Por Cleber Aguiar – Santos & Cruzeiro favoritos !

Fonte: Globo.com

Comentaristas apontam Cruzeiro e Santos como favoritos ao título

A pedido do GLOBOESPORTE.COM, jornalistas elaboram tabela de classificação do campeonato. Inter também está bem cotado

Por Ivan Raupp Rio de Janeiro

Clubes estáveis, com bons elencos, bons técnicos e jogadores que desequilibram. Essas foram em geral as justificativas utilizadas por comentaristas ao apontarem Cruzeiro e Santos como favoritos ao título do Campeonato Brasileiro, que terá início neste sábado. O time de Neymar chega à competição com o status de único brasileiro vivo na Libertadores e com um título paulista recém-conquistado. A equipe mineira, que também foi campeã estadual no último fim de semana, fez a melhor campanha na primeira fase do torneio continental e caiu em seguida, mas não perdeu o prestígio.

MONTAGEM - Neymar santos e montillo cruzeiro (Foto: Agência EFE e Agência Vipcomm)Neymar e Montillo são os principais destaques de Santos e Cruzeiro (Foto: Agência EFE e Agência Vipcomm)

A convite do GLOBOESPORTE.COM, nove especialistas de vários cantos do país aceitaram a missão de elaborar uma tabela, mostrando como imaginam que ficaria a classificação do campeonato após a última rodada, do primeiro ao último colocado. É um desafio e tanto, dado o equilíbrio entre os times e as mudanças que a maioria sofre ao longo da competição.

Considero Santos e Cruzeiro os melhores times do Brasil. Os campeões paulistas, entretanto, estarão divididos entre a Libertadores e o início do Brasileiro, o que pode lhes
custar pontos preciosos”
Renato Maurício Prado

– Uma coisa é observar o atual momento das equipes, perceber tendências, analisar os elencos e apontar possibilidades. Outra é determinar como acabará uma competição que nem começou. Até tentei ler isso no resto do macarrão, na borra de café, conversei com a água na bacia, no prato, na pia, na caneca, fiz o ritual do copo, psicografei o Polvo… sem sucesso. Meus poderes psíquicos são insuficientes. Então usei o método que me pareceu mais eficaz nessa tentativa: sorteio. Escrevi o nome dos times em pedacinhos de papel e fiz um sorteio. E qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência – brinca o comentarista Bob Faria, único a não apontar Cruzeiro ou Santos como campeão, preferindo o Inter.

Com os nove palpites, elaboramos uma classificação geral. Funciona da seguinte maneira: o primeiro colocado recebe 20 pontos, o segundo, 19, o terceiro, 18, e assim por diante, até o vigésimo, que leva um ponto. O critério de desempate é a favor daquele que tiver recebido a melhor classificação. Deu Cruzeiro em primeiro lugar, com o Santos logo atrás. O Inter completa o pódio, seguido por São Paulo e pela dupla Fla-Flu. Veja ao final do texto os palpites de cada jornalista e a classificação final.

Para o colunista do jornal “O Globo” Renato Maurício Prado, o Cruzeiro leva vantagem em função de o Santos ainda estar disputando a Taça Libertadores:

O Santos tem os dois jogadores mais talentosos do país. E também tem o treinador mais vitorioso”
Tiago Leifert

– Considero Santos e Cruzeiro os melhores times do Brasil. Os campeões paulistas, entretanto, estarão divididos entre a Libertadores e o início do Brasileiro, o que pode lhes custar pontos preciosos. Caso sejam os campeões das Américas, o problema se estenderá para a reta final do nosso campeonato, momento em que a turma da Vila Belmiro começará a pensar no Mundial de Clubes – basta lembrar processo bem semelhante vivido pelo Internacional, no ano passado. Por isso, meu favorito para o título é o Cruzeiro. Mas se o Santos cair na Libertadores…

Já o apresentador do “Globo Esporte” de São Paulo, Tiago Leifert, aposta na equipe comandada pelo tetracampeão Muricy Ramalho, que acumula três título pelo São Paulo e um pelo Fluminense:

– O Santos tem os dois jogadores mais talentosos do país (Neymar e Ganso). E também tem o treinador mais vitorioso. Por isso, tem tudo para dar certo.

