ICFUT–Conheça todos os campeões estaduais até o momento!

Fonte: futebolinterior

Ao todo, oito times sagraram-se campeões neste final de semana e o Brasil já tem 14 campeões conhecidos!

Destaque para o Santos, que venceu o Corinthians, por 2 a 1. Mas, a grande zebra aconteceu na Bahia, onde o Bahia de Feira venceu o Vitória, por 2 a 1, dentro do Barradão. Em Minas, o Cruzeiro, com seus torcedores venceu o Atlético, por 2 a 0.

A final mais emocionante aconteceu em Porto Alegre, onde o Inter venceu o jogo no Olímpico, por 3 a 2. Nos pênaltis, o Colorado venceu por 5 x 4, num jogo que teve, ao todo, oito cobranças.

Confira a lista dos campeões:
Paulistão – Santos
Paulista Série A2 – XV de Piracicaba
Alagoas – ASA
Bahia – Bahia de Feira
Ceará – Ceará
Distrito Federal – Brasiliense
Goiás – Atlético
Mato Grosso – Cuiabá
Minas Gerais – Cruzeiro
Paraná – Coritiba
Pernambuco – Santa Cruz
Rio de Janeiro – Flamengo
Rio Grande do Norte – ABC
Rio Grande do Sul – Internacional
Santa Catarina – Chapecoense

ICFUT – Nos pênaltis, Internacional é campeão dentro do Olímpico

Fonte: lancenet

Após jogo eletrizante no tempo normal, Renan se redime de falha e pega três cobranças

Internacional x Gremio (Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM) Internacional x Gremio foi brigado até o fim (Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM)

Grêmio e Internacional decidiram neste domingo, no Estádio Olímpico, o título do Campeonato Gaúcho de 2011. Com a vitória colorada por 3 a 2 no tempo normal, a decisão foi para os pênaltis, já que o Grêmio vencera o primeiro jogo pelo mesmo placar. Nas penalidades, brilhou a estrela do goleiro Renan, que pegou as cobranças de William Magrão, Lúcio e Adílson.


(Renan voa e defende pênalti – Crédito: Vipcomm)

A partida começou com os donos da casa impondo seu ritmo. Mesmo tendo batido o rival no Beira-Rio, o Grêmio imprensou o seu adversário em seu campo de defesa e contou com o meia Douglas em tarde inspirada. O Inter, por sua vez, viu seu esquema com três zagueiros ruir logo aos 15 minutos da etapa inicial. Douglas deu lançamento milimétrico para Lúcio, que tocou por baixo do goleiro Renan. Incrédulos, os defensores colorados pediam impedimento inexistente.
O gol acentuou ainda mais o predomínio azul, que seguia de posse do meio de campo e criava as oportunidades mais concretas. Viçosa e Douglas, por exemplo, desperdiçaram chances que praticamente selariam o bicampeonato do Gaúcho. O rumo da partida mudou quando o técnico Falcão decidiu abandonar o desenho tático inicial.
Com o meia Zé Roberto na vaga de Juan, o Colorado foi um time mais envolvente e equilibrou as ações e a posse de bola. E foi dos pés de Zé Roberto que nasceu o empate dos visitantes. O meia fez jogada pela esquerda e cruzou. Leandro Damião, bem colocado, girou sobre o zagueiro e bateu para reacender as esperanças da minoria colorada presente ao jogo e empatar a partida.

O Internacional não tinha outra alternativa a não ser buscar o ataque. Aos 45 minutos, Zé Roberto bateu o escanteio, a zaga rebateu e Andrezinho, de fora da área, colocou fogo no clássico e virou para o Colorado.
A etapa final deixou os torcedores com a respiração presa, deixando no ar a sensação de que um gol de qualquer uma das partes resolveria a parada. Impulsionado pelo gol obtido quase nos acréscimos, o Inter partiu para cima do rival, que voltou um tanto mais cauteloso para a decisão.
Aos poucos, porém, o reequilíbrio voltou a ser a tônica do jogo. Aos 11, Leandro Damião isolou o que poderia ser o gol do título. Um minuto depois, Viçosa não marcou o gol que representaria o alívio tricolor. O suspense permaneceu. O desenho aparentemente definitivo da decisão aconteceu aos 28 minutos, momento em que Victor derrubou Zé Roberto na área. O argentino D’Alessandro, que não vinha em grande jornada, teve calma para colocar a bola no fundo da rede.
O apelido Imortal, no entanto, cabe bem ao Grêmio. Aos 36, o goleiro Renan soltou novamente um cruzamento na área, e Borges, bem colocado, teve o trabalho de marcar e levar a decisão para os pênaltis. Antes do apito de Leandro Vuaden, entretanto, Inter e Grêmio tiveram chances claríssimas de liquidar.
Nos pênaltis, vitória colorada por 5 a 4. Victor defendeu os chutes de Leandro Damião e Kléber, enquanto Renan pegou as cobranças de William Magrão, Lúcio e Adílson. Título e festa da metade vermelha do Rio Grande do Sul.


FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 2 (4) X 3 (5) INTERNACIONAL
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 15/5/2011 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Altemir Hausmann e Júlio Cesar dos Santos
Cartões amarelos: Juan, D’Alessandro, Zé Roberto, Guiñazu (INT); Vílson, Fábio Rochemback (GRE)
Cartões vermelhos: –
Gols: Lúcio, 15’/1ºT (1-0); Leandro Damião, 31’/1ºT (1-1), Andrezinho, 46’/1ºT (1-2), D’Alessandro, 29’/2ºT (1-3), Borges, 36’/2ºT (2-3)
GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo e Gilson (William Magrão, 32’/2ºT); Fábio Rochemback, Adilson Lúcio e Douglas; Leandro (Lins, 31’/2ºT) e Júnior Viçosa (Borges,30’/2ºT) Técnico: Renato Gaúcho.
INTERNACIONAL: Renan, Bolivar, Índio, Juan (Zé Roberto, 28’/1ºT) e Nei; Bolatti, Guiñazu, Andrezinho (Oscar, 4’/2ºT), D’Alessandro e Kleber; Leandro Damião. Técnico: Falcão.

ICFUT – Seleção feminina vence amistoso preparatório contra o Chile

Fonte: ig.com.br

Seleção joga com a Argentina, como preparação para o Mundial, que começa na Alemanha em 26 de junho

A seleção brasileira feminina levou a melhor no primeiro amistoso preparatório para o Mundial na Alemanha. A equipe dirigida pelo técnico Kleiton Lima venceu o Chile por 3 a 0 neste sábado no Estádio Rei Pelé, em Maceió. A capitã Aline Pellegrino, Marta e Rosana foram as autoras dos gols.

Atuando em seu estado natal, Marta não decepcionou e foi um dos destaques da partida. Foi dela o cruzamento que encontrou Aline Pellegrino livre para cabecear para abrir o placar, aos 18 minutos. Ainda na primeira etapa, a melhor do mundo anotou o seu, após passe de Fabiana.

Apesar da vitória por 3 a 0 no amistoso contra o Chile, no último sábado em Maceió, o técnico Kleiton Lima não ficou satisfeito com o desempenho da seleção brasileira feminina de futebol. O treinador atribuiu as falhas apresentadas na partida à falta de entrosamento das atletas.

"O time sentiu um pouco a falta de ritmo, pois estávamos há um bom tempo sem atuar. Poderíamos ter rendido mais. Cometemos falhas na distribuição das jogadas, quando deveríamos ter jogado com uma velocidade maior. Também erramos muito passe".

A queda de rendimento da equipe aconteceu no segundo tempo, quando Kleiton Lima promoveu várias alterações. Rosana, Francielle, Elaine, André Rosa, Dayane Rocha, Bia, Taís Guedes e Roseana entraram no time. Só a goleira Bárbara, Daiane Rodrigues e Marta não foram substituídas.

As mudanças fizeram com que o ritmo do jogo caísse e o desentrosamento ficou evidente na quantidade de passes errados da seleção brasileira. Mesmo assim, a equipe ainda conseguiu chegar ao terceiro gol, com Rosana.

"O amistoso é importante para isso. Dá chance de fazermos análises e observações. Temos que seguir trabalhando para deixar o time no seu melhor para disputar a Copa do Mundo", afirmou o treinador.

O Brasil volta a jogar no dia 16 de junho contra a Argentina, em Recife, em outro amistoso. No Mundial, que acontecerá de 26 de junho a 17 de julho, a seleção está no Grupo D, com Austrália, Noruega e Guiné Equatorial.

"Temos um mês para trabalhar e acertar tudo para a disputa da Copa do Mundo da Alemanha. A nossa meta é deixar o time brasileiro em condições de fazer uma grande competição, brigando para chegar ao seu objetivo, que é o título inédito", acrescentou Kleiton.

