Por Cleber Aguiar – Entrevista de Mano Menezes ao Estadão.

Fonte: O Estado de  São Paulo

Técnico sabe que será vaiado e criticado enquanto a seleção não jogar bonito, mas diz estar confiante

Almir Leite e Paulo Galdieri – O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – Mano Menezes não está aflito com a pressão diária que sofre no comando da seleção brasileira. “Vou ser vaiado, vou ser xingado, vou ser elogiado em determinadas situações. Isso aconteceu com outros técnicos e comigo não vai ser diferente”, garante o treinador. Sua preocupação é montar um time forte para ganhar a Copa de 2014, mesmo que no meio do caminho tenha de suportar palpites do presidente da CBF, cobranças pela volta de jogadores experientes, amistosos contra adversários fortes e ainda resgatar na torcida a paixão pela seleção. Um dia após o jogo do apagão na Argentina, Mano, em visita ao Estado, falou ontem desses e de outros desafios que tem pela frente e prometeu: “Nos próximos meses a seleção vai passar confiança ao torcedor”.

Mano Menezes durante entrevista exclusiva ao Estado - Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE
Mano Menezes durante entrevista exclusiva ao Estado

Você já tinha vivido alguma situação como a do cancelamento do jogo do Brasil na Argentina?

Há muito tempo não passava por uma situação como essa. Se não me engano, desde quando eu treinava categoria de base no interior do Rio Grande do Sul. Infelizmente a gente não pôde fazer a parte mais importante, que era jogar. Nos daria muita coisa importante que a gente precisa observar sobre determinados jogadores. Foi muito frustrante.

Qual o impacto que esse tipo de frustração causa?

A gente não falou muito sobre esse assunto. Mas obviamente para esses jogadores que iriam iniciar pela primeira vez, como Thiago Neves e Arouca, a frustração é maior. Mas eu costumo dizer que uma só partida não vai mudar a avaliação, nem para um lado, nem para outro. Seria muito injusto com eles, caso a avaliação fosse negativa, e muito injusto com a seleção, se fizesse avaliações extremamente positivas baseadas num jogo só. Elas não são tão confiáveis assim, é preciso mais.

Por que você testou tantos jogadores em dois anos na seleção?

Quando assumi a seleção a solicitação feita foi de encontrar novos nomes. Na projeção, nós não tínhamos condições de contar em 2014 com a maioria dos jogadores que foram à Copa da África do Sul. E se a gente olhar pela idade, isso vem se confirmando, com raríssimas exceções. E para encontrar novos nomes na proporção de quase 100% demora e é difícil. Nós não temos na seleção titular nenhum jogador que jogou como titular a Copa de 2010. Estamos trazendo o Kaká de novo. Mas isso já passou e é possível ver nas últimas convocações a repetição de muitos jogadores. Sempre tem um nome ou outro que o torcedor quer, e é até um contrassenso porque, ao mesmo tempo que ele pede pra definir, de períodos em períodos se fala em um novo nome que ele gostaria de ver. Precisamos de um equilíbrio nisso. Não podemos fechar as portas a novos nomes que aparecem. Seria injusto.

Não há nenhum jogador que esteja fora da seleção e que seja muito pedido pela torcida. Como isso pode ajudar seu trabalho?

Isso é sinal de que a condução até agora é boa em relação aos nomes escolhidos para a seleção. Por outo lado, aumenta a responsabilidade de quem está conduzindo o trabalho. Se os nomes são esses é deles que temos que tirar o melhor para ganhar a Copa de 2014.

Você vai tentar mesclar mais com jogadores experientes?

Não tenha dúvida que o caminho é esse. Mas na proporção certa e com aqueles que apresentam condição de chegar em 2014 em alto nível. Isso é o importante. Eu tenho muita confiança que nos próximos meses a seleção vai passar essa confiança ao torcedor e para a crítica, de um modo geral. Porque também não poderia acontecer antes. A seleção sempre conviveu com essa desconfiança. Outro dia eu estava vendo um artigo do João Saldanha (jornalista e ex-técnico da seleção, morto em 1990) criticando a seleção de 1982 às vésperas da Copa. É assim, e a gente tem que entender, faz parte essa paixão toda. Nós é que temos que fazer o trabalho mais com a razão.

