Por Cleber Aguiar – Torcedor joga banana em campo e Roberto Carlos abandona jogo

Fonte: Portal Uol

O lateral esquerdo Roberto Carlos sofreu novamente um ato racista no campeonato russo, nesta quarta-feira.

Nos minutos finais da vitória da sua equipe, o Anzhi, sobre o Krylia Sovetov, em Samara, por 3 a 0, um torcedor atirou uma banana em campo, perto do ex-jogador da seleção brasileira.

Imediatamente, Roberto Carlos deixou o campo do Estádio Metallurg, mesmo com o Anzhi já tendo feito as três substituições permitidas à equipe.

“Estou indignado com o comportamento do torcedor que ofendeu não apenas eu, mas todos os jogadores presentes. E não apenas os jogadores, mas todo o futebol russo”, disse Roberto Carlos ao “Sport-Express”, em entrevista reproduzida pelo site “Sports.ru”.

No mesmo campeonato russo, na segunda rodada, na derrota para o Zenit, um torcedor também teve atitude semelhante, ao oferecer uma banana a Roberto Carlos enquanto era feita a cerimônia de abertura do jogo, próxima à arquibancada.

O time de Roberto Carlos, quarto colocado na competição, também conta com o atacante Diego Tardelli e o zagueiro João Carlos.

“Vencemos, mas infelizmente tivemos esse problema com o Roberto Carlos no fim da partida. Jogaram uma banana nele e ele deixou o gramado bastante chateado com isso. Na Rússia isso está virando rotina, as autoridades têm que tomar atitudes mais severas com relação a esse racismo”, disse o zagueiro brasileiro.

“Essa coisas nos causam indignação, e não podemos ser indiferentes a elas”, afirmou o técnico do Anzhi, Gadzhi Gadzhiev.

A Rússia foi escolhida, no ano passado, como sede da Copa do Mundo de 2018.

“Roberto Carlos é um dos mais importantes nomes que já chegaram à Rússia para elevar o nível do campeonato e do interesse do público. Ele foi ofendido de uma forma de uma forma absolutamente descarada. A punição será a mais severa possível”, disse Sergey Fursenko, presidente da associação russa de futebol, de acordo com a “Sovetsky Sport”.

Divulgação/FC Anzhi
Roberto Carlos comemora gol com Diego Tardelli contra o Rostov; clique na foto e veja galeria
Roberto Carlos comemora gol com Diego Tardelli contra o Rostov; clique na foto e veja galeria

Por Cezar Alvarenga – Ponderações sobre a última postagem….

Sobre o última postagem, anônima, do site mencionando uma notícia do site oficial do Barcelona fica aqui minha observação. Em primeiro lugar a pessoa deveria assinar a notícia não postar em nome do ICFUT, já que trata-se de uma opinião pessoal, em segundo lugar, deveria ao menos ler com atenção e prestar atenção no contexto. Para quem não leu, o site diz que estes clubes estão “entre os maiores” clubes do Brasil e não “são” os maiores clubes do Brasil. Lembrando também que Palmeiras e Santos entraram nesta relação devidos aos títulos ganhados na canetada da CBF, portanto, sem nenhuma relevância no meio esportivo já que ninguém mais lembra deste episódio, tamanha sua “importância”. Objetivamente a grandeza de um clube se dá pela paixão e tamanho de sua torcida, suas glórias e tradição e nestes quesitos no Brasil, Corinthians e Flamengo são imbatíveis, por isso, serão sempre as duas nações dentro de uma nação.

Por Cleber Aguiar – Irmão de Ganso fura mistério de Muricy e o confirma na final

Fonte: Portal Terra

Irmão de Ganso fura mistério de Muricy e o confirma na final

Técnico Muricy Ramalho fez mistério, mas praticamente confirmou a escalação de Paulo Henrique Ganso para a final da Copa Libertadores da América, .... Foto: Ricardo Saibun/Gazeta Press

Paulo Henrique Ganso é a grande novidade do time do Santos para a final da Libertadores contra o Peñarol

O meia Paulo Henrique Ganso será titular do Santos na decisão da Libertadores contra o Peñarol, na noite desta quarta-feira, às 21h50, no Pacaembu. Quem garante é Júlio Chagas de Lima, irmão do camisa 10.

Papito, como é conhecido, confirmou a participação do astro alvinegro diante do uruguaios por meio de uma mansagem postada em seu Twitter, furando o mistério mantido por Muricy Ramalho em sua entrevista coletiva na última terça-feira.

Questionado pela internauta @Thayziitah sobre a participação do irmão, ele respondeu: “joga sim linda”, escreveu, @papitolima.

Não é a primeira vez que o irmão de Ganso se envolve em polêmica com mensagem no Twitter. No último dia 13 de maio, Papito chamou o Corinthians de timinho e tornou-se alvo de protestos da torcida do rival. Na sequência, com receio, preferiu tirar sua foto e seu nome do perfil.

Vale lembrar que Ganso não joga desde o dia 8 de maio, e na ocasião ele acabou sofrendo um estiramento na coxa direita, na final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians. Desde então, o jogador fez tratamento intesivo para se recuperar em tempo de disputar a Libertadores.

