Por Cleber Aguiar – Santos e Fluminense contra tudo e contra todos !

POR CLEBER AGUIAR – EQUIPE ICFUT : Santos e Fluminense entram nessa fase da Libertadores 2011 com moral e rumo a taça .

Aviso aos navegantes da América 2011 , essa taça estará entre Vila Belmiro e Laranjeiras podem ter certeza, Santos e Fluminense mostraram aos clubes da América que camisa e raça ganham jogos e apesar da desvantagem inicial nas oitavas de finais, os Mexicanos do América e os Paraguaios do Libertad( Uma espécie de São Caetano lá ) não serão capazes de segurar camisas de tantas tradições.

Do Santos aviso para meus amigos César Alvarenga, Éder e Alexandre ( EQUIPE ICFUT )que disputar uma libertadores sendo um ” Clube Grande ” é como o Santos Futebol Clube , para o Rogerinho meu amigo torcedor do Tricolor Paulista raça e o impossível existe na Vila Belmiro e Laranjeiras por que ganhar Libertadores só com o nome não existe mais e por último para o Nilton Moura e Allisson Tiago palmeirenses ( a colônia falida ) quer voltar a ser time grande e não ganhar só Paulistão da Ponte Preta espelham-se no Alvinegro da baixada santista .

FLUMINENSE – Nunca falei de outro clube em minhas colunas porém, o Fluminense desde de 2009 é o time das matemáticas impossíveis .Sua torcida tem com certeza 11 guerreiros dentro de campo e podem esperar Santos e Fluminense quando se cruzarem nas semi-finais faram um dos  maiores jogos dessa Libertadores 2011. ( Parabéns Fluminense )

FUTEBOL ARGENTINO – Falido e não sabem perder…Lamentável !!!

EMERSOM ( Suposto Rubronegro ) – Segundo o Sportv esse imbecíl cantou o BONDE DO MEGÃO no ônibus do Fluminense , caso seja verdade parabéns para o Presidente do Flusão e espero que esse cara jamais coloque a camisa de qualquer clube grande do Brasil, é o Ganso deles FDP !

Por Cleber Aguiar – Quartas de finais da Libertadores será prova de fogo !

Fonte: Globo.com

Libertadores: quinteto brasileiro terá muita emoção se passar nas oitavas

Se clubes superarem adversários, duelos como Cruzeiro x Santos, reedição de Flu x LDU e Gre-Nal do século 21 vão esquentar as quartas de final

Se você, torcedor que acompanha a Libertadores, respirou fundo nessa primeira fase, encerrada nessa quarta-feira com a dramática classificação do Fluminense no último minuto e o inspirado Santos assegurando também vaga para as oitavas, prepare-se. Agora, a emoção promete aumentar a partir do dia 27, na próxima quarta-feira. Os cinco brasileiros distribuídos nos oito grupos iniciais mostraram serviço. Não só carimbaram o passaporte como deixaram o recado de que têm tudo para chegar às quartas. O que daria à competição duelos com o selo da pura adrenalina.

Primeiro do Grupo 7 e com melhor campanha do campeonato – terminou com 16 pontos ganhos -, o Cruzeiro terá pela frente o Once Caldas, da Colômbia, segundo do Grupo 1. Caso o time de Montillo & Cia. avance, tem boas chances de enfrentar nada mais nada menos do que o Santos. Para que aconteça esse clássico brasileiro dos times de futebol mais vistoso da atualidade  – o confronto era dos melhores nos anos 60, nos tempos de Pelé e Coutinho contra Tostão e Dirceu Lopes -, basta que Neymar, Ganso e os outros Meninos da Vila, que ficaram em 2º no Grupo 5, com 11 pontos, superem o sempre perigoso América do México, primeiro do Grupo 3, com 10.

Emoção o torcedor brasileiro deverá ter também ao Sul. Isso porque a Libertadores-2011 poderá ser a primeira com o grande duelo de dois dos maiores rivais do planeta. Sim, são boas as chances de o Gre-Nal do século 21 acontecer nas quartas. É só o Colorado, primeiro do Grupo 6, com 13 pontos, derrotar o uruguaio Peñarol, 2º do Grupo 8, com 9 pontos, e o Grêmio, 2º do Grupo 2, com 10, vencer o Universidad Católica, do Chile, 1º do Grupo 4, com 11.

montagem jogadores Libertadores Douglas Fred Neymar Montillo D´Alessandro (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM)Douglas, Fred, Neymar, Montillo e D’Alessandro: a bola está com eles nas oitavas de final da Libertadores. Brasileiros brigam para avançar às quartas de final  (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM)

Inter e Grêmio jamais se enfrentaram na Libertadores. Só a disputaram no mesmo ano em 2007, quando o Colorado caiu na primeira fase e o Imortal chegou à final, sendo derrotado pelo Boca Juniors. Em grandes competições internacionais, o Gre-Nal só aconteceu na Sul-Americana, duas vezes, com vantagem para o Colorado em ambas.

