Por Cleber Aguiar – André Lima faz no final, Grêmio bate Ponte e vê Libertadores mais perto

Fonte: Globo.com

Gol foi marcado aos 45 minutos do segundo tempo, após um jogo muito complicado com a Macaca e coloca Tricolor próximo de confirmar vaga

Por GLOBOESPORTE.COM Porto Alegre

  • lance capital

    45 do 2º tempo

    Após escanteio de Zé Roberto, André Lima mete a cabeça na pequena área e define o marcador para o Grêmio: 1 a 0, em um jogo de alta tensão.

  • estatística

    Ponte ousada

    Mesmo num Olímpico lotado, a Ponte teve as melhores chances. Fechou a partida com 11 finalizações contra apenas três dos mandantes.

  • deu errado

    lado esquerdo

    A lateral esquerda do Grêmio estava amaldiçoada. Pico saiu lesionado no intervalo, e seu substituto, Julio Cesar, foi expulso aos 25 minutos da etapa final.

É possível vencer uma partida de futebol atuando apenas 45 minutos? O Grêmio, clube de façanhas que até Charles Miller duvidaria, mostrou que sim, neste sábado. Mesmo empurrado por 40 mil almas, fez um primeiro tempo irreconhecível, como se não estivesse em campo, com apenas uma finalização contra dez da competente e ousada visitante Ponte Preta. Na etapa final, a redenção e a tão almejada vitória vieram apenas nos acréscimos: 1 a 0, gol de André Lima, após quatro empates consecutivos no Brasileirão.

O placar mantém o time gaúcho na terceira colocação nesta 34ª rodada, com 63 pontos, mas o leva para mais perto do Atlético-MG. Fica a um ponto, sendo que o Galo ainda joga no domingo, contra o Coritiba. Os três pontos também ajudam a aumentar a série invicta da equipe de Luxa no Brasileirão: já são 11 jogos.

O domingo será de mais torcida contra Botafogo, Vasco e Inter. Caso os três rivais percam, o clube gaúcho terá posição assegurada no G-4. Pela 35ª rodada, enfrenta o São Paulo, quarto colocado, em confronto direto pela América. O jogo será no Olímpico, às 17h de domingo.

Se a derrota consolida o jejum de 26 anos sem suplantar o Grêmio no Olímpico, em termos de tabela o revés pouco abala a Ponte Preta. Em situação ainda confortável contra o rebaixamento – é a décima, com 43 pontos -, a Macaca terá mais quatro rodadas para alcançar uma vitória e se garantir matematicamente na elite para 2013. No próximo domingo, às 19h30m, recebe o Internacional, no Moisés Lucarelli.

André Lima comemora gol do Grêmio contra a Ponte Preta (Foto: Lucas Uebel / Site Oficial do Grêmio)André Lima comemora gol do Grêmio contra a Ponte Preta (Foto: Lucas Uebel / Site Oficial do Grêmio)

Olímpico lota, mas é a Ponte quem joga

O Grêmio preparou uma tática de guerra para voltar a vencer em casa pelo Brasileirão – o que não ocorria desde 6 de outubro, diante do Cruzeiro. Inclusive fora de campo. Contra o feriadão, lançou uma promoção de ingressos: paga um, leva dois. Assim, o Olímpico lotou (40.760 pessoas) como não havia sido visto diante de Millonarios e Coritiba, os últimos dois jogos em Porto Alegre. Dentro do gramado, também imperou o planejamento. Os comandados de Luxa colocaram em prática a ideia de pressão total. Os primeiros minutos foram de pleno sufoco gremista sobre a zaga paulista – mesmo que Elano estivesse no banco e Kleber Gladiador fosse desfalque no ataque.

Apesar do volume, o Grêmio é quem sofreu o primeiro susto, aos 13 minutos. O zagueiro Cléber foi ao ataque e cabeceou com perigo sobre a meta de Marcelo Grohe. A resposta gaúcha se deu cinco minutos depois. Pará foi ao fundo e cruzou para Marcelo Moreno cabecear sem precisão. Aos 19, a Ponte voltou a assustar. Roger, livre na área, chutou em cima de Grohe. Embora infeliz, a tentativa mostrou aos 40 mil gremistas que só grito não bastaria para os mandantes baterem os ousados forasteiros.

