Por Cleber Aguiar – Valdívia elogia ensaio de Daniela Aranguiz e desmente traição com Valentina Roth

Fonte: Futebolinterior.com.br

A possível separação ganhou força, após o “Mago” ser visto em uma balada com a musa

Após superar uma série de lesões, o meia Valdívia parece recuperar, aos poucos, sua forma dentro dos gramados. E ele garante que fora das quatro linhas tudo vai bem. Em entrevista ao UOL Esporte, o jogador do Palmeiras elogiou o ensaio feito por sua esposa, a modelo chilena Daniela Aranguiz, e desmentiu uma suposta traição com a bailarina Valentina Roth, também do Chile.

Recentemente, ela divulgou fotos de um ensaio para uma marca de biquíni de uma amiga. As imagens trataram de aumentar os rumores sobre uma possível separação do casal, já que Valdívia permanece em São Paulo e a bela loira reside no Chile.

A possível separação ganhou força, após o “Mago” ser visto em uma balada de boleiros ao lado de Valentina. O jogador próprio jogador falou que a “separação não tem nada a ver” e que o ensaio “não ficou vulgar”. Do Chile, Daniela endossou o coro e afirmou ter se casado “para toda a vida”.

Valdívia foi flagrado em 2011

Esta é a segunda suspeita de infidelidade de Valdívia, em menos de um ano. No final do ano passado, o meia foi fotografado beijando uma mulher em uma festa. O fotógrafo chegou a acusá-lo de ameaça por conta das fotos.

Daniela Aranguiz foi embora para o Chile no meio do ano, após ela e o jogador sofrerem um sequestro relâmpago em São Paulo. Desde então, ela se recusa a voltar ao Brasil.

Daniela Aranguiz

Valentina Roth

Por Cleber Aguiar – Santista, neto do ‘pai do futebol brasileiro’ revela: ‘meu avô era Timão’

Fonte: Globo.com

Charles Miller Neto contou que influência de clube inglês na fundação do Timão influenciou avô na escolha de um time para torcer

Charles Miller é considerado o ‘pai do futebol’ no Brasil. O paulistano teve o primeiro contato com o esporte na Inglaterra, quando viajou ao país para estudar. Quando retornou a São Paulo, trouxe junto todo o necessário para difundir a modalidade. Mas, qual clube brasileiro tinha um lugar no coração do patrono do futebol?

Segundo Charles Miller Neto, a resposta é simples: o Corinthians. De acordo com ele, seu avô tinha uma simpatia especial pelo Timão, pela influência de um time inglês na fundação do clube.

– Ele foi corintiano porque o nosso Corinthians pegou emprestado o nome do homônimo de um clube amador inglês que existe até hoje. É Corinthian, sem o S. Esse time veio mais tarde excursionar aqui no Brasil e aproveitou-se o nome e batizou-se o Sport Club Corinthians Paulista. Então, como tinha essa ligação com a Inglaterra, o meu avô tinha essa simpatia pelo Corinthians.

Entretanto, o gosto do pai do futebol parece não ter influênciado. O filho tornou-se são paulino. Já o neto, torce para o Santos. Charles Miller Neto até brincou com o fato.

– Avô corintiano, pai são paulino e eu santista. Se eu tivesse um filho seria palmeirense.

Neto não sabe explicar como nasceu a paixão pelo Alvinegro Praiano, mas revelou que a escolha pelo Peixe não agradou seu pai.

– Eu acho que eu nasci santista. O meu pai era torcedor do São Paulo. Ele me falava assim: “O senhor, com 5 anos de idade, já falava que era santista”. Ele queria arrancar os cabelos porque queria que eu fosse torcedor do São Paulo. De uma certa forma, a história da minha família é ligada a Santos. Tem sempre alguma história, algum componente. Acho que é por isso que eu já nasci assim, santista.

Avô boleiro e ‘desespero’ na volta ao Brasil

Charles Miller ao centro (Foto: Reprodução / TVTribuna)Charles Miller (ao centro): bigode característico
(Foto: Reprodução / TVTribuna)

Charles Miller não foi somente o homem responsável por trazer o futebol para o Brasil. Ele também colocou a ‘mão na massa’, ou melhor, os pés no gramado. Miller chegou a atuar pelo Banister School e St. Mary, na Inglaterra, e pelo São Paulo Athletic Club, no Brasil.