E se o Tricolor gaúcho sonha vencer a primeira em torneio com sotaque, o carioca terá a oportunidade de uma revanche das boas. Esse é o duelo possível com a maior de todas as cicatrizes. Uma vitória do Fluminense, segundo colocado do Grupo 3, com 8 pontos ganhos, sobre o Libertad, primeiro do Grupo 1, com 14, pode levá-lo à reedição da final da Libertadores em 2008. Claro que a LDU, algoz na final daquela competição e na Sul-Americana de 2009, precisa fazer a sua parte. Primeiro colocado do Grupo 8, com 10 pontos, o time equatoriano terá pela frente o argentino Vélez Sarsfield, segundo do  Grupo 4, com 10. Triunfos de Flu e LDU darão contornos ainda mais dramáticos às quartas de final.

Veja abaixo as campanhas dos adversários que os clubes brasileirão enfrentarão nas oitavas para passar às quartas de final.

Renteria gol Once Caldas (Foto: EFE) Once Caldas, de Rentería, vai pegar Cruzeiro: time
termina campanha só com 7 pontos (Foto: EFE)

Once Caldas
O time colombiano, do atacante Rentería, que será o adversário do Cruzeiro, se classificou em segundo lugar no Grupo 1, com a pior campanha em pontuação: marcou apenas 7 pontos ganhos.

O futebol empolgou pouco. A equipe obteve apenas uma vitória, e na última rodada, fora, sobre o fraco Universidade San Martín, do Peru, por 2 a 0 – justamente o adversário para quem sofreu derrota desastrosa na estreia, por 3 a 0, em casa.

Dos times classificados, é o segundo com ataque mais fraco – marcou sete gols, contra seis do Peñarol e do Jaguares. Ou seja: a Raposa tem tudo para chegar sem dificuldade às quartas de final.

América Mexico Guillermo Ochoa e Fluminense Rafael (Foto: EFE)Contra Flu, em casa, América do México leva a
melhor: bom rendimento em casa (Foto: EFE)

América-MEX
Primeiro colocado do Grupo 1, o do Fluminense, o América do México, do meia brasileiro Rosinei, ex-Corinthians, deverá ser osso duro para o Santos.

Terminou em primeiro, com 10 pontos, e mostrou o bom e velho aproveitamento no estádio Azteca, com a vantagem da altitude: ganhou as três partidas que disputou lá, com apoio de sua imensa torcida – 2 a 0 sobre o Nacional-URU, 1 a 0 sobre o Flu e 2 a 1 sobre o Argentinos Juniors.

Em compensação, quando tem que sair, a participação é modesta: perdeu duas (uma para os tricolores) e empatou apenas uma. O Peixe vai precisar explorar bem isso para levar a melhor.

Juan Manuel Olivera Peñarol Carlos Matheu Independiente (Foto: Reuters)Peñarol de Juan Manuel Olivera tem ataque menos
positivo das equipes classificadas (Foto: Reuters)

Peñarol
Adversário do Inter nas oitavas, o clube de tradição na Libertadores – ganhou cinco vezes a competição – ainda nao fez o torcedor uruguaio lembrar de alguma campanha vitoriosa.

É bom, no entanto, os colorados respeitarem os carboneros. Apesar do ataque menos positivo – marcou apenas seis gols – das equipes classificadas, o time, que passou como segundo colocado do Grupo 8, venceu três partidas e enfrentou adversários também tradicionais, como LDU e Independiente, além do argentino mediano Godoy Cruz.

Mas, dos classificados, é o que tem, ao lado do Estudiantes, a defesa mais vazada – sofreu 11 gols, cinco deles na derrota acachapante para a LDU.  Bom para o Inter.

Marcelo Cañete comemora gol do Universidad Católica (Foto: EFE)O meia Marcelo Cañete é um dos destaques do
chileno Universidad Católica (Foto: EFE)

Universidad Católica
Dos clubes com sotaque, o chileno é, ao lado do paraguaio Cerro Porteño, o de segundo melhor aproveitamento na competição, com 61,1%.

Primeiro colocado do Grupo 4, com 11 pontos ganhos, promete ser obstáculo complicado para o Grêmio. Sua maior proeza? Bateu o Vélez Sarsfield na Argentina por 4 a 3. 

Mas a classificação em primeiro para disputar as oitavas – fato que não acontecia desde 2002 – foi suada, numa vitória de virada por 2 a 1 sobre um rival nacional, o Unión Española. Mesmo assim, o técnico Renato Gaúcho precisa prestar atenção em alguns jogadores, como o meia Marcelo Cañete.

victor caceres libertad (Foto: AFP)Libertad de Victor Caceres é a que tem, das gringas,
o melhor aproveitamento na Libertadores (Foto: AFP)

Libertad
A equipe paraguaia, próxima adversária do Fluminense. é a que tem, entre as estrangeiras, o melhor aproveitamento na competição, com 77,8%. Terminou na primeira posição no Grupo 1, com 14 pontos ganhos e quatro vitórias.

Além do Cruzeiro, o Libertad é o único clube invicto e tem o terceiro ataque mais positivo, com 13 gols. Os números são favoraveis e preocupantes para os tricolores, que no entanto guardam boa lembrança recente. Na melhor campanha na Libertadores, no vice de 2008, o Flu bateu o Libertad duas vezes, por 2 a 1, em Assunção, e 2 a 0, no Maracanã. Agora, é esperar para ver.

