Por Cleber Aguiar – ‘Só me vejo fazendo gol no Japão’, diz Emerson Sheik

Fonte: O Estado de São Paulo

Atacante esbanja otimismo, se diz pronto para brilhar e espera, mais uma vez, ser o herói da Fiel

Vítor Marques – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – Criou-se um mito de que esse Corinthians não tem estrelas, que é uma equipe que tem “alma”, como já disse Tite. Isso não significa, porém, que não há um jogador decisivo. Emerson é. E virou herói ao marcar os dois gols da final da Libertadorescontra o Boca Juniors.

Ainda que se sinta desconfortável com o rótulo de “novo Basílio”, eternizado pelo gol do título Paulista de 77, o atacante reconhece, em entrevista ao Estado, que valoriza muito o carinho da torcida. “Não tem como negar essa identificação.”

Sheik volta ao time no momento certo, às vésperas do Mundial do Japão. A ansiedade e um certo nervosismo não tiram dele a ambição de dar ao time mais um título. “Só me vejo fazendo gol no Japão, no primeiro e no segundo jogo.” É bom não duvidar de Sheik.

Um jogador experiente também fica ansioso para jogar uma competição como o Mundial?

EMERSON – Por mais que se tenha vivência no futebol, não tem como você não ficar ansioso, nervoso. Tudo isso é normal, mas estou tranquilo porque a nossa preparação está sendo bem bacana, bem planejada.

Em qual estágio o Corinthians vai chegar ao Japão?

EMERSON – Parte dos jogadores que conquistou o título brasileiro de 2011 e a Libertadores de 2012 permaneceu, poucos saíram, e algumas peças chegaram para repor elenco. E depois o Tite veio montando a equipe que ele acha ideal para a disputa do Mundial. A gente está no caminho certo, sei que são dois jogos difíceis, mas o nosso time está forte.

E como você chega para esse Mundial?

EMERSON – Tive a lesão no joelho (direito) contra a Portuguesa e o pessoal do departamento médico foi brilhante porque acelerou a recuperação. Foi uma contusão complicada, eu tenho uma sensibilidade enorme para dor e isso dificulta na recuperação. O departamento médico me colocou para treinar antes do previsto, mas me colocou em campo uns dois jogos depois do planejado para eu não correr risco lá na frente.

Com a suspensão de cinco jogos e a lesão, você temeu perder espaço no time?

EMERSON – Em toda a minha carreira a minha resposta foi dentro de campo. O meu histórico de vitórias e de conquistas está aí, não preciso falar nada, não preciso provar nada a ninguém. Mas, por outro lado, outros atletas também buscam o seu espaço dentro do Corinthians. Eles têm o meu respeito, mas só podem jogar 11. Particularmente, eu quero jogar e estou me preparando para isso.

Também acha a Libertadores mais difícil que o Mundial?

EMERSON – Na Libertadores, você pode correr atrás, tem a primeira fase. No Mundial, não. Se perder, acabou. A margem de erro é pequena. O Mundial é mais difícil porque são só dois jogos, na Libertadores dá para recuperar.

Acha que o Chelsea está abalado com a mudança de treinador?

EMERSON – Temos um jogo ainda antes da final. Mas falando do Chelsea, não vejo muita vantagem na mudança de treinador. Talvez até seja uma desvantagem porque motiva mais os atletas, quem estava fora quer provar que pode jogar, outros querem correr mais. O Chelsea é uma equipe forte. O Corinthians está na beirada, humilde, mas é uma equipe forte e competitiva. Vamos brigar pelo título.

Você considera essa equipe do Corinthians a mais forte das quais você já defendeu?

EMERSON – Peguei um grupo forte no Fluminense também, com jogadores como Deco, Belletti, Fred, Conca… O Corinthians é um grupo forte também, mas tem um outro diferencial: aqui ninguém quer aparecer mais do que o outro, todos se respeitam. Isso é bacana e por isso os resultados e as conquistas estão aparecendo. Aqui não tem vaidade. Quem quer aparecer a gente dá uma bica. O bacana desse time é que um corre pelo outro, o objetivo é único. O Tite é um técnico justo. Ele teve a felicidade de pegar um grupo com cabeça boa e ele, com toda inteligência, lapidou esse elenco da maneira dele.

