Por Cleber Aguiar – Luis Alvaro desabafa contra Ganso e diz que novela ‘já encheu o saco’

Fonte: Globo.com

Dirigente mantém o tom duro da nota oficial do clube divulgada na última sexta-feira e diz que jogador só sai pelo valor da multa rescisória

Luis Alvaro Ribeiro, Santos (Foto: Marcelo Hazan / Globoesporte.com)Luis Alvaro Ribeiro diz que Ganso só sai pela multa
(Foto: Marcelo Hazan / Globoesporte.com)

O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, mostrou neste sábado o quanto está chateado com o meia Paulo Henrique Ganso. Na última sexta-feira, o clube divulgou uma nota oficial afirmando que não negocia mais a venda do jogador e que quem quiser tirá-lo da Vila Belmiro terá de pagar a multa rescisória. Pouco antes do duelo contra o Palmeiras, no Pacaembu, o dirigente explicou os motivos da reação no comunicado do Peixe e foi além. Afirmou que está “de saco cheio” com a novela e o comportamento do camisa 10.

Segundo Laor, Ganso foi infeliz ao dizer que seria um prazer jogar pelo São Paulo, clube que fez proposta por seu futebol, rechaçada pelo Peixe. Ao ser questionado sobre se a nota não serviria para alimentar mais a polêmica, o dirigente foi duro.

Quem fala o que quer, ouve o que não quer”
Laor, presidente do Santos

– Quem fala o que quer, ouve o que não quer. Não é a primeira vez (que Ganso dá declarações polêmicas). No Mundial (em dezembro), ele falou que o Santos não se interessou por comprar parte de seus direitos e, por isso, ele vendeu para o parceiro (Grupo DIS). Isso nunca existiu, pois sequer nos ofereceram. São várias declarações desse tipo, sempre às vésperas de jogos importantes. Enfim, já encheu o saco – afirmou o dirigente, em entrevista a rádio “Bandeirantes”.

Antes do início do clássico contra o Palmeiras, a torcida do Santos protestou contra o jogador, exigindo respeito. A manifestação tem o apoio do presidente santista.

– Torcida tem de ser respeitada. Quando há resvalo nesse respeito, é natural que eles se manifestem. Ator de teatro, quando sobe ao palco, pode receber aplausos ou vaias. E no futebol isso é natural. Eu sei (do descontentamento da torcida) porque eles me procuraram e se manifestaram muito aborrecidos com a declaração que o jogador deu – disse.

Por fim, Laor garantiu que, apesar de tanta polêmica, o clima no Santos é bom para Ganso. Por outro lado, avisou que o jogador tem todo o direito de querer ir embora – desde que pague a multa rescisória de seu contrato: R$ 53 milhões para transferências nacionais e 50 milhões de euros para o exterior.

– Quer sair? Paga a multa e acabou. Vai para onde quiser. Eu não vou mais ficar alimentando isso. Estamos empenhados na reabilitação no Brasileirão e na decisão da Recopa. Temos mais o que fazer.

Por Cleber Aguiar – Thiago Neves decide, marca dois e Fluminense vence o Vasco

Fonte:Gazetaesportiva.net

O Fluminense deu um importante passo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro ao vencer por 2 a 1 o Vasco, neste sábado, no Engenhão. Com dois gols de Thiago Neves, os tricolores chegaram a 42 pontos e igualaram a pontuação do líder Atlético-MG, que tem dois jogos a menos. Já os cruzmaltinos seguem com a sequência ruim e se afastam ainda mais dos ponteiros.

Após um primeiro com poucas chances para ambos os lados e sem gols, a etapa final foi muito movimentada. O Fluminense abriu o placar com Thiago Neves, aproveitando cruzamento. O Vasco empatou no minuto seguinte, com o zagueiro Gum, contra. No fim, Thiago Neves cobrou falta e contou com a ajuda de Edinho que empurrou e tirou Jonas da barreira para dar números finais ao clássico.

