Por Cezar Alvarenga – Messi dá show e Barcelona atropela o Bayer Leverkusen e está nas quartas de finais da Champions League

Fonte: UOL Esportes

O Barcelona segue encantando o mundo inteiro e vê a estrela de Lionel Messi a cada dia cravar novos recordes na história do futebol. O argentino viveu uma noite de gala e marcou cinco tentos na goleada por 7 a 1 sobre o Bayer Leverkusen, que garantiu a vaga do time catalão nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Messi se tornou o primeiro jogador a fazer cinco gols em uma mesma partida da Liga. Ele ainda está próximo de se tornar o maior artilheiro da história do clube com 228 gols, sete a menos que Cesar. O Barça também atingiu um feito ao conquistar sua maior goelada de todos os tempos no torneio.

O Barcelona segue como favorito rumo ao titulo da Liga e ainda não sabe quem irá enfrentar nas quartas de final, já que os adversários serão definidos em sorteio. O atual campeão da competição venceu o primeiro jogo na Alemanha por 3 a 1 e, por isso, já tinha larga vantagem.

O time catalão dominou completamente o primeiro tempo e envolveu o adversário na sua tradicional troca de passes. Até os 30 minutos do primeiro tempo, a equipe já tinha 68% da posse de bola e havia finalizado sete vezes, contra apenas duas dos rivais.

E foi seguindo seu estilo de jogo que a equipe chegou aos gols em uma noite inspirada de Lionel Messi. Aos 25 minutos, Xavi deu boa assistência para o argentino tocar a bola com sutileza no canto esquerdo de Leno.

Aos 42, Iniesta deu o passe para Messi marcar o segundo gol. Os alemães atacaram muito pouco e, com dificuldades de furar a defesa do rival, optaram por jogadas pelo alto, mas que não levaram perigo a Valdés.

No segundo tempo, o domínio foi ainda maior. O Barça começou a etapa de forma avassaladora e marcou outros quatro gols em apenas 17 minutos com jogadas dos pés de Messi e de Tello, que também teve grande atuação com dois gols.

Após a ‘avalanche’ e com o jogo liquidado, o Bayer se fechou no campo de defesa para não sofrer um vexame maior, enquanto o Barça seguia sua estratégia de trocar bolas em seu campo de ataque. Mas o Barça não tirou o pé do freio e ainda fez mais um, novamente com Messi. Nos acréscimos, o Bayer diminuiu, mas já não adiantava mais nada.

 

ICFUT – Links para os jogos da Taça Libertadores 2012.

http://www.vto.tv/
http://www.vertvonline.org/
http://www.futebolaovivo.net/tvonline.php
http://www.eugeniosvirtual.com/tevirtual/jogos_vivo.html
http://www.tvaovivogratis.net/
http://www.tvgol.org/
http://www.assistirtvgratis.net/
http://tvdenet.blogspot.com/
http://www.zuumptv.com/2010/05/band-sports-ao-vivo.html/
http://www.rojadirecta.me/
http://atdhe.tv/
http://www.futebolpc.hd1.com.br/futebol.html

Por Cleber Aguiar – Balotelli “foge” da concentração e é flagrado em boate de striptease

Fonte: Futebolinterior.com.br

O jogador pediu desculpas à namorada Rafaella Fico, mas se esqueceu do Manchester City

Lionel Messi e Cristiano Ronaldo disputam “cabeça a cabeça” o título de melhor jogador do mundo. No entanto, quando o assunto é polêmica os craques de Barcelona e Real Madrid não chegam nem perto do atacante italiano Mário Balotelli, do Manchester City. Desta vez, o jogador foi visto em uma boate de striptease, na última sexta-feira, às vésperas do duelo dos Citzens contra o Bolton pelo Campeonato Inglês.

Balotelli e a deusa Raffaella

A “escapadinha” irritou o técnico do City, Roberto Mancino. No entanto, pelo visto, o “Super Mário” não parece ter se preocupado nenhum pouco com seu treinador. Ao confirmar sua noitada em um clube cheio de belas mulheres, ele se desculpou apenas com a namorada Raffaella Fico.

“Meu erro não foi com o clube, mas sim com minha namorada. Se ela tivesse ido a uma boate de striptease com os amigos dela eu ficaria chateado. Quando amamos alguém podemos fazer de tudo para evitar esse tipo de dor”, afirmou o jogador.