Zé Roberto na partida do Grêmio contra a Ponte Preta (Foto: Lucas Uebel / Site Oficial do Grêmio)Torcida lotou o Olímpico para ver o Grêmio de Zé
Roberto (Foto: Lucas Uebel / Site Oficial do Grêmio)

Aos 33 minutos, a torcida do Grêmio começou a ser tomada pela nefasta sensação de que o filme dos últimos jogos estava se repetindo: casa cheia, muito suor, mas pouca bola na rede. Isso porque Werley e Pará, afoitos, se complicaram na saída de bola, deixando Roger livre, em frente às traves de Grohe. Mas o centroavante decepcionou as dezenas de pontepretanos no Olímpico e chutou para fora.

O Grêmio só conseguiu devolver o pânico à zaga alheia aos 39, com Zé Roberto cobrando falta e Roberto tirando de soco, um tanto desajeitado. As chances claras, no entanto, eram pinceladas apenas com as duas cores da Macaca. Aos 43, Roger deixou de calcanhar para João Paulo, que entrou na área e cruzou para trás. Wendel Santos, livre, pegou de tornozelo na bola.

Grêmio melhora, mas só vence no final

O primeiro tempo de terror do lado azul terminou com uma baixa e um senão. A baixa: Anderson Pico foi substituído com uma lesão num dos dedos da mão esquerda, dando lugar a Julio Cesar. O senão: as vaias da torcida. E não foi sem razão: a estatística apontava, ao fim da etapa inicial, dez finalizações do rival contra apenas uma dos gaúchos.

– Eles têm jogadores rápidos. Temos que ter atenção – receitou o gremista Werley.

– A gente criou muitas chances, agora temos que aproveitar. Tenho certeza de que vai aparecer outra oportunidade – confia o pontepretano Tiago Alves.

Mesmo sem mudanças, o Grêmio conseguiu uma leve evolução. Em 12 minutos, finalizou duas vezes, o dobro de investidas da etapa inicial. Mas não era o suficiente. Por isso, a torcida pedia Elano, que, sem as ideais condições físicas, começara no banco. O clamor foi atendido por Luxemburgo. Aos 14, o meia ingressou na vaga de Fernando e ajudou o time gaúcho a se impor como nunca havia feito até então na partida. Sobretudo pelos lados, o Grêmio castigava a zaga rival com cruzamentos. Mas a dupla Cléber e Ferron estava atenta, não permitia falhas.

Quem falhou foi a defesa do Grêmio. Julio Cesar precisou acertar Rildo para evitar o contragolpe. Foi expulso, aos 25 minutos. Com dez, o time de Luxa perdeu força, e a Ponte voltou a dar os sustos típicos do primeiro tempo. O técnico gremista tentou a sua última cartada, construindo uma parede no ataque com Moreno e André Lima, que entrara no lugar de Leandro.

O camisa 99 tentou cavar um pênalti, aos 35, sem sucesso. Toda a glória recaiu sobre os ombros de André Lima um pouco depois, aos 45 minutos. No escanteio cobrado pela direita, o centroavante fez o que a sua profissão exige: gol. Do jeito que der, de cabeça, de ombro, joelho, trombando com o goleiro, com o árbitro, com a trave. Assim, aos trancos e barrancos, como fora o Grêmio durante todo o jogo,o Guerreiro Imortal justificou o apelido e devolveu os tricolores aos trilhos das vitórias no Nacional. E a Libertadores está cada vez mais perto.

Por Cleber Aguiar – Com mais um show de Neymar, Santos estraga volta do Cruzeiro a BH

Fonte: Globo.com

Cruzeiro 0 x 4 Santos

Craque comanda vitória do Peixe, com três gols e bela jogada para o outro, e tem o nome gritado pela torcida cruzeirense presente no Independência
DESTAQUES DO JOGO
  • nome do jogo

    Neymar

    Três gols e uma assistência. Dancinha. Nome gritado pela torcida adversária. Emoção ao final do jogo. Não precisa dizer mais nada…

  • não deu certo

    Mudanças

    O técnico Celso Roth não foi feliz na aposta que fez de colocar Sandro Silva como titular – e para marcar Neymar. O volante saiu no intervalo.

  • vaiado

    Roth e time

    O goleiro Fábio foi o único que teve o nome gritado pela torcida. O treinador foi chamado de ‘burro’ e o time escutou ‘olé’ no segundo tempo todo.

