Por Rogerinho – Após interferência de Juvenal, CBF libera Lucas, mas vai processar Leão

Dirigente são-paulino ficou indignado depois que vascaíno Dedé foi autorizado a atuar no domingo e fez pressão sobre Federação Paulista

FONTE – GLOBOESPORTE.COM

Lucas no treino do São Paulo (Foto: Luiz Pires / VIPCOMM)
Lucas vai comandar o ataque no clássico contra o Palmeiras
.

A torcida do São Paulo ganhou uma boa notícia na tarde desta sexta-feira. O meia Lucas, que foi convocado pelo técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, para o amistoso de terça-feira contra a Bósnia, foi liberado pela CBF para disputar o clássico contra o Palmeiras, que será realizado no domingo, às 16h, em Presidente Prudente.

Segundo a entidade, que divulgou um comunicado em seu site, “a liberação do jogador foi dada sob o compromisso assumido pela Federação Paulista de que Lucas se apresente para o treino da Seleção na segunda-feira, marcado para as 20h (16h de Brasília), em St. Gallen, na Suiça, cidade onde será disputado o amistoso”.

CBF entrará com ação contra Leão

Na manhã desta sexta-feira, o caso já havia se transformado em uma grande polêmica após a entrevista coletiva do técnico Emerson Leão, que afirmou que a entidade que comanda o futebol havia pedido a Lucas para que ele levasse o terceiro cartão amarelo na partida contra o Bragantino, realizada na última quarta. Dessa maneira, ele estaria suspenso do clássico. As afirmações do treinador foram respondidas pelo diretor de seleções da CBF, Andrés Sanches, em entrevista ao programa “Arena Sportv”.

– (Leão) é irresponsável por falar uma coisa destas. Ele vinha tão bem como treinador, mas acho que voltou ao passado. Ele que me dê o nome de quem foi (que teria feito o pedido a Lucas), que será demitido na hora da CBF.

Apesar de ter liberado Lucas, a CBF deixou claro que não aceitará as acusações de Leão e que entrará na segunda-feira com uma representação contra o treinador no STJD: “Mesmo com a liberação, a representação da CBF contra o técnico Leão no STJD, devido a declarações infundadas sobre Lucas, está mantida”, diz o texto.

Pressão de Juvenal resolve questão

Até quinta-feira, o clube do Morumbi estava conformado por não poder contar com um dos seus principais jogadores. No dia em que Lucas foi convocado, a diretoria fez uma consulta informal à CBF, que havia avisado que não seria aberta a exceção. No entanto, a revolta tomou conta de Juvenal Juvêncio e seus representantes a partir do momento em que Dedé foi liberado para jogar no fim de semana, sob alegação de que o zagueiro do Vasco estaria disputando uma decisão (da Taça Guanabara), diferentemente do são-paulino, cujo clássico é válido pela fase de classificação do Campeonato Paulista.

A partir daí, Juvenal Juvêncio resolveu agir. De quinta-feira até a tarde desta sexta-feira, foram pelo menos 20 ligações para o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, com quem ele fala apenas o necessário. A conversa foi dura, e o presidente tricolor exigiu que o dirigente entrasse em ação para defender um clube que é seu afiliado. Nesta sexta, Marco Polo enviou um ofício ao diretor de seleções, Andrés Sanches, que havia declarado à tarde que o atleta não seria liberado. Lucas, então, teve sua participação no clássico autorizada, o que foi celebrado como vitória pelos lados do Morumbi sobre o desafeto e ex-presidente do Corinthians.

Ao saber da liberação de Lucas, Leão comemorou:

– Usaram o bom senso e a inteligência. Para um treinador que tinha grandes problemas, ganhar a presença do Lucas é um reforço e tanto.

 

Opinião Pessoal – Caro ICFUTISTAS, só uma coisa: vai tomá no … CBF e vai tomá no … A. Sanches

Por Rogerinho – São Paulo acerta patrocínio pontual para o clássico contra o Palmeiras

Empresa de lâmpadas, que já havia estampado sua marca na camisa do Tricolor contra o Corinthians, volta a realizar ação com o clube

 

Fonte – GLOBOESPORTE.COM

Camisa São Paulo (Foto: Divulgação)

Nome da empresa estará na barra traseira da camisa, abaixo dos números

.

Assim como contra o Corinthians, em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Paulista, o São Paulo terá um patrocínio pontual em um clássico. Neste domingo, contra o Palmeiras, em Presidente Prudente, o Tricolor repetirá a fórmula para aumentar seu faturamento.