O torcedor às vezes pede um time com “raça”. Você leva isso em conta na hora de convocar?

Eu não acho que a seleção de 1982, que foi a última seleção pela qual o torcedor se apaixonou, tinha como característica a raça. Muito pelo contrário. Ela tinha a capacidade e a inteligência de se jogar futebol. Pegada e raça é muito subjetivo. Depende de uma boa capacidade física, pois hoje não se joga sem isso no futebol de alto nível. É por isso que fomos buscar uma base jovem. O futebol de hoje exige muito entendimento do que está acontecendo e capacidade de propor dentro de campo. E é essa capacidade que eu tenho buscado. O jogo muda muito ao longo da disputa e o técnico não tem mais a capacidade de fazer alterações se os jogadores não tiverem a capacidade de entender o jogo. É isso o que apresentam as melhores seleções do mundo.

Como conviver com a pressão e qual suporte recebe da CBF?

Primeiro é preciso estar aberto às alterações que o futebol exige. Não se pode ter as convicções rígidas dentro de um trabalho de quatro anos e não saber identificar as necessidades de alterações. Faz parte até da inteligência que temos que ter. O resto é do futebol. Nenhuma seleção joga bem sempre. Muito menos a brasileira, que não está ao nível de definições como outras seleções. A Espanha tem ganho amistosos com dificuldades, mas vive um momento de vitórias nos últimos anos que dá um lastro de tranquilidade. Mas é preciso saber conviver com essa pressão externa. Isso já aconteceu com outros técnicos e comigo não vai ser diferente. Eu vou ser vaiado, vou ser xingado, vou ser elogiado em determinadas situações. O importante é saber separar cada momento e não perder a condução do trabalho.

E quando as críticas vêm de dentro da CBF? O presidente Marin gosta de palpitar.

Olha, é sempre delicado quando alguém acima de você faz observações pontuais sobre a seleção. Isso pode criar algum constrangimento. Se o técnico segue na mesma linha é porque está assinando embaixo de uma opinião. Se ele vai contra, ele está afrontando uma opinião maior. Então é bom deixar que cada um faça a sua parte e que a gente discuta todas as questões internamente. Porque falar mesma língua passa segurança para quem está acompanhando o trabalho. Houve uma mudança significativa no comando, mudou-se a maneira de dirigir, com a visão do presidente Marin. Houve uma adaptação. Obviamente o presidente já sentiu as repercussões de cada declaração dele. A gente evoluiu.

No começo do trabalho o Brasil jogava com grandes adversários, mas isso mudou. É fato de que a partir de agora a gente vai ter adversários de nível inferior?

Não tenho nada contra jogar com seleção de nível mais alto. É necessário que a seleção seja testada com adversários mais difíceis. Mas tem que haver um planejamento estratégico. Tem horas que você vai jogar com seleções mais fortes, tem hora que jogará com seleções menos fortes. Eu não critiquei o fato de terem achado a China um adversário fraco. Critiquei o fato de ninguém ter falado antes do jogo que a China era fraca. E depois que a gente fez 8 a 0, a China ficou muito fraca. Precisa haver coerência na avaliação. Também achei que a China foi fraca durante o jogo, mas não se pode tirar o mérito da seleção brasileira nisso. Não pode ser ruim ganhar de 8 a 0, senão tem algo errado. Contra qualquer adversário há observações a fazer. Se a defesa do adversário é fraca, seu ataque tem que ir muito bem. Se o ataque dele é fraco, é a sua defesa que tem que ir muito bem. E não é possível jogar contra as principais seleções a toda hora. Elas têm seus calendários. Nenhuma quer jogar contra o Brasil a toda hora.

Fred, Ronaldinho Gaúcho e Diego Cavalieri estão nos planos?