Com a volta de Ganso, os principais candidatos a perdera vaga são Pará, Danilo e Adriano. No caso da saída do primeiro, Danilo seria passado para a lateral direita. Já se Adriano ou Danilo forem os escolhidos, o meio de campo sofrerá mudanças de posicionamento.

Para ser campeão, o Santos precisa vencer o jogo. A partida de ida terminou empatada em 0 a 0. Qualquer outro empate leva a decisão para os pênaltis.

ICFUT – Musa recupera boa forma e é homenageada em clube do Rio de Janeiro

Fonte: Futebolinterior.com.br

Nana Gouvêa é considerada uma das mais belas do Brasil

Bela, sensual e cada vez mais em forma… Assim está Nana Gouvêa, que na noite da última segunda-feira recebeu uma bela homenagem do Resende, clube de futebol do Rio de Janeiro. A beldade é a musa do clube carioca e esteve na festa de comemoração pela conquista do vice na Taça Guanabara de Juniores.Nana Gouvêa é considerada uma das mais belas do Brasil e está sempre chamando a atenção pelas curvas definidas, que deixam qualquer marmanjo de queixo caído. O atacante Felipe Linhares foi o artilheiro da Taça Guanabara de Juniores e também foi premiado pela presença da musa do clube.

Mesmo quem perdeu a linda festa do Resende pode conferir as curvas de Nana Gouvêa através da Galeria de Imagens do Portal FI. A musa está sempre sendo vista exibindo a boa forma nas praias cariocas e não se cansa de ser fotografada em poses sensuais.

[videolog 669048]

Por Cleber Aguiar – Assassinato de Luiz de Paula, o Batata, deixa cartolas em polvorosa

Fonte: Futebolinterior.com.br

Profissionais da bola temem que o futebol tenha “motivado” o assassinato do dirigente

Morte de Batata deixa dirigentes agitados

Campinas, SP, 22 (AFI) – A morte brutal do Luiz de Paula, o popular Batata, vice-presidente do São Caetano, assassinado terça-feira, deixou os dirigentes, empresários e pessoas ligadas ao meio do futebol em povorosa. Embora não haja, ainda, nenhuma suspeita sobre os motivos do assassinato, com pinta de execução, todos os “boleiros” conhecem muito bem o jogo de “engana-engana” que existem no mundo de negócios da bola.

Desde terça-feira, a busca por informações mais detalhadas era grande. Curiosamente, partindo de pessoas ligadas aos negócios de futebol. Por trás destas indagações, dúvidas e expectativas existe uma temeridade do que pode ter acontecido. Afinal de contas, se realmente o caso for ligado ao futebol, como aconteceu com Batata pode acontecer, um dia, com outros dirigentes.

O engana-engana
No passado, até a década de 80, o poder dos negócios do futebol estava restrito apenas aos dirigentes de clubes. Em especial aos presidentes, afinal o regime é presidencialista. Tudo mudou com a vigência da Lei Pelé, em 1999. O poder saiu, abruptamente, dos clubes para os empresários. Como toda profissão, existem bons e maus empresários, como também existem bons e maus dirigentes.

Mas no “mundo da bola” a maioria dos negócios é feita entre eles – presidentes e empresários. Com a extinção do “Passe”, os negociadores logo encontraram fórmulas de ganhar dinheiro nas transações. Muita coisa é documentada e legal, mas outras acabam ficando na “palavra”. Será que vale a palavra dos dirigentes?

É comum de vir no circuito do futebol, empresários ou procurando reclamando de acordos feitos com dirigentes.

“Eu coloquei meu jogador num clube com 19 anos e ele foi vendido aos 21 anos. Eu tinha 50% do passe. Acontece que o clube o vendeu por R$ 1 milhão e só me passou R$ 50 mil. Um roubo. E isso acontece toda hora no futebol”, garantiu um empresário do interior paulista que, por questões óbvias, não quis revelar o nome do clube e nem do dirigente envolvido.

Mas como um depende do outro, as desavenças são, às vezes, esquecidas em nome de um futuro negócio. É o conhecido jogo do “me engana agora, que te engano depois”. Este (outro negócio) às vezes acontece, mas outras vezes, não, ficando apenas na promessa. Quando o negócio não sai, a briga é inevitável. E as ameaças também. Tanto que não se tem notícias de um fato real tão grave, como uma execução, que tenha ocorrido por conta destas desavenças.

Nairo perde seu braço direito

São Caetano correto
Apesar das especulações, o São Caetano sempre foi um time com perfil de correção. Nasceu clube-empresa, estourou no Brasil no final dos anos 90 e depois virou um grande balcão de negócios.

Batata, junto com Nairo Ferreira de Souza, presidente há mais de uma década, gerenciavam as carreiras de 40 a 50 jogadores dentro do clube, com cifras milionárias. Batata começou no clube como supervisor, depois foi diretor de futebol e chegou à vice-presidência em 1999, então, já com Nairo Ferreira como presidente. Um verdadeiro casamento.