Sem um patrocinador master desde a saída do banco BMG, o clube estampará a marca de uma empresa de lâmpadas na barra traseira da camisa, a mesma que já esteve presente no uniforme contra o Corinthians. Os valores da negociação não foram divulgados.

O clube diz não ter pressa para fechar com um novo patrocinador e cogita deixar o uniforme limpo até o final do Paulistão. A diretoria mantém as esperanças de fechar um contrato que se aproxime dos R$ 35 milhões anuais.

Por Cleber Aguiar – Bibe, um Zidane da Ponte Preta

Fonte: Folha de São Paulo

Olímpio Gabriel (1925-2012)

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO

“Outro dia, estava vendo pela TV esse Zidane em ação. É um craque. Quem ele me lembra? Bibe”, escreveu nesta Folha, em 1998, o jornalista Alberto Helena Júnior.

Bibe é o apelido que o meia-esquerda Olímpio Gabriel, quinto maior artilheiro da história da Ponte Preta de Campinas (SP), carregava.

“Como jogava? Assim, do jeitinho desse Zidane: calmo, inteligente, discreto, um tanto lentamente, como quem não espera muita coisa da vida, a não ser um cantinho na memória do torcedor”, continuou o jornalista.

Nascido em São Paulo, Bibe começou a carreira no Clube Atlético Ypiranga. Saiu de lá para jogar, nos anos 50, no São Paulo. Em 1953, foi para a Ponte Preta, mas não para Campinas. Do Ipiranga, seu bairro, não queria sair. Viajava todos os dias para treinar.

Em entrevista recente aos jornalistas André Pécora e Stephan Campineiro, autores de “Ponte Preta: a Torcida Que Tem um Time” (2010), a mulher do jogador, Elydia, revelou que nunca conheceu Campinas, onde o marido atuou por dois períodos (de 1953 a 1959 e de 1961 a 1963). Entre as duas temporadas, retornou ao São Paulo FC.

Camisa dez e capitão, gostava de dizer que nunca havia sido advertido por um árbitro. Em 348 jogos pela Ponte Preta, anotou 88 gols.

Depois de pendurar as chuteiras aos 37 anos, trabalhou como inspetor de cobrança do grupo Matarazzo, onde ficou até o fim dos anos 90.

Continuou acompanhando as partidas da antiga equipe e torcendo por ela.

Em 2008, passou a sofrer de Alzheimer. Morreu na sexta-feira (17), aos 86 anos.

Por Cleber Aguiar – Guarani bate XV de Piracicaba, vence 5ª seguida e é vice-líder

Fonte: Portal Terra

Aproveitando-se do empate do Palmeiras contra o Oeste, no Pacaembu, o Guarani assumiu a vice-liderança do Campeonato Paulista após derrotar o XV de Piracicaba, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, por 2 a 0, pela nona rodada do Estadual. Os dois gols da equipe alviverde foram marcados no segundo tempo. Domingos e Wellington Monteiro fizeram a festa da torcida campineira.

Com a vitória, a quinta seguida do time campineiro, a equipe comandada pelo técnico Vadão chegou aos 22 pontos no Campeonato Paulista e tirou a vice-liderança do Palmeiras, que foi a 21 após ficar no 1 a 1 com o Oeste, no Pacaembu. Além disso, o Guarani cola no líder Corinthians, que tem apenas um ponto mais. Já o XV de Piracicaba permanece com cinco pontos, em 18º, na zona de rebaixamento.

Após um primeiro tempo truncado, o Guarani deslanchou na segunda etapa e obteve a vitória com tranquilidade. Logo aos 5min, após escanteio cobrado por Fumagalli, o zagueiro Domingos subiu mais que todo mundo, testou para o gol e mandou a bola no canto esquerdo do goleiro Wanderson.

Com a torcida empurrando o Guarani no Brinco de Ouro, o time não demorou para ampliar e consolidar a vitória. Aos 27min, Max Pardalzinho fez jogada pela direita e rolou para trás. Da intermediária, Wellington Monteiro acertou um chute forte no ângulo esquerdo de Wanderson. O goleiro até pulou, mas não conseguiu evitar o segundo do Guarani na partida.

Na próxima rodada, o Guarani tenta manter a boa fase e defender a vice-liderança contra o Guaratinguetá, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Dario Rodrigues Leite. Já o XV de Piracicaba tenta a recuperação diante do Ituano, em seu estádio, no mesmo dia e horário da partida do alviverde de Campinas.

