Por Cleber Aguiar – Fluminense pode emprestar Martinuccio para o Villarreal

Fonte: Futebolinterior.com.br

Jogador chegou ao Flu, assinou contrato com 2015 e está com um pé fora das Laranjeiras

Apresentado com muita expectativa após ser um dos grandes destaques da última Libertadores, o atacante Martinuccio pode estar se despedindo do Fluminense. Tudo isso porque o jogador tem proposta do Villarreal, da Espanha, e ainda nesta terça-feira poderá ser liberado por empréstimo até o final da temporada.

As negociações já estão avançadas e poderão ser finalizadas até às 21 horas (horário de Brasília) desta terça. Martinuccio não conseguiu agradar ao técnico Abel Braga, que no inicio da temporada, mesmo com o jogador sendo opção, preferiu que o clube contratasse outros jogadores para o mesmo setor.

Outro fator que pode ajudar na negociação é que o jogador já tem passaporte europeu, o que ajudaria a facilitar uma rápida transferência. Pelo clube das Laranjeiras ele assinou contrato até o final de 2015 e marcou apenas um gol.

Pela próxima rodada do Campeonato Carioca, o Fluminense volta a campo na quarta-feira, em casa, contra o Boavista. O Flu vem de boa vitória sobre o Volta Redonda, por 3 a 0, tem seis pontos e é líder do Grupo B.

Por Cleber Aguiar – Diego Souza confirma reunião com diretoria sobre salário atrasado

Fonte: Portal IG

Meia, Fernando Prass, Juninho, Felipe e Alecsandro vão ao clube cobrar posição dos dirigentes

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro

Por mais que o Vasco tenha quitado parte dos salários atrasados na última sexta-feira, o assunto ainda deixa o clima tenso no clube. Na tarde desta terça-feira, um grupo de jogadores irá ao clube conversar com os dirigentes para se chegar a uma posição. A reunião foi confirmada por Diego Souza ao término do treino desta manhã no Cefan.

“Esperamos que tudo seja resolvido da melhor forma. Alguns jogadores vão cuidar disso mais tarde”, respondeu Diego, um dos integrantes da lista ao lado de Juninho, Felipe, Fernando Prass e Alecsandro.

Juninho Pernambucano é poupado do treino e não pega o Bangu

No segundo tempo, Diego Souza fez o terceiro gol vascaíno contra o Duque de Caxias

Há uma semana, o assunto ganhou destaque no noticiário cruzmaltino. O Vasco devia 13º salário e parte dos direitos de imagem. Na quinta, Felipe confirmou os atrasos, mas negou que o grupo faria algum tipo de rebelião. O meia citou, inclusive, a conquista da Copa do Brasil, quando o título foi conquistado com os salários atrasados.

Os dirigentes alegam que o fim dos contratos de patrocínio com Ale e BMG e o não-pagamento do valor da Eletrobras por conta da certidão de débito negativo são os motivos pelo atraso.

Foi levantada a hipótese de os jogadores não se concentrarem para a partida com o Bangu. Neste caso, eles se reuniriam antes do jogo em São Januário.

HUMOR ICFUT – Ai se eu te piso!

Fonte: Globo.com


O programa Crackovia, do canal catalão TV3, adora provocar o Real Madrid – e qualquer rival do Barcelona, que até exibe o logo do canal na manga – com paródias, no estilo “Casseta e Planeta”. O último alvo foi em dose dupla: Pepe, que acertou um pisão na mão de Messi em um clássico recentemente, e Michel Teló, que virou moda nos merengues com o “Ai se eu te pego”.
No vídeo, um humorista fantasiado de Pepe canta e dança o hit “Ai se eu te piso”, que lembra ainda uma confusão entre o luso-brasileiro e Fàbregas em outro dérbi:
“Messi, Messi
Te partiré la cara
Ai se eu te piso
Ai, ai se eu te piso
Al Cesc, al Cesc
Ya le partí la cara
Ai se eu te pego
Ai, ai se eu te pego
Un día, le lancé una mirada
Y Leo me quiso esquivar
Me fijé en su mano tan linda
Y, sin querer, la fui a pisar
Messi, Messi
Te partiré la cara
Ai se eu te piso
Ai, ai se eu te piso”
No final, sobra pisão até no pé de José Mourinho…