Pelos dois gols na final da Libertadores, acredita que será lembrado como o Basílio, autor do gol de 77?

EMERSON – Prefiro ser lembrado de outra maneira, do cara que conquistou o Brasileiro, a Libertadores e, se tudo ocorrer bem, o Mundial. Na Libertadores, tive a felicidade de fazer os gols na final, mas tem toda uma história antes daqueles gols. Sei que vou ser lembrado pelos gols, mas não me acho mais ou menos importante por isso, não quero ter esse rótulo.

Mas você se considera um ídolo da torcida?

EMERSON – Tenho essa noção e valorizo muito isso. É difícil sair na rua, sou querido e não tem como negar essa identificação. Aqui, como diz o Tite, tem de ralar a bunda no chão para jogar.

Você se vê marcando gol no Japão?

EMERSON – Só me vejo fazendo gol. Tem o primeiro jogo, mas me vejo fazendo gols no primeiro e no segundo jogo do Mundial.

Por Cleber Aguiar – Andrés deixa o cargo de diretor da CBF, e Felipão é o novo técnico

Fonte: Globo.com

José Maria Marin extingue a função do ex-presidente do Corinthians e marca anúncio do nome do novo treinador para quinta-feira

Andrés Sanches, Coletiva Demissão Mano (Foto: Evelson de Freitas / Agência Estado)Andrés Sanches está fora da seleção brasileira
(Foto: Evelson de Freitas / Agência Estado)

A CBF já acertou com um novo técnico para a Seleção, mas não tem mais um diretor de Seleções: Andrés Sanches deixou nesta quarta o cargo, que acabou extinto pelo presidente José Maria Marin, e Luiz Felipe Scolari é o substituto de Mano Menezes. O anúncio oficial de Felipão como novo treinador será na quinta.

Andrés pediu demissão do cargo de diretor de Seleções através de uma carta. Em São Paulo, Marin disse que a posição está extinta para a volta da função de coordenador, exercida nas Copas do Mundo de 1994 e 2006 por Zagallo, de 1998 por Zico e de 2002 por Antonio Lopes. Tetra nos Estados Unidos, Carlos Alberto Parreira é o mais cotado para assumir a tarefa de trabalhar na nova função.

Em seguida, Marin afirmou que o nome do novo técnico será revelado oficialmente na quinta, a tempo de participar do sorteio da Copa das Confederações, sábado. Felipão, que deixou o Palmeiras em setembro, se reuniu com Marin no último final de semana e está com a família em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, mas deve desembarcar em São Paulo ainda nesta quarta.

Na última sexta, dia da demissão de Mano Menezes, uma fonte ouvida pelo GLOBOESPORTE.COM afirmou que Américo Faria, supervisor da Seleção até o Mundial de 2010, também voltaria com Felipão.

– Vai voltar o bigode. E o outro bigode – disse a fonte, fazendo relação com os bigodes de Américo e Felipão.

Situação de Andrés ficou ruim após críticas à decisão de Marin

Andrés ficou contrariado com a demissão de Mano Menezes, na última sexta, – e avisou que deixaria o cargo no início da semana. Mas alguns notáveis – em especial Ronaldo – tentaram convencê-lo a permanecer. Após declarações no Soccerex, segunda – quando disse que a “tendência era sair” e criticou a decisão da CBF em mudar de treinador -, a situação ficou insustentável. Marin disse a interlocutores:

– Depois dessa entrevista… para mim o Andrés já saiu.

Na terça, o ex-presidente do Corinthians adotou um tom mais ameno – e disse que pretendia até participar do sorteio da Copa das Confederações, como representante da CBF. Mas, na manhã desta quarta-feira, entregou sua carta de demissão – deixando a entidade a menos de dois anos da Copa do Mundo.