A CRÔNICA
por Marco Antônio Astoni

39 comentários

Neymar foi o dono da noite na volta do Cruzeiro a Belo Horizonte. O craque comandou a vitória santista por 4 a 0 sobre a Raposa, no estádio Independência, marcando três gols e dando o passe para o outro. A torcida cruzeirense fez sua parte, comparecendo em bom número, após quatro jogos em Varginha, devido à punição pelos incidentes no clássico contra o Atlético-MG, em agosto, mas viu seu time ser completamente envolvido pelo Santos, em mais uma atuação memorável de Neymar.

O resultado inverte a posição dos times na tabela do Campeonato Brasileiro. O Santos sobe do 11º para o 9º lugar, agora com 46 pontos. Com 43, o Cruzeiro faz o caminho contrário e cai da 9ª para a 11ª posição.

Os dois times voltam a campo no próximo final de semana. Sábado, o Santos vai ao Serra Dourada, em Goiânia, onde enfrenta o Atlético-GO, às 19h30m (de Brasília). O Cruzeiro joga domingo, no mesmo horário. Mais uma vez no Independência, recebe o ameaçado Bahia
 

Neymar, sempre ele

Mesmo com cara de amistoso, já que os dois times não têm grandes ambições na tabela, Cruzeiro e Santos começaram o jogo animados, correndo muito e buscando as jogadas, respeitando os torcedores no estádio Independência.

A iniciativa do jogo foi da equipe mineira. Com a dupla argentina Montillo e Martinuccio, a boa presença ofensiva de Anselmo Ramon e o apoio dos laterais Ceará e Everton, o Cruzeiro começou em cima, valendo-se das reduzidas dimensões do gramado do Independência e pressionando o Santos em seu campo de defesa. O problema da Raposa na partida foi o que demonstrou em todo o Brasileirão: o baixíssimo número de finalizações.

Acontece que o Santos tem Neymar e, na primeira chance que teve, o craque abriu o placar. O gol do Peixe, porém, teve origem em um erro da arbitragem. A bola saiu de campo, após bater nitidamente em Arouca, mas o lateral foi dado ao Santos. Na sequência, o mesmo Arouca cruzou para Neymar bater rasteiro. A bola passou debaixo deFábio, que nada pôde fazer. Foi o 151º gol da carreira de Neymar, 121 pelo Santos.

A vantagem do Santos não mudou o perfil tático do Cruzeiro, que continuou buscando o ataque. O time praiano, no entanto, passou a ter a arma do contra-ataque com mais frequência e, por duas vezes, não marcou por muito pouco, com Neymar e Arouca.

Após os 30 minutos, o Cruzeiro se perdeu em campo, e o Santos passou a dominar amplamente as ações. Tanto que, aos 35, Neymar fez mais um. Após falha bisonha de Mateus, o craque santista recebeu sozinho na área, ajeitou, escolheu o canto e fuzilou Fábio: 2 a 0.

Com isso, os cruzeirenses presentes no Independência, que até então apoiavam o time, passaram a vaiar vários jogadores, a diretoria e, principalmente, o técnico Celso Roth. O placar não foi alterado até o intervalo, e o apito final do árbitro parece ter sido um alívio para os jogadores do Cruzeiro.

Cruzeiro batido

Atrás no placar e vindo de um final de primeiro tempo terrível, Celso Roth não tinha outra opção a não ser mexer no time. O treinador colocou Fabinho no lugar de Sandro Silva, que praticamente não jogou. A mudança, porém, não surtiu o feito esperado, já que o Cruzeiro não conseguia acertar três passes sequência e continuava inoperante na marcação de Neymar.

Para piorar a situação do Cruzeiro, o melhor jogador brasileiro da atualidade estava em noite inspirada. Mais uma vez, Neymar passou como quis pelos zagueiros cruzeirenses e tocou para Felipe Anderson, aos sete minutos, ampliar a diferença para 3 a 0.

Celso Roth ganhou de vez a ira da torcida quando tirou Martinuccio e colocou Wellington Paulista em campo. Uma série de vaias e pedidos para a saída do treinador surgiram das cadeiras do Independência.

