ICFUT–COPA AMÉRICA: Brasil perde quatro pênaltis e dá adeus à Copa América

Fonte: lancenet

Time de Mano Menezes abusou do direito de perder gols no tempo normal e deu adeus ao sonho da Copa América

Brasil x Paraguai (Foto: Mauricio Dueñas/EFE) BRobinho tenta escapar do carrinho paraguaio (Foto: Mauricio Dueñas/EFE)

Injustiça é uma palavra que não cabe no futebol. O Brasil criou sete ou oito oportunidades para fazer o gol e pecou. Resultado: foi eliminado nos pênaltis para um Paraguai defensivo e sem coragem de ir ao ataque. Depois do placar em branco no tempo regulamentar e na prorrogação, a Albiroja fez 2 a 0 nos pênaltis e avançou à semifinal da Copa América.
O Brasil tomou a iniciativa esteve ligado no jogo durante o primeiro tempo e ganhou as principais divididas no meio de campo. O setor defensivo também mereceu destaque porque anulou as jogadas de ataque do Paraguai e deixou que Julio Cesar fosse apenas um espectador.
Pato e Neymar trocaram de posição algumas vezes para confundir os paraguaios. A movimentação dos homens de frente foi boa: com boas saídas e trocas de passes rápidas, Robinho deixou a Joia na cora do gol, só que o atacante do Santos tirou muito do goleiro e a bola ganhou a linha de fundo.
Outro lance importante nasceu da bola parada pela esquerda. André Santos centrou e Villar salvou um carrinho mortal de Lúcio.
No mais, muito respeito entre as duas seleções e estudo tático antes de dar o bote.
A Seleção continuou melhor e controlando a posse de bola. Na verdade,não mudou tanto em relação ao primeiro tempo. Criou chances, mas a pelota insistia em não entrar.
Pato e Neymar tiveram as bolas do jogo, mas foram parados pelas defesas milagrosas de Junto Villar. Ganso também apareceu para o jogo.
Do outro lado, encolhido, o Paraguai aplicou um revezamento de faltas e marcação rígida, por vezes violenta, sobre Neymar e Robinho.
O gol não aparecia e a partida ganhava conotações dramáticas. Sergio Pezzotta soprou o apito final e o prélio foi ao tempo extra.
PRORROGAÇÃO E PÊNALTIS
Sem querer correr riscos, a Seleção Brasileira começou a prorrogação em banho-maria. Robinho, por sua vez, quando buscava a bola, tramava bons ataques para o time canarinho.
A estratégia do Paraguai era clara: esperar uma brecha e ir deixando a Seleção cada vez mais apreensiva com a igualdade no marcador. Foi assim que Lucas foi expulso após perder a cabeça num lance infantil com Alcaraz (também excluído do espetáculo).
Os ponteiros do relógio pareciam apressados. Deste modo, o Brasil não conseguiu criar e a partida foi às penalidades máximas.
Elano, Thiago Silva , André Santos e Fred desperdiçaram suas cobranças e deram um ponto final no sonho de conquistar o triicampeonato da Copa América. Lamentável…

FICHA TÉCNICA
BRASIL 0(0) X 0 (2) PARAGUAI

Local: Estádio Ciudad de la Plata, em La Plata (Argentina)
Data: 17 de julho de 2011 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Sergio Pezzotta (Argentina)
Assistentes: Ricardo Casas (Argentina) e Efraín Castro (Bolívia)
Cartão Amarelo: André Santos, Maicon (BRA); Vera, Barreto, Marecos, Estigarribia (PAR)
Cartão Vermelho: Lucas (BRA) e Alcaraz (PAR), 12’/1ºT Pror.
Gols: –
BRASIL: Julio Cesar; Maicon, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires e Paulo Henrique Ganso (Lucas, 9’/2ºT); Robinho, Alexandre Pato (Elano, 5’/2ºT Pror.) e Neymar (Fred, 35’/2ºT). Técnico: Mano Menezes
PARAGUAI: Villar, Verón, Da Silva, Alcaraz e Torres (Marecos, 25’/2ºT); Vera (Barreto, 16’/2ºT), Cáceres, Riveros e Estigarribia; Valdez e Lucas Barrios (Perez, 37’/2ºT). Técnico: Gerardo Martino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s