ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE C: Resultados, classificação e artilharia

Fonte: futebolinterior

Luverdense garante liderança e beneficia o Cuiabá

Vitória do líder tirou o Cuiabá da zona do rebaixamento; Treze voltou

Campinas, SP, 26 (AFI) – Neste domingo, dois jogos encerraram a nona rodada do Campeonato Brasileiro da Série C. O Luverdense venceu o Treze, por 2 a 1, em Campina Grande-PB, e acabou beneficiando o Cuiabá, que ficou no empate contra o Salgueiro, por 1 a 1, em casa.

Com o resultado, o time matogrossense chegou aos sete pontos e deixou a zona de rebaixamento do Grupo A para assumir a oitava colocação. Sendo assim, o Treze retornou à zona dos degolados na nona posição com sete pontos, depois da segunda derrota consecutiva. Já o Luverdense manteve a liderança, agora, com 21 pontos.

Macaé encostou no líder. F: Tiago Ferreira

Os oitos jogos abriram a rodada neste sábado, com destaque para agoleada do Santa Cruz por 6 a 1, para cima do Águia. O resultado garantiu uma vaga no G4, na terceira colocação com 13 pontos. Ficando a sete do Fortaleza, que venceu o Guarany, por 4 a 1, e manteve a segunda posição.

Pelo Grupo B, a Chapecoense manteve a liderança com 15 pontos mesmo com a derrota para o Tupi, por 1 a 0, em Juiz de Fora-MG. Mas o resultado permitiu a aproximação do Macaé, que venceu o Santo André, fora de casa, por 3 a 0, e abriu o grupo dos times com 14 pontos, na segunda colocação, seguido por Vila Nova, Oeste e Madureira.

Confira os jogos da 9.ª rodada:

Sábado
Madureira-RJ 1 x 1 Oeste-SP
Caxias-RS 0 x 1 Duque de Caxias-RJ
Santo André-SP 0 x 3 Macaé-RJ
Paysandu-PA 1 x 1 Icasa-CE
Santa Cruz-PE 6 x 1 Águia-PA
Vila Nova-GO 1 x 0 Brasiliense-DF
Fortaleza-CE 4 x 1 Guarany-CE
Tupi-MG 1 x 0 Chapecoense-SC
Domingo
Cuiabá-MT 1 x 1 Salgueiro-PE
Treze-PB 1 x 2 Luverdense-MT

Classificação

Grupo A
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Luverdense-MT 21 9 7 0 2 18 12 6 77.8
2  Fortaleza-CE 20 9 6 2 1 13 5 8 74.1
3  Santa Cruz-PE 13 9 3 4 2 19 12 7 48.1
4  Salgueiro-PE 13 9 3 4 2 17 13 4 48.1
5  Paysandu-PA 13 9 3 4 2 11 9 2 48.1
6  Águia-PA 12 9 3 3 3 14 18 -4 44.4
7  Icasa-CE 11 9 3 2 4 9 12 -3 40.7
8  Cuiabá-MT 8 9 1 5 3 7 10 -3 29.6
9  Treze-PB 7 9 2 1 6 8 17 -9 25.9
10  Guarany-CE 4 9 1 1 7 10 18 -8 14.8
 
Grupo B
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Chapecoense-SC 15 9 4 3 2 8 7 1 55.6
2  Macaé-RJ 14 9 4 2 3 19 11 8 51.9
3  Vila Nova-GO 14 9 4 2 3 17 11 6 51.9
4  Oeste-SP 14 9 4 2 3 10 10 0 51.9
5  Madureira-RJ 14 9 4 2 3 9 11 -2 51.9
6  Caxias-RS 13 9 4 1 4 12 13 -1 48.1
7  Duque de Caxias-RJ 12 9 4 0 5 11 14 -3 44.4
8  Santo André-SP 11 9 2 5 2 8 10 -2 40.7
9  Tupi-MG 9 9 2 3 4 7 10 -3 33.3
10  Brasiliense-DF 8 9 2 2 5 10 14 -4 29.6
LegendaPG – Pontos Ganhos | JG – Jogos Disputados | VI – Vitórias | EM – Empates
DE – Derrotas | GP – Gols Pró | GC – Gols Contra | SG – Saldo de Gols
%A – Porcentual de Aproveitamento de Pontos


 
 
Classificados para segunda fase
 
 
Rebaixados à Serie D

Artilharia

Atualizado em 26/08 às 20h05

8 GOLS
Vila Nova-GO– Pedro Júnior

7 GOLS
Santa Cruz-PE – Dênis Marques

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE D: Resultados, classificação e artilharia

Fonte: futebolinterior

Mogi Mirim e mais seis se classificam às oitavas-de-final

Mais dois clubes se classificarão na quarta-feira, em jogos adiados do Grupo A1

Campinas, SP, 26 (AFI) – Numa tarde repleta de emoções, Mogi Mirim e mais seis clubes se classificaram às oitavas-de-final do Campeonato Brasileiro da Série D. Todos os jogos aconteceram às 16 horas (horário de Brasília) e válidos pela última rodada do returno. Lembrando que avançaram os dois primeiros colocados de cada chave.

Antes de a bola rolar, oito clubes já estavam garantidos à próxima fase da Quarta Divisão: Sampaio Corrêa (MA) e Mixto (MT), no Grupo A2; Baraúnas (RN) no A3; CSA (AL) no A4; Ceilândia (DF) no A5; Friburguense (RJ), no A6; Cianorte (PR) no A7 e Metropolitano (SC) no Grupo A8.

No Grupo A3, o Campinense (PB) não desperdiçou a chance de atuar contra o lanterna Petrolina (PE), em Pernambucano, venceu por 3 a 1, e com isso terminou a primeira fase na vice-liderança, com 14 pontos ganhos. O líder foi o Baraúnas (RN), que folgou na rodada e encerrou a participação com 15.

Com o CSA (AL) já classificado de forma antecipada, as atenções no Grupo A4 ficaram voltadas para o confronto entre Sousa (PB) e Feirense (BA), que jogaram na Paraíba e empataram por 0 a 0. O resultado classificou o time paraibano, que ficou na segunda posição, com 13 pontos – dois a mais que o rival, com 11.

Com uma virada impressionante – perdia por 2 a 0 -, o Crac (GO) venceu o Sobradinho (DF), por 3 a 2, chegou aos 15 pontos e terminou a primeira fase na liderança do Grupo A5. O outro classificado na chave foi o Ceilândia (DF), que mesmo perdendo por 4 a 2, para o Aparecidense (GO), ficou em segundo, com 14.