Eu não tenho nada contra o Fred. Eu nunca dei uma declaração contra o Fred. Aliás, foi ele quem deu uma declaração sobre a seleção. E também não me incomoda jogador ter opinião diferente da minha. Eu não estaria aqui se tivesse essa dificuldade. Acho que o Cavalieri faz um grande Brasileiro. A gente trouxe grandes goleiros e está direcionando para alguns nomes, mas eu não vou fechar a porta para ele se ele continuar a fazer o que está fazendo. O Fred já esteve com a gente na Copa América. É um goleador nato e tem qualidade. A gente tem feito um posicionamento de ataque sem deixar um homem mais centralizado e vamos ver como a seleção se comporta assim. Vamos com isso até o jogo com a Inglaterra para ver se isso funciona de forma confiável. Sobre o Ronaldinho, é um pouco diferente, mas também não excluo a possibilidade porque sempre respeito os grandes jogadores. Levamos ele quando estava bem no Flamengo e depois teve uma queda. Agora no Atlético voltou a jogar bem. De grandes jogadores sempre é possível esperar grandes coisas. Basta a gente decidir no momento certo se é interessante para a seleção ou não.

O que a torcida pode esperar para os próximos dois anos? A Copa das Confederações é teste?

Eu não gosto da palavra teste. A Copa das Confederações é um parâmetro. Se a um ano da Copa estivermos muito distantes do que pretendemos não está bom. A seleção vai estar na Copa das Confederações em condições de ganhar. Essa é uma etapa importantíssima para a Copa de 2014.

ICFUT – Adriano é visto no Flamengo como pessoa doente e que necessita de ajuda

Fonte: uol

O que era motivo de piada ganhou contornos sérios. Após estourar o limite de três faltas em treinos, imposto pelo Flamengo ao assinar contrato com o clube, Adriano deixou de ser encarado só como "baladeiro" e passou a ser visto como pessoa doente.

O discurso no clube é que ele precisa de ajuda para que sua carreira não acabe de vez. "Antes de tudo, temos que ajudá-lo", afirmou o diretor de futebol, Zinho, que na segunda obrigou o jogador a se submeter a tratamento psicológico como condição para permanecer no Flamengo.

O atacante havia faltado a dois treinos consecutivos (sexta e sábado) sem dar explicações e poderia ter o seu contrato rescindido com o clube. Pelo acordo firmado em agosto, o atleta seria demitido na terceira falta.

Ele já estava pendurado com duas ausências.

Diogo Shiraiwa/Editoria de Arte/Folhapress

Adriano, 30, tem um extenso histórico de confusões envolvendo o abuso de bebidas alcoólicas e festas.

Nascido na favela da Vila Cruzeiro (zona norte), local que, até ser ocupado por tropas do Exército em novembro de 2010, era quartel general do Comando Vermelho no Rio, o atacante teve a infância marcada pela violência.

Em 92, seu pai, Almir Ribeiro, 45, levou um tiro na cabeça durante uma festa em um bar da favela.

Sobreviveu por 13 anos sem que a bala fosse retirada, à custa de uma série de medicamentos para manter sob controle a pressão craniana. Mas, após o filho ganhar fama, abandonou os remédios, o que o levou à morte.

Na Gávea, o chefe do departamento médico do Flamengo, José Luiz Runco, decide hoje qual psicólogo cuidará do jogador. O médico prefere não falar sobre o comportamento do jogador por "questões éticas".

No clube, o jogador, que está cerca de cinco quilos acima do peso, treina em separado e ainda não tem uma data para estrear.

"É um problema especial [o Adriano]. Eu torço para que a recuperação aconteça, porque é um rapaz que merece muito", afirmou o treinador Dorival Júnior.

A principal preocupação dos dirigentes do clube rubro-negro é com o consumo abusivo de bebidas alcoólicas, que já abreviou a carreira de vários ídolos do futebol brasileiro, como Garrincha.

Entre os boleiros, Adriano é descrito como tímido e um pouco depressivo.

Já para os garçons das casas noturnas da Barra da Tijuca e moradores de comunidades carentes, o atacante, que não joga uma partida oficial há sete meses, é considerado animado e gastador.

Em um restaurante frequentado pelo jogador na Barra, os garçons contam que cerveja não pode faltar na mesa de Adriano. Nas favelas, o jogador costuma pagar churrasco para dezenas de amigos. Algumas festas promovidas por ele chegam a durar mais de um dia.

Numa delas, na favela da Chatuba, no Complexo do Alemão, Adriano protagonizou uma briga pública com Joana Machado, então sua noiva, em março de 2010.

"Estamos sempre ajudando o Adriano. O problema é quando ele deixa o Flamengo", afirmou o lateral Léo Moura, o mais experiente jogador do clube.