Por Cleber Aguiar – Andrezinho é o novo reforço do Papão

Fonte: Diário do Pará

Andrezinho é o novo reforço do Papão (Foto: Mário Quadros)

(Foto: Mário Quadros)

O meio-campista Andrezinho, 25 anos, revelado pelo Clube do Remo, é o quarto jogador contratado pelo Papão para compor o meio-campo. Com a chegada do atleta, a direção alviceleste deve encerrar o ciclo de negociações neste início de temporada, uma vez que o grupo bicolor possui mais de trinta atletas, embora a maioria seja oriunda das divisões de base.

Andrezinho já participou de uma atividade física acompanhado do fisiologista José Carlos Amaral e do preparador físico Antonio Pompeu. No entanto, como só vai ser apresentado oficialmente hoje, ele não foi relacionado para conceder entrevistas. Antes de ser negociado com o Paysandu, o meia estava no futebol da Hungria, jogando pelo Ferencváros.

Andrezinho atuou por três anos no Leão. Acabou transferido para o Corinthians. Depois, vestiu a camisa do Guarani e Paulista, antes de iniciar a carreira no exterior. Além do futebol húngaro, Andrezinho teve passagens pela China, defendendo as cores do
Greentown.

TEM HISTÓRIA! O meia Leandrinho já marcou gols importantes contra o Clube do Remo
O primeiro gol do clássico foi marcado pelo meia Leandrinho, o mesmo que ajudou o Cametá a brigar ponto a ponto com o Clube do Remo no Campeonato Paraense do ano passado por uma vaga à série D. Mas, a fama de carrasco dos remistas começou há 12 anos.

Leandrinho já aprontou para cima do Leão no Parazão 2000, quando marcou dois golaços na partida em que ele apareceu para o futebol, aos 17 anos. O meia defendia as cores do Tiradentes, que surpreendeu os azulinos em pleno Magueirão. A vitória poderia até rebaixar o Remo para a segunda divisão do certamente estadual, mas um problema envolvendo a documentação de Leandrinho garantiu o Leão na disputa.

Inspirado no passado e no retrospecto diante dos remistas, o jogador foi a campo confiante. “Até na concentração, eu falei aos meus companheiros que ia fazer dois gols para lembrar aquele dia que comecei a minha carreira, quando fiz dois gols em cima do Remo, pelo Tiradentes. Eu brinquei com eles, graças a Deus fiz um, infelizmente saí machucado. Para não agravar mais eu pedi para sair, mas se ficasse até o fim eu faria mais um”, provoca Leandrinho. “Muitas pessoas falaram que o nosso time era só de moleque, que não ia chegar. Respeitamos as palavras dessas pessoas e demonstramos dentro de campo, com humildade e pés no chão, mas sem temer jamais”, completa.

Ao final do clássico, o meia se ajoelhou no centro do campo e seguiu até a trave em que ele marcou o primeiro gol do Re-Pa. “Foi uma promessa”, disse, explicando. “Na minha oração, depois, sozinho, em cima da Bíblia, eu falei que se a vitória viesse eu ia do meio de campo até a trave. A outra promessa vem depois”, despista. (Diário do Pará)

Por Cleber Aguiar – Elenco do Cruzeiro reclama de “ironia” do presidente sobre salários atrasados

Fonte: Gazetaesportiva.net

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

 

Os jogadores do Cruzeiro divulgaram nesta terça-feira uma carta de protesto contra as declarações do presidente Gilvan de Pinho Tavares, que ironizou ao comentar os atrasos de salário no clube. O dirigente chegou a dizer que os atletas ganham uma miséria, e que três ou quatro dias de atraso não fariam falta para os jogadores.

