ICFUT–É penta! Timão segura o empate com o Verdão e confirma título brasileiro

Fonte: lancenet

MANCHETE-CORINTHIANS-Fotos-Eduardo-Viana_LANIMA20111204_0125_1

Em clássico tenso, disputado, Corinthians segura empate sem gols na raça e confirma o título brasileiro. Até o Fla ajudou

Corinthians x Palmeiras - Homenagem ao Sócrates (Foto: Eduardo Viana) Jogadores fizeram homenagem a Sócrates no minuto de silêncio (Foto: Eduardo Viana)

Nação corintiana, pode comemorar! O grito engasgado na garganta desde o último fim de semana, o grito que não era ouvido pelas ruas de São Paulo desde 2005, agora ecoa no país inteiro: o Corinthians é campeão brasileiro! Ou melhor, pentacampeão (1990, 1998, 1999, 2005 e 2011)! Se a esperada vitória sobre o arquirrival não veio para coroar o título, não fez diferença no final… Um empate sem gols deste domingo, no Pacaembu, foi o bastante para o Corinthians dar a volta olímpica em cima do Palmeiras.

As homenagens e o minuto de silêncio a Sócrates, eterno ídolo corintiano morto neste domingo, de braços levatandos, embalaram os 11 guerreiros que subiram ao gramado do Pacaembu sem atraso, cientes de que a glória dependia só de si. Se o momento político do clube já não se assemelha em nada à Democracia do início dos anos 1980, em campo – o futebol regular mostrado durante a competição e a conquista – fariam o Doutor dizer que está à altura da história que ele ajudou a construir.

Os olhos estavam vidrados no gramado do Pacaembu, mas os ouvidos grudados no rádio de pilha traziam boas e más notícias do Engenhão. O Palmeiras dominou o primeiro tempo e a tensão tomou conta. Nada que pudesse atrapalhar a festa. Um empate era o bastante, e o Timão jogou pelo empate…

O empate que garantiu o emprego de Tite, quase demitido diversas vezes e agora na seleta lista de técnicos campeões. O empate que garantiu o título – pela primeira vez em 101 anos de história, o Corinthians tem mais títulos brasileiros que o arquirrival (nos nacionais, Verdão leva vantagem com oito). Um empate que, no Engenhão, deu o título ao Timão antes do apito final – com 71 pontos. E que "vingou" o título palmeirense em 1994, em cima do mesmo Palmeiras, no mesmo Estádio.

Expulso, Valdivia mais uma vez decepcionou em um clássico contra o arquirrival. A 11ª colocação, intermediária, foi justa para uma equipe que brigou até o último minuto, mas que foi só coadjuvante na temporada. Perdeu a chance de decidir… Aos mais de 30 mil torcedores corintianos no Pacaembu, somados aos milhões pelo Brasil, o trauma de 2010 foi superado: Timão é campeão! Uma pena o disputado Dérbi terminar com provocações e expulsões. Mas, sem isso, não seria Palmeiras x Corinthians…

DOMÍNIO ALVIVERDE!

O clássico começou quente. Muito quente. Em menos de cinco minutos, as cinco faltas e um cartão amarelo mostrado no Pacaembu – para Patrik – representavam bem a tensão e a responsabilidade que recaía sobre as duas equipes. Ainda assim, o ritmo lento era ditado pelo Corinthians – o empate já estava bom. Pelas laterais, no entanto, o Verdão logo encontrou o caminho.

Aos poucos o Palmeiras foi se soltando, prendeu mais a bola em seu campo ofensivo e passou a levar perigo, como aos 16 minutos. Marcos Assunção lançou com capricho para Patrik na direita, mas o meia se apressou: arriscou de primeira e mandou à esquerda do gol defendido pro Julio Cesar. Foi o bastante para tirar o fôlego das duas torcidas. Na verdade, três: também a do Vasco, que abria o placar no Engenhão.

O empate ainda dava o título ao Timão, mas o Palmeiras jogava tranquilo, no campo de ataque – o destino do Brasileirão, naquele momento, estava em suas mãos. Sustos mesmo, entretanto, só foram dois, já nos últimos minutos: um para cada equipe. Aos 40, Cicinho chutou rasteiro e a bola desviou em Leandro Amaro, dentro da pequena área. De terceiro reserva da zaga alviverde, ele quase terminou o ano como herói.

Aos 44, o troco alvinegro: Alessandro fez boa jogada e tocou para Willian. O atacante preferiu cair pedindo pênalti, e Liedson chutou prensado, para fora. E a primeira etapa acabou sem nenhuma finalização certa, mas com a promessa de um segundo tempo ainda mais emocionante.

A CONSAGRAÇÃO!

