Por Cezar Alvarenga – Pirulito na bronca com Juvenal

Fonte: YAHOO! Esportes

O clima de Alex Silva no São Paulo parece estar cada vez pior. Depois das confusões sobre faltas nos treinamentos, o zagueiro voltou a criar polêmica. Desta vez o jogador soltou o verbo contra Juvenal Juvêncio por meio de seu Twitter.

O camisa 3 ficou aborrecido com a declaração do presidente são-paulino ao LANCENET!. Em entrevista sobre as eleições presidenciais que acontecem nesta quarta-feira, Juvenal falou que compraria o zagueiro em definitivo e que a proposta vinda do Sporting (POR) seria apenas uma invenção.

Além de rebater a declaração do mandatário, Alex também contestou a negociação com Hamburgo (ALE), dententor de seus direitos econômicos, para sua permanência no clube do Morumbi.

Veja abaixo as palavras do defensor por meio do seu microblog:

“Juvenal disse ao jornal Lance que eu inventei a proposta do Sporting de Portugal. Então imprensa de Portugal está ficando louca. Que eu saiba não fui eu que liguei para a imprensa de lá, quem disse que me contrataria se ganhasse a eleição foi o presidente eleito (do Sporting) agora. Procura se informar Juvenal, para depois falar. Sempre fui um jogador de caráter e homem acima de tudo. Se eu quisesse sair do São Paulo, sairia sem problema nenhum e te falaria que não quero ficar.

Sempre fui honesto com o São Paulo, como na minha saída em 2008. Amo o São Paulo, mas o que você disse não tem fundamento algum. Nunca precisei e não preciso disso, de inventar proposta. É ridículo. Você sempre me vê no CT da Barra Funda, era só ter me chamado para conversar. Aí acordo no dia da decisão e vejo no jornal presidente dizer que eu inventei essa proposta. Isso é ridículo, não preciso disso. Tenho caráter, sou pai e acima de tudo sério. Qualquer problema, Juvenal, venha esclarecer com o Alex Silva, e não através da imprensa.

Obrigado torcida são-paulina por ouvir meu desabafo, jamais mentiria pra vocês, torcedores. Isso que o JJ fez só me motivou pra entrar em campo hoje (quarta-feira) com sangue nos olhos e honrar a camisa como sempre honrei. Esse jogo de hoje é o da minha vida depois de tudo isso. Queria que o jogo começasse agora”.

ICFUT – Na ‘seca’ em campo, Real decide sexta Copa do Rei contra o Barça

Há quase três anos sem título, merengues tratam final com maior importância do que rivais multicampeões. Fora dos gramados, Real ‘sobra’ nas receitas

Por GLOBOESPORTE.COM Valência, Espanha

Cristiano Ronaldo treino Real Madrid (Foto: Reuters)Cristiano Ronaldo é ‘o cara’ do Real Madrid na final
da Copa do Rei: esperança de título após três anos

Nove Liga dos Campeões, 31 Campeonatos Espanhóis, 17 Copas do Rei, oito Supercopas da Espanha, duas Copas da Uefa… Em 109 anos, o Real Madrid se especializou em, principalmente, conquistar títulos. Mas a história dos últimos três tem sido escrita com mais contratações galácticas e milhões de euros do que propriamente com troféus no Santiago Bernabéu. Mas a oportunidade voltou a bater a porta dos merengues, e logo contra o maior rival Barcelona: nesta quarta-feira, a partir das 16h30 (de Brasília), ambos decidem a Copa do Rei pela sexta vez, no estádio Mestalla, em Valência, no segundo dos quatro clássicos da maratona. O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real.

Desde agosto de 2008, com a Supercopa da Espanha, os merengues só abrem a sala em seu estádio para torcedores e turistas. O período coincide justamente com o auge dos catalães, que iniciaram a “Era Guardiola” com todos os seis títulos possíveis conquistados em 2009, além de levarem o Espanhol e Supercopa seguintes.