Na zona da degola, houve quase um consenso entre os jornalistas: Bahia, América-MG, Figueirense e Atlético-GO foram os mais citados entre os possíveis rebaixados. Mas Botafogo, Avaí, Atlético-PR e Ceará também marcam indesejada presença em algumas listas.

Por Cleber Aguiar – Santos x Once Caldas – Libertadores 2011

Fonte: Folha de São Paulo

sobrevivente

Enquanto seus rivais sucumbem dentro e fora de campo, Santos supera ou abafa crises, ergue taça e decide hoje lugar nas semifinais da Libertadores

LEONARDO LOURENÇO
DE SÃO PAULO

Assim como seus principais adversários no Estado, o Santos teve momentos de turbulência neste ano, dentro e fora de campo.
Mas, diferentemente dos rivais, contornou os problemas até aqui, venceu o Paulista e hoje luta por um lugar nas semifinais da Libertadores, contra o Once Caldas, às 22h, no Pacaembu.
Corinthians, Palmeiras e São Paulo sucumbiram à crise no primeiro semestre, caíram nos torneios mais importantes e viram seus centros de treinamento se tornarem palco de protestos da torcida.
Os dois primeiros sofreram derrotas vexaminosas, para Tolima, na Libertadores, e Coritiba, na Copa do Brasil.
O time do Morumbi foi eliminado pelo Avaí na competição nacional e viu seu técnico ser verbalmente atacado por dirigentes e jogadores, mas mantido no comando.
Não que o Santos não tenha tido percalços nestes cinco primeiros meses de 2011. Trocou de treinador duas vezes, ficou a um empate de cair na Libertadores e tem seu camisa 10 como protagonista de um das mais estafantes novelas do futebol brasileiro nesta temporada.
Mas Paulo Henrique Ganso ainda não foi embora, Muricy Ramalho foi contratado, e o clube não só venceu o Estadual como tem uma missão relativamente tranquila nesta noite para se classificar nas quartas de final da competição continental.
O Santos tem a possibilidade de empatar com o Once Caldas no Pacaembu, já que venceu por 1 a 0, na semana passada, na Colômbia.
A virada santista no ano coincide com a chegada de Muricy à Vila Belmiro. Até então, a falta de comando fazia o time oscilar demais dentro de campo e permitia a profusão de boatos sobre a negociação entre Ganso e o clube por um novo contrato.
Muricy, porém, crê que os problemas são normais e divide os méritos de seu trabalho com seus antecessores.
“Foi tudo bem feito pelo Adilson [Batista] e pelo Marcelo [Martelotte]. É um time jovem, que oscila”, disse. “Aí o que faz a diferença é a experiência. O jogador, quando vê um técnico de bom currículo no banco, respeita.”
Do lado de fora, a atuação de Muricy foi mais discreta. Ele conversou reservadamente com Ganso e pediu ao jogador que deixasse as questões extracampo nas mãos de seus procuradores.
Não foi atendido plenamente, mas o bom momento do Santos em campo colaborou para diminuir as especulações, ainda que não tenha acabado com todas elas.
Anteontem, durante a festa de premiação do Campeonato Paulista, o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro voltou a admitir a possibilidade de sua estrela deixar o time após a participação santista na Libertadores.

Fonte: O Estado de São  Paulo

Muricy pede Santos ligado em nova decisão

Título paulista, conquistado domingo, já é passado para o time, que enfrenta o Once Caldas com vantagem de jogar pelo empate

PAULO FAVERO – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – Durou pouco a festa santista pela conquista do Campeonato Paulista, no domingo. Nesta quarta-feira, os jogadores foram chamados de volta à realidade pelo técnico Muricy Ramalho. Antes do treino realizado no CT do Pão de Açúcar, na zona sul de São Paulo, o chefe conversou com os jogadores por quase meia hora para lembrá-los de que hoje é dia de mais uma decisão para o time. Às 21h50 (de Brasília, com transmissão da rádio Estadão ESPN), no Pacaembu, o Santos vai disputar com o Once Caldas uma vaga nas semifinais da Libertadores da América. Se passar, vai encarar o vencedor entre Jaguares e Cerro, que jogam nesta quinta, no Paraguai.

Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE
Alto astral. Neymar deve puxar contra-ataques do Santos

“Conversei com os jogadores e comentei que ganhamos o título no domingo, mas isso já passou, tem de esquecer. Para se manter em um clube, jogador e comissão técnica têm de ganhar sempre. Não podemos nos acomodar nunca”, ensinou Muricy.

Na partida de ida, na Colômbia, o Santos venceu por 1 a 0 e agora basta um empate para que o time brasileiro avance. Ao Once Caldas resta vencer – e se for por 1 a 0 a disputa vai para os pênaltis. Só que Muricy não vê grande vantagem. “O empate não quer dizer nada, não dá para orientar meu time para isso. É um adversário perigoso fora de casa e temos de fazer nosso jogo. Não vai mudar nada.”

ESPN – Muricy não deve mudar meio-campo santista

O treinador aprendeu com os erros do Cruzeiro, time que fez a melhor campanha da primeira fase e ganhou do Once Caldas no campo do rival por 2 a 1, mas foi surpreendido em Minas e com uma derrota por 2 a 0 foi eliminado. Muricy mostrou o vídeo dessa partida para seus jogadores. “Contra o Cruzeiro, eles jogaram muito bem e usamos isso como exemplo.”

A preocupação é que o Once Caldas costuma se sair melhor fora de casa. Pelo menos a equipe vem mostrando isso na Libertadores deste ano. Além de ter vencido o Cruzeiro, bateu também o Universidad San Martín e empatou com o San Luis e o Libertad. “O forte do Once Caldas é o conjunto, com jogadores experientes, que estão acostumados a disputar a Libertadores.”

Apesar de sua defesa ter sofrido apenas três gols nas 11 partidas que comandou, o técnico não quer abrir mão do que o Santos tem de melhor: o poder ofensivo. “Nosso time é bem entrosado e está jogando junto há um bom tempo. Técnico não tem de se meter muito quando o time encontrou uma maneira de jogar”, disse Muricy, que perdeu para a partida de hoje o lateral-direito Jonathan. O jogador sofreu lesão muscular na coxa direita.

Vantagem argentina. O Velez Sarsfield enfrenta o Libertad, às 19h30, no Paraguai, podendo perder por 2 a 0 para garantir vaga na semifinal. Os argentinos venceram o 1º jogo por 3 a 0. 

SANTOS – Rafael; Danilo (Pará), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick; Neymar e Zé Eduardo. Técnico: Muricy Ramalho.

ONCE CALDAS – Marínez; Yedinson Palacios, Amaya, Alexis Henríquez e Luis Nuñez; Harrison Henao, Mejía, Matías Mirabaje e Carbonero; Dayro Moreno e Rentería. Técnico: Juan Carlos Osorio.

Árbitro – Enrique Osses (CHI); Horário – 21h50 (de Brasília); TV – Globo, SporTV2 e Bandsports; Rádio – Estadão ESPN (AM 700/FM 92,9); Local – Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP).

Rafael Moura, do Flu, é o atacante preferido de Muricy

Sanches Filho – O Estado de S.Paulo

Bolivar na zaga, Zé Roberto ou Diego no meio de campo e Grafite ou Rafael Moura para o ataque. Essas poderão ser as mudanças no time bicampeão paulista para o Campeonato Brasileiro. Muricy Ramalho estuda nomes para repor as perdas confirmadas de Maikon Leite (apresenta-se ao Palmeiras no dia 24 do junho) e Zé Eduardo (vai para o Genova, Itália, no fim do próximo mês) e para melhorar o elenco. Ele estaria negociando pessoalmente com Bolivar e Rafael Moura, que foram seus jogadores no Internacional e no Fluminense, respectivamente.

O presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro confirma apenas que Zé Roberto conversou com o gerente de futebol, Nei Pandolfo, na semana passada, assumindo o compromisso de dar preferência ao Santos se voltar para o Brasil. Porém não desmente o interesse pelo centroavante do Fluminense. “Não quero falar de nomes antes de a transação estar amarrada.”

Foram contratados o atacante Richely, de 23 anos, do Santo André, e o meia Roger, do Oeste. “Não somos time de trazer Adriano ou Ronaldo Gaúcho, Emerson, Fabão, Pitbul e Luizão”, ironizou Luis Alvaro.