Bernardo Monteiro/Divulgação/VIPCOMM

O atacante Adriano após treino do Flamengo

O atacante Adriano após treino do Flamengo

ICFUT – Denunciado pelo STJD, Ronaldinho pode pegar até 12 jogos de suspensão por jogada violenta

Fonte: espn

Ronaldinho Gaúcho pode desfalcar o Atlético-MG na reta final do Campeonato Brasileiro. O meia-atacante foi denunciado pela procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e será julgado na terça-feira. Ele pode pegar até 12 jogos de suspensão por jogada violenta, conforme previsto no artigo 254.

O camisa 49 foi indiciado por conta de um lance com o atacante Kléber, do Grêmio – ele atingiu o adversário na região do peito, com o pé levantado. Como o árbitro Héber Roberto Lopes não marcou nada, a denúncia foi feita baseada em imagens de TV. O juiz do jogo também será investigado por conta da não marcação da falta.

O técnico Cuca também será julgado por conta de expulsão, também contra o Grêmio. Indiciado no artigo 258 (de ‘desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões’). Ele pode pegar um gancho de até seis partidas.

Divulgação

Ronaldinho Gaúcho faz golaço, mas Atlético-MG só empata clássico

Ronaldinho Gaúcho faz golaço, mas Atlético-MG só empata clássico

Na época, o treinador disse que reclamou de duas faltas não marcadas. Na sequência, Héber ironizou e falou que foram quatro. “Depois, eu repti que tinham sido duas e ele me expulsou. Não pode falar nada, não tem conversa, não tem diálogo”, reclamou Cuca à época.

Cuca comandou coletivo nesta quinta

Nesta quinta-feira, o técnico Cuca comandou mais um treinamento coletivo em preparação para o duelo do próximo sábado, contra o Figueirense, no estádio Independência. Diferentemente do que ocorreu na atividade da última quarta, o treinador alvinegro contou com quase todos os atletas que tem condições de jogo, inclusive, o trio que retornou da seleção brasileira: Réver, Marcos Rocha e Bernard.

O detalhe que chamou a atenção foi o desempenho da equipe considerada reserva, que superou os titulares por 5 a 3. O time que iniciou o coletivo foi formado por: Victor; Marcos Rocha, Réver, Rafael Marques e Júnior César; Serginho, Fillipe Soutto, Guilherme e Ronaldinho; Bernard e Jô.

Os reservas tiveram a seguinte formação: Giovanni; Michel, Leonardo Silva, Richarlyson e Triguinho; Carlos César, Escudero, Danilinho e Juninho; Neto Berola e Leonardo. Para enfrentar os catarinenses, o técnico Cuca não poderá contar com os volantes Leandro Donizete e Pierre entregues ao departamento médico e nem com o zagueiro Leonardo Silva suspenso.

ICFUT – Brasil e Argentina entram em acordo e prometem disputar final

Fonte: gazetaesportiva

A edição 2012 do Superclássico das Américas será definida com um encontro entre Brasil e Argentina. Nesta quinta-feira, a Conmebol (Confederação Brasileira de Futebol) confirmou através do seu site oficial que os dois países entraram em acordo para a realização de uma nova partida.

A data do encontro segue indefinida. Posteriormente, os dirigentes de Brasil e Argentina vão se encontrar para buscar um dia conveniente para o encontro.

O campeão de 2012 do Superclássico das Américas seria conhecido no jogo desta quarta-feira. Porém, o encontro na cidade de Resistência acabou suspenso em função dos problemas de iluminação no estádio Centenário de Chaco.

No jogo de ida, disputado em Goiânia durante o mês passado, o Brasil abriu vantagem no Superclássico das Américas. Os pentacampeões mundiais venceram por 2 a 1, com um gol nos acréscimos de Neymar, de pênalti.

Na partida de volta, o Brasil conquistará o título até com um empate. Para levantar a taça, a Argentina necessita de um triunfo por, pelo menos, dois gols de vantagem. Se os “hermanos” vencerem por margem mínima, a decisão vai para os pênaltis.

