Por Cleber Aguiar – Eu chorei, pelo Santos e os outros choraram pelo nada !

Cleber Aguiar Equipe ICFUT – Caros amigos santistas tricampeões da Libertadores, domingo após a derrota para o Barcelona, entrei em prantos ao ligar para o meu primo Edgar colunista também dessa maravilhosa Equipe ICFUT.Porém meu choro não foi só pela perda do título para o Barça e sim pela falta de valentia do Santos, poxa 71% de posse de bola para a equipe espanhola é sacanagem com o torcedor santista de todo país.

Poderíamos perde para o Barcelona de 4,5,6 não interessa, porém lutando dentro de campo a cada minuto e não deslumbrando o futebol dos espanhóis, só que agora já era vamos pensar em 2012, o engraçado que esse tipo de derrota o Santos já fez em diversos adversários porém aquela época não tinha internet e nem facebook para encher o saco, faz parte parte,  fazer o que né ?

Agora pelo menos choramos por um vice mundial ou seja já conquistamos a libertadores para está lá e ainda o paulistão , agora tem gente que nunca chegou lá por merecimento e chorou derrota para o Tolima na poderosa ” Pré-Libertadores ” , outro perdeu de 6×0 para o Coritiba e ainda ficou mais de 10 jogos sem vitórias no brasileirão e para finalizar um tal de soberano ( no que eu não sei ? ) foi eliminado na Copa do Brasil pelo Super e Rebaixado Avaí …kkkkkkk, ou seja tem gente que chorou por coisas piores esse ano.

Para finalizar meu grande sonho era ver o Ganso fora da equipe santista e deixar a famosa camisa 10 do ALVINEGRO PRAIANO para um jogador que ame esse clube ou pelo menos demostre respeito com as cores e tradição do maior clube do futebol brasileiro de todos os tempos.

Para os  adversários se contentam com Casemiro,Luan ,Fernandão,Moradei,Willian e muitas outras porcarias o Santos continua com os MENINOS DA VILA que é nossa tradição.

NASCER,VIVER E NO SANTOS MORRER !

ICFUT- Surpreendido, Alessandro desabafa: ‘Dei a cara muitas vezes. Não merecia’

Fonte:globo.com

Lateral-direito fala sobre a saída inesperada do clube e condena justificativa do vice de futebol André Silva: ‘Não foi por causa da torcida’

Alessandro não esperava receber um adeus do Botafogo agora. Apesar do término do contrato, havia um termo de compromisso firmado por ele que previa a renovação por mais duas temporadas. A assinatura do presidente Maurício Assumpção, no entanto, não foi para o papel, e o jogador ouviu da diretoria a decisão de dispensá-lo. A relação conturbada com a torcida foi apontada pelo clube como determinante no seu caso.

Na manhã desta terça-feira, o lateral-direito convocou a imprensa para uma entrevista coletiva. No salão de festas do prédio onde vive, em Niterói, falou pela primeira vez sobre a saída do Alvinegro. Mostrou-se surpreso, chateado e contestou a justificativa do clube.

alessandro ex-botafogo coletiva (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)

– Em 16 de outubro, o Anderson (Barros, gerente de futebol) me chamou, queria renovar meu contrato por mais dois anos. Eu assinei esse termo de compromisso, e só faltava a assinatura do presidente. Os dias foram passando, não peguei a cópia do contrato, até porque acreditava nas pessoas. Para minha surpresa, quando entrei de férias, o Anderson me chamou para uma reunião falando que o Botafogo não contava mais comigo para o ano que vem. Me pegou um pouco de surpresa, as pessoas sabem da minha importância ali dentro, mas infelizmente não vai dar para permanecer. Acho que não tem nada a ver com desgaste de torcida, não era o problema. Fico um pouco chateado, acho que não merecia passar por isso, confiei nas pessoas ali dentro, não foram corretos comigo nessa parte. Quando assinei esse termo de contrato, acabei planejando a vida toda, envolve a família, os filhos. Se não quisessem a permanência, eles não me chamariam, e eu seguiria a minha vida. Mas a gente tem que aceitar, não são obrigados a ficar comigo.