Dito e feito! A segunda etapa começou como se fosse outro jogo no Pacaembu. O Corinthians, finalmente, mostrava ímpeto de campeão e invertia os papéis do primeiro tempo: marcava bem e atordoava o Verdão no campo de defesa. Mas Valdivia sabia que o ano não foi dos melhores, que devia à sua torcida. Estava determinado a definir o Dérbi. Só não esperava que fosse negativamente…

Aos dois minutos de bola rolando, o Mago dividiu bola com Jorge Henrique e foi imprudente: deixou o braço na cara do atacante adversário. Nessa hora, reclamação não adianta: o meia foi expulso. Ao mesmo tempo, o radinho de pilha avisou: gol de empate do Flamengo no Engenhão. Não adiantava, os deuses do futebol pareciam ter escolhido o novo dono da taça. Prendendo a bola no campo de defesa e cozinhando o resultado, o Corinthians estava ciente disso.

Felipão tentou escalar João Vitor e Fernandão para reequilibrar a partida, já que jogava com um a menos. Com Márcio Araújo na lateral, o Palmeiras passou a sair mais, não sentiu falta de Valdivia. Deola só foi trabalhar aos 19 minutos, quando Liedson fez boa jogada, passou por Gerley e o goleiro afastou no tapa. Mas o Palmeiras cresceu e saiu para o jogo mesmo assim.

Aos 26 minutos, Marcos Assunção cruzou na grande área com perigo, Fernandão desviou de cabeça e bola explodiu na trave. No rebote, Luan tentou o chute e bola vai para fora. Talvez a melhor chance da partida, talvez o que tenha tirado o calmo Wallace do sério. No lance seguinte, o zagueiro improvisado no meio acertou Maikon Leite e levou o vermelho. A esta altura, eram dez contra dez.

Os ânimos ficaram mais exaltados, os jogadores do Corinthians sentiam o título chegando e pareciam desesperados, querendo acelerar o relógio. Um gol bem anulado do Palmeiras, marcado por Henrique, só aumentou a tensão. Mas a torcida já fazia a festa, o grito de "é campeão" era inevitável, o resultado no Engenhão ajudava. Tudo ajudava. Só foi preciso segurar o resultado para confirmar. Uma pena que Jorge Henrique resolveu provocar e a briga começou. Este, era evitpavel…

João Vitor e Castán foram expulsos, Luan e Jorge Henrique trocaram agressões e deram sorte em terminarem a partida no campo. Um pimenta a mais… Foi difícil, sofrido, suado… Realmente, o Corinthians é campeão!

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 0 X 0 PALMEIRAS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 4/12/2011 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)
Renda e público: R$ 1.326.367,00 / 36.708 pagantes
Cartões amarelos: Alex, Jorge Henrique, Alessandro, Chicão (COR); Patrik, Leandro Amaro, João Vitor (PAL)
Cartões vermelhos: Wallace, 28’/2ºT e Leandro Castán, 45’/2ºT (COR); Valdivia, 2’/2ºT e João Vitor, 45’/2ºT (PAL)
GOLS:

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Wallace, Paulinho, Alex, Jorge Henrique (Moradei, 48’/2ºT), Willian (Chicão, 30’/2ºT) e Liedson (Edenílson, 40’/2ºT). Técnico: Tite.

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (Maikon Leite, 25’/2ºT), Leandro Amaro, Henrique e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Valdivia, Patrik (João Vitor, 8’/2ºT), Luan e Ricardo Bueno (Fernandão, 12’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Jogos 04/12/2011

 

04/12/2011 (Dom) Botafogo-RJ x Fluminense Raulino de Oliveira
04/12/2011 (Dom) Vasco x Flamengo Engenhão
04/12/2011 (Dom) Avaí x Figueirense Ressacada
04/12/2011 (Dom) Corinthians x Palmeiras Pacaembu
04/12/2011 (Dom) São Paulo x Santos Romildo Vitor G.Ferreira
04/12/2011 (Dom) Internacional-RS x Grêmio Beira Rio
04/12/2011 (Dom) Cruzeiro x Atlético-MG Arena do Jacaré
04/12/2011 (Dom) Atlético-GO x América-MG Serra Dourada
04/12/2011 (Dom) Atlético-PR x Coritiba Arena da Baixada
04/12/2011 (Dom) Bahia x Ceará Pituaçu

ICFUT – Após terceira internação, ex-jogador Sócrates morre em São Paulo

Fonte: globo

Ex-atleta não resiste a consequências de um choque séptico sofrido na última quinta-feira e falece na madrugada deste domingo

O ex-jogador Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa Vieira de Oliveira morreu às 4h30m da madrugada deste domingo, em consequência a um choque séptico, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele tinha 57 anos e era pai de seis filhos.

O corpo de Sócrates deve chegar por volta de 13h30m deste domingo a Riberão Preto, cidade onde cresceu, para ser velado. O enterro deve ocorrer às 17h no cemitério Bom Pastor.

Sócrates estava internado deste quinta-feira à noite, depois de ter se sentido mal durante o jantar. O quadro clínico dele chegou a apresentar leve melhora neste sábado, graças a um antibiótico mais potente, que fez regredir o quadro de infecção intestinal. Mas os médicos já vinham alertando que o caso dele era grave. Sócrates estava sedado na UTI, respirando por aparelhos e passando por tratamento dialítico, que consiste na remoção do excesso de líquidos e substâncias prejudiciais acumuladas no organismo do paciente renal crônico. A expectativa era que ele permanecesse em observação por pelo menos 72 horas.

