Por Eder – Filme sobre o tetracampeonato brasileiro do Timão chega às lojas dia 3 de agosto

A conquista do tetracampeonato brasileiro reservou momentos emocionantes, cheios de sacrifício e glória. O primeiro veio depois de 80 anos de espera, em grande parte pela canhota de um “caipira” que se transformou num dos jogadores mais apaixonados pelo Timão. O bicampeonato chegou 8 anos depois, pelos dribles desconcertantes de um menino ingênuo vindo do “terrão”. O terceiro, no ano seguinte, sob a batuta do “pé de anjo”, um carioca da gema. Já, o quarto título foi conquistado por um time de craques que voltavam do exterior, alguns argentinos e revelações da base, como um garoto do Jaçanã descoberto numa peneira da Fazendinha, o capitão do tetra.

No próximo dia 3, será lançado o filme 4x Timão: A conquista do Tetra, um documentário que conta a trajetória dos principais personagens de cada uma dessas conquistas: Neto, Dinei, Marcelinho Carioca e Betão.

Com direção de Di Moretti (23 anos em 7 segundos), o filme é essencial para todo torcedor que faz parte do bando de loucos!

ICFUT – Jogadoras da seleção alemã de futebol são capa da ‘Playboy’

Fonte: Folha Online

Cinco jogadoras da base da seleção alemã de futebol estampam a capa da “Playboy”, na Alemanha, neste mês.

Divulgação
Capa da revista 'Playboy' alemã com as jogadoras da seleção de futebol do país
Capa da revista ‘Playboy’ alemã com as jogadoras da seleção de futebol do país

A edição alemã da revista traz as atletas em ensaio sensual dias antes do início da Copa do Mundo feminina de futebol, que acontece no país de 26 de junho a 17 de julho.

No entanto, nenhuma delas foi convocada para o Mundial, no qual as alemãs tentam o tricampeonato.

As cinco jogadoras das equipes sub-23 que estão na capa da revista são Selina Wagner, Annika Doppler, Julia Simic, Kristina Gessat e Ivana Rudelic.

A Alemanha está no Grupo A da Copa ao lado de Canadá, Nigéria e França. A seleção brasileira, vice-campeã em 2007, está no Grupo D, com Austrália, Noruega e Guiné Equatorial.

A estreia do Brasil é em 29 de junho, contra a Austrália, na cidade de Moenchengladbach.

Divulgação
Foto da revista 'Playboy' alemã com as jogadoras da seleção de futebol do país
Foto da revista ‘Playboy’ alemã com as jogadoras da seleção de futebol do país

CONHEÇA AS JOGADORAS
Annika Doppler, 19, meio-campista do Bayern de Munique, foi campeã europeia sub-17 em 2009. Se compara com o holandês Arjen Robben.

Kristina Gessat, 20, é meio-campista do Gütersloh e foi campeã mundial sub-20 em 2010. Considera seu futebol parecido com o de Sami Khedira, da seleção alemã.

Ivana Rudelic, 19, atacante, também do Bayern, foi campeã europeia Sub-17 em 2008 e se compara ao marfinense Didier Drogba.

Julia Simic, 22, outra atleta do meio campo do Bayern, campeã europeia sub-19 em 2007. Ela diz ser a versão feminina de Andrés Iniesta, da Espanha.

Selina Wagner, 20, do Wolfsburg, foi campeã mundial sub-20 em 2010 e considera seu jogo parecido com o do alemão Mesut Özil.

Por Cleber Aguiar – Multidão recepciona time do Vasco em chegada ao Rio

Fonte: O Estado de São Paulo

Torcedores fazem festa no aeroporto para comemorar o título inédito da Copa do Brasil

SÍLVIO BARSETTI – O Estado de S. Paulo

RIO – A conquista inédita da Copa do Brasil pelo Vasco, fato que foi consumado na noite da última quarta-feira com a derrota por 3 a 2 para o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, continua sendo comemorada de maneira efusiva pelos torcedores do clube carioca.

Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE
Torcida exibe camisas e bandeiras do Vasco no aeroporto

Uma multidão foi recepcionar os jogadores do time na manhã desta quinta-feira no Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, e fez uma verdadeira festa no local, exibindo camisas e bandeiras do clube. No início da manhã, cerca de 400 torcedores já aguardavam pelos atletas no saguão de desembarque.

Após a chegada ao Rio, o ônibus do Vasco apanhou os jogadores na pista do aeroporto e seguiu em uma carreata que irá até São Januário, onde o clube voltará a fazer novas celebrações pela conquista do título nacional. Por causa do grande número de torcedores, que cercam o veículo, o ônibus está enfrentando dificuldades para deixar as vias próximas ao aeroporto, fato que também complicou o trânsito nas imediações do local.

Após a vitória por 1 a 0 no confronto de ida da decisão, o Vasco garantiu o título da Copa do Brasil por ter marcado dois gols na casa do Coritiba no duelo de volta. E a calorosa recepção da sua torcida não é para menos, já que o clube não ganhava uma taça de expressão desde 2003, quando foi campeão carioca.

ICFUT – Irmãs Johana e Pamela Pombo revelam ter feito sexo a três com Cristian Fabbiani

Fonte:Futebolinterior.com.br

O “Ogro” foi casado com modelo Amalia Granata e namora a bela atriz Victoria Vanucci

O atacante Cristian Fabbiani pode estar longe de sua melhor forma dentro de campo. Fora dele, no entanto, o jogador do All Boys já mostrou que é a craque. As irmãs maria-chuteiras Johana e Pamela Pombo revelaram ter realizado a fantasia do Ogro com um inesquecível ménage à trois (sexo a três).

As gemêas

As duas modelos de cair o queixo revelaram para a toda a imprensa argentina o caso que tiveram com o ex-atacante do River Plate, Lanús e Newell’s Old Boys. O jogador tratou de tentar desmentir o “affair”.
Ex de Cristian Fabbiani ( Amalia Granata )

A vida de Ogro Fabbiani está mais marcada por suas trapalhadas fora de campo do que por seu futebol em si. O jogador foi casado com a modelo Amalia Granata, com quem tem uma filha. Atualmente, ele namora a modelo, cantora, atriz e ex-tenista Victoria Vanucci.

Atual a ex-tenista Victoria Vanucci.


Video das gatas !

[videolog 664539]

Por Cleber Aguiar – Valdívia é extorquido após “assédio” sexual a menor de idade

Fonte:Futebolinterior.com.br

Vítima é modelo e conhecida no Chile por ter participado de um reality show local.

– Conhecido por ser um dos jogadores que mais arrumam confusões dentro de campo, o meia Valdívia parece gostar deste rótulo e resolveu agora atuar fora das quatro linhas. Segundo informações veiculadas na imprensa chilena, o jogador estaria sendo chantageado por uma pessoa no Chile, onde a mesma o acusa de ter participado de um bate-papo erótico na internet com uma menor de idade, fato este que aconteceu há cerca de três anos.

Toda a confusão aconteceu quando o jogador atuava pelo Al Ain, dos Emirados Árabes. Valdívia teria participado de uma conversa com Angie Alvarado (foto) – mulher que na época ainda era menor de idade – e tirado algumas fotos picantes via webcam. Angie é “velha conhecida” do jogador, já que namorou há alguns anos o irmão do próprio meia.Porém, toda a confusão se estabelece quando as chantagens não partem da modelo chilena, e sim de uma outra pessoa chamada Muriel Palma, que inclusive já recebeu cerca de R$ 17 mil reais do jogador para que as fotos que a mesma conseguiu não fossem divulgadas para a imprensa.

