Por Cezar Alvarenga – Em jogo movimentado no Engenhão, Flamengo e Bahia ficam no 0 a 0.

Fonte: UOL Esportes

A torcida encheu o estádio, os jogadores bem que se esforçaram dentro de campo, mas o Flamengo não conseguiu superar a ausência do atacante Vagner Love nesta quinta-feira, contra o Bahia. Sem o seu principal jogador, o Rubro-Negro perdeu muitos gols e apenas empatou por 0 a 0 com o time que tem a melhor campanha no segundo turno do Campeonato Brasileiro.

E a igualdade no placar diante do “líder” do returno da competição impediu que o time da Gávea se aproximasse da parte de cima da tabela. Com apenas um ponto conquistado, o Flamengo se manteve na décima primeira colocação. E a equipe ainda pode perder posições no complemento da rodada, neste fim de semana.

Mesmo jogando fora de casa, o Bahia não se intimidou e igualou as ações contra o Flamengo no início da partida no Rio de Janeiro. Buscando manter o bom desempenho dos últimos jogos, o Tricolor de Salvador não demorou para assustar a defesa rubro-negra. O time carioca, por sua vez, respondeu em seguida, com menos de 15min, e mostrou que o jogo seria equilibrado.

E assim foi durante toda a primeira etapa. Enquanto o Flamengo esbarrava na retranca adversária e só conseguia chegar ao ataque em algumas bolas paradas, o Bahia “parava” na boa atuação do goleiro Felipe.

Na volta para a segunda etapa, com a entrada de Adryan, o rubro-negro passou a chegar com mais perigo e anulou as subidas do adversário ao ataque. Cleber Santana, que já havia chegado perto da área em outras duas oportunidades, aproveitou rebote da defesa baiana e chutou forte da entrada da área, mas a bola explodiu no travessão.

Com o passar do tempo, no entanto, a falta de um gol foi deixando time e torcida do Flamengo ansiosos. E os erros passaram a dominar as ações do Rubro-Negro. Nem mesmo a opção de Dorival Júnior de colocar quatro atacantes (Liedson, Adryan, Wellington Bruno e Nixon) no fim da partida foram suficientes.

Enquanto o Bahia se defendia, o time da Gávea criava as últimas oportunidades sem muita organização. Após muita pressão do Flamengo, mas sem muita objetividade, melhor para os visitantes, que seguraram o 0 a 0 e “arrancaram” um ponto fora de casa ao apito final do juiz.

 

Por Cezar Alvarenga – Com trinca do artilheiro Bruno Mineiro, Lusa arrasa o sport no Canindé.

Fonte: UOL Esportes

No ano passado, Bruno Mineiro foi responsável pelo gol que garantiu o acesso ao Sport. Na noite desta quinta-feira, curiosamente, o atacante fez três gols que colocaram o time pernambucano ainda mais perto da Série B. Foi na goleada (de virada) de 5 a 1 da Portuguesa, no estádio do Canindé, em um dos duelos que abriram a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Principal destaque da Portuguesa nesta Série A, Bruno Mineiro chegou aos 14 gols e assim ultrapassou o centroavante Fred na artilharia da competição nacional. O camisa 9 do Fluminense ainda joga pela 28ª rodada, em clássico contra o Botafogo, no Engenhão.

Com o resultado, a Portuguesa dá um importante passo para permanecer na elite do futebol nacional em 2013. Chega aos 36 pontos (assumindo temporariamente a décima colocação) e abre nove em relação ao próprio Sport, 17º colocado e primeiro time que aparece na zona de rebaixamento.

A formação escalada pelo técnico Geninho, com apenas um homem de contenção no meio-campo (Léo Silva), já indicava que a Portuguesa partiria para cima com o apito inicial. E foi isso que aconteceu. Tanto é que, em apenas dez minutos, o travessão do gol de Magrão foi carimbado em duas oportunidades: em cabeceada de Rogério e em chute de fora da área de Léo Silva.

Logo em seguida, porém, o tradicional ditado ‘quem não faz toma’ entrou em ação no Canindé. O Sport começou a gostar do jogo e, aproveitando falhas defensivas da Lusa, chegou duas vezes na área com plenas condições de marcar, ambas com Hugo. Na segunda delas, o camisa 80 apareceu no meio da zaga após cruzamento de Cicinho e mandou de cabeça no canto de Dida, aos 15min.