No Grupo A6, com o Friburguense (RJ) já classificado e cumprindo tabela diante do Guarani (MG), todas as atenções ficaram para Nacional (MG) e Volta Redonda (RJ). Quem levou a melhor foi o clube mineiro, que venceu por 3 a 2 e encerrou a primeira fase na segunda posição, com 13 pontos – quatro a mais que Aracruz (ES), terceiro colocado.

E se o Marília (SP) não foi um bom representante paulista no Grupo A7 – empatou por 1 a 1, como Cianorte (PR) -, mas terminou em quarto lugar, com nove pontos -, o Mogi Mirim (SP) fez bonito no Sul do país ao empatar por 0 a 0, com o Cerâmica (RS), e se classificar à próxima fase na segunda posição, com 13 pontos. Cianorte foi o líder, com 17.

Por fim, os dois classificados no Grupo A8 foram Metropolitano (SC) e Juventude (RS), que se enfrentaram em Caxias do Sul e empataram por 0 a 0. Os catarinenses terminaram na liderança, com 14 pontos, e os gaúchos na vice-liderança, com 12. Arapongas, com dez, foi o terceiro; Brasil, com nove, foi o quarto; e Mirassol, com sete, o lanterna da chave.

Rodada adiada
Em jogo adiado e válido pela sexta rodada, o Vilhena (RO) venceu o Atlético Acreano (AC), por 4 a 0, assumiu a liderança do Grupo A1, com 15 pontos, e se classificou para às oitavas-de-final. O detalhe é que neste grupo, o vice-líder é o Remo (PA), com 13 pontos, e que não entrou em campo. Simples empate na última rodada classifica o time paraense.

Confira os jogos da 10.ª rodada:


Domingo
Araguaína-TO 0 x 2 Comercial-PI
Petrolina-PE 1 x 3 Campinense-PB
Horizonte-CE 2 x 1 Ypiranga-PE
Vitória da Conquista-BA 0 x 1 CSA-AL
Sousa-PB 0 x 0 Feirense-BA
Crac-GO 3 x 2 Sobradinho-DF
Ceilândia-DF 2 x 4 Aparecidense-GO
Friburguense-RJ 6 x 0 Guarani-MG
Nacional-MG 3 x 2 Volta Redonda-RJ
Marília-SP 1 x 1 Cianorte-PR
Cerâmica-RS 0 x 0 Mogi Mirim-SP
Juventude-RS 0 x 0 Metropolitano-SC
Arapongas-PR 0 x 0 Brasil-RS
Sampaio Corrêa-MA 1 x 0 Mixto-MT
Vilhena-RO 4 x 0 Atlético Acreano-AC

Classificação

Grupo A1
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Vilhena-RO 15 7 5 0 2 16 8 8 71.4
2  Remo-PA 13 7 4 1 2 18 15 3 61.9
3  Atlético Acreano-AC 10 7 3 1 3 16 13 3 47.6
4  Penarol-AM 9 7 3 0 4 14 13 1 42.9
5  Náutico-RR 6 8 2 0 6 9 24 -15 25.0
 
Grupo A2
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Sampaio Corrêa-MA 24 8 8 0 0 25 2 23 100.0
2  Mixto-MT 12 8 3 3 2 13 9 4 50.0
3  Comercial-PI 8 8 2 2 4 6 13 -7 33.3
4  Santos-AP 4 8 1 4 3 9 16 -7 16.7
5  Araguaína-TO 3 8 0 3 5 4 17 -13 12.5
Santos-AP perdeu 3 pontos por escalação de jogador irregular
 
Grupo A3
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Baraúnas-RN 15 8 4 3 1 12 7 5 62.5
2  Campinense-PB 14 8 4 2 2 11 8 3 58.3
3  Horizonte-CE 13 8 3 4 1 9 5 4 54.2
4  Ypiranga-PE 8 8 2 2 4 13 15 -2 33.3
5  Petrolina-PE 3 8 0 3 5 9 19 -10 12.5
 
Grupo A4
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  CSA-AL 20 8 6 2 0 15 3 12 83.3
2  Sousa-PB 13 8 3 4 1 7 5 2 54.2
3  Feirense-BA 11 8 3 2 3 9 12 -3 45.8
4  Itabaiana-SE 6 8 1 3 4 5 10 -5 25.0
5  Vitória da Conquista-BA 4 8 1 1 6 7 13 -6 16.7
 
Grupo A5
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Crac-GO 15 8 4 3 1 15 9 6 62.5
2  Ceilândia-DF 14 8 4 2 2 14 14 0 58.3
3  CENE-MS 13 8 4 1 3 17 11 6 54.2
4  Aparecidense-GO 10 8 3 1 4 11 15 -4 41.7
5  Sobradinho-DF 3 8 0 3 5 8 16 -8 12.5
 
Grupo A6
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Friburguense-RJ 16 8 4 4 0 13 4 9 66.7
2  Nacional-MG 13 8 3 4 1 7 5 2 54.2
3  Aracruz-ES 9 8 2 3 3 5 7 -2 37.5
4  Volta Redonda-RJ 8 8 2 2 4 5 6 -1 33.3
5  Guarani-MG 6 8 1 3 4 3 11 -8 25.0
 
Grupo A7
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Cianorte-PR 18 8 5 3 0 14 4 10 75.0
2  Mogi Mirim-SP 13 8 3 4 1 10 7 3 54.2
3  Cerâmica-RS 11 8 3 2 3 10 7 3 45.8
4  Marília-SP 7 8 1 4 3 7 15 -8 29.2
5  Concórdia-SC 4 8 1 1 6 7 15 -8 16.7
 
Grupo A8
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Metropolitano-SC 14 8 4 2 2 8 7 1 58.3
2  Juventude-RS 12 8 3 3 2 7 4 3 50.0
3  Arapongas-PR 10 8 2 4 2 6 6 0 41.7
4  Brasil-RS 9 8 2 3 3 6 7 -1 37.5
5  Mirassol-SP 7 8 1 4 3 8 11 -3 29.2
LegendaPG – Pontos Ganhos | JG – Jogos Disputados | VI – Vitórias | EM – Empates
DE – Derrotas | GP – Gols Pró | GC – Gols Contra | SG – Saldo de Gols
%A – Porcentual de Aproveitamento de Pontos