Confira abaixo no gráfico a estatística com todos os números dos 16 classificados para as oitavas de final da Libertadores.

ICFUT – Palmeiras vence e segue na Copa do Brasil 2011.

Fonte: Globo.com

Kleber volta a perder pênalti, mas Palmeiras vence Ramalhão e avança

Atacante desperdiça o terceiro pênalti consecutivo, mas Danilo faz 1 a 0 e coloca Alviverde com folga nas quartas de final da Copa do Brasil

por Julyana Travaglia

Enganou-se quem imaginou que a partida do Palmeiras contra o Santo André, último colocado do Campeonato Paulista, seria fácil. Na tarde desta quinta-feira, no Pacaembu lotado, o Alviverde venceu o Ramalhão por 1 a 0 – 3 a 1 nos resultados agregados – e avançou às quartas de final da Copa do Brasil. Mas para conseguir a vitória magrinha, o time de Luiz Felipe Scolari sofreu.

O gol de Danilo, após cobrança de escanteio, só saiu aos 32 minutos (veja no vídeo ao lado). E a chance de ampliar o placar, depois de várias oportunidades perdidas, apareceu novamente em cobrança de pênalti. Como na partida anterior, quando perdeu duas cobranças, Kleber voltou a errar. Desta vez, o Gladiador parou no travessão de Neneca. Susto dos palmeirenses, mas nada que abalasse a festa criada no Pacaembu, com mais de 33 mil torcedores.

Agora, o Palmeiras volta seus olhares para outra decisão. No domingo, às 18h30, em jogo único, o time decide uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista contra o Mirassol, também no Pacaembu. E à distância acompanha a definição do seu rival na Copa do Brasil – o Coritiba fez 4 a 0 sobre o Caxias no primeiro jogo e joga a segunda partida no próximo dia 28, fora de casa.

Valdivia Palmeiras x Santo André (Foto: Ag. Estado)Valdivia disputa bola. O jogo foi truncado principalmente no primeiro tempo (Foto: Ag. Estado)

Jogo truncado no Pacaembu

Com a vantagem de poder perder por 1 a 0 e ainda avançar na competição, o Palmeiras evitou ficar atrás logo nos primeiros momentos de disputa. Apoiado por mais de 33 mil torcedores, que pintaram as arquibancadas do Pacaembu de verde e branco, o time de Luiz Felipe Scolari foi logo para cima para não correr o risco de levar sufoco da equipe do ABC paulista. Mas os arremates dos palmeirenses não eram dos melhores.

Apesar de ter tido maior posse de bola durante o primeiro tempo, foram poucas as chances claras de gol para o lado palmeirense. Aos 14 minutos, por exemplo, Kleber conseguiu recuperar uma bola perdida e cruzou para a área. Ninguém estava lá para completar para a rede. Aos 21, o Gladiador chutou cruzado novamente e Luan falhou no complemento para o gol.

Enquanto o Palmeiras tinha dificuldades para ampliar a sua vantagem, o Santo André sofria para furar a defesa do time mandante. Thiago Heleno e Danilo, que ainda não foram derrotados jogando juntos. Até antes desta partida eram 12 jogos – oito vitórias e quatro empates. Rychely, sempre com velocidade, era o que mais aparecia perto dos defensores. Mas, ainda assim, muito distante de Deola.

Aos 42, Luan tentou novamente vencer Neneca. Depois da arrancada pelo lado direito, o atacante ficou frente a frente com o goleiro do Ramalhão, mas o arqueiro levou a melhor. E o 0 a 0 persistiu no placar.

– É normal do jogo que os dois queiram ganhar e por isso a partida fica truncada. Eles estão rebaixados do Paulista, mas estão dando tudo porque esta é a única competição que têm para jogar – avaliou Marcos Assunção.

Danilo marca, mas Kleber volta a perder pênalti

Sem Thiago Heleno no segundo tempo, que precisou deixar o jogo por sentir um desconforto na perna direita, Felipão colocou Leandro Amaro. E logo na primeira bola, Deola levou um susto. Aos 3 minutos, Gilberto cruzou na área e Célio Codó cabeceou forte. O camisa 22 precisou fazer grande defesa para salvar a equipe.

A resposta palmeirense veio logo no minuto seguinte, mas, como no primeiro tempo, com um erro. Luan fez tudo direitinho no começo da jogada: tirou do zagueiro e limpou para ficar na cara de Neneca. Mas o chute foi para fora, longe da meta do Ramalhão, o que levou Felipão e mais de 30 mil torcedores à loucura.

Com o excesso de erros na frente, um só grito começou a ecoar no Pacaembu. Aos berros, os torcedores pediam Wellington Paulista. Enquanto ele não entrava, Célio Codó dava trabalho ao sistema defensivo palmeirense. A cada bola alçada na área para o grandalhão, os palmeirenses levavam as mãos à cabeça nas arquibancadas. O sossego só veio quando o atacante do Ramalhão foi substituído, visivelmente exaurido.

