Por Cleber Aguiar – Grêmio Prudente quer voltar ser Barueri !

Fonte: Folha de São Paulo

Ex-Barueri quer voltar a ser Barueri

FUTEBOL
Disputa política interfere na volta do time, um ano após transferência para Presidente Prudente

EDUARDO OHATA
DO PAINEL FC
LEONARDO LOURENÇO
DE SÃO PAULO

Pouco mais de um ano após deixar Barueri e se mudar para Presidente Prudente, o Grêmio Prudente está de malas prontas para a viagem de volta a sua cidade de origem, na Grande São Paulo.
O time está próximo de ser comprado por empresários, com o apoio da prefeitura. A intenção é disputar a Série B, neste mês, já em Barueri.
Segundo a Folha apurou, o clube manteria sua forma de gestão e retomaria o nome Grêmio Barueri. A comissão técnica também foi definida.
Mais do que questões esportivas, é a disputa política que interfere no retorno da equipe à cidade natal.
Foi a forma encontrada pelo prefeito Rubens Furlan (PMDB), que não poderá tentar nova reeleição, para fortalecer a candidatura do escolhido para ser seu sucessor.
O nome com a simpatia de Furlan é o de Carlos Zicardi, secretário de Esportes de Barueri, colocado na pasta justamente por ser a de maior visibilidade no município.
A opção causou um racha com o antigo aliado do prefeito, o deputado estadual Gil Arantes (DEM), que já se lançou como pré-candidato.
Arantes é amigo próximo de Walter Sanchez, presidente do conselho do Prudente, que foi seu secretário quando ocupou a cadeira de prefeito.
A saída do time, em 2010, se deu graças a desavenças entre Sanchez e Furlan.
O acordo entre o clube e a Prefeitura de Prudente vence em 2012, ao final do mandato de Furlan. A ideia era retornar a Barueri em 2013, caso Arantes vença o pleito municipal do ano que vem.
Os que manobram para o retorno do clube, porém, querem adiantá-lo para capitalizarem apoio político e enfraquecerem a candidatura de Arantes à prefeitura.
Após a saída do Grêmio Barueri, no Paulista de 2010, a cidade se mexeu para não ficar sem time de futebol.
Para isso, conseguiu fechar acordo com o Campinas, clube da terceira divisão que pertencia aos ex-jogadores Careca e Edmar.
A equipe, rebatizada com o nome da cidade, porém, tem tido campanhas pífias e, neste ano, foi rebaixada à quarta divisão do Estadual.
O mais provável é que o atual Barueri seja absorvido pelo que está prestes a voltar.
Oficialmente, tanto o clube como a prefeitura negam qualquer negociação.
Ela, porém, foi confirmada à Folha por uma pessoa próxima à diretoria do Prudente.
“Não há nada com relação a isso, só boataria”, afirmou Sanchez. Por meio de sua assessoria de imprensa, Zicardi também disse que não existe acordo e que deve se pronunciar hoje, em nota oficial.
Neste ano, o Prudente, semifinalista do Paulista-2010, sofreu seu segundo rebaixamento seguido, para a A-2. Na temporada passada, já tinha caído no Brasileiro.
As quedas representaram uma diminuição radical nas receitas e fizeram com que o dirigente, em entrevista a um veículo local após a participação do time no Campeonato Paulista, admitisse a possibilidade de venda do clube.

ICFUT – “Não vai aparecer ninguém”, diz Torre

Fonte: Folha de São Paulo

PALMEIRAS Empresário responsável pelo estádio do clube duvida que concorrência se interessará por obra

EDUARDO OHATA
DO PAINEL FC
LUCAS REIS
DE SÃO PAULO

O empresário Walter Torre, sócio da WTorre, responsável por erguer a Arena Palestra, afirma em entrevista à Folha que as condições que tem hoje são imbatíveis. Além de duvidar que alguém apresente proposta melhor, diz que, se o clube quebrar o contrato com a WTorre, nenhum grupo confiará mais no Palmeiras.

Folha – O senhor passou quase três horas no Twitter na madrugada de ontem conversando com internautas sobre a Arena Palestra. O senhor está tentando uma aproximação com os torcedores?
Walter Torre – Não estou tentando aproximação. Quero apenas mostrar as coisas boas que estamos fazendo.

