Por Cleber Aguiar – Muricy: ‘Para voltar à Seleção, Ganso tem de continuar no Santos’

Fonte: Globo.com

Meia teve algumas lesões ao longo da temporada que o tiraram de alguns jogos do time. Atleta ainda teve desentendimentos com a diretoria

Por GLOBOESPORTE.COM Santos, SP

 

A temporada 2011 não foi das melhores para Paulo Henrique Ganso. Após iniciar o ano em fase final de recuperação de cirurgia para reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, o jogador teve dois problemas musculares que o tiraram de grande parte das partidas do time. Precisando voltar a sua melhor fase, Muricy Ramalho tem um conselho para o meia: ficar no Santos.

Mesmo sem propostas para sair do Peixe neste momento, o treinador acredita que a permanência na Vila Belmiro poderá ser fundamental para ele readquirir o futebol que o consagrou em sua curta carreira como atleta profissional. O meia jogou apenas 31 vezes pelo Alvinegro em 2011 e ficou fora em 22 partidas por conta de compromissos com a Seleção.

– Meu conselho é que ele permaneça no Santos. Ele tem que voltar à Seleção Brasileira. Ele tem que buscar essa posição para disputar a Copa do Mundo (de 2014, no Brasil). E para voltar à Seleção, ele tem de escolher o Santos, que tem várias competições importantes neste ano – aconselhou o treinador.

Ganso teve vários desencontros com a diretoria. Ele ainda não assinou o contrato proposto pelo Santos. No novo vínculo, entregue ao atleta no início do ano passado, o clube tenta aumentar a multa rescisória do meia. Em contrapartida propõe um aumento salarial e um plano de carreira, semelhante ao que Neymar recebeu no meio de 2010, quando foi procurado para atuar pelo Chelsea-ING. Além disso, ele vendeu sua parte dos direitos econômicos (10%, ficando com 55%) para a DIS, empresa que gerencia sua carreira – outros 45% pertencem ao Santos. A atitude de negociar sua parte perto da final do Mundial de Clubes desagradou a diretoria. Muricy, porém, prefere não entrar na polêmica e se isenta de qualquer participação nestes assuntos.

– Costumo dizer que me dou bem na carreira porque sou treinador, não me meto nas coisas do jardineiro, na arrumação da cozinha… Esse negócio de técnico dono de clube não é legal. Tenho que fazer a minha parte dentro de campo.

Ganso se reapresenta ao Santos na próxima sexta-feira, juntamente com os outros titulares. O elenco faz exames físicos e começa a fase de preparação para o início da Copa Libertadores. Os reservas, que já estão treinando desde o início do mês, formaram o time que inicia o Campeonato Paulista no sábado, contra o XV de Piracicaba, no Barão de Serra Negra, às 19h30m (horário de Brasília).

Por Cleber Aguiar – Vanderlei Luxemburgo flagra Ronaldinho com mulher no hotel do Flamengo, pede saída do craque, e diretoria nega

Fonte: Extra.globo.com

 
Guto Seabra

A crise do Flamengo não ficou entre quatro paredes. Em Londrina, por trás de semblantes fechados por supostamente um descontentamento financeiro, se escondia um flagrante que pôs em lados opostos o craque Ronaldinho Gaúcho, a presidente Patricia Amorim e o diretor de futebol Luiz Augusto Veloso contra o técnico Vanderlei Luxemburgo. Na concentração, R10 foi flagrado com uma mulher.

Numa de suas andanças pelo hotel, o técnico rubro-negro viu o elevador parar num determinado andar e deu de cara com Ronaldinho Gaúcho no interior. O camisa 10, que se dizia tão triste pela dívida de R$ 3,75 milhões do clube, ficou constrangido após dormir num quarto que, previamente estabelecido pela comissão técnica, não era o seu.

