Por Cleber Aguiar – Hoje a Vila está em festa quem quiser pode chegar !!! Santos FC um centenário de glórias !

POR CLEBER AGUIAR EQUIPE ICFUT – Hoje vou falar da minha maior paixão depois de minha família o SANTOS FC , esse clube que chega em seu centenário como uma das maiores forças do futebol mundial e a maior na América Latina.Vou aproveitar para falar da minha juventude torcendo para o nosso glorioso peixe, tempos difíceis sem um craque de referência como hoje temos Neymar, Ganso entre outros, Meu grande primeiro ídolo no Santos foi Paulinho Mclaren meados de 91 e 92 em um time com jogadores razoável para bom esse artilheiro quase não passava em branco e foi por muito  tempo uns dos goleadores do peixe.

Inclusive lembro de um jogo memorável entre Santos e Vasco no Maracanã em 1992, onde o jogo terminou 3×3 três gols de Paulinho  pelo Santos e mais três de Bebeto pelo Vasco, lembro que a extinta Gazeta Esportiva colocou uma chamada Bebeto 3 x Paulinho 3 foi fantástico.Depois da saída de Paulinho Mclaren foi a vez do Guga ser o grande matador e ídolo daquela geração sofrida mas apaixonada pelo Santos, Guga era incrível contra o Corinthians judiava dos caras gols de peixinho,bicicleta,voleio,cabeça,com o pé etc, sem falar que era um grande goleador,porém essa época tínhamos Almir que era um ponta direita que infernizava qualquer zaga, a liderança no estilo xerifão de Gallo  no meio de campo e também contamos com a segurança do Goleiro Velloso ex Palmeiras, por um semestre foi um bom time merecia chegar mais longe no Brasileirão 1993.

Agora ano fantástico na década de 90 para os Santistas foi 1995 , um time liderado com o bom e injustiçado técnico Cabralzinho , onde tinha G10vanni o Messias , Edinho o Filho do Rei em ótima fase naquele ano, Marcelo Passos o homem do chute perfeito, Camanducaia o xodó da torcida santista, Narciso na época Zagueiro, entre outros como Jamelli, Marcelo Silva, Gallo o grande Capitão, Marquinhos Capixaba etc.A onda do cabelo vermelho do G10vanni essa até eu entre…rsrsrs, no jogo do pacaembu contra o Fluminense naquele épico 5×2 na semi-finais após derrota de 4×1 no Maracanã só quem estava no estádio aquele dia sabe explicar o que é torcer por um clube simplesmente por amor á ele mesmo estando em uma fila de títulos como estavamos na época com 11 anos sem conquista, foi mágico, emocionante foi como ser arrebatado para céu e voltar por causa de um jogo, pena que o Sr Márcio Rezende de Freitas nos tirou esse título contra o Botafogo, mas tudo bem o que é o Santos hoje e onde está o Botafogo?  até segunda divisão caiu nesse período na verdade é motivo de dó esse time.

Depois que G1ovanni saiu a torcida ficou orfã de craques , passaram Alessandro Cambalhota ( esse eu gostava muito ), Viola esse era zueira e levava a torcida á loucura com suas comemorações, não posso deixar de citar a importância da 1º passagem de Luxerburgo na Vila onde mudou a estrutura física do clube ao lado do presidenta Samir, depois veio Leão e ganhamos um título internacional após 35 anos com a conquista da Conmebol de1998 e claro Marcelo Teixeira que prometeu colocar o clube no caminho dos títulos, porém os primeiros anos só um vice campeonato paulista , mas a grana acabou e resurgiu uma receita que nunca falha na Vila, os seja o Meninos da Vila com o comandante Leão e um veterano mais jovem do Brasil Léo , na companhia de Elano, Paulo Almeida, as torres gêmeas Alex e André Luís, os goleiros Julio Sergio e Fábio Costa, o matador e fazedor de gol  de bicicleta em gambá Alberto e claro a dupla Robinho e Diego tiraram o Santos de uma fila de 18 anos sem títulos e fizeram do peixe a grande Leão do Mar que sempre foi e merecia sempre está pela sua grandeza.

