Por Eder – Aqui, é outra coisa

Fonte Agência CORINTHIANS.

A vitória do Corinthians sobre o Cruz Azul, na última quarta-feira (21), no Pacaembu, rendeu mais do que a liderança de seu grupo da Copa Santander Libertadores. O jornalista mexicano Luis García Olivo, destacado pelo jornal local Esto para cobrir a partida in loco, ficou impressionado com a força da Fiel Torcida e publicou um texto sobre o seu encantamento na edição de quinta (22) de seu periódico. Confira:

Uma paixão no estádio

Na verdade, uma religião. Transformado em uma autêntica necessidade, o futebol em São Paulo e em todo Brasil é verdadeiramente uma religião que envolve todo um ritual. Sem importar a hora que aconteça a partida, como a de ontem que foi às 22h do Brasil (19h, do México), os torcedores lotaram a casa, sem se importar com as complicações. Famílias, casais, adolescentes e até crianças acordaram cedo somente para aguardar o momento de ir ao campo e apoiar ao Corinthians, seu amor, sua religião, sua vida inteira. Poucas horas antes de começar o jogo, fogos pirotécnicos dão boas vindas. As músicas começam a ecoar e um mar de camisas brancas surge no horizonte. Milhares nem piscam, reclamam, se irritam, aplaudem, extravasam e ofendem Corona e companhia por fazerem cera, roem as unhas em cada jogada e ao soar do apito. Sua paixão não tem comparação nem latitudes, por isso mil respeitos ao Brasil, à cidade de São Paulo e ao Corinthians.

Sem comparação

O resultado já era esperado com antecedência. Ontem à noite, só foi confirmado. O estádio do Pacaembu, não menos importante que o Morumbi, da cidade paulista, ensinou porque abriga um dos maiores clubes do país e do continente. Impressionante como num dia de trabalho, suas bandeiras foram embaladas e uma paisagem branca foi o que deixou os jogadores do Cruz Azul boquiabertos. Lotado até no alambrado, o estádio ensinou o que é ‘A Torcida do Corinthians’, umas das mais populares do mundo, mais que a La 12 do Boca Juniors, os Tiffosi na Itália e os hooligans da Alemanha. O barulho do estádio que se escutava não tem comparação, não tem dimensão. O volume alto de “Corinthians!”, “Corinthians!” deixou atônito aqueles que estão longe dessa paixão que se vive o futebol nas cidades sul-americanas do continente. Aqui, é outra coisa”.

Comentário: AQUI É CORINTHIANS!

Por Cleber Aguiar – Neymar contraria opinião de Mano: ‘Não preciso sair para crescer’

Fonte: Globo.com

Jogador afirma ter adquirido muita experiência mesmo atuando no país. Ele tem contrato até 2014 e pretende cumpri-lo

Por Rodrigo Faber São Paulo

 
 
 
Neymar Santos carro (Foto: Anderson Rodrigues / Globoesporte.com)Neymar diz que ouve palpites, mas que decisão é
sua (Anderson Rodrigues / Globoesporte.com)

O futuro de Neymar virou tema de debate. Todo mundo dá palpite: o craque deve ir para a Europa agora ou só depois da Copa do Mundo? O técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, e o ex-atacante Ronaldo defendem que o santista já deveria ter ido embora, pois no Velho Mundo o jogador amadurece muito mais rápido. Já Pelé discorda e diz que Neymar não precisa sair para crescer. Mas, afinal, o que o camisa 11 pensa sobre tudo isso?

Neymar não concorda com a tese de que só na Europa o jogador amadurece. Ele acredita que aprendeu muito em seus três anos como profissional, mesmo que atuando apenas por Santos e Seleção Brasileira.

– A experiência vem com o passar do tempo. Eu evoluí em três anos e posso crescer ainda mais, trabalhando firme, treinando bastante, procurando vencer. Não preciso mudar de lugar para criar experiência ou crescer. Estou vivendo muita coisa no Santos, com muitas conquistas positivas. Não preciso mudar, isso não tem nada a ver – disse o jogador, durante evento de lançamento de uma nova rede social para torcedores, em São Paulo, nesta segunda.

O jogador disse respeitar os palpites de Mano e de Ronaldo, mas lembrou que a decisão final é sempre dele e de seus familiares.

– A opinião do Mano é para ajudar. Ele quer o meu melhor. Mas a decisão é minha, do meu pai e da minha família. Todo mundo vai dar palpite, mas isso é comigo e meus familiares – afirmou.

