Por Cleber Aguiar – Publicada lei que libera bandeiras nos estádios Paulistas .

Fonte: Diário Oficial do Estado de São Paulo

LEI Nº 14.590 de 11 DE OUTUBRO DE 2011
(Projeto de lei nº 177/10,
do Deputado Enio Tatto – PT)
Dispõe sobre a identificação dos frequentadores
dos jogos de futebol, a comercialização
de ingressos, o uso de mastros de
bandeiras, e dá providências correlatas
O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:
Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e
eu promulgo a seguinte lei:
Artigo 1º – vetado.
Parágrafo único – vetado.
Artigo 2º – Os estabelecimentos que realizam a
venda de ingressos para as partidas oficiais de futebol
deverão identificar os respectivos compradores.
Parágrafo único – vetado.
Artigo 3º – Os responsáveis pela realização do evento
manterão à disposição das autoridades, pelo prazo
mínimo de 12 (doze) meses contados a partir da competição,
banco de dados com a identificação dos compradores
e frequentadores das partidas de futebol.
Artigo 4º – Os clubes, equipes esportivas, federações,
patrocinadores e outras entidades que doarem
ingressos ficarão responsáveis pela identificação dos
usuários, devendo informar os respectivos dados aos
organizadores do evento até o início da partida.
Artigo 5º – O descumprimento do disposto no artigo
4º acarretará multa igual a 100 (cem) vezes o valor do
ingresso de maior valor da partida.
Artigo 6º – Os organizadores do evento esportivo
deverão assegurar meia-entrada aos estudantes e pessoas
com idade superior a 60 (sessenta) anos, enquanto
houver lugares disponíveis no estádio ou estiverem à
venda os ingressos normais.
Artigo 7º – A circulação no entorno dos estádios,
nos dias e horários dos jogos, poderá ser limitada pelas
autoridades públicas responsáveis, permitindo-se a
circulação de moradores, portadores de ingressos e
trabalhadores envolvidos no evento ou em atividades
naquela região.
Parágrafo único – Exceções ao disposto no “caput”
deste artigo ficarão a critério das autoridades públicas
responsáveis.
Artigo 8º – vetado.
§ 1º – vetado.
§ 2º – vetado.
§ 3º – vetado.
§ 4º – vetado.
Artigo 9º – O frequentador de competição oficial de
futebol identificado como participante ou incitador de
distúrbios, nos estádios e fora deles, estará sujeito às
seguintes penalidades:
I – impedimento de adquirir ingressos ou frequentar
partida oficial de futebol pelo prazo de 5 (cinco) anos;
II – pagamento de multa no valor correspondente a
1.000 UFESPs (mil Unidades Fiscais do Estado de São
Paulo).
Artigo 10 – As despesas decorrentes da execução
desta lei correrão à conta de dotações próprias, consignadas
no orçamento vigente.
Artigo 11 – vetado.
Artigo 12 – vetado.
Artigo 13 – Esta lei entra em vigor 30 (trinta) dias
após a sua publicação.
Palácio dos Bandeirantes, 11 de outubro de 2011
GERALDO ALCKMIN
José Benedito Pereira Fernandes
Secretário de Esporte, Lazer e Juventude
Eloisa de Sousa Arruda
Secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania
Antonio Ferreira Pinto
Secretário da Segurança Pública
Sidney Estanislau Beraldo
Secretário-Chefe da Casa Civil
Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa, aos 11
de outubro de 2011.

Por Cleber Aguiar – Andres acusa presidente do São Paulo de ser preconceituoso

Fonte: Folha Online

ADRIANO WILKSON
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Os presidentes do Corinthians e do São Paulo trocaram farpas publicamente nesta quarta-feira. “O problema do Andres é o Mobral inconcluso. Quando ele concluir isso, vai dar uma melhorada”, disse à tarde o são-paulino Juvenal Juvêncio, em referência ao Movimento Brasileiro de Alfabetização.

O Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização) foi um projeto do governo brasileiro, de 1967, e propunha a alfabetização funcional de jovens e adultos.

À noite, o cartola alvinegro respondeu. “Eu tenho muito orgulho das pessoas que se formaram no Mobral, mas eu não fiz o Mobral, fiz o ginásio. É um preconceito muito triste dizer que a pessoa não tem curso universitário, dizer que a pessoa não tem um português correto, que esquece de falar um esse.”

Em seguida, o cartola admitiu que se sentiu ofendido com as declarações do rival tricolor e fez referência à sua própria ascendência espanhola.

“Nós vivemos em um país de imigrantes, onde, infelizmente, muitos não tiveram a oportunidade de estudar. Eu [não estudei] foi por um pouco de preguiça, por falta de vontade, mas hoje eu estou estudando, como a maioria da população brasileira também está. Meu pai não fez nem a 4ª série primária. Por isso ele não é uma pessoa digna?”.

