ICFUT – Classificação e tabela Série A – Brasileirão 2011

Serie A

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Corinthians-SP 61 34 18 7 9 49 35 14 59.8
2  Vasco da Gama-RJ 61 34 17 10 7 51 37 14 59.8
3  Fluminense-RJ 56 34 18 2 14 49 44 5 54.9
4  Figueirense-SC 56 34 15 11 8 45 39 6 54.9
5  Botafogo-RJ 55 34 16 7 11 49 40 9 53.9
6  Flamengo-RJ 55 34 14 13 7 57 46 11 53.9
7  São Paulo-SP 53 34 14 11 9 50 42 8 52.0
8  Santos-SP 51 34 15 6 13 52 48 4 50.0
9  Coritiba-PR 51 34 14 9 11 54 38 16 50.0
10  Internacional-RS 51 34 13 12 9 53 41 12 50.0
11  Grêmio-RS 47 34 13 8 13 42 46 -4 46.1
12  Atlético-GO 42 34 11 9 14 42 41 1 41.2
13  Bahia-BA 42 34 10 12 12 40 44 -4 41.2
14  Palmeiras-SP 42 34 9 15 10 39 38 1 41.2
15  Atlético-MG 39 34 11 6 17 42 51 -9 38.2
16  Cruzeiro-MG 37 34 10 7 17 39 47 -8 36.3
17  Ceará-CE 35 34 9 8 17 41 58 -17 34.3
18  Atlético-PR 34 34 8 10 16 34 52 -18 33.3
19  América-MG 31 34 6 13 15 45 59 -14 30.4
20  Avaí-SC 29 34 7 8 19 44 71 -27 28.4
35ª RODADA
16/11 – 20h30 Internacional-RS x Bahia-BA
16/11 – 20h30 Fluminense-RJ x Grêmio-RS
16/11 – 20h30 Atlético-PR x São Paulo-SP
16/11 – 20h30 América-MG x Botafogo-RJ
16/11 – 21h50 Palmeiras-SP x Vasco da Gama-RJ
16/11 – 21h50 Avaí-SC x Cruzeiro-MG
16/11 – 21h50 Ceará-CE x Corinthians-SP
17/11 – 20h30 Santos-SP x Atlético-GO
17/11 – 20h30 Flamengo-RJ x Figueirense-SC
17/11 – 20h30 Atlético-MG x Coritiba-PR

Por Cleber Aguiar – Eurico Miranda “quebra silêncio” e critica Lula, Timão, Fla e Teixeira

Fonte: Futebolinterior.com.br

Em sua reaparição na mídia, o cartola destinou todo seu veneno contra todos

Eurico armou a “metralhadora”
Após vários anos longe dos holofotes, o ex-presidente do Vasco Eurico Miranda voltou em grande estilo no programa “Kajuru Pergunta”, da TV Esporte Interativo. Folclórico, polêmico e falastrão, o atual presidente do Conselho Beneméritos do Vasco destilou seu veneno e atirou para todos os lados. Entre seus principais principais alvos foram o ex-presidente Lula, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o Corinthians e o Flamengo.
 

Sem papas na língua, o dirigente afirmou que Lula virou corintiano por puro interesse político. Em seus argumentos, ele já aproveitou para alfinetar o Timão, dizendo que o clube não é conhecido no Nordeste, onde, segundo as pesquisas, há um domínios dos clubes cariocas.“A maioria da população de São Paulo veio do Nordeste e quando chega à cidade vai torcer pelo Corinthians. O Lula é vascaíno, mudou de time por interesse político. Lá em Garanhuns, ele (Lula) nem sabia o que era Corinthians. Você muda religião, partido político e mulher. Um cara que muda de clube, você começa a pensar duas vezes em relação a ele”, afirmou Eurico.

Teixeira e Copa são alvos
O ex-mandatário vascaíno aproveitou o embalo das acusações e soltou o verbo contra Ricardo Teixeira. Apesar disso, ele evitou dizer que o cartola “rouba”, embora haja investigações que dão indícios sobre isso.