ICFUT – FELIPE MELO DEFENDE PÊNALTI!

Fonte: futirinhas

Via DiBico

O jogador mais marcado pelo fracasso da Copa do Mundo de 2010, Felipe Melo está se tornando um grande ídolo na Turquia.

Neste sábado, o volante fez algo bem inusitado. O Galatasaray enfrentou o Elazigspor e estava vencendo até os 45 minutos do segundo tempo, quando o goleiro uruguaio Muslera foi expulso. Como o time de Felipe Melo já tinha feito as três substituições, ele foi para o gol e veja o que aconteceu:

ICFUT – TOP 10 ÚLTIMOS TREINADORES DA SELEÇÃO BRASILEIRA

Fonte: futirinhas

Por Vinicius Oliveira, do DiBico

Depois de longos dois anos no comando da Seleção Brasileira, Mano Menezes finalmente foi demitido de um dos principais cargos do país. Ontem, inclusive, o DiBico comentou sobre os treinadores especulados para ocupar a vaga deixada por Mano.

Você se lembra dos últimos dez treinadores da Seleção Brasileira e como eles se saíram no cargo? Não? Nós te lembramos então.

1 – Mano Menezes

Período: 2010 – 2012

Aproveitamento: 69,7 %

Títulos: Superclássico das Américas 2011 e 20112

Mano Menezes assumiu a seleção brasileira em 2010 com uma incumbência principal: renovação. O treinador teria que dar chance aos novos astros que não tinham oportunidades com Dunga, como Ganso e Neymar.

Isso ele até fez, contudo, desde o início, mostrou-se perdido. Mano fracassou na Copa América de 2011 e mais ainda nas Olimpíadas deste ano. Já deveria ter sido demitido há muito tempo, mas foi apenas agora que apresentava algum avanço. Certamente não deixará saudade.

2 – Dunga

2006 – 2010

Aproveitamento: 76,7 %

Ao final da Copa do Mundo de 2006, o treinador Carlos Alberto Parreira foi demitido. Com isso, vários nomes foram especulados na época. Porém, praticamente ninguém pensou em Dunga. Isso porque o capitão do tetra nem experiência como treinador tinha.

Dunga foi uma aposta inventada pela CBF e o sucesso que teve até 2010 não se refletiu na Copa do Mundo do mesmo ano. Questionado por muitos principalmente por escalações polêmicas, como a de Felipe Melo, e pela ausência de Ganso e Neymar na Copa do Mundo, Dunga viveu uma relação conturbada com a torcida e, principalmente, com a imprensa.

Mesmo assim, Dunga foi um cara vencedor na Seleção Brasileira, principalmente se compararmos com Mano Menezes. Ele conquistou a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações de 2009. No entanto,fracassou na Copa do Mundo com um de seus pupilos fazendo uma grande besteira no jogo derradeiro.

3 – Carlos Alberto Parreira

2003 – 2006

Aproveitamento: 66,07%

Na sua segunda passagem pela Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira tinha um time formidável nas mãos. Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Adriano em suas melhores fases, além de Ronaldo Fenômeno, que era sempre Ronaldo Fenômeno. Além disso, tinha Robinho se destacando.

Parreira montava o famoso quadrado mágico, mas mesmo com todos os títulos pré Copa do Mundo conquistados, já que o Brasil não teve representante no futebol masculino nas Olimpíadas de 2004, não obteve o sucesso esperado. A Seleção Brasileira saiu nas quartas de final para a Françade Zidane.

Com o insucesso, todas as conquistas foram esquecidas, e Parreira ficou marcado por não ter conseguido controlar tantas estrelas juntas.

4 – Felipão

2001 – 2002

Aproveitamento: 77,33%

Luiz Felipe Scolari assumiu a Seleção Brasileira em um momento bastante delicado, quase ficando de fora da Copa do Mundo de 2002. O Brasil só conquistou a suada vaga para o Japão e a Coréia do Sul na última rodada das eliminatórias, quase matando os brasileiros do coração.