 
 
Classificados para as oitavas

Artilharia

Atualizado em 26/08 às 21h50

8 GOLS
Crac-GO Nino Guerreiro
CSA-AL – Ronaldo

7 GOLS
Aparecidense-GO – Assoélio
Remo-PA – Ratinho
Ypiranga-PE – Neto Alagoano

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Resultados, gols, classificação e artilharia

LINK AO VIVO PARA A RODADA DOS CLÁSSICOS – BRASILEIRÃO 2012

Vasco 1 x 2 Fluminense  25/08/2012 – 19ª rodada – Brasileirão 2012
Palmeiras 1 x 2 Santos – Brasileiro Série A 2012
Ponte Preta 2 x 1 Portuguesa – Gols – 25/08/2012 – 19ª rodada – Brasileirão 2012
Corinthians 1 x 2 São Paulo – Melhores Momentos – Brasileirão 2012
Cruzeiro 2 x 2 Atlético-MG | 26/08/2012 | 19ª Rodada Brasileirão 2012
Botafogo 0 x 0 Flamengo |  26/08/2012 | 19ª Rodada Brasileirão 2012
Internacional 0 x 1 Grêmio, GreNal 393 – Brasileirão 2012
Sport 0 x 0 Náutico –  Brasileirão 2012
Ponte Preta 2 x 1 Portuguesa – Gols – 25/08/2012 – 19ª rodada – Brasileirão 2012
Figueirense 3 x 1 Coritiba – Gols – 26/08/2012 – 19ª rodada – Brasileirão 2012

9 GOLS
Flamengo – Vágner Love
Fluminense –
Fred
São Paulo – Luis Fabiano

8 GOLS
Vasco – Alecsandro

7 GOLS
Botafogo – Andrezinho
Palmeiras – Barcos
Ponte Preta – Roger
Cruzeiro –
Wellington Paulista

 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Atlético-MG 43 18 13 4 1 33 13 20 79.6
2  Fluminense-RJ 42 19 12 6 1 31 11 20 73.7
3  Grêmio-RS 37 19 12 1 6 29 16 13 64.9
4  Vasco da Gama-RJ 35 19 10 5 4 25 17 8 61.4
5  São Paulo-SP 31 19 10 1 8 29 24 5 54.4
6  Internacional-RS 31 19 8 7 4 22 15 7 54.4
7  Botafogo-RJ 28 19 8 4 7 30 24 6 49.1
8  Cruzeiro-MG 28 19 8 4 7 24 27 -3 49.1
9  Flamengo-RJ 26 18 7 5 6 21 22 -1 48.1
10  Santos-SP 26 19 6 8 5 23 23 0 45.6
11  Náutico-PE 24 19 7 3 9 24 29 -5 42.1
12  Corinthians-SP 24 19 6 6 7 20 20 0 42.1
13  Ponte Preta-SP 23 19 6 5 8 21 26 -5 40.4
14  Portuguesa-SP 22 19 5 7 7 17 21 -4 38.6
15  Coritiba-PR 19 19 5 4 10 31 37 -6 33.3
16  Bahia-BA 17 19 3 8 8 15 24 -9 29.8
17  Palmeiras-SP 16 19 4 4 11 18 23 -5 28.1
18  Atlético-GO 16 19 3 7 9 20 33 -13 28.1
19  Sport-PE 15 19 3 6 10 13 26 -13 26.3
20  Figueirense-SC 14 19 3 5 11 18 33 -15 24.6
19ª RODADA
25/08 – 18h30 Vasco da Gama-RJ 1 x 2 Fluminense-RJ
25/08 – 18h30 Palmeiras-SP 1 x 2 Santos-SP
25/08 – 21h00 Ponte Preta-SP 2 x 1 Portuguesa-SP
26/08 – 16h00 Figueirense-SC 3 x 1 Coritiba-PR
26/08 – 16h00 Internacional-RS 0 x 1 Grêmio-RS
26/08 – 16h00 Botafogo-RJ 0 x 0 Flamengo-RJ
26/08 – 16h00 Corinthians-SP 1 x 2 São Paulo-SP
26/08 – 18h30 Bahia-BA 1 x 1 Atlético-GO
26/08 – 18h30 Cruzeiro-MG 2 x 2 Atlético-MG
26/08 – 18h30 Sport-PE 0 x 0 Náutico-PE
20ª RODADA
29/08 – 19h30 Santos-SP x Bahia-BA
29/08 – 19h30 Coritiba-PR x Internacional-RS
29/08 – 20h30 Atlético-MG x Ponte Preta-SP
29/08 – 20h30 Portuguesa-SP x Palmeiras-SP
29/08 – 20h30 Náutico-PE x Figueirense-SC
29/08 – 22h00 Grêmio-RS x Vasco da Gama-RJ
29/08 – 22h00 Fluminense-RJ x Corinthians-SP
29/08 – 22h00 Atlético-GO x Cruzeiro-MG
30/08 – 21h00 São Paulo-SP x Botafogo-RJ
30/08 – 21h00 Flamengo-RJ x Sport-PE

Por Cleber Aguiar – Aloísio dá show, marca três vezes e Figueirense vence Coritiba

Fonte:Gazetaesportiva.net

O Figueirense contou com a estrela do atacante Aloísio para vencer o Cortiba por 3 a 1, na tarde deste domingo, no Orlando Scarpelli. O centroavante marcou os três gols da equipe catarinense e decidiu a partida, enquanto Anderson Aquino diminuiu para o Coxa.

Na lanterna da competição, o Figueirense entrava pressionado em campo para conseguir a vitória e, por isso, foi para cima do Coritiba. Logo, aos nove minutos, Aloísio tabelou com Claudinei, mas chutou por cima. Pouco tempo depois, o centroavante teve outra boa oportunidade, mas mandou de cobertura por cima da trave.

De tanto insistir, o atacante e o Figueira finalmente chegaram ao gol. Após chute no poste de Caio, a bola sobrou para Aloisio, que driblou o zagueiro Pereira e abriu o marcador. Nem deu tempo de comemorar e, cinco minutos depois, o centroavante mostrou que estava com estrela e fez seu segundo gol, em finalização precisa, após cruzamento de Caio.

Aloísio dribla Pereira para abrir o marcador na vitória do Figueira sobre o Coxa. O atacante marcou três gols no jogo.