ICFUT – Edmundo, ex-Palmeiras, Vasco e Seleção, revela ter feito sexo com homens

Fonte: Futebolinterior.com.br

O jogador fez a declaração, após uma piada do ator global Alexandre Nero

 Uma declaração que teria sido feita pelo ex-atacante Edmundo está causando muita polêmica nos principais sites do Brasil. Segundo o jornal carioca Extra, enquanto curtia o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, o atual comentarista da TV Bandeirantes teria dito que já fez sexo com homens.

Edmundo brinca com David Brazil (Crédito: AgNews)

Conforme descreveu o jornal, o ídolo de Palmeiras, Vasco e Seleção Brasileira conversava com um amigo sobre sua antiga fama de garanhão. “Estou apaixonado, cara. Agora sou um homem sério”, disse o Animal, que estava no desfile junto com a mulher, Clarissa.

Enquanto o papo rolava, o ator da Globo Alexandre Nero passou pelo local e acabou abordado por Edmundo. “Tá pegando veado na novela!”, gritou o ex-jogador. O global não titubeou e respondeu: “Eu como na novela, e você come na vida real”.

A resposta poderia deixar o Animal sem graça, não fosse sua habilidade para “driblar” a situação. “Como mesmo. Já comi muito veado por aí”, teria revelado o ex-atacante.

Serrado e Nero em Fina Estampa

Desde que se aposentou no Vasco, seu clube do coração, em 2008, Edmundo, 40anos, tem investido na carreira de comentarista. Após um ano trabalhando na Rede TV!, o ex-jogador assinou com a Bandeirantes, onde tem as companhias de outros ex-atletas, como Neto e Denilson.

Por outro lado, Alexandre Nero está trabalhando na atual “novela das 8” da Globo, Fina Estampa. Ele interpreta o motorista Baltazar Fonseca, que trabalha para a vilã Tereza Cristina Buarque de Siqueira, vivida por Christiane Torloni. O personagem de Nero é suspeito de ter um caso com o homossexual Crô, interpretado por Marcelo Serrado.

Por Rogerinho – Loco Abreu perde pênalti decisivo, e Fluminense vai à final contra o Vasco

Jogo muito equilibrado termina 1 a 1, e Diego Cavalieri se torna heroi, defendendo duas cobranças e mantendo o Tricolor vivo na Taça GB

Fonte – GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro

Em outra semifinal de muita emoção, no Engenhão, o Fluminense superou o Botafogo apenas nos pênaltis e fará a final da Taça Guanabara contra o Vasco, domingo, no mesmo palco. Coube ao ídolo alvinegro Loco Abreu o papel de vilão, após empate em 1 a 1 no tempo normal. O uruguaio, a exemplo de Lucas, parou nas mãos de Diego Cavalieri na última cobrança e a disputa acabou 4 a 3. Os gols do Clássico Vovô, muito equilibrado, foram de Elkeson e Leandro Euzébio.

O resultado não acaba com o jejum de vitórias do clube das Laranjeiras, mas pelo menos deixa para trás a marca de empacar nas semifinais. Nas últimas quatro vezes, não passou em nenhuma delas. Já o Alvinegro, único grande carioca fora da Libertadores, amarga sua segunda Taça Guanabara direta sem êxito e terá de correr atrás do prejuízo no segundo turno.

Equilíbrio e muitos erros

Com esquemas semelhantes, era de se esperar que as jogadas já não fossem muito distintas. O primeiro tempo se baseou em velocidade pelas pontas, quase sempre terminando em cruzamento. A bola aérea, no entanto, não estava nada afiada em ambos os lados. Isso se deveu, claro, ao desempenho apagado das duas estrelas ofensivas: Fred, vigiado de perto por Antônio Carlos, e Loco Abreu, sumidão, mas que eventualmente via Leandro Euzébio como sombra.

O ritmo do clássico foi frenético e pegado no começo, mas, diferententemente, da semifinal de quarta-feira, entre Vasco e Flamengo, a qualidade técnica decepcionou. O erro no último passe prevaleceu e brecava a empolgação. Participativos, Elkeson e Thiago Neves armaram boas tentativas, com dribles importantes no meio, mas não conseguiram dar sequência nas tabelas.

Até as armas recentes de Oswaldo de Oliveira e Abel Braga, Herrera e Wellington Nem, também falharam. A dupla, bem marcada, quando tocou na bola, acertou pouco. Do lado do Botafogo, a marcação era frouxa até a intermediária. Os tricolores, por sua vez, optaram por uma pressão maior. E, pouco a pouco, quem contribuiu para a cadência do jogo foi a arbitragem de Péricles Bassols, que apontou falta em qualquer contato, irritando ainda mais os já nervosos times.