Com a saída de Cicinho, também machucado, Felipão precisou contrariar a torcida e colocar um volante. João Vitor passou a atuar pelo lado direito, enquanto Wellington Paulista aquecia atrás do gol de Neneca. De lá, o atacante viu Marcos Assunção cobrar falta, aos 29 minutos, e parar na barreira, facilitando o trabalho para o goleiro do Santo André.

Somente aos 31 minutos Felipão atendeu aos pedidos dos palmeirenses e chamou Wellingoton Paulista. Mas antes que ele pudesse entrar, o Alviverde resolveu o jogo, ao seu estilo. Depois de cobrança de escanteio no primeiro posto, aos 32, Danilo desviou e conseguiu, finalmente, vencer Neneca. O 1 a 0, somanda aos 2 a 1 conquistado no ABC paulista há uma semana, complicava ainda mais a situação do Ramalhão. E trazia um certo alívio aos que vestiam verde e branco.

Aos 38, Kleber foi derrubado na área por Rychely. O pênalti era também um reencontro entre o atacante e Neneca, que na primeira partida viu o Gladiador desperdiçar duas batidas. E o mesmo aconteceu na tarde desta quinta-feira, no Pacaembu. A bola do camisa 30 foi parar no travessão. Mas não acabou com os gritos de olé da torcida – adversário superado com duas vitórias e vaga carimbada para as quartas de final da Copa do Brasil.

PALMEIRAS 1X0 SANTO ANDRÉ
Deola, Cicinho (João Vitor), Danilo, Thiago Heleno (Leandro Amaro) e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Tinga (Wellington Paulista) e Valdivia; Luan e Kleber. Neneca, Alex Silva, Anderson, João Paulo e Sandoval, Gilberto (Borebi), Magno, Mário Jara (Chiquinho), Celio Codó (Luciano Fonseca); Aloísio e Rychely.
Técnico: Luiz Felipe Scolari. Técnico: Sandro Goiano.
Gols: Danilo, aos 32 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Alex Silva, Nenesa, João Paulo e Mário Jara (Santo André). Valdivia, Thiago Heleno e Luan (Palmeiras). Cartão vermelho: Anderson (Santo André).
Local: Pacaembu, em São Paulo. Data: 21/04/2011. Árbitro:Raphael Claus. Auxiliares: Carlos Nogueira Júnior e Anderson Moraes Coelho. Público: 33.614 pagantes. Renda: R$ 985.018,00.

ICFUT – Ônibus atropela e esmaga troféu do Real Madrid da Copa do Rei

Fonte: futebolinterior

O responsável pela gafe foi o defensor Sergio Ramos, que deixou o troféu cair

Vencer o rival Barcelona numa final e voltar a ganhar o título da Copa do Rei após 18 anos. Para o Real Madrid, os dois feitos somados motivaram muita festa já na madrugada desta quinta-feira. Mas a comemoração foi tamanha que sobrou até para o troféu conquistado. A taça caiu no chão e foi “atropelada” pelo ônibus que levava a delegação da equipe.

O responsável pela gafe foi o defensor Sergio Ramos, que deixou o troféu de 15kg cair no chão quando estava em cima do ônibus, junto com os outros jogadores do elenco, no desfile dos campeões pelas ruas de Madri. A taça, então, rolou e foi esmagada pela roda dianteira direita do veículo, o que provocou vários estragos.
“Não ficou em bom estado, evidentemente, pois foi atropelado por um ônibus”, revelou a porta-voz do Real, Marta Santisteban, ao comentar sobre o troféu. Mas ela também revelou que o clube espanhol já encaminhou a taça para os reparos necessários.
Através do Twitter, Sergio Ramos mostrou bom humor para comentar o caso. “Toda essa história sobre a taça foi um mal entendido, ela não caiu… ela pulou assim que chegamos a Cibeles (praça em Madri onde o Real costuma comemorar seus títulos) e viu tantos torcedores”, escreveu o jogador, para completar na sequência. “Hahahaha… mas não se preocupem… e tenham um bom dia”.
A final de quarta-feira, em Valência, foi o segundo da série de quatro clássicos seguidos entre Real e Barcelona. No sábado passado, houve empate de 1 a 1 pelo Campeonato Espanhol. Depois, o time de Madri venceu por 1 a 0 e conquistou a Copa do Rei. Agora, os dois rivais voltam a se enfrentar nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa, em jogos marcados para os dias 27 de abril e 3 de maio.

Por ICFUT – Presidente do Clube dos 13 põe cargo à disposição

Fábio Koff não se dispõe a recuar de ação contra a Globo e diretoria pode renunciar para evitar o desgaste do impeachment

.
Fonte – Lancenet.com.br
.
Fábio Koff vai promover assembleia do Clube dos 13 em maio
.

Fábio Koff, isolado no imbróglio sobre a venda dos direitos de mídia, quer ouvir dos filiados a disposição deles para tirá-lo da presidência do Clube dos 13. Caso isso ocorra, ele tomará a iniciativa, a fim de evitar um desonroso impeachment.

– Foram eles que me elegeram. Faz parte do jogo decidirem ou não minha saída. O voto resolve todos os problemas. Meu cargo está à disposição – disse o mandatário da entidade, um dia após o pedido de assembleia feito por 15 clubes, acertado esta semana com a Globo.