Mas a reação da Portuguesa não demorou. E veio através de um velho conhecido da torcida do Sport: Bruno Mineiro. Ananias fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para o camisa 9, que pegou de primeiro e acertou um belo chute, no canto esquerdo do ex-companheiro Magrão. Na saída para o intervalo, jogadores das duas equipes se mostraram satisfeitos com a etapa inicial.

“A gente sabia que ia ser um jogo difícil. Não podemos dar bobeira, mas nossa equipe está bem. E só voltar mais atenta no segundo tempo”, disse Bruno Mineiro. “Tivemos bons momentos, conseguimos o gol, mas depois a equipe sentiu um pouco a pressão, o que já era esperado. Mas a equipe está bem, só precisa voltar mais concentrada”, analisou o goleiro Magrão.

Na volta para o segundo tempo, o Sport voltou a sofrer com o seu ex-atacante. Logo aos 3min, Bruno Mineiro aproveitou rebote após desvio de Gustavo na trave e levou a melhor na dividida com Magrão para mandar a bola para as redes e virar a partida. Dezoito minutos depois, o camisa 9 chegou ao ‘hat trick’. Ele aproveitou passe preciso de Moisés (de cabeça), dominou e finalizou forte no canto direito de Magrão.

Ainda houve tempo para dois gols da Lusa: o primeiro, um golaço de Moisés, que aproveitou uma lambança da defesa do Sport e finalizou de direita da pequena área após fintar a zaga e o goleiro com uma linda puxada de letra. Já nos acréscimos, Rodriguinho, que havia acabado de entrar no lugar de Bruno Mineiro, aproveitou cruzamento rasteiro de Luis Ricardo e chutou de primeira para definir o placar.

Por Cezar Alvarenga – Com gol de Deivid, Coritiba vence a Ponte Preta e mantém luta contra o rebaixamento.

Fonte: UOL Esportes

Deivid voltou e protagonizou o fim do jejum do Coritiba. Com gol do experiente atacante, o time paranaense arrancou uma suada vitória sobre a Ponte Preta por 1 a 0, no Couto Pereira, acabou com uma sequência de três tropeços e respirou na tabela. Já a rival paulista conheceu sexto jogo seguido sem resultado positivo e vê a pressão aumentar.

Aliás, a torcida voltou a chamar a atenção de maneira negativa. No primeiro tempo, um torcedor do Coritiba foi abordado pela Polícia Militar após apontar um laser nos rostos dos jogadores da Ponte. No domingo, a torcida do time paranaense intimidou uma menina e seu pai depois que ela pediu a camisa do jogador Lucas, do São Paulo.

Para o Coritiba, o resultado é um alívio. Sobe para 32 pontos e acabou sendo beneficiado pelo tropeçodo Sport, primeiro integrante da degola (27 pontos) e que perdeu de virada para a Lusa. Por outro lado, a Ponte estacionou em 34 pontos. Para piorar, não balançou as redes nas últimas quatro partidas.

O jogo começou nervoso e com pouca inspiração dos dois lados. O time paranaense até tinha mais posse de bola, mas encontrava dificuldades para chegar ao gol. Mas o Coritiba esteve próximo de abrir o placar. Aos 15min, Deivid viu o goleiro Roberto realizar um milagre. O time campineiro demorou a levar perigo.

Isso só ocorreu aos 21min, quando Rildo quase fez o primeiro. Com o decorrer do tempo, a equipe de Marquinhos Santos se mostrava até certo ponto ansiosa. No entanto, continuou insistindo. E deu certo. Aos 42min, Deivid desviou cruzamento de Victor Ferraz e, de peixinho, colocou os donos da casa em vantagem.

“Foi importante marcar. A experiência ajuda qualquer jogador. O nosso grupo é forte e temos que trabalhar. Devemos ficar concentrados para conquistar essa vitória”, disse o autor do gol. Esperava-se uma mudança de postura da Ponte Preta para o segundo tempo.

