Por Cleber Aguiar – Ex-mulher de Romário relembra assédio feminino durante casamento

Fonte: Globo.com

Mônica Santoro acompanhou o marido durante carreira na Europa e conta detalhes da relação do casal durante os sete anos de casamento

Por SporTV.com Rio de Janeiro

Mônica Santoro casou-se aos 17 anos, Romário tinha 22. Quando o craque foi contratato pelo PSV por U$ 5 milhões, na época, a contratação mais cara de um jogador brasileiro, e os recém-casados logo foram morar na Holanda. Anos depois, Mônica o acompanhou até a Espanha, onde jogou pelo Barcelona. Ela relembra o assédio ao ídolo durante os anos em que moraram na Europa.

– Um jogador de futebol é super assediado, é uma coisa de louco. A mulherada passava trote, mandava cartas, era uma loucura. Aí atendia o telefone, era xingamento, ou então fofoca, contando as coisas, não sei o quê. Desde o namoro sempre teve muita fofoca, o Romário sempre foi muito mulherengo, então você releva daqui. Chega uma hora que eu acho que chega ao limite porque você pensa: na minha cabeça, um dia, com o amadurecimento e tudo, o Romário ia, de repente, parar um pouco e ia melhorar com isso. E eu vi que quanto mais a fama aumentava, mais isso piorava – disse em entrevista ao “SporTV Repórter”.

Destaque na Copa de 1994, o Baixinho ajudou o Brasil a conquistar o tetracampeonato, no Estados Unidos. Depois do sucesso no Mundial, Romário quis voltar para o Rio de Janeiro. Mônica não concordava.

– Para mim seria muito mais fácil continuar com um tetracampeão, fingindo que estava super bem casada, com uma família linda. A idolatria era muito grande, e eu até entendo o Romário, e como qualquer outro jogador, entendo perfeitamente. Não entendia como esposa, não entendia, isso aí é outra coisa. Mas eu entendo perfeitamente, é muito difícil você lidar, é dinheiro, fama, carro. São muitas coisas que deixam a pessoa deslumbrada.

Após sete anos de casamento, eles decidiram se separar. Para Mônica, que abriu mão de sua vida profissional para se dedicar ao marido, a dependência financeira pesou na hora da escolha.

– Tudo muda muito. Por isso, tem que ter muita coragem porque muda muito. Todo mundo sabe que quando você separa, claro que é diferente, você não está mais ali casada, não está recebendo diretamente. Não trabalhei enquanto estava casada. Nem ele, na época, admitiria que eu trabalhasse, não podia passar nem batom. Ele não gostava que eu usasse nem batom. Tinha briga até por causa disso, não sei o quê. Sapato alto, não podia usar. Porque o jogador de futebol, engana-se quem pensa que não, mas é machista.

POr Cleber Aguiar – Entrevista com Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro ( LAOR ) Presidente do Santos FC.

Fonte: O Estado de São Paulo

”A derrota é terapêutica. O Santos ainda quer o título”

Dirigente reconhece que time ainda não ‘mudou a chave’ da competição e diz que vai se reunir com Ganso nos próximos dias

Wagner Vilaron – O Estado de S.Paulo
OBS: Entrevista concedida antes da partida do Bahia .

ENTREVISTA – Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos

As dancinhas após cada gol deram lugar a semblantes sisudos, o futebol espetáculo ficou burocrático e o time que cansou de erguer taças, entre elas a da Libertadores deste ano, hoje briga para fugir da zona do rebaixamento. A fase do Santos não é boa e até o sempre otimista presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro reconhece: o time sofre de autossuficiência, o tal futebol espetáculo não tem previsão para voltar e Paulo Henrique Ganso anda triste porque constatou que tem perdido dinheiro:

Não há mais coreografias nos gols do Santos. O time está triste porque está mal ou vice-versa?

Acho que as duas coisas. É evidente que quando o momento em campo não é bom, fica mais difícil ter esse ânimo para fazer festa. Mas também é preciso lembrar que figuras como Robinho, que sempre animam o ambiente, não estão mais conosco. Além disso, o time amadureceu e isso traz um pouco mais de seriedade.

Qual sua avaliação sobre o fato de o time estar na zona do rebaixamento?