ICFUT – Santa Cruz perde do Sport, mas fica com o título do Pernambucano após seis anos

Fonte: uol.com.br

O Santa Cruz entrou em campo com uma boa vantagem após ganhar a primeira da partida contra o Sport, na Ilha do Retiro, por 2 a 0. Apoiado por mais de 60 mil fanáticos torcedores, a equipe tricolor controlou a pressão do rival, perdeu por 1 a 0, mas ficou com título pernambucano após seis anos e ainda de quebra impediu o hexacampeonato do time rubro-negro.
A marca negativa da partida ficou pela confusão iniciada pelo atacante Marcelinho Paraíba, do Sport, que fez o gol da vitória rubro-negra aos 48min, do segundo tempo, em cobrança de pênalti. Porém, o gol veio tarde e o Sport não teve como reverter a vantagem que o Santa Cruz construi na Ilha do Retiro.
Paraíba perdeu a cabeça e foi para cima do jogador do Santa Cruz, iniciando uma grande confusão após o apito final de Sálvio Spínola. Os jogadores dos dois times partiram para o confronto, o mais exaltado era Marcelinho Paraíba. A turma do deixa disso teve dificuldade para segurar o atacante, porém logo os jogadores do Sport foram para o vestiário e o Santa Cruz pode comemorar seu 29º título com a torcida no Arruda.
O primeiro tempo começou brigado, com muitas faltas e o Sport pressionando. O time da Ilha do Retiro parecia jogar em casa e pressionava o Santa Cruz. Porém, a equipe do treinador Hélio dos Anjos abusava das bolas cruzadas e facilitava o trabalho da zaga tricolor.
Para tentar controlar os ânimos dos jogadores, o árbitro Sálvio Spínola distribuiu cinco cartões amarelos apenas na primeira etapa: três para o lado do Sport e dois para jogadores do Santa Cruz.
No segundo tempo, as duas equipes insistiram na mesma estratégia. O Sport ameaçava uma pressão, sem conseguir muitas chances claras de gol, enquanto o Santa esperava por uma boa oportunidade de contra-ataque.
Aos 6min, o Santa Cruz teve a chance de marcar no contra-ataque. O time avançou e cruzou para o atacante, que cabeceou para a defesa do Magrão. A resposta do Sport veio aos 22min, quando no bate e rebate na área, a bola sobrava para o atacante rubro-negro, mas a defesa tricolor afastou.
Parece que o lance de perigo acordou o Santa Cruz, que teve boas oportunidades com Gustavo e Thiago Cunha, que não conseguiram aproveitar as oportunidades para abrir o placar.
Aos 36min, foi a vez do Sport ter a chance de balançar as redes para o Sport, mas Thiago Cardoso fez grande defesa e garantiu o zero no placar. Enquanto isso, o Santa Cruz não tinha mais forças para atacar.
No final do jogo, aos 43min, o zagueiro Alex Bruno, do Sport, perdeu a cabeça e deu uma entrada feia do adversário e levou o cartão vermelho.

ICFUT – Cruzeiro bate Atlético e conquista Campeonato Mineiro

Fonte: folha.com

No jogo de volta da decisão do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro venceu o Atlético por 2 a 0, na Arena do Jacaré, neste domingo, e conquistou o título estadual por ter melhor campanha durante toda a competição.

O Atlético, que venceu o primeiro jogo por 2 a 1, dependia de um empate para ficar com a taça. A equipe segurou o resultado até os 30min do segundo tempo, mas o gol de Wallyson acabou com o sonho de conquista do time alvinegro.

Aos 41min, o time atleticano ainda perdeu Serginho expulso e no minuto seguinte sofreu o segundo gol, marcado por Gilberto, em chute de fora da área, após cobrança de falta.

Wallyson (esq.) briga pela bola na decisão contra o Atlético; jogador marcou o primeiro gol

Wallyson (esq.) briga pela bola na decisão contra o Atlético; jogador marcou o primeiro gol

Este é o 36º título mineiro cruzeirense e o segundo título da carreira do técnico Cuca, que em 2009 foi campeão do estadual do Rio pelo Flamengo.

Já o Atlético perdeu a chance de faturar o bicampeonato estadual e chegar ao 41º título mineiro –é o recordista no estado.

O JOGO

Os primeiros 15min foram os mais equilibrados de toda a disputa, com os dois times trocando passes e articulando jogadas. O Atlético até teve mais posse de bola, ficou tocando no campo de ataque e deixou o Cruzeiro sem tantas opções de jogo.