O Santos diminuiu drasticamente o ritmo de jogo, já satisfeito com a enorme vantagem construída. A equipe mineira passou a atacar mais e até construiu boas chances, principalmente com Anselmo Ramon que chegou a marcar um gol, não validado pela arbitragem que não viu o corte de Galhardo depois que a bola cruzou a linha.

O Peixe ainda deu o toque o final ao show. Miralles fez excelente jogada pela direita e serviu Neymar, livre de marcação dentro da área. O craque fez o terceiro dele no jogo, 41º na temporada, 122º pelo Santos e 155º na carreira. Números que impressionam tanto quanto o talento de Neymar.

Por Cleber Aguiar – Dirigente santista confirma interesse em meia do Náutico

Fonte: Tribuna Online

Créditos: Divulgação

Rhayner agradou o técnico Muricy Ramalho

De olho na próxima temporada, o Santos intensifica a procura por jogadores que possam reforçar a equipe a partir de janeiro. Um dos nomes cogitados é o do meia Rhayner, de 22 anos, e que atualmente defende o Náutico. O jogador agradou o técnico Muricy Ramalho e está na lista de possíveis futuras negociações.

“Recentemente observamos o atleta, passou em uma avaliação nossa, mas não fizemos proposta. Não há nenhuma negociação no momento”, revelou Felipe Faro, superintendente de esportes do Peixe, ao Lancenet.

Leia também:
Adriano sonha com primeiro gol pelo Santos
Neymar lidera lista de preferência entre os torcedores
Edu Dracena vê ano ‘acabado’ para o Santos

Rhayner tem contrato por empréstimo com o Timbu até dezembro e seus direitos econômicos estão vinculados ao Tombense (MG). Apesar do interesse santista, o meia declarou seu amor ao clube pernambucano e garantiu estar focado apenas no Brasileirão.

“Tudo o que chega de interesse de outros clubes fico sabendo pelo meu irmão, ou pela internet. Meu empresário cuida do extra campo e sabe que não quero falar de propostas para eu não perder o foco no campeonato. Eu tenho amor pelo Náutico, pela oportunidade que o clube me deu. Mas quando se trata de negociação há interesse de muita gente em jogo. O meu, o do clube, o do empresário. Agora, se fosse depender da minha vontade eu digo que é de ficar, embora almeje para minha carreira a disputa de grandes competições”, garante o jogador.

Aimar

Na última semana, Felipe Faro se reuniu com a direitoria do Benfica. Segundo o superintendente de esportes, o encontro não serviu para negociar o meia argentino Aimar, mas sim para estreitar relações com o clube português.

“Tenho relação com o pessoal do Benfica de longa data, antes mesmo de trabalhar no Santos (ele cuidava do Estoril, clube português da empresa Traffic). Fui muito bem recebido”, afirmou.

Por Cleber Aguiar – São Paulo trabalha com duas datas para a estreia de Ganso

Fonte: Globo.com

Na próxima segunda-feira, o meia deverá ser liberado para treinar normalmente com os companheiros

Por Marcelo Prado São Paulo

Ganso no treino do São Paulo (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)Paulo Henrique Ganso, durante treino do Tricolor
(Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

Pela primeira vez desde que anunciou a contratação de Paulo Henrique Ganso, o São Paulo já planeja a estreia do meia, contratado do Santos por R$ 23,9 milhões. O técnico Ney Franco, em conversas com os médicos, fisioterapeutas e preparadores físicos, já tem em mente duas datas: dia 18, contra o Náutico, pelo Campeonato Brasileiro, ou 28, data reservada para a segunda semifinal da Copa Sul-Americana, caso o time passe pela Universidad de Chile e garanta sua classificação.

Uma coisa está definida: o primeiro jogo do meio-campista por sua nova equipe vai ocorrer no estádio do Morumbi, até para que o Tricolor possa promover ações de marketing e faturar alto com a venda de ingressos.

– Desse jeito, poderemos unir o útil ao agradável – diz uma pessoa ligada à diretoria.

Desde segunda-feira, Ganso trabalha à parte com os preparadores no gramado. Na última sexta, por exemplo, o treino físico durou uma hora e em nenhum momento o atleta reclamou da carga de exercícios ou de cansaço. Essa é a última etapa antes de ser liberado para treinar com os companheiros, o que deve ocorrer na segunda-feira. A partir daí, o atleta vai intensificar os trabalhos com bola. Na próxima semana, se tudo correr bem, ele vai disputar um jogo treino para que sua condição seja avaliada. Sendo aprovado, já será possível planejar a estreia.