No geral, Jefferson teve mais trabalho do que Diego Cavalieri na etapa inicial. Em sequência, duas das bolas mais perigosas pararam nas mãos dos goleiros. Primeiro, Elkeson, aos 12, bateu com efeito e viu a chance ser espalmada para o alto. Depois, Fred e Deco esbarram no camisa 1 do Glorioso, em arremates de dentro da área – a segunda defesa foi de pura coragem.

Gols incendeiam

O equilíbrio era marcante e só perdia para a falta de capricho. Mesmo antes do intervalo, o duelo já tinha cheiro de disputa de pênaltis. Parecia que seria preciso um erro fatal ou uma mudança efetiva. Nada disso acontecia, porém. Precavidos, os treinadores pagaram para ver e mantiveram o “espelho”: um time parecia a imagem refletida do outro, até nas características dos jogadores.

O Flu, ainda assim, voltou mais aceso e mostrava que poderia dominar. Foi capaz de acuar o Botafogo e criar três oportunidades em 15 minutos. A melhor delas em cabeçada certeira de Thiago Neves, que Jeffeson praticou belíssima defesa, aos 13. A insistência no jogo aéreo tinha Fred como alvo, mas Antônio Carlos seguia soberano nesta briga. Os tricolores reclamaram de pênalti em um lance polêmico, já que Nem foi levemente tocado por Márcio Azevedo.

Passada a parada técnica, nada de substituições. Os torcedores começavam a inflamar as equipes da arquibancada e ansiavam por uma jogadinha individual correta que fosse. Abel, então, pôs Araújo em campo. Antes que pudesse ter resultado, o alvinegro Lucas lançou Herrera, o sistema defensivo fez linha de impedimento, e o argentino deixou Elkeson livre para escorar e abrir o placar para o Botafogo, aos 28 minutos.

A movimentação mexeu com o jogo, que não parou mais nos minutos posteriores. O Fluminense não se abateu e foi de Rafael Moura no lugar do lateral Bruno. O empate amadurecia, até que, também numa linha que Azevedo não acompanhou, Leandro Euzébio recebeu na área, aos 34, e só escolheu o canto para balançar as redes e igualar tudo de novo.

O panorama, assim, tornou a mudar: Oswaldo de Oliveira desfez a troca, e mandou Caio a campo na vaga do volante Marcelo Mattos, atendendo aos gritos da galera. O lá e cá continuou, a semifinal crescia em emoção. O Botafogo assustou em jogada ensaiada, mas nada feito. Chances claras, mesmo, não aconteceram, e os goleiros seguraram a onda quando exigidos, acalmando os companheiros.

Não teve jeito. Péricles Bassols deu três de acréscimos, mas com 47 minutos encerrou a partida, jogando para a marca da cal a definição do adversário do Vasco no domingo.

A lista de batedores dos técnicos indicava o atacante Loco Abreu e o zagueiro Anderson para fechar. O Flu venceu o cara e coroa para começar. Fred marcou; na sequência, Andrezinho também fez o seu; Jean destoou e bateu muito mal, para a defesa de Jefferson; Herrera deu sua pancada tradicional e empatou; Thiago Neves também fez; Lucas desperdiçou; Renato e Rafael Moura anotaram os seus; e, no fim, Loco Abreu, logo o ídolo, parou em Cavalieri.

Por Cezar Alvarenga – Palmeiras empata com Oeste no Pacaembu e perde a liderança do Paulistão 2012

Fonte: UOL Esportes

O Palmeiras jogou melhor do que o Oeste, mas não o suficiente para sair com a sua sétima vitória em nove jogos no Campeonato Paulista. O empate por 1 a 1 nesta noite de quinta-feira no Pacaembu levou a equipe do Palestra Itália aos 21 pontos, dois a menos do que o agora líder, Corinthians. O time de Felipão ainda saiu atrás do placar por causa de pênalti de Márcio Araújo, mas reagiu com Maikon Leite, que fez o gol após rebote do chute de Hernán Barcos.

A equipe da capital, no entanto, deixou nítido que pode ter problemas em dias que Daniel Carvalho e Patrik não estiverem muito inspirados. Os dois pouco apareceram no jogo, e as chances ficaram somente dos pés de Marcos Assunção ou de Maikon Leite pelas laterais. O Oeste, em contrapartida, explorava bastante o contra-ataque, mas sofria com a falta de qualidade dos seus atacantes. Mesmo assim, o empate foi o suficiente para a equipe do interior ganhar um respiro e conseguir dois pontos de vantagem em relação à zona de rebaixamento.