Ricardo Nogueira/Folhapress
O presidente do Corinthians, Andres Sanchez, concede entrevista no CT Joaquim Grava
O presidente do Corinthians, Andres Sanchez, concede entrevista no CT Joaquim Grava

Ele também acusou o mandatário são-paulino de se perpetuar no comando do time através de “golpes” e o chamou de “ditador”. O corintiano disse que ao fim de seu mandato, em fevereiro de 2012, deixará a presidência do clube. “Depois eu vou embora, vou para minha casa, curtir minha vida, namorar, curtir um jogo do Corinthians no Pacaembu.”

A briga entre os presidentes começou quando Andres, na sexta-feira passada, disse que o atacante Dagoberto não ficaria no Morumbi em 2012 e que o São Paulo estava negociando com o atacante Romarinho, do Bragantino. Juvenal reagiu e, ontem, afirmou que o corintiano teria sido vítima lobistas.

“Isso é mais velho do que andar para trás. Quando um time quer valorizar um determinado jogador, diz: `olha, se você não pagar, o São Paulo paga’. Será que o Andres vai terminar o mandato dele sem aprender? Isso é golpe”, afirmou Juvenal.

Por Cleber Aguiar – No desembarque do Palmeiras em Congonhas, Felipão ofende fotógrafo

Fonte: Globo.com

‘Fotografe o meu p…’, diz treinador, irritado com assédio da imprensa

Por Diego Ribeiro

Após o empate em 1 a 1 com o Flamengo, na quarta-feira à noite, no Rio de Janeiro, os jogadores do Palmeiras desembarcaram no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ainda receosos com relação a possíveis protestos de torcedores. O atacante Maikon Leite, por exemplo, disse ainda no Engenhão que todos estavam “preocupados” com a possibilidade de outros casos de violência ocorressem com jogadores do Palmeiras, assim como aconteceu com o volante João Vitor, na terça-feira.

Mas apenas dois torcedores apareceram em Congonhas. E foram para apoiar o time. O atacante Luan, contestado por boa parte dos membros de torcidas organizadas, chegou a ser aplaudido depois de conceder entrevistas no saguão do aeroporto.

O único “incidente” no desembarque foi o destempero do técnico Luiz Felipe Scolari. Irritado com o assédio da imprensa, o treinador ofendeu o repórter-fotográfico Apu Gomes, da Folha de S. Paulo:

– Fotografe o meu p…! – disse Felipão, pouco antes de entrar no ônibus da equipe.

Luiz Felipe Scolari Felipão no desembarque do Palmeiras (Foto: André Lessa/Agência Estado)Luiz Felipe Scolari se irrita com a imprensa: ‘Fotografe o meu p…!” (Foto: André Lessa/Agência Estado)

Por Cleber Aguiar – Neymara: Sósia feminina de Neymar faz sucesso na internet

Fonte: Portal Bahia Noticias

por Fernanda Fahel

Neymara: Sósia feminina de Neymar faz sucesso na internet
Uma garota parecidíssima com o jogador Neymar tem chamado muito a atenção na internet nos últimos dias. Assim como o santista, a jovem, de identidade ainda não revelada, tem o rosto fino e olhinhos puxados. A celebridade-fenômeno da web foi batizada de “Neymara” e tem levantado boatos de que seria alguma irmã ou parente distante do jogador. Será?

A sósia chegou a ganhar comunidade no Orkut. Segundo o Uol, “Neymara” não é fruto do Photoshop. Um especialista do portal afirma que a imagem parece legítima, a julgar pela cor, textura e qualidade da pele quando comparada ao braço. Além disso, a franja sobre os olhos impossibilita uma edição amadora.

Por Cleber Aguiar – Ex-Fluminense, João Paulo diz: “nunca vi clássico igual ao de Campinas”

Fonte: Portal Uol

  • João Paulo já disputou clássicos pelo Flu, mas disse que não existe dérbi que nem o de CampinasJoão Paulo já disputou clássicos pelo Flu, mas disse que não existe dérbi que nem o de Campinas

Falta pouco para a disputa do 187º dérbi da história. A cidade de Campinas já respira o duelo, e o mesmo acontece no Brinco de Ouro e no Moisés Lucarelli. Para o lateral-esquerdo João Paulo, que defendeu Fluminense e Figueirense antes de acertar com a Ponte, não existe clássico igual ao de Campinas.

“Nunca vi clássico igual ao de Campinas. No Rio tinham coisas diferentes, mas aqui a cidade inteira se envolve, lá não era tão empolgante como aqui”, destacou o lateral de 21 anos, revelado nas Laranjeiras e emprestado à Ponte Preta pelo clube carioca.

Natural da região de Campinas e de família pontepretana, o meia Caio não vê a hora de disputar o primeiro dérbi com a camisa alvinegra: “Todo jogador espera esse momento e tem vontade de jogar um clássico que pode marcar sua carreira. Minha família sempre torceu para a Ponte aqui na região, todo mundo vai estar presente e espero que possamos ter uma grande vitória”.