Números e mais números

Fora de campo, no entanto, o Real aprendeu a viver sem troféus e aumentou progressivamente suas receitas nos últimos tempos. Estudos da empresa BDO RCS apontam que o clube merengue arrecadou € 145 milhões com marketing e € 148,6 milhões com sócios e o Bernabéu somente em 2010. Nos últimos 10 anos, com dois mandatos do presidente Florentino Pérez, a evolução atingiu os 197% – em 2001, época do primeiro time galáctico, a receita com marketing não chegou sequer aos € 39 milhões.

Com Messi, Xavi e Iniesta, o Barcelona vive notório melhor momento nos gramados, mas vem atrás em receitas. Com o marketing, em 2010, foram € 120,9 milhões – sócios e Camp Nou renderam € 115,5 milhões. Em oito anos, desde que Joan Laporta assumiu e revolucionou o clube, a evolução foi de 140%. Números excelentes, mas abaixo do maior rival.

Em Copas do Rei, o Barcelona pode dizer que leva grande vantagem. São 25 títulos dos culés contra 17 dos brancos – o último apenas em 1993. Em confrontos diretos pela final, foram cinco: três vencidos pelo Barça (1968, 1983 e 1990) e dois pelo Real (1936 e 1974).

Grafico Real Madrid (Foto: Divulgação / BDO RCS)Real Madrid: evolução em quase 200% nas receitas desde 2001 (Foto: Divulgação / BDO RCS)

Real sem medo de defender

Tudo é visto como motivo para o Real Madrid tratar esta decisão de Copa do Rei com mais carinho que o rival. Além, é claro, de o resultado do clássico do último sábado, pelo Campeonato Espanhol, ter favorecido o Barcelona, agora oito pontos à frente do rival na disputa por um título quase definido.

Temos que defender como um time e os times defendem com 11″
Mourinho

Mas é justamente o empate por 1 a 1 no Santiago Bernabéu que José Mourinho usa como exemplo para poder superar os catalães. Na ocasião, o técnico português pôs a campo um Real Madrid defensivo, com Özil no banco e Pepe de primeiro volante. A tática deixou o Barcelona ainda mais com a posse de bola – chegou a ficar com 83% no primeiro tempo –, mas impediu investidas como na goleada por 5 a 0 no Camp Nou, em novembro. No fim, com dez jogadores, os merengues reagiram e ganharam novo ânimo.

– Quando o Barça tem a posse de bola, nós temos que defender, senão por sua qualidade teremos dificuldades. Temos que defender como um time e os times defendem com 11. Antes o Real estava acostumado a defender com seis e atacar com quatro. Tenho dúvidas de que a imprensa de Madri queira que nós ganhemos, mas os torcedores não estão cegos e estão com o time – disse Mourinho, que negou a obrigação de conquistar o título por conta de seu currículo.

– Quando falaram comigo e estive pela primeira vez com o presidente e José Angel Sánchez (dirigente) me pediram trabalho honesto e dedicação. Me escolheram pelo meu profissionalismo e porque comigo se trabalha com seriedade. Se conseguirmos o título será algo ótimo, caso contrário seguiremos o projeto. Obviamente que os resultados positivos são motivadores. É verdade que é a minha primeira final com o Real, mas já participei de muitas finais e por isso estou tranquilo.

Guardiola coletiva Barcelona (Foto: AFP)Guardiola acha que título ‘não mudará nada’ (AFP)

Barcelona com mudança no gol

No Barcelona, a tendência é que a equipe seja basicamente a mesma do último sábado. O zagueiro Puyol e o lateral Adriano, que sofreram leves contraturas, devem ir a campo. A principal e única mudança, portanto, seria no gol. Pinto, que agarrou nas partidas da Copa do Rei, substituiria Victor Valdés por justiça.

– Nossa intenção é jogar até ficarmos cansados. Falamos sobre o que fizemos bem e mal no sábado. Somos dois grandes times. Haverá um grande clima e espero que não tenha problemas. Mas não mudará a história. É o que é e não mudará em nada o que o Real Madrid tenha conseguido – afirmou o técnico Josep Guardiola.