Depois disso vieram os campeonatos paulistas, brasileiro e com a nova safra de meninos Neymar e Ganso Copa do Brasil inédita e a mais cobiça e nunca conquistada por um time da capital que pensa em ser grande a Taça Libertadores.Nesses 100 anos do peixe foram muitas conquistas, glórias e momentos difíceis, mas em nenhum momento pereci ou pensei em desistir, pois pensava comigo poxa um time que teve o rei do futebol ( Rei Pelé ), vai sair dessas dificuldades e saiu calando a boca do lixo do trio de lata da capital e voltando a ser respeitado no mundo inteiro como o maior fornecedor de craques do mundo e uma coisa tenho certeza se Deus gosta de futebol ele é santista para colocar Pelé, Robinho e Neymar no mesmo time só pode ser uma coisa divina.

Então meus amigos Icfutistas santistas hoje é dia de comemorar, pois muitos de nós não estaremos aqui no próximo centenário, é um dia único, é para mostrar o orgulho de torcer para um clube que tem Libertadores tem um co-irmão ai que não tem, que nunca disputou uma segunda divisão igual a certos clubes da capital, sem falar que o mais arrogantes deles o São paulo FC  já disputou até segunda divisão do campeonato paulista … só tem pose de forte mas é fraco mesmo…kkkkkkkk

Para finalizar agradeço meu pai Sr Antonio Aguiar por me tornar santista, para vários amigos santista como W.santista, Adolpho Péricles grande seguidor desse site, meus primos  santistas  Edgar , Afonso, Luís Carlos,  Fabiana entre outros .Não posse deixar de falar da maior força do Santos FC que é Torcida Jovem do Santos vocês também fazem parte dessa história…. Obrigado SANTOS FUTEBOL CLUBE em me tornar campeão de tudo no futebol.

Nascer,Viver e no santos Morrer !!!!

Cleber Aguiar

ICFUT – SANTOS FC – 100 anos.

Fonte: Globo.com

Santos: há um século prestando bons serviços à arte de jogar bola

Peixe de Pelé, Neymar, Robinho, Pepe, Coutinho, Ganso, Giovanni, dos quase 12 mil gols, completa 100 anos, mas com jeitão de menino

Por GLOBOESPORTE.COM Santos, SP

Um clube escolhido pelo destino para ser lar de um rei. Que nasceu predestinado a se tornar, em grande parte de sua história, a casa do “jogo bonito”. E que, agora, é centenário. O Santos Futebol Clube, que diz ter orgulho de carregar “a essência do futebol-arte”, completa 100 anos neste dia 14 de abril de 2012. Com jeitão de menino.

Em 1912, três jovens esportistas de Santos, Francisco Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior, convocaram uma assembleia na sede do antigo Clube Concórdia para a criação de um time de futebol, que ainda era um esporte de elite na época. Antes de ser batizado com o nome da cidade, houve outras propostas: Concórdia, África, Brasil Atlético, entre outros.

Pelé Santos especial centenário (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Pelé: nascido na Vila Belmiro, eterno craque é símbolo alvinegro  (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Coube a Edmundo Jorge Araújo sugerir Santos Foot-Ball Club. Aclamado por unanimidade. Mas o Santos ainda não era o Peixe. Quando a equipe começou a disputar jogos contra as equipes da capital, os rivais chamavam os alvinegros de “peixeiros” e o time de “Peixe”. Era uma ofensa, que acabou assimilada e virou apelido oficial do clube.

E, como Peixe, o Alvinegro Praiano foi se consolidando como força aos poucos. Sempre com vocação ofensiva e apostando em jovens. Está no DNA do clube: gols e garotos. Em 5.588 jogos até agora, foram marcados 11.793. Nenhum outro clube de futebol do mundo marcou tantos gols. Um orgulho que ninguém mais tem.

O primeiro título de expressão viria em 1935. Antes, o Alvinegro encantava, goleava, mas ainda sucumbia ao poderio dos times da capital. Jogar o Campeonato Paulista era uma epopeia para o Santos. O deslocamento entre a Baixada Santista e a capital era difícil, feito por trem ou de carro, pelo tortuoso Caminho do Mar. A viagem, que hoje demora cerca de uma hora, na época tomava mais de cinco horas.