“Todos os movimentos são para seu próprio interesse (interesse de Ricardo Teixeira). Pode ser para o próprio interesse dele ou de suas corporações: CBF e Fifa. No Caso da Copa, está mais do que evidente o que vem acontecendo. ‘Pegar’ é quando a coisa está aí por acaso. Roubar é subtrair”, disparou em tom irônico.

Em relação à Copa do Mundo, Eurico voltou a cutucar o Corinthians e o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. “Sempre bati no Corinthians, mas nem estádio eles têm. Agora têm, né? Uma grande ‘mutreta’, uma grande ‘mutretagem’. Gastar um bilhão para ter três, quatro jogos?”, indagou.

Rival eterno
Eurico Miranda também não perdeu a oportunidade de alfinetar seu eterno rival, o Flamengo. Sem medo da repercussão, o cartola afirmou que o clube da Gávea é uma “invenção da mídia”. Ele disse que a imprensa favorece o Rubro-negro e que o colocou “acima do bem do mal”.

“Quero que (o Flamengo) morra. Não acredito nas pesquisas de araque que dizem que é o clube de maior torcida do Brasil. A mídia transformou o Flamengo no clube de maior torcida do Brasil. Essas pesquisas são mentirosas”, provocou.

Dinamite é Fogão?
Por fim, como não poderia deixar de ser, o presidente do Conselho Benemérito vascaíno também deu seus pitacos sobre a administração de Roberto Dinamite no Gigante da Colina. Antes de analisar a gestão do adversário, ele voltou a polemizar: “O Roberto era torcedor do Botafogo”.

“O Dinamite está começando a pegar as coisas, o jeito de administrar um clube. No primeiro mandato, não era ele quem mandava. Agora, ele está mais direto. Tem apenas um problema na base, já que o Carlos Leite (empresário) tem participação em vários jogadores. Na minha época não tinha jogador de empresário”, finalizou.

Por Cleber Aguiar – Faxina! Criciúma dispensa nove jogadores, após eliminação na Série B

Fonte: Futebolinterior.com.br

A maior parte dos jogadores sequer vinha sendo aproveitada pelo técnico Márcio Goiano

 Após a eliminação antecipada no Campeonato Brasileiro da Série B, o Criciúma já começou a pensar em 2012. Prova disso, é que o Tigre deu início à reformulação de seu elenco, na tarde desta terça-feira, anunciando a dispensa de nove jogadores.

Entre eles, estão o zagueiro Toninho, o lateral Massari, o volante Carlinhos Santos, os meias Aloísio, Fernando Gabriel e os atacantes Éder, Nílson, Adeílson e Bryan. Eles não faziam mais parte dos planos do técnico Márcio Goiano e foram comunicados da decisão.A maior parte dos jogadores liberados vinham sendo pouco utilizados na Série B. Como o clube só cumprirá tabela nas últimas duas rodadas, os dirigentes apenas anteciparam a rescisão de seus contratos. A única exceção é Massari, que possuía acordo até o maio de 2012.

O jogador estava emprestado pelo Internacional e deve retornar ao seu clube de origem. A expectativa da diretoria catarinense é de conseguir em troca o empréstimo de Lima, que atua na mesma posição. O jovem de 19 anos foi revelado no Tigre, mas acabou negociado em 2009 com o Colorado.

Faltando duas rodadas para o término da Série B, o Criciúma a décima colocação, com 51 pontos. Em seus últimos dois jogos, o time terá pela frente o Grêmio Barueri (em casa) e São Caetano (fora).

Por Cleber Aguiar – Palmeiras padece de deficit democrático, diz ex-presidente do clube

Fonte: Folha de São Paulo

MORRIS KACHANI
DE SÃO PAULO

Para os palmeirenses que acompanham desconsolados a crise na qual seu clube está afundado, uma notícia ruim a mais: não há perspectiva de muitas melhoras, pelo menos no curto prazo.

E o problema vai muito além do endividamento, hoje estimado em R$ 130 milhões, ou do racha no elenco, ocasionado pelo afastamento do atacante Kleber.