O craque tem contrato com o Peixe até o fim da Copa do Mundo de 2014.

Por Cleber Aguiar – Fim do Palestra Itália faz 70 anos

Fonte: O Estado de São Paulo

Obrigado a mudar de nome, clube virou Palestra de São Paulo após jogo contra o Flamengo no Pacaembu

RAPHAEL RAMOS – O Estado de S.Paulo

Há exatos 70 anos, o Palestra Itália fazia o seu último jogo antes de mudar de nome para Palestra de São Paulo e, na sequência, Palmeiras. Foi um empate por 2 a 2 com o Flamengo, no estádio do Pacaembu, pelo Torneio Quintela de Ouro de 1942, uma espécie de Rio-São Paulo.

O clube teve de alterar o nome porque, durante a Segunda Guerra Mundial, o governo Getúlio Vargas baixou um decreto que proibia qualquer entidade de usar nomes relacionados aos países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), já que o Brasil estava do lado dos Aliados (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e União Soviética).

A mudança do nome de Palestra Itália para Palestra de São Paulo foi definida em reunião do Conselho Deliberativo no dia 17 de março e referendada pelo presidente Italo Adami. Também foi alterado o escudo institucional. Saíram o vermelho e a palavra “Itália”. A cor amarela passou a ter mais destaque e entrou a inscrição “de S. Paulo”. No distintivo usado no uniforme, o “PI” em vermelho deu lugar ao “P” em branco.

Há poucos registros sobre aquela partida contra o Flamengo. O único atleta do extinto Palestra Itália vivo é o ex-goleiro Oberdan Cattani, que hoje tem 92 anos (leia mais ao lado).

A edição de 25 de março de 1942 do Estado destacava que “para o Palestra o encontro é de suma importância, pois, se vencer, irá enfrentar o Corinthians em igualdade de condições” . O duelo com o Flamengo era a partida de fundo da noite. O jogo de abertura foi disputado entre Fluminense e São Paulo. E justamente pelo fato de a partida ser noturna, o Estado ressaltava um fato curioso: era proibida a entrada de menores de 14 anos, mesmo acompanhados dos pais.

O Palestra de São Paulo durou pouco. Em setembro, sob pena de perder seu patrimônio e ser retirado do Campeonato Paulista, o clube se viu obrigado a mudar novamente o nome e adotou Palmeiras em homenagem à Associação Atlética das Palmeiras.

“A pressão do governo e dos meios de comunicação era muito grande e se tornou insustentável. Em 20 de setembro de 1942, o Palmeiras fez sua estreia contra o São Paulo, e justamente naquele dia foi campeão paulista. O Palestra morreu líder enquanto o Palmeiras nasceu campeão”, conta o historiador e conselheiro do clube José Ezequiel de Oliveira Filho.

 