Juntos eles abriram as portas do clube para vários empresários, ligados direta ou indiretamente, ao futebol. Um dos maiores investidores neste período de quase duas décadas foi Samuel Klein, ex-dono majoritário da Casas Bahia. O grupo agora pertence ao Grupo Pão de Açúcar.

Como todo relacionamento, como um casamento entre marido e mulher, eram conhecidas algumas divergências de pontos de vista entre Nairo Ferreira e Batata. Todo por conta de divergências de cifras, formas de negócios ou gerenciamento do futebol do clube. Mas nada que fosse grave ou fosse visto abertamente.

Indiferente a isso, o São Caetano sempre foi um clube correto com seus compromissos, pelo menos os oficiais. Pagamentos para jogadores, funcionários sempre foram pagos religiosamente em dia. E, aparentemente, os negócios eram cumpridos conforme eram acordados. Salvo prova em contrário.

Tortorello incentivou a criação do Azulão

Azulão nasceu com ex-prefeito
O sonho de projetar a cidade de São Caetano no esporte, especialmente, no futebol nasceu com o idealismo do ex-prefeito Luiz Olinto Tortorello, que teve três mandatos na cidade (1989/1992, 1997/2000 e 2001/2004). Já falecido, ele conseguiu, ainda vivo, transformar o filho, Marcos Tortorello, em deputado estadual (PPS) – cumprindo seu terceiro mandato.

No começo, com certeza, ele mobilizou o comércio e o empresariado local para dar suporte financeiro ao clube. E encontrou formas legais de também ajudar o time de futebol com recursos, pelo menos, para alimentação, transporte, alojamento e também nas divisões de base.

Com o sucesso do time no futebol, com uma ascensão meteórica, o São Caetano se tornou clube-empresa e virou uma vitrine para valorizar e negociar jogadores.

Por Cleber Aguiar – São-paulino trava pacote de isenção pró-Itaquera

Fonte: O Estado de São Paulo

Aurélio Miguel consegue adiar votação do projeto que beneficia estádio do Corinthians e novo atraso pode comprometer obra

Diego Zanchetta – O Estado de S.Paulo

De nada adiantou a pressão de políticos e empreiteiras para que os vereadores de São Paulo aprovassem em tempo recorde a isenção de até R$ 420 milhões para o Corinthians. No início da noite de ontem, o vereador Aurélio Miguel (PR) conseguiu autorização para analisar o projeto pelas próximas 48 horas. Agora, a votação que ocorreria em regime de urgência hoje será remarcada, na melhor das hipóteses, para a próxima terça-feira.

O novo atraso pode comprometer o cronograma de obras do estádio em Itaquera. Se a garantia do abono da Prefeitura não for enviada pelo Corinthians e pela CBF à Fifa até o dia 10 de julho, o estádio da zona leste não poderá ser sede da abertura da Copa do Mundo de 2014.

“Não estou preocupado em ser sede da abertura da Copa. Eu quero saber por que é concedido incentivo de milhões para um estádio e não para a construção de creches”, argumentou o ex-judoca, conselheiro do São Paulo. Ele afirma que sua proximidade com o rival do time corintiano nada tem a ver com seu posicionamento na Câmara. “Voto a favor do que é bom para a cidade.”

O desfecho ontem para a polêmica votação da proposta de isenção foi uma ducha de água fria na mobilização construída o dia todo pelo prefeito Gilberto Kassab (sem partido) e também pelo presidente do Corinthians, Andrés Sanchez. Depois de serem encurralados por um lobby que incluiu ligações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para integrantes do PT- vereadores confirmaram a ligação do presidente, mas liderança da bancada negou que Lula tenha interferido -, avisos em tom ameaçadores de Kassab aos seus aliados e visitas de representantes da Odebrecht, os vereadores governistas davam como certa a aprovação em tempo recorde. O texto deveria passar em primeira votação hoje, com o apoio de 34 dos 55 parlamentares.

Pressão. A isenção entrou em trâmite para votação sem audiência pública e à frente de projetos da Prefeitura que estão à espera de análise há mais de dois anos. A pressão sem precedentes nos últimos anos mobilizou ontem os principais secretários kassabistas, que dispararam o dia todo ligações aos líderes de bancada. “Quem é da base governista e não apoiar a proposta vai ser responsabilizado politicamente nas eleições de 2012 se São Paulo perder a abertura da Copa”. Esse era o tom do recado do prefeito.

Ao mesmo tempo, o presidente corintiano Andrés Sanchez passava de gabinete em gabinete. Antes do meio-dia, quando ainda tentava convencer o palmeirense Antonio Carlos Rodrigues (PR) a mudar seu voto contrário, o lobby corintiano foi engrossado pelo seu torcedor mais ilustre. À espera de Sanchez em uma sala do oitavo andar, vereadores do PT foram avisados por um interlocutor de Lula de que o ex-presidente solicitava, “de forma emergencial”, o apoio de sua bancada, a maior da Câmara com 11 parlamentares, ao projeto.