“Ele (Valdívia) recebeu mensagens com ameaças e pagou R$ 17 mil para que a foto não fosse mostrada, e isso em nosso país é extorsão. A pessoa do chat é a senhorita Alvarado, o que não significa que tenha sido ela que tirou a foto. Essa não é uma possibilidade que possamos descartar, mas não sabemos se ela estava sozinha ou acompanhada de outras pessoas”, disse o advogado de Valdívia, Carlos Castro.

Castro ainda afirma que quer uma investigação para saber de uma possível ligação entre a acusada de chantagear e Angie. Enquanto o caso não tem uma definição, Valdívia está concentrado com a Seleção Chilena para a disputa da Copa América, que neste ano será realizada na Argentina.

Veja video da gata !

Por Cleber Aguiar – Santos x Peñarol: ingressos para o jogo em SP começam a ser vendidos

Fonte: Globo.com

Por enquanto, apenas sócios do Peixe podem adquirir bilhetes, que estão sendo comercializados pela internet. Torcedor comum, só terça (se sobrar)

Por GLOBOESPORTE.COM Santos, SP

Os ingressos para o segundo jogo entre Santos e Peñarol, final da Taça Libertadores, marcado para o dia 22 de junho, às 21h50m (horário de Brasília), no Pacaembu, começam a ser vendidos a partir das 16 horas desta quarta-feira, com exclusividade para os sócios do Peixe. As vendas para associados vão até as 23h59m de domingo. O jogo de ida será na próxima quarta-feira, no mesmo horário, no estádio Centenário, em Montevidéu.

A carga total é de 40.199 ingressos. No entanto, os 2.100 lugares do setor de cadeiras azuis estão reservados para patrocinadores da Conmebol. Os bilhetes podem ser comprados pelo site http://www.multiplicacaodospeixes.com.br. Os sócios que não tiverem acesso à internet podem procurar a Secretaria Social do Santos (rua Princesa Isabel, sem número, piso térreo da Vila Belmiro, ao lado do Memorial das Conquistas).

Na terça-feira (se os associados não esgotarem a carga), começa a venda para não sócios nas bilheterias da Vila Belmiro, em Santos, e nos postos de venda de São Paulo, que serão divulgados na segunda.

PREÇOS

Tobogã: R$ 60 (meia R$ 30)
Arquibancada: R$ 120,00 (meia R$ 60,00)
Cadeiras setores laranja e manga: R$ 220,00 (meia R$ 110,00)
Cadeiras azuis (vendidos apenas para patrocinadores da Libertadores): R$ 660,00

Observação: Para os sócios com ou sem cadeira, valem os preços de meia-entrada de cada setor.

SÓCIOS COM CADEIRA

Associados donos de cadeiras cativas na Vila Belmiro também terão de reservar ingressos pelo site http://www.multiplicacaodospeixes.com.br para acessar qualquer setor do estádio (menos as cadeiras azuis, destinadas aos patrocinadores da Conmebol) pagando a meia-entrada referente ao setor escolhido. Mesma regra para os associados que não têm cadeira.

Sócios que não garantirem suas entradas pelo site http://www.multiplicacaodospeixes.com.br não conseguirão entrar na partida apenas com sua carteirinha, inclusive portadores de cadeiras cativas e especiais. É, portanto, imprescindível a compra online para não ficar fora da partida.

HORÁRIO

A Secretaria Social funciona das 9h às 17h, de segunda a sexta.


ACESSO AO JOGO

O sócio que compra pelo site não precisa realizar troca por ingresso. A entrada é mediante a carteirinha de sócio. É importante e recomendável que, após a efetivação da compra pelo site, por segurança, o sócio imprima o comprovante de reserva de ingresso e leve ao jogo.
UNIFORMIZADAS

Torcedores com qualquer uniforme de grupos uniformizados só terão acesso pelo portão 3 (arquibancadas amarelas).

PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

Haverá 300 vagas para portadores de necessidades especiais. Os interessados em assistir ao jogo devem enviar um e-mail para arrecadacao@santosfc.com.br com nome completo, para reservar seu lugar. Esse e-mail será respondido com a confirmação da vaga e as informações sobre a retirada do ingresso. Apenas os 300 primeiros torcedores a enviar o e-mail garantirão  vaga.

O acesso dos portadores de necessidades especiais será pelo portão 13 (cadeira especial laranja). Os acompanhantes devem obrigatoriamente ter o ingresso do setor cadeira especial laranja para entrar no estádio.

POSTOS DE VENDA

Serão informados na segunda-feira, após o fim das vendas de ingressos para sócios.

Por Cezar Alvarenga – Milan continua de olho em Ganso.

Fonte: YAHOO! Esportes

Mesmo afastado dos gramados, recuperando-se de lesão, o meia Paulo Henrique Ganso continua a despertar interesse de clubes europeus. Mais uma vez, a imprensa italiana coloca o meia santista na mira do Milan. Segundo o jornal “Corriere dello Sport”, o clube rossonero espera pelo desempenho do camisa 10 nas finais da Copa Santander Libertadores para definir a proposta para contratar o craque.

De acordo com a edição desta quinta-feira do diário italiano, o vice-presidente do Milan, Adriano Galiani, virá ao Brasil para assistir ao confronto entre Santos e Peñarol, no próximo dia 22, no Pacaembu. O objetivo da visita é avaliar se o meia já está recuperado da lesão muscular na coxa direita que o afasta dos gramados desde o dia 8 de maio.

O jornal também informa que, se “aprovar” Ganso, o dirigente milanês pretende se reunir com a direção do Santos e apresentar proposta formal pelo camisa 10.

Ganso já declarou, inclusive ao presidente santista, que pretende jogar na Europa em breve e, em entrevista a uma emissora italiana, afirmou que seu futuro é na Itália.

 

ICFUT – Em jogaço de bola, Vasco é campeão mesmo com derrota para Coxa: 3 a 2

Depois de oito anos, clube volta a ficar no topo do futebol brasileiro e é o primeiro a assegurar vaga na Taça Libertadores de 2012

por GLOBOESPORTE.COM

Foram oito anos, dois meses e 18 dias de uma angustiante espera. A conquista do Campeonato Carioca em 23 de março de 2003 tinha sido a última do Vasco em competições no grupo de elite. Tão logo o árbitro Sálvio Spinola ergueu os braços no lotado Couto Pereira, na gélida noite desta quarta-feira, depois de sofrimento intenso nos 90 minutos, a imensa torcida cruz-maltina era “bem feliz, norte e sul, norte e sul deste país”, conforme o hino do genial Lamartine Babo. O frio de 10 graus no palco da decisão já não importava mais: o calor da festa aqueceu dentro e fora do estádio. A Copa do Brasil 2011 tem como dono, pela primeira vez, clube cujo nome é de navegante português, mas que marca a fase do atual Trem-Bala. Num jogo sensacional, nunca uma derrota foi tão comemorada: os 3 a 2 sofridos diante do Coritiba, que como o Vasco se refez após o inferno de um ano pela Série B, repete uma sina de conquistas longe de São Januário que começou com o Expresso da Vitória, em 1948.

No Chile, Ademir de Menezes era o craque daquele Sul-Americano, que o time ganhou em cima do argentino River Plate. Depois, o Vasco de Bebeto faturaria fora do Rio, no Morumbi, sobre o poderoso São Paulo na final do Brasileiro de 1989. Nove anos depois, em 1998, o clube voltou a mandar na América do Sul ao levantar a Libertadores em Guayaquil após bater o Barcelona equatoriano. E finalmente, em 2000, a catarse no título da Copa Mercosul em pleno Palestra Itália, numa virada histórica por 4 a 3 sobre o Palmeiras comandada por Romário. A história desse clube era um aviso ao Coritiba: fora de casa, é tão ou mais perigoso do que em seu domínios. Alecsandro e Eder Luis escrevem o nome na sala de troféus do clube com os gols marcados – Bill, Davi e Willian fizeram os da vitória do Coxa – e o garantem de volta à Libertadores em 2012 pelo critério de desempate de gols marcados fora.