Em 2002, o Brasil chegou desacreditado na Copa e Felipão soube unir o grupo em prol do objetivo em comum: o pentacampeonato. Mesmo assim, não faltou pressão para Luiz Felipe Scolari. A decisão polêmica de não convocar o baixinho Romário envolveu até o presidente da república.

Com o título mundial, Felipão foi praticamente considerado herói ao formar a “Família Scolari”. Sem dúvida nenhuma, ele teve seus méritos. Mas, falando a verdade, aquela Copa do Mundo foi uma das mais fáceis da história. Holanda não se classificou, Argentina saiu na fase de grupos, Itália e Espanha foram garfadas contra a Coréia do Sul e o Brasil ainda teve dificuldades para passar da Turquia. Contudo, a história nem vai se lembrar desses detalhes.

5 – Leão

Período: 2000-2001

Aproveitamento: 43,33 %

Leão talvez tenha sido o pior treinador a assumir o comando da principal seleção do mundo. Um sacrilégio que quase culminou com a inédita desclassificação para a Copa do Mundo.

Leão chegou a fazer convocações bizarras como Robert e Leomar. Veja o nosso “poderoso” time para a Copa das Confederações de 1999:

Goleiros: Dida (Milan – Itália), Carlos Germano (Portuguesa) e Fábio Costa (Santos);
Laterais: Zé Maria (Perugia – Itália), Evanílson (Borussia Dortmund – Alemanha), César (São Caetano) e Léo (Santos);
Zagueiros: Lúcio (Bayer Leverkusen – Alemanha), Edmílson (Lyon – França), Caçapa (Lyon – França), César (Rennes – França);
Volantes: Vampeta (PSG – França), Leomar (Sport Recife), Júlio Batista (São Paulo) e Fábio Rochemback (Internacional – RS);
Meias: Robert (Santos), Zé Roberto (Bayer Leverkusen – Alemanha), Ramon (Fluminense) e Vágner (Celta de Vigo – Espanha);
Atacantes: Élber (Bayern de Munique – Alemanha), Washington (Ponte Preta), Anderson (Lyon – França) e Magno Alves (Fluminense).

6 – Vanderlei Luxemburgo

Período: 1998-2000

Aproveitamento: 69,61 %

Vanderlei Luxemburgo começou até bem na Seleção Brasileira, conquistando a Copa América de 1999. Porém, ficou muito marcado por problemas judiciais durante o período. Primeiro, sofreu com acusações de identidade falsa e logo depois de sonegação fiscal. Após o fracasso nas Olimpíadas de 2000, Luxa não conseguiu se manter no cargo e foi demitido.

7 – Zagallo

Período: 1994 – 1998

Aproveitamento: 80,19 %

O aproveitamento de Zagallo nesse período fala por sí só. O Velho Lobo deu continuidade ao trabalho vencedor de Carlos Alberto Parreira e se saiu muito bem.

Em 1997, Zagallo conquistou a Copa América e a Copa das Confederações.  Infelizmente, não conseguiu o título da Copa do Mundo, pois perdeu para a França naquela dia bem esquisito que todos nós nos lembramos bem. O título teria consagrado definitivamente o maior campeão do mundo de todos os tempos.

8 – Carlos Alberto Parreira

Período: 1991 – 1994

Aproveitamento: 74,47 %

Carlos Alberto Parreira assumiu o comando de uma seleção com pouca qualidade técnica, completamente desacreditada e conquistou a Copa do Mundo de 1994. Com isso, conclui-se que sua passagem foi um sucesso, ainda mais com o título mundial depois de 24 anos de jejum.

No entanto, há quem diga que o sucesso daquela seleção se deve a uma única pessoa: o baixinho Romário. Sim, é verdade que o peixe desequilibrou em 1994, mas é muita injustiça falar isso. Parreira teve seus méritos.