Dizendo estarem “indignados” com a declaração do mandatário, os jogadores se defenderam, alegando nunca terem reclamado publicamente sobre os atrasos, ou que teriam deixado de trabalhar na pré-temporada realizada pela Raposa. Ainda na carta, os atletas afirmar que continuam cumprindo suas obrigações, mas que “sendo muito ou pouco, o salário é um direito de todo o trabalhador.

No último dia 19, Gilton Tavares afirmou: “Os atletas ganham muito pouco. Essa miséria que eles ganham, faz uma falta danada se atrasar três ou quatro dias para eles”. O pagamento, porém, que foi prometido pelo dirigente ainda não aconteceu, o que colaborou para a manifestação dos jogadores.

A iniciativa teria partido do goleiro Fábio, um dos lideres do grupo e do atacante Wellington Paulista, mas logo recebeu apoio da maioria dos atletas do elenco celeste.

Veja na íntegra a carta entregue aos jornalistas na Toca da Raposa:

“Estamos indignados com a declaração irônica do presidente Gilvan de Pinho Tavares sobre o atraso dos salários.

Fomos completamente surpreendidos com a matéria publicada na página do Cruzeiro no globoesporte.com, principalmente porque até o presente momento nenhum atleta do elenco comentou sobre esse assunto publicamente, nem tampouco deixou de realizar os trabalhos propostos pela equipe técnica nesta pré-temporada, muito pelo contrário!

Estamos há mais de 15 dias concentrados, realizando todas as nossas obrigações, focados em nossos objetivos para 2012 e entendemos a complicada situação em que o Clube se encontra.

Sendo muito ou pouco, o salário é um direito de todo trabalhador. Gostaríamos de deixar claro que independente da nossa insatisfação perante tal declaração, continuaremos cumprindo com nossas obrigações com ou sem quitação de salários na data prometida”.

 

 

Por Cleber Aguiar – Previsão para estreia de Love é de 10 dias

Fonte: O Dia Online

Rendimento do ‘Artilheiro do Amor’ deixa preparador físico do Mengão animado

Rio –  Vagner Love mal chegou ao Flamengo e sua forma física já impressiona. O jogador passou bem por toda a bateria de exames de rotina, realizou os testes físicos sem problemas e até foi a campo, embora apenas para fazer exercícios de corrida, com os demais companheiros.

Em seu primeiro treino, atacante fez um trabalho físico | Foto: Márcio Mercante / Agência O Dia

Em seu primeiro treino, atacante fez um trabalho físico | Foto: Márcio Mercante / Agência O Dia

Nos próximos 10 dias, segundo Antonio Mello, que está à frente da preparação de Vagner Love, o jogador deve ter condições de reestrear com a camisa do Flamengo. Até lá, no entanto, tem ainda o primeiro contato com bola, que deve ocorrer nesta semana.

Love segue um cronograma desenvolvido por Antonio Mello, que intensifica gradualmente o esforço físico do jogador. Ainda sem o “Artilheiro do Amor”, no entanto, o Flamengo enfrenta o Real Potosí nesta quarta-feira, no Engenhão. O Rubro-Negro precisa da vitória simples ou fazer dois gols de vantagem em qualquer outro placar para que Love possa entrar na próxima fase da competição.

Por Cleber Aguiar – Prestes a se aposentar, Roberto Carlos vira empresário de dupla de forró

Fonte: Portal Uol

Lateral brasileiro deve entrar no mundo da música quando deixar os gramados

Lateral brasileiro deve entrar no mundo da música quando deixar os gramados

Vinicius Konchinski 
Do UOL, em São Paulo

O lateral esquerdo Roberto Carlos disse em entrevista ao jornal espanhol Marca que deve pendurar as chuteiras no final deste ano. Ele, porém, está muito longe de largar o trabalho. Aos 38 anos, Roberto Carlos está só iniciando uma nova carreira: a de empresário da música.