Questionado sobre o assunto, o preparador físico Alexandre Lopes mantém a cautela e diz que o caso do jogador é analisado diariamente por todos no CT.

– Ele está fazendo tudo que foi planejado e não tem reclamado de nenhum problema. Isso é um fato positivo, mas temos de continuar trabalhando da mesma maneira, sem pressa – afirmou

Por Cleber Aguiar – Cavalieri prevê jogo aberto, mas espera “os gols para o nosso lado”

Fonte: Globo.com

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Sem perder para clubes paulistas durante todo o Campeonato Brasileiro, o Fluminense terá pela frente neste domingo, às 17 horas, no estádio do Morumbi, o São Paulo, adversário que atuou 16 vezes dentro de casa e venceu em 13 oportunidades. Baseado nas estatísticas imponentes dos dois lados, o goleiro Diego Cavalieri espera um jogo de muitos gols, mas torce para que ele sofra poucos deles na partida válida pela 34ª rodada da competição nacional.

O fator que leva o goleiro do Fluminense à conclusão de que será uma partida com muitos gols marcados é a ofensividade adotada tanto por Ney Franco quanto por Abel Braga, treinadores dos rivais de domingo. Se o são-paulino opta habitualmente pela formação 4-3-3, com Osvaldo, Lucas e Luis Fabiano na frente, o tricolor carioca terá que escalar o mesmo esquema graças ás lesões dos armadores Deco e Wagner.

Dessa forma, a opção foi Rafael Sóbis, que ‘costuma se dar bem contra o São Paulo’, segundo Abel Braga, usando como referência a Copa Libertadores de 2006, quando ambos defendiam o Inter. A provável escalação do Fluminense para o confronto é a seguinte, no 4-3-3: Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Thiago Neves; Wellington Nem, Rafael Sóbis e Fred.

“Quem vai ganhar é o público, porque vai ser jogo de alta qualidade. Espero que com muitos gols, mas para o nosso lado, porque realmente as duas equipes têm jogadores do meio para frente que a qualquer momento podem desequilibrar. É um duelo de duas grandes equipes que vêm fazendo excelentes trabalhos”, pontua Diego Cavalieri, que reconhece o bom momento do São Paulo: “Eles estão crescendo agora, que é um momento importante do campeonato”.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Camisa 1 da melhor defesa do Brasileiro, Cavalieri treina com os companheiros em São Paulo

Por Cleber Aguiar – Presidente do PSG nega interesse em Cristiano Ronaldo

Fonte: Lancenet.com.br

Nasser Al Khelaifi negou qualquer contato com o atacante português. Diretor-esportivo Leonardo seguiu discurso e também afirmou não haver propostas por José Mourinho

O presidente do PSG, Nasser Al Khelaifi, negou nesta quarta-feira ter feito qualquer proposta ao ao atacante Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. A informação sobre um possível interesse do clube francês nos portugueses foi divulgada pelo diário italiano “Gazzetta dello Sport”.

– Cristiano Ronaldo é jogador do Real Madrid. Não entrei em contato com o seu clube e ninguém falou comigo a respeito dele – afirmou o xeque em declarações publicadas nesta quinta-feira pelo diário “L’Equipe”.

Segundo a “Gazzetta dello Sport”, o PSG já teria preparado uma proposta de 100 milhões de euros (R$ 263,3 milhões) para tirar Cristiano Ronaldo do Real Madrid. O outro alvo dos parisienses no clube merengue seria o treinador José Mourinho.

O diretor-esportivo do PSG, Leonardo, também afirmou nesta quatra-feira, depois da vitória de sua equipe sobre o Olympique de Marselha por 2 a 0 pela Copa da Liga Francesa, que a história envolvendo Cristiano Ronaldo e Mourinho já virou uma novela.

– Essas notícias começam a parecer uma novela. Não me encontrei nem falei com ninguém. Neste momento o mercado está fechado e estamos totalmente focados em nosso próximo jogo – foram as palavras do brasileiro.