Essa equipe ganhou muitos títulos em um período curto. Em 2010 conquistamos o Estadual e a Copa do Brasil. Neste ano já somos bicampeões paulistas e vencemos a Libertadores. Entendo que tudo isso fez com que o time sofresse de uma autossuficiência. Mas a derrota é terapêutica, faz as pessoas amadurecerem, refletirem.

E qual é o objetivo no Santos neste Nacional?

O título, claro!

Mas a oscilação é clara. A equipe demorou para “virar a chave” e se concentrar no Brasileiro?

Sem dúvida está demorando. Mas é aquela velha história. Sempre quando a gente abre a champanhe, ela sai com força, faz um festa danada. Depois ela continua saborosa, mas o gás abaixa um pouco.

Parte do sucesso do Muricy está na forma como ele arma suas equipes defensivamente. Isso não vai de encontro ao tal DNA que o senhor tanto alardeou?

Essa história do DNA foi uma brincadeira que fiz naquele momento em que o time jogava buscando o gol a todo momento. Mas um time precisa ter equilíbrio para ser vencedor. Daí apareceu aquela frase famosa “quer ver espetáculo, vai ao Teatro Municipal”…

É do próprio Muricy. O senhor concorda com ela?

Não concordo, mas entendo que o técnico precisa tomar alguns cuidados ao montar o time.

Então houve uma mudança genética na equipe?

Não exatamente. O time continua jogando para frente. Veja o jogo contra o Flamengo, onde chegamos a abrir 3 a 0…

Em situações como aquela aparece essa certa arrogância?

Mas temos de considerar que se trata de um grupo jovem. E jovem sempre faz besteira. Faz parte da vida.

E a tristeza e consequente apatia do Ganso?

Acho que ele começou a perceber que está perdendo muito dinheiro. Por isso vou me dedicar pessoalmente a falar com ele nos próximos dias, apresentarei uma proposta de plano de carreira. Ele me garantiu que fica até 2012, para o Centenário.

E esses seguidos encontros do pai e do empresário do Neymar com representantes do Real Madrid?

Acho que eles têm o direito de jantar com quem quiserem, assim como os jogadores quando estão de folga.

Por Cleber Aguiar – Diretoria do Avaí conversa com Márcio Goiano e aguarda por resposta do treinador

Fonte: Portal Uol

Márcio Goiano passou ser o nome mais cotado para assumir o comando do Avaí. No último final de semana, a diretoria catarinense conversou com o técnico do Goiás e espera por uma resposta nos próximos dias. O gerente de futebol, Gustavo Mendes, deixou o papo confiante e aguarda por uma definição nesta segunda-feira.

“A gente teve uma conversa longa com o Márcio Goiano e agora esperamos por sua resposta. Acreditamos que teremos uma definição nesta segunda-feira. Queremos que o novo treinador comande o nosso treino na terça. O papo com o Márcio foi positivo. Entendo que pelo fato dele ter aceitado falar conosco ele entende que essa pode ser uma boa oportunidade para sua carreira”, disse.

“A gente entende a ansiedade do torcedor. No vestiário, os jogadores e colaboradores também estão assim. Isso acaba refletindo em nossa torcida”, completou.

O dirigente revelou que durante a longa conversa, Márcio Goiano quis saber maiores informações sobre o grupo do Avaí e a estrutura do clube.

“Conversamos sobre a questão salarial, mas não tomou a maior parte do tempo. Falamos principalmente sobre o nosso momento na competição. Eu quis conhecer um pouco mais sobre o profissional e saber como é o método de trabalho dele. Por outro lado, ele nos questionou sobre alguns jogadores e como está a estrutura do clube. Acho que a longa conversa foi produtiva. Entendo que o Márcio se encaixaria perfeitamente no perfil que desejamos”, afirmou.

O atual técnico do Goiás deverá ser anunciado nas próximas horas, mas outro nome que passou a ser especulado no Avaí chegou a ser elogiado por Gustavo Mendes. Toninho Cecílio, que recentemente deixou o Americana-SP pinta outra opção caso Márcio Goiano não aceite a proposta.