coritiba x vasco comemoração (Foto: André Durão/Globoesporte.com)O capitão cruz-maltino, o goleiro Fernando Prass, levanta a tão sonhada taça acompanhado de Felipe: o inédito troféu, enfim, vai para São Januário (Foto: André Durão/Globoesporte.com) 

Foi uma vibração das mais intensas. O Coritiba pressionava muito, ainda que mais no coração do que na estratégia. Já fora de campo, substituídos, Felipe e Diego Souza rezavam encolhidos, como autênticos torcedores, juntando-se aos quatro mil vascaínos no estádio que explodiram de alegria. O técnico Ricardo Gomes, um dos responsáveis pela recuperação da equipe no início da temporada, se sentia, enfim, recompensado. Roberto Dinamite, ídolo agora presidente, falava do seu primeiro título na nova função. Fernando Prass, goleiro que sofreu a pressão e capitão da equipe, levantava a taça, antes da volta olímpica consagradora, que teve um lado triste: vândalos da torcida do Coritiba atiraram pilhas e uma xícara nos jogadores, que não chegaram a se machucar.

Nada disso, porém, apagou a noite iluminada do Vasco. Agora, é só pensar em festa. Sábado à noite, contra o Figueirense, pela quarta rodada pelo Brasileiro, o time reencontra a torcida e Juninho Pernambucano, que será apresentado em grande estilo. O Coritiba, de ressaca, pega domingo, no Engenhão, o Botafogo.

Alecsandro esfria os coxas

A torcida do Coritiba fez a sua parte para tentar pôr fim à impetuosidade do Trem-Bala. Lotou o Couto Pereira, apoiou o time. Em campo, o curioso é que os coxas preferiram entrar com o uniforme número dois, com listras verdes e brancas mais largas. Superstições à parte, o técnico Marcelo Oliveira surpreendeu ao escalar três volantes no meio-campo e apenas um atacante. Sem Anderson Aquino, o craque da companhia – suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido na derrota no Rio, no primeiro jogo, por 1 a 0 -, ele optou pelo marcador Marcos Paulo. A intenção era povoar o meio-campo, ter a posse de bola, evitar um gol do Vasco no início – que certamente desanimaria, e muito, a equipe no restante da partida.

Anderson Martins Vasco x Coritiba (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Alecsandro esfria o ímpeto do Coxa e abre placar para o Vasco. Depois, acompanhado de Anderson Martins, mostra tatuagem com nome do filho, Yan (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

A tática só durou dez minutos. Foi pura ilusão de Marcelo Oliveira. Realmente, o time imprensou o Vasco em seu campo. Estava difícil para sair jogando. Até Felipe errava passe na saída de bola. Dedé mostrava nervosismo em entrada dura em Davi. Na falta, Jonas fez Fernando Prass voar junto com os milhões de vascaínos para tocar a escanteio.

Mas o Vasco tinha bons trunfos tirados da manga: um bom camisa 10 para armar a jogada, um atacante veloz, com característica de ponta, para centrar na medida. E um artilheiro nato na área. Bastou isso para abrir o placar e mudar o jogo.

O passe de Diego Souza para Éder Luis, que já tinha assustado o Coritiba ali pela direita, fez o atacante disparar até a linha de fundo. O toque rasteiro encontrou Alecsandro livre. Foi só tocar e correr para o abraço, aos 11. O mesmo artilheiro da vitória em São Januário, dessa vez, não comemorou à la seu pai, o atacante Lela, ídolo do Coritiba, que botava a língua para fora. Preferiu homenagear Ronaldo Fenômeno ao usar o indicador apontando para frente e balançar a mão, gesto que o Fenômeno eternizou na final da Copa de 2002. Depois, mostrou tatuagem no braço com nome do filho Yan.

