Por Cleber Aguiar = Justiça proíbe Câmara de anistiar dívidas de clubes com a Prefeitura

Fonte: O Estado de São Paulo

ADRIANA FERRAZ

Corinthians, Palmeiras e São Paulo estão na lista de eventuais favorecidos; promotor diz que só a Portuguesa deve R$ 13 milhões aos cofres públicos.

A Justiça de São Paulo suspendeu, em decisão liminar, a votação de um projeto de lei encaminhado à Câmara Municipal pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) para anistiar as dívidas de clubes que utilizam áreas públicas, sem pagar contrapartidas financeiras ou sociais. Se aprovada, a proposta favoreceria pelo menos nove associações, além do próprio prefeito, que responde a processo de improbidade administrativa por suposto dano ao patrimônio público.

Autor da ação, o promotor de Justiça José Carlos de Freitas ainda pediu o afastamento de Kassab do cargo e o bloqueio de seus bens. Ambos foram negados pelo juiz Emílio Migliano Neto, da 7.ª Vara da Fazenda Pública, mas não descartados. Em despacho proferido anteontem, o magistrado afirmou que essas medidas são desnecessárias na atual fase do processo, mas vai reavaliá-las após apresentação da defesa do prefeito – o prazo é de 5 dias após a notificação. Enquanto isso, qualquer outro projeto de anistia no Legislativo também ficará parado. Até ontem à noite, a Prefeitura não havia sido notificada da decisão.

Até 2006, a concessão de áreas públicas a particulares era feita a título oneroso, mediante pagamento de remuneração mensal ou anual. Clubes profissionais, por exemplo, pagavam 2,5% do valor venal à Prefeitura, como forma de aluguel mensal. Após pressão das entidades e dos parlamentares que as representavam, Kassab revogou o decreto que estabelecia a cobrança e passou a exigir contrapartidas sociais como pagamento. Mas na prática nenhuma exigência foi feita depois disso.

No pedido de liminar, Freitas ressalta que só a Associação Portuguesa de Desportos deve R$ 13 milhões aos cofres públicos, em valores corrigidos. Corinthians, Palmeiras e São Paulo também estão na lista. Para o promotor, anistiar esses e outros débitos é uma tentativa de manobra de Kassab para ficar livre de uma futura condenação por improbidade. “O réu (Kassab) manipula normas para se favorecer. Quando apresentou o projeto de lei, o prefeito já tinha conhecimento da ação de improbidade.” No texto, o promotor considera a proposta ilícita, de má-fé, promovida com intenção de fugir das consequências da ação e de sua responsabilidade ao prejudicar o patrimônio público.

Para Migliano Neto, o projeto de lei ainda padece de “vício insanável de origem”, uma vez que altera as regras do Plano Diretor, sem prévia consulta à população por meio de audiências públicas. “E o que é pior: tudo com nítido objetivo de obter benefícios pessoais”, completa.

O advogado Márcio Cammarosano, professor de Direito Administrativo da PUC-SP, considera a questão polêmica. “Há argumentos que podem indicar interesse direto do prefeito ao apresentar a proposta de lei, mas há outros que podem revelar uma necessidade de se alterar as regras atuais.”

Parado. Com a decisão, o projeto, hoje em análise na Comissão de Constituição e Justiça, fica parado na Câmara. Não pode ser colocado em votação. O presidente da Casa, José Police Neto (PSD), será notificado sobre a decisão. Ontem à noite, o Estado procurou representantes dos principais clubes citados, mas não obteve respostas.

 

Por Cleber Aguiar – As oportunidades da Copa

Fonte: Valor Econômico

Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, é uma das seis sedes da Copa das Confederações de 2013, evento preparatório para a Copa do Mundo da Fifa no ano seguinte. Esse privilégio faz com que os efeitos da Copa sobre a economia local comecem bem antes. Da última vez que estive na cidade, em agosto, no entanto, ouvi um depoimento revelador do motorista que me levava do aeroporto para o centro, um microempresário dono de frota de carros de passeio. Naquela semana, ele recusara um pedido de reserva para atender uma delegação de dirigentes japoneses que estarão na cidade durante a Copa das Confederações. Motivo: tomado de surpresa pelo pedido (de um evento marcado há cinco anos!), ficou inseguro se teria condições de atender súbito aumento de demanda.