Mesmo morando na Rússia, o lateral gerencia atualmente a carreira de Paulinha Abelha e Marlus , ex-integrantes da banda Calcinha Preta. De lá, colabora para a promoção da “primeira dupla de forró do Brasil”, segundo ele, e já traça planos para sua empresa do show business, a RC3 Shows.

“Meu projeto com a RC3 é grande”, disse o jogador, em entrevista ao UOL Esporte. “Acho que com a minha imagem eu posso ajudar muitos cantores a fazer sucesso.”

A experiência de Roberto Carlos no mundo musical não é recente. Em 2007, enquanto jogava no Fenerbahce, da Turquia, o jogador chegou a agenciar artistas como Fábio Júnior, Joelma e Chimbinha e o próprio Calcinha Preta. Divergências com alguns sócios, entretanto, fizeram com que ele se afastasse do mercado até o ano passado.

Agora, mais experiente, Roberto Carlos procura novos talentos. Avalia sempre que pode as músicas que recebe via internet de candidatos a novos artistas do forró ou axé, sertanejo e pagode. Caso goste de alguma coisa, o jogador conversa com seus assessores no Brasil e marca conferências via computador com as possíveis estrelas.

“Eu converso com eles e cobro dedicação”, afirmou Roberto Carlos, no estilo empresário linha-dura. “Tem cantor que é pior que jogador de futebol. Se tem que fazer show em uma cidadezinha a 500 km, já faz corpo mole, reclama do valor do cachê. Assim não dá.”

Paulinha Abelha, que trabalha com o jogador há seis meses, confirma que Roberto Carlos é exigente, mas diz que ele é muito preocupado com o tratamento dado aos artistas que ele empresaria. “Ele está sempre perguntando sobre o tratamento que estão dando para a gente”, afirmou.

A cantora disse que o lateral está sempre em contato com ela, seja por telefone ou por internet. Disse ainda que ele é muito humilde e a trata de igual para igual. “Ele não sabe o mito que é, do respeito que as pessoas têm por ele”, complementou. “Depois do Roberto Carlos, nosso trabalho passou de cem para mil.”

O lateral, apesar de morar longe, tem acompanhado a dupla em alguns compromissos para ajudar na divulgação dos cantores. Esteve, inclusive, em programas de TV apresentando a dupla.

Roberto Carlos está tão presente que Paulinha faz planos. Quer que o lateral faça uma participação, como cantor, no DVD que ela e Marlus gravarão em julho, em Aracaju. “Quero que ele cante uma música com a gente”, disse ela. “Tomara que ele tope.”

Por Cleber Aguiar – RG ou CPF

Fonte: Folha de São Paulo

Lei de São Paulo cria cadastro obrigatório de todos que comprarem ingressos para jogos de futebol, gera filas, transtorno e atrasa entrada nos estádios

ADRIANO WILKSON
DE SÃO PAULO

Uma lei em vigor desde o final de 2011 está atrasando a entrada de torcedores nos estádios de São Paulo a ponto de muitos perderem até o primeiro tempo dos jogos.

De autoria do deputado estadual Enio Tatto (PT), a lei obriga os clubes a cadastrar todas as pessoas que comprarem ingressos para partidas oficiais de futebol no Estado.

Os dados dos torcedores devem ficar à disposição das autoridades por um ano.

Um dos objetivos é coibir a ação de cambistas e a evasão de renda. Outro é identificar torcedor violento em caso de confusão na arquibancada.

A lei, porém, não limita o número de ingressos por comprador. Já a FPF (Federação Paulista de Futebol) permite venda de só três bilhetes por pessoa -apenas o comprador se cadastra.

O torcedor deve fornecer nome completo, RG ou CPF para comprar o bilhete.

Filas enormes foram vistas na venda dos ingressos para a final da Copa São Paulo de juniores, no Pacaembu, há uma semana. Segundo a FPF, a culpa foi do cadastro.

Na rodada de abertura do Paulista, no dia 22, no Morumbi, parte da torcida do Botafogo esperou mais de uma hora na fila antes do duelo com o São Paulo até a conclusão de cada cadastro.