Os quatro mil vascaínos comemoraram como loucos e tiveram a companhia do solitário goleiro Fernando Prass, que foi em direção à parte destinada à torcida e emocionou todos ali. Afinal, aquele resultado não só dava ao time a vantagem de sair sem a taça apenas se perdesse por dois gols de diferença como também esfriava o ímpeto do Coxa e de sua torcida. Com isso, os mais experientes cozinharam a partida por bons 15 minutos. Anderson Martins e Dedé garantiam a defesa, Allan e Ramon pouco subiam., Rômulo e Eduardo Costa fechavam bem o meio-campo. 

Virada do Coritiba

O técnico Marcelo Oliveira, percebendo a besteira que fez na escalação inicial, resolveu mexer aos 26 minutos. Sacou Marcos Paulo, que colocara para fechar o meio, e lançou mais um atacante, Leonardo. Demorou dois minutos para empatar a partida. Davi, que armava a equipe com competência, alçou bola para Jonas pela direita. O toque de cabeça para a área encontrou Bill livre – numa falha de marcação vascaína – para cumprimentar e mandar para as redes, aos 28.

gol coritiba x vasco (Foto: Cezar Loureiro/Globo)Willian dá petardo de fora da área no terceiro gol do
Coritiba (Foto: Cezar Loureiro/Globo)

Voltou tudo. Empolgação da torcida do Coritiba, correria do time… E o Vasco sentiu também o golpe. Só Felipe aparecia mais, conseguindo prender bem a bola. Do outro lado, Davi ditava melhor ainda o ritmo da equipe. Leonardo não deixava Bill mais isolado na briga com a zaga vascaína. E se Jonas já atacava melhor pela direita, Emerson melhorou um pouco na briga com Eder Luis pela esquerda. 

Rafinha, enfim, deu o ar da graça com sua velocidade: aos 44, após centro da meia-esquerda do esforçado Léo Gago, levou a melhor após uma deixada de Davi para ele bater com perigo. O rebote de Fernando Prass na defesa foi exatamente nos pés de Davi, e o camisa 10 não perdoou com sua canhota: 2 a 1 para o Coxa no apagar das luzes do primeiro tempo.

Mais gols e emoção vascaína

Os dez primeiros minutos da segunda etapa foram de puro nervosismo das duas equipes. Praticamente não houve futebol. O Coritiba estava mais duro nas divididas. O Vasco não se intimidava. Com mais posse de bola, o time da casa explorava a velocidade de Rafinha pela direita. Até estava um pouco melhor. Mas futebol tem dessas coisas. Brilhou a estrela de Eder Luis, e faltou a do goleiro Edson Bastos. Ao receber bola na meia-direita, o camisa 7 resolveu arriscar um chute. O goleiro pulou errado, a bola passou justamente onde estava colocado antes: o Vasco empatava a partida e botava a mão na taça. Eder Luis puxava a comemoração do trem-bala com o resto do time.

Eder Luis gol Vasco x Coritiba (Foto: Ag. Estado)Autor do segundo gol, o do título, Eder Luis puxa o Trem-Bala da Colina na comemoração (Foto: Ag. Estado)

Precisando de dois gols para virar a situação, Marcelo Oliveira fez duas mexidas. Botou Eltinho no lugar de Lucas Mendes e Marcos Aurélio no de Léo Gago. O Coxa ganhou um gás. A partida voltou a ferver quando, aos 21, após uma pixotada de Rômulo para fora da área, Willian acertou uma bomba que tomou efeito e foi à esquerda de Fernando Prass. Era o terceiro gol do Coritiba. Esperança renovada.

