Por Cezar Alvarenga – Em jogo de viradas, Atlético vence o Cruzeiro e é vice-campeão do Brasileirão.

Fonte: Yahoo! Esportes

Pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2012, Atlético-MG e Cruzeiro fizeram, mais uma vez, um clássico mineiro para testar cardíaco. Em nova chuva de gols, o Galo levou a melhor depois de tomar uma virada. Com o placar de 3 a 2 (gols de Bernard, Léo Silva e Réver), combinado com o empate sem gols do Grêmio diante do Internacional, Alvinegro mineiro venceu o maior rival e ainda garantiu vaga direta na fase de grupos da Libertadores do ano que vem.

O Jogo

Quem foi que achou que o clássico mineiro seria apagado? O Atlético-MG era o único que possuía algo a buscar – o vice-campeonato e a vaga direta na fase de grupos da Libertadores -, mas o Cruzeiro estava disposto a atrapalhar os planos do Galo, e o árbitro Paulo César Oliveira teve que mostrar pulso firme para contralar o ímpeto de ambas equipes.

Com a torcida empurrando, o Galo saiu na frente logo no começo. Guilherme, contestado, cruzou para Jô desviar, Bernard não vacilou e bateu de primeira, em um lance em que a zaga celeste não teve o que fazer. Galo 1 a 0, e o Independência veio abaixo.

Contudo, o lado direito do Atlético-MG bobeou na marcação, e o Cruzeiro quase empatou, mas a trave salvou o goleiro Victor, que, potsariormente, tirou a bola do pé de Martinuccio. Everton havia caído no gramado no lance e, no contra-ataque atleticano, o juiz paralisou o jogo para o atendimento do jogador cruzeirense.

Enquanto o lado direito cochilava, Bernard e Richarlyson, pela esquerda, davam trabalho para a zaga celeste. Do lado azul do duelo, Montillo era o centro das ações, deslocado pela direita e driblando bem a marcação cerrada. O Cruzeiro detinha os escanteios, e o Galo, os contra-ataques. Em um deles, Ronaldinho deixou Tinga na saudade e descobriu Guilherme livre na esquerda. Com o pé ruim, o camisa 10 só arrancou suspiros do torcedor.

Mas Guilherme iria se redimir novamente. Ele deu o passe para Jô girar ao redor de Leandro Guerreiro e sofrer um pênalti aos 36 minuto, cuja cobrança Ronaldinho, surpreendentemente, errou, e Fábio defendeu.

Com isso, o Cruzeiro cresceu no jogo. Richarlyson deixou o corredor na esquerda livre, Montillo cruzou, e Martinuccio chegou de trás para cabeçear sem defesa para o goleiro Victor.

Segundo tempo

Se o Atlético-MG conseguiu marcar o primeiro gol logo no começo do jogo, o Cruzeiro deixou o Independência caladinho com um tento também aos cinco minutos, mas do segundo tempo. Dormindo em campo, o Galo viu Everton chutar no canto de Victor, totalmente livre dentro da área.

Três minutos depois, houve a primeira confusão entre os jogadores. Tinga e Leandro Donizete se atracaram e receberam o cartão vermelho.

A expulsão afetou mais o Cruzeiro, que perdeu o homem de ligação no meio de campo. De tanto cruzar em escanteios, finalmente o Atlético foi feliz. Léo Silva, sempre ele, empatou o clássico depois de cobrança de escanteio.

E a tarde era mesmo dos zagueiros-artilheiros. Se Léo Silva havia anotado seu sétimo gol no Brasileiro, Réver se motivou e testou outra cobrança de escanteio perfeita. Nova virada na partida, com o capitão alvinegro fazendo seu sexto gol na competição.

No fim, Anselmo Ramon ainda recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 2 CRUZEIRO

Local: Independência, Belo Horizonte (MG)

Data/Hora: 02/12/2012 – 17h (de Brasília)

Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (SP)

Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)

Público e Renda: 21.232 pagantes e R$ 753.000,00

Cartões amarelos: Pierre (CAM), Anselmo Ramon (CRU), Thiago Carvalho (CRU), Marcos Rocha (CAM), Ronaldinho (CAM) e Charles (CRU)

Cartões vermelhos: Tinga, 8’/2ºT (CRU), Leandro Donizete, 8’/2ºT (CAM) e Anselmo Ramon, 43’/2ºT (CRU)

GOLS: Bernard, 5’/1ºT (1-0), Martinuccio, 46’/1ºT (1-1), Everton, 5’/2ºT (1-2), Leonardo Silva, 14’/2ºT (2-2) e Réver, 29’/2ºT (3-2)

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson (Triguinho, 45’/2ºT); Pierre, Leandro Donizete, Guilherme (Neto Berola, 7’/2ºT), Ronaldinho (Serginho, 31’/2ºT) e Bernard; Jô. Técnico: Cuca

CRUZEIRO: Fábio, Ceará, Leandro Guerreiro, Thiago Carvalho e Everton (Souza, 37’/2ºT); Charles, Marcelo Oliveira, Tinga e Montillo (Elber, 42’/2ºT); Anselmo Ramon e Martinuccio (Wellington Paulista, 37’/2ºT). Técnico: Celso Roth.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s