— Eu não tenho nada a falar sobre isso. Bem… As medidas foram tomadas. Como o Vanderlei fala, as soluções são internas. Eu segui o que o Vanderlei sempre postulou. Tomamos as medidas sugeridas pelo departamento jurídico — disse o diretor de futebol Luiz Augusto Veloso.

As relações azedaram de vez em Londrina. Vanderlei Luxemburgo pediu a saída de Ronaldinho Gaúcho do Flamengo. A presidente Patricia Amorim e Luiz Augusto Veloso esvaziaram ainda mais o treinador, sendo contrários à demissão do craque.

Luxemburgo viu o episódio como parte do processo de fritura, já encabeçado pelo vice-presidente de finanças, Michel Levy, e reforçado pela presidente ao mandar cada um ficar na sua após bate-boca público. Irritadíssimo, Vanderlei já confidenciou a amigos que pensa em atingir o objetivo de classificar o Flamengo à fase de grupos da Copa Libertadores da América — passando pelo Real Potosí — e entregar o cargo.

Vencida a queda de braço com Vanderlei Luxemburgo, Ronaldinho Gaúcho vê a diretoria se mobilizar para aquele que, de novo, é tido como o Dia D para receber os salários que estão em atraso, num total de R$ 3,75 milhões. O clube tem uma reunião com a Traffic hoje para reativar ou desfazer a parceria para pagamento do salário.

Em Londrina, o craque, através de seu irmão, ameaçou não viajar para a Bolívia e foi convencido, através de uma afirmação de que o Flamengo se responsabilizará pelos R$ 750 mil mensais — além dos R$ 250 mil que já paga — em caso de desacordo com a Traffic. O Rubro-negro, porém, entende que a dívida de R$ 3,75 milhões fica para a empresa, que, no ato de firmar o memorando que rege a relação, teria direito a explorar a imagem do jogador e também 20% dos contratos de patrocínio.

Por Cleber Aguiar – Depois de 15 anos, narrador deixa SporTV e vai narrar na TV Record

Fonte: Futebolinterior.com.br

O narrador esportivo trabalhou nas Rádios: Tupi AM e Nacional AM

Campinas, SP, 18 (AFI) – A TV Record oficializou a contratação do jornalista e narrador esportivo, Lucas Pereira (foto), ex-SporTV, nesta quarta-feira, 18. O jornalista de 39 anos vem reforçar a equipe que irá transmitir com exclusividade para a TV aberta no Brasil, os jogos Olímpicos de Londres, entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. A TV Record já possui garantido os direitos de transmissão dos Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto, no Canadá e de 2019, ainda sem local definido.

Lucas Pereira, é natural do Rio de Janeiro e durante 15 anos trabalhou no Canal a Cabo SporTV. Na emissora, o jornalista narrou às últimas quatro Olimpíadas e mais duas Copas do Mundo. Na trajetória de narrador esportivo constam ainda passagens pelas Rádios: Tupi AM e Nacional AM do Rio de Janeiro.A TV Record transmitiu com exclusividade para a TV aberta no Brasil, a 16ª- Edição dos Jogos Pan-Americanos, realizados em Guadalajara, no México, em 2011.

ICFUT – Com direito a Viviane Araújo de modelo, Juazeiro lança novo uniforme

Fonte: Globo.com

O tricolor das carrancas apresentou a nova camisa para a disputa do Baianão 2012

Por GLOBOESPORTE.COMJuazeiro, BA

Viviane Araújo apresenta novo uniforme do Juazeiro (Foto: Reprodução/TV Bahia)Viviane Araújo apresentou novo uniforme do
Juazeiro para torcida (Foto: Reprodução/TV Bahia)

O Juazeiro vai começar o Campeonato Baiano 2012 de roupa nova. Com direito a Vivane Araújo de modelo, o Tricolor das Carrancas apresentou na última segunda-feira, no São Francisco Country Club, o uniforme que usará na disputa do estadual.