 

Por Cleber Aguiar – Flamengo quer vencer Figueirense para afastar fantasmas de vez

Fonte: O Globo – RJ

Com vitória em Volta Redonda, time atinge a marca dos 44 pontos


RIO – Sem Felipe, Wellington Silva e Ibson, o Flamengo recebe o Figueirense neste sábado, às 21h, em Volta Redonda, com o objetivo de tranquilizar-se de vez na luta contra o rebaixamento. Se vencer, o time vai a 44 pontos e abre 11 de vantagem para o Sport, primeiro da zona da degola.

Domingo, o Sport tem partida difícil, contra o Vasco, em São Januário. O Palmeiras, outro que tenta escapar, receberá o Botafogo, em Araraquara.

O técnico Dorival Júnior tem desfalques. O goleiro Felipe, com dores no tornozelo esquerdo depois de ter sofrido uma torção contra o Atlético-MG, está vetado. Wellington Silva e Ibson cumprirão suspensão e também são desfalques. Léo Moura, recuperado de lesão, volta à lateral. A única dúvida é no meio-campo. Cáceres, com dores no quadril, vai realizar um teste antes da partida para saber se tem condições.

– Se o Cáceres não puder, tenho algumas opções no meio. O Luiz (Antônio), ou algo mais ofensivo, com o Mattheus ou o Welington Bruno – disse Dorival Júnior.

Flamengo x Figueirense

Local: Estádio Raulino de Oliveira

Horário: 21h

Flamengo: Paulo Victor, Léo Moura, Renato Santos, González e Ramon; Amaral, Cáceres (Luiz Antônio, Mattheus ou Wellington Bruno), Renato e Cléber Santana; Liedson e Vágner Love

Figueirense: Wilson, Elsinho, Guti, Canuto e Helder; Claudinei, Túlio, Doriva e Raphael Botti; Claytinho e Júlio César. Juiz: Emerson Ferreira.

Por Cleber Aguiar – Possível rival do Timão tenta superar crise política para levar título na África

Fonte: Globo.com

Envolvido em disputas entre torcida, diretoria e governo, Al Ahly enfrenta
o Espérance de Tunis para chegar ao Mundial de Clubes em dezembro

Por Felipe Schmidt Rio de Janeiro

Pouco mais de nove meses após a tragédia em Port Said, que deixou 74 pessoas mortas num jogo pelo Campeonato Egípcio, o Al Ahly tem a chance de dar a volta por cima no futebol. Neste domingo, a equipe faz, em casa, a primeira partida da decisão da Liga dos Campeões da África, contra o Espérance de Tunis, e pode chegar a seu sétimo título na competição – o clube, considerado o mais importante do continente, já é o recordista de canecos do torneio.

O troféu, aliás, dá uma vaga no Mundial de Clubes da Fifa, marcado para dezembro, onde o vencedor pode encarar clubes poderosos como Corinthians e Chelsea. Caso os egípcios conquistem o título, confirmarão uma recuperação impressionante, superando problemas em um conturbado ambiente político, envolvendo disputas entre seus torcedores, a diretoria e o novo governo local que culminaram na paralisação do futebol no país.

Egito e Tunísia, lar do Espérance, estiveram no centro da série de revoluções que ficou conhecida como Primavera Árabe, iniciada no fim de 2010, que resultou no fim de governos autocráticos nestes países e também na Líbia. Como não podia deixar de ser, estas mudanças tiveram reflexos também no esporte.

torcedores do Al-Ahly fazem protesto sobre a tragédia no Egito (Foto: Reuters)Torcedores do Al-Ahly participaram ativamente da revolução no Egito (Foto: Reuters)

No primeiro jogo da decisão, aliás, a expectativa é de um ambiente tenso. Um grupo de torcedores do Al Ahly, conhecido como Ultras Ahlawy, foi um dos mais ativos nos protestos que culminaram na deposição do presidente Hosni Mubarak. Grande parte das vítimas da tragédia em Port Said, no duelo contra o Al Masry, pertencia a esta torcida, que promete organizar novas manifestações durante a partida deste domingo. Para tentar evitar maiores complicações, o governo egípcio limitou a entrada de apenas 15 mil pessoas no estádio Borg El Arab.