O cenário da saída, que parecia longínquo na última eleição do Clube dos 13, quando Koff derrotou Kléber Leite por uma folgada margem de 12 a 8, surgiu com a crise dos direitos de TV, neste ano. Ao LANCENET!, há cerca de um mês, o dirigente se mostrou cansado da inconstância dos presidentes de clubes.

Koff selou um acordo cedendo os direitos de TV aberta do Brasileiro para a RedeTV! à revelia da maior parte dos filiados. Nem São Paulo e Atlético-MG, tidos como seus maiores aliados, firmaram o documento.

O risco de os clubes pagarem multa à RedeTV!, por não concordar com o vínculo, e a denúncia de suposta formação de cartel contra a Globo à Secretaria de Defesa Econômica (SDE) foram a gota d’água.

Koff fará no início de maio a assembleia pedida no C13. Nela, os dirigentes vão exigir a retirada da denúncia. Mas ele não quer recuar.

A menos que o Cade decida a favor do C13 antes da assembleia ou haja uma mudança dos exaltados ânimos, a esperança é pequena: os filiados devem propor uma nova reunião para votar o impeachment.

A ideia de Koff é não sair pela porta dos fundos. E como nenhum de seus vices pode assumir a presidência, pois são mandatários de clubes, restará a renúncia em massa, já tratada por ele com os poucos pares.

BATE-BOLA COM FÁBIO KOFF

LNET! O senhor já definiu a data da próxima assembleia no Clube dos 13? E tem acompanhado a articulação para seu impeachment?

Koff: Sim. Vou a Brasília para a audiência no Senado e a assembleia deve ocorrer depois, na primeira semana de maio. Sobre o impeachment, ouvi algo a respeito. Sou um executivo da entidade e cumpro um mandato. Mas não tenho mais vontade de ficar e acho que eles (filiados) de me manter. Só quero ouvi-los, para decidir sobre todas as possibilidades.

LNET! Não seria mais interessante abdicar da denúncia ao Cade em vez da renúncia coletiva?

Koff: Não seria possível retirá-la. Dei minha palavra, assinei documentos. É uma pena que tenhamos chegado a isso.

LNET! Houve erro na formação da direção atual, na medida em que nenhum dirigente pode substituí-lo? A última teve Fernando Carvalho como o representante do Internacional, por exemplo.

Koff: O estatuto do Clube dos 13 infelizmente não permite que um dos vice assuma. É assim e pronto. Temos que aceitar. Vamos ver o que vai acontecer. O sapato que os dirigentes que reclamam usam é para o pé deles.

PRÓXIMOS PASSOS NO CLUBE DOS 13

ASSEMBLEIA

Após nenhum clube assinar com a RedeTV!, resta ao Clube dos 13 esperar uma decisão favorável do Cade. Fábio Koff fará a assembleia no início de maio, sob o risco de o órgão ainda não ter se posicionado sobre os contratos dos clubes com a Globo. A pressão é grande para que recue da denúncia contra a emissora carioca ou deixe o cargo.

RENÚNCIA

Caso não ceda e os dirigentes mais exaltados insistam no impeachment, Koff pode abandonar a presidência, seja com aval ou à revelia dos vices São Paulo, Atlético-PR, Flamengo e Inter.

FIM DA ENTIDADE

Dificilmente ocorrerá agora. Até setembro, os clubes precisam do Clube dos 13 para receber dinheiro do atual contrato com a Globo. Além disso, existem empréstimos firmados com bancos, ainda não honrados, com o C13 como avalista. Por fim, o contrato firmado por Koff com a RedeTV! prevê penas em caso de extinção da entidade.

Por Rogerinho – Luis Fabiano treinará pela primeira vez com bola nesta quinta-feira, no CT

Carpegiani quer aval do departamento médico e do próprio jogador para escalá-lo na partida de volta da Copa do Brasil, na quarta-feira, no Morumbi

Fonte – globoesporte.com

.

Enquanto os titulares do São Paulo ganharão folga nesta quinta-feira, o treino dos reservas, que será realizado a partir das 15h30m, no CT da Barra Funda, ganhou vital importância para o técnico Paulo César Carpegiani. Isso porque será a primeira vez que o atacante Luis Fabiano, recuperado de lesão no joelho direito, irá trabalhar com seus companheiros. A partir do que ele fizer em campo, a comissão técnica terá a certeza de que o Fabuloso poderá reestrear com a camisa 9 do time do Morumbi na partida da próxima quarta, contra o Goiás, pela Copa do Brasil.

Luis Fabiano São Paulo (Foto: Vipcom)Atacante tem tudo para reencontrar a torcida do São Paulo na próxima quarta-feira, contra o Goiás
.

– Não podemos arriscar sem vê-lo treinando. Ele vai participar normalmente e aí nós tomaremos uma posição que vai depender da palavra dele e não tem relação com o resultado que conquistamos em Goiânia. Volto a dizer, é claro que há a possibilidade de estreia na quarta, mas dependemos do aval do departamento médico e do próprio Luis. Se ele estiver bem, vai jogar – ressaltou o treinador.