Por Cleber Aguiar – Cai o mito da idade para os jogadores de futebol

Fonte: O Globo – RJ

Atleta com mais de 30 anos pode manter disposição aeróbica e muscular

Flávia Milhorance

O jogador Seedorf, apesar dos 36 anos, mantém a mesma disposição aeróbica dos mais jovens Jorge William/04-10-2012

Quando foi anunciado pelo Botafogo, no início do ano, o meia Seedorf enfrentou a resistência de comentaristas e torcedores. Afinal, um jogador de 36 anos ainda pode render profissionalmente em um esporte tão competitivo como o futebol? Pois as atuações decisivas do holandês não são as únicas provas de que a resposta é positiva. Um estudo da Clínica de Medicina do Exercício (Clinimex), do Rio, garante que a idade não afeta o desempenho aeróbico de atletas da modalidade. O trabalho brasileiro foi publicado na última semana pela revista científica “International Journal of Sports Medicine”, uma das principais da área.

A pesquisa foi realizada com 162 atletas, divididos em dois grupos. Um entre 17 e 22 anos e outro entre 27 e 36 anos. Todos do time profissional do Botafogo. O estudo teve início em 2005 e só foi concluído ano passado, por isso o jogador Seedorf não chegou a participar da pesquisa. Para não cometer injustiças, tanto jovens quanto veteranos foram avaliados no período de pré-temporada. Durante o campeonato, diversos fatores poderiam desequilibrar os resultados. A conclusão é que, apesar de ser normal a perda de desempenho aeróbico com o passar dos anos, é possível compensar o prejuízo com treinos e controle de hábitos de vida saudáveis.

— Com o tempo, é normal uma pessoa mais velha ter menos capacidade que uma mais jovem. Só que o estudo mostra que, no futebol, isso não acontece quando há uma orientação profissional forte e a pessoa é disciplinada. Quer dizer, o jogador que tem mais de 30 anos não precisa, necessariamente, ter menos disposição aeróbica do que os jovens — explica Cláudio Gil, diretor médico da Clinimex e autor do estudo.

Para o trabalho, foi medido o VO2máx, um termo médico que indica o volume máximo de oxigênio que o corpo consegue inspirar do ar que está dentro dos pulmões, levar até os tecidos através do sistema cardiovascular e usar na produção de energia. No teste, os jogadores caminhavam um minuto a 5,5 km/h. Após este período, a velocidade era aumentada a 8 km/h e 0,1km/h era acrescido a cada 7,5 segundos. Imediatamente após a capacidade máxima do atleta ser atingida, seguiam-se dois minutos de caminhada a 5,5km/h.

— Antigamente, existia a ideia de que um jogador não renderia após os 30 anos como quando mais jovem. Começamos a ver em outros esportes, porém, atletas que tinham algumas das maiores conquistas já veteranos. Por que no futebol seria diferente? — questiona Cláudio Gil.

A opinião é compartilhada pelo presidente da Sociedade de Medicina do Exercício e do Esporte do Rio de Janeiro, Paulo César Hamdan:

— Quando envelhecemos, vamos notando que não temos mais a mesma potência, força, explosão muscular, e isto se dá em função da chamada sarcopenia, que é um processo natural. Mas se o treinamento for continuado, é possível impedir o avanço dela. A idade não é limitante.

Ele cita um trabalho da década de 1990 realizado pela Universidade de Missouri, nos EUA, que já começava a analisar o tema: eles avaliaram ex-atletas idosos que deixaram sua modalidade esportiva profissional, no caso do estudo o futebol americano, mas continuaram se exercitando, com a natação. Eles foram comparados a dois grupos: de jogadores de futebol jovens e de jovens sedentários.