Neto comentou sobre a carreira do avô e citou o movimento no futebol que recebeu o nome em homenagem a ele.

– O meu avô era jogador, foi jogador na Inglaterra. A gente pode falar que foi o primeiro brasileiro a jogar na Europa né! Ele era ponta-esquerda. O movimento chaleira vem de Charles.

Ele contou sobre a história que ouviu do pai, relatando o “desespero” de Charles Miller ao retornar ao Brasil, sem saber se existiria o futebol no país.

– Meu pai me contava: “Imagine o desespero do seu avô, voltando para o Brasil e não sabendo se aqui jogava-se ou não futebol”. Então pra garantir, ele trouxe as bolas, as regras, equipamentos, bomba pra encher a bola e aí começou a divulgar o esporte. Nessa época não se jogava futebol ainda em São Paulo. Os esportes da moda eram outros.

O pai do futebol no Brasil faleceu em 30 de junho de 1953, cinco anos antes do primeiro título mundial do país, em 1958, na Suécia. Mas, o que falaria Charles Miller, se estivesse vivo hoje?

– Hoje, lá em cima, ele deve falar: “Meu Deus do céu, na minha época a gente jogava e não ganhava nada”. Hoje em dia as cifras que movimentam o futebol são astronômicas. Naquela época o futebol era amador. Mas com certeza, acho que olhando pra cá, pro futebol brasileiro, ele deve olhar com carinho e zelar por todos nós – comentou.

 Paixão pelo futebol e reconhecimento da importância do sobrenome

Charles Miller Neto não pôde conhecer o avô, mas ele garante que o futebol está no sangue da família. Para exemplificar, ele lembrou da Copa de 1962, a qual ele considera um dos momentos marcantes do esporte para o país.

– Em casa reuniam-se os amigos do meu pai, todos em torno de um rádio que era uma coisa daquele tamanho com a transmissão que vinha do Chile, mas parecia que vinha de Júpiter. Sumia a transmissão, ficava todo mundo louco e assim passaram-se todos os jogos e toda torcida em casa comemorando, todos os amigos.

O primeiro contato com a história do avô e o legado deixado por ele se deu aos 5 anos de idade, quando Charles Miller Neto soube que a praça na frente da entrada do estádio do Pacaembu, em São Paulo, leva o nome do seu familiar.

– Meu pai me levou para um passeio de automóvel e passou em frente a praça com o nome do meu avô e me mostrou. Eu falei: “Pai é o meu nome!” Ele rebateu: “Não, não é o seu nome, é o nome do seu avô”. Aí que eu descobri a história do futebol.

praça charles miller são paulo (Foto: Reprodução / TVTribuna)Praça Charles Miller, em São Paulo: homenagem ao pai do futebol no Brasil (Foto: Reprodução / TVTribuna)

ICFUT – ANDERSON SILVA SE CRIA NO VIDEOGAME E DESAFIA FÃS PARA JOGO ONLINE

Fonte: futirinhas

O lutador Anderson Silva é mais um adepto do Pro Evolution Soccer, famoso jogo de futebol no videogame. O campeão peso-médio do UFC criou sua própria versão no game e postou uma foto do seu boneco no Twitter, convidando os seguidores a jogar uma partida com ele.

– Acabei de comprar o meu PES 2013! Vamos jogar, galera? – escreveu Anderson no microblog.

A versão do Spider no game, claro, joga pelo Corinthians, time de coração do lutador e clube o qual representa no MMA. O lutador volta ao octógono no próximo dia 13 de outubro, quando luta contra Stephan Bonnar pela categoria meio-pesado no UFC Rio III, no Rio de Janeiro.

ICFUT – Espanha segue liderando ranking da Fifa; Brasil cai para 14º

Fonte: yahoo

Redação Central, 3 out (EFE).- A nova atualização do ranking da Fifa traz novamente a seleção espanhola na liderança, enquanto o Brasil segue seu calvário na lista e agora figura apenas na 14ª posição, atrás de países como Colômbia, Grécia e Croácia.

As vitórias nos amistosos contra África do Sul (1 a 0), China (8 a 0) e Argentina (2 a 1) no último mês não foram suficientes para impedir que a Seleção caísse duas posições na classificação, ampliando sua pior marca na história.

No topo do ranking, a Espanha lidera com folga, seguida, na ordem, por Alemanha, Portugal, Argentina e Inglaterra.