9 – Paulo Roberto Falcão

Período: 1991

Aproveitamento: 55,88 %

Em 1986, Paulo Roberto Falcão aposentou sua carreira de jogador. 4 anos depois, ele comentou a Copa do Mundo de 1990 pela Rede Manchete. E, pelo visto, deve ter comentado muito bem, pois no ano seguinte recebeu o convite da CBF para treinar a Seleção Brasileira, mesmo sem nenhuma experiência anterior como técnico.

Desde o início, Falcão foi muito contestado pela imprensa. Com o seu péssimo aproveitamento e com o vice da Copa América de 1991, ele  se foi demitido sem nem ter completado um ano no cargo.

10 – Sebastião Lazaroni

Período: 1989 – 1990

Aproveitamento: 71,43 %

Sebastião Lazaroni é um dos técnicos da Seleção Brasileira menos queridos da história. Isso porque ele comandou a seleção que ficou conhecida como “Geração Dunga” e que perdeu para a Argentina nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1990.

Antes da Copa da Itália, Lazaroni foi campeão da Copa América em 1989.

Matemática:

Na minha opinião, considerando apenas o resultados obtidos pelos treinadores e desconsiderando a qualidade técnica deles, podemos fazer essa comparação entre eles:

< Leão < Lazaroni < Falcão < Mano Menezes < Luxemburgo < Dunga < Parreira (2ª passagem) < Zagallo < Parreira (1ª passagem) < Felipão

ICFUT – Famoso quem? Torcida do Chelsea desconhece elenco do Corinthians

Fonte: globo

GLOBOESPORTE.COM faz teste no entorno de Stamford Bridge e recebe respostas divertidas, precavidas e confiantes: nenhum rival é identificado

Campeões do Brasileirão, da Libertadores e consagrados com a camisa de um dos maiores clubes do Brasil. Muitos deles já passaram até mesmo pela Seleção. Independentemente do que fizerem no Japão, a maioria dos 23 samurais que defenderá o Corinthians no Mundial de Clubes da Fifa já tem o nome marcado na história do Timão. No caminho para a glória máxima, porém, eles vão se deparar com uma situação diferente no Oriente: passarão por meros desconhecidos. Pelo menos para a torcida do Chelsea, principal candidato a rival na final do dia 16 de dezembro, em Yokohama.

Que a constelação dos Blues, com nomes como Fernando Torres, Lampard, Terry, e até mesmo o trio brasuca David Luiz, Ramires e Oscar já é conhecida e badalada mundo afora, ninguém tem dúvida. Por isso, o GLOBOESPORTE.COM aproveitou um dia de clássico no Stamford Bridge para saber até que ponto a recíproca é verdadeira. Com fotos dos 13 principais jogadores corintianos nas mãos, a reportagem abordou torcedores do Chelsea para conferir se os rivais reconhecem os trunfos do Corinthians. Mas o resultado foi total desconhecimento. Em alguns momentos, até mesmo sobre o Timão.

torcida do Chelsea na festa do título da Liga dos Campeões (Foto: Reuters)Torcida do Chelsea demonstrou desconhecimento dos samurais corintianos (Foto: Reuters)

– Corinthians? Eu não sei muito, para ser sincero. Sei que produziram muitos jogadores ao longo dos anos. Não tenho dúvidas disso, mas não sei quais. E sei também que é um bom time – disse o britânico Alex Riffchen, para emendar um diálogo, no mínimo, inusitado com o irmão Eugene.

– O Oscar veio de lá, não foi?

– Não. Ele veio do Inter alguma coisa – rebateu Alex.

– Então, é o time que o Maradona era o técnico – tentou mais uma vez Eugene, antes de desistir – É, não sei mesmo.

A dupla continua com respostas inesperadas mesmo diante das imagens dos jogadores. Já no goleiro Cássio, Alex ironizou:

– É aquela marca de relógios?

David Luiz para marcar o Sheik, e Oscar de informante

Ele é o goleador? Hmm… Vamos ver. Temos o David Luiz para cuidar dele."

