Por Cezar Alvarenga – Seneme é o único arbitro brasileio na lista para a Copa de 2014.

Fonte: UOL Esportes

A Fifa divulgou nesta terça-feira a lista com os 52 árbitros pré-selecionados para a Copa do Mundo de 2014, que acontece no Brasil, com um representante do país-sede da competição: o paulista Wilson Luiz Seneme.

Todos participarão de seminário em Zurique até o próximo dia 28. Além do brasileiro, outro nome de destaque na lista é o do inglês Howard Webb, que comandou a decisão da Copa da África do Sul, em 2010, entre Espanha e Holanda.

Além de Seneme, foram pré-selecionados os auxiliares Alessandro Rocha Matos, da Bahia, e Emerson de Carvalho, de São Paulo.

Confira a lista dos 52 árbitros pré-selecionados pela Fifa para a Copa do Mundo de 2014:.

Uefa (19):.

Felix Brych (ALE).

Cüneyt Cakir (TUR).

Mark Clattenburg (ING).

Jonas Eriksson (SUE).

Viktor Kassai (HUN).

Pavel Kralovec (RTC).

Bjorn Kuipers (HOL).

Stéphane Lannoy (FRA).

Milorad Mazic (SER).
Svein Oddvar Moen (NOR).

Pedro Proença (POR).

Nicola Rizzoli (ITA).

Gianluca Rocchi (ITA).

Damir Skomina (ESL).

Wolfgang Stark (ALE).

Craig Thomson (ESC).

Alberto Undiano Mallenco (ESP).

Carlos Velasco Carballo (ESP).

Howard Webb (ING).

Conmebol (10):.

WILSON LUIZ SENEME (BRA).

Diego Abal (ARG).

Antonio Arias (PAR).

Víctor Carrillo (PER).

Raul Orosco (BOL).

Enrique Osses (CHI).

Wilmar Roldan (COL).

Roberto Silvera (URU).Juan Soto (VEN).

Carlos Vera (EQU).

Concacaf (7).

Joel Antonio Aguilar Chucas (ESA).

Roberto García Orozco (MEX).

Mark Geiger (EUA).

Walter Alexander López Castellanos (GUA).

Jair Antonio Marrufo (EUA).

Roberto Moreno Salazar (PAN).

Marco Antonio Rodríguez Moreno (MEX).

AFC – Ásia (7):.

Ali Hamad Albadwawi (EAU).

Khalil Ibrahim Al-Ghamdi (ARA).

Alireza Faghani (IRI).

Ravshan Irmatov (UZB).

Yuichi Nishimura (JAP).

Nawaf Abdulla Ghayyath Shukralla (BRN).Benjamin Jon Williams (AUS).

CAF – África (7)

Neant Alioum (CAM).

Daniel Bennett (AFS).

Badara Diatta (SEN).

Noumandiez Desire Doue (COM).

Bakary Papa Gassama (GAM).

Djamel Haimoudi (ALG).

Slim Jedidi (TUN).

OFC – Oceania (2).

Norbert Hauata (TAT).

Peter O’Leary (NZL).

Por Cezar Alvarenga – Segundo Globo, Palmeiras não terá redução na quota se cair para a Série B.

Fonte: Yahoo! Esportes

Caso seja rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras não terá nenhuma perda financeira em sua cota de televisão para 2013. É o que está previsto no contrato individual do clube com a TV Globo, que confirmou que não haverá corte para o clube nesta hipótese.

Isso significa que o novo documento individual é mais vantajoso para times que caírem à Série B do que o anterior feito em acordo coletivo. Por aquele acerto anterior, o time perdia 50% da cota no primeiro ano atuando pela segunda divisão.

Agora, a equipe só passará a ter uma perda a partir do segundo ano atuando na Segundona, quando receberá 75% do valor integral. A partir do terceiro ano é que a cota cairá para 50%. No quarto ano, o montante a ser recebido será de 25%.

Incluídos todos os direitos, a cota do Palmeiras gira em torno de R$ 80 milhões por ano, um valor só inferior aos recebidos por São Paulo, Flamengo e Corinthians.