A equipe de Guto Ferreira adiantou sua marcação. Aos 17min, Roger fez um gol, mas estava em impedimento. O susto mexeu com o Coritiba, que passou a ficar mais atento na marcação e também explorava os contra-ataques. O time da casa temia a parte final, uma vez que sofreu gols nos últimos minutos nas três partidas anteriores. Desta vez, não foi vazado e conquistou um importante resultado.

Por Cezar Alvarenga – Com gol de Juninho Pernambucano, Vasco vence o lanterna e mantém vantagem para o São paulo pelo G4.

Fonte; UOL Esportes

O Vasco não fez por menos e repetiu o desempenho dos rivais do Rio de Janeiro neste sábado. Com um a mais desde os 20min do 1º tempo, o time venceu o Atlético-GO por 1 a 0, no Serra Dourada, e seguiu o exemplo de Fluminense (4 a 1), Botafogo (2 a 1) e Flamengo (2 a 1), que também triunfaram sobre a equipe goiana fora de casa. O gol de Juninho, já no final da partida, foi fundamental para manter a vantagem de cinco pontos sobre o São Paulo na briga pela quarta posição. De quebra, o Cruzmaltino se garantiu antecipadamente por mais uma rodada no G-4. O Gigante da Colina e o Tricolor Paulista se enfrentam na próxima quarta-feira, às 22h, em São Januário.

Com maioria de torcedores vascaínos no estádio, o time carioca iniciou a partida comandando as ações. Juninho e Carlos Alberto eram os responsáveis pela criação de jogadas e contavam com a velocidade de Eder Luis para surpreender o adversário pelos lados do campo. Antes dos 10min, o Cruzmaltino teve duas boas chances para abrir o placar.

O Atlético-GO não conseguia se organizar e sair para o ataque. A situação ficou ainda pior aos 20min. O zagueiro Gustavo puxou Carlos Alberto pela camisa e recebeu o cartão amarelo. Na sequência, o jogador xingou o árbitro e foi expulso de campo. O episódio causou muita reclamação dos goianos e expressou a dificuldade emocional do lanterna da competição.

Mas uma sequência de desatenções do sistema defensivo do Vasco quase custou caro. Aos 36min, Felipe lançou Marinho, que invadiu a área e chutou com força por cima do gol. Aos 44, Eron recebeu do mesmo Felipe, bateu forte, mas Fernando Prass defendeu.  No último minuto, o goleiro Márcio cobrou falta e por pouco não marcou. Prass defendeu novamente. Foram os lances de perigo dos donos da casa na primeira etapa.

Com superioridade numérica, mas sem conseguir agredir como deveria nos primeiros 45 minutos, o Vasco voltou para o segundo tempo com Felipe e Fellipe Bastos nos lugares de Thiago Feltri e Jonas, respectivamente.  Aos 16min, Juninho chutou de fora na tentativa de surpreender o goleiro Márcio. Pouco depois, Eder Luis isolou um rebote dentro da pequena área. O técnico Marcelo Oliveira sacou Carlos Alberto e colocou o garoto Marlone em campo.

O Cruzmaltino partiu com tudo para o ataque, mas não conseguia concluir as oportunidades. Recolhido, o Atlético-GO se limitava aos contra-ataques e quase marcou aos 29min. Felipe disparou em velocidade, ajeitou para o pé esquerdo e a bola passou raspando a trave de Fernando Prass.

Após o susto, o Gigante da Colina continuou se expondo e apostando no poder de criação de Juninho. Nilton chegou a acertar uma pancada no travessão aos 39min. O Atlético-GO se defendia, mas não conseguiu evitar a derrota.  Aos 41min, o Vasco fez o seu gol após muita insistência. Felipe tabelou com Wendel pelo lado esquerdo e rolou para Juninho. O meia bateu de primeira e explodiu a torcida no Serra Dourada.

Por Cezar Alvarenga – Santos sem Neymar, mais uma vez só empata, desta vez com o Internacional na Vila Belmiro.

Fonte: UOL Esportes

Santos e Internacional não fugiram de seus históricos no Brasileirão neste sábado, na Vila Belmiro. Sem Neymar de um lado e Damião de outro, o jogo foi marcado por gols perdidos e controle dividido e mantêm a sina dos times de empatar. Com gols de Bernardo e Cassiano, santistas e colorados repetiram o escore que mais conquistaram até aqui: um empate.