Al-Ahly sofre com conflito entre torcida e governo

O clima no país é tão complicado que o atacante brasileiro Fábio Júnior, ex-Flamengo e Vasco, que estava no jogo em Port Said, resolveu deixar o Al Ahly no mês passado. Além de um problema de relacionamento com o treinador, Hossam El-Badry, ele citou a instabilidade em Cairo, capital egípcia, como um dos motivos para rescindir o contrato.

fabio junior egito (Foto: Reprodução/TV Globo)Fábio Júnior deixou o Al-Ahly por conta da crise
política no Egito (Foto: Reprodução/TV Globo)

– Eu saía para o treino e deixava minha família em casa, mas eles tinham medo de sair, só saíam comigo. Além disso, não se sabe quando a liga nacional vai começar. A torcida disse que se retomarem os jogos eles vão fazer alguma coisa violenta – contou o jogador ao GLOBOESPORTE.COM.

O futebol no Egito está parado desde os incidentes em Port Said. A edição 2011/2012 do campeonato nacional foi cancelada logo após a tragédia, enquanto a nova temporada, que se iniciaria em outubro, foi adiada por causa dos seguidos protestos dos Ultras Ahlawy, que querem que os responsáveis pela matança sejam condenados antes que o torneio possa ser iniciado. Segundo Fábio Júnior, a paixão da torcida não deve ser desprezada.

– A pressão no Al Ahly é muito pior. Os caras são mais fanáticos do que os torcedores do Flamengo, do Benfica. Eles não têm limites, fazem tudo pelo clube.

Craque do time se rebela

Em meio à polêmica, os torcedores ganharam um apoio importante. O meia Mohamed Aboutrika, grande ídolo do Al Ahly, se recusou a disputar a partida contra o ENPPI, válida pela Supercopa do Egito, em setembro, mostrando-se solidário aos protestos dos fãs. Como consequência, foi multado pelo clube e suspenso por dois meses – só deve voltar ao time no segundo jogo da final, isso se for reintegrado. Seu exemplo, porém, não passou despercebido.

– As ações de Aboutrika foram importantes, porque romperam com a maioria dos jogadores e dirigentes, que optaram por não se envolver nos protestos. O relacionamento dele com o clube ficou arranhado desde o incidente em Port Said. Mas, assim que voltar da suspensão, será ainda mais aclamado pelos torcedores – disse o jornalista norte-americano James Dorsey, especialista no futebol árabe.

Mohamed Aboutrika na partida do Ahly (Foto: Getty Images)Aboutrika é o craque do Al-Ahly, mas vive situação polêmica (Foto: Getty Images)

A diferença entre clube e torcida no tratamento dispensado a Aboutrika mostra outro dilema. Os principais dirigentes do clube ainda são ligados a Mubarak, enquanto a torcida é ligada ao novo governo. As consequências deste paradoxo são financeiras.

– Depois que o novo governo assumiu, o clube ficou sem dinheiro, atrasou três meses de salário. Antes, era muito rico, gastava bastante. A mudança na política afetou tudo – disse Fábio Júnior.

Apesar de tudo, o Al Ahly conseguiu chegar à final. Mesmo atuando em portões fechados e sem ter partidas dos torneios locais, o time superou a falta de ritmo e ficou em primeiro lugar em seu grupo, classificando-se para as semifinais, onde eliminou o Sunshine Stars, da Nigéria, com direito a protestos dos torcedores nas ruas de Cairo no dia da partida em casa.

jogadores do Esperance comemoram vitória sobre o Wydad Casablanca (Foto: Reuters)Espérance de Tunis é o atual vencedor da
Liga dos Campeões da África (Foto: Reuters)

Do outro lado, rival vive dias mais tranquilos

Diante de tantos problemas no Al Ahly, a situação do Espérance parece um paraíso. Clube mais popular da Tunísia, o “Sangue e Ouro”, como é conhecido o time, sempre foi cortejado pelo governo local. Se antes tinha relações com o antigo presidente, Zine El Abidine Ben Ali, agora já começa a estreitar as ligações com a nova ordem política no país.

– Como em todas as autocracias árabes, o regime sempre procurou controlar os clubes. A Tunísia após a revolução sofreu menos interferência do que no Egito, mas o futebol continua altamente político, com indivíduos tentando se beneficiar disso – disse Dorsey.

Com tal tranquilidade, o Espérance foi capaz de se adaptar rapidamente à nova realidade. Em 2011, já com o fim da revolução, conquistou a Tríplice Coroa, ao assegurar os títulos do Campeonato Tunisiano, da Copa da Tunísia e da Liga dos Campeões da África. Em 2012, aliás, o time chega à terceira decisão seguida do principal torneio continental.