O saidinha aconteceu alguns dias, após Balotelli homenagear Raffaella, após marcar um gol em jogo contra o Blackburn. Por baixo do uniforme, ele vestia uma camisa com os dizeres: “Raffaella te amo”. Antes, ele já havia presenteado a ex-musa do Big Brother italiano com um porsche.

Recado para torcida da Juve

Um craque em polêmicas
Apesar de ter apenas 21 anos, Balotelli já acumula uma série de polêmicas que o torna um personagem folclórico. Dentro de campo, ele já teve discussão com o atacante Cassano; fez gestos obcenos à torcida da Juventus, quando atuava pela Inter de Milão; e pisou na cabeça de Scott Parker, em jogo do City contra o Tottenham.

Contudo, suas grandes peripécias estão fora de campo. O atacante traiu a ex-namorada Sophie Reade, com a melhor amiga dela; fez ameaças via SMS a outra ex, a ex-Miss Itália Melissa Castagnoli; foi flagrado com a a camisa do Milan quando defendia a rival Inter.

 

Ao lado da atriz pornô Holly

Até mesmo algumas contravenções já marcaram a vida do italiano de origem ganesa. No ano passado, ele foi pego tentando invadir um presídio feminino de Brescia, com o seu irmão Enock, de 17 anos. Depois, foi punido por um trote violento onde jogou dardos em jogadores da base do Manchester City.

Mais recentemente, ele foi acusado de ter traído Raffaella Fico com a atriz pornô Holly Henderson. Os dois foram flagrados pelos “paparazzi”. Mas nem só de más notícias vive o garotão. Em 2011, o jogador virou manchete, após doar um valor equivalente a R$ 2,5 mil a um sem-teto. Ele fez a doação, após deixar o Casino 235, na cidade de Manchester, onde havia ganho R$ 65 mil.

ICFUT – Noticias da Libertadores 07/03/2012

Fonte: O Estado de São Paulo

No Rio, Vasco sofre para derrotar Alianza Lima por 3 a 2

Alecsandro perde dois pênaltis, mas time carioca consegue primeira vitória na Libertadores

LEONARDO MAIA – Agência Estado

A responsabilidade era toda do Vasco. Derrotado na primeira partida da Copa Libertadores, em casa, e enfrentando um adversário em aguda crise financeira e de pouca técnica, não havia outro resultado aceitável que não a vitória. Ela veio, 3 a 2 sobre o Alianza Lima (Peru), nesta terça-feira, em São Januário, na segunda rodada do Grupo 5. Mesmo que não sem certa dose de sofrimento e dificuldades.

Dedé fez o segundo gol do Vasco - Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE
Dedé fez o segundo gol do Vasco

Alecsandro perdeu dois pênaltis, Juninho Pernambucano converteu um terceiro e o placar ficou barato. Destaque para William Barbio, Juninho e Felipe, que em 45 minutos mostrou que não pode ser reserva neste time vascaíno. “Fizemos por merecer a vitória. Erramos muito. Quem quer ser campeão tem que vencer dentro de casa. Perdemos muitos gols”, comentou Felipe. “Quantos minutos eu jogar vou procurar colaborar. Quando um jogador de qualidade não puder mais jogar, eu paro”, cravou.

O Vasco soma agora três pontos na chave, liderada pelo Libertad (Paraguai), que venceu os dois jogos até agora. O Nacional, do Uruguai, soma também três e os peruanos estão zerados. O Vasco viaja para enfrentar os paraguaios no próximo dia 15.

Antes mesmo de a bola rolar, mais um baque para o time da casa. Eder Luís sentiu a coxa direita no aquecimento e foi vetado, deixando o técnico Cristóvão Borges, que já havia perdido o equatoriano Carlos Tenório, sem nenhum atacante no banco de reservas.

Mesmo limitados a chutões da zaga para o ataque, os visitantes chegaram ao gol. Bola rifada, falha de Rodolfo e Charquero tocou na saída de Fernando Prass. Desespero cruzmaltino? Não houve tempo. Dois minutos depois, Diego Souza lançou Barbio, que cruzou rasteiro. Ramos se jogou na bola e cortou para as próprias redes.

À saída para o intervalo, a torcida que compareceu em bom número ao estádio clamou por Felipe. Clamor atendido. Entrou o “Maestro” em lugar do volante Eduardo Costa. Rodolfo, o vilão do gol peruano, cedeu lugar a Douglas.