A oposição palmeirense usa, em manifestações a favor da WTorre, material impresso que traz a logo da construtora. Foi a WTorre que fez?
Não sei do que você está falando. Foi bom tocar nisso, para eu esclarecer uma coisa. Meu contrato não foi com a situação ou com a oposição, foi com o Palmeiras. Então quer dizer que a cada ciclo eleitoral os contratos serão quebrados? Por isso, digo que não vai aparecer ninguém para nos substituir. Se o Palmeiras rasgar o contrato com a gente, o que garante que não rasgará o que firmar com um eventual grupo que nos suceder? Quem terá coragem de fazer negócios?

Voltando ao assunto do material que a oposição tem em mãos, ele tem a logo da WTorre, é um comparativo entre a WTorre e o projeto do mandato anterior. Tem certeza de que não foi produzido aí?
Não sei. Acho que foi coisa de um grupo palmeirense. Ou pode ser que o Rogério Dezembro [ex-diretor palmeirense, hoje na WTorre] tenha produzido. Eu não sei.

Dizem que o senhor chamou membros de organizadas. O senhor teria pedido recentemente um encontro com o Paulo Serdan [líder da Mancha Alviverde] para falar.
Não, isso não é verdade. Até chamei ele para conversar, mas foi há uns nove meses. Faz tempo, foi na época da assinatura do contrato.

Qual o seu time?
Sou palmeirense.

Mas gente que conhece o senhor há longa data e até pessoas que trabalham com o senhor disseram que é santista.
Eu tinha simpatia pelo Santos. Só fui ao estádio uma vez. Foi só agora, com esse envolvimento com o Palmeiras, que comecei a me ligar em futebol.

Na reunião com cartolas do Palmeiras, o senhor propôs que o clube procurasse outro parceiro. Por que fez isso?
Disse para se informarem melhor no mercado e que se alguém apresentasse proposta melhor, que viessem falar comigo. Disse ainda que não será um negócio tão rentável como meus outros empreendimentos, que dão retorno anual de 15%, em média. No caso da Arena Palestra, ficará só entre 8% e 12%.

E os demais estádios em SP?
É. Agora tem o Corinthians, o São Paulo melhorando seu estádio. Isso tira a discussão do campo das discussões e traz para a realidade. Eles são concorrentes.

Por ICFUT – Imprensa internacional vê “façanhas” em eliminações brasileiras

FONTE – IG Esportes

Jornal uruguaio diz que vitória do Peñarol sobre o Inter é “despertar de um gigante adormecido”

Os jornais e sites de notícias internacionais parecem não acreditar na noite negra vivida pelos times brasileiros na Copa Libertadores da América. Veículos de imprensa do Uruguai, Colômbia, Paraguai e Chile veem como verdadeiras “façanhas” as vitórias do Peñarol sobre o Inter, do Once Caldas sobre o Cruzeiro, do Libertad sobre o Fluminense e da Universidad Católica sobre o Grêmio, que desclassificaram todos os times brasileiros. Só restou o Santos, que passou no sufoco pelo América do México, no torneio interclubes mais importante do continente.

O país com manchetes mais exaltadas foi o Uruguai. “O Peñarol dos milagres”, estampou o “El País”, maior veículo de imprensa local, que completou: “Um gigante vive na Copa Libertadores”. O jornal ainda escreve que o tradicional clube de Montevidéu “calou muitas bocas” e “despertou” de um longo sono. Outro veículo uruguaio, o “El Observador” chamou a eliminação do Internacional de “El Beirariazo”, um trocadilho com a famosa expressão “Maracanazzo” (vitória do Uruguai sobre o Brasil na final da Copa do Mundo 1950, no Maracanã) e Beira-Rio, o estádio do clube gaúcho.

Na Colômbia, os jornais parecem incrédulos com a vitória do Once Caldas, 16º time na primeira fase da Libertadores, sobre o Cruzeiro, equipe de melhor campanha na competição. Mais importante veículo do país, o “El Tiempo” classificou como “façanha épica” a vitória do time colombiano em plena Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG, lembrando que o time mineiro estava invicto em casa. “O Once fez o que parecia impossível”, completou o “La Patria”, de Manizales, cidade do Once Caldas – lembrando ainda que o próximo desafio do time será o “Santos de Neymar e Ganso.”