ICFUT – Gols dos Estaduais 26/03/2012

Figueirense 3 X 0 Chapecoense – Campeonato Catarinense 2012

Bahia 7 X 1 Itabuna – Campeonato Baiano 2012

Fortaleza 0 X 1 Ceará – Campeonato Cearense 2012

Bahia De Feira 2 X 0 Vitória – Campeonato Baiano 2012

Linense 0 X 2 Mogi Mirim – Campeonato Paulista 2012

Caldense 1 X 0 América To – Campeonato Mineiro 2012

Oeste 2 X 1 Paulista – Campeonato Paulista 2012

Atlético-Pr 3 X 0 Cianorte – Campeonato Paranaense 2012

São Paulo 1 X 0 Mirassol – Campeonato Paulista 2012

Santos 2 X 0 Bragantino – Campeonato Paulista 2012

Cruzeiro 2 X 1 América-MG – Campeonato Mineiro 2012

Operário-Pr 4 X 0 Rio Branco – Campeonato Paranaense 2012

Londrina 4 X 0 Iraty – Campeonato Paranaense 2012

Internacional 3 X 0 São José-RS – Campeonato Gaúcho 2012

Arapongas 2 X 0 Coritiba – Campeonato Paranaense 2012

Internacional 3 X 0 São José-RS – Campeonato Gaúcho 2012

Joinville 1 X 1 Metropolitano – Campeonato Catarinense 2012

Vasco 1 X 1 Resende – Taça Rio 2012

Corinthians 2 X 1 Palmeiras – Paulistão 2012

Portuguesa 12 X 8 Guarani – Campeonato Paulista De Showbol

Rodada De Sábado Dos Estaduais 2012

Palmeiras 5 X 9 São Paulo – Campeonato Paulista De Showbol

Corinthians 4 X 1 Santos – Final Do Brasileiro De Clubes De Futebol De Areia

Palmeiras 10 X 6 Portuguesa – Campeonato Paulista De Showbol

Flamengo 4 X 2 Volta Redonda – Taça Rio 2012

Santa Cruz 3 X 2 Araripina – Pernambucano 2012

Botafogo 2 x 0 Duque de Caxias – Campeonato Carioca 2012

Por Cleber Aguiar – São Paulo bate Mirassol e assume liderança do Campeonato Paulista

Fonte: O Estado de São Paulo

Vitória magra, por 1 a 0, basta para Tricolor voltar a superar o Corinthinas na classificação

GABRIEL MELLONI – Agência Estado

SÃO PAULO – O Campeonato Paulista tem um novo líder. É o São Paulo, que neste domingo venceu o Mirassol por 1 a 0, no Estádio José Maria de Campos Maia, e ultrapassou o Palmeiras, que mais cedo perdeu o clássico para o Corinthians. A equipe do Morumbi não teve uma grande atuação, mas jogou o suficiente para conseguir sua décima vitória na competição, a quinta consecutiva, em 15 partidas. O zagueiro Rhodolfo foi o autor do único gol do confronto.

Rhodolfo comemora o único gol do São Paulo - Celio Messias/AE
Celio Messias/AE
Rhodolfo comemora o único gol do São Paulo

O resultado levou o São Paulo aos 34 pontos, mesmo número do Corinthians, mas com vantagem no saldo de gols – 16 a 11 -, enquanto o Palmeiras terminou a rodada na terceira posição, com 32. Na próxima rodada, o time do técnico Emerson Leão tentará manter o bom momento diante do Catanduvense, nesta quinta-feira, às 19h30, na Arena Barueri.

Já o Mirassol chegou à quarta partida consecutiva sem vitória e estacionou nos 18 pontos, na 12.ª colocação. Na rodada seguinte, a equipe buscará a reabilitação diante do Bragantino, nesta quarta-feira, em casa, às 19h30.

O JOGO
O São Paulo começou melhor a partida e perdeu duas boas chances com Jadson. A primeira, após sobra de bola dentro da área, que o meia desperdiçou batendo torto. Depois, ele aproveitou ótima jogada de Lucas, cabeceou bem, mas por cima, rente ao travessão.

Atuando em casa, o Mirassol também foi em busca do resultado e levou perigo aos 10 minutos. Depois de cruzamento de Sérgio Manoel, Preto cabeceou para boa defesa de Dênis. Seria a única chance dos anfitriões na primeira etapa.

Dois minutos depois, o São Paulo respondeu, novamente com Jadson. Ele recebeu grande lançamento de Lucas, ficou de frente para o goleiro, mas não soube o que fazer com a bola. Depois de hesitar em bater, tentou rolar para Willian José, mas tocou muito forte.

Aos 19, o lance mais polêmico do primeiro tempo. Jadson recebeu boa bola de Lucas e caiu após dividida com o zagueiro. Os são-paulinos reclamaram de pênalti, mas o árbitro deu só tiro de meta.

O São Paulo dependia muito das jogadas criadas por Lucas, mas com o caminhar da partida o Mirassol acertou a marcação no meia. Assim, os visitantes pararam de criar oportunidades e somente aos 38 minutos voltaram a levar perigo. Cícero recebeu fora da área e arriscou à esquerda de Fernando Leal.

Na volta para o segundo tempo, Leão decidiu arriscar e colocou Fernandinho no lugar do volante Casemiro. A mudança deu certo e logo aos 7 minutos, o atacante tabelou com Willian José e foi derrubado por Fernando Leal. O árbitro marcou o pênalti, mas na cobrança o próprio Willian José acertou a trave.

O pênalti perdido abalou o São Paulo, que parou de criar oportunidades. A equipe só chegou novamente aos 17 minutos, quando, após uma bola cruzada pela direita, a defesa do Mirassol furou e Fernandinho tentou bater, mas acabou bloqueado.

Com Lucas, que era a principal arma ofensiva do time do Morumbi, apagado no segundo tempo, o gol só poderia sair em uma jogada de bola parada. Aos 18 minutos, Jadson cobrou falta pela direita e Rhodolfo, sozinho, cabeceou para o chão, sem chance para o goleiro.