Por tudo isso, o título de 35 é considerado heroico, com vitória sobre o Corinthians, por 2 a 0, no Parque São Jorge. Após essa conquista, porém, vieram 20 longos anos de jejum. O Santos seguia fazendo muitos gols, revelando bons jogadores, mas não conseguia títulos. Até que veio o bicampeonato de 1955 e 1956. O Santos, ainda com torcida muito pequena, começava a ser grande. Ainda não havia Pelé, mas havia Zito, Pepe, Vasconcelos, entre outros, que prepararam terreno para o reinado do maior jogador que o mundo já viu.

Neymar e Robinho no CT Rei Pelé (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)Neymar e Robinho: a eterna renovação santista (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)

Em 1956, desembarcou em Santos o menino Edson Arantes do Nascimento. Alguns treinos depois, já era considerado um fenônemo e logo entrou no time principal. Não saiu mais: de 56 a 74, 1.116 partidas, 1.091 gols e 21 títulos importantes (entre outros torneios menores). O garoto virou um mito: o Rei do Futebol.

Depois da saída de Pelé, anos complicados. Com exceção dos títulos estaduais de 1978 e 1984, os santistas sofreram demais. Viraram as “viúvas de Pelé”. Nada doía mais na alma alvinegra do que encarar uma dura realidade: sem o Rei, o Santos voltara a ser “comum”. Não era, no entanto. Nunca foi. Predestinado a ser protagonista, a formar craques, o Alvinegro ressurgiu na segunda metade da década de 90, quando começou a formar uma nova geração de jogadores brilhantes.

Robinho, Diego e companhia lideraram o Santos na conquista do Campeonato Brasileiro de 2002 e iniciaram um novo ciclo vitorioso da história, que já dura dez anos e hoje conta com um grupo de jogadores que só não têm mais títulos que a geração de Pelé. Neymar, protagonista dessa nova safra, é o maior santista depois do Rei, como um dia fora Robinho, provando que o Santos, com sua eterna renovação, nasceu para ser grande.

Por Cleber Aguiar – À la Michael Jackson, Neymar rouba a cena em estreia do filme do Santos Vestindo chapéu, craque do Santos causa alvoroço na Vila Belmiro e é alvo de brincadeiras de Paulo Henrique Ganso

Fonte: Globo.com


Por Fúlvio Feola
TV Tribuna, Santos
 
Um espestáculo ao ar livre. Cinema e futebol. Tudo isso se completa quando falamos em Santos Futebol Clube. Nesta sexta-feira, 13 de abril, um dia antes da data oficial do centenário santista, foi apresentado na Vila Belmiro o filme “Santos, 100 anos de futebol arte”, dirigido e roterizado pela cineasta Lina Chamie, em comemoração ao aniversário do clube. Heróis do passado e da atualidade estiveram presentes, mas sem dúvida alguma, Neymar, o popstar do Peixe, foi o grande astro.

Neymar chega cheio de estilo no lançamento do filme do Santos (Foto: Maurício de Souza/Agência Estado)
Para deixar o local temático, com cara de cinema, o clube disponibilzou pipoca e refrigerante aos convidados. Mas o alvoroço maior foi quando craque santista apareceu no local. Rodeado de seguranças e com um belo chapéu, Neymar passou por toda imprensa e torcedores ansioso para ver o filme.
O craque, aliás, é peça importante do filme comemorativo. Apesar de ter apenas 20 anos, já conquistou duas vezes o Campeonato Paulista, uma Copa do Brasil e uma Taça Libertadores da América. Rápido nas palavras, Neymar não escondeu a emoção ao falar do centenário alvinegro.
– Estou muito feliz por fazer parte dessa história, e isso é o que realmente importa – disse.
Figura importante nas recentes conquistas do Santos, Paulo Henrique Ganso apareceu como ator coadjuvante ao lado de Neymar. Parceiros dentro e fora dos gramados, o camisa 10 da Vila Belmiro brincou com o visual do jovem.
– Ele parece o Michael Jackson, vai dar uma palinha para nós – disse Ganso.