“Há um déficit profissional e um déficit democrático”, disse o ex-presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, professor de economia na Unicamp, conselheiro da BM&F, da Fapesp e da TV Brasil, além de consultor pessoal de Lula.

Belluzzo assumiu a presidência em 2009 como promessa de modernização. Saiu, no fim de 2010, sem nenhum título e com um saldo de contas a pagar pelo menos quatro vezes maior do que quando entrou, segundo o vice-presidente financeiro do Palmeiras, Walter Munhoz.

Letícia Moreira – 9.nov.11/Folhapress
O ex-presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, em seu apartamento
O ex-presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, em seu apartamento em São Paulo

“Belluzzo deixou um saldo negativo bancário de R$ 1,3 milhão e dívidas vencidas de R$ 50,5 milhões”, afirmou. Ainda ficaram famosos os episódios em que perdeu a compostura: xingou um juiz e chamou os são-paulinos de “bambis” em festa da organizada Mancha Alviverde.

“É que o futebol acaba mudando minha forma de ser”, afirmou, resignado, o professor, na sala de seu apartamento em São Paulo. Belluzzo fala em “balcanização do poder” no Palmeiras, reclama da falta de alternância no comando, clama por eleições diretas e elogia a gestão corintiana, mas sem deixar de alfinetar o rival.

Folha – O que a experiência no Palmeiras lhe ensinou?
Luiz Gonzaga Belluzzo – Eu diria que o clube padece de um deficit de profissionalismo e um deficit democrático. Dado o caráter restritivo do estatuto, você tem uma circulação perversa de elites, entre aspas, no Palmeiras. São sempre os mesmos circulando em torno do poder, e eu me incluo nisso. Essa troca de favores impede que você se profissionalize e não abre espaço para que gente mais nova tenha chance de acesso.

Mas isso é incontornável?
Agora estamos postulando eleições diretas no clube, com a participação dos associados, estendida aos sócios- -torcedores. No Corinthians, é assim, no Inter também. Porque hoje são indiretas, o que gera um processo de negociação política que só atrapalha. Essa prática não saudável acaba invadindo o vestiário, cria insegurança, contamina o ambiente.

O que mudou da gestão atual para a sua?
Estão submetidos aos mesmos percalços que a minha. O Arnaldo Tirone foi eleito por determinado arranjo político e, logo depois, por razões insondáveis, mas não desconhecidas, houve uma dispersão das forças que o apoiavam –muitos viraram oposição. Um abandono de responsabilidade. Então, você tem uma balcanização do poder, fenômeno curiosíssimo. É o cúmulo da patologia social, uma anomalia. O problema é que o presidente está submetido a um conjuntos de forças que se anulam, e isso joga o clube em uma situação incontrolável.

O que acha do time de futebol?
Em clube de futebol, quando a coisa vai mal, começa a ir pior. Quanto mais perde, mais difícil reerguer. O grau de pressão, tensão e irracionalidade começa a aumentar. Acontece com todo clube que tem essa estrutura administrativa desequilibrada, com as aspirações de sua torcida, que não pode influir nas decisões, e uma gestão precária.

E os jogadores?
Tem jogador chorando no vestiário após as derrotas. A instabilidade e a disfunção dentro do elenco é clara. E aí ocorre o medo, a fuga da responsabilidade, a bola começa a queimar no pé. Uns estão completamente aturdidos, outros, insatisfeitos.

Em que medida Luiz Felipe Scolari é responsável? Ele faz um bom trabalho?
Pelos resultados, não, né? Não está dando certo. Mas é difícil você atribuir responsabilidade a ele. O Felipe carregou encargos que não tinha que carregar. Ele é um técnico de futebol, mas teve que administrar assuntos que caberiam a outro profissional, um tipo manager. Acumularam-se nas costas dele responsabilidades para estabilizar até emocionalmente o time. Fez falta alguém que chegasse para funcionar como algodão entre cristais, nesse caso do afastamento do Kleber.