Fonte: lapatria.com.co

Tradutor Google

Sonho na noite passada

2011-05-18 00
Pátria
Esportes

Com a idéia de começar outra performance memorável, Once Caldas visita hoje a Santos na segunda mão das quartas de final da Copa Santander Libertadores.7: 50 horas, hora de jogo. Carlos Carbonero novamente, não se cale. Uma vitória por 1-0 dá-lhe que não o caminho directo para o onze. Hope.

Ricardo Lopes

Manizales
Voltar para remar rio acima. Isso é o que tenho usado para o Once Caldas na Copa Santander Libertadores, e agora, as coisas têm corrido sem problemas. Em casa, não poderia caber um, mas você vai tudo para fora.

Hoje, a visita de ‘branco’ para o Santos para a segunda partida das quartas. O local tem a vantagem após a vitória por 1-0 na Palogrande, mas uma vez tentar repetir o feito com o Cruzeiro, quando ele assumiu a rodada de dezesseis anos.

Para o compromisso de hoje, 7:50 pm, o técnico Juan Carlos Osorio e sabem que têm dirigido muito mais a ganhar do que perder. Eles têm a lateral e, portanto, terá que ir encontrar a vantagem, que lhes permite, pelo menos, igualar a série. Um empate não serve o ‘branco’, a força de um 1-0 com a definição da marca do pênalti, mas uma vitória por qualquer escore de envio direto para as semifinais. Difícil sim, mas não impossível. No pior caso foi no Cruzeiro, e você sabe o desfecho da história.

Street, a única vítima

Para o compromisso de hoje, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o treinador Osorio tem quase todas titular o seu pessoal. A única baixa é o lado direito do Elkin Street, que viu vermelho na primeira mão. Seu substituto seria Yedinson Palacios.

Em o ‘branco’ reaparecem Carlos Carbonero, ausente no jogo disputado em Manila para a sua expulsão no jogo de volta contra o Cruzeiro. Assim, o DT braço seu trio de ataque novamente com Carbonero, Dayro e Wason, sempre guiados por trás com Mirabaje.

No quadro local, a única dúvida reside na recuperação do Leo experiente lateral-esquerdo, que no domingo, na final da Liga antes de terminar o jogo com um leve desconforto e foi substituído por Alex Sandro.
O Reserve, Alan Patrick, que marcou em Manizales, permanecerá na cabeça em lugar do lesionado Paulo Henrique Ganso. Neymar, o homem a seguir, está confirmado no ataque.

“Temos certeza que fazemos tudo em nosso poder para mover para a próxima rodada, o grupo tem trabalhado com consciência e ainda tivemos de deixar os resultados de pesquisa para os visitantes, isto se tornou uma constante que nos tem permitido crescer para todos “, disse o técnico Juan Carlos Osorio, que teve dois dias para preparar a festa no Brasil, com sua orientação.

Em 2004, Depois o amarraram com Santos nas quartas da Copa Libertadores. Essa igualdade foi na primeira mão. Então, na volta, a caixa de albo eliminado os brasileiros.

Hoje, o fã do Once Caldas se agarra a essa ilusão, latente outros. Sua equipe está lutando contra o seu caminho para a semifinal, graças às vitórias como visitante. Hoje à noite está em outra missão. Se desejar feat.

Ficha técnica

Santos – Once Caldas

Estádio: Pacaembú

Árbitro: Enrique Osses (CHI)

Horário: 7:50 p.m.

TV: Fox Sports

São Rafael, Jonathan, Edu Dracena, Durval e Leo, Adriano, Arouca, Elano, Alan Patrick, Neymar e Zé Eduardo.
Once Caldas, Luis Enrique Martinez, Palacios Yedinson, Diego Amaya, Alexis Henríquez, Luis Núñez, Henao Harrison, Alexander Mejia, Mirabaje Matias, Carbonero Carlos, Dayro Moreno e Wason Renteria.

Ambas as campanhas

A seguir estão as campanhas de Santos, e locais e Once Caldas, visitante, nesta edição da Copa Santander Libertadores.