Grafico Barcelona (Foto: Divulgação / BDO RCS)Gráfico com evolução das receitas do Barcelona nos últimos oito anos (Foto: Divulgação / BDO RCS)
barcelona x real madrid
Pinto, Daniel Alves, Piqué, Puyol (Mascherano) e Adriano; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro, Messi e Villa. Casillas, Arbeloa (Lass Diarra), Sergio Ramos, Carvalho e Marcelo; Pepe, Khedira e Xabi Alonso; Özil (Benzema), Cristiano Ronaldo e Di María.
Técnico: Josep Guardiola. Técnico: José Mourinho.
Estádio: Mestalla, em Valência (Espanha). Data: 20/04/2011. Árbitro: Alberto Undiano.
Transmissão: o GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real a partir das 16h (de Brasília).

Por Cleber Aguiar – Pacaembu virá ” Vila Belmiro ” .

Fonte: O Estado de São Paulo

Santos lota Pacaembu para avançar

Neymar e Paulo Henrique Ganso têm a responsabilidade de furar a retranca do Deportivo Táchira nesta quarta e garantir o time nas oitavas de final da Copa Libertadores

SANCHES FILHO – Enviado para o Estado – O Estado de S.Paulo

SANTOS – O Santos vai precisar dos dribles e do improviso de Neymar e do talento de Paulo Henrique Ganso, além de frieza, determinação e paciência, para superar a retranca do Deportivo Táchira, da Venezuela, e garantir a vaga nas oitavas de final da Libertadores. A partida contra o mais fraco adversário do Grupo 5 começa às 19h30 (de Brasília, com transmissão do estadão.com.br e da rádio Estadão ESPN), no Pacaembu, e o Santos precisa vencer para não correr o risco de precisar fazer contas. Isso porque, em caso de empate, Colo Colo e Cerro Porteño avançam se também empatarem (jogam em Santiago no mesmo horário). O Pacaembu deve receber mais de 30 mil pessoas.

Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE
Poder da acrobacia. Neymar volta após cumprir suspensão

“Vai ser um jogo chato, com o adversário ficando atrás da linha da bola o tempo todo, marcando forte”, acredita o técnico Muricy Ramalho. “Mas vamos para cima. E, para enfrentar esse tipo de situação, o drible é fundamental. Será bem diferente da partida de Assunção. O Cerro precisava da vitória, atacou e deu a chance do contragolpe”, lembrou o treinador sobre a vitória por 2 a 1 na semana passada.

Muricy decidiu manter Danilo no meio de campo e tirar o marcador Adriano para o retorno de Elano. Pela primeira vez no ano, o time santista vai atuar com a sua força máxima, com Jonathan na lateral-direita, Arouca, Elano, Danilo e Ganso no meio e Neymar no ataque.

Nesta terça-feira, Muricy orientou o posicionamento defensivo e ensaiou jogadas de ataque. Deu liberdade para Elano se deslocar para a direita, com Zé Eduardo centralizado e Neymar pela esquerda. O centroavante terá a incumbência de prender a bola na entrada da área, fazendo a função de pivô, para a chegada de Danilo e Ganso.

Com pouco tempo para treinos, o que Muricy tem feito é trabalhar para fortalecer emocionalmente os jogadores. Tudo para que não se repita o que ocorreu contra o Colo Colo, na Vila Belmiro. “Foi um absurdo. Depois de fazer 3 a 0, tínhamos chance de marcar mais gols, mas o time se perdeu, ficou nervoso e tivemos três expulsos”, recordou. “Expliqueis que temos de esquecer o árbitro e as provocações e nos preocuparmos apenas em jogar. Nosso time não é de choque.”

Nesta quarta será a quinta vez que o Santos joga pela Libertadores no Pacaembu. Nas vezes anteriores, o time, então liderado por Pelé, bateu o Universidad do Chile (1 a 0), o Universitário do Peru (2 a 1) e o Peñarol uruguaio (5 a 4) – todos em 1965 -, e empatou (1 a 1) com o Botafogo, de Nilton Santos, Garrincha e Zagallo, em 1963.

Invencibilidade. 4 jogos fez o Santos no Pacaembu até hoje pela Libertadores: venceu três deles e empatou um.

SANTOS – Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Danilo, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo. Técnico: Muricy Ramalho.

DEPORTIVO TÁCHIRA – Sanhouse; Chacón, Zafra, Moreno e Rouga; Yéguez, Guerrero, Fernández e Pérez Greco; Gutiérrez e Herrera. Técnico: Jorge Luis Pinto.