Com apoio do PT e das bancadas governistas, estava tudo certo para que a isenção fosse votada hoje. Mas, por volta das 18 horas, Miguel, que vem fazendo oposição à gestão Kassab desde 2008, descobriu uma brecha regimental para travar o processo. Pediu vistas ao projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Para tentar esfriar a crise, a base governista de Kassab e o PT devem se unir para tentar votar o projeto até a próxima quinta-feira. O presidente da Câmara, José Police Neto (sem partido) não descarta adiar o recesso de julho por dez dias caso a votação seja adiada mais uma vez.

PARA ENTENDER

Trâmite normal leva meses

Não existe prazo mínimo ou máximo para apreciação de projeto de lei na Câmara Municipal, mas a estimativa é de que todo o trâmite de um projeto demore no mínimo três meses. Numa condição normal, há a necessidade de o projeto passar pela Comissão de Constituição e Justiça – que verifica a legalidade – e depois por comissões temáticas. No caso do estádio, a análise deve ser feita por três: a de Educação, Cultura e Esportes, a de Finanças, e a de Política Urbana. Para acelerar o processo, os vereadores lançam mão de manobra chamada congresso de comissões. Em uma hora, aprovam nas comissões e levam às votações. É necessário que ocorram duas.

Por Cleber Aguiar – Últimas do Santos FC .

Fonte: Folha de São Paulo

LONGA espera

Após 48 anos, jovem time do Santos busca tricampeonato na Libertadores ante o Peñarol LEONARDO LOURENÇO
ENVIADO ESPECIAL A SANTOS

São 48 anos de espera que podem chegar ao fim nesta noite. No estádio do Pacaembu, em São Paulo, basta um triunfo sobre o Peñarol para que o Santos reconquiste a prestigiada Libertadores da América, título que obteve pela última vez em 1963.
O 0 a 0 em Montevidéu, há uma semana, deixou a equipe da Vila Belmiro no cenário de atuar na arena paulistana em busca de uma vitória por qualquer placar. Isso com o apoio de 40 mil santistas.
Nova igualdade, por qualquer resultado, leva a decisão para a prorrogação e, se necessário, aos pênaltis.
O tricampeonato pode coroar um planejamento que se desenha desde a metade de 2010, quando a equipe venceu a Copa do Brasil.
Começou com a recusa de Neymar à proposta do time inglês Chelsea e contou com os milhões despejados pela Teisa, fundo de investimentos controlado por conselheiros e executivos ligados à direção do clube santista.
Tropeços sob o comando dos então técnicos Adilson Batista e Marcelo Martelotte colocaram em dúvida a eficácia do que foi planejado para a Libertadores. Mas Muricy Ramalho chegou ao Santos e recolocou o time nos trilhos.
Pela frente, hoje, haverá um velho rival, recuperado de anos de ostracismo. O mesmo Peñarol que, em 1962, na primeira conquista santista, contentou-se com o vice da mesma competição ante um time que tinha Pelé.
A esperança santista pelo título outra vez ostenta o número 10 às costas. O meia Paulo Henrique Ganso, curado de uma lesão na coxa direita que o afastou dos campos por 45 dias, volta para fazer companhia a Neymar.
Muricy sabe que estarão na dupla, festejada pelo talento com a bola nos pés, as maiores chances de seu time vencer o campeonato.
“Vamos jogar futebol, sem fazer guerra”, disse o técnico, repetindo o discurso utilizado desde sua chegada ao clube, ao notar um nervosismo excessivo que atrapalhava a equipe na competição. “A Libertadores mudou.
Os jogos são mais técnicos. O Santos mesmo teve uma lição, porque começou nesse clima, [com] esse pensamento de guerra, de catimba, e por pouco não foi eliminado”, afirmou Muricy.
“Estavam querendo fazer os atletas jogarem de um jeito que eles não sabem.”
Com os nervos no lugar, o jovem time do Santos (média de 25,1 anos) chegou à final da Libertadores e terá, a partir das 21h50, a chance derradeira de marcar seus nomes na história do clube ao lado de Pelé, Coutinho, Pepe…

NA TV
Santos x Peñarol

21h50 Globo, Bandsports, Sportv e Sportv HD

Quem será o mocinho desta noite?

São muitos os candidatos a herói no derradeiro capítulo da Libertadores JOSÉ ROBERTO TORERO
ESPECIAL PARA A FOLHA