Na próxima rodada, o Vasco vai para o Rio Grande do Sul para enfrentar o Grêmio, na quarta-feira. No mesmo dia, o Fluminense vai receber o Corinthians no Engenhão.

Arte GE.Net

O jogo – O Vasco começou a partida pressionando o Fluminense em seu campo. Com bom toque de bola, os cruzmaltinos rondaram o gol de Diego Cavalieri e orbigaram a zaga tricolor a salvar por duas vezes a equipe de levar o primeiro gol. No entanto, aos poucos, o vice-líder do Brasileiro equilibrou as ações e chegou a comemorar a abertura do placar aos 18 minutos. Após bola levantada, Fred cabeceou para a rede, mas o árbitro anulou o lance marcando falta do atacante em Douglas.A resposta do Vasco aconteceu aos 24 minutos. William Barbio levou a melhor sobre Wagner e tocou para Alecsandro na risca da pequena área. O atacante dominou, mas foi abafado por Gum na hora da finalização. Depois disso, o permaneceu equilibrado, mas com a marcação das duas equipes impedindo os lances de perigo do adversário. O panorama seguiu o mesmo até o fim da etapa inicial.

O segundo tempo iniciou movimentado, com o Vasco tendo a primeira boa chance aos quatro minutos. Carlos Alberto fez boa jogada e tocou para William Barbio. O atacante chutou cruzado e Diego Cavalieri deu rebote. A bola sobrou para Alecsandro, que tentou de calcanhar, mas o lateral direito Bruno salvou os tricolores. A resposta do Fluminense veio aos 12. Thiago Neves recebeu no bico da área e chutou para boa defesa de Fernando Prass.

Depois de um período com o jogo equilibrado, o Fluminense conseguiu abrir o placar aos 26 minutos. Em contra-ataque rápido, Wagner cruzou e Thiago Neves acertou uma bela finalização sem chance para Fernando Prass.

Quando parecia que os tricolores ficariam mais tranquilos na partida, o Vasco chegou ao empate no minuto seguinte. Juninho Pernambucano cruzou rasteiro para a área e Gum, ao tentar cortar, acabou colocando para a própria rede.

A partir dai, o confronto voltou a ficar muito movimentado. Aos 34 minutos, Fred aproveitou cruzamento e raspar de cabeça, mas a bola passou a direita do gol de Fernando Prass. A resposta cruzmaltina veio no minuto seguinte. Tenório foi lançado, deu um lençol em Diego Cavalieri, e cabeceou para o gol, mas a bola foi no travessão para desespero dos vascaínos.

Com o jogo aberto, o Fluminense aproveitou uma bola parada para decidir o confronto, aos 40 minutos. Em cobrança de falta, Thiago Neves colocou no canto de Fernando Prass. No lance, Edinho empurrou Jonas, que estava na barreira e abriu o canto para a cobrança tricolor.

Nos minutos finais, o Vasco foi para a pressão, mas não conseguiu levar perigo para Diego Cavalieri. Com isso, os tricolores saíram de campo com a vitória e se aproximaram do líder Atlético-MG.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 2 FLUMINENSE

Local: Estádio João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ)
Data: Sábado, 25/08/2012
Horário: 18h30min (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henriques (Fifa-RJ)
Assistentes: Rodrigo Pereira Jóia(Fifa-RJ) e Jackson dos Santos(RJ)
Cartões amarelos: William Barbio, William Matheus, Wendel, Fellipe Bastos e Juninho Pernambucano (Vasco); Edinho, Jean, Samuel, Fred e Thiago Neves (Fluminense)

GOLS:
VASCO: Gum (contra), aos 27 min do segundo tempo
FLUMINENSE: Thiago Neves, aos 26 e 41 minutos do segundo tempo

VASCO: Fernando Prass, Auremir (Jonas), Douglas, Dedé e William Matheus; Nilton, Wendel, Juninho Pernambucano e Carlos Alberto (Tenório); William Barbio (Fellipe Bastos) e Alecsandro
Técnico: Cristovão Borges