Para o Santos, o 1 a 1 significa o segundo lugar no ranking de empates no certame. O primeiro posto no quesito fica justamente com o Inter. Que acumula 12 resultados iguais. Na tabela, o time alvinegro chega aos 35 pontos e o Colorado pula para 42.

A ausência de Neymar não afetou tantou o volume ofensivo do Santos. Mesmo que a falta do camisa 11 fosse sentida, o time de Muricy Ramalho teve poder de fogo. Chegou no ataque e criou chances. Passou boa parte do primeiro tempo dominando o Internacional. O problema é que na etapa final o craque fez falta. Os gaúchos se aproveitaram disso.

Felipe Anderson e André eram os principais nomes da equipe. Mas foi com Bernardo que saiu o gol. O camisa oito aproveitou a sobra dentro da área, após jogada combinada de Miralles e André, e marcou. O goleiro Muriel ainda chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol aos 15 min.

A desvantagem afetou o rendimento do Inter. A equipe de Fernandão passou a errar mais passes, deixou a defesa exposta e deu margem para o Santos criar outras oportunidades de gol. Miralles desperdiçou duas vezes. Durval, de cabeça, obrigou Muriel a trabalhar. Assim como André.

A resposta do Inter só veio quase em cima do intervalo. Primeiro com Ygor, que surpreendeu e apareceu dentro da área. O volante encheu o pé depois de um cruzamento de Forlán e acertou a trave direita de Rafael. Logo depois Fred não aproveitou a falha da defesa rival e acabou desviando a bola com o joelho – dentro da grande área.

No segundo tempo o jogo teve uma troca de papéis. A suspensão de Neymar se fez notar. O Santos perdeu o domínio e o Inter melhorou, com a entrada de Cassiano na vaga de Fred e a mudança para um esquema próximo do 4-3-3.

O avanço vermelho rendeu o empate logo aos seis minutos. Dátolo recebeu de Kleber e cruzou fechado. O atacante que saiu da reserva desviou de cabeça e marcou. Nos minutos seguintes, empolgado, o Inter chegou mais perto do gol.

A queda de produção no ataque fez Muricy mexer logo após o gol vermelho. Primeiro tirando André para a entrada de Pato Rodriguez. Depois sacando Miralles e colocando Bill. No Inter, Kleber deu lugar a Fabrício e Dátolo saiu para a entrada de Otávio. As trocas não mudaram o panorama e o placar.

Por Cezar Alvarenga – Náutico usa fator casa e vence Corinthians por 2 a 1.

Fonte: UOL Esportes

O Náutico deve sua posição intermediária neste Brasileirão graças ao Aflitos. No estádio, o time conseguiu 10 de suas 11 vitórias no torneio. O Corinthians foi a nova vítima. A partida seguia empatada até os 39 min da 2ª etapa, mas Ralf fez gol contra, partida que terminou por 2 a 1, neste sábado.

Com este resultado, o Náutico soma oito partidas invictas em casa, com sete vitórias e um empate.

O clube da equipe do Parque São Jorge mantém 39 pontos. Já o Náutico soma agora 37 pontos.

O clube pernambucano jogou ao seu estilo em casa: atuou em velocidade, explorou os lados de campo e fazia inversão de jogadas, surpreendendo o adversário. Cássio foi exigido na primeira etapa, fazendo duas boas defesas, em finalizações de Martinez e Kieza.

Melhor em campo na etapa inicial, o Náutico abriu o marcador aos 30 min, em um golaço de Kieza. A jogada começou com lançamento longo de Jean Rolt. Kieza matou a bola, deixou Fábio Santos pelo caminho e finalizou na frente de Cássio.

Foi o 10º gol de Kieza em 12 jogos pelo Náutico no Brasileirão.

O Corinthians acordou após o gol sofrido. Paulinho reclamou de mão na bola dentro da área de Jean Rolt, que ocorreu. Mas a arbitragem viu falta de Paulinho no lance.

O empate veio nos acréscimos do 1º tempo. Paulinho venceu disputa dentro da área, e a bola sobrou limpa para Guerreiro, que chutou com o pé esquerdo.

Kieza chegou a marcar na segunda etapa, mas estava em impedimento.