Com dois gols de desvantagem, o Coritiba passou a jogar mais no ataque e, aos 32 minutos, conseguiu diminuir. Robinho cruzou para o meio da área e Anderson Aquino dividiu com o goleiro para marcar o primeiro do Coxa no jogo.

Na segunda etapa, Marcelo Oliveira, técnico do Coritiba, colocou o ala esquerdo Eltinho no lugar do volante Junior Urso , visando o empate. Porém, logo aos sete minutos, os visitantes receberam uma ducha de água fria. Aloísio recebeu ótimo cruzamento de Fernandes e desviou para marcar seu terceiro gol na partida e abrir boa vantagem para o Figueira.

Para piorar a situação do Coxa, o meia Everton Ribeiro fez falta dura em Fernandes e recebeu o cartão vermelho, aos 20 minutos. Após a expulsão, o Coritiba não demonstrou mais força de reação e bastou ao Figueirense administrar a vantagem tranquilamente para conseguir sua terceira vitória no Brasileirão.

Por Cleber Aguiar – Bahia e Atlético-GO empatam, e Palmeiras fica na zona de rebaixamento

Fonte: Folha Online

O Bahia conseguiu fechar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro fora da zona de rebaixamento. O empate com o Atlético-GO, neste domingo, por 1 a 1, levou a equipe aos 17 pontos, empurrando o Palmeiras para a 17ª colocação, com 16.

Em Pituaçu, logo aos 8min, Caio cobrou falta para a área e Fabinho desviou de cabeça em cima do goleiro Márcio, que não evitou o gol do Bahia.

Com o gol logo no início, o time da casa não pressionou muito o rival, mas conseguiu terminar o primeiro tempo em vantagem. Depois do gol, o Bahia relaxou e sofreu pressão do adversário.

No segundo tempo, o Atlético-GO, sem conseguir articular bem as jogadas de ataque, explorou chutes de fora da área. Em um deles, Joilson acertou o travessão.

O time de Goiânia só alcançou o empate aos 37 min. Eron cruzou, Diogo Campos subiu mais que a defesa do Bahia e colocou a bola no fundo da rede.

O Atlético-GO foi a 16 pontos, mesmo número do Palmeiras, permanecendo as duas equipes na zona de rebaixamento. O Bahia, com esse ponto, vai a 17 e deixa as últimas quatro colocações.

Na próxima rodada, pedreira para o Bahia. A equipe viaja até Santos para enfrentar o time da Vila Belmiro, nesta quarta-feira, às 19h30. No mesmo dia, o Atlético-GO recebe o Cruzeiro, no Serra Dourada, às 22h.

Por Cleber Aguiar – Fabuloso decide, São Paulo vira sobre o Corinthians e quebra jejum

Fonte:Globo.com

Luis Fabiano marca duas vezes e define vitória. Timão começa bem, mas não impede primeiro triunfo tricolor no Pacaembu em sete anos

DESTAQUES DO JOGO
  • momento decisivo16 do 2º tempo

    Luis Fabiano recebe ótimo passe de Jadson, dribla Cássio e bate cruzado para marcar o seu segundo gol no clássico e decretar a vitória tricolor.

  • arbitragemW. Seneme

    Árbitro controlou o clássico, aplicou bem os cartões, mas não conseguiu sair livre de polêmica: corintianos reclamaram pênalti não marcado de Tolói em Sheik.

  • deu erradoLinha ‘burra’

    O Corinthians, acostumado a fazer a linha de impedimento, conseguiu deixar Luis Fabiano na banheira oito vezes. No único vacilo, o atacante resolveu.

A CRÔNICA
por Diego Ribeiro e Leandro Canônico

 

Artilheiros e decisivos, Emerson e Luis Fabiano são peças-chave de seus times. Ambos voltaram a jogar neste domingo depois de seis partidas fora, por contusão, e mostraram caráter decisivo. Mas no placar de gols, deu Fabuloso. Com dois gols dele contra apenas um do Sheik, o São Paulo quebrou incômodo jejum no Pacaembu, bateu o Corinthians por 2 a 1 e terminou o primeiro turno na quinta posição do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos, quatro atrás do Vasco, primeiro time do G-4. O Timão, com 24, está na 12ª posição.

Fabuloso se recuperava de um estiramento na coxa esquerda, sentiu o cansaço em alguns momentos, mas foi perfeito nas duas chances que teve de marcar. Acabou sendo decisivo para acabar com o fantasma da casa corintiana. No Pacaembu, o Tricolor não vencia desde uma goleada por 5 a 1, em 2005. Até então, de lá para cá, seis vitórias consecutivas do Timão no estádio.

Emerson abriu o placar no início do primeiro tempo, mas cansou junto com o time no segundo tempo. Tite tentou uma pressão final, sem efeito. Com duas derrotas nos dois clássicos finais do primeiro turno (3 a 1 para o Santos e 2 a 1 para o São Paulo), a equipe estacionou na tabela. O pensamento está no Mundial de Clubes, claro, mas o torcedor espera uma melhora no segundo turno do Brasileirão.

O Corinthians volta a jogar na próxima quarta-feira, quando enfrenta o Fluminense, às 22h (de Brasília), no Engenhão. Na quinta, o São Paulo recebe o Botafogo, às 21h, no Morumbi.

Blitz alvinegra, empate fabuloso

Esperançoso, o São Paulo tinha seu trio de protagonistas juntos pela primeira vez em 2012: Rogério Ceni, Lucas e Luis Fabiano. E só. O Tricolor, acuado, sofreu com o jogo coletivo, o toque de bola rápido e, principalmente, a enorme pressão do Corinthians, que marcava implacavelmente as saídas de bola. Mérito para o técnico Tite, que incutiu tão bem essa característica nos atacantes corintianos. Desde o primeiro minuto, sufoco para cima de Rafael Toloi e Rhodolfo, além dos improvisados Paulo Miranda, na lateral direita, e Douglas, na esquerda.

Lucas e Ralf, Corinthians x São Paulo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Lucas e Ralf disputam bola no meio-campo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Em 15 minutos, o Timão poderia ter construído uma goleada, tamanha a superioridade demonstrada em campo. Um dos principais méritos desse Corinthians versão 2012 é que ele sabe resolver um jogo em poucos toques. Aos cinco, Paulinho avançou a marcação, roubou de Paulo Assunção e deixou Emerson na cara do gol. Decisivo, o Sheik tirou de Rogério Ceni e fez 1 a 0.