20/12/2011 12h13 – Atualizado em 20/12/2011 13h45

Surpreendido, Alessandro desabafa: ‘Dei a cara muitas vezes. Não merecia’

Lateral-direito fala sobre a saída inesperada do clube e condena justificativa do vice de futebol André Silva: ‘Não foi por causa da torcida’

Por Richard SouzaNiterói, RJ

Alessandro não esperava receber um adeus do Botafogo agora. Apesar do término do contrato, havia um termo de compromisso firmado por ele que previa a renovação por mais duas temporadas. A assinatura do presidente Maurício Assumpção, no entanto, não foi para o papel, e o jogador ouviu da diretoria a decisão de dispensá-lo. A relação conturbada com a torcida foi apontada pelo clube como determinante no seu caso.

Na manhã desta terça-feira, o lateral-direito convocou a imprensa para uma entrevista coletiva. No salão de festas do prédio onde vive, em Niterói, falou pela primeira vez sobre a saída do Alvinegro. Mostrou-se surpreso, chateado e contestou a justificativa do clube.

alessandro ex-botafogo coletiva (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)Alessandro se mostrou decepcionado com a diretoria do Botafogo (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)

– Em 16 de outubro, o Anderson (Barros, gerente de futebol) me chamou, queria renovar meu contrato por mais dois anos. Eu assinei esse termo de compromisso, e só faltava a assinatura do presidente. Os dias foram passando, não peguei a cópia do contrato, até porque acreditava nas pessoas. Para minha surpresa, quando entrei de férias, o Anderson me chamou para uma reunião falando que o Botafogo não contava mais comigo para o ano que vem. Me pegou um pouco de surpresa, as pessoas sabem da minha importância ali dentro, mas infelizmente não vai dar para permanecer. Acho que não tem nada a ver com desgaste de torcida, não era o problema. Fico um pouco chateado, acho que não merecia passar por isso, confiei nas pessoas ali dentro, não foram corretos comigo nessa parte. Quando assinei esse termo de contrato, acabei planejando a vida toda, envolve a família, os filhos. Se não quisessem a permanência, eles não me chamariam, e eu seguiria a minha vida. Mas a gente tem que aceitar, não são obrigados a ficar comigo.

“Quando assinei esse termo de contrato, acabei planejando a vida toda, envolve a família, os filhos. Se não quisessem a permanência, eles não me chamariam, e eu seguiria a minha vida”
-Alessandro
Em pouco mais de meia hora de entrevista, Alessandro quase não sorriu. Quando o fez, foi discreto. Sair do clube desta maneira não estava nos planos. De meados de 2007 até o fim de 2011, foram 241 jogos, sendo 206 como titular, e 14 gols. Títulos? Só um. O Carioca de 2010. Críticas? Muitas. Aos 34 anos, sofreu nos últimos tempos com a falta de empatia com os torcedores. Quando a equipe ia mal em campo, era quase sempre o primeiro a ser vaiado.
– Alegaram que havia oposição lá dentro, mas quem manda no clube é o presidente. Eles têm de dizer a razão para vocês (jornalistas). Fico chateado pela maneira como as coisas foram conduzidas. O único que demonstrou que queria que eu ficasse no clube foi o Anderson Barros. O presidente e o vice-presidente não queriam a minha permanência. Vi uma declaração do André Silva dizendo que era por conta da relação com a torcida, mas acho que ele foi infeliz. Não foi a torcida. Terminei o ano bem com a torcida. Saio na rua e encontro torcedores que estão tristes com a minha saída. Dei a cara muitas vezes nos momentos difíceis por ser um dos mais experientes. Não merecia isso. É um momento de tristeza, mas fico feliz por saber o quanto fiz pelo Botafogo.
Alessandro assegura que não está magoado com os dirigentes, mas ao mesmo tempo é crítico. Acha que virou bode expiatório.- Talvez eles (dirigentes) não sejam tão fortes, não estejam tão preparados para superar essa pressão do clube. Creio que estão procurando ver o lado deles também. Com certeza dá um pouco de alívio (a saída do jogador). Talvez minha situação poderia ter sido diferente em caso de vaga na Libertadores ou título. Mas minha permanência não estava condicionada a isso. Isso não estava no meu contrato.
Segundo o lateral, não houve interferência do técnico Oswaldo de Oliveira, que ainda vai assumir o clube, na decisão.- Não tem, não. Até porque meu empresário (Frederico Moraes) tem boa relação com o Oswaldo. Ele conversou com o Oswaldo, que disse que confiava em mim, que contava comigo. Se fosse problema, ele falaria que não queria. Não é problema do treinador.A partir de agora, depois do desabafo, Alessandro vai pensar no futuro. Ele diz que algumas propostas de clubes brasileiros já estão nas mãos do seu empresário. O destino ainda é incerto, mas o ex-camisa 2 alvinegro sai do Bota de cabeça erguida.