Ao lado de jogadores que integram o elenco profissional do clube, Viviane Araújo participou de um desfile para os torcedores. A musa, aliás, já não é estranha à região. No final do ano passado, ela participou da apresentação do uniforme do Petrolina, time do município vizinho à Juazeiro.

O Tricolor das Carrancas estreia no Campeonato Baiano nesta quarta-feira, às 20h30, contra o Bahia de Feira, no Estádio Adauto Moraes.

Veja videos ICFUT com a Musa das Torcidas !!!

[videolog 633839]

 

[videolog 739862]

 

ICFUT – Monique Amin, do Big Brother 12, teria tido “affair” com Ronaldinho Gaúcho

Fonte: Futebolinterior.com.br

 A Polícia Civil investiga um suposto caso de estupro envolvendo a musa no reality show
O Big Brother Brasil 2012 nem bem começou e já passa por seu momento mais polêmico, desde que estreou há dez anos. Isso porque a Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga um suposto caso de estupro entre o modelo paulista Daniel Echaniz, 31 anos, e a estudante gaúcha Monique Amin, 23.
Bela sister em meio à polêmicas

Esta, porém, não é a primeira vez que a bela sister se torna pivô de uma polêmica. De acordo com informações do colunista do jornalo O Dia Léo Dias, a gaúcha já teria tido um romance com ninguém menos que o craque do Flamengo Ronaldinho Gaúcho.

A versão do colunista aponta que o jogador, quando ainda atuava pelo Barcelona-ESP, pagava para Monique “visitá-lo” na Espanha. O “affair” teria acabado, após a musa revelar o relacionamento a uma vendedora de uma loja em um shopping em Porto Alegre, que era amiga da irmã do atleta.

Ainda de acordo com as especulações, a sister de curvas generosas também teria “visitado” outros jogadores, inclusive da Espanha e do Grêmio, seu clube do coração. Além disso, há comentários de que ela também morou com o jogador de futsal Thiago Paz.

Em 2011, Ronaldinho também foi vítima de uma polêmica envolvendo sexo. No dia 24 de novembro, vazou na internet um suposto vídeo em que o jogador do Flamengo aparece se masturbando em uma webcam. O caso também foi parar na polícia.

Será que quando sair da casa, Monique vai aumentar essa lista de boleiros? Atributos para isso a musa tem!

 

Monique Amin falando do caso no Confessinário

Reportagem Jornal Nacional

Video do suposto estupro

Por Cleber Aguiar – Palmeiras anuncia contratação do atacante Hernán Barcos

Fonte: Estadao.com.br

Jogador argentino é o mais novo ‘camarão’ pedido pelo treinador Luiz Felipe Scolari

SÃO PAULO – Após uma longa negociação, o Palmeiras se acertou com a LDU e oficializou na noite desta terça-feira, a contratação do atacante argentino Hernán Barcos. O jogador de 27 anos foi uma indicação do técnico Luiz Felipe Scolari, que reclamou à diretoria do Palmeiras a necessidade de um centroavante experiente e goleador dentro do elenco.

Hernán Barcos é outro 'camarão' pedido por Felipão - Guillermo Granja/Reuters - 17/03/2011
Guillermo Granja/Reuters – 17/03/2011
Hernán Barcos é outro ‘camarão’ pedido por Felipão

Barcos se destaca pelo bom posicionamento e por marcar muitos gols de cabeça. O treinador palmeirense ficou impressionado com os números de Barcos na equipe equatoriana. Foram 53 gols em 92 partidas. Ele foi o vice-artilheiro da Copa Sul-Americana do ano passado, com seis gols marcados.

O Boca Juniors chegou a sondá-lo no final do ano passado, mas a negociação não foi adiante. Antes de chegar ao Equador ele jogou na Argentina (Racing e Huracán), Paraguai (Guarani), Sérvia (Estrela Vermelha) e China (Shanghai Shenhua e Shenzhen).