Carpegiani já tem na cabeça uma possível escalação da equipe com a presença de Luis Fabiano. Mas deixou claro que só vai pensar nisso a partir da próxima segunda.

– Agora, todos os nossos focos estão voltados para a partida de domingo, contra a Portuguesa, pelo Campeonato Paulista. Quando esse jogo acabar, nossa prioridade passará a ser a Copa do Brasil – lembrou.

Por Rogerinho – Dagoberto decide e São Paulo vence Goiás na Copa do Brasil

Para o jogo de volta, na próxima quarta-feira, no Morumbi, o Tricolor pode empatar que avança às quartas de final

 
Dagoberto marca e o São Paulo leva vantagem para o Morumbi

Em 2009, o São Paulo deixou o Serra Dourada com uma derrota por 4 a 2 para o Goiás, que lhe custou o título do Campeonato Brasileiro daquele ano e o fim da hegemonia nacional, que já durava três anos. Quase dois anos depois, o Tricolor pode dizer que conseguiu o “troco”, ao vencer o mesmo Goiás por 1 a 0, no Serra Dourada, em Goiânia, e encaminhar a classificação para as quartas de final de outra competição nacional, a Copa do Brasil

O Tricolor joga a partida de volta contra o Esmeraldino na próxima quarta-feira, no Morumbi. Para avançar às quartas de final da Copa do Brasil e encarar o Avaí, o São Paulo pode até empatar. Uma derrota por 1 a 0 leva o jogo à disputa de pênaltis.

Se o Goiás vencer por 2 a 1, 3 a 2 ou 4 a 3 se classifica pelos gols fora de casa. Ao Esmeraldino, também interessam as vitórias por mais de um gol de diferença. A partida, que será no Morumbi, ainda pode marcar a estreia de Luís Fabiano no São Paulo.

NOVIDADE, EXPULSÃO E RETRANCA VERDE

O Tricolor entrou em campo com uma novidade…no uniforme! A equipe estreou os calções e meiões vermelhos. A última vez que o São Paulo jogou assim foi há 14 anos.

No quesito tático, nada de inovações: as equipes começaram a partida no esquema 3-5-2, mas as defesas pareciam desprotegidas. Com três minutos de jogo, dois lances duvidosos dentro da área, um para cada lado, foram ignorados pelo árbitro Marcos André Gomes da Pena. Primeiro, Alex Silva chegou atrasado em Felipe Amorim. Um minuto depois, Ilsinho caiu após chegada de Harlei, na área goiana. O árbitro capixaba manteve-se firme e não marcou nenhum dos supostos pênaltis.

Na sequência, o Esmeraldino do Centro-Oeste respondeu com Carlos Alberto cabeceando sozinho na área, mas o jogador, que substituiu Diogo,  formado pelo Tricolor e que não pode jogar por conta de uma cláusula contratual, estava impedido.

Casemiro, aos 9 minutos, e Marlos, aos 10, arrancaram suspiros no Serra Dourada. Era o Tricolor esquentando a partida! Aos 15, uma falta à distância semelhante do gol 100 de Rogério no clássico contra o Corinthians ouriçou o torcedor são-paulino. O goleiro tricolor foi para a bola e não fez feio: chutou por cima, no mesmo canto de Harlei.

REVIRAVOLTA EM TRÊS MINUTOS

Felipe Amorim estreou no Goiás contra o Corinthians, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2010. Oriundo das categorias de base do Esmeraldino, o jogador ganhou destaque até antes da partida contra o São Paulo. Mas a noite desta quarta-feira definitivamente não foi a dele. Aos 19 minutos, ele dominou bola no braço e recebeu o cartão amarelo. Três minutos mais tarde, ele ajudou a marcação de forma atabalhoada, derrubou Carlinhos e recebeu o segundo cartão amarelo: expulso de campo!

Com um a menos, o Goiás, que ainda estava no páreo e conseguia organizar boas jogadas até a expulsão de Amorim, passou a não frequentar mais o campo de ataque e, assim, se tornou presa fácil para o São Paulo.

Dos pés – ou da cabeçada equivocada – de Carlos Alberto, o time de Paulo César Carpegiani teve uma de suas melhores chances, aos 29 minutos. Dagoberto aproveitou o erro e rolou para Jean chutar cruzado, rente à trave de Harlei. Por pouco…

O São Paulo queria mesmo sufocar o Esmeraldino e sair da primera etapa com um gol. Ilsinho e Dagoberto, explorando as pontas, criaram jogadas de gol, mas a defesa do Goiás repelia as oportunidades do adversário.

ELE TEM A RECEITA

No intervalo de jogo, Carpa parecia saber a receita da vitória. O treinador colocou Henrique no lugar de Casemiro. E foi com um homem a mais na frente que o Tricolor chegou, enfim, ao primeiro gol do jogo. Dagoberto fez o que sabe de melhor, levou a bola em velocidade pelo meio, não encontrou resistência da defesa adversária e chutou do meio da rua.

Com o placar a favor, o time visitante pareceu se acomodar e, por um instante, o Goiás cresceu na partida, mesmo com um a menos. Logo após o gol, Carlos Alberto entrou de surpresa na área e cabeceou por cima do gol de Ceni.