Obviamente, a Globo terá os direitos de transmissão do Palmeiras em uma eventual disputa da Série B. “Ficará disponível  para nossos filiados. Pode ser usado pelas regionais ou pela principal”, afirmou o diretor-executivo da Globo, Marcelo Campos Pinto, que está na Suíça por compromissos ligados à Copa-2014.

Por Cezar Alvarenga – Zagueiro Henrique pede fim de ameaças no Palmeiras.

Fonte: Yahoo! Esportes

Os jogadores do Palmeiras estão bastante incomodados com a situação de João Vítor. Ameaçado pela torcida, o volante tem treinado afastado e pode nem voltar mais a atuar pelo time paulista. Nesta terça-feira, foi a vez de Henrique vir à público e pedir que a torcida resolva as pendências que tem com os atletas de maneira civilizada.

Um dos líderes do elenco, o zagueiro que tem atuado como volante afirmou que João faz muita falta ao grupo e que ameaça nenhuma vai fazer o time jogar melhor.

“Todo mundo é homem. A torcida e os jogadores precisam conversar melhor. A gente não está aqui para brincadeira, para ficar tirando sarro de ninguém. Nós estamos em uma situação de vergonha e às vezes a gente nem sai de casa. O João Vítor nos ajudou bastante sempre, desde a Copa do Brasil e vinha jogando até com o dedão do pé (direito) quebrado”, disse ele.

“Aí a pressão cai toda para cima de uma pessoa, sendo que o elenco todo tem a culpa. Ele é um jogador que nos ajuda bastante e aí sofre uma ameaça…. Claro que tem que cobrar a gente, mas temos que resolver as coisas como homens, como pessoas civilizadas e que tudo seja resolvido com clareza”, completou.

Nesta terça-feira, está prevista uma reunião entre João Vítor e diretoria do Palmeiras. Com contrato até dezembro, dificilmente o volante ficará em 2013 no Palestra Itália.

Por Cezar Alvarenga – Em acordo, Rede Globo anunciará Naming Rights das arenas a partir de2013.

Fonte: Yahoo! Esportes

A Globo divulgará os naming rigths (nomes cedidos a patrocinadores) de estádios a partir de 2013. Em troca, receberá uma remuneração ainda a ser definida.  O acordo já está fechado entre a televisão e os clubes como confirmou o executivo da emissora Marcelo Campos Pinto.

Há duas possibilidades: a Globo pode receber um percentual pequeno dos contratos fechados pelos clubes ou cobrar dos patrocinadores uma cota para divulgá-los. “O departamento comercial está definindo a forma. A parte da emissora será pequena. Os clubes vão ficar com o grosso”,  informou Campos Pinto.

A emissora já anuncia em suas transmissões o nome da Petrobras neste ano relacionada ao Campeonato Brasileiro, mas ainda sem receber nada pois ainda não havia um acordo neste sentido.

É antiga a reivindicação dos clubes de futebol para que a emissora fale os nomes de naming rights de estádios. Mas a Globo sempre resistiu porque não haveria nenhum ganho. Os times tentaram incluir essa questão em contratos de televisão, sem sucesso até agora.

Os clubes veem nos naming rights uma nova fonte de receita. O Corinthians, por exemplo, espera arrecadar cerca de R$ 350 milhões para ceder o nome de seu estádio em Itaquera a um patrocinador. No Brasil, a experiência mais famosa de naming rights foi feita pelo Atlético-PR, que por alguns anos mudou o nome da Arena da Baixada para Kyocera Arena.

Por Cleber Aguiar – Contusão de Ganso é ‘incurável’, diz cartola

Fonte: O Estado de São Paulo

Na Suíça, o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, afirmou que a contusão é mais séria do que parece

JAMIL CHADE , ENVIADO ESPECIAL / ZURIQUE – O Estado de S.Paulo

A contusão do meia Paulo Henrique Ganso é “incurável”. Quem afirma é o presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, que ontem fez questão de deixar claro que o ex-jogador do Santos vai receber menos no São Paulo em relação à proposta que lhe foi feita pela direção do clube para que ele continuasse na Vila Belmiro.