Para Caio, o clássico campineiro tem um sabor especial: “É um campeonato à parte, um jogo que mexe com a torcida. Para nós jogadores é uma partida tão importante quanto qualquer outra, mas enfrentar e vencer o rival é mais importante para o torcedor, então a responsabilidade é maior”.

Uma das apostas da Ponte para esta partida é o lateral-direito Patric, que garante ter sorte nos clássicos, a exemplo do que acontecia quando enfrentava o Cruzeiro pelo Atlético-MG. “Temos que passar a responsabilidade para o adversário para entrar em campo e errar o menos possível. Em todo clássico que joguei consegui fazer um gol, espero que neste não seja diferente”, disse.

Por Cleber Aguiar – Crise do Palmeiras !

Fonte: Site Oficial do Palmeiras

Palmeiras aguarda investigação sobre incidente com João Vítor

12/10/2011 – Em virtude dos incidentes envolvendo o atleta João Vítor e torcedores, na tarde de terça-feira (11), a delegação da Sociedade Esportiva Palmeiras não embarcou para o Rio de Janeiro à noite, como previsto. Jogadores, diretoria e comissão técnica viajaram na manhã desta quarta-feira (12) para a capital carioca, para a disputa da partida contra o Flamengo, válida pelo Campeonato Brasileiro.
A direção do Palmeiras vai aguardar as investigações policiais para se pronunciar novamente sobre o caso.
Fonte: Portal Uol
Kleber disparou contra Felipão e diretoria após agressão sofrida por João Vitor

Kleber disparou contra Felipão e diretoria após agressão sofrida por João Vitor

Palmeiras se irrita com Kleber e avisa que atacante não defende mais o clube

Luiza Oliveira

A diretoria do Palmeiras se cansou de Kleber e avisou que ao atacante não defenderá mais o clube. A decisão foi comunicada pelo vice de futebol do clube, Roberto Frizzo, na chegada do elenco alviverde nesta quinta-feira de manhã, no Aeroporto de Congonhas, após empate com o Flamengo por 1 a 1 no Rio de Janeiro.

“Ele [Kleber] mesmo já deu sua resposta. Depois que alguém declara que não quer mais jogar, o Palmeiras também não pode querer”, resumiu Frizzo, antes de afirmar que ainda não há definição sobre os procedimentos a serem tomados para assinar a rescisão com o atleta.

Apesar das desavenças com a diretoria, Kleber tem o apoio dos jogadores. O atacante Luan disse que respeita a decisão do clube, mas lamentou a perda do colega. “É ruim ficar sem o Kleber. Todo grupo quer contar com ele”, disse.

O desembarque foi tranquilo no Aeroporto, apesar de o clube ter se preparado para possíveis protestos. Cinco seguranças chegaram ao local antes da delegação e monitoraram o saguão para evitar qualquer problema. Os únicos torcedores presentes eram os que, coincidentemente, haviam chegado de viagem e decidiram esperar apenas para ver os atletas.

O representante de Kleber, Giuseppe Diogardi, em contato com o UOL Esporte, informou que o jogador ainda não foi oficialmente notificado pelo clube e se apresentará normalmente para treinar. Assim que for acionado sobre seu desligamento, Kleber se pronunciará, avisou o empresário do atleta.

A relação entre Kleber e diretoria se azedou definitivamente após a agressão sofrida por João Vitor. Kleber considerou pediu uma atitude enérgica da diretoria e perdeu o controle desrespeitando Frizzo. O camisa 30 chegou a liderar movimento para que o time não viajasse para o Rio de Janeiro e ameaçou não entrar em campo, pois a diretoria, segundo Kleber, não havia dado garantia de segurança. 

Na visão de Kléber, frases recentes ditas por Felipão como “primeira vez em 20 anos que não consigo arrumar um time” ou “Palmeiras é como casamento com mulher feia”, além de dizer que já tem a lista de reforços pronta para o ano que vem, ainda que indiretamente, colocam a torcida contra os jogadores, e contribuem para aumentar o clima de insegurança.

As atitudes do Gladiador causaram a revolta do treinador que pediu o afastamento do atacante. Ele chegou a colocar o cargo à disposição e ameaçou não viajar para a capital fluminense, caso o jogador seguisse com a delegação. Só depois de muitas negociações Felipão se acalmou, mas se mostrou irredutível quanto à saída atleta.

Após o jogo contra o Flamengo, Felipão deixou claro que não contava mais com o atacante. “Não espero nada. Está definido. A direção sabe do meu posicionamento e pronto. Ele não quer jogar, nem eu quero ele jogue e acabou”, disse.

O clube já havia relevado outras atitudes de Kleber. O atleta causou polêmica ao ser acusado de simular uma lesão para não entrar em campo e chamou Frizzo de mau caráter publicamente. Recentemente, o atacante declarou de que o time não tinha estratégia de jogo, recorrendo somente à bola parada cobrada por Marcos Assunção. O comentário desagradou Felipão, mas não houve advertência grave ao atleta.