O gol empolgou o São Paulo e até mesmo Lucas voltou a aparecer. Aos 21 minutos, ele recebeu lançamento longo, ganhou dividida com o zagueiro, passou por outros dois marcadores, cortou mais um jogador e bateu. Fernando Leal evitou o golaço do meia.

A desvantagem no placar fez o Mirassol ir para cima e a equipe do interior passou a controlar a posse de bola. Henrique Dias e Malaquias levaram perigo à zaga adversária em dois lances, mas não finalizaram bem.

O cenário da partida permaneceu desta forma até o final, com o Mirassol tentando criar, mas parando na boa marcação do São Paulo. A equipe do Morumbi ainda chegou a ter uma chance de ampliar, com Cícero, que exigiu boa defesa de Fernando Leal, mas foi só.

MIRASSOL 0 X 1 SÃO PAULO

MIRASSOL – Fernando Leal; Eric (Samuel), Igor, Matheus Ferraz e Willian Simões; Alex Silva (Gilsinho), Sérgio Manoel (Malaquias), Acleisson e Xuxa; Preto e Henrique Dias. Técnico – Ivan Baitello.

SÃO PAULO – Dênis; Piris, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Casemiro (Fernandinho), Jadson (Maicon) e Cícero; Lucas (Osvaldo) e Willian José. Técnico – Emerson Leão.

GOLS – Rhodolfo, aos 18 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Luiz Vanderlei Martinucho.
CARTÕRES AMARELOS – Sérgio Manoel, Casemiro, Alex Silva, Piris, Xuxa, Eric, Fernando Leal, Acleisson, Gilsinho, Maicon.
RENDA E PÚBLICO – não disponíveis.
LOCAL – Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP).

Por Cleber Aguiar – Borges sai da reserva, desencanta no Paulistão e ajuda Santos a derrotar o Bragantino

Fonte: Portal Uol

Santos 2 x 0 Bragantino
 
Jogadores do Santos comemoram o gol de Alan Kardec contra o Bragantino

Artilheiro do Brasileirão passado, o atacante Borges não vive um bom momento em 2012. Mas neste domingo, ele saiu da reserva e desencantou no Paulistão, marcando um dos gols da vitória por 2 a 0 do Santos contra o Bragantino na Vila Belmiro.

Borges não balançava as redes no Paulistão havia mais de um mês. Na ocasião, o atacante marcou um dos gols da vitória por 3 a 1 sobre o Mirassol no dia 18 de fevereiro.

A vitória sobre o Bragantino possibilitou ao Santos se manter na quarta colocação do Paulistão, agora com 30 pontos. O Peixe conseguiu também diminuir a vantagem para o líder – está quatro pontos atrás do São Paulo. Mesmo com a derrota, o Bragantino se manteve no G-8 (oitavo lugar com 23).  

Preocupado com o ritmo desgastante da temporada, o técnico Muricy Ramalho decidiu poupar quatro jogadores no início da primeira etapa: o lateral-direito Fucile, o zagueiro Edu Dracena, o meia Ibson e o atacante Borges.

O Santos começou o jogo sendo pressionado pelo Bragantino, que logo no primeiro minuto criou duas boas oportunidades de abrir o marcador, sendo que em uma delas acertou a trave do goleiro Rafael.

Mas o time da casa, aos poucos, foi se acertando na partida, comandado mais uma vez por Neymar, que protagonizou belas jogadas, assim como Ganso. Em belo lance do camisa 10, Alan Kardec mostrou oportunismo ao completar para o gol e abrir o placar para o Santos.

O Bragantino não se intimidou com o gol sofrido e criou outra boa chance de marcar, mas parou outra vez em cobrança de falta que Rafael nem se mexeu e apenas torceu para a bola não entrar.

Apesar do gol marcado, Alan Kardec furou de forma bisonha duas vezes no primeiro tempo e irritou Muricy Ramalho. Machucado, ele deu lugar a Borges no intervalo – Ibson também entrou na vaga de Henrique.

No segundo tempo, a tarefa ficou muito mais fácil para o Santos depois que o zagueiro Jean Pablo foi expulso após duas faltas seguidas em Neymar. O segundo gol não demorou a sair com Borges, que aproveitou rebote de chute da trave do lateral Maranhão.