— A potência e a força não se perderam nos idosos em comparação com os jovens. E mais ainda, a estrutura das fibras musculares eram melhores no caso dos idosos se comparados aos sedentários — afirmou.

Hamdan, entretanto, ressalta que fatores como estilo de vida e a individualidade biológica do atleta devem ser levados em consideração.

— Para citar o próprio Seedorf, o potencial dele foi adaptado ao longo do tempo com o treino e o que vemos é que ele tem hábitos saudáveis, pratica exercícios mesmo além do futebol, se alimenta bem, dorme cedo. — destacou Hamdan. — Ou seja, não é qualquer jogador de futebol que vai ter este desempenho ao chegar numa certa idade.

ICFUT – Timão define pré-lista do Mundial com quatro jogadores da base

Fonte: lancenet

Lista definitiva com 23 atletas tem de ser enviada até 26 de novembro para a entidade

Tite - Treino do Corinthians (Foto: Ari Ferreira)
Tite já definiu a pré-lista com 35 jogadores para o Mundial (Foto: Ari Ferreira)

Diretoria e comissão técnica do Corinthians definiram os 35 jogadores da pré-lista do Mundial de Clubes da Fifa, que será disputado em dezembro, no Japão. Com apenas 31 atletas do elenco profissional à disposição, entraram na relação os garotos Igor (lateral-esquerdo), Rodinei (lateral-direito), Gomes (volante) e Anderson (volante). Vale lembrar que Denner, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito, vai parar por seis meses e foi descartado da competição. O clube deve enviar o documento nos próximos dias – o limite para entrega é dia 26 de outubro.

A relação definitiva, com apenas 23 atletas, deve ser enviada até o dia 26 de novembro. Na teoria, apenas uma vaga está aberta: Giovanni, Zizao, Chiquinho, Welder e Willian Arão estão na briga.

Se houver algum lesionado entre os 23 até a data da viagem para o Japão, dia 4 de dezembro, o Corinthians poderá escolher um dos 12 restantes para completar a delegação.

> Confira a pré-lista dos jogadores do Timão para o Mundial:

Goleiros: Cássio, Julio Cesar, Danilo Fernandes e Matheus Caldeira

Laterais: Alessandro, Fábio Santos, Guilherme Andrade, Welder, Rodinei e Igor

Zagueiros: Chicão, Paulo André, Wallace, Anderson Polga, Antonio Carlos e Felipe

Volantes: Ralf, Paulinho, Guilherme, Edenilson, Willian Arão, Anderson e Gomes

Meias: Douglas, Danilo, Ramírez, Giovanni e Chiquinho

Atacantes: Emerson Sheik, Guerrero, Martínez, Romarinho, Jorge Henrique, Zizao e Adilson

ICFUT – Em jogo marcado por violência na arquibancada, Cerro elimina o Colón

Fonte: lancenet

Torcida do clube argentino causa grande confusão no estádio em Assunção

Confusão na arquibanca durante jogo Colon x Cerro Porteño (Foto: Norberto Duarte/AFP)
Confusão na arquibanca durante jogo entre Cerro Porteño e Colón (Foto: Norberto Duarte/AFP)

O Cerro Porteño garantiu sua vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana ao vencer, nesta terça-feira, o Colón em Assunção por 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida, mas o que mais chamou a atenção foi a cena lamentável de violência no fim da partida. Já nos últimos minutos, quando a equipe argentina estava perto de ser eliminada, alguns torcedores começaram uma verdadeira baderna na arquibancada.

Aos 31 minutos do segundo tempo, a torcida começou a depredar a arquibancada, a quebrar alguns setores, a polícia teve que utilizar armas de efeito moral. A cena do goleiro do Colón, Pozo, agredindo torcedores e guardas vai ficar marcada.