“O nome do Toninho é bastante interessante. Gosto dele, mas prefiro não alimentar as especulações para evitar expectativas. Prefiro traçar um foco”, encerrou.

Por Cleber Aguiar – Entrevista com Paulo H. Ganso.

Fonte: O Globo-RJ

Paulo Henrique Ganso. Foto:  Eliária Andrade / Agência o GloboLONDRES – É bem capaz que mesmo o meia Fernandinho tenha se surpreendido quando Mano Menezes o escalou no lugar de Paulo Henrique Ganso, contra a Alemanha, no último dia 10. Mas a decisão do treinador da seleção reforçou o consenso de que o meia do Santos não passa por um bom momento. Em entrevista ao GLOBO, por telefone, realizada no dia seguinte à derrota por 3 a 2 em Stuttgart, Ganso admitiu estar devendo, mas alerta: “Neymar e eu não vamos resolver as coisas sozinhos.”

Você ficou surpreso ao saber que ficaria no banco de reservas contra a Alemanha?

PAULO HENRIQUE GANSO: Já tive tempo para pensar um pouco melhor. Ficar no banco foi uma situação diferente e confesso que fiquei um pouco surpreso com a decisão. Mas acho que faz parte deste momento da seleção, que está começando o trabalho para 2014. Todos nós vamos ter altos e baixos, estamos passando por uma renovação grande e é preciso pensar na Copa do Mundo, que é o objetivo maior.

O fato de a seleção ter perdido mais um jogo contra uma equipe de ponta pode atrapalhar o processo até 2014?

GANSO: A Alemanha é uma grande equipe, que manteve a base do grupo que chegou à semifinal na última Copa. Não acho que seja o momento de questionar o trabalho do Mano Menezes, que está buscando a melhor maneira de armar o time. Estou certo de que as coisas vão melhorar em breve. Mas, para isso, todos nós na seleção precisamos assumir a responsabilidade, essa pressão por resultados positivos. O torcedor e a mídia sempre vão exigir isso.

Como você explica as atuações abaixo do esperado que vem tendo ultimamente?

GANSO: Sofri algumas lesões que certamente influenciaram o meu rendimento. Minha primeira partida em meses foi a segunda da final da Libertadores, o que não faz muito tempo. Tenho trabalhado muito para reforçar a musculatura, mas não fico preocupado com a possibilidade de me machucar de novo. Até porque não apanho tanto quanto o Neymar (risos). Com uma sequência de jogos as coisas vão melhorar. E sei que preciso jogar melhor pela seleção.

O peso que jogaram em suas costas, por ser o único meia de alto nível que temos, pode estar atrapalhando?

GANSO: Tenho uma vida feliz. E minha carreia está indo bem. Conquistei dois títulos importantes pelo Santos e estou sendo chamado para a seleção. Seria muito fácil estar desesperado com os jogos ruins, mas é preciso também enxergar as coisas em perspectiva. Sou um cara tranqüilo e confio no meu potencial. É importante não ficar afobado. Tenho tempo para me preparar.

A renovação na seleção está sendo brusca demais?

GANSO: Houve uma renovação muito grande depois da Copa de 2010, mas as expectativas sempre são altas no Brasil. Tenho consciência de que prestam muita atenção em mim e no Neymar, mas é fundamental que as pessoas saibam que nós nunca vamos resolver as coisas sozinhos. Mas não me incomoda as pessoas esperarem sempre partidaços da gente. Precisamos trabalhar mais para lidar com isso.

Ficou frustrado por não ter ido à Copa de 2010?

GANSO: Sinceramente, eu pensei que seria chamado, assim como o Neymar. Não porque os torcedores e comentaristas pediam, mas pelo que fizemos no Santos. Para algumas pessoas era cedo demais para nós dois disputarmos um Mundial, mesmo assim fiquei bastante chateado quando fiquei de fora da convocação final para a Copa da África do Sul.

Você disse mais de uma vez que quer jogar fora do país. A cabeça já está na Europa?