– Levo muita coisa positiva. O Botafogo me fez crescer muito na profissão, me fez crescer como jogador, como ser humano. Ninguém queria passar pelo que passei aqui dentro. Superei muita coisa. De negativo, levo os momentos em que me dediquei em campo e os torcedores vaiaram. Isso foi uma coisa que me deixou chateado, mas consegui superar isso. É muito difícil jogar no Botafogo, tem que ter muita personalidade. Nunca deixei de ter, vou levar para o resto da minha vida. Isso eu não vou esquecer, só me deu força para superar as dificuldades.

O jogador conta que pensou em deixar o clube em abril, depois da recepção hostil dos torcedores no Rio com a eliminação precoce da equipe na Copa do Brasil.

– Naquele episódio no aeroporto, cheguei a falar na imprensa que seria meu último ano, que cumpriria meu contrato. Mas as coisas foram mudando, o vento foi soprando a meu favor, a equipe começou bem o Brasileiro, pintou a possibilidade de renovação, fiquei bastante feliz e passei a pensar em encerrar a carreira mesmo no clube. Mas as coisas não deram certo. É levantar a cabeça e vida que segue bola para frente. O Botafogo não será o último clube na minha carreira, não vou parar por causa disso.

alessandro ex-botafogo coletiva (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)
Na saída, Alessandro também comentou o fim de ano melancólico do Botafogo. De candidato ao título, o time encerrou a temporada como único carioca fora da zona de classificação para a Libertadores. Ele negou qualquer tipo de problema de relacionamento entre os jogadores ou do grupo com o ex-técnico Caio Júnior, mas disse que faltou comprometimento de alguns companheiros.- Erramos quando não poderíamos errar, miramos muito o título, tivemos possibilidade de serem líderes várias vezes, mas quando não tínhamos mais chances de conquistar o Brasileiro relaxamos e ficamos até fora dos Libertadores. Alguns jogadores se comprometeram mais, outros menos. Mas isso é de cada um. Precisávamos de mais comprometimento. A gente via jogadores desanimados quando a equipe não podia mais ser campeã. Faltou ânimo, alegria.
Precisávamos de mais comprometimento. A gente via jogadores desanimados quando a equipe não podia mais ser campeã. Faltou ânimo, alegria”
Em vários momentos da entrevista repetiu que fez e deu o melhor pelo clube. Diz que serviu de escudo nos momentos críticos e guarda com carinho especial o único título da passagem por General Severiano.- Vou ficar marcado pelo título carioca que ganhamos em cima do Flamengo. Perdi dois títulos cariocas para o Flamengo (2008 e 2009), mas pelo menos ganhei um. Isso vai ficar marcado para os torcedores que se lembrarem do título de 2010. Vão se lembrar de mim. Não vou agradar a todos, mas me entreguei, dei o máximo. Tive comprometimento nos momentos bons e ruins, procurei dar satisfação aos torcedores, agradeço aos que me apoiaram, que sabiam da minha importância. Agradeço aos que me xingaram (risos), eles me deram força para me superar. Não tenho raiva ou mágoa da torcida do Botafogo. Seria injusto criticar os torcedores do Botafogo. Onde estiver, estarei torcendo pelo clube. Tomara que em 2012 eles possam conseguir os objetivos deles. E, na hora em que o bicho estiver pegando, quero ver o que vão fazer. Até a imprensa vai sentir saudade. Mas podem me ligar que eu atendo (risos).

ICFUT- Solitária, torcedora recebe atletas no CT Rei Pelé e ganha abraço de Ganso

Fonte:globo.com

Dona de casa de 55 anos foi a única torcedora a comparecer no Centro de Treinamento do clube, na manhã desta terça, na volta do Santos pra casa

Se a chegada da delegação do Santos em Guarulhos foi marcada pelo tumulto com cerca de 50 torcedores que aguardavam o vice campeão mundial, o retorno para a Baixada Santista foi um sossego. Apenas cinco jogadores retornaram ao CT Rei Pelé, que, além dos jornalistas, tinha a presença de uma solitária torcedora.