Em Zurique, Suíça, onde participava de reuniões na Fifa ontem, o dirigente do Santos falou com o Estado sobre a situação física do jogador e apontou que “o problema é sério”. “Vão ter de acompanhar com muito cuidado o jogador. Na minha opinião, o que ele tem é incurável”, disse, sem dar maiores detalhes sobre os problemas do atleta.

Nos últimos meses, Ganso tem sofrido por sua situação física e, mesmo durante a transferência, voltou a sentir dores. O cartola insistiu que estava “aliviado” com o final da novela. “Não aguentava mais. Sua saída foi a melhor solução”, disse. Luis Alvaro esteve na Europa no momento crítico das negociações sobre o futuro do jogador. Mas garantiu que acompanhou tudo “online”.

Propostas. Mais tarde, em conversa com jornalistas brasileiros, o cartola revelou que Ganso recebeu quatro propostas diferentes para ficar no Santos e que, na última, ele ganharia R$ 420 mil, contra os R$ 350 mil mensais que vai receber em novo contrato, com o São Paulo. “Ele ganharia mais no Santos. Mas a verdade é que ele não queria mais jogar no nosso clube”, disse.

O dirigente ainda confirmou que a venda de Ganso terminava com a parceria entre o time e a empresa DIS, do Grupo Sonda. A companhia tem 55% dos direitos de Ganso. “É um final de casamento”, admitiu Ribeiro. Além de Ganso, a DIS ainda é dona de 40% do passe de Neymar.

Desconhecimento. As declarações de Luis Alvaro causaram estranheza entre os próprios médicos do clube, que negaram uma lesão incurável. “Não é do meu conhecimento que o atleta tenha um problema físico irreversível. As lesões que o Ganso sofreu são comuns em jogadores, tanto do Santos como de outros clubes. São problemas de ligamentos, musculares e de traumas. Se existe algo além disso não é do meu conhecimento, afirmou Rodrigo Zogaib, que acompanhava de perto a rotina do atleta.

Dor de cotovelo. O Estado tentou contato com o médico Renê Abdalla, que avaliou o joelho do jogador, mas não obteve resposta. Em conversas informais com diretores logo após o desfecho da negociação já havia a expectativa de que o Santos faria o possível para diminuir o impacto da perda. Um diretor chegou a falar em “dor de cotovelo” pelo meia ter preferido o Morumbi à Vila.

ICFUT – Fifa anunciará sua segunda Copa do Mundo com meia-entrada, ambas no Brasil

Fonte: uol

Copa de 2014 será a primeira com meia-entrada desde 1950, também no Brasil

Copa de 2014 será a primeira com meia-entrada desde 1950, também no Brasil

A Fifa divulgará no meio de outubro, entre 16 e 19, a política de ingressos para a Copa do Mundo-2014 e para a Copa das Confederações-2013. No pacote, só faltarão os preços do Mundial. E, pela segunda vez em sua história, a entidade terá de fazer um sistema com meia-entrada.

Desta vez, em 2014, o processo incluirá meia-entrada para idosos como previsto em legislação nacional. A questão dos estudantes será determinada por leis estaduais a princípio.

Os arquivos indicam que apenas na Copa-1950, também no Brasil, houve meia-entrada. Retirado dos arquivos da Fifa, o relatório da CBD (antiga Confederação Brasileira de Desportos) mostra que estudantes e militares pagam ingressos com descontos naquela época.

O relatório da CBD revelou que 21.449 militares entraram pagando apenas metade, e outros 5.617 estudantes fizeram o mesmo. Mas há ainda registro de meias-entradas na arquibancada (7.093) e na geral (4.637). O número é pequeno perto do cerca de 1 milhão de ingressos vendidos.

Para 2014, a Fifa anunciará as quatro categorias de bilhetes e suas regras no meio de outubro. Uma delas tem uma tarifa social, destinada a brasileiros como foi feito na África do Sul. Os preços ainda não foram definidos.

Também serão anunciados as categorias e os preços da Copa das Confederações, cujos bilhetes terão de ser vendidos até ao final do ano. A intenção é que as entradas para a Copa sejam comercializadas um pouco depois dessa competição.