ICFUT – Punido, Victor Andrade vai de titular do Santos a banco do sub-20

Fonte: lancenet

Insatisfeito com exposição do jogador na mídia, Muricy Ramalho mantém punição e joia santista teve de ficar no banco de reservas da equipe sub-20

Victor Andrade e Sorocaba (Foto: Divulgação)
Victor Andrade com o cantor Sorocaba (À direita), que agora tem parte no jogador (Foto: Divulgação)

Um dos cotados para ser o substituto de Neymar, o jovem Victor Andrade, de apenas 17 anos, terá dificuldades para conquistar um lugar no time titular do Santos. O jogador segue de "castigo" e, nesta quarta-feira, ficou apenas no banco de reservas no time sub-20 na Copa do Brasil, no empate por 0 a 0 com o Goiás, em Goiânia. Com isso, Victor ficou fora do treino dos profissionais nesta quinta, quando o técnico Muricy Ramalho esboçou a equipe que enfrenta o Internacional no próximo sábado.

O descontentamento de Muricy é pela exposição excessiva do jovem atleta, que tem aparecido em diversas matérias especiais nos últimos dias. Por isso, a assessoria de imprensa do clube e do próprio jogador já receberam recomendações para evitar entrevistas por um período. Victor também apareceu em emissoras de TV na Baixada Santista fazendo propaganda política para um candidato da cidade.

Muricy já havia "punido" o atleta cortando-o da final da Recopa Sul-Americana, conquistada pelo Santos na semana passada com vitória de 2 a 0 sobre a Universidad de Chile (CHI), no Pacaembu. O técnico não gostou de, na partida anterior, contra a Portuguesa, pelo Brasileirão, Victor ter recebido o terceiro cartão amarelo. O segundo, contra o Flamengo, tinha sido por tirar a camisa após marcar um gol na Vila, o que gerou irritação do comandante.

Da parte do jogador, a punição é considerada muito excessiva. O LANCENET! apurou que a situação do jovem gerou desconforto em seus representantes, que não consideram maléfica a maneira como Victor tem aparecido na imprensa e não veem explicações para o "rebaixamento". Lembram que o jogador só tem mais dois anos de contrato e que, portanto, o clube deveria zelar pelo seu patrimônio.

Recentemente, a família de Victor negociou 20% de seus direitos econômicos com o cantor de música sertaneja Sorocaba, que faz dupla com Fernando. Além dessa parte, 10% ainda pertencem à família e os outros 70% são do Peixe, que não quis exercer a prioridade de compra do restante. Ao mesmo tempo, Victor fechou parceria com a empresa 9ine, do ex-atacante Ronaldo, que também passa a gerenciar a carreira do atleta.

Do lado do Santos, questionado sobre a situação, o gerente de futebol Nei Pandolfo negou que seja uma punição ao atleta e disse tratar-se apenas de uma decisão técnica de Muricy Ramalho.

– Estamos com muitos atacantes no momento e a equipe sub-20 estava precisando ser reforçada. Não tenho conhecimento do desconforto do atleta – afirmou.

Contra o Internacional, no próximo sábado, a tendência é que Victor Andrade seja relacionado. Ela era um dos contatos para substituir Neymar, mas nesta quinta-feira Muricy Ramalho treinou com o argentino Miralles.

ICFUT – Salário alto, marketing e centenário: trunfos do Palmeiras para ter Alex

Fonte: globo

Clube prepara proposta robusta para o meia, incluindo ações fora de campo até aniversário de 100 anos. Sampaio e Kleina mostram ânimo

Alex fenerbahce (Foto: Agência Getty Images)Alex pode ser o camisa 10 do centenário do Verdão,
em 2014 (Foto: Agência Getty Images)

O Palmeiras prepara uma proposta considerada “forte” para ter o meia Alex na próxima temporada. Sem precisar se preocupar com a compra dos direitos econômicos do jogador, que já rescindiu contrato com o Fenerbahçe, a diretoria vê mais facilidades para fazer um bom projeto que possa atrair o jogador.

Ainda não há nada no papel, mas alguns fatores serão colocados na oferta que será enviada ao meia de 35 anos: um salário considerado “top”, prêmios por metas na Libertadores e em outras competições, e contrato de dois anos para ser o craque do centenário do clube, em 2014.

O Verdão deve oferecer salário superior ao de nomes como Valdivia, mas ainda não sabe se precisará ou não da ajuda de um parceiro.

