ICFUT – Guilherme está fora da Portuguesa. Palmeiras negocia

Fonte: lancenet

Após reunião nesta segunda-feira, ficou definida a saída do volante. Corinthians e investidores são concorrentes

Guilherme foi relacionado pelo técnico Geninho (Foto Theo Leite Guilherme não vai continuar na Portuguesa (Foto Theo Leite)

O Palmeiras continua trabalhando para reforçar o seu elenco com o volante Guilherme, de 21 anos, revelado pela Portuguesa e destaque na Série B de 2011.

Uma reunião realizada na tarde desta segunda-feira no Canindé entre dirigentes da Lusa e o empresário do jogador, Eduardo Maluf, definiu que o atleta será negociado e, portanto, não fará mais parte do plantel comandado pelo técnico Geninho.

– Ficou definido que a partir de amanhã (terça) o Guilherme está fora da Portuguesa. Mas não posso falar para qual clube ele vai – declarou ao LANCENET! o diretor Luis Iaúca.

Pouco antes, o gerente Candinho havia resumido a situação:

– Quem pagar o que a Portuguesa pede, leva o jogador. O preço é de R$ 7 milhões – afirmou.

Com o LANCENET! revelou na última sexta, o Palmeiras está disposto a desembolsar essas cifras pela contratação e ficar com 70% dos direitos econômicos de Guilherme que pertencem à Lusa. O restante é de Maluf, o agente.

O Alviverde conta com a concorrência de um grupo de investidores e do rival Corinthians. Inicialmente, o Verdão descarta uma parceria para selar a chegada do reforço.

César Sampaio, gerente de futebol, é quem conduz as negociações por parte do clube do Palestra Itália. No domingo, ele havia dito que estava disposto a continuar com as tratativas logo no início da semana, mas não atendeu às ligações. O mesmo se deu com Maluf.

Vice-presidente do Verdão, Roberto Frizzo afirmou que a diretoria segue tentando fechar a contratação de Guilherme, um pedido do técnico Luiz Felipe Scolari.

– Estamos tentando viabilizar o negócio financeiramente. São negociados valores, prazos e queremos chegar a um consenso. Se conseguirmos isso, anunciaremos.

Cleber Santana, atualmente no Avaí, também interessa ao Verdão.

ICFUT – Homenagem a finalistas de 58 tem Pelé como astro e críticas à Seleção

Fonte: terra

Ao todo, estavam presentes 13 jogadores daquela final, entre eles os brasileiros Pelé, Zito, Pepe e Mazzola. Foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação

Ao todo, estavam presentes 13 jogadores daquela final, entre eles os brasileiros Pelé, Zito, Pepe e Mazzola
Foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação

O Estádio Rasunda reverenciou os protagonistas da maior partida de sua história. Perto de sua demolição, marcada para o próximo ano, o local recebeu na manhã desta terça-feira os finalistas da Copa do Mundo de 1958. Em um evento simples, mas tocante, brasileiros e suecos entraram no gramado com um uniforme comemorativo, foram homenageados, fizeram um breve discurso e relembraram o dia que marcou a única final da história da Suécia e o primeiro título mundial do Brasil.

Ao todo, estavam presentes no estádio 13 jogadores daquela final, mas Pelé foi o centro das atenções. Ao entrar em campo, já com os suecos devidamente apresentados, o craque entrou em campo trotando, como se mostrasse que estava inteiro e pronto para jogar. Ao lado dos outros três brasileiros presentes, Zito, Pepe e Mazzola, abraçou cada um dos suecos.

O encontro mais esperado era com Bengt Gustavsson, o zagueiro que levou o chapéu de Pelé no gol que é considerado por muitos o mais belo de todas as Copas do Mundo. Levando no bom humor, Gustavsson riu quando o apresentador simulou o lance com a mão.

Pelé ainda fez um rápido pronunciamento, no qual disse estar emocionado com a homenagem e agradecido pela presença de todos os jogadores. No final, mandou um recado da presidente da República, Dilma Rousseff, convidando os suecos a viajarem ao Brasil para o Mundial de 2014.

Os ex-jogadores ficaram em campo ainda para entrevista, nas quais não faltaram críticas à atual Seleção Brasileira, prata nos Jogos Olímpicos de Londres. Mazzola foi o mais enfático. "Precisa de uma injeção de caráter, não pode ter firula. Tem que ter talento, mas segue também", disse.

ICFUT – Rodolfo, do Atlético-PR, pega dois anos de gancho por uso de cocaína

Fonte: futebolinterior

Ele foi punido por unanimidade pelo STJD nesta segunda-feira

Curitiba, PR, 13 (AFI) – Por unanimidade, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Rio de Janeiro suspendeu o goleiro Rodolfo (foto), do Atlético-PR, na noite desta segunda-feira, em dois anos, de competições oficiais por uso de cocaína. O resultado já era esperado pelo próprio departamento jurídico do Furacão.

Ele foi punido com base no artigo 2º, item 2.1, do Código Mundial Anti-Doping (CMAD), pela “presença de uma substância proibida ou de seus metabólicos ou marcadores em uma amostra colida do atleta” e recebeu a pena máxima prevista, de suspensão por dois anos de competições esportivas

Duas vezes
Rodolfo foi pego no antidoping pela primeira vez, no último dia 9 de junho, após a derrota para o CRB, por 2 a 0, pela 5ª rodada, passou por contraprova, que detectou traços de cocaína na urina do jogador. Recentemente, ele assumiu o vício e foi internado em uma clínica de reabilitação, o que não foi suficiente para reduzir a pena.