Torcedor – sobre Emerson Sheik

Entre dez entrevistados nos arredores do estádio, nenhum soube identificar um corintiano sequer. Fábio Santos foi apontado até mesmo como um piloto de automobilismo por Eugene. Nomes como Alessandro e o peruano Paolo Guerrero foram os que tiveram maiores citações no sentido de “já ouvi este nome, mas não sei quem é, nem em qual posição joga”.

Herói do título da Libertadores e uma das principais apostas do Mundial, Emerson Sheik não chamou a atenção dos torcedores. Matty Winter, entretanto, já foi informado sobre o histórico do atacante e designou seu preferido para detê-lo no Japão.

– Ele é o goleador? Hmm… Vamos ver. Temos o David Luiz para cuidar dele.

As respostas divertidas, por sua vez, também deram lugar a palavras de precaução. Peter Winter, pai de Matty, por exemplo, apostou na ajuda de Oscar para que Rafa Benítez não seja surpreendido e lembrou de um brasileiro desconhecido que o impressionou recentemente.

– Oscar acabou de vir (do Brasil) e pode nos ajudar bastante com informações. Vimos os brasileiros do Shakhtar, são incríveis. Fernandinho nos impressionou. Suspeito que o Corinthians é forte, já que é o campeão da América. Será um bom jogo.

Outro que optou pelo respeito ao comentar um possível encontro na decisão do Mundial foi Steve Nash. Homônimo do jogador de basquete da NBA, o inglês confessou não ter o costume de observar o que acontece fora das fronteiras europeias, mas não espera facilidade.

– Eu não conheço a maioria dos jogadores. Para ser realista, não estamos acostumados a acompanhar o futebol sul-americano. Precisamos conhecê-los melhor. Acho que o treinador tem que fazer o dever de casa ou será estranho. Creio que vai ser um jogo equilibrado.

‘Ronaldo e Adriano ainda estão lá?’

Do grupo, o mais bem informado foi Henry Dawson. Demonstrando conhecimento até mesmo do apelido “Timão”, o torcedor questionou se Adriano e Ronaldo fazem parte do elenco que viajará ao Oriente. Por outro lado, ele não se mostrou muito preocupado com a competição que começa no próximo dia 6.

– Acho que não podemos tirar o foco da Champions e da Premier League, que são competições-chave. O Mundial não é tão grande, espero que ninguém volte machucado.

Significa menos do que vencer a Champions League. O Mundial é um bônus."

Fã do Chelsea

Peter Winter seguiu a linha de prioridade, mas demonstrou um pouco mais de apreço pela disputa organizada pela Fifa.

– Poder falar que somos campeões mundiais seria fantástico, mas significa menos do que vencer a Champions League, que esperamos por tanto tempo, ou a Premier League, que é tão difícil. O Mundial é um bônus.

Na mistura de reações azul, também houve espaço para confiança, como a de Phill Kief. Completamente desinformado do que acontece em gramados brasileiros, ele disse:

– Não sabemos o nível da liga de vocês. Acho que somos favoritos, mas é difícil falar isso sem saber da qualidade dos brasileiros.

O Chelsea tem estreia marcada no Mundial para o próximo dia 13, contra o vencedor do confronto entre Monterrey, do México, e Ulsan, da Coreia do Sul. Os torcedores ingleses terão a oportunidade de observar os corintianos na semifinal da véspera, dia 12, mas, se quiserem se antecipar, podem conhecer os escolhidos de Tite na série “23 samurais”, do GLOBOESPORTE.COM. Fica a dica.

* Os jogadores apresentados ao torcedor do Chelsea na reportagem foram: Cássio, Alessandro, Chicão, Paulo André, Fábio Santos, Ralf, Paulinho, Douglas, Danilo, Emerson, Guerrero, Jorge Henrique e Martinez.