Depois de mais de 15 minutos de jogo interrompido, a torcida do Cerro Porteño começou a provocar os argentinos, que já estavam do lado de fora, mas existia contato pela parte de cima da arquibancada. Mesmo sem a menor condição de continuar a partida, o juiz mandou seguir.

Para falar um pouco de futebol, o Colón abriu o placar logo no primeiro minuto, com Gigliotti. Pouco depois, Nanni empatou em bonita jogada, com direito a toque de calcanhar.

Já no segundo tempo, o Cerro virou com um gol polêmico. Santos finalizou, a bola entrou, mas o zagueiro argentino tinha tirado com a mão. O juiz não tinha visto que a bola já tinha entrado, e chegou a dar pênalti e expulsar o jogador. Mas o auxiliar o alertou, e foi validado.

Na volta, o árbitro expulsou dois jogadores, inclusive o goleiro Pozo. O Colón teve que ficar com um jogador de linha no gol. Mesmo assim, os paraguaios não forçaram, e ficou mesmo no 2 a 1.

Na próxima fase, o Cerro Porteño vai pegar o vencedor de Deportivo Quito ou Tigre.

ICFUT – Vasco admite que não vai conseguir quitar salários nesta semana

Fonte: lancenet

Marcelo Oliveira, por exemplo, ainda não recebeu nada desde que chegou ao Vasco, em setembro deste ano

Bruno Braz e Rodrigo Ciantar – 23/10/2012 – 20:18 Rio de Janeiro (RJ)

Vasco apresenta Marcelo Oliveira (Foto: Wagner Meier)
Marcelo Oliveira, contratado em setembro, ainda não recebeu salários do vasco (Foto: Wagner Meier)

Enquanto o time vascaíno luta para voltar ao G4 dentro de campo, fora dele a diretoria acelera para conseguir quitar os salários atrasados dos jogadores e funcionários. Mas as dificuldades seguem freando as perspectivas do departamento financeiro do clube, que já admite não conseguir efetuar o pagamento do mês de setembro nesta semana.
No fim da semana passada, a diretoria cruz-maltina conseguiu pagar o salário de parte dos jogadores, referente ao mês de agosto. No último dia 20, o vencimento de setembro também venceu. Ou seja, alguns já estão há dois meses sem ver a cor do dinheiro.
– Estamos buscando alternativas para acertar os salários de todos. Ainda estamos devendo alguma coisa de agosto e o mês de setembro. Mas, para esta semana, fica difícil. Vamos ver o que podemos conseguir – explicou Nelson de Almeida, vice de finanças do clube.
Recentemente, o presidente Roberto Dinamite convocou uma reunião emergencial com vascaínos ilustres e outros dirigentes do clube. A ideia era encontrar alternativas para pagar os salários. Um novo encontro vai acontecer brevemente.
Para se ter uma ideia, o técnico Marcelo Oliveira, contratado em setembro, ainda não recebeu nada do Vasco desde que chegou.
– Não recebi ainda, mas sei do problema que passa o Vasco – disse Marcelo Oliveira, ao canal Fox Sports, para depois completar.
– É um problema que pode afetar a todos dentro de campo. Não que o jogador não queira atuar, mas pode causar desconcentração.

ICFUT – Palmeiras “cai” diante do Millonarios (COL)

Millonarios x Palmeiras (Foto: AFP/Guillermo Legaria)
Verdão foi eliminado pelos colombianos (Foto: AFP/Guillermo Legaria)

Um toque de letra foi decisivo no destino do Palmeiras na Copa Sul-Americana. Mas não foi um gol marcado ou uma jogada genial no ataque. Na verdade, foi um pênalti dessa forma feito pelo zagueiro Leandro Amaro em Ortiz, que originou o segundo gol do Millonarios. Resultado: o Verdão foi derrotado por 3 a 0 no Estádio El Campín, em Bogotá (COL), e está eliminado da competição.

