Por Cleber Aguiar – Sem Éder Luis e Diego Souza, Vasco joga semi da Sul-Americana

Fonte: Folha Online

Sem dois titulares, o Vasco tentará manter a invencibilidade de quase cinco meses em São Januário diante do Universidad de Chile, hoje, pela primeira semifinal da Copa Sul-Americana.

O time carioca não contará com Éder Luis e Diego Souza. O primeiro sofreu fratura no pé e está fora da equipe nesta temporada, incluindo o Brasileiro. Já Diego terá que cumprir suspensão.

O técnico Cristóvão Borges não anunciou ontem os substitutos dos titulares. Bernardo, que brigou na segunda com o argentino Chaparro em treino, deve jogar. Já Leandro é o mais cotado para entrar no lugar de Diego Souza.

A última derrota vascaína em São Januário foi no dia 29 de junho, quando o Cruzeiro ganhou dos cariocas, placar de 3 a 0. Desde então, o time do Rio acumula 15 partidas invicto. Em 2011, o Vasco só perdeu dois jogos no seu estádio em 32 confrontos, com 21 vitórias e nove empates.

“O Universidad é um time muito interessante. Eles pretendem fazer algumas coisas bem parecida com o Barcelona. Por isso, temos que estudar bastante o adversário”, disse o treinador vascaíno.

A equipe chilena está invicta há 28 partidas.

Apesar da boa fase da equipe neste ano, os torcedores não se mostraram muito animados com a partida contra os chilenos –foram vendidos 7.147 ingressos ontem até o fechamento das bilheterias.

NA TV
Vasco x Universidad
21h50 Globo (menos SP), Band e Sportv

André Portugal/Divulgação/Fotocom.net
O técnico Cristóvão Borges, em treinamento do Vasco
O técnico Cristóvão Borges, em treinamento do Vasco

 

Por Cleber Aguiar – Na bronca com Alex Silva, torcida do Flamengo cobra reunião em CT

Fonte: Portal Terra

Alex Silva fez críticas à postura da torcida do Flamengo no Brasileiro. Foto: André Portugal/Vipcomm/Divulgação

Alex Silva fez críticas à postura da torcida do Flamengo no Brasileiro

Seis representantes das duas maiores organizadas do Flamengo, vestidos com as camisas de suas torcidas, foram até a entrada do Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande, nesta quarta-feira, à espera de uma reunião com os jogadores do time rubro-negro.

Membros das torcidas Raça Rubro-Negra e Torcida Jovem Fla, liderados por José Carlos Peruano, aguardaram, de forma pacífica e ordeira, autorização para entrada no CT. Segundo Peruano, a reunião já estava marcada, faltando apenas que o acesso aos atletas seja liberado.

Segundo Peruano, o encontro tinha o objetivo de que os jogadores esclareçam quais são os problemas que têm levado a equipe, seguidamente, a atuar tão abaixo das expectativas. O principal alvo dos torcedores é o zagueiro Alex Silva. Após o empate sem gols com o Atlético-GO, em Goiânia, na última rodada, Alex causou mal-estar ao criticar as vaias recebidas pelo time.

“Se não vai no amor, vai na dor. Queremos conversar com eles e saber o que está acontecendo. Alex Silva andou falando bastante. Ele não tem currículo para falar do Flamengo”, declarou Peruano.

 

Por Cleber Aguiar – Caçula, Santos FC conquista a Liga de Futsal, o “Brasileiro” da modalidade

Fonte: Santosfc.com.br

Arnaldo Hase

Nos pênaltis, Santos FC levanta taça inédita da Liga Futsal. Clique na imagem e veja mais fotos!

O Santos FC conquistou na noite desta terça-feira a Liga Nacional de Futsal, o torneio mais importante da modalidade no Brasil, em um jogo que serviu para testar o coração dos quase 4 mil santistas que lotaram a Arena Santos e de outros  milhões que acompanharam a partida de longe.

O primeiro time paulista a conquistar o ‘Brasileirão’ do Futsal teve que suar demais para vencer o forte Carlos Barbosa, um dos maiores vencedores do Futsal recente no País. E suar dobrado, pois o vinha com desfalques importantes: Falcão, expulso no primeiro jogo da final, Jé e Jackson, machucados. Para muitos, parecia impossível. Mas aqui é Santos, terra de campeões e reis,  onde impossível é duvidar da tradição do nosso time.

