Por Rogerinho – Santa Cruz vence o Náutico e pula para a vice-liderança no Estadual

Renatinho faz golaço, decide o clássico, no Arruda, e garante a sétima vitória consecutiva da Cobra-Coral no Campeonato Pernambucano

 

FONTE – GLOBOESPORTE.COM Recife

Um golaço de Renatinho, chutando de trivela, de primeira, no ângulo, decidiu o clássico pernambucano neste domingo. O Santa Cruz derrotou o Náutico por 1 a 0, no estádio do Arruda, diante de 27.078 torcedores, subiu para a vice-liderança, com 41 pontos, três a menos do que o Sport – foi beneficiado pelo empate em casa do Salgueiro, agora terceiro somando 40, com o Belo Jardim, por 2 a 2.

Foi a sétima vitória seguida do Santa Cruz. Já o Náutico acumula cinco jogos sem ganhar e permanece na quarta colocação, com 35 pontos.

O Santa Cruz volta a jogar no Arruda no próximo domingo, contra o lanterna América, às 16h (de Brasília). O Náutico tenta se recuperar diante do Serra Talhada, no sábado, às 19h, no estádio dos Aflitos.

Dominio alvirrubro; eficiência tricolor

Logo a um minuto, Lenon escapou pela esquerda e chutou para a defesa segura de Tiago Cardoso. O lance deu uma falsa impressão que o primeiro tempo seria aberto, repleto de oportunidades. Ledo engano. Nos 13 primeiros minutos, esse foi o único lance de perigo. O Náutico era mais organizado, acuava o Tricolor em seu campo de defesa, mas não conseguia transformar o dominio em oportunidades.

Aos 14, Eduardo Ramos bateu escanteio e Siloé subiu mais alto que a defesa do Santa Cruz, mandando por cima do gol tricolor. No lance seguinte, a resposta Coral. Renatinho mandou de fora da área e Felipe, que substituiu o machucado Gideão, segurou em dois tempos.

O Santa Cruz passou subir mais para o ataque e não custou a encontrar o caminho das redes. Aos 19, Geílson fez bela jogada, Dênis Marques se atrapalhou com a zaga na meia-lua, e a bola sobrou para o lado esquerdo. Renatinho pegou de primeira, de trivela, acertando o ângulo de Felipe. Golaço que garantiu a vantagem ao Santa Cruz.

renatinho comemora gol no clássico (Foto: Aldo Carneiro)
Renatinho comemora o gol marcado no clássico
.

Atrás do placar, o Náutico se mandou em busca do empate, mas sem conseguir entrar na grande área tricolor. Aos 32,  Eduardo Ramos cobrou falta e Tiago Cardoso mandou para escanteio. Na cobrança, o goleiro coral voltou a aparecer bem, segurando a cabeçada de Siloé.

Três minutos depois, uma nova chance para o Náutico, e mais uma vez de fora da área: Lenon chutou forte, e Tiago Cardoso mandou para fora. Aos 44, Dênis Marques quase fez um golaço, mas a bicicleta saiu fraquinha, nas mãos de Felipe.

Duas expulsões no segundo tempo

As duas equipes voltaram com a mesma formação e postura na segunda etapa. O Náutico tinha mais posse de bola, chegava frequentemente à frente, mas sem muita força ofensiva. O Santa explorava os contra-ataques, porém, sem se prevalecer muito bem da velocidade de Geílson, Luciano Henrique e Renatinho.

Insatisfeito com a produção ofensiva da sua equipe, Waldemar Lemos sacou o atacante Dorielton, apagadíssimo em campo, e promoveu a estreia de Léo Santos, aos 11 minutos. Logo depois, o Santa Cruz ficou com um jogador a menos, quando Anderson Pedra segurou Eduardo Ramos e, como já havia recebido um amarelo, acabou expulso de campo.

Prontamente, Zé Teodoro sacou Geílson e colocou o zagueiro Vagner no jogo, recompondo o sistema defensivo. Aos 16, Luciano Henrique deu lugar a Natan no Tricolor. Aos 24, Waldemar Lemos fez a segunda mudança, mandando Marquinho a campo na vaga de Lenon.

O Timbu passou a apertar mais em busca da igualdade no placar. Aos 26, Siloé recebeu em boa condição dentro da área, dominou com a coxa, mas finalizou mal, desperdiçando ótima oportunidade.

Dênis Marques deu muito trabalho à defesa do Náutico (Foto: Aldo Carneiro)
Apesar de passar em branco, Dênis Marques deu muito trabalho à defesa do Náutico
.

Com um a menos e buscando explorar os contra-ataques, Zé Teodoro tirou o artilheiro tricolor no Estadual, Dênis Marques, colocando Flávio Caça-Rato. Waldemar Lemos também queimou a última alteração, com a entrada de Philip no lugar de Auremir.

Apesar de contar com quatro jogadores ofensivos em campo, o Náutico tinha dificuldades para chegar ao gol do empate. A melhor chance aconteceu aos 36. Marquinho aproveitou cruzamento de Jefferson e cabeceou com perigo, muito perto da trave direita de Tiago Cardoso.

Aos 40 minutos, foi a vez de o Náutico ficar com um jogador a menos, quando Jefferson agrediu Natan sem a bola e foi punido com o cartão vermelho direto do árbitro Sebastião Rufino Filho. A expulsão complicou mais a vida do Timbu. A vitória embala o Tricolor na reta final do Pernambucano. Enquanto isso, a derrota pode selar o fim da ‘Era Waldemar Lemos’ nos Aflitos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s