Davi, Rafinha, Leonardo e Bill cresciam. Do lado do Vasco, Alecsandro, Felipe e Diego Souza sumiam, davam sinais de cansaço. Em lance polêmico pela esquerda, entre Dedé e Leonardo, que se enroscaram na área, o Coxa pediu pênalti, não marcado. A pressão aumentava quando Ricardo Gomes sacou, de uma vez só, Felipe e Diego Souza, para pôr Jumar e Bernardo.

Ainda que o Vasco ganhasse fôlego, a pressão do Coxa aumentava. Nem era mais técnica. Era coração. O time carioca se defendia como podia, heroicamente. Fernando Prass largou uma bola quase nos pés de Bill. As câmeras de TV mostravam, fora de campo, Felipe e Diego Souza rezando. Bernardo, que sempre entra ligado, quase empatou no fim. O jogo foi um perigo para os cardíacos. Mas, mesmo com a derrota, a explosão foi vascaína.

coritiba 3 x 2 vasco
Edson Bastos, Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes (Eltinho); Willian, Léo Gago (Marcos Aurélio), Marcos Paulo (Leonardo), Rafinha e Davi; Bill. Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Romulo, Eduardo Costa, Felipe (Jumar) e Diego Souza (Bernardo); Eder Luis e Alecsandro
Técnico: Marcelo Oliveira. Técnico: Ricardo Gomes.
Gols: no primeiro tempo, Alecsandro, aos 11, Bill, aos 28, e Davi, aos 44 minutos. No segundo tempo, Eder Luis, aos 12, e Willian, aos 21 minutos.
Cartões amarelos: Léo Gago, Bill e Leonardo (Coritiba) e Eduardo Costa e Felipe (Vasco).
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba. Data: 08/06/2011. Competição: Copa do Brasil (decisão). Árbitro: Sálvio Spinola (Fifa/SP). Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP). Renda: 892.600,00. Público: 31.516 pagantes e 35.142 presentes.

ICFUT – Ceni e sorte de líder garantem a vitória do São Paulo sobre o Galo

Com um gol de Casemiro, Tricolor Paulista derrota o Atlético-MG por 1 a 0 e pula na frente na tabela de classificação do Brasileirão 2011

por Marco Antônio Astoni

O líder do Campeonato Brasileiro seria conhecido depois do apito final do árbitro Sandro Meira Ricci. Com a torcida a favor na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, o Atlético-MG precisava de um empate diante do São Paulo para assumir a ponta, mas a sorte estava do lado do outro lado. Embora tenha pressionado bastante, principalmente no segundo tempo, o Galo parou nas mãos de Rogério Ceni e na sorte dos visitantes. Com um gol de Casemiro, ainda no primeiro tempo, o Tricolor Paulista venceu por 1 a 0 (assista ao gol no vídeo acima), manteve os 100% de aproveitamento e chegou ao primeiro lugar com nove pontos, dois a mais que os rivais Corinthians e Palmeiras. A equipe atleticana ocupa a quarta colocação, com seis.

O torcedor atleticano deixou o estádio na bronca com Sandro Meira Ricci, acusado de não marcar três pênaltis a favor do Galo, todos no primeiro tempo. O São Paulo, além de aplicar uma forte marcação, contou com a sorte e também com a qualidade e eficiência do goleiro Rogério Ceni, um dos destaques da partida.

As duas equipes voltam a campo no próximo fim de semana. O São Paulo recebe o Grêmio às 18h30m (de Brasília), no Morumbi. No domingo, o Atlético-MG enfrenta o Bahia em Pituaçu, às 16h (de Brasília).

Contra-ataque mortal do Tricolor

Se a técnica não apareceu no primeiro tempo, Atlético-MG e São Paulo mostraram disposição na luta para manter o aproveitamento de 100% no Brasileirão, retrospecto que os gabaritava à liderança. O Tricolor jogou fechado, e Dagoberto era, na prática, o único atacante. Discretamente, Lucas e Casemiro eram os que mais se aproximavam da área atleticana.