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean (Diguino), Wagner (Samuel) e Thiago Neves; Wellington Nem (Rafael Sóbis) e Fred
Técnico: Abel Braga

 

Por Cleber Aguiar – Ponte vence com gol no fim e quebra série invicta da Portuguesa

Fonte: Portal Terra

Equipes realizaram duelo equilibrado em Campinas. Foto: Denny Cesare/Futura Press

Equipes realizaram duelo equilibrado em Campinas
Foto: Denny Cesare/Futura Press

Sem derrotas desde a 10ª rodada do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa não conseguiu segurar a pressão da Ponte Preta neste sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, e viu sua série invicta de oito jogos quebrada pelos donos da casa. Com boa atuação de Giancarlo, que substituiu Roger, suspenso, a equipe de Campinas venceu por 2 a 1, com dois gols do atacante.

O resultado levou a Ponte Preta aos 23 pontos, que levaram a equipe à 13ª posição do Brasileiro no último jogo do primeiro turno da competição. A Portuguesa, por sua vez, encerrou a primeira metade do torneio no 14º lugar, com 22 pontos.

A Ponte Preta saiu na frente logo aos 5min do primeiro tempo com um golaço de Giancarlo. O centroavante, que realizou sua estreia na equipe titular, se aproveitou de lateral cobrado pelo lado direito do campo e marcou seu primeiro gol com a camisa alvinegra em uma meia-bicicleta, que deixou o experiente Dida sem reação.

A Portuguesa não se abateu com o gol sofrido e melhorou em campo, após ser dominada nos minutos iniciais. Aos 23min, o lateral direito levantou na área uma falta do lado esquerdo do ataque do time paulistano. A bola atravessou a pequena área e sobrou para Bruno Mineiro, sozinho, empurrar de cabeça para o fundo das redes.

Giancarlo apareceu novamente aos 38min da segunda etapa, ao marcar seu segundo gol na partida. O camisa 77 pontepretano, 1,91 m, concluiu cruzamento de Nikão de cabeça. Dida pulou na bola e chegou a tocar nela, mas não evitou o gol da vitória da equipe da casa.

Na próxima rodada, a Portuguesa encara o Palmeiras, derrotado neste sábado pelo Santos, no Canindé, pela primeira rodada do returno do Campeonato Brasileiro. Já a Ponte Preta vai ao Estádio Independência jogar contra o líder Atlético-MG.

Ficha técnica

PONTE PRETA 2 X 1 PORTUGUESA

Gols
PONTE PRETA: Giancarlo, aos 5min do primeiro tempo e aos 38min do segundo tempo

PORTUGUESA: Bruno Mineiro, aos 23min do primeiro tempo

PONTE PRETA: Edson Bastos; Tiago Alves (Bruno Sabino), Diego Sacoman, e Ferron; Cicinho, Baraka, Ricardinho, Marcinho (Nikão), Uendel; Rildo (Luan), Giancarlo
Treinador: Gilson Kleina

PORTUGUESA: Dida; Ivan, Valdomiro, Gustavo e Rogério; Diguinho (Héverton), Ferdinando, Léo Silva e Moisés (William Xavier); Ananias e Bruno Mineiro (Diego Viana)
Treinador: Geninho

Cartões amarelos
PONTE PRETA:Cicinho, Marcinho e Giancarlo
PORTUGUESA: Valdomiro e Rogério

Árbitro
Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Local
Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas

Por Cleber Aguiar – Neymar espanta carrasco, vence o Palmeiras e dá presente a Davi Lucca

Fonte:Globo.com

Craque joga por 11, marca os dois gols do Santos na vitória por 2 a 1 e acaba com ‘maldição’. Verdão termina turno na zona da degola

DESTAQUES DO JOGO
  • nome do jogo

    Neymar

    Espantou o carrasco alviverde e deu dois gols de presente de aniversário ao filho Davi Lucca. Mesmo sem tanta colaboração do time, mostrou que é o principal jogador em atividade no Brasil.