Rosa Bezerra da Luz, de 55 anos, chegou ao Centro de Treinamento do Santos por volta das 7h da manhã. Com a camisa do Peixe e a indignação por não contar com mais torcedores ao seu lado, dona Rosa aguardava a chegada do ônibus do time.

ônibus santos CT desembarque (Foto: Renato Cury / Globoesporte.com)

– Não me conformo. Que torcida é essa? Só faz festa quando o time ganha? O verdadeiro torcedor tem de apoiar o time na derrota ou na vitória – reclamava Rosa, com lágrimas nos olhos.

A torcedora perguntava aos jornalistas o horário em que o ônibus chegaria no CT. Tudo que ela queria era dar um abraço nos jogadores do Peixe.

– Nesse momento, tudo que eles precisam é de um pouco de carinho. Eu vim aqui para isso, e esperava que mais torcedores fizessem o mesmo – comentou.

Apenas cinco jogadores retornaram à baixada: Bruno Rodrigo, Felipe Anderson, Anderson Carvalho, Vladimir e Paulo Henrique Ganso. Os demais atletas deixaram o Aeroporto de Cumbica em carros particulares.

Após quase duas horas de espera, a missão de Dona Rosa foi cumprida com êxito. A torcedora ganhou um abraço de Ganso. O meia agradeceu o carinho dos torcedores.

– Eles sempre nos apoiaram, antes da nossa viagem ao Japão e no retorno. Vamos lutar para em 2012 conquistarmos outros títulos para a fazer a alegria dessa torcida – finalizou

Rosa Bezerra da Luz santos CT (Foto: Renato Cury / Globoesporte.com)

ICFUT- Anzhi confirma acordo com Verdão, e Diego Tardelli está mais próximo

Fonte:globo.com

Técnico e jogador do clube russo, Roberto Carlos diz que proposta de € 4 milhões foi aceita. Único entrave é o salário – diferença é de R$ 100 mil

Há um mês o Palmeiras mantém conversas com o Anzhi-RUS para tentar contratar o atacante Diego Tardelli. Nesta terça-feira, o jogador e técnico Roberto Carlos revelou que o clube russo aceitou uma proposta de € 4 milhões (cerca de R$ 9,6 milhões) feita pelo Verdão, deixando Tardelli muito próximo de vestir a camisa do Verdão em 2012. Agora, tudo só depende do acerto salarial: a diferença entre as propostas de jogador e clube está na casa dos R$ 100 mil.

– Já chegou uma proposta do Palmeiras pelo Diego Tardelli. Nós pedimos 4 milhões de euros e eles chegaram neste valor – informou Roberto Carlos, em entrevista à TV Bandeirantes.

Roberto Carlos   Anzhi Diego Tardelli    (Foto: Divulgação)

O presidente Arnaldo Tirone fez o primeiro contato com os russos na viagem que fez à Europa no mês passado. Na ocasião, consultou o Anzhi e se assustou com os valores pedidos. Depois, com a ajuda de um parceiro investidor, o Palmeiras separou € 5 milhões (R$ 12 milhões) por uma cartada final pelo jogador. Deu certo, e Diego Tardelli deve ser, enfim, o primeiro reforço da lista de 12 enviada pelo técnico Luiz Felipe Scolari à diretoria.

– Eu quero ver ele jogando futebol, precisa voltar a ser feliz. Vamos facilitar. O Palmeiras chegou no valor, pode ser qualquer forma de pagamento. Ele tem propostas de outros clubes, abro as portas para ele jogar onde quiser – assegurou Roberto Carlos.

O Vasco e o Atlético-MG também estão interessados no jogador e aguardam uma definição. De férias, Tardelli disse por meio de seu Twitter que só vai resolver seu futuro depois do dia 23.

ICFUT- River Plate anuncia oficialmente a contratação de Trezeguet

Fonte:globo.com

Em nota, clube confirma apresentação do atacante francês para janeiro, quando fará pré-temporada antes de retomar Segundona argentina

Trezeguet jogará no River Plate em 2012. O anúncio foi feito de forma oficial pelo clube em nota publicada nesta segunda-feira, e o atacante franco-argentino começará a treinar com os jogadores para a disputa das rodadas restantes da Segunda Divisão da Argentina, a partir de janeiro.

trezeguet river plate (Foto: Divulgação/Site Oficial River Plate)

O francês foi aprovado em uma bateria de exames médicos feita no clube e assinará contrato antes de retornar aos Emirados Árabes, onde estava atuando pelo Baniyas – ele rescindiu contrato depois de disputar duas partidas. O jogador, em Buenos Aires desde a última quinta-feira, ainda não decidiu se passará as festas de fim de ano já na Argentina, pois terá de se apresentar no dia 4 de janeiro.