Mas o time esmeraldino não tinha fôlegos para levar mais 40 minutos de igual para igual com o São Paulo e, aos poucos, foi cedendo, cedendo…

Sobrou espaço para Rivaldo, que entrara no lugar de Marlos, e o resto do time são-paulino brilhar. Aos 23 minutos, Dagoberto encontrou llsinho invadindo a área e o camisa 77, na cara de Harlei, perdeu grande chance. Dez minutos mais tarde, Ilsinho recebeu de Henrique na área e, sozinho, tentou driblar o goleiro esmeraldino, perdendo mais uma oportunidade.

Mesmo sem Lucas, expulso na partida anterior contra o Santa Cruz e que vai a julgamento na próxima terça-feira, na armação, o São Paulo manteve o resultado e volta para casa com a vantagem para o jogo de volta.

Agora, o Tricolor tem a Portuguesa pela frente, no domingo, em palco a ser definido. O jogo vale vaga nas semifinais do Campeonato Paulista. O Esmeraldino também tem um clássico no fim de semana. A equipe encara o arquirrival Vila Nova, pelas semifinais do Campeonato Goiano.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS 0X1 SÃO PAULO

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 20/4/2011 – 21h50
Árbitro: Marcos André Gomes da Pena
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires e José R. Maciel Linhares

Renda/público: R$ 815.610,00 / 28.526 pagantes
Cartões amarelos: Rafael Tolói, Felipe Amorim (GOI); Marlos, Juan (SPO)
Cartões vermelhos: Felipe Amorim, 22’/1ºT (GOI)
GOLS: Dagoberto, 2’/2ºT (0-1)

GOIÁS: Harlei; Ernando, Rafael Tolói (Valmir Lucas 41’/2ºT) e Marcão; Oziel (Robert 36’/2ºT), Amaral, Zé Antônio, Marcelo Costa e Carlos Alberto; Felipe Amorim e Hugo (Guto 21’/2ºT). Técnico: Artur Neto

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rhodolfo, Alex Silva e Miranda; Jean, Casemiro (Henrique, intervalo), Carlinhos, Ilsinho e Juan; Marlos (Rivaldo 21’/2ºT) e Dagoberto. Técnico: Paulo César Carpegiani

ICFUT – Milagre Tricolor

Fluminense derrota o Argentinos Juniors por 4 a 2, na Argentina, com gol decisivo de Fred aos 43 do segundo tempo avança às oitavas de final

Texto: Globoesporte.com

O Fluminense correu, lutou e brigou até o fim pela sua classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores. E mais uma vez, o Tricolor mostrou que nada é impossível. Em uma de suas melhores atuações no ano, o clube das Laranjeiras derrotou o Argentinos Juniors por 4 a 2, no Estádio Diego Armando Maradona e avançou para as oitavas de final da competição sul-americana na segunda colocação do Grupo 3, com oito pontos ganhos. Contrariando a matemática outra vez, o time de guerreiros mantém vivo sonho de conquistar a América. Na outra partida do grupo, Nacional-URU e América-MEX empataram em 0 a 0 no Uruguai. 

Mas o clube das Laranjeiras não terá muito tempo para festejar. No domingo, o Tricolor enfrenta o Flamengo, às 16h (de Brasília), no Engenhão, pela semifinal da Taça Rio. 

Domínio, muitas oportunidades e dois gols

A missão já era complicada. O Fluminense precisava vencer o Argentinos Juniors, fora de casa, e ainda torcer por uma derrota do Nacional-URU diante do América-MEX, em Montevidéu. Em caso de empate nessa partida, o Tricolor teria de triunfar por dois gols para chegar às oitavas de finald a Libertadores. Momentos antes da decisão, o afastamento de Emerson por indisciplina parecia ser ser o ponto final de uma participação apagada do atual campeão brasileiro na principal competição sul-americana. Mas ainda faltava, 90 minutos e, quando a bola rolou, os guerreiros mostraram que não desistiriam assim tão facilmente.

Com Rafael Moura formando o ataque titular com Fred, o Fluminense se postava bem no campo de defesa e sempre sai com perigo e objetividade para o ataque. Mais recuado, Valencia formava com Gum e Edinho uma linha de três zagueiros. O domínio do meio-campo dava ao Tricolor total controle sobre a partida. E as chances não demoraram a aparecer. Enquanto o Argentinos Junios só tinha finalizado uma vez ao gol de Ricardo Berna, o clube das Laranjeiras Já tinha criado três oportunidades para marcar, com Rafael Moura, Conca, em cobrança de falta e Mariano. Na melhor chance, Fred acertou a trave direita do Argentinos Juniors.