O Galo, por sua vez, encontrava enormes dificuldades para penetrar na defesa são-paulina. Como os laterais apoiavam pouco, e Mancini era figura apagada, Magno Alves ficou isolado no ataque. Para abrir o placar, o São Paulo usou de sua principal arma, o contra-ataque. Aos 21 minutos, Wellington achou Casemiro na entrada da área. O volante, sem marcação, teve tempo de ajeitar a bola e escolher o canto, antes de soltar a bomba. Golaço!

O gol abalou o Atlético-MG, que demorou a se reencontrar na partida. O Tricolor, alheio aos problemas do adversário, dominou o meio-campo, com uma atuação impecável dos garotos Wellington, de 20 anos, e Casemiro, de 19. A pressão do Galo não surtia efeito, tanto que Rogério Ceni participou muito pouco do jogo na etapa inicial. Renan Ribeiro, ao contrário, trabalhou muito mais e ainda levou uma bola na trave, em um chute de Lucas, que desviou em Réver.

No fim da primeira etapa, jogadores e torcedores do Atlético-MG reclamaram bastante de três pênaltis em lances duvidosos: um sobre Magno Alves, outro em cima Patric, e o terceiro num chute do Magnata, que teria desviado na mão de Luiz Eduardo. O árbitro Sandro Meira Ricci não teve dúvidas e não assinalou as penalidades.

Pressão atleticana

Dorival Júnior mudou o Galo para a etapa final. Dudu Cearense e Neto Berola entraram nas vagas de Toró e Mancini, respectivamente. E num lance inusitado, o treinador foi obrigado a fazer a terceira mudança antes mesmo de a bola rolar. Fillipe Soutto voltou ao gramado, mas sentiu dores e pediu para sair. Serginho entrou.

O novo desenho do Atlético-MG deu mais possibilidades ao time mineiro. Berola jogava aberto pelas pontas. Dudu Cearense e Serginho deram nova dinâmica ao meio-campo, e Richarlyson tentava o gol a todo momento, chutando de longe ou aparecendo na área como elemento surpresa. Nestes momentos, brilhou a estrela de Rogério Ceni, com várias intervenções salvadoras.

Notando a superioridade atleticana, Carpegiani também mexeu. Tirou Casemiro, Lucas e Dagoberto e colocou Bruno Uvini, Marlos e Willian. Assim, o Tricolor se rearrumou em campo e, por muito pouco, não fez o segundo gol, em jogadas velozes, com Juan e Marlos.

O Atlético-MG acabou se afobando na busca pelo empate, o que deu ao São Paulo a possibilidade de respirar e equilibrar o jogo. O time mineiro pressionou nos minutos finais, mas o Tricolor teve sabedoria e tranquilidade para manter o resultado e confirmar a sua terceira vitória no Campeonato Brasileiro, com quatro gols marcados e nenhum sofrido.

atlético-mg 0 x 1 são paulo
Renan Ribeiro, Patric, Réver, Leonardo Silva e Leandro; Richarlyson, Fillipe Soutto (Serginho), Toró (Dudu Cearense) e Giovanni Augusto; Magno Alves e Mancini (Neto Berola). Rogério Ceni; Jean, Xandão, Luiz Eduardo e Juan; Rodrigo Souto, Wellington, Casemiro (Bruno Uvini), Carlinhos Paraíba; Lucas (Marlos) e Dagoberto (Willian).
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Data: 8/6/2011. Horário: 21h50m (de Brasília). Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF). Auxiliares: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Carlos Emanuel Manzolill (DF).
Público: 17.397 pagantes. Renda: R$ 190.475 Cartões amarelos: Magno Alves, Patric, Dudu Cearense  (Atlético-MG); Lucas, Carlinhos Paraíba, Wellington, Rodrigo Soutto (São Paulo).
Gol: Casemiro (São Paulo), aos 21 minutos do primeiro tempo.