Contudo, o time alvinegro acabou recuando e deu campo para o rival, que passou a trabalhar a bola e a buscar o jogo pelas laterais. Os goleiros Renan Ribeiro e Fábio tiveram pouco trabalho. A primeira defesa de destaque foi aos 22min, quando o arqueiro atleticano parou finalização de Roger.

O meio-campista, inclusive, foi um dos melhores na primeira etapa ao lado de Gilberto e Thiago Ribeiro. Eles organizaram as jogadas do time celeste e também tentaram furar o bloqueio da defesa atleticano.

No segundo tempo, a partida ganhou velocidade e o jogo ficou mais aberto. Isso porque os zagueiros sentiram o ritmo do primeiro tempo, acabaram se desgastando e os goleiros tiveram mais trabalho.

Foram boas chances para os dois lados. A melhor do Atlético foi aos 28min, quando o atacante Magno Alves foi lançado no campo de ataque. Livre de marcação, ele tentou driblar o goleiro Fábio, mas acabou se enrolando e perdeu a chance.

Dois minutos depois, Wallyson recebeu a bola na entrada da área, driblou o zagueiro e bateu no gol, um golaço. O tento do time celeste deixou a equipe alvinegra afobada em campo. Aos 41min, ainda perdeu Serginho, que já tinha amarelo, expulso por falta em Thiago Ribeiro. Após a cobrança da falta, Gilberto marcou o segundo do Cruzeiro, em chute de fora da área.

Nos minutos finais, o número de faltas aumentou. Os jogadores do Cruzeiro que estavam no banco passaram a pressionar a arbitragem, pedindo o final do jogo, e o meia Roger, mesmo no banco, foi expulso.

ICFUT – Atlético-GO empata com Goiás e conquista bicampeonato inédito

Fonte: gazetaesportiva.net

O Atlético-GO derrotou o Goiás por 1 a 0, no Serra Dourada, e conquistou, pela primeira vez, o bicampeonato estadual. A 12ª taça do Campeonato Goiano, se encaminhou para o Dragão ainda na primeira partida da final, quando a equipe empatou em 1 a 1.

Por ter feito melhor campanha na primeira fase da competição, o Atlético-GO pôde novamente empatar. Apesar da vantagem, o Dragão se lançou ao ataque e saiu na frente ainda no primeiro tempo, com Adriano. O Goiás chegou ao empate, mas já aos 47 da segunda etapa, sem tempo para virar.

O jogo – Precisando da vitória para sair com o título, o Goiás foi ao ataque nos primeiros minutos do jogo. Guto, sozinho, na entrada da área, desperdiçou ao bater por cima do gol de Márcio. Em bola parada, o Goiás tentou duas vezes, com Oziel e Tolói, mas a zaga do Dragão afastou.

Apesar das investidas do Alviverde, quem saiu na frente no placar dói o Atlético. Adriano fez linda jogada individual, cortou dois marcadores e bateu para o gol. A bola, que já iria entrar, bate no peito de Amaral e foi para o fundo da rede.

O gol, que aumentou a vantagem do Atlético-GO, desorganizou o Goiás e a equipe passou a errar muitos passes, chegando pouco ao ataque. Quando chegava, o Esmeraldino esbarrava em Gilson que, ao lado de Anderson, garantia a segurança da defesa tricolor.

Na segunda etapa, o Atlético-GO voltou melhor e assustou com Felipe e Marcão. O Goiás respondeu com Carlos Alberto, mas Márcio fez a defesa. Tolói, ainda tentou ao fazer linda inversão para Robert, mas o meia não alcançou a bola.

Um lance curioso marcou a partida. O árbitro Paulo César de Oliveira se confundiu e mostrou o cartão vermelho para o zagueiro Marcão, assustando a torcida do Verdão. Percebendo o erro, pediu desculpas e advertiu o jogador esmeraldino com o amarelo.

Com o segundo tempo chegando ao fim, o Goiás foi todo ao ataque e conseguiu marcar um gol, com Guto, mas já aos 47 minutos, não sendo suficiente para impedir o título do rival.

ICFUT – Bahia de Feira bate Vitória e garante título inédito do Baiano

Fonte: gazetaesportiva.net

Contando com o apoio de sua torcida no estádio Barradão, o Vitória partiu para cima do Bahia de Feira de Santana, que se defendeu bem na pressão inicial imposta pelos donos da casa e manteve o duelo equilibrado, entretanto, por pouco tempo.