A ideia do Palmeiras é usar Alex em ações de marketing até a temporada em que o clube completa 100 anos. Ao lado do ex-goleiro Marcos, atual embaixador alviverde, o meia participaria de ações promocionais, seria o principal jogador da equipe e, se assim desejasse, encerraria a carreira no fim de 2014, quando estará com 37 anos.

Além disso, existe a possibilidade de o clube oferecer participação nos lucros na venda de produtos licenciados com a marca do craque. Para isso, ele deve ter direito à camisa 10, hoje utilizada por Valdivia – o Mago já se mostrou aberto a trocar de numeração para agradar ao ídolo.

– Como ele tem um histórico limpo e grande aceitação junto ao torcedor, acredito que o Alex seria um sucesso de vendas. Em relação à camisa, é barbada. Poderíamos também explorar outros produtos. Assim, o Alex se paga – afirmou um dirigente alviverde, que pediu para não ser identificado.

Queremos um contrato bom, se possível de dois anos, para que ele possa jogar no centenário"

Arnaldo Tirone

– Se com o Kleber, que deu no que deu, tivemos sucesso, imagine com ele? – indagou o mesmo dirigente, lembrando o atacante que joga atualmente no Grêmio e saiu brigado do clube alviverde.

A ideia do Palmeiras é preparar um projeto robusto e apresentar a Alex assim que ele chegar ao Brasil, o que deve ocorrer dentro de duas semanas. A proximidade do meia com o gerente de futebol César Sampaio e o técnico Gilson Kleina são trunfos da diretoria, mas não são fatores primordiais na escolha do jogador. O presidente Arnaldo Tirone acompanha a questão, mas deixa a dupla como “linha de frente” nas conversas com o meia.

– O César e o Kleina conhecem o Alex há muito tempo, é importante que eles tenham esse contato. Queremos oferecer um contrato bom, se possível por dois anos, para que ele possa jogar no centenário – disse Tirone.

César Sampaio ligou para Alex nesta semana e fez questão de marcar posição em entrevista ao site oficial do Palmeiras.

– Não formalizamos proposta, mas oficializamos o interesse. Ele já conhece o clube, tem uma identificação enorme e já sabe o quanto o queremos, tanto clube, quanto torcida. Como profissional, ele disse que precisa primeiro resolver questões da parte burocrática e familiar. Ele disse que ficou lisonjeado com o interesse do Palmeiras, mas não sinalizou com nada ainda. Vamos aguardar a chegada dele para abrirmos negociação – explicou Sampaio.

Alex é declaradamente o sonho de consumo alviverde para 2013 e 2014. Nos bastidores, Arnaldo Tirone até acredita que o acerto com o meia pode facilitar sua reeleição à presidência do clube, no último pleito que terá a participação só dos conselheiros – a partir a eleição seguinte, os sócios com mais de três anos de Palmeiras terão direito a voto.

– Não penso nisso. Quero reforçar o Palmeiras e montar o melhor time possível, comigo ou não na presidência ano que vem – despistou Tirone.

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Resultados, gols, classificação e artilharia

Fonte: futebolinterior

Lusa goleia com show do artilheiro; Ponte Preta liga alerta

Bruno Mineiro assumiu a artilharia com 14 gols; Ponte encosta no Z4

Campinas, SP, 04 (AFI) – Muitas emoções preencheram a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Principalmente no Canindé, onde a Portuguesa goleou o Sport por 5 a 1, com um show particular do atacante Bruno Mineiro, que marcou três vezes e assumiu a artilharia isolada da competição com 14 gols. Com o empate do Flamengo, a Lusa chegou à 10ª posição com 36 pontos. Porém, a luta mais complicada ficou na parta inferior da tabela.

No duelo dos objetivos semelhantes, melhor para o Coritiba. O time venceu a Ponte Preta por 1 a 0, no Estádio Couto Pereira voltando a vencer depois de três jogos (duas derrotas e um empate) sem vitórias. Sem apresentar o melhor futebol, o Coritiba explorou as jogadas aéreas e chegou ao gol com o atacante Deivid. Sendo assim, o Coritiba manteve a 16ª colocação, mas com 32 pontos, dois a menos que a Ponte Preta, que despencou para a 15ª posição.