Hoje é o último capítulo da novela Libertadores. Uma novela romântica e violenta, com lágrimas de tristeza e de alegria, uma novela com longos e espetaculares capítulos de 90 minutos.
Nesta derradeira noite, saberemos quem matará o vilão Martinuccio Peñarol, um tipo de cara limpa e de cabelo cortado, mas que poderia ter bigodão e rabo de cavalo para melhor representar um inimigo argentino-uruguaio.
As opções para mocinho são várias. Se nossa novela tiver um caráter um tanto evangélico, o herói será o goleiro Rafael. Não só por ser religioso e apontar os dedos para o céu a cada defesa, mas porque, por conta de seus milagres, os santistas disseram “graças a Deus” várias vezes nas últimas semanas.
Se a história tiver um cunho mais realista, o derradeiro gol pode ser feito por um sujeito comum, como um Pará (o reserva onipresente) ou um Durval, o discreto zagueiro que jamais se machuca.
Um final inesperado seria se Adriano, o volante esforçado mas sem grande habilidade, fizesse o gol. Perguntei para 45 amigos quem seria o autor do tento decisivo, e nenhum deles citou o volante.
Caso seja uma novela de época, o gol será do vovô Léo, em sua melhor fase desde que voltou ao Santos.
Se o artilheiro decisivo for Arouca, Danilo ou Elano, teremos um final daqueles em que Toni Ramos é o mocinho, pois, assim como o felpudo astro global, eles são talentosos e bons-moços, sempre jogando para o time.
Ter Edu Dracena como herói daria um toque militar à novela, com a cavalaria, ou pelo menos o capitão, chegando no final para salvar tudo. E ele já fez isso na Copa do Brasil de 2010.
Uma final ambígua acontecerá se o tento da vitória for marcado por Ganso, o galã infiel que tem o coração balançando entre o Santos e o mundo. Segundo o Datatorero, ele foi o mais votado para o gol do título, com 11 votos, um a mais que Neymar.
Aliás, se nosso jovem moicano for decisivo, teremos um final óbvio, daquele que os espectadores gostam e se sentem satisfeitos.
Porém acho que meu final preferido seria se Zé Love marcasse o gol do título. Ele, que vem perdendo tantos tentos, fará sua última partida antes da partida. Um gol seu certamente provocaria cachoeiras de lágrimas.
Seria um capítulo final com uma reviravolta espetacular, em que o personagem que vem desapontando o espectador dá a volta por cima e se redime totalmente.
Mas, é claro, sempre pode acontecer de o vilão Martinuccio Peñarol vencer todos os mocinhos. Toc, toc, toc.

Fonte: O Estado de São Paulo

Santos tenta reeditar a era de ouro

Comandada por Neymar e Ganso, equipe decide o título continental contra Peñarol, no Pacaembu, sonhando repetir o que o time de Pelé fez em 1962 e 63

Bruno Deiro, Fábio Hecico e Sanches Filho – O Estado de S.Paulo

SANTOS – O time que encanta o País com a irreverência e habilidade de Neymar pode fazer história esta noite. Uma vitória diante do Peñarol, às 21h50 (de Brasília, com transmissão da rádio Estadão ESPN), no Pacaembu, garante o tricampeonato da Libertadores ao Santos. O time voltaria a dar a volta olímpica na competição após 49 anos e se igualaria ao São Paulo em conquistas.

André Penner/AP
André Penner/AP
Neymar e Ganso podem conquistar a América nesta quarta

O Santos confirmaria a marca de melhor do Brasil dos últimos anos e consagraria uma geração de jovens bons de bola. Neymar é quem mais se destaca, o que chama a atenção pelos dribles mágicos, mas a equipe conta com outros de muito talento, como o meia Paulo Henrique Ganso – reforço para a decisão – Alex Sandro, Danilo, Alan Patrick, Rafael, todos formados nas categorias de base.

“Vamos jogar futebol. É isso o que essa garotada sabe fazer”, garante o técnico Muricy Ramalho, descartando clima de guerra.

Após empate com os uruguaios por 0 a 0 em Montevidéu, basta uma vitória aos santistas para dar a volta olímpica que escapou em 2003, em derrota para o Boca Juniors. Empate leva a decisão à prorrogação. Persistindo a igualdade, a decisão será nos pênaltis.

Nesta terça-feira, cobranças foram ensaiadas para evitar qualquer surpresa. Mas a aposta dos santistas, que prometem promover um mar branco nas arquibancadas do Pacaembu, esperam por triunfo nos 90 minutos de jogo.

E a experiência pode ser o diferencial nesta quarta. Para o confronto, Muricy ganha importantes reforços: o lateral-esquerdo Léo, recuperado de lesão, o zagueiro e capitão Edu Dracena, que cumpriu suspensão no Uruguai, e a principal delas, a volta do gênio Paulo Henrique Ganso, após 42 dias se tratando de lesão na coxa.

Fonte: Globo.com

Jornal espanhol diz que Real Madrid ‘laçou’ Neymar

Na edição desta quarta-feira, ‘Marca’ revela suposto acordo com o atacante santista

Por GLOBOESPORTE.COM Madrid, Espanha

imprimir
Neymar Barcelona Marca (Foto: Reprodução / Marca)Jornal destaca possível acordo do Real por
Neymar (Foto: Reprodução / Marca)

O nome de Neymar segue em alta no mercado da bola. Na Espanha, a cada dia surge uma nova especulação envolvendo possíveis negociações com a joia do Santos. Em sua edição desta quarta-feira, o diário madrileno “Marca” estampa em sua capa que o Real Madrid já teria ‘amarrado’ a contratação do atacante.

Segundo a matéria do periódico espanhol, o presidente merengue, Florentino Pérez, já teria chegado a um acordo com o agente do atacante e estaria disposto a pagar os € 45 milhões (R$ 102,7 milhões) de multa rescisória exigidos pela direção santista. Neymar teria um compromisso de seis temporadas, recebendo em torno de € 5 milhões (R$ 11,4 milhões) por ano e um adicional de € 1 milhão (R$ 2,28 milhões) em caso de conquistas individuais.