A equipe paulista cadenciou o jogo e trocava passes, aguardando a oportunidade de engatar contragolpe. Dessa forma o Corinthians reequilibrou o jogo e criou boas chances de virar o marcador.

Ralf impediu o gol de Kieza, tirando a bola em cima da linha.

As duas equipes alternavam lances de perigo. A seis minutos do fim, Ralf jogou contra sua própria. Ele tentou desviar a bola, marcando gol contra.

 

Por Cezar Alvarenga – São Paulo vence o Palmeiras por 3 a 0 e complica situação do rival no Brasileirão.

Fonte; UOL Esportes

As coisas já estavam bem difíceis para o Palmeiras antes de Lucas e Márcio Araújo ficarem frente a frente na grande área. Aí ficou impossível. O são-paulino de 20 anos driblou e deixou o palmeirense sentado no chão. Na conclusão da jogada, Luis Fabiano empurrou a bola à rede para abrir o placar no clássico.

O São Paulo venceu por 3 a 0, mas o Morumbi não comemorou apenas a vitória. Nem somente a magistral atuação de Lucas, que consolida cada vez mais sua condição de novo ídolo tricolor. Nem só os dois gols de Luis Fabiano, que volta à briga pela artilharia do Brasileiro. Nem o massacre, fato incomum na história do Choque-Rei.

Houve festa também pela contribuição dada a um possível rebaixamento do rival.

A derrota no Morumbi interrompe uma sequência de três vitórias do time que luta desesperadamente contra o rebaixamento. É o primeiro baque do técnico Gilson Kleina. Em campo, a cada gol tricolor, os palmeirenses reagiam com discussão áspera, gestos firmes, caras amarradas.

A equipe permanece em 18º com 26 pontos, seis atrás do Coritiba, o primeiro fora da zona da degola. Já o São Paulo, ainda não conseguiu chegar ao G-4 por causa da vitória do Vasco e continua na quinta posíção, quatro pontos atrás.

Mesmo assim, neste sábado, os são-paulinos foram genuína felicidade e um pouco de marra. Luis Fabiano, que voltou a comandar o ataque do time após três partidas no estaleiro, fez o primeiro gol e ficou olhando para torcida ensadecida com a mão no queixo, olhar blasé, parado na esquina. Mostrou que já se acostumou a ser tratado como um rei.

Denilson, volante brucutu, o jogador mais indisciplinado do Brasileiro, provou que também pode ter classe. No final do primeiro tempo, acertou um chute incrível, raro, impressionante, da intermediária direto para as redes. A bola morreu tranquila no ângulo do azarado goleiro Bruno. Golaço.

Na comemoração, Denilson ajoelhou-se sobre o escudo tricolor, levou a mãos aos céus e chorou. “Este gol foi dedicado à minha mãe, que está no céu nos abençoando”, disse entre lágrimas na saída para o intervalo. Os volantes também choram.

O domínio do São Paulo durante o primeiro tempo foi tanto, que mal se pôde percerber as principais armas palmeirenses em campo. Barcos, Valdivia e Daniel Carvalho (cuja titularidade foi a ousada aposta de Gilson Kleina) estiveram apagados durante os primeiros 45 minutos.

“Temos que ter mais organização e paciência, mas com 2 a 0 atrás fica muito mais difícil”, admitiu um desanimado Marcos Assunção no intervalo.

Kleina, arrependido de sua ousadia, mexeu no time para a etapa final. Sacou Daniel Carvalho e Márcio Araújo, o que ficou sentado para ver Lucas passar. As apostas eram Luan e Thiago Real.

Mas se havia esperanças, elas acabaram em menos de dez minutos. A derrota cristalizou-se quando o lateral Artur foi expulso por falta em Osvaldo no começo do segundo tempo. Ele já havia sido amarelado na etapa inicial também por derrubar o insinuante atacante tricolor.

Com um a menos, o Palmeiras foi às cordas. Ainda tinha muito jogo pela frente. Só que não tinha mais Palmeiras. Tudo ficou ainda pior quando Valdivia se machucou numa dividida e ficou mancando em campo. Como o time já tinha feito as três substituições, Valdivia teve que sair e deixar a equipe com nove.

No meio desse drama, Luis Fabiano ainda fez o terceiro com um belo chute de primeira. Na comemoração, acabou sentindo a perna e foi substituído por precaução.