Como havia perdido por 3 a 1 no Pacaembu, no jogo de ida, o time colombiano se classificou com sobras. Agora, aguarda o vencedor do duelo entre Grêmio e Barcelona (ECU), nesta quarta-feira, para saber quem pegará nas quartas de final. Já o Alviverde volta as atenções para a luta contra o rebaixamento no Brasileirão.

O jogo

O lance “genial” de Leandro Amaro foi apenas o complemento de uma atuação apática e muito fraca do Palmeiras. Enquanto o Millonarios entrou encarando o jogo como uma decisão, o Verdão se preocupou apenas em defender, e pouco atacou.

No primeiro tempo, dois chutes a gol, sem grande perigo. Já o time colombiano atacou o tempo inteiro, principalmente apostando na velocidade de Cosme e Rentería no setor ofensivo, e perdeu grandes oportunidades.

O castigo veio aos 34 minutos, quando a dupla brilhou mais uma vez. Cosme cruzou da direita, Rentería fez lindo corta-luz e Ortiz completou para o gol com força, sem chances para Bruno. Gol mais do que “anunciado” e a eliminação parecia questão de tempo.

Na segunda etapa, nada de diferente. Nem as entradas de Obina e Luan ajudaram a melhorar o desempenho do Alviverde, que se limitou a defender e segurou até onde deu.

E deu até os 13 minutos, quando Leandro Amaro inventou o pênalti de letra. Ele derrubou Ortiz na área de calcanhar e o árbitro marcou. Na cobrança, Rentería tocou no canto e deixou o Millonarios com a mão na classificação.

O máximo que o Palmeiras conseguiu fazer com a vaga quase perdida foi assustar com chute perigoso de Barcos, defendido por Delgado. No escanteio na sequência, Ortiz salvou cabeçada de Thiago Heleno em cima da linha.

Aos 31, o Alviverde viu a chance de se classificar ir embora de vez. Com a mesma facilidade que encontrou em todo o jogo, o time colombiano chegou ao terceiro gol, com chute forte de Ochoa, sem marcação alguma, dentro da área. Fim da linha para o Verdão na Sul-Americana, com gritos de “olé” dos torcedores adversários.

No final, Betinho ainda conseguiu simbolizar o desempenho do Palmeiras com uma atuação bizarra. Entrou aos 33 minutos, tomou amarelo pouco depois por se envolver em confusão e aos 39 foi expulso por chutar a bola no adversário com o jogo parado.

Agora, o Verdão volta a focar na luta contra o rebaixamento no Brasileirão e enfrentará o Internacional no próximo sábado, às 16h20, no Beira-Rio.

FICHA TÉCNICA

MILLONARIOS (COL) 3 x 0 PALMEIRAS

Local: Estádio El Campín, em Bogotá (COL)
Data/Hora: 23/10/2012 – 22h45 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (Fifa/PER)
Assistentes: Cesar Escano (Fifa-PER) e Raúl Lopes Cruz (Fifa-PER)
Renda/Público: Não disponíveis

Cartões Amarelos: Torres, Vásquez (MIL); Patrik, Luan, Betinho (PAL)
Cartões Vermelhos: Betinho (PAL)

Gols: Ortíz, aos 34’/1°T (1-0); Rentería, aos 15/2°T (2-0); Ochoa, aos 31’/2°T (3-0)

MILLONARIOS: Delgado; Ochoa, Torres, Franco e Martínez; Ramírez, Otálvaro (Robayo – 46’/2°T), Ortíz e Candelo (Blanco – 37’/2°T); Rentería e Cosme (Vásquez – 21’/2°T). Técnico: Hernán Torres.

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Thiago Heleno, Leandro Amaro e Juninho; Márcio Araújo, Patrik (Betinho – 33’/2°T), Tiago Real e Daniel Carvalho (Obina – 8’/2°T); Mazinho (Luan – Intervalo) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

Fonte: Lancenet