Na marca dos 15 minutos, Nikão foi derrubado na entrada da área do Bahia de Feira. Na cobrança de falta, Geovanni bateu com categoria para abrir o placar no Barradão, sem chances de defesa para o goleiro Jair.

Apesar do susto, o Tremendão não diminuiu seu ritmo de jogo e levou perigo ao gol de Viáfara ainda ao longo do primeiro tempo. Já aos 45 minutos, o time de Feira de Santana também aproveitou uma bola parada, desta vez um escanteio, para empatar o duelo em 1 a 1, após Alysson finalizar para o fundo das redes.

No retorno para o segundo tempo, o Vitória buscou ampliar o marcador, sem sucesso, sendo barrado pela defesa bem postada do Bahia de Feira. Já na marca dos 21 minutos, João Neto recebeu um belo passe antes de bater com força no canto de Viáfara e virar a partida para o time de Feira de Santana, 2 a 1.

Com o resultado garantindo o título para os rivais, o Rubro-negro levou sua equipe ao ataque e impôs uma forte pressão sobre os adversários, novamente sem sucesso. Apesar de superior, o Vitória desperdiçou boas chances de empatar o embate, perdendo assim a chance de alcançar seu 27º título do Campeonato Baiano.

ICFUT–Santos CAMPEÃO!

Fonte: lancenet

Santos vence Corinthians e é Campeão Paulista pela 19ª vez

Arouca e Neymar garantem vitória por 2 a 1 na Vila Belmiro

Arouca comemora gol durante partida (Foto: Tom Dib)Arouca comemora o gol que decidiu o Campeonato Paulista (Foto: Tom Dib)

A Vila Belmiro está em festa. Santos é só alegria. Na sua casa, o Peixe venceu o Corinthians por 2 a 1, neste domingo, e conquistou seu 19º Campeonato Paulista. Arouca fez o seu sonhado gol do título, mas Neymar não queria ficar fora da festa. O craque santista contou com a colaboração de Julio Cesar para decidir o jogo.
O jogo começou e não demorou para o Santos impor seu ritmo. Léo teve grande chance, mas a bola passou por cima. O desejo de sair na frente do placar poderia ter sido concretizado com Zé Eduardo, que balançou as redes de Julio Cesar, aos 14. Porém, a auxiliar Tatiane Camargo assinalou corretamente o impedimento do atacante, que parece viver um pesadelo há 13 jogos sem marcar.
Porém, a tarde não era de pesadelo para o Peixe. Muito pelo contrário. O sonho de Arouca se transformou em realidade aos 16 minutos. Desde que chegou ao clube, nunca tinha feito um gol. A obssessão era tamanha que o pensamento vinha até quando ele estava dormindo. O volante aproveitou passe de Zé Love, tocou na saída de Julio Cesar e abriu o caminho para o título.
O time de MUricy Ramalho dominava todas as ações da partida. Arouca por pouco não fez o segundo. Ele pegou um rebote e acertou a trave. Se a bola entrasse, o camisa 5 teria a certeza de que estava sonhando.
Em decisões de campeonato não se pode perder gols, como fez Neymar no fim da primeira etapa. Jorge Henrique foi outro. O intervalo se aproximava e o Corinthians só incomodou com o camisa 7. Sozinho na pequena área, ele não conseguiu desviar cruzamento de Chicão. Jorge foi o único a assustar o goleiro santista Rafael, já que tinha finalizado com perigo logo após o o gol de Arouca.
Veio o segundo tempo e Tite fez a sua tradicional alteração. Dentinho esteve sumido durante os primeiros 45 minutos e Willian, o talismã da equipe, entrou em seu lugar. E, com menos de 15 minutos, o substituto já levou perigo com um chute de longe rebatido por Rafael. Mas antes disso, o Santos tinha tido seu segundo gol anulado. Alan Patrick estava impedido quando aproveitou desvio de cabeça de Durval, aos 4 minutos.
A chuva começou na Vila Belmiro, mas não foi capaz de acalmar os nervos dos torcedores. O tempo passava e o Corinthians foi para o tudo ou nada. A bola quase sempre estava no ataque corintiano.
Tite pôs o seu time à frente. Ramírez e Morais entraram no jogo. Muricy tirou Alan Patrick e colocou o volante Possebon para ajudar na defesa. A pressão foi grande, mas nenhuma chance clara foi criada.
Restou ao Peixe explorar os contra-ataques. Assim, aos 39, Neymar bateu para o gol e Julio Cesar cometeu uma falha inacreditável. O Santos fazia 2 a 0 e já comemorava o título. Mas ainda tinha tempo.
Tempo para o Corinthians sonhar. Dois minutos após o gol sofrido, Morais cruzou na área, a bola passou por todo mundo, pelo goleiro Rafael e entrou. Havia esperança, mas o tempo era curto.
Luiz Flávio de Oliveira deu três minutos de acréscimo. A agonia durou até o fim, mas o placar não se alterou e o Santos sagrou-se, pela 19ª vez na história, campeão paulista.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 X 1 CORINTHIANS
Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 15/5/2011 – 16h
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: David Botelho Barbosa (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Renda/público:
Cartões amarelos: Elano, Pará, Neymar (SAN); Chicão, Fábio Santos, Liedson (COR)
GOLS: Arouca, 16’/1ºT (1-0); Neymar, 39’/2ºT (2-0); Morais, 41’/2ºT (2-1)
SANTOS: Rafael, Jonathan (Pará, 20’/1ºT), Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro, 27’/2ºT); Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick (Rodrigo Possebon, 34’/2ºT); Neymar e Zé Love. Técnico: Muricy Ramalho.
CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho (Ramírez, 20’/2ºT), Bruno César (Morais, 23’2ºT) e Jorge Henrique; Dentinho (Willian, intervalo) e Liedson. Técnico: Tite.