Ainda de acordo com o jornal de Madri, as conversas entre o clube merengue e o Santos terão início na próxima semana. A diretoria do Real estaria aguardando apenas o término da Taça Libertadores para contactar a santista.

De certo mesmo é que Neymar segue focado no time alvinegro que disputará nesta quarta-feira a final da competição continental contra o Peñarol, no Pacaembu.

Irritado, dirigente nega que Neymar esteja fechado com o Real Madrid

Luis Alvaro contesta jornal espanhol e lembra que não basta pagar a multa rescisória, é preciso convencer o atacante a aceitar a transferência

Por Adilson Barros São Paulo

imprimir
Capa do jornal Marca: Neymar no Real Madrid?
Dirigente santista nega (Foto: Reprodução)

O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, ficou irritadíssimo com uma notícia publicada nesta quarta-feira pelo jornal espanhol “Marca”, de que Neymar já teria acertado contrato de cinco anos com o Real Madrid. O dirigente admitiu ter sido procurado por vários clubes da Europa, inclusive o Real, mas negou interesse em vender o jovem craque santista.

E mais: lembrou que não basta pagar a multa rescisória, é preciso convencer Neymar a aceitar a transferência. Luis Alvaro lembrou que no ano passado o Chelsea bancou a multa, mas o atacante preferiu permanecer na Vila Belmiro. O dirigente citou também entrevistas recentes de Neymar, nas quais ele se diz feliz no Santos, sem interesse em se transferir para a Europa no momento.

– Esse tipo de notícia é algo absolutamente recorrente. Ao longo deste primeiro semestre, sempre na véspera de jogos importantes, surgem essas notícias. É com Rafael, Arouca, Ganso, Arouca, Rafael, Neymar. Sempre se diz que estão vendidos, contratados. E os fatos têm provado o contrário – disse Luis Alvaro.

– Os presidentes dos principais clubes europeus já consultaram o Santos e para todos eu digo o mesmo: não vamos dispor de nossos atletas. Vendemos o espetáculo e não o artista. O problema é que os campeonatos europeus estão em férias. Eles precisam preencher o espaço vazio. Então, inventam essas coisas. Neymar não está vendido: é uma grossa e irresponsável mentira – emendou o dirigente santista, irritado.

Pelé aposta no Santos e responde a críticas de Maradona: ‘Ele me adora’

Rei do Futebol diz estar mais ansioso do que em 1962 e mostra que levou na esportiva comentários do ex-jogador argentino sobre ele e Neymar

Por Adilson Barros São Paulo

imprimir
Pelé durante coletiva da Libertadores (Foto: Adilson Barros / GLOBOESPORTE.COM)Pelé,  em evento do patrocinador da Libertadores
(Foto: Adilson Barros / GLOBOESPORTE.COM)

Estrela do bicampeonato do Santos na Libertadores, em 1962 e 63, Pelé admitiu, na manhã desta quarta-feira, que está “sofrendo” na expectativa com a decisão desta noite contra o Peñarol, no Pacaembu. Em evento do patrocinador da competição, o Rei do Futebol disse que espera uma partida duríssima, mas que o Peixe deve sair vencedor.

– Sou um homem de Três Corações (MG) e, mesmo assim, estou sofrendo muito. Nem na concentração, horas antes da final de 1962, eu sofri tanto. Naquele dia, eu estava muito mais tranquilo. Será um jogo difícil, o Peñarol é um time duro, mas acho que o Santos tem mais condições de vencer.

Pelé aproveitou também para responder à nova crítica de Maradona. O ex-jogador argentino disse na terça-feira que “Neymar é mal-educado como Pelé”. O Rei do Futebol levou o comentário na brincadeira e disse que “adora” o rival.

– Realmente, o Maradona me ama, me adora (risos). Tudo o que eu puder fazer para ajudar o Maradona, vou fazer. Eu soube da reportagem em que ele falou isso. Vocês veem que agora ele já está preocupado até com o Neymar, né? (risos). Já falei 500 mil vezes: tudo o que eu fizer para ajudar o Maradona, vou fazer. Já fui ao programa dele na televisão, fui à sua despedida, já fiz evento de apoio a ele. Enfim, eu adoro o Maradona.

Nova geração de santistas conhece sofrimento só nas histórias dos pais

Crianças festejam bons momentos com o Peixe: são sete títulos desde 2002. Nesta quarta-feira, podem ver o Alvinegro levar o tri da Libertadores

Por Adilson Barros e Julyana Travaglia Santos, SP

imprimir
Crianças da geração campeã do Santos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Crianças da geração campeã do Santos: elas só celebram títulos (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Thiago, Rafael, Gabriel, Diego, Luis e Davi não choraram tanto nos últimos anos por causa de frustrações no futebol. Felipe, Gustavo, Sara, Rayane, Vitória e Matheus também não sabem o que é ser zombado na escola por torcedores rivais. Membros de uma geração cheia de títulos, eles não imaginam o que Renato Braz ou André Rodrigues passaram nos anos 80 e 90 com o Santos, que às 21h50m desta quarta-feira disputa a finalíssima da Taça Libertadores com o Peñarol.