Logo aos dois minutos, jogada feita à exaustão. Barbio cruzou da direita, Libman espalmou e a bola tocou na mão de Carmona. O árbitro achou por bem marcar pênalti e expulsar o defensor pelo segundo amarelo. Mas Alecsandro escorregou e acertou a trave, ingrata que também evitaria o gol de falta de Juninho Pernambucano, pouco depois.

Mas contra Dedé, não à toa chamado de mito pela torcida, ela nada poderia fazer. O zagueiro da seleção brasileira cabeceou depois do escanteio, a bola beijou o poste, como de pirraça, e entrou.

Quando um novo pênalti surgiu aos 34 minutos, Juninho Pernambucano resolveu chamar a responsabilidade. Alecsandro resmungou. O Reizinho da Colina não falhou. Fernandez diminuiu aos 40 e criou uma desnecessária apreensão nos minutos finais, superada com posse de bola no campo de ataque.

OUTROS JOGOS – Também nesta terça, mais duas partidas foram realizadas. E ambas terminaram empatadas por 1 a 1. Pelo Grupo 8, o Peñarol conseguiu o seu primeiro ponto em três jogos ao ficar na igualdade com a Universidad de Chile, em Montevidéu, no Uruguai. Pelo Grupo 3, o empate foi no duelo chileno entre Unión Española e Universidad Católica, em Santiago.

FICHA TÉCNICA
VASCO 3 x 2 ALIANZA LIMA-PER

VASCO – Fernando Prass; Fagner, Dedé, Rodolfo (Douglas) e Thiago Feltri; Nilton, Eduardo Costa (Felipe), Juninho Pernambucano e Diego Souza; William Barbio e Alecsandro. Técnico: Cristóvão Borges.

ALIANZA LIMA-PER – Libman; Carmona, Ibañez, Ramos e Corrales; Albarracín, González, Bazan (Villamarin) e Hurtado; Montaño (Fernandez) e Charquero (Arroe). Técnico: José Soto.

GOLS – Carquero, aos 16, e Ramos (contra), aos 18 minutos do primeiro tempo; Dedé, aos 14, Juninho Pernambucano (pênalti), aos 35, e Fernandez, aos 40 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS – Arroe e Fernandez (Alianza Lima-PER).
CARTÃO VERMELHO – Carmona (Alianza Lima-PER).

ÁRBITRO – Diego Abal (Fifa-Argentina).
RENDA – R$ 541.285,00.
PÚBLICO – 11.439 pagantes (14.327 no total).
LOCAL – Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Corinthians pressionado a fazer gols

Equipe recebe o Nacional, do Paraguai, com a obrigação de ganhar com boa vantagem, mas o desempenho do ataque, frágil na temporada, preocupa

VÍTOR MARQUES – O Estado de S.Paulo

O Corinthians faz seu primeiro jogo em casa na Taça Libertadores pressionado a fazer gols. Contra o Nacional, do Paraguai, o técnico Tite espera maior efetividade de seu ataque, justamente o setor do time que ninguém acreditava que se tornaria problemático, pelo excesso de opções.

A média de gols na temporada é pífia para um time que conta com nomes como Liedson, Emerson Sheik, Jorge Henrique, que se revezam entre os titulares, e com reservas de luxo como Adriano, Willian e Elton. Todos eles, além de Gilsinho estão inscritos na Libertadores e têm atuado no Paulista.

Esse poderio ofensivo não se comprovou dentro de campo. Em 13 jogos na temporada, 12 pelo Estadual e um pela Libertadores, o Corinthians só marcou 16 gols – média de 1,23 por partida.

Para Tite esse é um problema que se deve mais à falta de pontaria e à má fase de alguns jogadores do que o pouco poder de criação do time.

“No início (da temporada), a equipe criava pouco, depois organizamos e passamos a criar mais. Ainda pecamos na precisão. Temos de ter um volume maior até de média distância e até de bola parada”, afirmou.

O técnico já tem em mente um número mínimo de finalizações para vencer o jogo desta noite: entre 16 e 18. Ele usa como exemplo alguns jogos do Paulista. Além disso, ele tem certeza que Liedson vai desencantar. “Estou preocupado, claro, mas ele (Liedson) está com uma baita vontade de fazer gols.” O artilheiro do time em 2011, ainda não marcou em jogos oficiais nesta temporada.