GANSO: Meu pensamento está é no Santos. Uma ida para a Europa é uma coisa natural para um jogador profissional, mas precisa ocorrer no momento certo. Perguntam muito por qual clube eu gostaria de jogar, mas não acho muito legal ficar citando nomes. Claro que a Itália e a Espanha vêm imediatamente à cabeça, são duas escolas de futebol de que gosto muito. A Inglaterra também tem uma liga interessante, apesar de um estilo muito mais físico. Porém, não tenho medo de estranhar lugar algum. Confio no meu estilo de jogo, mas é claro que sempre tem de ajustar uma coisa ou outra. Talvez na Europa eu não possa segurar a bola demais, por exemplo. Mas o aprendizado é sempre bom.

Como você tem lidado com as críticas que vem recebendo por deixar claro seu desejo?

GANSO: Entendo que a torcida e os dirigentes do Santos não queiram me ver fora do Brasil. Mas acho que tenho o direito a pensar na minha carreira. A situação de um jogador de futebol é diferente, há muitos benefícios, mas é uma vida profissional curta. Se um grande clube europeu bater à porta, tenho que ouvir. Falam que é muito cedo para sair, mas há casos de jogadores que também não passaram tanto tempo assim jogando no Brasil e se adaptaram muito bem à Europa. O Kaká é um deles. Temos o mesmo assessor para assuntos de imagem e a gente acaba tendo a chance de conversar sobre isso.

E esta história de ir jogar no Corinthians?

GANSO: Quanto a isso, os torcedores do Santos podem ficar tranquilos. Eu jamais sairia do clube para jogar exatamente no maior rival. Não chegaria nem perto do Corinthians. Sei que falaram muito sobre isso, porque o Ronaldo Fenômeno disse que estava me representando. Não entendi muito bem a postura dele, pois isso não é verdade.

Como você faz para desligar, para levar sua vida fora do futebol?

GANSO: Sou um cara bem mais sossegado do que o Neymar (risos). Sou mais de ficar em casa e quando saio é para surfar ou andar um pouco de skate, mas nada muito exagerado, que é para não me machucar (risos). Gosto de relaxar vendo comédias. “Se beber, não case” é um dos mais engraçados filmes que já vi e aquela cena do Mike Tyson tocando uma bateria imaginária é simplesmente impagável.

Lidar com os compromissos comerciais é muito desgastante?

GANSO: Entendo a importância da publicidade para um jogador, mas confesso que às vezes não gosto muito do trabalho que dá para fazer algo que parece simples na televisão ou na revista. Não sou modelo, então estranho quando preciso ficar sete horas fazendo embaixadinhas para a câmera, como naquele comercial que eu, Robinho e Neymar fizemos para a Seara. Foi bastante pesado (risos).

O que está acontecendo com o Santos no Brasileirão?

GANSO: Estamos numa situação complicada (17 lugar) e precisamos de calma. Ainda há muitos jogos e uma sequência de vitórias já vai ajudar muito, até porque temos dois jogos a menos. Não podemos ficar apenas pensando no Mundial Interclubes. Afinal, vamos precisar estar no melhor de nossa forma se quisermos ir bem na competição.

E aquele jogo incrível com o Flamengo? Já absorveu o que aconteceu na Vila?

GANSO: Sou um cara que às vezes tem problema para dormir quando perde. Não preguei o olho depois daquele jogo. Todo mundo falou maravilhas da qualidade do jogo, mas o Santos saiu de campo com uma derrota que nenhum de nós esperávamos que fosse acontecer quando fizemos 3 a 0, ainda no primeiro tempo. Ainda me incomoda um pouco pensar naquela partida.

Será que vai mesmo jogar com Pelé no Mundial?

GANSO: Essa história é muito louca, mas imagina só você estar no ônibus do clube e ver o Rei do Futebol no banco ao lado. Até hoje não tive muitas chances de conversar com o Pelé e de repente vou ter que disputar posição com ele (risos). Ainda bem que não sou o Muricy.

Pensa em se tornar treinador algum dia?

GANSO: Não sou muito fã de tática. Às vezes funciona muito bem no quadro negro, não no campo. Se o Santos tivesse se prendido demais a esquemas, não teríamos feito metade das coisas que conseguimos nos últimos tempos.