– Está claro que ele estará novamente no Monumental em dia 4 de janeiro, para começar a pré-temporada com seu novo clube e ser apresentado à imprensa como jogador do River, vestindo a camisa pela primeira vez – disse o clube em comunicado.

Trezeguet, de 34 anos e com boa passagem pela Juventus, da Itália, anunciou recentemente o desejo de encerrar a carreira no River, mesmo disputando a Segundona do país – o time atualmente está com 33 pontos, a dois do líder Instituto de Córdoba.

ICFUT- Top 5: os atacantes que mais assustam o ‘Monstro’ Thiago Silva

Fonte:globo.com

Messi e Cristiano Ronaldo encabeçam a lista do zagueiro do Milan

Um monstro geralmente é quem assusta seus adversários, seja por sua força ou por sua postura intimidadora. E é mais ou menos isso que acontece quando Thiago Silva está em campo pelo Milan ou pela Seleção Brasileira. Apontado por muitos como o melhor zagueiro da atualidade, ele costuma levar a melhor, algumas vezes até com certa facilidade, contra atacantes mundo afora.

Há, porém, aqueles que o fazem tremer, ficar um pouco mais preocupado. E o “Monstro” revelou ao GLOBOESPORTE.COM o seu Top 5 de adversários mais difíceis de serem marcados.

Thiago Silva Milan Chievo (Foto: Getty Images)

Tudo bem, a tarefa não foi fácil. Com exceção de Messi, agora bicampeão mundial pelo Barça, e Cristiano Ronaldo, que foram as respostas imediatas, Thiago Silva precisou de um tempo para completar a lista. Confira abaixo:

real madrid x barcelona messi cristiano ronaldo (Foto: EFE)

Messi e Cristiano Ronaldo

“Eles são muito velozes e habilidosos. Não dá para prever o que vão fazer com a bola.”

Samuel Eto'o Anzhi (Foto: Getty Images)

Eto’o

“É um cara também imprevisível. Em um espaço curto, finalizava muito bem. Agora, graças a Deus, não joga mais contra a gente. Faz a diferença com um pedaço do campo.”

adriano corinthians atlético-pr (Foto: Rahel Patrasso / Agência Estado)

Adriano

“Ele tem muita força física. É um cara difícil de ser antecipado. Se deixar encostar em você, ele gira com muita facilidade. Parece que está tirando uma criança da jogada.”

Martin Palermo boca juniors gol river plate (Foto: agência AFP)

Martin Palermo

“Ele é muito parecido com o Adriano. Tem as mesmas características. Quando eu o enfrentei, não era o mesmo de anos atrás, mas a dificuldade era igual. Muito bom no posicionamento na área. Eu pulava para disputar a jogada e ele jogava o corpo em cima. A bola com o lateral indo para a linha de fundo, ele deixava o pé para o zagueiro cair antes do cruzamento. Foi uma dificuldade que eu tive naquela Libertadores (de 2008, pelo Fluminense). No jogo da ida (da semifinal), ele fez muito isso. Eu caí na primeira vez e ele quase fez o gol.”

ICFUT- A todo vapor: à exceção de Brasília, obras de estádios não têm recesso

Fonte:globo.com

Operários da capital nacional cumprem dez dias de paralisação por acordo feito após greve. Nos demais da Copa 2014, serão no máximo duas folgas

Se fim de ano é sinônimo de recesso nos clubes brasileiros e até nas empresas de outros ramos, os operários das obras dos estádios que sediarão a Copa do Mundo 2014 passarão longe deste privilégio. Como parte delas corre contra o tempo para cumprir o cronograma inicial, ficou definido que praticamente não vai haver folga no período. Os fins de semana geralmente são dias descanso para os trabalhadores e, desta vez, coincidem com as datas 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Apenas Brasília foge à regra por completo.