Já Emerson Sheik, que não atua desde a partida contra o Táchira, na estreia na Libertadores, no dia 15, fica no banco por não ter condições físicas para atuar noventa minutos. Adriano nem sequer está relacionado para o jogo de hoje.

A dupla de ataque será formada por Liedson e Jorge Henrique, municiados por Alex e Danilo. Foi assim que o time treinou ontem. O 4-4-2 agora é a formação adotada por Tite. A única mudança é a entrada do segundo volante Edenílson na lateral, na vaga de Alessandro, machucado.

Com dois meias, Tite povoa mais o meio de campo e com isso o Corinthians tem dominado a maioria dos jogos que fez no ano e vencido por diferenças mínimas de gols.

Houve, no entanto, duas exceções em que o time de Tite não controlou o jogo. A última foi domingo, no clássico contra o Santos, primeira derrota na temporada. A outra: estreia na Libertadores diante do Táchira, quando um gol de cabeça marcado por Ralf já nos acréscimos salvou o time da derrota na Venezuela.

Esse 1 a 1 na estreia, embora bastante comemorado, deixou o time em situação de apreensão, porque seu principal rival, o Cruz Azul, do México, já venceu seus dois jogos na primeira fase. Tem seis pontos, enquanto o Corinthians, apenas um.

Isso faz com que a equipe de Tite entre pressionada a vencer hoje. Ficaria com quatro pontos, isolada em segundo lugar. Assim, viajaria ao México no domingo para enfrentar justamente o Cruz Azul na próxima quarta. Mas em se tratando de Corinthians na Libertadores, todo cuidado é pouco. Mesmo diante dos paraguaios do Nacional. “Acredito no tesão da Libertadores, não em tensão”, disse Tite.

Neymar e Ganso, para evitar susto de 2011

Contra o Internacional, Santos aposta mais uma vez no talento dos astros na luta pela vitória necessária para respirar

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO – O Estado de S.Paulo

O Santos vai precisar muito do talento de Neymar e Ganso e da pressão de sua torcida, que promete fazer da Vila Belmiro um caldeirão, para superar o Internacional, hoje, às 19h45, pela segunda rodada da Libertadores. Após perder na estreia para o fraco The Strongest, da Bolívia, o atual campeão entrará pressionado para não repetir o drama do ano passado, quando por pouco não caiu na fase de grupos.

O jogo será o reencontro de Dorival Júnior com o time da Vila, que pouco mudou desde que foi armado pelo técnico na conquista do Estadual e da Copa do Brasil de 2010. Em especial, Dorival irá rever Neymar, que lhe proporcionou inúmeras alegrias e provocou a sua demissão com menos de um ano de trabalho e dois títulos conquistados.

A rebeldia do garoto, na época com 18 anos, que enfrentou o treinador com palavrões à margem de campo, foi um divisor de águas para ambos. Apesar da pouca idade, Neymar soube lidar com a incômoda situação de ter provocado enorme prejuízo a quem tanto o ajudou e passou a se controlar. Deixou de lado algumas infantilidades e amadureceu rapidamente para se tornar um dos principais ídolos do País.

A carreira de Dorival, a partir daquele momento, não teve a mesma trajetória ascendente. Se, a exemplo dos dirigentes santistas, o treinador tivesse passado a mão na cabeça de Neymar e tolerado a quebra da hierarquia, poderia ter comprometido definitivamente sua condição de comandante. Mas, embora tenha agido corretamente, sua carreira ficou abalada pelo episódio e agora, no Internacional, o treinador tenta recolocá-la no curso normal.

Teste aprovado. O clássico contra o Corinthians, domingo passado, na Vila Belmiro, serviu de último ensaio para a “mini decisão” de hoje à noite. E o time santista foi aprovado com louvor, pois teve paciência para esperar pelo momento certo e definir a vitória por 1 a 0, contra um rival fechado e claramente interessado no empate. E o quadro poderá se repetir hoje. Ao contrário do Santos, o Internacional ganhou do Juan Aurich, do Peru, em Porto Alegre, na primeira rodada, e o empate fora de casa é quase uma vitória.

Satisfeito com a confiança retomada depois da vitória no clássico, o técnico Muricy Ramalho deve manter a mesma escalação que bateu o Corinthians no fim de semana e promete manter o esquema ofensivo, com Ibson, em grande fase, no lugar de Elano no meio-campo.