O Palmeiras começou melhor o jogo, com boas jogadas de Barcos e de Márcio Araújo, mas já sofreu o gol logo na primeira chegada do Oeste. Aos 10 minutos, o árbitro marcou pênalti justamente de Márcio Araújo em cima de Mazinho após um encontrão nas costas do jogador da equipe do interior. Na batida, o próprio Mazinho bateu e abriu o placar, tirando a chance de Bruno, que fazia seu primeiro jogo como titular neste ano, conseguir maior destaque.

A resposta veio rápida, com Barcos fazendo ótima jogada pela esquerda. Ele roubou a bola do adversário e, de canhota, quase empatou. O Palmeiras manteve o domínio das ações mesmo após ficar atrás no placar. O time, no entanto, errava sempre na hora do penúltimo passe, pecava na criação e só via no argentino a chance de empatar a partida. A equipe ainda mostrava muito nervosismo com a arbitragem, reclamando muito desde das marcações de lateral até de faltas que consideravam invertidas.

Após jogar 35 minutos pela esquerda, Maikon Leite passou pela direita e criou duas chances de gol. Uma em escanteio conseguido após a sua jogada, que Barcos colocou por cima do gol, e outra com rebote após cruzamento, que Assunção colocou à direita da meta do Oeste. Aos 40, foi justamente o camisa 7 que empatou. Barcos recebeu a bola na entrada da área, virou em cima da zaga e chutou. O goleiro deu rebote, e Maikon Leite empatou.

No segundo tempo, o Palmeiras tomou susto logo aos 8 minutos. Wanderson apareceu sozinho à esquerda da meta de Bruno e cruzou. Adriano desviou com a chapa do pé e viu o goleiro adversário estático, sem chance de reagir. A chance abriu os olhos de Felipão que, poucos minutos depois, colocou João Vítor para melhorar a movimentação no meio ao tirar Patrik, que quase não apareceu.

A substituição não surtiu efeito. Por isso, aos 26 e aos 30 minutos, Felipão fez mais duas substituições. Colocou Artur e Vinícius no lugares de Cicinho e Daniel Carvalho. Empurrado pela empolgação da torcida, o Palmeiras passou a apoiar ainda mais o adversário e teve uma ótima chance aos 35 minutos, com Maikon Leite. O atacante deu de cabeça após cruzamento de Assunção e viu Zé Carlos fazer boa defesa. Aos 37 minutos, novamente Assunção levantou bola na área, Leandro Amaro tentou desviar, mas o goleiro do Oeste trabalhou bem de novo.

 

Por Rogerinho – Projeto tricolor arrecada 2,5t de alimentos no interior paulista

Exposição São Paulo Itinerante é novidade do clube nas partidas no interior do Campeonato Paulista desta temporada

 

FONTE – GLOBOESPORTE.COM São Paulo

A exposição São Paulo Itinerante arrecadou cerca de 2,5 toneladas de alimentos nos dois dias em que permaneceu na cidade de Bragança Paulista, local do duelo diante do Bragantino, na última quarta-feira, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

O projeto criado no início deste ano pelo departamento de marketing do Tricolor dá oportunidade aos torcedores que moram no interior do Estado ver de perto imagens históricas, camisa antigas e as taças da Libertadores e do Mundial. Antes da partida contra a Ponte Preta, em Campinas, no dia 5 de fevereiro, a exposição já havia arrecadado três toneladas de alimentos.

São Paulo Itinerante (Foto: Divulgação / Site Oficial do São Paulo)
São Paulo Itinerante arrecadou 2,5t de alimentos em Bragança (Foto: Divulgação / Site Oficial do São Paulo)
.

A exposição, que foi criada em comemoração aos 20 anos da primeira conquista são-paulina na Libertadores e no Mundial, seguirá para a cidade de Piracicaba nos dias 2, 3 e 4 de março. Para conhecer a São Paulo Itinerante basta levar um quilo de alimento não perecível.

Até o término da primeira fase do Campeonato Paulista, as cidades de Mirassol (23 a 25 de março), de Itu (29 de março a 1º de abril) e de Lins (13 a 15 de abril) também receberão o projeto. Todos alimentos arrecadados são doados para instituições locais.

 

São Paulo Itinerante (Foto: Divulgação / Site Oficial do São Paulo)
São Paulo Itinerante é sucesso entre os torcedores no interior (Foto: Divulgação / Site Oficial do São Paulo)