A maior surpresa da nova lista foi o retorno da Colômbia às dez primeiras posições após dez anos, graças a seus triunfos perante Chile e Uruguai nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.

Confira os 20 primeiros classificados:.

.1. Espanha 1611 pontos.

.2. Alemanha 1459.

.3. Portugal 1259.

.4. Argentina 1208.

.5. Inglaterra 1196.

.6. Holanda 1141.

.7. Uruguai 1140.

.8. Itália 1106.

.9. Colômbia 1102.

10. Grécia 1029.

11. Croácia 1023.

12. Rússia 1014.

13. França 1011.

14. Brasil 1001.

15. Suíça 983.

16. Costa do Marfim 951.

17. Chile 948.

18. Dinamarca 944.

19. México 925.

20. Equador 902. EFE

ICFUT – Superclássico na Argentina vira última grande chance para ‘locais’ entrarem na seleção de Mano

Fonte: uol

Mano Menezes sinalizou que está encerrando a fase de testes na seleção brasileira

Mano Menezes sinalizou que está encerrando a fase de testes na seleção brasileira

Não é só o título que estará em disputa para a seleção brasileira no Superclássico das Américas. Para os atletas que atuam no país, muito provavelmente será a última grande oportunidade de mostrar o seu valor e desempenhar um bom papel pelo Brasil, pois o técnico Mano Menezes já sinalizou que está próximo de encerrar a fase de testes na montagem da equipe para a Copa do Mundo de 2014.

O Superclássico das Américas tem sido a oportunidade encontrada por Mano para olhar mais de perto os atletas que atuam pelo país, pelo fato de o treinador só poder convocar jogadores que disputam o campeonato nacional em respeito ao regulamento do torneio.

Mas a edição de 2013 acontecerá depois da Copa das Confederações, período em que Mano disse que quer estar com a equipe 70% ideal para a disputa do Mundial. Portanto, mesmo que convoque novamente só os atletas ‘locais’, a chance de algum novato do superclássico figurar na lista da Copa do Mundo é muito pequena.

Ainda que já tenha sido convocado para o amistoso contra a África do Sul, o volante santista Arouca é um dos atletas que se encaixa nesse contexto, pois foi escalado como titular no início do treino desta terça-feira e tem grandes chances de iniciar jogando pela primeira vez com a camisa da seleção brasileira principal.

Já o meia-atacante Bernard, do Atlético-MG, e o atacante Wellington Nem, do Fluminense, se enquadram na categoria de atletas promissores que podem cavar ainda mais espaço com Mano. O atleta do time carioca entrou no segundo tempo da partida contra a Argentina em Goiânia e recebeu elogios do treinador da seleção brasileira.

Os meias Jadson e Thiago Neves, dois atletas que também foram chamados para o superclássico pelo bom rendimento no Brasileirão, disputam a mesma vaga como titular no duelo desta quarta em Resistencia, jogo que pode influir no futuro de ambos na seleção.

“Aqui você tem que provar, mostrar algo todo dia. Quando jogar, tem que provar ao Mano que pode jogar na principal. Os treinos também. Se não tiver na principal, tem que continuar forte no clube. Uma hora a chance deve aparecer e tem que agarrar”, falou Thiago Neves, que tem três jogos disputados com a camisa da seleção, contra dez de Jadson.

À despeito do período de testes para os ‘locais’ na seleção brasileira, os comandados do técnico Mano Menezes possuem a vantagem de jogar pelo empate nesta quarta, por terem vencido a partida de ida por 2 a 1. Se a Argentina ganhar por um gol de diferença, será realizada uma disputa de pênaltis para decidir o campeão do Superclássico das Américas.

ARGENTINA x BRASIL

Data: 03/10/2012 (quarta-feira)
Horário: 22h (de Brasília)
Local: estádio Centenário, em Resistência (Argentina)
Árbitro: Enrique Osses (Chile)
Auxilires: Francisco Mondria (Chile) e Carlos Astroza (Chile)

Brasil

Jefferson, Lucas Marques, Rever, Dedé e Fabio Santos; Ralf, Arouca (Leandro Damião), Paulinho e Thiago Neves (Jadson); Lucas e Neymar
Técnico: Mano Menezes
Argentina
Ustari, Sebá Dominguez, Desábato e Lisandro Lopez (Montillo); Peruzzi, Maxi Rodriguez, Braña, Guiñazu e Clemente Rodríguez, Martinez e Barcos
Técnico: Alejandro Sabella

ICFUT – Após dar folga para Sheik no Timão, Tite avisa: ‘Agora é pau dentro!’