– Santos e locais

(Primeira Fase)

Santos 1 – Cerro 1

Santos 3 – Colo Colo 2

Santos 3 – D. Táchira 1

(Oitavo)

Santos 1 – América 0

PJ PG PE PP GF GC PTS

4 3 1 0 8 4 10

– Depois de visitante Caldas

(Primeira Fase)

San Luis 1 – Once Caldas 1

Liberdade 2 – Once Caldas 2

San Martín 0 – Once Caldas 2

(Oitavo)

Cruzeiro 0 – Once Caldas 2

Por Cleber Aguiar – Müller: “Perdi tudo com besteira”

Fonte: Portal IG

Em entrevista ao “Marca”, ex-jogador conta que gastou tudo que ganhou em 20 anos de carreira com mulheres, carros e falsos amigos

Ex-atacante Müller foi bicampeão mundial com o São Paulo e campeão pela seleção brasileira

Müller ganhou tudo com o futebol. E perdeu tudo depois. Em entrevista ao jornal Marca, o ex-jogador contou como, depois de 20 anos de uma grandiosa carreira, jogou fora milhões de reais com besteira, como ele mesmo diz.

“Sempre tive o futebol como meio de sobrevivência e é assim até hoje. Errei muito na vida. Fiz muita bobagem”, afirmou Müller, bicampeão do mundo com o São Paulo em 1992 e 1993 e campeão com a seleção brasileira em 1994. “Não sei se é bom dizer isso, mas é a verdade. Gastei tudo com mulheres, carros, etc. Com vaidades, amigos de ocasião. Muita gente se aproveitou de mim”.

Hoje, Müller diz que não tem nada. Nem bens materiais ou plano de saúde. Até a igreja que administrava teve que vender. Ele mora de favor na casa do ex-lateral Pavão, seu companheiro dos tempos de São Paulo e um dos únicos amigos verdadeiros que fez no futebol. “Somos amigos, eu morava de aluguel e estava sempre na casa dele. Então, o Pavão me chamou pra morar lá. Faz uns seis meses que estou na casa. É boa. São quatro quartos e fica no Morumbi”, falou.

Apesar de tudo, o ex-atacante de 45 anos assegura que não sente falta do mundo da bola ou da vida de rico. “Só tenho boas lembranças e isso é suficiente. Curti o que tinha que curtir. Agora, acabou”, disse. “Posso dizer que eu não sou exemplo para ninguém. O futebol me proporcionou tantas coisas boas que não posso me queixar de nada. Tenho um nome e fiz uma história”.

Quebrado, campeão mundial Muller diz a TV que “mora de favor”

Após brilhar por São Paulo, Palmeiras e seleção, ex-atacante passa por aperto. Ele faz alerta a Neymar e Dentinho

Difícil imaginar que um ex-jogador tão vitorioso quanto Muller possa atravessar problemas financeiros graves, a ponto de precisar morar de favor. Mas esta é a relidade do ex-atacante, que brilhou por São Paulo, Palmeiras, Cruzeiro e seleção brasileira, além de ter atuado no futebol italiano e no Japão.

Em entrevista ao programa Esporte Fantástico, da “TV Record”, o ex-craque, hoje com 45 anos, conta que está sem dinheiro e procura, sem sucesso, emprego de treinador. A situação é tão dramática que Muller mora de favor na casa do amigo Pavão, ex-lateral do São Paulo nos tempos de Telê Santana.

Durante a entrevista, o ex-jogador manda um alerta a craques do presente, com Neymar, do Santos, e Dentinho, do Corinthians. “Quando você é jovem e não tem preparo psicológico, você sempre gasta dinheiro, até desnecessariamente. Aí vem a fama e você gasta ainda mais”, admite o ex-jogador ao programa.

Muller surgiu no São Paulo na metade dos anos 80, formando um time que ficou conhecido como “Menudos do Morumbi”, ao lado do meia Silas (hoje técnico do Avaí) e do atacante Sidney. Ao todo, conquistou 15 títulos com a camisa tricolor, inclusive da Libertadores e do Mundial. Também brilhou no Palmeiras, pelo qual integrou a equipe que marcou mais de cem gols na conquista do Campeonato Paulista de 1996. Com a camisa do Cruzeiro, conquistou a Copa do Brasil em 2000.

Pela seleção brasileira, atuou em três Copas do Mundo. Na última delas, comemorou o título como reserva nos Estados Unidos, em 1994. Atuou ainda no Torino e no Perugia, da Itália, e no Kashiwa Reysol, do Japão. “Eu sempre aprendi no futebol que o difícil não é subir é permanecer lá em cima”, reflete, melancólico, na entrevista.