Árbitro – Néstor Pitana (ARG); Horário – 19h30 (de Brasília); TV – SporTV e Bandsports; Rádio – Estadão ESPN (AM 700/FM 92,9); Local – Estádio Pacaembu, em São Paulo.

Torcedor sofre na fila sem ingresso. Hoje chega novo lote

O sofrimento do santista para ver o time avançar na Libertadores durou mais de seis horas nas filas do Pacaembu. A venda foi suspensa por volta das 12h45, mas muita gente permaneceu no local, à espera de lotes que seriam vendidos no Canindé e em Santos. Funcionários da empresa responsável confirmaram que só restavam entradas de R$ 180. Mas a venda foi interrompida para evitar tumultos. Às 14 horas, veio o anúncio do fim das vendas. Dez viaturas policiais dispersaram a fila.

No fim da tarde, a PM autorizou a venda de 2.450 entradas para o tobogã, em razão da fraca procura dos torcedores do Táchira. O novo lote vai começar a ser vendido a partir das 10 horas, em todos os postos de venda.

Arouca vira o xerife no meio-campo santista

Volante ganha confiança de Muricy para fazer o trabalho de marcação e espera contar com ajuda dos astros Neymar e Ganso

Sanches Filho – O Estado de S.Paulo

ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS

Sobrou para Arouca o trabalho mais difícil do meio de campo santista no jogo contra o Deportivo Táchira, da Venezuela, hoje, às 19h30, no Pacaembu. Com a saída de Adriano para o retorno de Elano ao time, ele será o único volante de contenção. “Não muda muita coisa não. Com o Dorival eu joguei nessa função e agora vou voltar a atuar o nessa posição. Não vejo problema nenhum”, disse o ex-volante do Fluminense e do São Paulo. “Para mim é tranquilo. Quando cheguei ao Santos, eu procurei me aprimorar como marcador e agora tanto posso jogar de um jeito como de outro. Contra o Cerro tive mais liberdade, mas agora vou voltar à antiga posição e tenho que ajudar a zaga”, acrescentou.

Mesmo sendo teoricamente o único jogador de “pegada” no meio de campo, Arouca tem certeza de que não estará sozinho. Ele lembra a atuação histórica de Ganso na decisão do Campeonato Paulista, diante do Santo André, quando fechou os espaços no meio de campo, combateu e prendeu a bola. “O próprio Neymar volta para ajudar, porque gosta de estar sempre com a bola nos pés. Ainda mais agora que ele está voltando com vontade, porque sabe que errou ao usar a máscara e sentiu muito por ter ficado fora”, disse Arouca.

Quando o Santos contratou Muricy ficou uma dúvida no ar. Como seria o reencontro do técnico que pouco escalou o volante nos tempos em que ambos trabalharam juntos no São Paulo (2009) e que, nas poucas oportunidades que deu a ele foram fora de posição, na lateral-direita. A resposta foi dada mais cedo do que se imaginava. Muricy demonstrou toda a sua confiança ao tirar do time o seu melhor jogador de marcação, passando a tarefa a Arouca. Além disso, após o jogo contra o Cerro, o técnico elogiou a atuação do camisa 5.

“O Adriano é importante para o time porque marca e deixa todos os outros jogadores do meio de campo jogarem, mas o Arouca tem características parecidas com as dele e foi muito bem na função com Dorival Júnior no ano passado”, explicou Muricy.

Cenário. Vitória garante vaga ao Santos. Aliada a um empate no Chile, ainda dá o primeiro lugar aos brasileiros. Com empate, o time de Muricy terá de torcer para o Colo Colo ganhar do Cerro Porteño para se classificar em segundo. Até com derrota há a possibilidade de avanço dos santistas, desde que os chilenos goleiem. Se o Santos perder por um gol, os paraguaios têm de cair por cinco de diferença. E assim sucessivamente.