“Chegamos 40 minutos antes do jogo e só conseguimos entrar no estádio no final do primeiro tempo”, diz o advogado Danilo Vicaro, torcedor do Botafogo, que foi ao Morumbi com cinco amigos.

O São Paulo abriu só um guichê para a torcida adversária. Foram vendidos mais de 15 mil ingressos, mas o borderô não discrimina quantos eram de visitantes.

Folha pede, há uma semana, entrevista com alguém do clube, sem retorno até a conclusão desta edição.

A FPF afirma que não há muito o que ser feito. “A lei tem que ser revista”, declara o coronel Marcos Marinho, cartola da federação. “Mesmo que se ponham vários guichês, a operação ainda fica lenta, não adianta. A única solução é a venda antecipada. No dia do jogo é difícil.”

Times grandes têm menos dificuldade em cadastrar suas torcidas, já que têm programas de sócio-torcedor, com cadastro automático.

O Corinthians, por exemplo, vende a maior parte de seus ingressos de modo antecipado, o que reduz as filas.

Na Copa São Paulo, as vendas ficaram a cargo da federação, e não dos clubes.

Alguns times pequenos têm incentivado venda antecipada, dando desconto. Outros fazem sistema de cadastro on-line, em que o torcedor informa seus dados pela internet e imprime um comprovante que é entregue quando ele for comprar a entrada.

“Mesmo assim, 30% deixam para fazer tudo em cima da hora”, diz Nelson Lacerda, presidente do Comercial.

“Estamos tendo muita reclamação, xingamento, confusão antes do jogo. Essa lei trouxe transtorno. Foi feita por quem não entende de futebol e em cima da hora.”

Por Cleber Aguiar – ‘Estamos em uma sinuca de bico’, diz Leão

Fonte: O Estado de São Paulo

Em entrevista ao ‘Estado’, técnico lamenta ausência de líderes do grupo e diz que ainda quer um novo goleiro

BRUNO DEIRO – O Estado de S.Paulo

Com a montagem do time prejudicada por lesões e pela espera por reforços, Emerson Leãose vê numa sinuca de bico neste começo de temporada do São Paulo. Sem o capitãoRogério Ceni, que passou por cirurgia no ombro, o treinador também perdeu Luis Fabiano. Para piorar, ainda não tem data para usar Fabrício, a outra possibilidade de liderança para o jovem time tricolor.

''Agora a camisa de goleiro é do Denis. Por quanto tempo, só Deus sabe', disse Leão - Werther Santana/AE
Werther Santana/AE
”Agora a camisa de goleiro é do Denis. Por quanto tempo, só Deus sabe’, disse Leão

 

Em entrevista ao Estado, o técnico tricolor reafirma a busca por um substituto provisório para Ceni e a necessidade de um centroavante que possa ser titular – jogador que, ao que tudo indica, será Nilmar.

Estas três vitórias trouxeram conclusões sobre o time?

Com vitórias, não há pressão e tenho mais tempo para corrigir erros. Ainda estamos colocando em forma alguns atletas contratados que, em uma ou duas semanas, vão começar a jogar. E aí vamos ter uma ideia geral.

O Casemiro tem entrado. Você cobrou comportamento diferente dele?

Acho que o Casemiro está se acostumando a tudo o que se espera dele. Teve um apogeu precoce, mas teve uma decadência precoce também. Isso é ótimo, pois mais precocemente vai corrigir. Entrou bem, firme e resolveu o problema.

Qual o impacto de perder Rogério e Luis Fabiano nesta arrancada?

Para o torcedor são as duas referências positivas. Há muito mais apelo da torcida para que volte ao normal em relação ao Luis Fabiano, pois o Rogério fez uma cirurgia. O Fabiano sofreu muito no ano passado e o clube investiu nele. Ele teve lesões que refletem neste ano ainda.

Acha que há líderes para substituir Rogério em campo?