– Eles não sofreram como eu sofri. Eu sou do tempo em que as torcidas adversárias contavam os anos em que o Santos estava sem títulos e cantavam “parabéns pra você”. Agora, esta molecada está “cansada” de comemorar títulos. É quase um por ano – conta André, de 37 anos, pai do pequeno Giovanni, nome dado em homenagem ao ex-camisa 10 alvinegro, maior ídolo santista no período dos “anos de chumbo”.

De fato, os 25 jovens entre 3 e 15 anos que estiveram na última terça-feira na Vila Belmiro, a pedido do Globoesporte.com, pouco sofreram na torcida pelo Peixe. De 2002 para cá, eles viram as trupes de Robinho e de Neymar levantarem dois títulos do Brasileiro, quatro do Paulista e um da Copa do Brasil. Em vez de ouvirem histórias dos avós sobre os tempos da Libertadores de Pelé e companhia (1962 e 1963), eles podem ser testemunhas da conquista do tricampeonato.

– Na minha classe só eu torço para o Santos. E vou chegar tirando sarro de todo mundo na escola. Tenho certeza de que vamos ser tricampeões – diz o empolgado Gabriel Cavazzano, de 10 anos.

O garoto, como a maioria das crianças que esteve “na casa do Ganso”, como dizia o pequeno Felipe Biasi, de 3 anos, torce para o Peixe por influência dos pais. E os pais, agora mais felizes do que no passado, vibram com a alegria dos filhos com a geração Neymar.

Por Cleber Aguiar – Entrevista de Neymar ao Jornal Folha de São Paulo

Fonte: Folha de São Paulo

ENTREVISTA NEYMAR

Quem dá a palavra final sempre sou eu, tenho que ser feliz

ASTRO SANTISTA, QUE HOJE DISPUTA O TÍTULO DA LIBERTADORES, DIZ QUE SÓ DEIXA O CLUBE POR ALGO QUE LHE DÊ FELICIDADE MAIOR QUE A ATUAL

Ricardo Nogueira/Folhapress

Neymar, durante a entrevista concedida à Folha no CT Rei Pelé

ENVIADO ESPECIAL A SANTOS

Neymar, 19, parou e pensou sempre antes de responder às perguntas que a Folha lhe fez, anteontem, após o penúltimo treino do Santos antes da decisão desta noite ante o Peñarol pelo título da Libertadores da América.
Estratégia que foi ensinada ao jogador para evitar declarações polêmicas que pudessem criar conflito e desvalorizar o atleta que detém hoje o maior potencial de venda do futebol brasileiro.
É assim desde que o Chelsea, no ano passado, propôs acordo milionário ao jovem, então com 18 anos, e foi rejeitado graças ao poder de convencimento do Santos.
Foi prometida a Neymar participação em contratos publicitários que colocariam seu salário no patamar do oferecido pelos ingleses, além de uma série de investimentos que iam de cursos de idiomas a treinamentos que ensinariam ao atacante como lidar com a imprensa.
Trabalho intensificado pouco depois, após a discussão pública com seu então treinador, Dorival Jr. É dentro de campo, porém, que Neymar tem dado motivos para o número cada vez maior de especulações que o colocam, em breve, nos maiores clubes da Europa.
Todas elas rechaçadas pelo jogador, “contente em poder jogar ao lado da família”. Agora, os rumores vêm de Madri. O Real estaria disposto a bancar a multa de 45 milhões (R$ 102 milhões) que prende Neymar ao Santos.
À Folha o garoto garantiu não pensar no futuro, mas espera que, lá na frente, possa olhar para trás e se orgulhar da carreira que construiu. (LEONARDO LOURENÇO)

 
Folha – Você entra em campo como a estrela do time, numa final de Libertadores. Como é, aos 19 anos, liderar o grupo em uma competição tão importante como essa?
Neymar –
Com a mesma tranquilidade que eu venho tendo em todas as partidas. Sempre digo que é só mais um jogo, apesar de ser uma final de Libertadores. É uma competição muito importante para mim, para o Santos, para todos os joga- dores. Vai ser muito bom, muito legal. Espero sair com a conquista.

E a responsabilidade de ir ao gramado com todos esperando que você faça algo diferente? É complicado?
Não, não é não. É tranquilo. Vou jogar o futebol que eu venho jogando e vou mostrar isso na quarta [hoje].

De que forma a chegada de Muricy Ramalho ajudou você e o Santos nesta disputa da Libertadores?
Ele trouxe o espírito vitorioso, que passou para o grupo, que assimilou isso aos poucos. Chegou um momento em que, se continuar assim, a gente não perde para ninguém. O espírito que o Muricy tem, de vencer, de querer ganhar, é muito grande. Nosso time tem esse espírito. [Hoje] vamos entrar com toda a vontade, para vencer e conquistar mais este título.