Depois do gol, foram mais cinco finalizações perigosas, todas chances reais de gol. Rogério Ceni salvou uma, Douglas tirou outra em cima da linha, e o jogo de um time só se desenhava. O problema é que um clássico como o Majestoso não permite tantos vacilos. Apesar de jogar bem melhor, o Timão não foi feliz nas finalizações, e a vantagem magra deixou o jogo indefinido.

Ney Franco inverteu seus laterais, colocou Douglas na direita, sua posição de origem, e deslocou Paulo Miranda para a esquerda. Aí a marcação encaixou, a pressão diminuiu, e o Tricolor começou a jogar futebol. A primeira metade do jogo serviu de aprendizado, e o São Paulo usou tática semelhante à do rival para buscar o empate. Aos 23, cenário idêntico ao do Timão: roubada de bola, toque para o artilheiro e gol. Lucas puxou o contra-ataque e deixou Luis Fabiano na cara de Cássio: 1 a 1, e oitavo gol do Fabuloso no Brasileirão.

Em minoria no Pacaembu, os cerca de dois mil são-paulinos começaram a se empolgar. Um desavisado comemorou no meio da torcida do Corinthians, nas numeradas, e teve de sair do local em que estava sentado. O time tricolor teve mais chances, com Maicon, que finalizou para fora, e Douglas, que apareceu com liberdade na área após bela jogada de Lucas. O Corinthians continuou no comando da partida, mas num ritmo bem mais lento, talvez guardando gás para o segundo tempo. Bom para o Tricolor, que conseguiu respirar um pouco mais aliviado.

“Bolt” decide mais uma vez

Há seis partidas fora do time, Luis Fabiano apostou em uma estratégia arriscada para tentar furar o bloqueio corintiano. Ele sempre se colocou entre os zagueiros Chicão e Paulo André, buscando uma falha na linha de impedimento para aparecer livre na cara de Cássio. Nas primeiras sete tentativas, a bandeirinha assinalou irregularidsde, parando as jogadas. Mas o Fabuloso continuou se guardando por ali, à procura da brecha.

Do lado corintiano, Tite substituiu Douglas, que jogava gripado, e lançou Martínez no segundo tempo. O argentino caiu pelo lado esquerdo, e Danilo passou para a armação no meio-campo. Com um ritmo diferente, mais cadenciado, o Timão parou de levar perigo a Rogério Ceni. A jogada mais aguda foi com Emerson Sheik, que dividiu com Rafael Toloi dentro da área, levou a pancada, mas o árbitro Wilson Luiz Seneme deixou o jogo seguir.

Luis Fabiano gol São Paulo (Foto: José Patrício / Ag. Estado)Luis Fabiano imita Usain Bolt na comemoração do segundo gol tricolor (Foto: José Patrício / Ag. Estado)

Aquela pressão dos 15 minutos iniciais teve um preço alto para o Corinthians. O time cansou, abriu espaços e passou a errar. Aos 16, na oitava tentativa de deixar Luis Fabiano em impedimento, a zaga falhou, e o centroavante tricolor disparou em velocidade, em posição legal. Como um raio, deu uma meia-lua em Cássio e finalizou para o gol vazio. Com tanta correria, o homenageado não poderia ser outro: Fabuloso imitou o gesto característico do velocista jamaicano Usain Bolt, campeão olímpico nos 100m e 200m rasos.

No mesmo estilo Bolt, Lucas apareceu mais pelo lado direito do ataque, aproveitou o cansaço de Paulo André e fez boas jogadas em cima do rival. A torcida corintiana empurrou, mas o gás acabou cedo demais dentro de campo. Boas jogadas, só pelo alto. Por ironia, foi o baixinho Romarinho quem aproveitou as duas melhores chances por cima, mas parou em Rogério Ceni. Mas a tarde era fabulosa e tricolor: o São Paulo acabou com o jejum do Pacaembu e se aproximou do G-4 do Brasileirão.

Por Cleber Aguiar – Em jogo fraco, Botafogo e Flamengo empatam sem gols

Fonte: O Dia Online

Rio –  Rio – Em um jogo muito truncado e sem grandes lances, Botafogo e Flamengo ficaram no empate em 0 a 0 no Engenhão, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado não foi bom para nenhuma das equipes. O Glorioso ficou com 28 pontos, na sétima colocação, enquanto o Rubro-Negro chegou a 26, na nona posição – ambos ficam longe do Vasco, último time no G4, que tem 35.

Com as duas equipes precisando da vitória para se manterem próximas do G4, a partida começou aberta, com lances de velocidade dos dois lados. O primeiro lance de emoção aconteceu aos 14 minutos, quando Welinton recebeu na direita e cruzou para Vagner Love, que foi derrubado. O juiz marcou pênalti, mas depois voltou atrás após o bandeirinha assinalar impedimento do Artilheiro do Amor.

Enquanto o Rubro-Negro apostava na velocidade dos garotos Negueba e Thomás, o Botafogo ia na toada de Seedorf. O experiente meia holandês comandava o toque de bola no meio-campo e fazia a equipe chegar de forma mais compacta no ataque. Infelizmente para o Glorioso, Lodeiro não estava na mesma sintonia e errava jogadas fáceis, comprometendo as ações ofensivas.

Foto: André Mourão / Agência O Dia

Love disputa bola com Renato: artilheiro do Fla passou em branco | Foto: André Mourão / Agência O Dia

No fim do primeiro tempo, o Flamengo cresceu e chegou com mais contundência ao ataque. Na melhor chance, Negueba avançou pela esquerda e chutou de fora da área, colocado, para boa defesa de Jefferson.

A segunda etapa começou com o Botafogo novamente equilibrando as ações. A entrada de Adryan no lugar de Thomás alterou um pouco a maneira de jogar do Flamengo, que perdeu um homem aberto pela esquerda, já que o camisa 37 começou a afunilar pelo meio-campo. Com isso, a saída de bola ficou prejudicada e a equipe passou a apostar na ligação direta com Vagner Love.

Aos poucos, o Botafogo foi se tornando mais efetivo no ataque, mas ainda assim não conseguia oferecer perigo a Felipe, graças às boas atuações de Welinton e Cáceres. Novamente, o Flamengo cresceu no fim da partida. Liedson entrou no lugar de Negueba para dar mais ofensiva e a estratégia quase deu certo. Em seu primeiro toque na bola, o centroavante acertou a trave de Jefferson, após bom cruzamento de Ramon.