Essa pessoa não existe?
Você tem o Roberto Frizzo, que é diretor amador, um não especialista, conselheiro do clube que virou diretor, mas não está lá exercendo a função profissionalmente. Ele tem a função diretiva, não quero excluí-lo. Mas precisa ter uma pessoa que fique lá o dia todo, que cuide, que se interesse pelos problemas dos jogadores. A chegada do César Sampaio para gerenciar o futebol vai ajudar muito nesse sentido.

E o elenco?
Tinha condições de chegar em quarto ou quinto lugar [no Brasileiro]. A média salarial é a mesma do que dos outros grandes de São Paulo.

Acha que o Corinthians está sendo melhor gerido?
Não é que o Corinthians esteja salvo de confusões. Mas, na parte de marketing, sem dúvidas, montaram uma estrutura muito competente. Agora, nosso projeto da Arena escapa ao padrão porque não tem um tostão de dinheiro ou benefício público. O Itaquerão tem.

Como enxerga sua gestão?
O esforço de reforçar o time, trazendo jogadores, não foi bem-sucedido. Mas não me arrependo, fiz tudo que tinha que fazer. Se quiser se manter no topo, não pode fazer opção pelo bom e barato, tem que arriscar, contratar jogadores de ponta. Não pode pensar pequeno.

Mas a dívida do clube, de acordo com a gestão atual, quadruplicou.
Essa história das contas é outra trapalhada que revela incompreensão. O Palmeiras aumentou receitas de patrocínio em quase 200% em minha gestão. E, se não cair para a segunda divisão, tem um potencial de faturamento, entre patrocínio e direitos de transmissão, de R$ 600 milhões nos próximos quatro anos. É preciso enxergar os números em perspectiva.

Por Cleber Aguiar – Grêmio cede lateral para o Cruzeiro e anuncia Kleber

Fonte: Folha Online

LUIZ COSENZO
DE SÃO PAULO

O diretor executivo de futebol do Grêmio, Paulo Pelaipe, confirmou oficialmente nesta quarta-feira a contratação do atacante Kleber. A negociação se arrastava desde o final de outubro, quando o jogador foi afastado do elenco do Palmeiras após se desentender com o treinador Luiz Felipe Scolari por liderar um motim entre os jogadores do elenco

Para fechar com Kleber, o Grêmio teve que superar a concorrência do Corinthians, que manifestou o interesse na contratação do jogador, além de ceder o lateral Gilson –está emprestado ao América-MG– para o Cruzeiro, que desejava uma compensação financeira para dar aval ao negócio. O clube mineiro tem 50% dos direitos econômicos do atacante.

Na negociação, o time gaúcho ainda teve que aumentar a oferta ao Palmeiras para contratar Kleber após André Lima não aceitar entrar na negociação. Assim, o Grêmio pagou dois milhões de euros para a equipe alviverde, segundo a coluna Painel FC.

“Já está tudo acertado entre Grêmio, Palmeiras, Kleber e Cruzeiro. Foi uma negociação muito difícil, desgastante já que vários clubes manifestaram interesse na contratação do Kleber”, disse o diretor executivo de futebol do Grêmio, Paulo Pelaipe.

“Agora só falta colocar tudo no papel e assinar. Os advogados estão definindo esses detalhes e, no máximo em 48h, tudo estará finalizado”, acrescentou.

O Grêmio ainda não definiu a data de apresentação de Kleber. O time gaúcho estuda realizar a apresentação do jogador em sua nova arena, que está sendo construída às margens da BR-290, a Freeway, em Porto Alegre.

“O presidente [Paulo Odone] e o marketing do Grêmio que vão determinar onde e como será a apresentação do Kleber. Por enquanto, ainda não definimos. Agora nossas atenções é para o jogo contra o Fluminense”, completou o dirigente, citando o jogo desta quarta-feira, no Engenhão, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Segundo apurou a Folha, Kleber vai receber R$ 580 mil mensais entre salário e luvas e assinará contrato por cinco temporadas.