Fora de campo, porém, o ex-atacante não demostrou a mesma habilidade e hoje passa por graves problemas financeiros. Ele já tentou carreira como comentarista esportivo na Band e no Sportv, e atuou como técnico de equipes de pouca expressão, como Grêmio Maringá-PR e Sinop-MT. Este ano, dirigiu o Imbituba-SC, mas deixou o clube em má fase durante o Campeonato Catarinense.

Pai de três filhos do primeiro casamento, com Jussara, o campeão mundial lamenta não ver nenhum dos herdeiros atuarem como jogadores de futebol. “Fico triste porque meus filhos não foram jogadores. Queria que um ao menos fosse. São três homens, Luis Muller, Gabriel Muller e Mateus Muller…”

A entrevista completa com Muller vai ao ar neste sábado, dia 14, às 10h, no Esporte Fantástico, da “Record”.

Por Cleber Aguiar – Desentendimento político trava SP

Fonte: Folha de São Paulo

2014
Além do impasse sobre financiamento, estádio do Corinthians tem disputa entre esferas de governo

MARTÍN FERNANDEZ
DE SÃO PAULO
BERNARDO ITRI
DO PAINEL FC

O papel de São Paulo como sede da Copa de 2014 está cada vez mais indefinido. Além do impasse no financiamento do Itaquerão, divergências políticas também travam a definição sobre o futuro estádio do Corinthians.
O clube e a Odebrecht, empreiteira contratada para construir a arena, pediram ajuda ao governo de São Paulo para concluir a conta da obra -o custo final agora é estimado em R$ 1,07 bilhão.
Ouviram um “não” como resposta. E o argumento de que o Estado não vai investir num estádio que, quando pronto, terá uso privado.
O pedido foi de cerca de R$ 350 milhões para a conclusão da obra. Clube e empreiteira contam com R$ 400 milhões do BNDES e R$ 240 milhões dos Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento, da Prefeitura de São Paulo.
O governo estadual afirmou que seu papel é investir em obras no entorno do estádio e sugeriu ao clube que procure o governo federal.
Afinal, foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entendem integrantes do governo, quem deu o empurrão inicial para que o estádio em Itaquera fosse construído.
A ideia de pedir um financiamento maior ao BNDES foi descartada pelo próprio banco -o limite de R$ 400 milhões por arena não será ampliado para esse caso, como a Folha mostrou ontem.
Porém a disputa política não se resume ao conflito entre governo paulista e União. Também ocorre o que no Palácio dos Bandeirantes é chamado de “fogo amigo”, por parte da prefeitura.
O COL (Comitê Organizador Local da Copa) se queixa da falta de entendimento entre município e Estado.
Embora o secretário especial para a Copa-2014, Gilmar Tadeu Ribeiro, tenha sido apresentado pelo prefeito Gilberto Kassab como agente de integração entre as três esferas de governo, o cenário é tenso com a equipe de Geraldo Alckmin (PSDB).
A saída de Kassab do DEM e sua tentativa de aproximação com o PC do B -partido de Tadeu e do ministro do Esporte Orlando Silva Jr., que recentemente criticou os impasses de São Paulo- criam rusgas que interferem no planejamento da Copa-2014.
Com esse cenário e prevendo uma crise futura entre prefeitura e governo, funções foram divididas para a Copa. O Estado fica com segurança, transporte, saúde e turismo. A prefeitura, com energia, serviços e estádio.
Segundo gente envolvida na organização do Mundial, Kassab já pretende levar parte da equipe técnica do Comitê Paulista do Estado para o seu lado, engrossando sua participação na Copa.

Verba para obra em Salvador está “congelada”

NELSON BARROS NETO
DE SÃO PAULO

Uma das cinco favoritas para a Copa das Confederações de 2013, evento-teste para o Mundial, Salvador está com a reconstrução da Fonte Nova ameaçada, segundo o próprio governo da Bahia.
Controlado pelo PT, o Poder Executivo local acusa o Tribunal de Contas do Estado de impedir a liberação dos R$ 323,6 milhões já contratados com o BNDES para as obras.
Dos sete membros do órgão, apenas um não foi indicado pelos antecessores do governador Jaques Wagner -período em que grupo do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, morto em 2007, dominava a cena baiana.
A primeira parcela do financiamento deveria ser depositada em março, conforme o contrato. Mas ele foi reprovado pelo tribunal, sob alegação de faltarem documentos-chave.
Relator do processo, o conselheiro Pedro Lino nega o rótulo de “carlista” e diz que o colega Zilton Rocha, o único colocado na corte por Wagner, também votou contra o governo.
Já o secretário estadual da Copa, Ney Campello, afirma ser pessoal o “rigor técnico” do conselheiro.
Hoje, sessão do TCE-BA voltará a apreciar o tema.