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE D: Resultados 21/08/11 e Classificação

Resultados

21/08/2011 10:00 (Dom) Guarani-CE 2 x 0 Porto-PE Mauro Sampaio
21/08/2011 15:15 (Dom) Alecrim-RN 0 x 2 Santa Cruz-RN Nazarenão
21/08/2011 16:00 (Dom) Treze-PB 3 x 1 River Plate-SE Ernani Sátiro
21/08/2011 16:00 (Dom) Tocantinópolis EC 1 x 3 Gama Ribeirão
21/08/2011 16:00 (Dom) Cianorte 1 x 0 Metropolitano Albino Turbay
21/08/2011 17:00 (Dom) São Raimundo-PA 1 x 1 Guarani-CE Colosso dos Tapajós
21/08/2011 17:00 (Dom) Peñarol-AM 1 x 0 Vila Aurora-MT Floro Mendonça
21/08/2011 19:00 (Dom) Mirassol 0 x 0 Oeste José M. C. Maia

Classificação

Grupo 1
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Penarol-AM 10 5 3 1 1 6 3 3 66.7
2  Cuiabá-MT 9 4 3 0 1 8 4 4 75.0
3  Plácido de Castro-AC 7 5 2 1 2 4 5 -1 46.7
4  Nacional-AM 4 5 1 1 3 4 7 -3 26.7
5  Vila Aurora-MT 3 5 0 3 2 2 5 -3 20.0
 
Grupo 2
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Sampaio Corrêa-MA 9 4 3 0 1 12 4 8 75.0
2  Comercial-PI 6 4 2 0 2 4 6 -2 50.0
3  Trem-AP 6 4 2 0 2 4 7 -3 50.0
4  Independente-PA 5 5 1 2 2 7 8 -1 33.3
5  São Raimundo-PA 5 5 1 2 2 3 5 -2 33.3
 
Grupo 3
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Santa Cruz-RN 9 5 3 0 2 6 5 1 60.0
2  Guarani-CE 8 5 2 2 1 5 1 4 53.3
3  Santa Cruz-PE 8 4 2 2 0 6 3 3 66.7
4  Alecrim-RN 6 5 2 0 3 4 7 -3 40.0
5  Porto-PE 2 5 0 2 3 2 7 -5 13.3
 
Grupo 4
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Treze-PB 12 5 4 0 1 12 7 5 80.0
2  Bahia de Feira-BA 9 5 3 0 2 8 4 4 60.0
3  Coruripe-AL 9 5 3 0 2 9 9 0 60.0
4  River Plate-SE 4 5 1 1 3 5 8 -3 26.7
5  Vitória da Conquista-BA 1 4 0 1 3 2 8 -6 8.3
 
Grupo 5
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Itumbiara-GO 9 5 3 0 2 9 8 1 60.0
2  Tupi-MG 8 4 2 2 0 7 3 4 66.7
3  Gama-DF 8 5 2 2 1 7 6 1 53.3
4  Tocantinópolis-TO 4 5 1 1 3 6 9 -3 26.7
5  Anapolina-GO 4 5 1 1 3 6 9 -3 26.7
 
Grupo 6
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Villa Nova-MG 13 5 4 1 0 9 3 6 86.7
2  Volta Redonda-RJ 6 5 1 3 1 2 2 0 40.0
3  Audax-RJ 5 5 1 2 2 6 5 1 33.3
4  Formosa-GO 5 4 1 2 1 1 1 0 41.7
5  São Mateus-ES 2 5 0 2 3 3 10 -7 13.3
 
Grupo 7
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  CENE-MS 10 5 3 1 1 11 7 4 66.7
2  Oeste-SP 8 5 2 2 1 7 5 2 53.3
3  Mirassol-SP 8 5 2 2 1 3 4 -1 53.3
4  Cerâmica-RS 5 5 1 2 2 5 5 0 33.3
5  Operário-PR 1 4 0 1 3 1 6 -5 8.3
 
Grupo 8
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Cianorte-PR 13 5 4 1 0 7 3 4 86.7
2  Juventude-RS 10 5 3 1 1 11 5 6 66.7
3  Metropolitano-SC 6 5 2 0 3 7 8 -1 40.0
4  Brusque-SC 4 4 1 1 2 3 7 -4 33.3
5  Cruzeiro-RS 1 5 0 1 4 1 6 -5 6.7

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE C: Resultados 21/08/11 e Classificação