Mais solto na partida, Neymar perdeu duas boas chances de decretar uma goleada na Vila Belmiro, prova da superioridade do Santos na segunda etapa. Com o placar controlado, o Peixe cadenciou o ritmo de jogo e saiu do jogo satisfeito com a vitória por 2 a 0.

Personagens da Partida

Melhores

  • Borges 
    Entrou no segundo tempo e mostrou oportunismo ao marcar
  • Neymar 
    Teve a habilidade de sempre, foi caçado como sempre, e comandou o ataque santista

Piores

  • Jean Pablo 
    Fez duas faltas seguidas, foi expulso e complicou o Bragantino na partida
  • Juan 
    Teve duas chances claras de marcar e pecou por querer passar a bola
Santos 2 x 0 Bragantino
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Marcelo Veiga
  1. Rafael
  4. Maranhão
  2. Bruno Rodrigo
  6. Durval
  3. Juan
  5. Arouca Cartão amarelo
  8. Adriano Cartão amarelo
Saiu 7. Henrique
Entrou 14. Ibson
  10. Paulo Henrique Ganso
  11. Neymar
Saiu 9. Alan Kardec Gol
Entrou 18. Borges Gol
 
  1. Rafael Santos
  3. Junior Lopes Cartão amarelo
  4. Jean Pablo Cartão vermelho Cartão amarelo
  6. Luiz Henrique
  2. Victor Ferraz
  5. Eder
Saiu 8. Diego
Entrou 16. Reinaldo
  10. Fernando Gabriel Cartão amarelo
Saiu 11. Léo Jaime Cartão amarelo
Entrou 13. Luciano Castán
  7. Romarinho
Saiu 9. Giancarlo
Entrou 18. Lincom

Por Cleber Aguiar – Morre homem baleado na cabeça em briga de torcedores em SP

Fonte: Folha de São Paulo

O Hospital Geral de Vila Nova Cachoeirinha (zona norte de São Paulo) confirmou às 21h15 deste domingo a morte do homem de 21 anos que levou um tiro na cabeça durante um confronto entre torcedores do Corinthians e Palmeiras no sábado.

Os dois times jogaram na tarde deste domingo no estádio do Pacaembu, em partida valendo pelo Campeonato Paulista de Futebol –o dia dentro do estádio também foi de confusão.

À tarde, a vítima sofreu uma parada cardíaca –seu quadro, porém, era grave desde que deu entrada no hospital. Na rede social Twitter, palmeirenses comentaram a morte do torcedor do time.

O grupo de torcedores rivais se encontrou por volta das 10h na avenida Inajar de Sousa, na altura do número 1.700. Populares avisaram a PM (Polícia Militar), que usou bombas de efeito moral para dispersar as pessoas.

Outros dois torcedores que ficaram feridos na briga receberam socorro médico no mesmo hospital. Depois foram transferidos para outros hospitais.

Um deles, de 23 anos, recebeu um tiro na bacia e está internado no Hospital do Mandaqui. O outro, de 27 anos, atingido na cabeça com um barra de ferro, se encontra no Hospital Cruz Azul.

Duas pessoas foram detidas e encaminhadas ao 72º DP (Vila Penteado), onde o caso foi registrado.

Até as 20h30, não havia registro de outras ocorrências relacionada à partida de futebol, segundo a PM.

Clássico em SP também tem brigas e tumultos dentro do estádio

Corinthians levou a melhor diante de seu maior rival, o Palmeiras, por 2 a 1, mas o que marcou a partida entre os clubes foi a quantidade de tumultos durante o jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Paulista.

Além da briga que ocorreu entre torcedores das duas organizadas e acabou com a morte de um torcedor palmeirense, na zona norte da cidade, ocorreram dois tumultos nas arquibancadas do estádio do Pacaembu e outra fora dele, onde os torcedores formavam fila para a compra de ingresso.

  Ricardo Nogueira/Folhapress  
Policiais entram em choque com torcedores corinthianos durante partida disputada no estádio do Pacaembu
Policiais entram em choque com torcedores corinthianos durante partida disputada no estádio do Pacaembu

A primeira briga ocorreu na torcida do Corinthians, atrás do gol no lado oposto ao tobogã, e foi por conta de uma bandeira, que atrapalhava a visibilidade do jogo.

Entre os palmeirenses, também houve discussão e confusão e, do lado de fora, assim que a partida começou do estádio municipal, torcedores se espremeram para comprar ingresso e entrar.

Nas três ocasiões, a polícia interveio e ninguém ficou ferido.