Por Rogerinho – Carpegiani mantido no São Paulo! Saiba como foi tomada a decisão

Juvenal, que deu dura em Carpa e Rivaldo, apostou no projeto da base. Foram três reuniões no dia em que a diretoria rachou

FONTE – LANCENET.COM
Treinador concedeu entrevista na última segunda-feira

.

Certou ou não, Juvenal Juvêncio teve motivo para não demitir Carpegiani: o treinador está de acordo com a filosofia do presidente em apostar nos jogadores revelados pelo CFA de Cotia. Este, pelo menos, foi o principal argumento do mandatário para pessoas próximas. Pesou também o fato de não encontrar no mercado alguém que desse a certeza de manter o projeto. A ideia é a de que, em no máximo três anos, tempo do mandato vigente, 90% dos atletas sejam formados pelas categorias de base.

A decisão foi tomada pelo presidente e pelo diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes. Antes da reunião com Carpegiani e Rivaldo, em que o auxiliar Milton Cruz também esteve presente, no início da tarde da última segunda-feira, a cúpula conversou em separado com o treinador, e definiu por sua permanência (veja mais abaixo) Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, foi contrário à decisão.

No bate-papo com Rivaldo, que entrou na sala após Carpa receber a notícia de que ficaria, foi decidido que os dois teriam de superar o problema público, que ganhou repercussão maior após eliminação para o Avaí. Juvenal chamou a atenção de ambos e proibiu qualquer tipo de desentendimento futuro. Depois, o meia se desculpou com os companheiros antes do treino.

Mesmo com a permanência da dupla, o clima não é bom entre eles. A relação será restritamente profissional. Além disso, no grupo, apesar do discurso contrário, Carpegiani não tem aprovação de todos. Na diretoria, conta com pessoas o querendo fora. A própria comissão técnica montada continua sendo questionada.

Juvenal temeu cometer mesmo erro de 2010, quando, após demitir Ricardo Gomes, apostou em Sérgio Baresi, que não vingou. Sem nome de consenso, por conta própria, apoiado por João Paulo, manteve Carpa. Em Rivaldo, viu potencial. Entende que o craque tem experiência e ensinamentos para dar aos garotos. E não quer que a passagem dele pelo clube seja um fiasco. Agora, é esperar pelos próximos capítulos. A pressão ainda é grande.
Como foi a segunda-feira, dia em que Carpegani e Rivaldo foram mantidos

Primeira reunião
O presidente Juvenal Juvêncio, acompanhado do diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes, reuniu-se com Carpegiani. Depois de conversa, na qual deixaram claro erros e acertos do técnico, decidiram mantê-lo no cargo. Sexta-feira, os dois, acompanhados do vice Leco e do auxiliar Milton Cruz, tinham optado pela demissão, que só não foi feita porque preferiram dar a notícia pessoalmente. Além disso, tinham de negociar multa de cerca de R$ 1 milhão, a que o técnico tinha direito por salários até o fim deste ano.

Segunda reunião
Depois da primeira conversa, Milton Cruz e Rivaldo também foram chamados. Juvenal enquadrou Carpegiani e o meia. Colocou sua posição sobre as declarações públicas de ambos e revelou que não aceitaria mais esse tipo de atitude no clube. Os dois pediram desculpas e prometeram se controlar. Juvenal revelou que conta com a dupla e que são importantes.

Terceira reunião
Comissão técnica e jogadores se reuniram. Deixaram claro que Carpegiani e Rivaldo iriam continuar no clube. O camisa 10 pediu desculpas para Henrique e Willian, jogadores que entraram no jogo contra o Avaí, enquanto ele ficou no banco, motivo da revolta com o treinador pós-eliminação