A expressiva vitória do Libertad para cima do Fluminense fez o jornal “Ultima Hora” soltar seu lado torcedor. “Com muita raça”, diz o veículo, “o Libertad dominou amplamente” o adversário e avançou para enfrentar o vencedor de Vélez Sarsfield e LDU. Mais comedido, o “ABC Color” também ressaltou o espírito de luta da equipe guarani, que só conseguiu os gols de garantiram a classificação no final da partida.

Quem menos se exaltou foram os jornais chilenos. Já tranquilos com a vitória da Universidad Católica no estádio Olímpico, os veículos consideraram como natural a classificação da equipe de Santiago sobre o Grêmio. “Católica cumpriu o esperado”, diz o “El Mercurio”. Confiante, o “La Tercera” já coloca a equipe branca e azul como uma das favoritas ao título da Copa Libertadores. O último time do país a vencer o torneio foi o Colo Colo, em 1991.

O jornal argentino “Olé” também aproveitou para cutucar os brasileiros, especialmente o Internacional.

Por Edgar Santista – Anderson faz dois e ajuda a colocar o Manchester em decisão contra Barça

Recheados de reservas, Diabos Vermelhos goleiam o Schalke por 4 a 1 e carimbam ‘revanche’ diante dos catalães, no dia 28 de maio, em Wembley

 

Wembley, 28 de maio: e lá vem o Manchester United. De novo. Consistente, seguro na defesa e dono de um ataque para lá de perigoso, os Diabos Vermelhos estão em mais uma decisão de Liga dos Campeões. Será a quinta ou, ainda mais surpreendente, terceira participação da equipe de Sir Alex Ferguson na finalíssima da maior competição de clubes da Europa em apenas quatro anos. Após abrir boa vantagem na Alemanha na última semana com um 2 a 0, o experiente treinador pôs a campo um time recheado de reservas nesta quarta-feira, no Old Trafford, pelo segundo jogo da semifinal. Foi o suficiente para golear o Schalke 04, por 4 a 1, e garantir uma espécie de revanche contra o Barcelona, que superou o rival Real Madrid na outra chave e esteve representado no estádio pelo técnico Josep Guardiola. 

Valencia, Gibson e o brasileiro Anderson, duas vezes, marcaram para os donos da casa, enquanto Jurado diminuiu para os azuis-reais, que se despedem com campanha inédita e que irá orgulhar a cidade de Gelsenkirchen. Os tricampeões, por sua vez, reencontrarão os catalães após terem perdido a final de 2009, disputada em Roma, por 2 a 0. Em 2008, derrotaram o Chelsea nos pênaltis, por 6 a 5, após empate por 1 a 1 em Moscou. Em 2010, ano de exceção, caíram para o Bayern de Munique, nas quartas de final. 

Anderson comemora gol do Manchester United contra o Schalke (Foto: AFP)Anderson comemora o primeiro de seus dois gols na goleada sobre o Schalke: mais uma final (Foto: AFP)

 O técnico Alex Ferguson estava claramente pensando em outro time de azul quando anunciou a escalação somente com quatro titulares: Van der Sar, Valencia, Rafael e Nani – os dois últimos ainda revezaram na posição recentemente com Fábio e Park. No domingo, às 12h10m (de Brasília), o líder do Campeonato Inglês recebe o Chelsea, no mesmo Old Trafford, em duelo decisivo na briga pelo título – a diferença é de atualmente três pontos (73 a 70) a três rodadas do fim. O GLOBOESPORTE.COM acompanhará em Tempo Real.

 Enquanto isso, na Bundesliga, o Schalke, 10º colocado, apenas cumpre tabela diante do Mainz, no sábado, às 10h30m, pela 33ª e penúltima rodada..

 Reservas mostram serviço 

Raul e o time do Schalke contra o Manchester United (Foto: Getty Images)Raúl cabisbaixo com a eliminação: campanha do
Schalke superou as expectativas (Getty Images)

 Enganou-se, no entanto, quem imaginou um primeiro tempo morno com a quantidade de reservas em campo. Os sete suplentes do Manchester tinham serviço para mostrar e não faziam a menor questão, é claro, de decepcionar a torcida que lotou e abrilhantou o chamado “Teatro dos Sonhos” com um mosaico antes do apito inicial. E foi principalmente graças a um dos “encostados” que os Diabos Vermelhos desceram para o vestiário ainda com maior vantagem no placar agregado. 