Para contratar Barcos, o Palmeiras vai pagar U$ 4 milhões (cerca de R$ 7,1 milhões) por 70% dos direitos do atleta. O clube alviverde chegou a disputá-lo com uma equipe do Oriente Médio, mas o próprio jogador demonstrou a intenção de jogar no futebol brasileiro.

 

Por Cleber Aguiar – Dinheiro contado

Fonte: Folha de São Paulo

Quatro dos principais clubes do país penam para fechar patrocínios máster de camisa para 2012, e perda pode chegar a R$ 115 milhões

BERNARDO ITRI
DO PAINEL FC
MARTÍN FERNANDEZ
DE SÃO PAULO

Conseguir uma empresa que aceite pagar o valor pedido pelos clubes para estampar sua marca na camisa se tornou uma tarefa árdua.

Quatro dos principais times do Brasil passam por dificuldades para achar um investidor. Flamengo, Palmeiras e São Paulo começarão a disputar os campeonatos neste início do ano sem contrato de patrocínio firmado.

O Corinthians tem acordo com a Hypermarcas que terminará após o Paulista e teme não conseguir anunciante para o restante do ano.

A renda de patrocínio esperada pelos clubes juntos é de cerca de R$ 115 milhões no ano. Mas cada equipe tem peculiaridades que atravancam a chegada de investidores.

O Palmeiras poderá estrear no Estadual neste fim de semana usando a marca de sua ex-patrocinadora, a Fiat.

O clube tenta fazer um acordo com a montadora até o término do Paulista, a pedido da Adidas, sua fornecedora de material, que ainda possui muitas camisas estampando “Fiat” nas lojas.

A marca quer vender os uniformes para não perder investimento, e o clube aceitou retomar as negociações com a empresa, que havia rechaçado permanecer no time.

“Estamos conversando para fechar logo por um pouco mais de R$ 3 milhões”, diz o presidente Arnaldo Tirone.

Esse imbróglio, porém, impede que o Palmeiras encontre um novo anunciante. O clube quer receber pelo patrocínio máster da camisa cerca de R$ 20 milhões por temporada -a Fiat pagou R$ 26 milhões por um ano e meio.

O valor do patrocínio também é empecilho para o Flamengo. O clube passou quase 2011 inteiro sem patrocinador porque não encontrava quem aceitasse pagar sua pedida (R$ 30 milhões) e se vê na mesma situação agora.

Em 2011, só obteve patrocínio por meio da agência de Ronaldo, a 9ine. A Procter & Gamble pagou € 5,625 milhões por quatro meses.

A Traffic, parceira do clube no caso Ronaldinho e que tem direito a percentual sobre o patrocínio de camisa, não gostou da participação do ex-jogador no negócio e agora tenta arrumar um novo anunciante para o clube.

O São Paulo, após perder o patrocínio do BMG, que pagava R$ 25 milhões por ano, não tem esperança de conseguir um parceiro tão cedo.

“Estamos conversando com algumas empresas, mas acho que vai ficar para depois do Paulista”, afirma Julio Casares, vice-presidente de marketing do São Paulo.

O clube do Morumbi pretende fechar patrocínios pontuais durante esse período.

O fim do Paulista também é a data em que o Corinthians irá correr atrás de um novo parceiro. O contrato com a Hypermarcas, de R$ 40 milhões por ano, termina após o Estadual. O clube já recebeu a sinalização de que a empresa não deverá renovar seu contrato de patrocínio.

Desde o fim de 2011, o departamento de marketing do clube busca substituto para ocupar os lugares da Hypermarcas no uniforme do time. Até agora não conseguiu.

Uma das possibilidades estudadas pelo Corinthians é negociar o patrocínio nos uniformes junto com os naming rights do Itaquerão.