Você estreou como profissional em 2009, venceu dois Paulistas, uma Copa do Brasil, é titular da seleção e maior esperança para o Mundial-2014. Dá para se acostumar com a rapidez com que as coisas têm acontecido?
Sou um cara que, querendo ou não, as coisas acontecem muito cedo pra mim. Estou muito feliz pelos campeonatos, pelos jogos, pela carreira que eu tenho construído. Espero cada vez mais continuar conquistando essas coisas, mesmo novo.

Descobrir que será pai mudou algo em você?
Faz pouco tempo [que eu soube], mas até agora não mudou muito. Continuo o mesmo Neymar. Muda só a responsabilidade.

Como você encara hoje a briga com o Dorival Jr., no ano passado? Realmente serviu para seu amadurecimento?
Aquele episódio me ajudou muito. Foi muito triste, mas um dos que mais me ajudaram, não profissionalmente, mas pessoalmente. Aquilo me ajudou com a minha família, a mudar no meu ambiente de trabalho.

Qual sua expectativa para a Copa América?
Encaro com tranquilidade. O que eu faço no Santos, quero fazer na seleção, ajudar meu país. Espero ser campeão no meu primeiro torneio com a seleção brasileira.

Faz pouco menos de um ano que você disse não para uma proposta do Chelsea. Olhando para trás, como foi?
Foi um momento muito difícil, de decidir e recusar uma proposta do Chelsea, que era milionária. Eu fiz, com certeza, a escolha certa de ter ficado. Até hoje não me arrependo nem um pouco. E a final da Libertadores é um fato que me faz ter mais certeza. Eu buscava desde pequeno disputar a Libertadores pelo Santos, conquistar títulos no clube e, se Deus quiser, vamos vencer mais um.

Seu nome é envolvido em especulações semanalmente. Você pensa onde vai estar daqui a um, dois ou cinco anos?
Não penso assim, eu estipulo minhas metas por campeonato. Em cada trabalho dou meu máximo, a cada campeonato também. Tento construir uma boa carreira para daqui a cinco anos eu falar: “Pô, consegui tudo o que queria, conquistei o que quis”. Eu só penso no agora.

Com tantos boatos, existe algo que pode fazer você deixar o Santos hoje?
Ninguém sabe o dia de amanhã. Estou feliz no Santos, estou feliz no Brasil, jogando ao lado da minha família. Para me tirar daqui agora, só me fazendo mais feliz do que estou hoje.

A Olimpíada, em 2012, ou a Copa de 2014 pode pesar na sua decisão de deixar ou não o Santos se surgir algo?
Acho que não, vai ser a mesma coisa. Tenho contrato com o Santos, pretendo cumpri-lo. Quero ficar, mas não vai ser um campeonato que vai me fazer sair ou ficar.

Você é cercado de assessores, que palpitam em tudo na sua carreira. Tem o Wagner [Ribeiro], que é seu empresário, seu pai, que você tem como principal conselheiro, o Duda [Eduardo Musa], que representa o Santos, o Ronaldo, que agora cuida da sua imagem. Tanta gente em cima de você o deixa confortável?
Isso me ajuda muito, tenho um monte de pessoas para resolver tudo para eu poder focar só no futebol. Isso me ajuda bastante.

Mas qual é o peso da sua palavra nas decisões tomadas sobre a sua carreira?
Todo. Quem dá a palavra final sou eu, que sou o jogador, que tenho que estar feliz no ambiente de trabalho. Meu pai faz tudo, negocia, conversa, mas quem dá a palavra final sempre sou eu.

Por ICFUT – Barcelona não coloca Corinthians entre os maiores do Brasil

Fonte – LANCENET

Meses após a aposentadoria de Ronaldo, parece que a fase internacional do Corinthians acabou. O Timão, conhecido lá fora como o clube do Fenômeno, não goza mais do mesmo prestígio de antes.

A prova maior disso está no site oficial do Barcelona. Ao confirmar um amistoso de pré-temporada com o Internacional, o clube espanhol classificou como grandes clubes do futebol brasileiro, além do colorado, apenas São Paulo, Palmeiras, Flamengo, Santos e Grêmio.

Coincidência ou não, nem mesmo o polêmico Mundial de 2000 conquistado pelos corintianos, e só reconhecido por eles, não é lembrado pelo Barcelona. O site diz que estes cinco clubes, os maiores clubes do país, são os que que dominam e dominaram historicamente os campeonatos do Brasil, além de terem bons desempenhos nos Mundiais de Clubes.

Será que o prestígio alvinegro acabou? Ou será que algum dia existiu realmente?

Pelo menos a publicação do Barcelona serviu para comprovar que Ronaldo está muito acima do Corinthians e que somente títulos e uma história vitoriosa pode fazer com que seu time tenha reconhecimento internacional.

Parabéns, Barcelona!

 

Opinião Pessoal – Só disseram o que todos sabem mais não admitem, internacionalmente o timinho da Marginal nunca foi e nunca será nada.

Por Edgar Santista – 66 vezes Neymar, Todos os Gols do craque Santista

Neymar já 9º lugar está em após era Pelé na artilharia do Santos, confira a lista.

                   Nome                      gols                   durante                         geral                 após Pelé