Enquanto isso, o Flamengo continua vivendo da bi-polaridade na competição. Quando tenta esboçar uma reação, volta a assustar seus torcedores na rodada seguinte. Desta vez, o time arrancou apenas um empate sem gols diante do Bahia, que por muito pouco não saiu com a vitória. Apesar do tropeço, os comandados do Dorival Júnior ficaram na 11ª colocação com 35 pontos, precisando torcer pelo tropeço de Náutico e Santos para não perder a zona de conforto. Com um ponto a menos, o Bahia é o 12ª colocação.

Adryan marcou, mas estava impedido; lamentações

Mas, os jogos que abriram a 28ª rodada tem apenas um nome: Bruno Mineiro. Em dia pra lá de inspirado, o atacante marcou três vezes na goleada da Portuguesa pra cima do Sport, por 5 a 1. Depois do show de Bruno Mineiro, artilheiro com 14 gols, a Lusa assumiu a 10ª posição com 36 pontos. Enquanto isso, o Sport ficou na 17ª, com 27 pontos, mas pode ser ultrapassado pelo Palmeiras, que tem 26, mas encara pela frente o clássico contra o São Paulo.

Pelas eleições municipais, em todo o país, o restante dos jogos da rodada acontecem no sábado.

Confira os jogos da 28ª rodada:

Quinta-feira

Flamengo-RJ 0 x 0 Bahia-BA
Portuguesa-SP 5 x 1Sport-PE
Coritiba-PR 1 x 0 Ponte Preta-SP

Sábado

16h00
São Paulo-SP x Palmeiras-SP

16h20
Náutico-PE x Corinthians-SP
Santos-SP x Internacional-RS
Atlético-GO x Vasco da Gama-RJ

18h30
Fluminense-RJ x Botafogo-RJ
Atlético-MG x Figueirense-SC
Grêmio-RS x Cruzeiro-MG

Gols

 

 

Classificação

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Fluminense-RJ 59 27 17 8 2 44 18 26 72.8
2  Atlético-MG 53 27 15 8 4 41 20 21 65.4
3  Grêmio-RS 50 27 15 5 7 38 22 16 61.7
4  Vasco da Gama-RJ 47 27 13 8 6 35 27 8 58.0
5  São Paulo-SP 43 27 13 4 10 39 29 10 53.1
6  Internacional-RS 41 27 10 11 6 33 23 10 50.6
7  Botafogo-RJ 40 27 11 7 9 41 35 6 49.4
8  Corinthians-SP 39 27 10 9 8 33 26 7 48.1
9  Cruzeiro-MG 36 27 10 6 11 32 36 -4 44.4
10  Portuguesa-SP 36 28 9 9 10 34 32 2 42.9
11  Flamengo-RJ 35 28 9 8 11 28 37 -9 41.7
12  Bahia-BA 35 28 8 11 9 29 30 -1 41.7
13  Náutico-PE 34 27 10 4 13 33 42 -9 42.0
14  Santos-SP 34 27 8 10 9 32 36 -4 42.0
15  Ponte Preta-SP 34 28 8 10 10 30 36 -6 40.5
16  Coritiba-PR 32 28 9 5 14 40 47 -7 38.1
17  Sport-PE 27 28 6 9 13 24 43 -19 32.1
18  Palmeiras-SP 26 27 7 5 15 28 36 -8 32.1
19  Figueirense-SC 22 27 5 7 15 30 48 -18 27.2
20  Atlético-GO 20 27 4 8 15 27 48 -21 24.7
LegendaPG – Pontos Ganhos | JG – Jogos Disputados | VI – Vitórias | EM – Empates
DE – Derrotas | GP – Gols Pró | GC – Gols Contra | SG – Saldo de Gols
%A – Porcentual de Aproveitamento de Pontos


 
 
Classificados à Taça Libertadores.
 
 
Classificados à Sul-americana
 
 
Rebaixados à Serie B
 
 
Classficados à Libertadores

 

Artilharia

Atualizado em 04/10 às 23h27

14 GOLS
Portuguesa – Bruno Mineiro

13 GOLS
Fluminense – Fred

11 GOLS
São Paulo – Luis Fabiano