Fonte: lancenet

Treinador corintiano brincou durante a entrevista coletiva e avisou que o atacante vai ralar até para voltar a jogar pelo Brasileirão

Emerson Sheik - Corinthians (Foto: Eduardo Viana)
Emerson Sheik não terá mais folga no Corinthians (Foto: Eduardo Viana)

Acabou a mordomia. Não foram com estas palavras, mas o técnico Tite, em tom de brincadeira, mandou um recado para Emerson Sheik. Após ganhar folga de cinco dias, o camisa 11 voltou aos treinos na tarde desta terça-feira e não terá mais descanso até o fim da temporada.

Herói do Timão no título da Libertadores, o atacante fez um trabalho físico com um dos preparadores físicos do clube no gramado separado do restante do elenco. Agora é só ralar para voltar ao time…

– Não vai ter mais folga, não. Já dei o que era para dar. Agora é pau dentro! – disse o "chefe" aos jornalistas, acompanhado de risadas.

Mas o retorno de Emerson aos compromissos do Corinthians irá durar, pelo menos, mais duas rodadas. Suspenso por seis jogos pelo STJD após xingar o árbitro Péricles Bassols, no confronto com o Atlético-MG, ele ainda tem duas partidas de gancho para cumprir.  Jogadores como Chicão e Jorge Henrique, que se lesionaram no último mês, não deverão ganhar folga até o Mundial.

Durante o treinamento desta terça-feira, no CT Joaquim Grava, Tite chegou a bater um papo com o seu jogador. Questionado sobre qual seria o assunto da conversa, ele despistou.

– Não, não posso falar. Mas são situações normais de treino, intensidade, acompanhamento, sequência… Nada de diferente – explicou.

Sem o seu camisa 11 para o duelo contra o Náutico, sábado, nos Aflitos, o treinador tem problemas para o setor ofensivo. Além dele, Romarinho, suspenso, e Jorge Henrique, com uma lesão muscular na coxa esquerda, também são baixas. O argentino Martínez deverá ganhar mais uma chance no ataque.

ICFUT – Sem susto, misto do Palmeiras domina e vence o fraco Millonarios (COL)

Fonte: lancenet

Com gols de Obina, Tiago Real e Luan, Verdão consegue abrir boa vantagem para o jogo de volta, no próximo dia 23. Agora, o foco é no clássico contra o São Paulo, no sábado

Palmeiras x Millonarios - Copa Sul-Americana - Obina (Foto: Ari Ferreira)
Ao fundo, o invicto Kleina aplaude o artilheiro Obina (Foto: Ari Ferreira)

Com um time misto, o Palmeiras contou com a boa atuação de Daniel Carvalho para vencer o Millonarios (COL) por 3 a 1, nesta terça-feira, no Pacaembu, para um público de mais de seis mil torcedores, pela Copa Sul-Americana. Invicto no comando do Alviverde e estreando em partidas internacionais, Gilson Kleina contou com gols de Obina, Tiago Real e Luan para bater os colombianos. Pelo lado do rival, o gol contra de Artur diminuiu a diferença.

Com o resultado, o Verdão pode até perder por um gol de diferença, na Colômbia, no próximo dia 23, que avançará às quartas de final. Caso passe de fase, o clube pega o vencedor do confronto entre Barcelona (ECU) e Grêmio. Na primeira partida, fora de casa, o Tricolor gaúcho venceu por 1 a 0. Agora, mudando o foco, o clube volta as atenções para o clássico de sábado, contra o São Paulo, pelo Brasileiro.

O jogo
Com as atenções voltadas para o Brasileiro, o técnico Gilson Kleina optou por um time misto. Daniel Carvalho, que não vinha sendo utilizado por Felipão, ganhou chance com o novo treinador. E correspondeu. Nitidamente fora da condição física ideal, o meia foi desenvolto, armando o time, distribuindo o jogo, e chutando de média-longa distância. Com as especulações em relação ao meia Alex, ídolo do clube, Daniel fez juz às jogadas "à la Alex" e, em um passe primoroso, colocou Obina na cara do gol, que teve o tempo certo para sair atrás do zagueiro (em posição legal) e abriu o placar, logo no início da partida.