O resultado foi tão justo que passou despercebida a atuação do árbitro Paulo César de Oliveira, cuja escalação foi duramente questionada pela diretoria alviverde. Seguro, ele não influenciou no resultado do jogo. Se houve erros, houve para os dois lados.

No final, o São Paulo só ficou tocando de lado, a torcida gritando olé, comemorando uma das vitórias mais tranquilas dos últimos tempos.

 

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Clássicos e luta contra a degola completam rodada

Fonte: futebolinterior

São Paulo e Palmeiras se enfrentam no Morumbi por objetivos distintos

Campinas, SP, 05 (AFI) – Devido as eleições, que irão acontecer no Brasil inteiro, a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro será completada neste sábado, com a realização de sete jogos. Os destaques ficam para os clássicos entre São Paulo x Palmeiras e Fluminense x Botafogo, além da luta contra o rebaixamento para a Série B.

No Morumbi, São Paulo e Palmeiras se enfrentam por objetivos distintos. Apesar de estar com 100% de aproveitamento sob o comando do técnico Gilson Kleina, o Verdão vem na 18ª colocação, com 26 pontos e mesmo com a vitória não deixa a zona de rebaixamento. Já o Sampa é o quinto colocado, com 43 e ainda acredita em uma vaga na Libertadores.

O outro clássico da rodada será realizado no Engenhão. Líder isolado, com 59 pontos, o Fluminense duela contra o Botafogo para se aproximar ainda mais do título. O Fogão se encontra na sétima colocação, com 40 pontos e precisa do resultado positivo para continuar sonhando com a classificação.

Quem não quer se distanciar da briga pela liderança é o Atlético-MG, que recebe o desesperado Figueirense, na Arena Independência. O Galo vem em segundo lugar, com 53 pontos, seis a menos que o líder. Já o Figueira é o penúltimo colocado, com 22. O time catarinense só está na frente do Atlético-GO, que recebe o Vasco da Gama, em São Januário. O time goiano tem 20 pontos e é o lanterna, enquanto o Gigante da Colina vem em quarto lugar, com 47.

No Olímpico, o Grêmio recebe o Cruzeiro para se aproximar da vaga à Libertadores. O Imortal é o terceiro colocado, com 50 pontos. Já a Raposa vem na nona colocação, com 36. Nos Aflitos, o Náutico duela contra o Corinthianspara se afastar da zona de rebaixamento, já que é o 13º colocado, com 34. Em oitavo lugar, o Timão tem 39 pontos. Sem Neymar, o Santos recebe o Internacional na Vila Belmiro. Com 34 pontos, o Peixe é o 14º colocado, enquanto o Inter vem em sexto lugar, com 41.

Confira os jogos da 28ª rodada:

Quinta-feira


Flamengo-RJ 0 x 0 Bahia-BA
Portuguesa-SP 5 x 1Sport-PE
Coritiba-PR 1 x 0 Ponte Preta-SP

Sábado


16h00

São Paulo-SP x Palmeiras-SP

16h20
Náutico-PE x Corinthians-SP
Santos-SP x Internacional-RS
Atlético-GO x Vasco da Gama-RJ

18h30
Fluminense-RJ x Botafogo-RJ
Atlético-MG x Figueirense-SC
Grêmio-RS x Cruzeiro-MG

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE B: Matinê pelo G4 e Vitória em busca do acesso encerram rodada

Fonte: futebolinterior

Apenas dois jogos movimentam a rodada na tarde deste sábado

Campinas, SP, 05 (AFI) – Apenas dois jogos encerram a 28.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro neste sábado. Em casa, no incomum horários das 14 horas, o Atlético-PR tenta se manter na briga pelo acesso e o Vitória quer dar mais um passo pelo retorno à elite do Brasileirão.

No Ecoestádio, em Curitiba (PR), o Atlético-PR recebe o América-MG, no esdrúxulo horário, das 14 horas, tentando se reaproximar do G4 da Série B. O início deste jogo foi antecipado à pedido da TV Bandeirantes, que normalmente mostra um jogo da Série B de sábado, a partir das 16 horas. Como os jogos do Brasileirão foram antecipados devido as eleições de domingo, a emissora vai transmitir ainda o duelo entre Náutico e Corinthians, com início previsto para as 16h20, em Recife.