O ex-jogador foi internado na noite de quinta-feira com uma infecção intestinal causada por uma bactéria. Ele começou a se sentir mal depois de comer estrogonofe no jantar. Não foi confirmado pelos médicos, porém, que tenha sido essa a causa da internação.

Esta tinha sido a terceira internação de Sócrates nos últimos quatro meses. As duas internações anteriores foram para tratar de uma hemorragia digestiva, causada pelo consumo prolongado de álcool.

A última internação havia sido em setembro. Foram 17 dias no hospital. Com o fígado comprometido, a expectativa na época era de que ele precisaria se reabilitar em casa, seguindo uma dieta rigorosa, para entrar na fila por um transplante. Para isso, porém, era preciso que seu quadro clínico ficasse estável por alguns meses.

A primeira vez que ele foi hospitalizado ocorreu no dia 19 de agosto, quando sofreu uma hemorragia digestiva alta. Na ocasião, ele recebeu alta após nove dias.

Sócrates começou a carreira de jogador no Botafogo, de Ribeirão Preto, foi contratado pelo Corinthians no fim da década de 70 e vendido para Fiorentina, da Itália, nos anos 80. Também jogou no Flamengo e no Santos e pela Seleção Brasileira.

ICFUT – Vitória anuncia técnico Toninho Cerezo para 2012

Fonte: ig

Treinador já teve passagem pelo clube baiano em 1999, quando levou o time à semifinal do Brasileiro

Foto: Gazeta Press

Última passagem de Cerezo pelo futebol brasileiro foi no comando do Sport em 2010

A diretoria do Vitória acabou com o mistério e anunciou o seu novo treinador para a temporada de 2012. O escolhido é Toninho Cerezo, que tem como seu último trabalho uma passagem rápida pelo Sport, em 2010. Ele será apresentado no próximo dia 12, quando dará início à fase de preparação visando o Campeonato Baiano.

Cerezo vai ocupar a vaga que era de Vágner Benazzi. O treinador deixou o clube após não conseguir o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Aos 56 anos, essa será a segunda vez que Toninho Cerezo irá comandar o time baiano. Em 1999, ele esteve no Barradão e levou o Vitória à semifinal do Brasileirão.

No mês passado, Cerezo foi apresentado por um representante da Sampdoria, da Itália, como observador para o Brasil e para a Ásia. Inclusive esteve cotado para assumir um clube no Irã, mas negou o convite por ser por apenas seis meses.

Pela seleção brasileira, ainda como jogador, Cerezo participou das Copas de 1978 (na Argentina) e 1982 (na Espanha). Em 1986 ele foi novamente convocado por Telê Santana para o Mundial no México, mas, contundido, deu lugar a Zico. Além da seleção, ele passou por Atlético-MG, Cruzeiro e São Paulo, além de Roma e Sampdoria, na Itália.

Pela Sampdoria, Cerezo foi anunciado no início de novembro como observador do time. O Vitória, porém, não explicou se seu novo treinador abdicou da função para assumir o clube baiano.

ICFUT – Luis Álvaro é reeleito com folga e segue na presidência do Santos

Fonte: gazetaesportiva.net

Eleito presidente do Santos em dezembro de 2009, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro vai permanecer no cargo até 2014. Nas eleições deste sábado, ele derrotou o oposicionista Reinaldo Guerreiro, da chapa "Santos Sempre Santos", com muita folga: dos 3.889 votos registrados, 3.365 (87% dos votos válidos) foram para o atual mandatário e apenas 503 (13%) para seu adversário. Doze associados votaram em branco e outros nove anularam.

A porcentagem dá todas as cadeiras do Conselho Deliberativo do Peixe à chapa "Crescendo 100 Parar", liderada por Luis Álvaro, que ganhou popularidade por causa dos títulos conquistados e pela manutenção de Neymar na Vila Belmiro.

O clima da votação foi tranquilo, ao contrário dos últimos pleitos. Além do Salão de Mármore da Vila Belmiro, desta vez os associados puderam votar também na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), em São Paulo, onde a vitória de Luis Álvaro também foi esmagadora: 838 votos contra 32 de Guerreiro.

Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro vai continuar na presidência do Santos pelos próximos três anos

Aos 68 anos, o presidente foi responsável pela engenharia financeira que trouxe Robinho de volta ao clube no início do ano passado para conquistar os títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil ao lado de Neymar e Ganso, que acabavam de explodir no futebol.

A pior fase do time na gestão de "Laor" foi no segundo semestre de 2010. Com Robinho de volta ao Milan, ele precisou agir para resolver um atrito entre Neymar e Dorival Júnior e acabou optando por demitir o treinador. Adilson Batista foi contratado e não conseguiu ter resultados no início desta temporada. Foi aí que Muricy Ramalho veio para colocar o Peixe de novo nos trilhos e conquistar outra vez o Paulistão, além da Libertadores.

Luis Álvaro se notabiliza pelo esforço em manter no Brasil seus maiores craques. Neymar reformou seu contrato recentemente e garante que ficará no Peixe até meados de 2014. Ganso, por sua vez, ainda negocia a ampliação de seu vínculo.