Resultados

21/08/2011 15:00 (Dom) Santo André 1 x 1 Joinville Bruno José Daniel
21/08/2011 15:00 (Dom) Caxias-RS 2 x 1 Brasil-RS Francisco Stédile
21/08/2011 16:00 (Dom) Guarany 1 x 1 Fortaleza Junco
21/08/2011 18:00 (Dom) Araguaina-TO 0 x 2 Rio Branco-AC Leôncio Miranda

Classificação

Grupo A
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Águia-PA 10 5 3 1 1 8 4 4 66.7
2  Paysandu-PA 8 5 2 2 1 6 5 1 53.3
3  Luverdense-MT 7 4 2 1 1 8 4 4 58.3
4  Rio Branco-AC 7 5 2 1 2 7 8 -1 46.7
5  Araguaína-TO 1 5 0 1 4 2 10 -8 6.7
 
Grupo B
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  América-RN 9 5 3 0 2 9 6 3 60.0
2  CRB-AL 9 5 3 0 2 5 7 -2 60.0
3  Guarany-CE 7 5 2 1 2 7 6 1 46.7
4  Fortaleza-CE 5 5 1 2 2 6 7 -1 33.3
5  Campinense-PB 4 4 1 1 2 3 4 -1 33.3
 
Grupo C
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Brasiliense-DF 12 5 4 0 1 7 1 6 80.0
2  Ipatinga-MG 9 5 3 0 2 7 6 1 60.0
3  Marília-SP 7 4 2 1 1 7 8 -1 58.3
4  Madureira-RJ 4 5 1 1 3 4 6 -2 26.7
5  Macaé-RJ 2 5 0 2 3 4 8 -4 13.3
 
Grupo D
Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Joinville-SC 9 5 2 3 0 8 5 3 60.0
2  Chapecoense-SC 7 4 2 1 1 9 5 4 58.3
3  Brasil-RS 7 5 2 1 2 8 8 0 46.7
4  Caxias-RS 5 5 1 2 2 6 8 -2 33.3
5  Santo André-SP 4 5 1 1 3 4 9 -5 26.7

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE B: Classificação

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Portuguesa-SP 37 18 11 4 3 38 16 22 68.5
2  Ponte Preta-SP 34 18 10 4 4 32 19 13 63.0
3  Náutico-PE 33 18 9 6 3 21 15 6 61.1
4  Paraná-PR 28 18 8 4 6 24 20 4 51.9
5  Americana-SP 27 18 8 3 7 22 25 -3 50.0
6  ASA-AL 27 18 8 3 7 25 29 -4 50.0
7  Criciúma-SC 27 18 7 6 5 15 16 -1 50.0
8  Sport-PE 26 18 7 5 6 26 23 3 48.1
9  Goiás-GO 25 18 8 1 9 27 30 -3 46.3
10  ABC-RN 25 18 5 10 3 26 22 4 46.3
11  Vitória-BA 24 18 7 3 8 24 24 0 44.4
12  Icasa-CE 24 18 6 6 6 26 25 1 44.4
13  Vila Nova-GO 23 18 6 5 7 17 16 1 42.6
14  Boa Esporte-MG 23 18 6 5 7 17 17 0 42.6
15  Grêmio Barueri-SP 23 18 6 5 7 18 21 -3 42.6
16  Bragantino-SP 21 18 6 3 9 27 32 -5 38.9
17  Guarani-SP 20 18 5 5 8 23 23 0 37.0
18  São Caetano-SP 20 18 4 8 6 24 28 -4 37.0
19  Salgueiro-PE 16 18 4 4 10 19 29 -10 29.6
20  Duque de Caxias-RJ 9 18 1 6 11 16 37 -21 16.7

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Resultados 21/08/11 e Classificação

Resultados

21/08/2011 16:00 (Dom) Avaí 0 x 0 Coritiba Ressacada
21/08/2011 16:00 (Dom) São Paulo 1 x 1 Palmeiras Morumbi
21/08/2011 16:00 (Dom) Atlético-GO 1 x 0 Grêmio Serra Dourada
21/08/2011 16:00 (Dom) Internacional-RS 2 x 2 Flamengo Beira Rio
21/08/2011 18:00 (Dom) Atlético-PR 2 x 2 América-MG Arena do Jacaré
21/08/2011 18:00 (Dom) Vasco 1 x 1 Fluminense Engenhão
21/08/2011 18:00 (Dom) Bahia 1 x 2 Santos Pituaçu