ICFUT – Esquecido na reserva, goleiro Julio Cesar abre loja do clube e reaquece relação com a torcida

Fonte: uol

Irmão de Julio Cesar, Caio gerencia loja; uniforme de Sheik é o campeão de venda

Irmão de Julio Cesar, Caio gerencia loja; uniforme de Sheik é o campeão de venda

Julio Cesar se afastou do noticiário do Corinthians após as falhas contra a Ponte Preta que causaram a eliminação do clube do Campeonato Paulista. A ascensão de Cássio no gol corintiano fez Julio virar segunda opção, se tanto, para o técnico Tite. Mas a relação de Julio Cesar com a torcida alvinegra segue próxima: ele possui uma franquia da loja Poderoso Timão, rede oficial do clube.

A loja corintiana de Julio Cesar fica no shopping Mooca, em São Paulo. Revelado pelo clube, o goleiro vem de família corintiana. Para gerenciar o espaço alvinegro no shopping, Julio empregou a mulher e o irmão.

O goleiro aparece menos duas vezes por semana na loja para se reunir com os familiares e conferir as vendas.

Julio citou a ligação familiar com o Corinthians e a diversidade de produtos licenciados pelo clube para pôr em prática a ideia de ter uma franquia alvinegra.

Bruno Thadeu/UOL

Loja de Julio Cesar vende produtos licenciados do Corinthians, entre os quais lingerie e calcinha

“O Corinthians tem uma marca muito valiosa. Todos sabem disso. Eu nasci no clube, fui criado e tenho muita identificação com o Corinthians. Juntei o útil ao agradável. A loja credenciada pelo Corinthians é uma forma de pensar já no futuro. Sempre que posso dou um um pulo na loja para saber como está”, explicou Julio Cesar.

O UOL Esporte conferiu a loja do goleiro corintiano. O uniforme de Emerson Sheik é disparado o mais procurado pelos torcedores, segundo informou Caio Augusto, irmão de Julio Cesar.

“De cada cinco uniformes que vendemos, pelo menos três são do Emerson. Depois da conquista da Libertadores, a procura aumentou bastante, principalmente para camisas ligadas ao Sheik”, disse Caio Augusto.

Paulinho e Romarinho são outros dois nomes que se aproximam de Emerson em vendas.

“O problema é que às vezes não é possível escrever Romarinho em uniformes infantis. Tem muita letra. Mas sai muito Chicão, Ralf e outros”, sorri Caio.

Julio garante não ter regalias por ser atleta do Corinthians.

“Não tem nenhuma vantagem. É sério. A coisa boa é que às vezes consigo convencer o Jorge Henrique e o pessoal para conhecer a loja”.

ICFUT – Fla adota paz em reencontro com R10, mas meia faz pacto e vê guerra com ex-clube

Fonte: uol

Ronaldinho não esconde dos companheiros a vontade de superar o Flamengo, ex-clube

Ronaldinho não esconde dos companheiros a vontade de superar o Flamengo, ex-clube

Após acusações, promessas de “bala de canhão” e muito ataque nos bastidores na luta travada com Ronaldinho Gaúcho desde sua saída do clube em maio, o Flamengo quer paz para o reencontro desta quarta-feira. O discurso ameno do rubro-negro e a tentativa de minimizar o duelo no Engenhão, no entanto, não encontram eco no lado do jogador do Atlético-MG. Incomodado com a maneira como deixou a Gávea e com a perseguição sofrida a partir daquele momento, o jogador vê o duelo como uma guerra e fez um pacto com seus companheiros de time pedindo uma vitória como resposta aos cariocas.

Mesmo dizendo à imprensa que a partida adiada pelo Campeonato Brasileiro será “apenas mais uma”, Ronaldinho não esconde nos bastidores a preocupação em conseguir um bom resultado diante do antigo clube. A ideia do ex-camisa 10 rubro-negro é mostrar, principalmente aos mandatários do clube da Gávea, que deveria ter sido tratado melhor para render o que sabe dentro de campo.