Fotos do Estádio Nacional de Brasília (Foto: Divulgação)

O Estádio Nacional interrompe seu processo de construção nesta quinta-feira e só retoma as atividades no dia 2. O acordo foi feito na época da greve, em outubro, por conta de uma exigência do sindicato, já que há muitos operários que não são da capital e visitarão familiares até fora do estado. Nos demais, os que mais se aproximam disso são Salvador e Fortaleza, que darão um dia antes e um dia depois das datas festivas, sob justificativa semelhante. Na Arena Fonte Nova, o expediente também se encerra mais cedo nos dias 23 e 30, como em Cuiabá, onde em ambas as quintas-feiras os funcionários serão liberados horas antes do usual.

Castelão, Mineirão e Nacional de Brasília são os mais adiantados, tendo ultrapassado 40% do total da obra. Com reforma pequena, a Arena da Baixada se atrasou, mas também se diz tranquila quanto ao prazo. Natal e São Paulo correm.

– Vamos aproveitar esse período de chuvas aqui, e em todo Brasil, para facilitar parte dos trabalhos que necessitam de irrigação. Mesmo que estivéssemos ainda mais avançados, não pararíamos por mais tempo – afirmou o coordenador de comunicação em Cuiabá, Eduardo Ricci, em referência aos mais de 35% de avanço na Arena Pantanal.

Das outras seis arenas com obras em andamento (no Beira-Rio, a parceria entre o Inter e a construtora Andrade Gutierrez foi aprovada semana passada, mas a reforma no estádio só recomeçará em cerca de 30 dias), Curitiba e Natal foram as únicas a não confirmar oficialmente o dado. Mas a tendência é seguirem o mesmo caminho do trabalho a todo vapor. Sobretudo a Arenas das Dunas, a mais comprometida em termos de prazo (menos de 15%).

Vale lembrar, no entanto, que Recife e Salvador ainda pleiteam estar na Copa das Confederações, em junho de 2013, e devem provar à Fifa dentro de seis meses que estarão aptos a entregar o trabalho concluído até três meses antes da competição.

obras arenas das dunas (Foto: Fifa.com)

ICFUT- Dimas faz coro com Gilvan e garante que Montillo só sai por 15 mi de euros

Fonte:globo.com

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, não é o único no clube que pensa em manter o meia Montillo na equipe para as próximas temporadas. O diretor de futebol, Dimas Fonseca, também afirma que uma possível saída do argentino só acontecerá se a Raposa for ressarcida em 15 milhões de euros (aproximadamente R$ 36 milhões). Dimas vai além e diz não acreditar que algum clube brasileiro tenha condições de pagar o que foi pedido pelos direitos econômicos do atleta.

– Hoje, quando acordei, vi uma matéria de que eu estaria insistindo para vender o Montillo. Não existe isso. Acho até que dificilmente um clube do Brasil vá pagar os quinze milhões de euros. Não porque eu acho que ele não valha, mas pelo atual momento econômico do Brasil – analisou.

Dimas Fonseca Cruzeiro (Foto: Valeska Silva / Globoesporte.com)

O ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella já havia declarado ser a favor da venda de Montillo por um valor inferior aos 15 milhões, mas o atual mandatário não abre mão do valor total, uma vez que teme ser criticado logo em seu primeiro mês como dirigente máximo do clube.

– O doutor Gilvan de Pinho Tavares está certo. Ninguém melhor do que você mesmo para valorizar o seu produto.

Dimas não poupou críticas a Sérgio Irrigoitia, procurador do jogador, que vem negociando com Corinthians e São Paulo.

– Já fiz várias críticas ao Irrigoitia, que é o procurador do jogador. Acho que ele errou muito e continua errando, dizendo que o jogador quer se mudar para São Paulo, que o valor que o Cruzeiro pede não é real. Se eu tivesse interessado na venda do jogador por menos de 15 milhões de euros, não estaria debatendo e criticando o procurador do jogador como venho fazendo nestes últimos dias. Agora, caso apareça o montante dos quinze milhões de euros estipulados pelo ex-presidente Zezé Perrella e mantidos pelo Gilvan, não irei me opor.

Dimas revelou que o Cruzeiro já rechaçou a proposta inicial do Corinthians, de 8 milhões de euros (cerca de R$ 19,2 milhões), e do São Paulo, que ofereceu cerca de 10 milhões de euros (aproximadamente R$ 24 milhões) e mais o empréstimo de três jogadores do clube paulista, exceto Rogério Ceni, Lucas e Luís Fabiano.

montillo cruzeiro x avaí (Foto: Agência Estado)