No tempo normal, 3 x 2. Neto, Pixote e Deives marcaram os gols da vitória que não encerrariam a noite: era preciso vencer os dois tempos de 20 para conseguir chegar à prorrogação, em dois tempos de dez. O Santos chegou e disputou uma prorrogação nervosa, truncada, onde o gol parecia que poderia sair a qualquer momento em qualquer detalhe. Mas não saiu.

Vieram os pênaltis e a entrada do goleiro Paulo Victor, torcedor do Santos, especialista em penalidade. E logo de cara ele defendeu o primeiro! O Peixe, no entanto, desperdiçou um e a série de cinco pênaltis terminou empatada em 4 x 4. Vieram os alternados. 5 a 5, 6 a 6, 7 a… Paulo Victor novamente brilhou para deixar o Carlos Barbosa com 6 e fazer a torcida explodir na Arena Santos.

O antes
O Santos havia perdido o primeiro jogo, em Carlos Barbosa (RS), por 4 x 3. A partida foi marcada pela polêmica e por erros de arbitragem, que culminaram na expulsão do melhor atleta do mundo já após o fim do jogo. Como recuperar um time que já tinha desfalques sérios como Jé e Jackson? Com união, confiança e cuidado com os mínimos detalhes. Para o técnico multi-campeão Fernando Ferretti, acostumado a decisões, uma missão difícil, mas plenamente alcançável.

Na segunda-feira, o elenco se concentrou no CT Rei Pelé para a grande final. Nesta terça, uma palestra motivacional com o técnico Muricy, os craques Neymar e Elano e o presidente Luis Alvaro. Tudo junto a uma preparação minuciosa que recuperou psicologicamente os atletas e manteve mais aceso do que nunca o espírito campeão, característica maior do time experiente montado pelo Peixe.

E se a final foi dramática, também serviu para mostrar que apesar de ter o melhor atleta de todos os tempos do futsal em seu time, o mago Falcão, o Peixe tem, acima de tudo, um elenco campeão.

E o melhor é que a história do Futsal santista está só começando.

Por Cleber Aguiar – Os salários dos treinadores das Seleções Sulamericana.

Fonte: Only Esportes

Mano Menezes é o técnico de seleção mais bem pago da América Latina

O jornal boliviano El Mundo divulgou na última semana a lista dos dez técnicos de seleções sul-americanas mais bem pagos. O brasileiro, Mano Menezes, é de longe o técnico com o maior salário da América do Sul.

Apesar de treinar a segunda maior potência do futebol latino, o técnico da seleção argentina, Alejandro Sabella, é o quinto comandante mais bem pago, ficando atrás de Cláudio Borghi (Chile), Óscar Tabárez (Uruguai) e Sérgio Markárian (Peru).

Confira a lista dos dez treinadores de seleções mais bem pagos da América Latina:

1. Mano Menezes (Brasil): 180 mil dólares (R$ 320 mil
2. Cláudio Borghi (Chile): 125 mil dólares (R$ 221 mil)
3. Óscar Tabárez (Uruguai): 100 mil dólares (R$ 177 mil)
4. Sergio Markarián (Peru): 63 mil dólares (R$ 111 mil)
5. Alejandro Sabella (Argentina): 50 mil dólares (R$ 88 mil)
6. Reinaldo Rueda (Equador): 45 mil dólares (R$ 80 mil)
6. Francisco Arce (Paraguai): 45 mil dólares (R$ 80 mil)
8. Leonel Álvarez (Colômbia): 30 mil dólares (R$ 53 mil)
9. Gustavo Quinteros (Bolívia): 18 mil dólares (R$ 32 mil)
10. César Farias (Venezuela): 10 mil dólares (R$ 18 mil)

Escrito por Marcelo Fuccio

Por Cleber Aguiar – Luis Alvaro Presidente do Santos FC ” Não a Ronaldo ” – PARA SEGURAR SEU MAIOR CRAQUE NO BRASIL, PRESIDENTE DO SANTOS CONTA QUE ENFRENTOU ATÉ O EX-JOGADOR, QUE ‘VIROU EMPRESÁRIO

Fonte: Folha de São Paulo

Ronaldo fez oferta por Neymar em nome do Real

ENTREVISTA LUIS ALVARO DE OLIVEIRA RIBEIRO

PARA SEGURAR SEU MAIOR CRAQUE NO BRASIL, PRESIDENTE DO SANTOS CONTA QUE ENFRENTOU ATÉ O EX-JOGADOR, QUE ‘VIROU EMPRESÁRIO’

LEONARDO LOURENÇO
DE SÃO PAULO

O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, 68, disse que Ronaldo trabalhou ativamente para tirar Neymar do Brasil. Em entrevista à Folha, anteontem, o cartola afirmou que o ex-jogador fez uma proposta em nome do Real Madrid.