  • lance capital

    17 do 2º tempo

    Neymar recebe de Ganso e, mesmo observado por quatro palmeirenses, chuta sem força em direção ao gol. A bola vai mansinha, mas Bruno não consegue alcançá-la.

  • a decepção

    Barcos

    Artilheiro do Verdão na temporada, com 21 gols, o Pirata perdeu gols que costuma fazer. E quando foi bem, parou no goleiro Rafael. Uma cabeçada certeira no fim da partida mostrou isso.

A CRÔNICA
por Diego Ribeiro e Marcelo Hazan

 

Neymar gosta de clássicos, vai bem na maioria deles, mas tinha o Palmeiras engasgado. Não tem mais. O dia 25 de agosto de 2012 foi especial para o craque, responsável pela vitória do Santos por 2 a 1 sobre o rival alviverde, neste sábado, no Pacaembu, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Um dia depois do aniversário de um ano do filho Davi Lucca, o jogador pôde dar um presente em dose dupla, com os belos gols que decidiram a partida. De quebra, mandou o Verdão para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Mesmo com o time colaborando pouco, Neymar jogou por 11. Neymar foi o próprio Santos.

Em 5 de fevereiro, no seu aniversário de 20 anos, ele recebeu um presente de grego – apesar de um gol, o seu 100º, o Peixe perdeu de virada por 2 a 1 para o Palmeiras. Os números do craque contra o Verdão melhoraram um pouco. Agora são três vitórias, dois empates e cinco derrotas. Fez cinco gols no rival, um a mais do que em cima do Corinthians.

O Peixe fecha o primeiro turno do Brasileirão com 26 pontos. Ainda está longe dos líderes, mas o plano de voltar à Taça Libertadores fica mais palpável a cada rodada – graças a Neymar, como sempre. As duas vitórias seguidas em clássicos (domingo passado, o Peixe venceu o Corinthians) deram fôlego à equipe de Muricy Ramalho, que conquistou sua terceira vitória consecutiva de virada na competição nacional, contra Figueirense (3 a 1), Corinthians  (3 a 2) e agora o Palmeiras.

O Verdão, independentemente do que ocorrer no domingo, vai terminar o primeiro turno na zona de rebaixamento, com 16 pontos. Bahia e Atlético-GO se enfrentam, e um deles vai ultrapassar a equipe de Luiz Felipe Scolari.

Os dois times voltam a jogar na quarta-feira. O Palmeiras enfrenta a Portuguesa, às 20h30m (de Brasília), no Canindé. Já o Santos recebe o Bahia, às 19h30m, na Vila Belmiro.

Neymar contra 11

Um Palmeiras tranquilo, apesar dos 11 desfalques e do time remendado. Um Santos nervoso, apesar de Neymar e Ganso. O meia, aliás, já começou o clássico pressionado por gritos da torcida alvinegra, que pediu respeito à camisa do Peixe – protesto contra as declarações do jogador, que disse que seria um prazer atuar no São Paulo, que apresentou proposta para contratá-lo. Em campo, o camisa 10 sumiu, vigiado de perto por Henrique. O primeiro tempo foi todo da equipe de Luiz Felipe Scolari, bem organizada taticamente e com muito mais volume de jogo no ataque.

Neymar, Palmeiras x Santos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Neymar garantiu o triunfo santista sobre o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Betinho, a surpresa na escalação, ficou aberto pela direita, ajudando João Vitor na marcação de Neymar, que foi controlado com sucesso pela defesa alviverde no primeiro tempo. Pela esquerda, Juninho e Mazinho dobravam em cima de Bruno Peres, e, assim, as melhores jogadas do Verdão começaram a surgir por aquele setor. Valdivia, mesmo bem marcado por Adriano, jogou com objetividade, tocou a bola com rapidez e fez o Palmeiras praticar seu futebol com facilidade, algo que não ocorria há muito tempo.