O time paranaense é sexto colocado, com 46 pontos, seis atrás do São Caetano, primeiro time dentro da zona de classificação à elite. Os mineiros estão na nona posição, com 40 pontos, e atravessam mau momento, pois vem de duas derrotas para times ameaçados: Bragantino e Grêmio Barueri.

No horário “normal”, às 16 horas, o Vitória recebe o ABC, no Estádio do Barradão, em Salvador, tentando se recuperar da derrota para o Avaí, por 2 a 0, na última rodada, que acabou com a invencibilidade de onze jogos, e manter a rota para o acesso.

Os baianos estão com 57 pontos, oito a menos da meta estipulada pela comissão técnica para conseguir o acesso, que é atingir os 65 pontos. O ABC está na parte intermediária da tabela, mas não corre risco de rebaixamento. A equipe está na 15.ª posição, com 33 pontos, oito na frente do primeiro time dentro da zona de rebaixamento: o Guaratinguetá, com 25 pontos.

Confira os jogos da 28ª rodada:

Sábado

14 horas
Atlético-PR x América-MG

16 horas
Vitória-BA x ABC-RN

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE C: Paysandu e Santa jogam pelo G4; Ramalhão pode respirar

Fonte: futebolinterior

Às vésperas das eleições municipais, seis jogos movimentam a 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C neste sábado. Enquanto Paysandu e Santa Cruz entram em campo visando o G4 do Grupo A, na outra chave o Santo André joga em casa para se distanciar da zona de rebaixamento.

Há sete jogos sem vitória, o Paysandu enfrenta o Treze, às 16 horas, no Mangueirão, para quem sabe figurar entre os quatro primeiros colocados. O Papão vem de empate com o Águia, por 1 a 1, que o manteve em sexto do Grupo A, com 17 pontos. Por outro lado, o time paraibano perdeu para o Fortaleza, por 2 a 0, ficou com 16 e é o sétimo na classificação.

Quem também entra em campo é o embalado Santa Cruz, que enfrenta o Icasa, às 16 horas, no EstádioAgenorzão, no Ceará. O time pernambucano venceu na última rodada o Cuiabá, por 1 a 0. Resultado deixou o time em terceiro, com 19 pontos. Já o Verdão do Cariri, também conseguiu três pontos, só que ao bater o Guarany, por 2 a 1: é o oitavo, com 15 pontos.

Já classificado, o Fortaleza só entrará em campo diante do Cuiabá, às 16 horas, no Estádio Presidente Vargas, querendo mais três pontos para manter sua série de invencibilidade na competição: 12 jogos. O Tricolor cearense é o vice-líder doGrupo A, com 29 pontos. O time mato-grossense, com 15, é o nono (primeiro na zona de rebaixamento).

Completam os jogos da chave: Salgueiro (4.º) x Águia (5.º), no Cornélio de Barros, em Pernambuco.

Pelo Grupo B!
Apenas dois jogos do Grupo B acontecem neste sábado. O Santo André enfrenta o Tupi, às 15h30, no Estádio Bruno José Daniel, podendo se distanciar da zona de rebaixamento. O Ramalhão é oitavo colocado, com 16 pontos – apenas um ponto a frente do Madureira (9.º). O time mineiro é o lanterna, com 13.

Outro paulista é o Oeste, que enfrenta o Duque de Caxias, às 16 horas, no Rio de Janeiro. O rubrão de Itápolis é o quarto colocado, com 21 pontos. Já o time fluminense, com 22, aparece logo a frente, em terceiro, com 22.

Confira os jogos da 15.ª rodada:

Sexta-feira


20h30

Vila Nova-GO x Caxias-RS

21h30
Luverdense-MT x Guarany-CE

Sábado

15h30
Santo André-SP x Tupi-MG

16 horas
Salgueiro-PE x Águia-PA
Chapecoense-SC x Brasiliense-DF
Icasa-CE x Santa Cruz-PE
Duque de Caxias-RJ x Oeste-SP
Paysandu-PA x Treze-PB

17 horas
Fortaleza-CE x Cuiabá-MT

Terça-feira (09/10)


20h30

Macaé-RJ x Madureira-RJ