ICFUT – Os maiores salários de técnicos no Brasil

Fonte: globo

A Pluri Consultoria, conhecida pelo levantamento financeiro de clubes mundo afora, divulgou nesta terça-feira os maiores salários dos treinadores no Brasil. O primeiro da lista é justamente o campeão brasileiro Abel Braga, do Fluminense, com vencimentos de R$ 700 mil mensais, segundo os números da empresa.

Em seguida, aparecem três técnicos empatados: Luxemburgo, do Grêmio, Muricy Ramalho, do Santos, e Tite, do Corinthians – todos com salários de R$ 600 mil por mês. Ainda figuram na relação, em ordem do maior salário para o menor, Dorival Junior, Oswaldo de Oliveira, Cuca, Celso Roth, Gilson Kleina e Ney Franco.

Ricardo Gomes ainda aparece na lista, em 11º, embora, neste caso específico, o valor é referente ao ano passado, antes que o treinador se afastasse do comando do Vasco. Confira abaixo a lista completa.

1 Abel Braga (Fluminense) R$ 700 mil mensais – R$ 9,1 milhões anuais
2 Luxemburgo (Grêmio) R$ 600 mil mensais – R$ 7,8 milhões anuais
2 Muricy (Santos) R$ 600 mil mensais – R$ 7,8 milhões anuais
2 Tite (Corinthians) R$ 600 mil mensais – R$ 7,8 milhões anuais
5 Dorival Junior (Flamengo) R$ 450 mil mensais – R$ 5,85 milhões anuais
6 Oswaldo de Oliveira (Botafogo) R$ 380 mil mensais – R$ 4,94 milhões anuais
7 Cuca (Atlético-MG) R$ 350 mil mensais – R$ 4,55 milhões anuais
8 Celso Roth (Cruzeiro) R$ 300 mil mensais – R$ 3,9 milhões anuais
8 Gilson Kleina (Palmeiras) R$ 300 mil mensais – R$ 3,9 milhões anuais
8 Ney Franco (São Paulo) R$ 300 mil mensais – R$ 3,9 milhões anuais

ICFUT – Por descumprimento de contrato, Zico deixa a seleção do Iraque

Fonte: gazetaesportiva

O brasileiro Zico anunciou na noite desta terça-feira que não é mais o técnico da seleção do Iraque. Segundo informações publicadas no site oficial do treinador, a Federação Iraquiana de Futebol descumpriu termos registrados em contrato e agravou uma situação que já estava abalada.

"Venho por meio do meu site informar que, por volta das 12 horas desta terça-feira, horário de Brasília, enviei comunicação oficial à Fifa, entidade máxima do futebol mundial, e à IFA, que é a associação iraquiana de futebol, declarando que considero meu contrato rescindido por descumprimento da IFA. Em breve prestarei mais esclarecimentos", dizia a nota.

Desde agosto de 2011 à frente do selecionado iraquiano, o Galinho de Quintino classificou a equipe para a última fase das Eliminatórias Asiáticas para a Copa do Mundo de 2014. Em terceiro lugar no grupo B, o time treinado pelo brasileiro disputa com a Austrália uma vaga no Mundial, enquanto o Japão é o lider.

Caso fique em terceiro, o Iraque terá de enfrentar o terceiro colocado do grupo A, posição atualmente ocupada pela seleção iraniana. O vencedor do confronto terá de encarar o quinto lugar das Eliminatórias Sul-americanas na repescagem para tentar garantir vaga no Brasil.

AFP

Problemas com a federação local fizeram Zico pedir demissão da seleção iraquiana nesta terça-feira

ICFUT – Sanchez é sondado para ter cargo no governo de Haddad, diz jornal

Fonte: gazetaesportiva

Diretor de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Andrés Sanchez deve anunciar oficialmente ainda nesta terça-feira sua saída do cargo. Diante da mudança, o ex-presidente do Corinthians já foi sondado pela equipe de Fernando Haddad, que assume no ano que vem a prefeitura de São Paulo (SP), para assumir a Secretaria Municipal de Esportes, de acordo com o jornal Estado de S. Paulo.