No fim, porém, o empate acabou sendo justo para duas equipes que, embora tenham mostrado vontade de vencer, não conseguiram superar as defesas.

Por Cleber Aguiar – Elano marca no começo e dá vitória ao Grêmio no Gre-Nal

Fonte:Gazetaesportiva.net

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)
 

 

Elano jogou apenas 15 minutos no Gre-Nal deste domingo, mas foi o suficiente. Com um gol dele, aos sete minutos do primeiro tempo, o Grêmio venceu o Inter por 1 a 0, neste domingo, no Estádio Beira-Rio. O meia gremista deixou a partida lesionado ainda no primeiro tempo, e no próprio momento do gol já sentia dores na coxa. A vitória no clássico faz o Tricolor subir uma posição na tabela: agora é 3º colocado, com 37 pontos, ultrapassando o Vasco, que tem 35. O Inter caiu para 6º, com 31.

Apesar da chuva, o gramado do Beira-Rio apresentou boas condições para a prática do futebol. Em uma falha do goleiro Muriel, que saiu mal do gol, Elano fez 1 a 0 para o Grêmio. O Inter pressionou bastante no primeiro tempo, mas foi para o intervalo em desvantagem. O panorama não mudou na etapa final. Mas, com organização, o time de Vanderlei Luxemburgo soube suportar a pressão e ganhar o clássico.

Na próxima rodada, o Grêmio recebe o Vasco, outro concorrente direto de tabela. O jogo ocorre quarta-feira, no Olímpico, às 22h (horário de Brasília). Já o Inter, que completou três jogos sem vitória, visita o Coritiba, no Couto Pereira, também na quarta, mas às 19h30.

O jogo – O técnico Fernandão surpreendeu, deixando Dátolo fora do time titular. Sua vaga no meio foi ocupada por Kléber. Com isso, Fabrício iniciou a partida na lateral esquerda. No Grêmio, Vanderlei Luxemburgo manteve a mesma formação que goleou o Figueirense no domingo passado, apenas com Kléber de volta ao time no lugar de Leandro.

Logo no começo, o primeiro problema para o Grêmio: Elano sentiu dores musculares na coxa e pediu para sair do clássico. Isso não impediu que ele, dois minutos depois, colocasse o Tricolor em vantagem: Anderson Pico cruzou da esquerda, Muriel saiu errado do gol e a bola sobrou para Elano. Sem goleiro, o meia chutou no cantinho e abriu o placar do Gre-Nal. Elano deixaria o campo aos 15, e Marquinhos entrou em seu lugar.

O gol foi a senha para o Internacional partir para cima em busca do empate. Aos nove minutos, Nei cruzou, Leandro Damião tentou de cabeça, mas a defesa gremista tirou o perigo. Aos 22, a maior chance do primeiro tempo para o Colorado: Fernando perdeu a bola no meio, Damião arrancou e deixou Forlán na cara do gol. O uruguaio chutou fraco, para grande defesa de Marcelo Grohe. Na sequência, Forlán cobrou escanteio fechado, Damião subiu mais que Werley, mas cabeceou por cima, perdendo chance incrível.

O Grêmio só foi respirar na segunda metade da etapa inicial. Aos 30, Zé Roberto sofreu falta na entrada da área. Ele mesmo bateu, Muriel espalmou e Pará pegou o rebote, chutando em cima de Fernando, que estava impedido. Três minutos depois, Kléber invadiu a área colorada, mas a zaga conseguiu o corte antes da conclusão de Marquinhos.

O Inter voltou à pressão aos 34, em um chute longo de Forlán espalmado por Marcelo Grohe. Na sequência, a primeira confusão do clássico: Marquinhos chutou a bola em cima de Fabrício, que estava caído, para ganhar o lateral. O lateral colorado não gostou e tomou satisfações. Ambos levaram cartão amarelo do árbitro Leandro Pedro Vuaden.

O segundo tempo começou como o primeiro. Logo aos 50 segundos, Marcelo Grohe afastou parcialmente um cruzamento e a bola caiu nos pés de Forlán, mas Fernando cortou de carrinho e salvou o empate. Nos minutos seguintes, porém, o Grêmio se assentou em campo e manteve o rival longe de sua área. Buscando o empate, Fernandão abriu o Inter aos 10 minutos, tirando Kléber e colocando Dagoberto.

O Grêmio levou perigo pela primeira vez aos 15, em tentativa de puxeta de Marcelo Moreno, defendida por Muriel. Na jogada seguinte, Forlán tentou cruzar e quase surpreendeu Marcelo Grohe, que tocou para escanteio. Aos 20, Fred tentou cruzar e quase marcou ao acaso. O chute lambeu o travessão. No contra-ataque, Kléber ganhou de Juan no corpo, arrancou e deixou Leandro (que entrara no lugar de Moreno) livre, mas Muriel saiu bem e impediu o segundo gol do Grêmio.

Com Dátolo no lugar de Ygor e Rafael Moura no de Forlán, o Inter deu a última cartada para tentar o gol. Aos 30, em sua última jogada, o uruguaio cobrou falta e Marcelo Grohe espalmou. O Grêmio teve uma chance aos 41, mas Kléber chutou por cima do gol. Na sequência, Damião chutou de longe e Marcelo Grohe segurou firme. No último lance, Rafael Moura cabeceou para milagre de Grohe, mas o atacante colorado estava impedido.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 x 1 GRÊMIO

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 26 de agosto de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Altemir Haussmann (Fifa-RS) e Rafael da Silva Alves (RS)
Público: 10.617 (8.840 pagantes)
Renda: R$ 176.420,00
Cartão amarelo: Fabrício, Juan, Dagoberto e Fred (Internacional); Marquinhos, Gilberto Silva e Anderson Pico (Grêmio)

Gol:
GRÊMIO: Elano, aos 7 minutos do primeiro tempo

INTERNACIONAL: Muriel; Nei, Bolívar, Juan e Fabrício; Ygor (Dátolo), Guiñazu, Fred e Kléber (Dagoberto); Forlán (Rafael Moura) e Leandro Damião.
Técnico: Fernandão

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley (Naldo), Gilberto Silva e Anderson Pico; Fernando, Souza, Elano (Marquinhos) e Zé Roberto; Kléber e Marcelo Moreno (Leandro).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

 

Por Cleber Aguiar – Sport para em noite inspirada de Gideão e empata com Náutico

Fonte: Portal Terra

Sport pressionou durante todo o jogo, mas parou na trave e principalmente em Gideão. Foto: Antonio Carneiro/Futura Press

Sport pressionou durante todo o jogo, mas parou na trave e principalmente em Gideão
Foto: Antonio Carneiro/Futura Press

Eduardo Amorim
Direto de Recife

Em duelo válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Sport pressionou o Náutico no clássico pernambucano deste domingo, mas não conseguiu a vitória para respirar na competição. A equipe parou em uma atuação de gala de Gideão para ficar no empate sem gols com o grande rival, se complicando na classificação.