Na atual campanha, a equipe eliminou o Mazembe nas semifinais e ficou em primeiro lugar em seu grupo na fase inicial. Não sem antes tomar um susto já conhecido pelo Al Ahly. Num duelo contra o rival local Étoile du Sahel, a torcida rival jogou bombas no gramado quando o Espérance vencia por 2 a 0.

Youssef Msakni na partida do Espérance de Tunis (Foto: Getty Images)Youssef Msakni está fora do jogo de ida (Foto: Getty Images)

Dentro de campo, o grande destaque é o meia-atacante Youssef Msakni. Autor de quatro gols na Liga dos Campeões, o jovem, de apenas 21 anos, é um dos finalistas do prêmio de Jogador Africano do Ano e já está acertado com o Lekhwiya, do Catar, para a próxima temporada.

Para sorte do Al Ahly, porém, ele não estará disponível neste primeiro duelo, já que teve de passar por uma cirurgia de apendicite. Sem o principal jogador adversário, Fábio Júnior acredita que seus ex-companheiros têm chance de levar o título.

– O Al Ahly tem condições de ser campeão. O grupo é bom, tem técnica e raça. Estou torcendo pelos jogadores.

Por Cleber Aguiar – COPA PAULISTA: Semifinais começam com azarão em campo

Fonte: Futebolinterior.com.br

O Velo Clube vem embalado por ter eliminado o Penapolense

 Embalado pela classificação com vitória fora de casa sobre o Penapolense, por 2 a 0, o Velo Clube tenta manter a boa fase contra o Noroeste, neste sábado, às 19 horas, no Estádio Benito Agnelo, em Rio Claro, na abertuda das semifinais da Copa Paulista.
Assim como nas quartas-de-final, o time de melhor campanha na somatória de todas as fases decide o confronto em casa. Em caso de igualdade em pontos dois resultados iguais a definição da vaga será nos pênaltis. O gol fora tem peso no desempate, como acontece na Copa do Brasil.
O azarão
O time de Rio Claro, que vem embalado com uma sequência de cinco jogos sem derrotas (duas vitórias e três empates) pode ser considerado o azarão das semifinais. Isto porque passou para a segunda fase com a última vaga do Grupo 2 e passou às quartas-de-final na última rodada, garantindo a segunda posição da chave 7, com um ponto a mais que o terceiro colocado, Palmeiras B. A equipe manteve essa fama e eliminou o Penapolense, que vinha invicto dentro de casa, com uma campanha de oito vitórias e um empate.
O Noroeste chegou até esta etapa eliminando o Capivariano com dois empates, no critério de gols marcador fora de casa. Depois de um 2 a 2, em Capivari, a equipe jogou com o regulamento embaixo do braço no Alfredo Castilho, em Bauru, e se classificou com um resultado igual por 1 a 1. O time fez campanha regular durante todo o torneio, com apenas três derrotas.
Mais…
Dois dos melhores times da Copa Paulista começam a definir neste domingo quem seguirá vivo na briga por uma vaga na Copa do Brasil da próxima temporada. No Estádio Nicolau Alayon, o Audax recebe a Ferroviára, às 10 horas, tentando eliminar mais um dos favoritos ao título da competição.
Antes de disputar a semifinal, o time paulistano deixou para trás o XV de Piracicaba, que tinha a melhor campanha na somatória de todas as fases. Depois de perder em São Paulo, o Audax conseguiu derrotar o adversário, por 2 a 0, no Estádio Barão de Serra Negra, em Piracicaba e avançou.
A Ferroviária mostrou toda sua força na Arena Fonte Luminosa nas quartas-de-final ao reverter a vantagem de um gol do Grêmio Osasco, com uma vitória por 3 a 1, jogando diante sua torcida. Os comandados de Ito Roque tem a segunda melhor campanha da competição, com 40 pontos somados nas três fases do torneio.
Além disso o time tem dois jogadores brigando pela artilharia. O veterano Wellington Amorim é o vice-artilheiro, com 10 gols, enquanto Robson, seu companheiro de ataque, vem logo atrás com nove.
Confira os jogos da semifinais da Copa Paulista:

Sábado
19 horas
Velo Clube x Noroeste
Domingo
10 horas
Audax x Ferroviária