Fluminense encara o Boca e a pressão do La Bombonera

Tricolor se satisfaz com empate contra rivais, invictos há 36 jogos

SÃO PAULO – O Fluminense enfrenta nesta quarta-feira o Boca Juniors, no estádio La Bombonera, em busca de um empate, apesar de o técnico Abel Braga reafirmar publicamente que seu time vai tentar derrotar um adversário que se mantém invicto há 36 jogos. Em seu segundo compromisso pela Libertadores – venceu na estreia o Arsenal, por 1 a 0 – o time tricolor sabe das dificuldades no tradicional estádio de Buenos Aires. O jogo começa às 22 horas (de Brasília).

Mítico estádio é arma dos argentinos - Arquivo Estado
Arquivo Estado
Mítico estádio é arma dos argentinos

A torcida do Boca Juniors é fanática e faz barulho ensurdecedor durante os 90 minutos dos jogos do time na Bombonera. A equipe argentina costuma atuar em casa com aplicação e vontade acima da média. Além disso, o Boca Juniors é liderado pelo veterano Riquelme, um dos jogadores mais importantes da seleção da Argentina.

A escalação do Fluminense reforça a ideia de que o time se valerá da técnica de seus homens de frente. O desempenho de Deco cresce a cada partida e ele parece ter reencontrado o futebol que o fez se destacar na seleção de Portugal por vários anos. Thiago Neves tem se saído bem no Campeonato Carioca e muitas vezes dita o ritmo da equipe. Fred atravessa ótima fase e a presença de Wellington Nem dá mais velocidade ao ataque.

Nos últimos dias, a expectativa pelo clássico sul-americano despertou comentários de vários atletas do Fluminense. Thiago Neves disse claramente que o objetivo do grupo era arrancar um empate em Buenos Aires e depois vencer o Boca Juniors, no Rio de Janeiro. O lateral-esquerdo Carlinhos seguiu esse discurso. Ficou claro que entre os 11 titulares a vitória será uma surpresa.

O Fluminense deve contar no estádio com o apoio de 2.500 torcedores. Muitos saíram do Rio de Janeiro há alguns dias e vão aproveitar o restante da semana para desfrutar das opções que Buenos Aires oferece aos turistas.

ICFUT – Gols da Libertadores 07/03/2012

The Strongest 2×1 Juan Aurich – Taça Libertadores 2012

Olimpia 2×1 Lanús – Copa Libertadores 2012

Arsenal Sarandí 3×0 Zamora – Libertadores 2012

Nacional 1×2 Libertad – Copa Libertadores 2012

Vasco 3 X 2 Alianza – Copa Libertadores 2012

Cruz Azul 4×0 Deportivo Táchira – Taça Libertadores 2012

Peñarol 1×1 Universidad de Chile Copa Libertadores 2012

 

Por Rogerinho – Sem sinal de celular, estádio da Copa do Brasil usa fio de telefone de 3,5km

Localizado à beira de uma estrada entre duas cidades no interior do ES,
palco de Real Noroeste x Ipatinga tem peculiaridades do século passado

FONTE – globoesporte.com

Na era da tecnologia, praticamente não há mais distância que não possa ser superada pela comunicação. É possível acompanhar em tempo real o andamento de uma partida de futebol com total tranquilidade em qualquer lugar do mundo. A menos que essa partida aconteça no Estádio José Olímpio da Rocha, no pequeno município de Águia Branca, no noroeste do Espírito Santo. É lá que nesta quarta-feira o Real Noroeste recebe o Ipatinga, a partir das 20h30m (de Brasília), pela Copa do Brasil, com ares de desafio para a imprensa, mas também para orgulho do empresário Flaris da Rocha, presidente do clube capixaba.

Foi dele a ideia de erguer no meio do nada o estádio que serve de casa para o clube fundado em 31 de julho de 2010. E “no meio do nada” não é mera expressão. O José Olímpio da Rocha, que leva o nome do pai de Flaris, fica no meio da Rodovia ES-080, que liga os municípios de Águia Branca e Barra de São Francisco – separados por 40km -, no chamado Córrego do Café, sem outras construções de porte ao redor. Com um detalhe: no local, cercado de várias formações rochosas, não há sinal de celular. Achar Flaris da Rocha, por exemplo, foi simplesmente impossível. Mas o supervisor do clube, Crauber Portelo, conhecido no futebol local como Binha, foi localizado enquanto estava na sede de Barra de São Francisco, a 25km do estádio, a ponto de dar um depoimento único.