Aos 25, quando o Schalke havia assustado apenas uma vez, com Farfán, veio o primeiro ato. Jurado errou passe bobo no meio-campo e a bola sobrou para Gibson. Como Giggs, ele deixou o equatoriano Valencia na cara do gol. Neuer, dessa vez, não fez os milagres da partida de ida: 1 a 0. O passe chamou a atenção do zagueiro Rio Ferdinand, que comentou o lance em seu perfil no Twitter já aquecendo a rivalidade com o finalista Barcelona: 

– Se fosse o Iniesta que tivesse passado essa bola as pessoas já estariam babando – disse Ferdinand.

 Maior artilheiro da história da Liga dos Campeões, com 71 gols, Raúl tentou responder logo em seguida, com uma cabeçada, mas foi o Manchester que aproveitou melhor sua segunda ótima chance e ampliou aos 31. Anderson recebeu lateral de Rafael e fez o pivô para Valencia. O equatoriano devolveu o presente para Gibson, que chutou no meio do gol. Neuer falhou feio e só fez crescer os rumores e brincadeiras de que fora negociado após o jogo em Gelsenkirchen. 

Gibson comemora gol do Manchester United contra o Schalke (Foto: AFP)Gibson, à direita, teve primeiro tempo de Giggs: passe espetacular e gol (Foto: AFP)

 O Schalke viu suas esperanças aumentarem um pouco após justamente diminuirem.Aos 33, Smalling saiu jogando errado, e a bola sobrou com Uchida. O japonês cruzou e, após nova rebatida, Jurado pegou de primeira e anotou um belo gol.

O jogo era quente e o Manchester por muito pouco não voltou a marcar. Logo em seguida, aos 34, Valencia recebeu de Anderson na grande área e chamou Neuer para dançar. Ele limpou o goleiro e chutou rasteiro, mas Höwedes salvou em cima da linha.

 Rooney na torcida do Manchester United contra o Schalke (Foto: Reuters)Rooney não foi nem relacionado para banco (AFP)

 Anderson rouba a cena e faz dois

 Com vantagem praticamente irremediável – àquela altura os alemães precisavam de três gols e haviam finalizado apenas cinco vezes –, os ingleses cozinharam o jogo no segundo tempo. A facilidade era tamanha que encontraram espaço para assustar Neuer, em lindo chute de Anderson, aos 10 minutos, salvo na ponta dos dedos pelo goleiro. 

O brasileiro, um dos reservas em campo, voltaria a aparecer. E muito bem. Aos 27, Nani criou bom contra-ataque e achou o meio-campista livre na área. Ele errou o domínio, mas se recuperou e bateu forte. Anderson parecia inspirado e fez o seu segundo pouco depois. Aos 31, em mais um contra-ataque mortal, Berbatov entrou livre pela direita e só rolou para o brasileiro completar com o gol praticamente vazio.

 

manchester united 4 x 1 schalke 04
Van der Sar, Rafael (Evra), Evans, Smalling e O’Shea; Gibson, Scholes (Fletcher) e Anderson; Valencia, Berbatov (Owen) e Nani. Neuer, Uchida, Höwedes (Matip), Metzelder e Escudero; Papadopoulos e Jurado; Farfán (Huntelaar), Baumjohann (Edu) e Draxler; Raúl
Técnico: Alex Ferguson. Técnico: Ralf Rangnick.
Gols: Valencia, aos 25, Gibson, aos 31, e Jurado, aos 34 minutos do primeiro tempo; Anderson, aos 27 e 31 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gibson, Scholes, Anderson (Manchester); Escudero (Schalke)
Estádio: Old Trafford, em Manchester (ING). Data: 04/05/2001. Árbitro: Pedro Proença (POR). Assistentes: Tiago Trigo e Ricardo Santos (POR).

 

ICFUT – Vasco vacila no fim e cede empate ao Atlético-PR na Arena da Baixada

Depois de estar duas vezes atrás no placar, Furacão aproveita pênalti infantil do time carioca e faz 2 a 2. Volta será dia 12, em São Januário

O retrospecto na Arena da Baixada era muito ruim. Nas últimas nove partidas, o Vasco conseguiu apenas uma vitória. No décimo encontro, a impressão de que a segunda vitória iria sair. O clube carioca jogou melhor que o Atlético-PR, chegou a estar na frente em duas oportunidades, mas cedeu o empate no fim: 2 a 2 na noite desta quarta-feira, no jogo de ida pelas quartas de final da Copa do Brasil. Alecsandro e Diego Souza marcaram para o Vasco, enquanto Guerrón e Paulo Baier fizeram os gols do Furacão.