Com o resultado, o Sport continua na zona de rebaixamento, com 15 pontos, na 18ª colocação, a dois pontos do Bahia, primeira equipe fora da zona de descenso. Já o Náutico vai a 24 pontos, em 11º lugar. Na próxima rodada, o Sport visita o Flamengo, na quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), enquanto o Náutico recebe o Figueirense, na quarta, às 20h30.

O jogo

O clássico pernambucano começou com o domínio do Sport, empurrado pela torcida, mas quem teve a primeira chance da partida foi o Náutico. Aos 8min, Araújo aproveitou sobra na entrada da área e chutou por cima do gol de Magrão. Melhor em campo, os donos da casa criaram a primeira boa oportunidade aos 18min, em cruzamento de Felipe Azevedo que passou por toda a extensão da grande área.

Sem conseguir manter a posse de bola, o Náutico buscava chegar ao gol nos contra-ataques. Aos 24min, Magrão salvou o Sport ao defender chute de Kieza cara a cara. Apesar da boa defesa, a estrela maior do clássico começou a brilhar aos 27min e tinha nome: Gideão. Em um lance espetacular, o arqueiro do Náutico salvou o time alvirrubro duas vezes seguidas. Primeiro, defendeu chute à queima-roupa de Rithelly. No rebote, abafou a conclusão com endereço de Felipe Azevedo.

As subidas do volante Ritthely, por sua vez, desnorteavam o esquema tático preparado por Alexandre Gallo. Sempre uma surpresa no campo de ataque, o jogador levava perigo ao gol de Gideão. Aos 35min, o volante colocou a bola na trave direita do Náutico, não abrindo o marcador antes do intervalo por muito pouco.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro: Sport pressionando e Gideão se destacando. Aos 6min, Hugo arriscou chute forte de fora da área e o arqueiro foi buscar. Mesmo sem o domínio da posse, o Náutico continuava levando perigo nos contra-ataques e quase marcou aos 19min, mas esbarrava no erro do último passe.

Aos 24min, o goleiro do time alvirrubro novamente apareceu, ao buscar chute de Renan no canto esquerdo, mandando para escanteio. Após a cobrança, o atacante Gilberto cabeceou na trave com leve desvio de Gideão. A pressão dos donos da casa era intensa e o Sport quase não fez o primeiro em dois lances seguidos, aos 32min e aos 33min, com Gilberto e Moacir, que concluíram com muito perigo ao gol do Náutico. Sem conseguir furar a barreira no gol adversário, o Sport continua bastante a perigo no Brasileiro.

Ficha técnica

SPORT 0 X 0 NÁUTICO

SPORT: Magrão, Cicinho, Edcarlos, Diego Ivo e Willian Rocha; Renan Teixeira, Rithelly, Moacir e Hugo; Gilsinho (Gilberto) e Felipe Azevedo (Henrique)
Treinador: Waldemar Lemos

NÁUTICO: Gideão, Patric, Ronaldo Alves, Jean Rolt e Douglas Santos; Elicarlos, Martinez, Souza (Rogerinho) e Rhayner; Araújo (Dadá) e Kieza (Kim)
Treinador: Alexandre Gallo

Cartões amarelos
SPORT: Cicinho. Gilsinho e Gilberto
NÁUTICO: Kieza

Árbitro
Sandro Meira Ricci

Local
Ilha do Retiro, em Recife (PE)

Por Cleber Aguiar – Com gol aos 56, Cruzeiro empata com Galo em dia de pintura de R49

Fonte:Globo.com

Lance nos acrésimos começa com falta não marcada para o Atlético-MG; torcida celeste, que atirou objetos no gramado, festeja ponto conquistado

DESTAQUES DO JOGO
  • lance capital

    56 do 2º tempo

    O áribtro pernambucano Nielson Nogueira Dias não marcou falta de Montillo em Guilherme, no meio-campo. A sequência do lance gerou o gol de empate do Cruzeiro, após chute de Mateus.

  • nome do jogo

    Ronaldinho

    A partida estava empatada, e o Atlético-MG, com um a menos. Porém, R49 arrancou, driblou três atletas e finalizou com maestria, fora do alcance do goleiro Fábio: um golaço!

  • arbitragem

    Lástima

    O árbitro pernambucano Nielson Nogueira Dias conseguiu desagradar às diretorias e comissões técnicas das duas equipes. Muito confuso e perdido, teve péssima atuação.

A CRÔNICA
por Tarcísio Badaró

 

Sobrou emoção e polêmica no estádio Independência. Transbordou vontade, transpiração e garra, atributos dignos de um grande clássico mineiro. E se faltou um futebol mais técnico, com mais qualidade, valeu a genialidade de Ronaldinho Gaúcho, que com um golaço, deu mostra de que vem reencontrando o seu melhor futebol em Belo Horizonte. E não faltou nem a polêmica: com um gol aos 56 minutos do segundo tempo, em lance que começou em uma falta não marcada de Montillo em Guilherme, o Cruzeiro arrancou um empate com o Atlético-MG por 2 a 2, na noite deste domingo, na última rodada do turno do Brasileirão 2012. O jogo ficou sete minutos parado por causa da quantidade de objetos atirados no gramado pela torcida celeste, única presente no clássico mineiro. Ou seja, por tudo o que aconteceu, o jogaço terá desdobramento durante a semana.

Em uma condição inferior no Brasileirão, os jogadores do Cruzeiro entraram em campo, mais do que por apenas três pontos na tabela, mas para atrapalhar os planos do maior rival, líder absoluto da competição, com uma campanha impecável. Consciente das limitações técnicas, a equipe celeste disputava cada espaço em campo como um ‘prato de comida’ e abriu o placar com Wallyson. O Atlético-MG, tranquilo, buscava cadenciar as ações e chegar ao ataque com certeza de não correr riscos no contra-ataque, e empatou no fim da etapa inicial, com belo gol de Leonardo Silva.