BMG quer sair aos poucos das camisas

ENTREVISTA
Banco, no entanto, pretende aumentar investimento em percentuais dos direitos de jogadores

DO PAINEL FC

Marca mais exposta nas camisas dos times do país em 2011, o BMG, do vice-presidente Márcio Alaor, já atingiu seu objetivo e quer “sair aos poucos” do patrocínio no futebol, diz o executivo. O investimento caiu de R$ 66 milhões, em 2011, para R$ 39 milhões neste ano. (BERNARDO ITRI)

Letícia Moreira – 11.jan.12/Folhapress
Márcio Alaor fala durante entrevista em escritório em São Paulo
Márcio Alaor fala durante entrevista em escritório em São Paulo

Folha – O BMG deixou de patrocinar São Paulo, Vasco e Sport. Vai sair do patrocínio?
Márcio Alaor – Vamos saindo gradativamente. Já atingimos o nosso objetivo. Temos uma pesquisa que mostra que o BMG é, hoje, a terceira marca ligada ao futebol mais lembrada pelo torcedor, na frente de Coca-Cola, Nike… Mas temos que ficar na lembrança do consumidor. Não conversamos [se vamos sair], mas eu acho que vamos continuar. Em Minas, provavelmente, vamos ficar.

Qual é o investimento em patrocínio de clubes?
[O investimento] era de R$ 66 milhões em 2011. Agora é de cerca de R$ 39 milhões.

O BMG atingiu seu objetivo mais rápido que o esperado?
Muito mais. A gente era o 130º na lembrança do torcedor. Somos terceiro. Pensávamos em atingir o objetivo em, no mínimo, três anos e, no máximo, cinco. Foi em dois.

Como foi a entrada do BMG no futebol?
Em 2009, fomos convidados a patrocinar a final do Campeonato Mineiro, entre Atlético e Cruzeiro. Fizemos. Não dava para patrocinar um clube só, senão dividiria o Estado. E deu uma repercussão acima da expectativa. Aí falamos: “Vamos avaliar a possibilidade de patrocinar alguns clubes estratégicos e ver quanto fica”. Começamos a ver que, com esse patrocínio [de camisas], não mudaríamos muito o valor de R$ 60 milhões, que já gastávamos por ano com mídia. E pensamos: “Poxa, vamos ter a oportunidade de estar no horário nobre em todas as televisões”. Quando vimos os preços, fomos ao Flamengo e fechamos a manga. Foi coisa de louco. Nesse meio tempo, fechamos com o Cruzeiro e Atlético por mais um ano. E foi com o América-MG que começamos a entender o futebol como investimento.

Qual tipo de investimento?
O América propôs uma parceria. Fizemos o patrocínio de camisa e no futebol, nos juniores. Escolhemos lá três jogadores e colocamos um dinheiro. Foi espetacular. Dentre esses jogadores, estava o Danilo [ex-Santos], que foi vendido por uma fortuna para o Porto. Daí começamos a ser procurados por outros times oferecendo 10%, 20% de jogadores mais jovens.

O banco segue uma cartilha para investir nos jogadores?
Não temos mais do que 50% de nenhum jogador. Normalmente, temos 10%, 20%. Normalmente, queremos vendê-los na segunda janela de transferências [depois que o atleta se vai para um clube-ponte, um ano]. Dá tempo de o jogador render no clube e depois ser vendido bem. Mas somos flexíveis.

Outros investidores dizem que o lucro com jogadores é consequência.
Para a gente, futebol é negócio. Compramos o percentual de jogadores para ter lucro. Os clubes sabem disso. Temos 70 jogadores. Criamos um fundo, registrado na CVM (Comissão de Valores Imobiliários). Em 2011, ele cresceu 72%. Abrimos o fundo em 2010 com US$ 12 milhões, e hoje tem US$ 50 milhões.

Vocês pretendem investir em naming rights?
Já fizemos. Compramos o Campeonato Mineiro, mas não tem retorno. Se a Globo não falar, é inviável. O Andres Sanchez [presidente licenciado do Corinthians] foi ao banco e falou sobre comprar os naming rights do Itaquerão. Mas o preço é muito alto. O Itaquerão vai se chamar Itaquerão. As pessoas não vão chamar de BMGzão (risos).