A decisão da vaga nas semifinais da competição será no dia 12, às 19h30m (de Brasília), em São Januário. Empates em 0 a 0 e 1 a 1 dão a vaga ao Vasco. Um novo 2 a 2 leva a decisão para os pênaltis. Empate em três ou mais gols dá a vaga ao Furacão. Quem vencer o confronto avança na competição.

por GLOBOESPORTE.COM

ICFUT – Irregular, São Paulo faz 1 a 0 no Avaí e precisa empatar para ir à semifinal

Depois de ótimo primeiro tempo, quando dominou e perdeu muitos gols, Tricolor caiu de rendimento na segunda etapa e venceu com gol contra

 
Com dois tempos completamente distintos, o São Paulo fez a lição de casa no estádio do Morumbi e venceu o Avaí por 1 a 0, em partida que abriu a disputa das quartas de final da Copa do Brasil. O Tricolor Paulista deixou o gramado com a sensação de que poderia ter definido a classificação já no duelo realizado na noite desta quarta-feira. No primeiro tempo foi absoluto em campo e abusou do direito de perder gols. Na etapa complementar, sem repetir o desempenho, o time sofreu com o crescimento do adversário e terminou a partida levando sufoco. Ao visitante restou lamentar o gol contra de Revson e tentar mudar o cenário na partida de volta, na Ressacada, na quinta-feira da próxima semana.

Com o resultado, o Tricolor joga com a vantagem do empate em Florianópolis, mas pode até perder por um gol, desde que marque fora de casa. Para o Avaí, valem dois resultados: repetir o 1 a 0 para levar a decisão para os pênaltis ou vencer por dois ou mais gols de diferença para se classificar.

por Marcelo Prado

Por Cleber Aguiar – O Imortal caiu na Libertadores !

Fonte: Globo.com

Imortalidade tem limite: derrota no Chile elimina Grêmio da Libertadores

Sem sete titulares, Tricolor gaúcho luta, mas perde por 1 a 0 para a Universidad Católica em Santiago, e sonho do tri é adiado

Os gremistas se prendiam à famosa imortalidade tricolor, mas nem ela foi capaz de ignorar tantos problemas. No estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile, mais uma vez o sonho do tricampeonato continental teve de ser adiado, e o Grêmio deu um precoce adeus à Libertadores de 2011. A derrota por 1 a 0 expôs a limitação de um time que passou por todos os tipos de contratempos nos últimos dias: lesões em série, dispensa de Carlos Alberto, expulsão de Borges e derrota, nos pênaltis, no Gre-Nal de domingo.

Como consolação, se isso é possível neste momento, pelo menos um grande motivo para sorrir. Momentos antes do apito inicial de Carlos Amarilla, o arquirrival Internacional foi surpreendido pelo Peñarol no Beira-Rio e também deu adeus à Libertadores. Se não avançaram às quartas de finais, os gremistas, pelo menos, não sofrerão com as provocações adversárias, haja vista que o Rio Grande do Sul não terá muita vontade de falar sobre futebol nesta quinta-feira.

Na tática e no grito

Antes do jogo, Renato Gaúcho preparou os jogadores para uma verdadeira batalha em Santiago. Foram 30 minutos de conversa e incentivos, que acirraram os ânimos dos gremistas. E se não entraram voando em campo, os tricolores se mostraram capazes de evitar uma esperada pressão inicial dos chilenos, que jogavam diante do San Carlos de Apoquindo abarrotado de gente. Reconhecida pela exigência excessiva, muitas vezes vaiando o time nos empates em casa – foi assim no 0 a 0 com o Vélez Sarsfield na primeira fase – nesta noite os ‘Cruzados’ compreenderam a necessidade de apoiar.

Lucas Pratto Rafel Pinto Universidad Católica x Grêmio (Foto: Reuters)Lucas Pratto disputa bola Rafel Rafael Marques (Foto: Reuters)

Com Lins no lugar de Leando – modificação de última hora de Renato Gaúcho -, os gremistas vestiram as armaduras e não se intimidaram com a torcida chilena e suas ininterruptas cantorias. O time brasileiro controlou a posse de bola, trocando passes no campo de ataque. Douglas, o maior foco de talento do Grêmio em campo, foi o responsável pelos lances de perigo na etapa inicial. Aos sete, cobrou uma falta por cima do gol. Três minutos depois, cruzou com efeito da direita e quase surpreendeu o goleiro Garcés. Aos 36, bateu por cima de fora da área, no lance mais perigoso do Tricolor no primeiro tempo. Nada que tirasse os chilenos do sério. Porém, o camisa 10 deixou claro que os brasileiros queriam jogo.