Como o jogo era muito disputado, brigado e, às vezes, até desleal, a torcida cruzeirense entrou na ‘pilha’ e, no início do segundo tempo, revoltada com a arbitragem do pernambucano Nielson Nogueira Dias, atirou diversos objetos no gramado. Na sequência, Leandro Guerreiro e Bernard foram expulsos. No total, 17.901 torcedores pagaram ingressos para acompanhar a partida e proporcionaram uma renda de R$ 482.270,00. No fim, Pierre também levou cartão vermelho, após falta dura em Montillo. Quando estava com um a menos, Ronaldinho Gaúcho partiu com a bola com velocidade do meio-campo, driblou dois e virou o jogo com uma pintura. Mas nos acréscimos, a Raposa roubou a cena com o empate, seguido de muita reclamação dos jogadores celestes.

Jogadores de Cruzeiro e Atlético-MG discutem no gramado (Foto: Lucas Catta Prêta / Globoesporte.com)Jogadores de Cruzeiro e Atlético-MG discutem no gramado (Foto: Lucas Catta Prêta / Globoesporte.com)

Com o resultado, o Atlético-MG segue na liderança do torneio, com 43 pontos, um a mais que o Fluminense, que tem 42, mas com um jogo a menos, contra o Flamengo, em Volta Redonda. O Cruzeiro, com 28 pontos, está na oitava colocação, sete pontos atrás do Vasco, primeiro time no grupo dos quatro primeiros na tabela.

Na próxima rodada, o Atlético-MG receberá a Ponte Preta, nesta quarta-feira, às 20h30m (de Brasília), no Independência. O Cruzeiro, por sua vez, encara o Atlético-GO, também na quarta, mas às 22h, no Serra Dourada, em Goiânia.

Emoção sem fim

O primeiro lance do jogo retratou a disposição com que o Cruzeiro entrou em campo. Fabinho tropeçou na bola, mas se jogou de cabeça no chão para tentar cortar a saída do Atlético-MG. Mas foi o Galo quem agrediu. O time alvinegro chegava pela direita e apostava nos cruzamentos. Jô era o alvo dentro da área e levava perigo nas bolas aéreas.

Mesmo diante da torcida, o Cruzeiro se encolheu e apostou nos contra-ataques. Fabinho e Montillo se movimentavam muito, na tentativa de deixar Borges em condições de marcar. Davam trabalho. Mas logo aos 12 minutos, a Raposa perdeu Fabinho, machucado. Wallyson foi para o jogo e, no primeiro toque na bola, marcou. Aos 16 minutos, Montillo deu bom passe para Everton, que foi ao fundo e cruzou. Wallyson se esticou todo e, na pequena área, desviou para o fundo das redes.

O jogo ficou mais duro, com muitas faltas no meio-campo. O Atlético-MG passava mais tempo no campo de ataque, mas não chegava com perigo. Diante de uma defesa bem postada, faltava criatividade, e o único expediente era levantar bolas. Não funcionava.

O time celeste se mostrou irritado com a arbitragem. Aos 35 minutos, Mateus e Bernard se desentenderam, o bate-boca virou confusão generalizada e acabou com um cartão amarelo para cada lado.

Parecia que a Raposa iria para o vestiário com a vantagem no placar. Mas, aos 47 minutos, a bola aérea alvinegra deu resultado. Ronaldinho cobrou escanteio da esquerda, a zaga desviou, e Leonardo Silva emendou de canhota, marcando um golaço. Tudo igual no primeiro tempo, e muitas reclamações celestes contra o árbitro, que deu quatro minutos de acréscimo.

Ronaldinho e Tinga, Cruzeiro x Atlético-MG (Foto: Washington Alves / Vipcomm)Ronaldinho e Tinga disputam bola no meio-campo (Foto: Washington Alves / Vipcomm)

Clássico inesquecível

O segundo tempo mal começou e parou. Um copo de plástico foi arremessado no gramado pela torcida cruzeirense. O atleticano Bernard entregou o objeto ao árbitro. Depois, outro foi jogado. Quando o meia alvinegro pegou novamente para mostrar ao árbitro, o volante Leandro Guerreiro tentou impedir. Os dois se empurraram. A partir daí, a confusão cresceu.

Vários copos foram jogados contra o árbitro, e a partida ficou parada por sete minutos. Na volta, os dois jogadores receberam o segundo amarelo e foram expulsos. A bola voltou a rolar, e o jogo seguiu pegado. O Atlético-MG colocou um pouco a bola no chão e criou mais que a Raposa. Com mais espaço em campo, Ronaldinho Gaúcho começou a aparecer bem.

O Cruzeiro seguia na aposta do contra-ataque, mas teve dificuldades para chegar.
Aos 40 minutos, o sumido Borges recebeu na entrada da área, girou sobre o zagueiro e chutou. A bola não ganhou tanta força, mas contou com a falha do goleiro Vitor. Quase a Raposa voltou à frente no placar.

Logo depois, Pierre foi expulso por fazer falta dura em Montillo. Como o volante já tinha cartão amarelo, recebeu o vermelho. Quando se esperava que o Cruzeiro tivesse condições de conquistar a vitória, foi o Atlético-MG que marcou. Aos 44 minutos, Ronaldinho Gaúcho recebeu a bola em velocidade, passou por dois adversários, driblou um deles mais uma vez e tocou fora do alcance de Fábio, no canto esquerdo. Um golaço, digno de um craque.

O Cruzeiro não se intimidou e pressionou no fim, com Montillo acertando a trave em uma cobrança de falta. A bola foi no ângulo e, por pouco, o Cruzeiro não conseguiu o empate mais cedo. Mas, aos 56 minutos – já que o jogo ficou parado muito tempo, por causa dos objetos arremessados no gramado, além dos lances de expulsão – aconteceu o polêmico gol de empate. Após lance que teve origem em uma falta não marcada de Montillo em cima de Guilherme, o zagueiro Mateus, após receber passe do colega de defesa Thiago Carvalho, tocou para o gol e igualou tudo, para protestos dos jogadores alvinegros e delírio da torcida celeste, única presente ao Independência.