Jorge Araújo/Folhapress
Kleber deixa a sala de musculação da Academia de Futebol em julho
Kleber deixa a sala de musculação da Academia de Futebol em julho

Por Cleber Aguiar – Site tenta prever resultados do Campeonato Brasileiro

Fonte: Agência USP

Por Bruno Capelas – bruno.capelas@usp.br

Modelo estatístico considera o mando de campo, a defesa e o ataque

As páginas de Esportes dos jornais não deixam mentir: a cada final de semana, o Campeonato Brasileiro de futebol aproxima-se de seu final em acirradas disputas. Entre o céu – um título ou uma vaga para a Taça Libertadores da América – e o inferno – o rebaixamento para a Série B -, torcedores se descabelam e fazem muitos cálculos para tentar prever o destino de seus times do coração. Mas o site Previsão Esportiva, desenvolvido por meio de uma parceria entre pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP e do Departamento de Estatística da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), tenta deixar a vida dos aficionados pelo esporte um pouco mais fácil – ou, pelo menos, sem tantas surpresas.

“Utilizamos os resultados dos jogos anteriores para fazer as previsões. Dessa maneira, com o decorrer do campeonato temos mais informações e o sistema pode ficar mais preciso”, explica o professor Francisco Louzada Neto, do ICMC, que coordena a pesquisa. O sistema faz as previsões baseado em um grande número de simulações para o restante do campeonato a partir de um modelo estatístico. “Geramos 10 mil possibilidades para os jogos que irão ocorrer até o fim do campeonato. Com o cruzamento de todas as possibilidades geradas, chegamos às previsões apresentadas no site”, completa.

Variáveis e intervalos
O modelo estatístico considera, para cada time, três variáveis: o mando de campo, a defesa e o ataque. “Os efeitos defesa e ataque captam o poder defensivo e ofensivo de cada time e são estimados a partir dos placares observados, mudando de acordo com a variável mando de campo, isto reflete as mudanças de postura tática que ocorrem quando um time joga dentro ou fora de casa”, explica Louzada.

De acordo com o pesquisador, o algoritmo utilizado pelo Previsão Esportiva é diferente da maioria das estatísticas usadas pela imprensa nessa época do campeonato. “Fazer uma previsão sobre um jogo de futebol é trabalhar com uma estrutura aleatória. Tentamos levar em conta essa aleatoriedade ao usar intervalos, e não números fixos, como geralmente é feito”. Os intervalos, no caso, são baseados nos resultados das simulações. Na imagem abaixo, pode-se verificar, por exemplo, que o Corinthians tem 50% de chance de terminar o campeonato na faixa de 65 a 69 pontos. “Esses 50% de chance indicam que, em 50% das simulações computacionais o Corinthians terminou o campeonato com 65, 66, 67, 68 ou 69 pontos”, disserta o professor.

Algoritmo usado pelo site é diferente da maioria das estatísticas usadas pela imprensa nessa época do campeonato

Estatística no esporte
Louzada conta que, junto a outros pesquisadores, começou a pesquisa em 2004, quando ainda era professor da UFSCar. “Notamos que a estatística é geralmente muito utilizada em várias áreas do conhecimento, da medicina ao setor financeiro. Entretanto, aqui no Brasil, ao contrário do que seria esperado, há uma falta de metodologia de estatística aplicada ao estudo esportivo”. Eles viram então a possibilidade de divulgar a estatística, aplicando-a a temas de grande interesse da população. “Nada melhor que um tema popular como o futebol para mostrar o poder de ferramenta que a estatística tem. Ela é útil num processo decisório, como uma ponte que te mostra um bom caminho no meio da incerteza”, diz.

A previsão estatística do Campeonato Brasileiro é feita pelo Grupo de Modelagem Estatística no Esporte (GMEE), cujo objetivo é agregar pesquisadores, alunos de pós-graduação e graduação, interessados no desenvolvimento metodológico estatístico para dados esportivos. O GMEE foi criado junto ao Centro de Estudos do Risco (CER) do Departamento de Estatística da UFSCar e ao Centro de Matemática e Estatística Aplicadas à Indústria (CeMEAI), do ICMC.

Mais informações: email louzada@icmc.usp.br, com o professor Francisco Louzada Neto, ou luis.salasar@gmail.com, com o professor Luis Salasar. Site http://www.previsaoesportiva.com.br ou na página do Facebook