Por Cleber Aguiar – Marcos é liberado por médico para enfrentar o Corinthians

Fonte: Folha Online

LUIZ COSENZO
DE SÃO PAULO

O médico do Palmeiras Rubens Sampaio afirmou nesta sexta-feira que o goleiro Marcos está liberado para enfrentar o Corinthians, domingo, às 17h, no Pacaembu, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

“Do ponto de vista médico o Marcos está liberado para jogar. Ele está treinando dentro daquela programação que foi feita no início do ano”, disse o médico Rubens Sampaio à Folha.

“Agora a decisão do Marcos jogar é uma questão pessoal dele. Ele vai definir com o Felipão e o Pracidelli [preparador de goleiros]. Eles já conversaram nesta semana”, contou.

Juca Varella-28.out.11/Folhapress
Marcos faz defesa em treino do Palmeiras; clique na foto e veja imagens da carreira do goleiro
Marcos faz defesa em treino do Palmeiras; clique na foto e veja imagens da carreira do goleiro

Marcos está sem jogar desde o dia 30 de setembro, quando o Palmeiras empatou com o Avaí por 1 a 1, fora de casa. Com isso, o goleiro desfalcou o time alviverde nos últimos 13 jogos.

“Acredito que o Marcos não vá jogar, já que é um jogo dessa magnitude e tem toda a circunstância que envolve a partida”, opinou Rubens Sampaio.

O técnico Luiz Felipe Scolari ainda não comentou sobre a possibilidade de usar o goleiro no clássico. Há 15 dias, o treinador havia declarado que não existia previsão para o camisa 12 retornar, mas que dependia apenas dele.

Marcos tem contrato com o Palmeiras até o final do ano. Ele já manifestou o desejo de renovar o contrato com o clube por um salário simbólico para fazer uma partida de despedida decente com a camisa do time do Parque Antarctica.

Com 70 pontos, o Corinthians precisa de apenas um empate para conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Caso perca do rival, a equipe do Parque São Jorge precisa torcer para o Vasco não vencer o Flamengo.

Fotomontagem
Marcos comemora título da Libertadores e da Série B do Brasileiro; clique na foto e veja mais

 

Por Cleber Aguiar – Amigas escrevem ‘cartinha’ de 1km para Neymar. Craque agradece

Fonte: O Estado de São Paulo

É porque nós amamos ele’, dizem as ‘neymarzetes’ para justificar tamanha devoção. Atacante brinca com o peso da carta recebida

Serão cerca de 24 horas de voo de São Paulo até Nagoya, no Japão, onde o Santos ficará concentrado para a estreia do Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro. Tempo suficiente para o atacante Neymar ler uma “cartinha” especial que recebeu de três fãs.

As amigas Amanda Gomes da Silva, Larissa dos Santos Mestre da Silva e Bianca da Silva Santos Ramos, “neymarzetes” assumidas, passaram sete meses escrevendo – começaram em abril. A paixão pelo astro alvinegro é tanta que a carta alcançou 1 km de extensão.

neymar santos carta (Foto: Adilson Barros/Globoesporte.com)Neymar exibe o presente: uma carta de um quilômetro (Foto: Adilson Barros/Globoesporte.com)

E o esforço valeu a pena. Elas tiveram a chance de visitar o ídolo, no CT Rei Pelé, para entregar o presente. No momento em que o jogador se aproximou, as meninas não conseguiram se segurar e caíram no choro.

– Ah, chorar não pode! É um momento de alegria, né? – disse o craque, abraçando e beijando o trio.

Elas explicaram que, no início, eram quatro amigas, mas uma desistiu no meio do caminho, pois não acreditava que, um dia, elas poderiam estar ali, frente a frente com Neymar. À pergunta sobre o motivo de tanto esforço, elas responderam de primeira e ao mesmo tempo:

– Porque nós amamos ele…

neymar santos carta (Foto: Adilson Barros/Globoesporte.com)Neymar posa ao lado de fãs que tiveram a ideia de fazer o presente (Foto: Adilson Barros/Globoesporte.com)

Neymar riu, agradeceu o carinho e elogiou a iniciativa.

– Sua amiga desistiu, mas vocês continuaram atrás do sonho. É assim que tem de ser mesmo.

Em seguida, o craque posou para foto com as fãs e com a carta gigante.

– É tão pesada que dá para fazer musculação. Olha o bracinho…

 

Por Cleber aguiar – Entrevista co meia Alex do Corinthians.