Ronaldinho Gaúcho, do Atlético-MG, tenta a jogada na partida contra o Grêmio pela 26ª rodada do Brasileirão RAMON BITENCOURT/AGÊNCIA I7/AE

A reportagem do UOL Esporte apurou que o atual camisa 49 do time mineiro repetiu o que havia feito no jogo com o Grêmio – onde também coleciona inimizades – no primeiro turno, e pediu aos companheiros que entrassem em campo para as “partidas de suas vidas” contra o Flamengo. Em reunião com os jogadores atleticanos na noite do último domingo e em discurso reforçado na Cidade do Galo na segunda, ele lembrou o desempenho do time mineiro na vitória por 1 a 0 sobre o tricolor gaúcho no início de julho e ressaltou que esta será a disputa mais importante do ano para ele.

Ainda que Ronaldinho insista que é apenas mais um jogo e o Flamengo evite polêmicas sobre a partida desta quarta-feira, contra o Atlético-MG, a Polícia Militar do Rio de Janeiro prepara um verdadeiro “esquema de guerra” para garantir a segurança no reencontro entre o ex-camisa 10 e o rubro-negro. Entre oficiais do batalhão próximo ao Engenhão, policiais do GEPE (Grupamento especial de policiamento em estádio) e membros da tropa de choque, a PM irá contar com aproximadamente 500 homens para a ocasião

“Fechados” com o craque, os atleticanos prontamente prometeram empenho máximo e muita disposição pelo capitão por entenderem as circunstâncias do jogo, assim como no duelo contra o Grêmio na primeira metade da competição. “Ele disse que era o jogo mais importante até então no ano, pelas críticas, cobranças que sofria quando joga em Porto Alegre, a torcida estava mexendo com a sua família e ninguém gosta. Fizemos o possível para vencer e vimos a felicidade dele com isso. E vai ser assim sempre”, ressaltou o lateral Marcos Rocha.

O espírito de batalha, contudo, ficará apenas do lado do Atlético-MG. Pelo menos é o que garante o Flamengo. “Ronaldo é parceiro, amigo. Não tem essa de duelo especial. Os problemas dele foram administrativos, sem qualquer ligação com os jogadores em campo”, analisou o lateral Léo Moura. “O encontro para nós está em segundo plano. Temos outras preocupações. Não vou nem citar isso nas minhas conversas. Isso não é necessário. Os jogadores sabem diferenciar uma situação da outra”, minimizou Dorival Júnior.

Enquanto jogadores e técnico falam, a diretoria se cala. Todos os membros da cúpula do Flamengo procurados pelo UOL Esporte se recusaram a falar sobre o clima hostil do reencontro com o ex-camisa 10, que pede na Justiça uma indenização de R$ 40 milhões por falta de pagamento de direitos de imagem, atraso de salário e danos morais.

Internamente, os dirigentes reconhecem que falaram demais no início da “briga” e que agora o foco é outro, com o clube lutando para se afastar da zona de rebaixamento. Segundo eles, um clima de guerra do lado do Flamengo neste momento só poderia aumentar a pressão do time da Gávea e atrapalhar a campanha para se reerguer no Brasileiro.

Para mostrar a paz no reencontro, o clube destacou até mesmo um efetivo maior de seguranças para cuidar da movimentação do ônibus que transportará a delegação do Atlético-MG no Engenhão.

"O momento é de paz. Estaremos lá para ajudar um co-irmão pois será um jogo de alto apelo e sabemos o que envolve. Teremos cerca de 40 homens no estádio para cuida de toda a segurança. A torcida não irá fazer tumulto lá dentro. Se quiser se manifestar, só nas arquibancadas, com vaias ao adversário e incentivo ao nosso time", explicou José Pinheiro, chefe da segurança rubro-negra.

De fato, se não chega a ser uma guerra para os rubro-negros, a partida contra o Atlético-MG é uma decisão. Na rodada que passará a ter o mesmo número de jogos de todos os outros times da competição, o Flamengo precisa desesperadamente de uma vitória para abrir oito pontos de vantagem da zona da degola e afastar o fantasma do rebaixamento chegando à 10ª colocação na tabela.