Estádio José Olímpio da Rocha, do Real Noroeste (Foto: Igor Gonçalves/Globoesporte.com)
Estádio do Real fica a 16km da zona urbana de Águia Branca
.

– Esse é um problema sério nosso. Ninguém consegue falar conosco. O único telefone que tem é o de uma linha que compramos numa vila, chamada Boa Vista, que fica a três quilômetros e meio do estádio. Daí, nós puxamos um fio de lá até o estádio. É uma gambiarra mesmo, como qualquer um pode puxar um fio do telefone da sala para a cozinha. A diferença é que o nosso tem três quilômetros e meio. O fio vem passando no meio de mato, pasto, coqueiro, pé de manga, pé de eucalipto… Tem de tudo. Mas de vez em quando, se chover, cair um galho em cima ou um passarinho bicar, acontece de a linha ser cortada. Normalmente ficamos uns dois dias procurando o ponto do fio onde deu o problema. Nós colocamos até no contrato dos jogadores que aqui não pega celular e eles não conseguirão se comunicar com a família por telefone. Costumo brincar que nossos jogadores não se concentram, eles já vivem concentrados – diz Binha.

‘Motoqueiro fantasma’ salva a imprensa

A história contada por Binha é folclórica por si só. Mas em Águia Branca a diretoria do Real Noroeste anda, de fato, temerosa de que as rádios capixabas e mineiras não consigam transmitir a partida desta quarta-feira. Talvez a única de toda a Copa do Brasil em que haja esse problema. Não será a primeira vez. Equipes de TV e rádio já desistiram de transmitir do local, até mesmo em finais. Na imprensa capixaba, em geral, é difícil encontrar quem não tenha vivido o drama de uma apuração por telefone. Sidney Magno Novo, hoje editor do GLOBOESPORTE.COM no Espírito Santo, relembra um episódio ocorrido nas quartas de final da Copa Espírito Santo de 2010, entre Real Noroeste e Rio Branco-ES, num sábado à noite, em que ninguém na capital conseguia obter o resultado do jogo.

Estádio José Olímpio da Rocha, localizado no Córrego do Café, nem aparece no Google Maps (Foto: Reprodução/Google Maps)
Estádio José Olímpio da Rocha nem aparece no Google Maps
.

– Nenhuma rádio arriscou-se a transmitir, nenhum veículo enviou repórter de Vitória. E ninguém no clube atendia aos telefonemas. Mas tínhamos o número de um orelhão que fica em frente a um bar, no meio da estrada, a uns quilômetros do estádio. Telefonei, um rapaz que estava bebendo atendeu e se ofereceu para ir de moto até o estádio. Liguei seguidamente até que, após uns 20 minutos, ele voltou a atender e confirmou o placar de 1 a 1. Internamente, na redação, ele foi apelidado de “motoqueiro fantasma”, porque ninguém sabia seu nome, nem nada, mas foi ele quem salvou a pele dos jornalistas.

Há alguns meses, o clube providenciou uma internet via rádio, que permite que os atletas, por exemplo, possam ser contatados por e-mail ou pelas redes sociais. É, muitas vezes, a única maneira de que sejam entrevistados. A internet local promete solucionar o drama da imprensa escrita na cobertura do jogo de quarta-feira. Ainda assim, há uma preocupação geral. Tanto que nesta segunda-feira, a Federação de Futebol do Espírito Santo (FES) emitiu uma nota confirmando para esta terça a instalação de 20 linhas telefônicas no estádio do Real.

‘Polacos’ têm melhor estrutura do ES

O Estádio José Olímpio da Rocha localiza-se a 16km da sede de Águia Branca, município cujo nome é inspirado na ave símbolo da Polônia, país do qual vieram várias famílias de imigrantes a partir de 1929. A ocupação da região data de 1925, quando o pioneiro Antônio Perigoso ergueu uma casa rústica às margens do Rio São José. Ou seja, tem menos de um século. Inicialmente, Águia Branca foi distrito de Colatina e, depois, de São Gabriel da Palha, e só foi elevada à categoria de município em 1989. Sua população atual é de cerca de dez mil habitantes somente. Mas o “time polaco”, também apelidado de “merengue capixaba” – em alusão ao Real mais famoso, de Madri -, e que foi criado há apenas um ano e meio, nasceu com mania de grandeza.