Fonte: O Estado de São Paulo

‘Sem hipocrisia, de 0 a 10 a chance de título é 9’, afirma Alex

Meia se diz pronto para momento decisivo e garante que time saberá suprir ausências

Fábio Hecico e Vitor Marques – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – O meia Alex não mediu palavras para falar da possibilidade de o Corinthians ser campeão brasileiro domingo. “De zero a dez, a chance é nove. Não podemos ser hipócritas”, disse o jogador, em entrevista exclusiva ao Estado nesta quinta-feira, no CT. Na ausência de Danilo, ele será titular e o principal articulador da equipe, e garantiu estar preparado para a missão. “Estou bem fisicamente e com a confiança em alta.”

Alex titular e o principal articulador do Corinthians - Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE
Alex titular e o principal articulador do Corinthians

O Corinthians é o favorito para vencer o Palmeiras?
Não digo isso porque, em clássico, zera tudo. Acontece que existe essa atmosfera de que somos favoritos porque o Corinthians está brigando pelo título e porque fizemos um campeonato melhor do que o deles. Mas, no primeiro turno, estávamos na frente e perdemos. Já disputei muitos clássicos e tudo se iguala.

Mas qual é, em sua opinião, a chance de campeão?
De zero a dez, é nove, vamos por dessa forma. Não tem como ser menos que isso e não podemos ser hipócritas de falar que a chance é menor que isso. Mas só a chance não adianta, temos de fazer por merecer.

O Felipão disse que o Corinthians não precisa se preocupar porque já é o campeão. O que acha que ele quis dizer com isso? É mais um artimanha dele?
Não sei o que ele quis dizer com isso. Talvez por tudo que as pessoas acompanham da gente acham que dificilmente não vamos apresentar um alto padrão de jogo. O problema é que não podemos achar que já está tudo ganho e jogarmos de qualquer maneira. Assim, eles (Palmeiras) podem nos vencer e, vai que o Vasco vence, aí se perde um título na última rodada. Nada do que venha de fora vai abalar nosso time.

Você buscaria motivação para derrotar um rival?
Perder clássico não é bom em momento algum e isso naturalmente motiva, por isso é um campeonato à parte. É um jogo diferente do outros, a repercussão é diferente. Se a motivação é só no sentido de atrapalhar, não digo (que me motivaria), mas, no sentido de vencer o adversário, a motivação fica mais aguçada.

De que maneira o Corinthians deve jogar a decisão?
Temos de fazer nosso jogo, que não é o de querer marcar tantos gols. Buscamos o equilíbrio. Não vamos mudar nossas características agora. Jogando em casa, precisamos ser agressivos, o suficiente para buscar o gol o quanto antes. Isso nos dará uma tranquilidade maior.

O caminho, então, não é segurar o jogo, valorizando um empate que já é suficiente para ser campeão?
A gente nem deve tentar segurar o jogo, a menos que aconteça de uma maneira natural, que aconteça algo que a gente não espera. Tipo um lance de perigo do adversário e você acaba ficando retraído. Não dá para a gente ficar jogando atrás noventa minutos, é muito tempo para você se defender. Temos de buscar a uma vantagem logo.

É complicado sair atrás do placar, principalmente sabendo que o Vasco está jogando no mesmo horário?
Já aconteceu isso com a gente, e conseguimos várias viradas. Mas, quando se toma um gol, gera uma desconfiança, e aí você vai ter de correr atrás do placar com essa agonia de saber como está o outro jogo. Sair perdendo não é o ideal, mas, se acontecer, estamos preparados.

Você quer ficar sabendo a todo o momento o placar do jogo do Vasco?
A todo momento não. Se puder evitar as informações, principalmente no primeiro tempo, é melhor. É uma situação difícil você jogar e, ao mesmo tempo, prestar atenção em outro jogo. O que não pode é mudar o foco e acabar se preocupando mais com o outro jogo do que com o seu. Só depende da gente para sermos campeões. Não depende do outro resultado. Não precisamos ganhar aqui e esperar a derrota do Vasco.

Como vocês controlaram a frustação de ser quase campeão em Florianópolis?
Foi frustrante. Ficamos muito perto e restou aquele saborzinho amargo. Poderia ter sido ali, mas não foi. Foram longos minutos dentro campo. Aquela coisa de você querer comemorar e não poder. Ser campeão e ao mesmo tempo não ser. Ainda bem que agora, se fizermos nossa parte, seremos campeões. Isso (essa agonia) não vai acontecer de novo.

Como o time vai suprir as ausências de Danilo, Ralf e agora Emerson, punido pelo STJD?
Todos vão fazer falta, porque são experientes e prontos para esse tipo momento. Sem eles, o time vai se virar com o que tem, e o que a gente tem é de qualidade, como já mostramos ao longo do campeonato.

Chegou a hora do Alex?
Um momento melhor que esse é impossível. Para mim e para todo o time. A gente vem numa crescente nesse momento de decisão. Estou bem fisicamente, recuperado de lesão, e com a confiança em alta. É só esperar a hora do jogo.