 

O JOGO

Fonte: santosfc.com.br

O Peixe entrou em campo com Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick; Neymar e Zé Eduardo. Mas, logo aos 20 da primeira etapa, Jonathan sentiu a coxa após disputa com Bruno César e Pará entrou na equipe. Já no segundo tempo, aos 27 minutos, Alex Sandro entrou no lugar de Léo e, aos 34, Possebon entrou na vaga de Alan Patrick.

Atuando em casa, o Peixe começou em cima do Corinthians. Aos cinco minutos, Jonathan passou pelo marcador, foi à linha de fundo e cruzou. Neymar cabeceou por cima do gol.

Já aos sete, Arouca deu lindo lançamento para Léo por cima da zaga. O lateral esquerdo invadiu a área e bateu cruzado, mas a bola foi para fora.

Aos 14, Léo lançou Zé Eduardo na área. O atacante bateu cruzado e estufou as redes, mas a bandeira já assinalava impedimento.

Mas dois minutos depois não teve jeito. Léo lançou, a zaga desviou de cabeça e caiu nos pés de Zé Eduardo. O atacante cruzou e Arouca abriu o marcador.

O Corinthians respondeu aos 18. Jorge Henrique arriscou de fora da área e a bola passou por cima da meta de Rafael.

Já aos 27, após recebe passe de Neymar, Alan Patrick passou pelo marcador e arriscou de fora da área. Julio Cesar encaixou.

Aos 33, Arouca quase fez o segundo. Após bate rebate na área corintiana, a bola sobrou para o volante santista, que arriscou de primeira e acertou a trave.

Na sequência, aos 38, após troca de passes do ataque santista, Zé Eduardo bateu cruzado para fora. No minuto seguinte, Neymar deu lindo lançamento para Alan Patrick por cima da zaga. O meia invadiu a área e finalizou de primeira, mas a bola passou por cima do gol.

Aos 42, Zé Eduardo lançou para Neymar. O Menino da Vila saiu na cara do goleiro e finalizou, mas Julio Cesar saiu para o abafa e defendeu.

Segundo tempo

Logo aos quatro minutos, Elano cobrou escanteio da direita, Durval desviou de cabeça e Alan Patrick empurrou para as redes, mas o bandeira já assinalava impedimento.

Aos 12, Neymar recebeu em velocidade na ponta esquerda e cortou para o meio passando pelos marcadores. O atacante lançou rasteiro para a entrada de Elano, que bateu cruzado para fora.

E após uma segunda etapa em que o Corinthians buscou o gol principalmente com chutes de longa distância enquanto Peixe saia nos contra-ataques, Neymar decretou a vitória aos 38 minutos. O atacante santista recebeu de Zé Eduardo, invadiu a área e bateu cruzado. O chute saiu fraco, mas Julio Cesar não conseguiu defender.

O Corinthians ainda diminuiu com Morais. O meia bateu cruzado na área, o tiro saiu fechado e entrou direto.