Classificação

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Corinthians-SP 37 18 11 4 3 29 16 13 68.5
2  Flamengo-RJ 35 18 9 8 1 33 21 12 64.8
3  São Paulo-SP 34 18 10 4 4 29 22 7 63.0
4  Vasco da Gama-RJ 34 18 10 4 4 26 21 5 63.0
5  Botafogo-RJ 31 18 9 4 5 27 18 9 57.4
6  Palmeiras-SP 29 18 7 8 3 23 13 10 53.7
7  Internacional-RS 27 18 7 6 5 27 22 5 50.0
8  Figueirense-SC 26 18 7 5 6 19 21 -2 48.1
9  Fluminense-RJ 25 17 8 1 8 20 18 2 49.0
10  Coritiba-PR 25 18 7 4 7 31 23 8 46.3
11  Cruzeiro-MG 24 18 7 3 8 24 19 5 44.4
12  Atlético-GO 22 18 6 4 8 20 20 0 40.7
13  Ceará-CE 22 18 6 4 8 24 28 -4 40.7
14  Bahia-BA 20 18 4 8 6 21 24 -3 37.0
15  Santos-SP 18 16 5 3 8 20 26 -6 37.5
16  Grêmio-RS 18 17 4 6 7 16 22 -6 35.3
17  Atlético-PR 17 18 4 5 9 19 27 -8 31.5
18  Atlético-MG 15 18 4 3 11 23 36 -13 27.8
19  Avaí-SC 14 18 3 5 10 18 38 -20 25.9
20  América-MG 13 18 2 7 9 21 35 -14 24.1

ICFUT – Inter arranca empate com o Flamengo no Beira-Rio

Fonte: gazetaesportiva.net

Em partida muito movimentada, disputada na tarde deste domingo, no Beira-Rio, Internacional e Flamengo empataram por 2 a 2. O resultado manteve o time rubro-negro na segunda posição do Campeonato Brasileiro com 35 pontos ganhos enquanto o Internacional subiu para a sétima posição com 27 pontos.

Apesar de ter atuado com um jogador a menos desde o final do primeiro tempo, o Internacional mostrou muito empenho para conseguir igualar o marcador depois de ter ficado em desvantagem por duas vezes. O Flamengo teve um Ronaldinho Gaúcho inspirado e que causou preocupação constante a defesa da equipe gaúcha. Na próxima rodada, o Internacional enfrentará o Grêmio enquanto o Flamengo terá o Vasco pela frente.

Por A.Tiago – Muita luta e pouca técnica: São Paulo e Palmeiras ficam no empate

Equipes mostram apenas lampejos durante os 90 minutos no Morumbi, como em golaço de Dagoberto, e terminam iguais no placar: 1 a 1

 

Domingo de muito frio na capital paulista. Dois rivais tradicionais que entraram em campo mais preocupados em não perder do que em ganhar. Apesar das várias peças de qualidade, São Paulo e Palmeiras maltrataram a bola e não mereceram mais do que o empate por 1 a 1, resultado que deixou ambos em situações inalteradas na tabela. O Tricolor, que não aproveitou o tropeço do líder Corinthians no sábado, segue na terceira colocação, com 34 pontos. Já o Verdão, que manteve seu fraco desempenho como visitante, é o sexto, com cinco pontos a menos. O público também não foi animador: 16.813 pessoas pagaram para ver o duelo, com renda de R$ 587.600.

 

 

Os dois times voltarão a campo pelo Brasileirão no próximo domingo. O São Paulo descerá a serra para fazer o clássico contra o Santos, enquanto o Verdão vai viajar até Presidente Prudente para encarar o rival Corinthians. No meio de semana, no entanto, ambos vão jogar pela Copa Sul-Americana. O Tricolor receberá o Ceará no Morumbi, na quarta-feira. Já o Palmeiras terá o Vasco pela frente, no Pacaembu, um dia depois.