Sanchez é filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), o mesmo de Haddad, desde 2009 e tem amizade com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. De acordo com a publicação, o dirigente já negocia com deputados estaduais petistas a sua entrada no próximo governo municipal. O convite oficial deve acontecer nos próximos dias.

O cargo terá destaque nos próximos anos por conta da realização da Copa de 2014. Como São Paulo é uma das sedes e a cidade que abrirá o evento daqui a pouco menos de dois anos, quem assumir a vaga comandará a verba municipal e ainda se envolverá nas negociações de patrocínios antes da disputa do torneio organizado pela Fifa. De acordo com o Estadão, a secretaria terá orçamento inicial de R$ 263 milhões para o próximo ano, ainda com possibilidade de aumento.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Amigo de Lula (esq.), Andrés Sanchez deve ser convidado para assumir cargo no governo de Haddad

Além da visibilidade e prestígio que Andrés possui entre empresários e políticos, esta medida serve também para encerrar a disputa entre PMDB e PC do B, partidos aliados do novo governo e que tinham interesse em assumir a vaga. A única preocupação do governo é um possível interesse de Sanchez em concorrer à presidência da CBF – possibilidade já ventilada por ele.

Andrés Sanchez está ligado à entidade que gere o futebol brasileiro desde o ano passado, quando Ricardo Teixeira ainda era o presidente. A recente perda de espaço nas decisões sobrea a Seleção, porém, o incomodou. Ele foi voto vencido na decisão de demitir o técnico Mano Menezes e afirmou que Luiz Felipe Scolari já está apalavrado para assumir o cargo, apesar de o diretor de seleções não ter participado da escolha.

ICFUT – Oswaldo de Oliveira acerta contrato por mais um ano no Botafogo

Fonte: lancenet

Vínculo está aprovado pelo advogado do treinador e só espera assinatura

Especial - Oswaldo de Oliveira (Foto: Alexandre Loureiro)
Oswaldo de Oliveira está no Fogão desde dezembro-2011 (Foto: Alexandre Loureiro)

Oswaldo de Oliveira será o treinador do Botafogo para 2013. O contrato oferecido pelo Glorioso até dezembro do ano que vem, que se encontra nas mãos do advogado do técnico desde a última segunda-feira, está aprovado pelo representante do comandante alvinegro após análise detalhada e agora faltam apenas as assinaturas das partes envolvidas para que o acordo seja selado.

Oswaldo e a diretoria do Botafogo estão em concordância plena em todos os termos. Os moldes do vínculo são iguais aos firmados no contrato feito em 2011, quando o técnico assumiu o comando do time, em dezembro.

Pelo Botafogo, Oswaldo de Oliveira conquistou a Taça Rio-2012 e ficou com o vice no Campeonato Carioca, perdendo a decisão contra o Fluminense. Com o trabalho apoiado pelo presidente alvinegro, Mauricio Assumpção, o técnico enfrentou a desconfiança de parte da torcida ao longo do segundo semestre, mas conseguiu se manter no cargo.

> Confira o aproveitamento de Oswaldo de Oliveira pelo Botafogo

– Na temporada 2012
65 jogos
28 vitórias
20 empates
17 derrotas
Aproveitamento: 53,33% dos pontos na temporada
Gols Pró: 111 (1,70 por jogo)
Gols Contra: 78 (1,2 por jogo)

– Campeonato Carioca: Vice-campeão
20 jogos
11 vitórias
7 empates
2 derrotas
Aproveitamento: 66,66% dos pontos

– Copa do Brasil: Eliminado nas oitavas de final
6 jogos
1 vitória
4 empates
1 derrota
Aproveitamento: 38,88% dos pontos

– Copa Sul-Americana: Eliminado na fase nacional (segunda fase da competição)
2 jogos
1 vitória
1 derrota
Aproveitamento: 50% dos pontos

– Campeonato Brasileiro: 7º lugar (Até o momento)
37 jogos
15 vitórias
9 empates
13 derrotas
Aproveitamento: 46,64% dos pontos