCE!Net apurou, porém, é desejo do jogador ainda encerrar sua carreira no Vasco, possivelmente em 2014. Pesou para a decisão de defender o Red Bulls o fato de o Cruz-Maltino não ter dado as garantias financeiras exigidas para sua permanência, além da questão familiar, pois suas filhas vão estudar no país.

O diretor esportivo do clube, Andy Roxburgh, comentou a negociação com o meia.

– Juninho é um jogador de classe mundial que nosso diretor esportivo global, Gerard Houllier, e eu conhecemos e admiramos por muitos anos – disse o diretor, que ainda completou:

– Além de ser um especialista em bola parada e um enorme talento, Juninho é um profissional fantástico dentro e fora do campo. Ele está em grande forma física e achamos que ele pode ter um impacto positivo para nós em 2013.

Ainda esta semana, Juninho deverá concender uma entrevista coletiva para falar do acerto, possivelmente em Recife, onde passa férias. Ele é mais um a deixar o clube, depois do goleiro Fernando Prass (que foi para o Palmeiras), do volante Eduardo Costa e do lateral Auremir. Além disso, o zagueiro Dedé é alvo do Corinthians para a próxima temporada.

ICFUT – Palmeiras esquenta negociação com Riquelme e planeja emissário

Fonte: lancenet

Verdão intensifica conversas, mas retorno de Carlos Bianchi ao Boca Juniors (ARG) aumenta concorrência pelo jogador. Júlio Baptista também já foi cotado para a meia

Riquelme - Boca Juniors (Foto: AFP)
Riquelme está com o contrato suspenso com o Boca (Foto: AFP)

O Palmeiras ainda quer ter um falante de castelhano como principal astro do seu meio de campo em 2013. Não, não é Valdivia, totalmente em baixa com a diretoria por causa das diversas lesões. O nome da vez é Juan Román Riquelme, de 34 anos, cujo contrato com o Boca Juniors (ARG) está suspenso desde setembro.

As tratativas pelo argentino se intensificaram nos últimos dias. O LANCE!Net apurou que as conversas, por telefone, são diárias. Segundo uma pessoa envolvida na negociação, Riquelme se animou com o que ouviu e com a possibilidade de defender o Palmeiras na próxima Libertadores – o clube não disputa a competição desde 2009. Román levantou a taça em 2000 com o Boca, ao superar o Verdão na final, em 2001, eliminando o Alviverde na semi, e em 2007, sobre o Grêmio, no Olímpico.

O Palmeiras pretende enviar um emissário a Buenos Aires (ARG) nesta semana para tratar pessoalmente com o jogador e seu empresário. O clube planeja ter o craque por ao menos uma temporada completa. Dependendo da adaptação dele ao Brasil, caso a transferência aconteça, o acordo deve prever uma possibilidade de renovação até o fim de 2014, ano do centenário palmeirense.

A coluna De Prima publicou que uma oferta foi enviada na última quinta-feira, por e-mail, ao irmão do atleta. O Verdão confirma vontade de tê-lo, mas nega a proposta.

Outros clubes brasileiros manifestaram interesse em Román nos últimos meses. Cruzeiro e Santos são alguns casos confirmados.

A concorrência para o Verdão, porém, existe mesmo em solo argentino. Embora esteja com o vínculo suspenso com o Boca Juniors, a torcida xeneize clama para “El 10” voltar a atuar na Bombonera.

Além disso, o regresso de Carlos Bianchi ao comando técnico boquense reabre de vez as portas do clube para o retorno de Riquelme. Os dois têm uma relação bem próxima e, juntos, protagonizaram anos vitoriosos com os argentinos entre o fim dos anos 90 e o início deste século.

As desavenças com o antigo treinador, Júlio César Falcione, tiveram peso fundamental para que o meia suspendesse o seu contrato.

O futuro de Riquelme ainda é incerto, mas dessa negociação é possível ter uma certeza: a insatisfação da diretoria palmeirense com Valdivia, livre para negociar a sua saída.

Verdão tentou Júlio Baptista

Há algumas semanas o Palmeiras tentou a contratação do meia Júlio Baptista, atualmente no Málaga (ESP), mas as conversas não avançaram, e a diretoria já diz que esse nome faz parte do passado.

Revelado no São Paulo, o atleta de 31 anos passou por Sevilla (ESP), Real Madrid (ESP), Arsenal (ING), Roma (ITA) antes de defender o time do sul da Espanha. Na Seleção Brasileira, conquistou a Copa América (2004 e 2007) e Confederações (2005 e 2009).

ICFUT – Corintiano diz que ‘Qüêquê’ vem aí e fonte próxima a Alexandre Pato admite o desejo dele em voltar ao Brasil

Fonte: lancenet

Pessoa próxima ao atacante diz que ele tem vontade de vir ao país para se tratar e que namoro com Barbara Berlusconi não impediria o negócio. Timão está animadíssimo!

Treino da Seleção Brasileira em Londres - Pato (Foto: Mowa Press)
Segundo pessoa próxima, Pato gostaria de vir se tratar no Brasil (Foto: Mowa Press)

Alexandre Pato vê com muito bons olhos uma volta para o Brasil neste momento. Principal alvo do Corinthians para 2013, o atacante do Milan acredita que um período de empréstimo no país será importante para sua condição física – ele se recupera de mais um problema muscular. Quem diz é uma pessoa bem próxima, que pede anonimato:

– Vontade de vir ao Brasil ele tem. Isso eu sei que ele tem. Os fisioterapeutas daqui são bem melhores que os da Itália, então tem vontade de vir e se tratar, apesar de ele estar bem, melhorou da última lesão. Tudo depende dele e do seu empresário (Gilmar Veloz). Acho que vai definir a partir semana que vem – afirma.

Nos últimos dois anos, o atleta de 23 anos sofreu 15 lesões musculares, entre problemas na coxa, tornozelo e ombro. Apesar de ser encarado como um desafio, o departamento médico do Timão vê a possível contratação como ótima oportunidade. Ainda no Japão, um funcionário do clube afirmou que as negociações esquentaram ainda mais nos últimos dias.

– O “Qüêquê” vem aí! – disse, com onomatopeia referente ao apelido de Pato, nascido em Pato Branco (PR).

O Corinthians tenta o empréstimo, mas a aquisição dos direitos econômicos não é descartada. Na Itália, a Sky Sports e o site Calcio Mercato dizem que o clube ofereceu 15 milhões de euros (quase R$ 41 milhões). Em entrevista ao LANCE!Net, porém, antes da ida ao Japão, o presidente Mário Gobbi admitiu o desejo, mas disse que não cometeria loucuras “como dar o valor integral do patrocínio por um só jogador”. A Caixa, que estampa o peito, pagará R$ 30 milhões em 2013.

Procurado pela coluna De prima, o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, não negou que o Timão tenha feito uma proposta.

Com namoro recém-reatado com Barbara Berlusconi, filha de Silvio Berlusconi, dono do Milan, o atacante diz a todos que estão felizes. E que ela aceitaria morar no Brasil.

– Isso vai influenciar bastante, eles estão superbem de novo, voltaram e se acertaram. Mas tudo depende dele, ele vai escolher – disse a fonte ouvida pelo LANCE!Net, que afirmou não ter visto a imagem do gavião que foi postada por ele na rede social Instagram, na última semana.