“Ele virou empresário”, declarou Luiz Alvaro. “Naturalmente, ele queria ganhar dinheiro, está em seu direito.”

Para convencer Neymar a ficar, o cartola reformulou seu contrato: agora, o atacante ficará com 90% dos ganhos de publicidade, o que pode fazer seus vencimentos ultrapassarem os R$ 2 milhões.

E usou de retórica. “Ele joga no clube em que cresceu e ama, junto da avó, dos pais, do filho. Para que trocar isso por um Real Madrid com um técnico temperamental? Há o risco de mandarem o Neymar cortar o cabelo, de exigirem que ele tenha que defender, que não possa driblar. Aqui ele joga como quer.”

Folha – Como foram os últimos meses com a investida europeia sobre o Neymar?

Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro – Começou em junho, durante a despedida do Ronaldo [amistoso da seleção ante a Romênia, no Pacaembu]. O Sandro Rosell, presidente do Barcelona, me procurou. Depois, ainda em junho, uma pessoa, que eu prefiro não dizer quem foi, trouxe a proposta do Real Madrid. As pressões eram muito grandes, o dinheiro que se oferecia ao jogador era monstruoso. E quanto mais eu dizia não, maior era o apetite.

Como o Santos resistiu?

Eu tinha que criar um diferencial competitivo para fazer face a um dinheiro que eu não tinha. Nós tínhamos que criar uma situação que fosse suportável pelo Santos e atraente para o jogador. E, dentro do nosso grupo de gestão, existiam membros mais conservadores.

Como os convenceu?

Não foi nenhuma decisão técnica. O motor disso tudo foi uma convicção de que os intangíveis que o Santos conquistaria com a permanência do Neymar tinham um valor econômico difícil de ser mensurado, mas que era algo áureo. Apostei nesse discurso.

Essa atitude foi isolada ou pode ser o ponto de virada no futebol brasileiro?

Se eu fosse pretensioso, diria que é como o slogan do Obama: Yes, we can [sim, nós podemos]. Acho que mostramos que, com um pouco de criatividade, um pouco de audácia e muita sorte, você inverte o curso natural da história. O Santos se desfez do Robinho e ficou longe de galgar um novo patamar. Vender jogador não resolve o problema de ninguém. Manter o jogador, especialmente o diferenciado, representa um ativo que você incorpora ao clube, que é inalienável e impenhorável: o aumento da torcida. Com o melhor espetáculo, mais gente quer ver o Santos, mais gente torce e mais gente se associa ao Santos. E, dessa forma, eu consigo criar uma riqueza.

Como o Ronaldo participou das negociações?

Ele me procurou e, em nome do Real Madrid, fez uma oferta, com um valor abaixo da multa [37 milhões de euros, 8 milhões de euros a menos que a rescisão, na época].

Foi ele aquele primeiro intermediário que o senhor citou?

Foi o primeiro que falou em termos de Real Madrid. Depois vieram emissários.

Como o senhor viu essa participação do Ronaldo?

Ele deixou de ser jogador e virou empresário. Naturalmente, ele queria ganhar dinheiro, está em seu direito. Eu é que não quero ganhar dinheiro, mas ele quer.

Pela manutenção do Neymar e pelos resultados em campo, o senhor tem sido apontado como um “dirigente exemplar”.

É gozado, eu vou no supermercado, e os são-paulinos, corintianos, falando que eu podia ir para o São Paulo. Isso é profundamente gratificante. Mas não posso mais fazer xixi na tábua. Se fizer uma conversão proibida à esquerda, estou roubado.

O que acha do continuísmo no futebol? A CBF tem o mesmo presidente desde 1989. O senhor reclama do calendário da CBF, das convocações, mas nada mudou. Por que os clubes não se unem, que poder têm?

Nenhum, quase zero. Eu sempre fui a favor da rotatividade, é a essência da democracia. Mas cada galo cuida do seu galinheiro. Precisaríamos que os clubes criassem uma liga, que fosse unida. Mas você viu no Clube dos 13 que os interesses são conflitantes. Há um nível de troca de farpas que não ajuda.

O senhor não crê nessa união?

Não vejo com muita clareza a possibilidade de isso ser implantado rapidamente. Seria o ideal. Mas é como eu enfrentar o Mike Tyson. Posso ter ideias ótimas, de acertá-lo no fígado, mas o provável é que eu tome uma surra. Para uma luta dessa você tem que ir unido. Acho que ainda não existe clima e diálogo para um pacto assim. Depende de um processo de aculturação, que está começando agora.