O “calo” que é a comunicação não impede o Real de sonhar. O clube chegou às finais de todas as três competições que fez em sua curta história: foi vice na Copa Espírito Santo de 2010 e da Série B do Capixaba de 2011 e venceu a Copa Espírito Santo de 2011, em novembro passado, o que garantiu ao Real a vaga na Copa do Brasil. A ascensão meteórica no futebol capixaba não é à toa. Dinheiro não parece ser o problema. Pelo menos não para se impôr no Estado.

O presidente do time, Flaris da Rocha, garante ter investido mais de R$ 6 milhões na construção do estádio do Real Noroeste, para quatro mil pessoas, cheio de detalhes em mármore e granito, desde a fachada aos bancos de reserva. E uma ampliação para 15 mil já está em curso. A expectativa é que as obras sejam inauguradas até novembro, em uma partida da Seleção Brasileira Sub-20. Além da estrutura o time faz questão de dizer que tem uma gestão diferenciada dos demais clubes capixabas, o que o dá esperança de redimir o Espírito Santo, estado que está há mais tempo sem ter um time passando da primeira fase. Já são 14 anos.

– Temos planejamento, pagamos em dia, a maioria dos nossos contratos dura três anos, com atletas que têm postura profissional. E temos a melhor estrutura do Estado, com certeza. O alojamento dos nossos atletas é de quatro estrelas. Estamos ampliando o estádio, construindo mais dois campos ao lado, uma quadra de areia e uma piscina semiolímpica. O Real Noroeste está pensando grande. O clube já surgiu com a intenção de mudar essa história de fracassos do futebol capixaba. Podemos até não ganhar do Ipatinga. É futebol, e respeitamos muito o time deles. Mas vamos honrar nosso Estado, pode ter certeza. Já imaginou o Grêmio (possível adversário da segunda fase) aqui? Com Luxemburgo, o (Kleber) Gladiador, um goleiro de Seleção (Victor)… Será uma honra – afirma Binha, o supervisor.

Obras no estádio José Olímpio da Rocha (Foto: Reprodução/TV Gazeta Noroeste)
Ampliação do José Olímpio da Rocha deve ser concluída já em 2012
.

Queda de rendimento no Estadual não preocupa

Depois de ter liderado de forma invicta por seis rodadas, o Real Noroeste ocupa atualmente a quinta colocação do Campeonato Capixaba e vem de quatro derrotas seguidas, a última, de 2 a 0 para o lanterna Serra, mas só com jogadores reservas. O elenco tem jogadores do próprio Espírito Santo, mas é reforçado com vários de fora. Uma parceria, segundo o Real Noroeste, feita com César Sampaio, atual gerente de futebol do Palmeiras, permitiu ao clube contratar quase um terço de seu elenco, entre eles o zagueiro Riso Surubim, o lateral-esquerdo Chiquinho, os volantes Diogo e Abimael, o meia Cristian Almas e os atacantes Rivelino e Casagrande.

O goleiro Marcão comenta, confiante – via internet, já que celular, nem pensar -, as chances do Real Noroeste contra o Ipatinga, velho algoz dos capixabas na Copa do Brasil, já tendo eliminado Serra (2006), Vitória-ES (2007) e Rio Branco (2011).

– Apesar de termos perdido as últimas partidas, estamos confiantes de que podemos fazer um bom jogo e tentar ganhar do Ipatinga. Já joguei em outros clubes do Estado e não vi estrutura melhor que a do Real Noroeste. A vantagem de estarmos isolados aqui é que nos tornamos uma família. Só vejo vantagens nisso. Espero que nosso bom ambiente se reflita em campo.

Por Rogerinho – Da cadeia, Bruno agita mercado com rumores e gera espanto de possíveis “interessados”

      FONTE – UOL

  • Preso em Contagem (MG), Bruno já tem pelo menos um time interessado oficialmente
  • Preso em Contagem (MG), Bruno já tem pelo menos um time interessado oficialmente

Mesmo com futuro incerto, o goleiro Bruno gera rumores no mercado do futebol e já tem até proposta de trabalho para voltar ao jogar quando estiver em liberdade.