A substituição dele passa pelo Denis. Se for bem, poderemos esperar o Rogério com mais tranquilidade. Com o Luis Fabiano também passa isso, ele tem um jeito diferente de ser líder. E estamos em uma sinuca de bico, pois ainda não pudemos contar com o nosso volante, Fabrício. Ele ainda não treinou no campo comigo e precisamos dar um xeque-mate nisso. Mas esperamos que outros possam (liderar), sem serem forçados a isso.

O Denis precisa de um concorrente até Rogério voltar?

Acho que o Denis fez um bom trabalho no ex-time (Ponte Preta) e por isso foi contratado. Já está há um bom tempo dentro do São Paulo, conhece bem a rotina do clube. Agora a camisa é dele. Por quanto tempo, só Deus sabe. Então, ele é quem comanda a situação, está entregue a ele. E a resposta positiva é que vai decifrar o futuro.

E se não for positiva?

Não posso pensar pelo lado negativo. Minha posição é de aceitar e incentivar, não de duvidar.

O clube busca um substituto?

Na minha cabeça sim. Agora, estamos buscando. A contratação passa por vários critérios, de informação, de observação, de aceitação, de condição, então estamos seguindo esta rotina.

A busca não exige pressa?

Não sei o que é pressa, temos um goleiro atuando. Acho que urgência é quando não tem.

Os reservas dele, Léo e Leonardo, dariam conta, se necessário?

Não sou pessimista. Se chegar a situação, e espero que não chegue, a gente vê. Você quer que fale que eles não estão aptos. Então, por que os tenho aqui? Se não estão aptos, por que estão aqui? Não posso falar isso.

A diretoria garantiu que eles estão aptos. Você concorda?

Há coisas que sabemos mais que os outros. E, de goleiro, eu sei, e sou o técnico. O diálogo (com a diretoria) é maravilhoso, só que vocês cobram informação, e tem hora que não dá para dar a informação.

Vê a diretoria mais atuante na formação do elenco?

Não sei. Quando fui contratado, falaram que iam me consultar, mas que alguns atletas já estavam contratados. Você nunca me viu falar destas contratações, porque já estavam feitas. Aconteceu o fato sobre o goleiro, é lógico que tenho de ser contatado. Agora, o senhor João Paulo (de Jesus Lopes, vice de futebol) não pode dizer: ‘Vou contratar porque os dois que estão aqui não servem’. Acha que este é o discurso certo? Há coisas que precisamos falar.

O Willian José está pronto para ocupar a vaga de Luis Fabiano?

Ele foi contratado para jogar aos poucos. É um garoto jovem, do interior, é a primeira vez que ele está tendo a oportunidade num time grande. Se você enchê-lo com uma cobrança excessiva, você pode perdê-lo. Então acho que alguns times perdem bons jogadores porque querem resultado imediato. E aí eles acabam estourando em outro clube que teve mais paciência. Ele está entrando em algumas partidas, numa foi um pouco melhor, em outras não, mas é isso que nós queremos.

Faltou esta paciência para manter o Henrique?

Não sei, mas ele está sendo pretendido por outros clubes. Com seu destaque no Mundial sub-20 (foi o melhor do torneio), ficou uma coisa antagônica. Ele não dá certo aqui e dá certo lá, então o clube resolveu vender.

Por que você deu poucas chances a ele no ano passado?

Acabei usando mais o reserva imediato (de Luis Fabiano). Fui preparando o Willian, porque o Henrique já é sabedor do que é capaz. E os dois têm um biotipo completamente diferente.

Que falta para fechar o elenco?

Falta ao clube trazer um centroavante. Pretendemos achá-lo e está certa a conduta, até pela demonstração na contusão do Luis Fabiano, que poderia ser mais séria. Então mostrou que é verdadeira a procura. Como também é a procura por um lateral-direito, pois nós temos um lateral específico (o paraguaio Iván Piris) e que pode ser convocado, como sempre foi, para a seleção de seu país. Com o afastamento temporário do Rogério, vai daí que nós precisamos também de um substituto para ele.