Mas sem os avanços de Gabriel pela direita ou atacantes insinuantes na área adversária, aos poucos o clube gaúcho foi perdendo o domínio territorial. O Universidad Católica cresceu e também teve seus momentos. Sempre com Pratto – carrasco tricolor na partida do Olímpico. Primeiro, ele arriscou de fora da área e levou perigo. Na sequência, acertou uma forte cabeçada que obrigou Marcelo Grohe a fazer uma grande defesa.

Renato ousa, mas Grêmio é eliminado

Na volta do intervalo, nada de mudanças de nomes, apenas de postura. Em relação ao primeiro tempo, o Grêmio perdeu muito espaço territorial e ainda ficou mais vunerável aos contra-ataques. Apesar de pouco finalizar, a Universidad Católica era mais equilibrada em campo. E foi neste momento do jogo, quando os chilenos pareciam donos do campo, que o Grêmio teve sua grande chance. Aos 16, Vilson deu uma de Douglas, arrancou pelo pelo meio e abriu para Fernando na direita. Livre, o volante cruzou na medida para Júnior Viçosa que, à lá Bebeto, acertou um bonito vôleio. Valenzuela, em cima da linha, conseguiu o corte de cabeça, evitando o gol tricolor.

A Universidad Católica, não constrangeu jogar defensivamente em casa. Afinal, desde 1997 o clube não chegava às quartas de final da Libertadores. Passar a esta fase novamente, quatorze anos após a eliminação para o rival Colo Colo, era considerado um feito histórico pelos jogadores. Com o objetivo de fazer o tempo passar com um pouco mais de controle da bola, Pizzi substituiu o volante Tomas Costa, lesionado, pelo meia Mirosevic – ídolo da torcida, recém recuperado de lesão. A resposta de Renato Gaúcho foi quase imediata.

Aos 19, o técnico do Grêmio trocou o zagueiro Rafael Marques, com dores musculares, pelo atacante Leandro. Vilson saiu do meio-campo para a defesa, e o Grêmio passou do 4-4-2 para o 4-3-3.

Mas as jogadas de velocidade pretendidas pelo Grêmio foram prejudicadas por uma característica do estádio, à beira da Cordilheira dos Andes, mil metros acima do centro de Santiago. Com a queda brusca da temperatura à noite, o gramado concentra umidade, e torna-se escorregadio. Não foram poucas as vezes que jogadores do Grêmio estatelaram-se no chão, ludibriados pelo campo ensaboado. Já perto do fim, com nada mais a perder, Renato, que não tinha muitas opções no banco, trocou Lins e Mário Fernandes por Escudero e Vinícius Pacheco. Ofensivamente, as alterações não surtiram efeito, mas deixaram o time exposto a contra-ataques. E num deles, pelo setor onde Mário Fernandes se posiciona antes de deixar o jogodeveria fazer a marcação, Silva recebeu livre e cruzou na medida para Mirosevic cabecear e fechar o caixão tricolor, aos 41 minutos da etapa derradeira.

UNIVERSIDAD CATÓLICA-CHI 1 X 0 GRÊMIO
Garcés; Valenzuela, Martínez, Henríquez e Eluchans; Ormeño, Silva, Costa (Mirosevic), Meneses e Cañete (Felipe Gutierrez) ; Pratto. Marcelo Grohe; Mário Fernandes (Vinícius Pacheco), Rafael Marques (Leandro), Rodolfo e Gilson; Vilson, Adilson, Fernando e Douglas; Lins ( Escudero) e Júnior Viçosa.
Técnico: Juan Antônio Pizzi Técnico: Renato Gaúcho
Cartões amarelos: Eluchans, Jorge Ormeño, Felipe Gutierrez (Universidad Católica); Vilson (Grêmio)
Local: San Carlos de Apoquindo, em Santiago  (Chile). Data: 04/05/2011. Árbitro: Carlos Amarilla.
Auxiliares:  Rodney Aquino e Cesar Franco
Gol: Mirosevic, aos 41 minutos do segundo tempo.