O arqueiro tem contrato com o Flamengo com validade até o fim deste ano. O vínculo, no entanto, está atualmente suspenso pelo fato de o jogador  estar preso em Contagem (MG) por ser suspeito de comandar a morte da ex-amante Eliza Samudio.

Mas, de acordo com o advogado do jogador Francisco Imirim, o arqueiro pode sair da prisão em até 30 dias e tem despertado o interesse de alguns clubes.

“Estamos tentando que ele aguarde o julgamento em liberdade. Pode ser que em 30 dias ele saia e fique apto para executar a profissão dele. Está na mão do Supremo Tribunal Federal”, falou o advogado.

“Já teve empresário querendo fazer pré-contrato, só que não pode por ele estar preso. Já fomos procurados por alguns clubes que fizeram contato. O Fluminense sinalizou interesse, o Atlético-MG e também um clube da Rússia. Mas ele tem contrato com o Flamengo, é vinculado ao Flamengo. Tem que se apresentar lá, se não quiserem, aí ele pode negociar com outro time. Ele sabe das propostas e está muito feliz, treinando”, continuou.

COMO ESTÁ O CASO BRUNO

Bruno ainda não foi julgado pela Justiça de Minas Gerais pela acusação de comandar a morte da ex-amante Eliza Samudio.Mas, independentemente desta acusação, o goleiro já tem uma condenação de quatro anos e seis meses de prisão pela Justiça do Rio, em dezembro de 2010, por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal. Ele ainda será julgado pelo desaparecimento da ex-amante. A juíza Arixa Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, pronunciou o ex-jogador por homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.  O  julgamento ainda não tem data marcada.

Segundo especialistas, o goleiro pode ser condenado por até 72 anos de prisão, se for condenado por todos os crimes cometidos.

Até o momento, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais já recebeu e negou 62 pedidos de habeas corpus, que serviriam para colocar  Bruno em liberdade.

Citados por Imirim como interessados, Fluminense e Atlético-MG, por meio de dirigentes, negaram veemente a cobiça pelo goleiro.

“Eu não fui [quem tentou contratar Bruno]. Não tenho conhecimento disso, eu não fui não. Estou sempre por dentro do dia a dia do clube e não tenho essa informação. Estou sabendo por você”, falou Eduardo Maluf, diretor de futebol do Atlético-MG

“Você está louco”, disse, surpreso, o diretor executivo do Fluminense. “Rechaço isso veementemente. Nós temos bons goleiros aqui, não vou nem tecer comentários sobre isso, não procede. É só avaliar os nossos goleiros, não precisamos. Deve ser um advogado falastrão. Chance zero.”

O Flamengo, dono dos direitos federativos do goleiro, levou na brincadeira os rumores e disse nunca ter recebido sondagem.

Proposta pelo Bruno? Isso deve ser piada de 1º de abril

Michel Levy, do Flamengo

“Proposta pelo Bruno? Isso deve ser piada de primeiro de abril. Antes fosse, o rapaz é boa gente, sabe-se lá o que aconteceu, não quero entrar nos méritos. Mas nunca ouvi falar desse assunto”, falou Michel Levy, vice de finanças do time da Gávea.

O Guarani tem as portas abertas e o maior interesse pelo Bruno

Edílson Oliveira, presidente do Guarani-MG

Mas, mesmo com negativa de Flu e Atlético-MG, Bruno não deve ficar sem emprego caso consiga a liberdade. Isso porque o Guarani de Divinópolis-MG, que disputa a primeira divisão do Campeonato Mineiro, já tentou ter o jogador na competição deste ano e ainda quer contar com seus serviços.

O clube aventou a possibilidade de o jogador se transferir da penitenciária de Contagem para a de Divinópolis para poder treinar e jogar no clube. Com a negativa, aguarda a improvável liberdade do atleta.

“Tentamos em dezembro, mas não era possível pelos meios judiciais. Falaram que não era possível. E tinha essa questão de ele ter vínculo com o Flamengo, por isso a história morreu. Pensamos nisso como uma jogada de marketing”, falou Edílson de Oliveira, presidente do Guarani-MG.

“Agora vamos aguardar. Acho que tem mais clubes interessados, não só o Guarani. Mas aqui ele tem portas abertas, temos o maior interesse nele”, finalizou.