Tentando se impor na base da violência, os donos da casa abusavam das faltas duras. Neste momento, um filme passava na cabeça dos cerca de 800 tricolores que foram até a Argentina para incentivar o time. Em Montevidéu, há duas semanas, diante do Nacional-URU, o Fluminense apresentou uma incrivel superioidade na etapa inicial. Mas saiu derrotado por 2 a 0. Dessa vez, porém, o gol saiu logo. Após linda jogada com Marquinho pela esquerda, Julio Cesar saiu na frente de Navarro e apenas deslocou o goleiro para abrir o placar: 1 a 0, aos 17 minutos. A festa da torcida brasileira durou apenas oito minutos. Após cruzamento na área, Berna ficou com a bola, mas o juiz Wilmar Roldán marcou pênalti alegando que Gum agarrou Salcedo. O zagueiro do Fluminense não reclamou. Na cobrança, o próprio Salcedo deslocou o goleiro tricolor para empatar.

O jogo tinha a cara da Libertadores: brigado, corrido e muito catimbado. Ao tentar cobrar um lateral, Mariano foi atingido por algum objeto atirado pela torcida argentina. Enquanto o jogador reclamava com a arbitragem e demorava a reiniciar a partida, os torcedores do Argentinos Juniors, enlouquecidos, se penduravam na grande que fica a cerca de dois metros do gramado e o xingavam de tudo que era possível. Fred, então, tratou de dar mais motivos para os donos da casa ficarem nervosos. Aos 39, o artilheiro soltou a bomba em cobrança de falta da intermediária e contou com a falha de Navarro para deixar o Tricolor novamente em vantagem.

Em desvantagem, o time da casa partiu para o ataque. E até teve duas boas chances. No último lance da etapa, o baixinho Niell, de apenas 1,63m, que marcou dois gols de cabeça na partida no Engenhão, tentou uma bicicleta da entrada da área e acertou a trave de Berna. A vantagem de um gol ainda não era suficiente para classificar o Fluminense, já que, em Montevidéu, Nacional-URU e América-MEX empatavam por 0 a 0.

Pênalti, gol, briga e milagre

O time argentino voltou do vestiário mais ofensivo: Troglio tirou o zagueiro Tórren e colocou o atacante Oberman em campo. Mas quem teve a primeira chance foi o Fluminense: Fred ajeitou de peito para Marquinho dentro da área e o apoiador foi deslocado na hora do chute, que acabou defendido por Navarro. O árbitro mandou o jogo seguir e deu apenas escanteio. Mesmo melhor na partida, o Tricolor acabou castigado aos nove minutos. Oberman, que tinha acabado de entrar, aproveitou um rebote na entrada da área e chutou. A bola desviou em Valencia e matou Ricardo Berna, que nada pode fazer: 2 a 2.

O gol abateu o time tricolor. O Argentinos Juniors podiam não criar grandes chances, mas passaram a ter o domínio da partida. Nervoso, o Fluminense via o time da casa rondar sua área. Até que aos 22 minutos foi a vez da sorte mudar de lado. Marquinho cobrou escanteio, Fred cabeceou e Navarro espalmou. A bola sobrou na frente de Rafael Moura com o gol vazio a frente: 3 a 2 no placar e esperança renovada.

Na área reservada aos visitantes, os tricolores começaram a canta ‘A benção João de Deus’. E Fred quase foi abençoado. Após cruzamento da direita, o camisa 9 ganhou no jogo de corpo e emendou um voleio para linda defesa de Navarro. Quando o cronômetro marcava 41 minutos, a partida entre Nacional-URU e América-MEX terminou empatada. Faltava um gol. Apenas um gol.

Mas João de Deus estava na Argentina nesta quarta-feira. E ele viu Araújo lançar Edinho na área, o volante driblar o goleiro. Pênalti. Tensão. Expectativa. Milagre. Fred pegou a bola. Chamou a responsabilidade. E não decepcionou a massa tricolor em Buenos Aires, no Rio e pelo mundo. Com uma cobrança perfeita, no ângulo direito, ele decretou a classificação do para as oitavas de final. Mais uma vez, o Fluminense contrario a matématica e os apenas 8% de chance de avançar de fase.

No fim, os argentinos mostraram que não sabem perder e partiram para a briga. A atitude contrariou a própria torcida, que aplaudiu a heróica classificação do Fluminense após o afito final. Afinal, para o time de guerreiros, nada é impossível

 Ficha técnica:

ARGENTINOS JUNIORS 2 X 4 fluminense
Navarro, Sabia, Tórren (Oberman) e Gentiletti; Prospéri, Mercier, Basualdo (Laba) e Escudero; Rius, Niell e Salcedo.  Ricardo Berna, Mariano, Gum, Edinho e Julio Cesar (Tartá); Valencia, Diguinho (Araújo), Marquinho e Conca; Rafael Moura (Fernando Bob) e Fred.
Técnico: Pedro Troglio Técnico: Enderson Moreira
Gols: Julio Cesar, aos 17 minutos; Salcedo, de pênalti, aos 25; Fred, aos 39 do primeiro tempo; Oberman, aos nove minutos; Rafael Moura, aos 22 e Fred, de pênalti, aos 43 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Escudero, Prosperi, Basualdo (ARG); Diguinho, Ricardo Berna (FLU) 
Data: 20/04/2011. Local: Estário Diego Armando Maradona (Argentina).  Árbitro: Wilmar Roldán (COL). Auxiliares: Abraham González (COL) e Javier Camargo (COL). Renda e Público: Não divulgados.