Os alviverdes fizeram linha de passe e confundiram a zaga santista. Melhor para Barcos, que fez o que quis: deixou Patito Rodriguez no chão, passou por Bruno Peres, largou Mazinho na cara do gol – não fosse o pé salvador de Durval, o Verdão comemoraria, aos 21. A tranquilidade do Palmeiras, porém, teria sua recompensa minutos depois. Aos 40, depois de quase todos os jogadores tocarem na bola, Juninho encontrou Correa livre na entrada da área. Chutaço, sem chances para Rafael: 1 a 0. Enfim, o domínio palmeirense estava demonstrado no placar.

Na parte coletiva, o Palmeiras foi quase perfeito. Neymar deu apenas duas arrancadas perigosas no primeiro tempo, ambas em contra-ataques. Bastante nervoso, o atacante cobrava, pedia a bola a todo momento – gritou com Bruno Rodrigo, depois com Bruno Peres, depois sem um alvo definido. Até que Ganso, até então sumido na partida, resolveu colaborar e sofreu uma falta de Valdivia na entrada da área. Aos 43 minutos, a genialidade do craque apareceu. Cobrança perfeita, sem chances para Bruno. Na comemoração, homenagem ao filho Davi Lucca, que completou um ano na última sexta-feira. Em um lance, Neymar igualou o que o rival fez com muito esforço, com todos jogando bem. Às vezes, o santista vale por 11.

Presente em dose dupla

A marcação sobre Neymar aumentou. João Vitor até levou cartão amarelo depois de uma falta no craque. E, sozinho, o santista tentava furar o bloqueio montado por Felipão no sistema defensivo. O Verdão diminuiu muito seu ímpeto ofensivo, mas ainda era melhor na partida – nada que exigisse alguma difícil defesa de Rafael. O controle estava estabelecido.

O problema é que não dá para deixar Neymar sozinho, nem por alguns segundos. O astro decidiu novamente aos 17 minutos, em chute fraquinho, fraquinho, da entrada da área, que não levaria perigo se o goleiro Bruno tivesse mais agilidade para saltar a tempo no contrapé. A bola encostou de leve na trave e entrou: 2 a 1, e mais dancinhas com os parceiros santistas. A torcida palmeirense perdeu a paciência.

Os velhos problemas da equipe de Felipão, mais uma vez, apareceram. Muito toque de bola, como no primeiro tempo, mas nenhuma objetividade. Correa foi o melhor em campo pelo lado alviverde, mas ele não tem a capacidade de decidir. Essa bola é com Valdivia, que cansou, e com Barcos, que perdeu gols que costuma fazer. Obina entrou na vaga de Mazinho, mas não conseguiu ser efetivo pelo lado direito do ataque.

O último suspiro do Verdão foi dado aos 43, quando Barcos teve a chance para empatar. Uma cabeçada firme para uma defesa espetacular de Rafael.

Ao Santos, coube tocar a bola, algo que conseguiu só nos minutos finais. O Verdão reclamou de um pênalti em Correa, outro em Barcos, mas não teve alguém decisivo. Não teve um Neymar. O atacante, enfim, foi à forra contra o antigo algoz. Ao Palmeiras, sobrou o peso de terminar o primeiro turno na zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 2 SANTOS

Local: Estádio Municipal do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 25 de agosto de 2012, sábado
Horário: 18h30 (Horário de Brasília)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Assistentes: Márcio Luiz Augusto e Danilo Ricardo Simon Manis (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Antonio Batista do Prado e Marcelo Pietro Alfieri (ambos de SP)

Cartões amarelos: João Vitor, Valdivia e Maurício Ramos (Palmeiras); Adriano (Santos)
GOLS: PALMEIRAS: Corrêa, aos 41 minutos do primeiro tempo
SANTOS: Neymar, aos 43 minutos do primeiro tempo e aos 17 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Bruno; João Vitor (João Denoni), Maurício Ramos, Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Corrêa, Mazinho (Obina) e Valdivia; Betinho (Vinícius) e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano (Gérson Magrão), Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Bill)
Técnico: Muricy Ramalho