Tirando um peso das costas, a dupla, contestada por não manter o peso ideal, colocou o Verdão em vantagem. Com o novo treinador, aliás, o time passou a jogar na base da "blitz". Nos três jogos em que comandou o time, a equipe paulista abriu o placar antes dos 15 minutos iniciais, sempre saindo em vantagem e administrando o jogo.

O Millonarios, mesmo sendo líder no Campeonato Colombiano, apresentou um futebol fraco e não deu trabalho no primeiro tempo. Com praticamente a mesma equipe que perdeu de 8 a 0 para o espanhol Real Madrid, o time foi amplamente dominado, sem oferecer ao menos lampejos de perigo. Bruno só teve o trabalho de bater, esporadicamente, tiros de meta, pois não foi exigido. Sem triangulações, a equipe colombiana foi ao ataque com uma linha de quatro, tocando de lado, mas sem agredir o rival. Até a torcida do rival pouco inflamou. Com mais de dez faixas retangulares de incentivo, os torcedores ficaram "escondidos" atrás delas.

Após o tento, o jogo perdeu ritmo e ficou mais cadenciado. O Palmeiras, com o resultado a favor e pouco entrosamento, buscou o jogo pelas pontas. Sonolenta, a partida chamou mais atenção por lances fatídicos do que por boas jogadas. Ramírez, com o seu penteado, um misto de moicano com dread, se destacou. Sem sofrer sustos com o adversário, o temor ficou por conta das lesões. Maikon Leite, em dividida, saiu antes dos dez minutos e foi direto para o vestiário. Suspenso, ele já não enfrentaria o São Paulo, mas preocupa para a sequência. Pelo lado dos colombianos, Ortiz sofreu um corte na cabeça, mas se manteve em campo.

Tendo em vista as fragilidades do rival, Gilson Kleina, invicto no Verdão, tirou Márcio Araújo, pouco produtivo, no intervalo, e colocou Tiago Real ainda no intervalo. Com o mesmo ímpeto da primeira etapa e sem destoar da "blitz Kleina", o meia recebeu livre na entrada da área e fuzilou Delgado, que ficou imóvel com o chute que entrou a sua esquerda. Vale lembrar que o atleta foi inscrito nessa fase. Parece que o nome Real não agrada muito aos colombianos…

Com o time preso, o técnico Hernán Torres colocou a equipe mais para a frente. Com as entradas de Otalvaro e Vásquez, a equipe ganhou mais ímpeto ofensivo, e deu trabalho ao goleiro Bruno. Pressionando o já apático Palmeiras, o goleiro conseguiu evitar um gol em chute forte de Otalvaro. Contudo, em uma jogada de Cosme, Artur desviu a bola e ela foi parar dentro do gol, diminuindo a diferença no placar.

Mas, apenas administrando as fragilidades do rival, Luan decretou o placar final. Após ser acossado por Valdivia, Franco recuou muito mal e o atacante só teve o trabalho de driblar o goleiro, empurrar para o gol e dar a vantagem para o jogo de volta. É a terceira vitória de Gilson Kleina, a terceira com três gols marcados.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 x 1 MILLONARIOS (COL)
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 2/10/2012 (terça-feira), às 21h45
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)
Assistentes: Gustavo Rossi (ARG) e Ivan Nuñez (ARG)
Renda e Público: R$ 187.065,00 / 6.152 pagantes
Cartões Amarelos: Torres, Ramírez, Cosme (MIL); Román (PAL)
Cartões Vermelhos: Não houve
GOLS: Obina, aos 12’/1°T (1-0); Tiago Real, aos 8’/2°T (2-0); Artur (contra), aos 39’/2°T (2-1); Luan, aos 42’/2°T (3-1)
PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Román e Juninho; Márcio Araújo (Tiago Real – Intervalo), Henrique, Correa e Daniel Carvalho (Valdivia – 32’/2°T); Maikon Leite (Luan – 8’/1°T) e Obina. Técnico: Gilson Kleina.
MILLONARIOS: Delgado; Ochoa, Frano, Torres e Martínez; Ortiz (Vásquez – 25’/2°T), Ramírez, Robayo (Otalvaro – 9’/2°T) e Tancredi (Pelarza – 11’/2°T); Candelo e Cosme. Técnico: Hermán Torres.