O goleiro Rodolfo foi pego novamente no exame antidoping por uso de cocaína. Ele testou positivo para a substância na partida contra o Ceará, no último dia 23 de junho, mesmo sem ser titular, o jogador foi sorteado e foi submetido à verificação. Ele ainda terá direito à fazer uma contraprova e se for confirmado o uso de cocaína pela segunda vez, pode ser banido do futebol, pela reincidência.

Assumiu o vício
Durante o depoimento, o goleiro assumiu o uso da droga dois dias antes da partida, mas procurou deixar bem claro que o consumo da droga não teve efeito anabolizante nenhum, muito pelo contrário. Ele ressaltou que se não tivesse utilizado cocaína, poderia ter tido um rendimento maior.

"O Atlético-PR me avisou e fiquei muito triste comigo mesmo. Essa doença está me fazendo muito mal. Com o apoio do Atlético-PR eu hoje encontro-me internado em uma clínica e venho recebendo o apoio dos meus colegas de trabalho, da minha família e da minha esposa que está aqui hoje", afirmou o jogador em depoimento.

A defesa
A defesa do Atlético-PR, comandada pelo advogado Domingos Moro, chamou o chefe do departamento médico do clube, Luis Salim, e o psicólogo do goleiro como testemunhas, argumentando que o problema do jogador era de ordem médica.

"A lei diz que tem que punir, mas diz também que pode ter redutores. É isso que venho pedir, que ele tenha redutores. Esse tempo de punição pode ser aliado com o tempo que ele precisa para se recuperar", destacou o advogado.

O Tribunal preferiu punir Rodolfo, tomando como base o novo conceito do CMAD de responsabilidade estrita, ou seja, que o atleta é responsável por tudo que ingere ou que entra em seu cortpo

O goleiro pode recorrer à punição no Pleno do STJD e ser julgado em meados de setembro. Depois das duas instâncias julgadas, a decisão é informada a Corte Arbitral do Esporte (CAS), instância máxima da Justiça Esportiva, que decidirá se será necessário ou não mais um julgamento.

Este tipo de caso também não é novidade no Furacão. No final do ano passado, o atacante uruguaio Morro García também foi flagrado no antidoping, por um jogo de quando ainda atuava pelo Nacional, do Uruguai. Nos dois casos, as chances do clube ser punido é mínima.

Com apenas 21 anos, Rodolfo é visto como uma promessa no Atlético. Além do time rubro-negro, ele acumula passagens pelas categorias de base de Paraná e Internacional. Antes da chegada de Wéverton, o jogador vinha atuando como titular no início da Série B.

ICFUT – Mazzolla cobra injeção de caráter na seleção e ‘corneta’ Neymar; Pelé é diplomático

Fonte: uol

Como parte da comitiva brasileira que na manhã desta terça-feira visitou o estádio Rasunda, palco da final da Copa do Mundo de 1958, o centroavante Mazzolla era só sorrisos ao resgatar as memórias de 54 anos atrás. O rosto só se fechou para falar de uma memória bem mais recente. Para o ex-jogador da seleção e um dos maiores artilheiros da história da Liga Italiana, os problemas da equipe de Mano Menezes na derrota olímpica e na preparação para o Mundial de 2014 não passam apenas pela parte tática ou técnica.

‘’O Brasil perdeu a medalha de ouro porque não soube mudar de estratégia, isso ficou claro. Mas, para mim, a seleção precisa mesmo é de uma injeção de caráter. Não pode ter tanta firula. Tem que trazer jogador que tenha talento e sangue. O Pelé era assim: jogava muita bola, mas tinha raça. Com esse time que temos hoje, não ganharíamos a Copa ’’, avaliou.

Mazzolla, que trabalha como comentarista da rede TV italiana SKY, ficou irritado especificamente com Neymar. ‘’Ele não pode passar 90 minutos na ponta esquerda. Se não está funcionando, precisa ir para outro lado, buscar espaço. Eu tenho comentado o Campeonato Espanhol e vejo o Messi como o exemplo ideal. Quando a marcação aperta, ele joga em toda parte do campo’’, comentou.

Diante do argumento da obediência tática, o campeão de 58 foi lacônico. ‘’Jogador tem de ter independência, pensar o jogo também’’. O ex-centroavante, porém, esquivou-se de comentários sobre a situação de Mano. ‘’Não tenho acompanhado muito o trabalho dele’’, argumentou Mazzolla, que naturalizou-se italiano depois da Suécia e disputou o Mundial de 1962 pela Azzurra.

Companheiro de Mazzolla na campanha de 1958, o meia Zito foi mais diplomático na análise do momento vivido pela seleção. ‘’A gente sempre quer ver vitória , mas o Brasil é sempre o Brasil .O problema é que às vezes ocorre um acidente. Mas dá tempo para consertar as coisas [para a Copa do Mundo de 2014], temos jogadores para isso’’, disse o jogador.

O mais assediado do grupo de quatro remanescentes que visitou o Rasunda (Pepe também veio), Pelé também adotou a via contemporizadora. ‘’A seleção é muito jovem, mas não temos tempo para armar a equipe. Todos os jogadores são bons de categoria, mas tem que ter um tipo de jogo. O México tem mais tempo de jogo, veio bem armado e surpreendeu’’, explicou Pelé, que alegou compromissos com uma de rede para não ter ido à partida de sábado passado em Wembley.