Ingressos para Santos x Táchira se esgotam e causam confusão entre torcedores e cambistas

por ESPN.com.br

A venda dos ingressos para a partida entre Santos e Deportivo Táchira, pela Copa Libertadores, começou nesta terça-feira. Segundo torcedores do Santos que chegaram para comprar o ingresso antes de a bilheteria abrir, todas as entradas já tinham se esgotado em menos de 20 minutos.“A bilheteria abriu às 6 horas da manhã. Em apenas 20 minutos foram vendidos 5 mil ingressos, aonde isso poderia acontecer?”, disse o torcedor santista.A partida entre Santos e Deportivo Táchira acontece nesta quarta-feira, às 19h30, no Pacaembu, pela Copa Libertadores, com transmissão da Rádio Estadão ESPN.

Por Edgar Santista – Muricy esnoba motivar Santos: ” Aqui não é a Briosinha”

Muricy ridiculariza palestras motivacionais exageradas

O técnico Muricy Ramalho rejeitou abusar de técnicas motivacionais para estimular seus atletas antes das partidas do Santos. Quando questionado se faria qualquer coisa visando motivar os jogadores para o embate contra o Deportivo Táchira, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu, o treinador soltou o verbo: “aqui não é a Portuguesa Santista”.

“Quando trabalhava na Briosa (Portuguesa Santista) aí sim eu precisava motivar os caras, porque lá não tinha comida, não tinha água, não tinha nada, e aí tinha que motivar mesmo. Mas aqui é o Santos, pô”, declarou o treinador nesta terça, após treino realizado no CT Rei Pelé.

Muricy trabalhou no Ulrico Mursa – estádio da Portuguesa Santista – no ano 2000, antes de seguir para o Náutico e começar a fazer sucesso como técnico, com a conquista do bi pernambucano em 2001 e 2002. Contudo, ele sempre alertou que seu forte nunca foi fazer discursos de motivação para seus jogadores.

“Não é que é meu forte, é que eu faço o contrário do que as pessoas estão acostumadas a fazer. Colocar o vídeo da criança chorando, do filho, ‘ah que saudades do meu filho’, ‘pai você é o melhor do mundo’, acho isso uma bobagem enorme, o cara entra em campo chorando e esquece de cruzar, de chutar, pois está em outro mundo”, esbravejou Ramalho.

“Aí o cara vê os vídeos, aí entra em campo e fica lá, quando repara está pensando na avó dele, que está lá chorando e tudo. O que vimos contra o Colo Colo-CHI foi absurdo, por exemplo, 3 a 0 e de repente perde três jogadores. Se você põe pilha demais nos caras eu tiro, esquece o árbitro, pois o time do Santos não é um time de choque, como era o Cerro Porteño-PAR, que cospe nos caras”, continuou Muricy.

No Santos, o comandante já dirigiu a equipe em três jogos, conquistando duas vitórias e um empate. Qualquer triunfo nesta quarta-feira diante do Táchira classifica o time alvinegro às oitavas de final da Copa Libertadores, mas o empate deve eliminar da competição. Cerro e Colo Colo se enfrentam no mesmo dia e disputam outra vaga.

Texto:www.Esporte.Terra.com

Por Edgar Santista – Vitória e classificação no Beira-Rio

Colorado não tem grande atuação, mas vence o Emelec por 2 a 0, vai às oitavas de final e mantém sonho do ídolo

Foram 31 anos de alegrias e tristezas, de Gamarra, Fabiano, Fernandão e Gabiru, de euforia em Yokohama e depressão em Abu Dhabi, de idas e vindas na história do Inter até que Paulo Roberto Falcão vestisse vermelho outra vez para reencontrar a Libertadores. E ele pode continuar sonhando. Agora como treinador, o ídolo colorado viu o time gaúcho vencer o Emelec por 2 a 0 na noite desta terça-feira, no Beira-Rio, e avançar às oitavas de final de uma disputa que Falcão, como jogador, perdeu na decisão em 1980.

O Inter não foi bem. Especialmente no primeiro tempo, apresentou pobreza no ataque, leque gasto de ações ofensivas, variedade quase nula de alternativas para desmantelar a defesa rival. Mas melhorou na etapa final. E fez os gols com Rafael Sobis e Leandro Damião.

O resultado deu aos colorados a primeira colocação do Grupo 6 da Libertadores, com 13 pontos. O Jaguares, apesar da derrota de 2 a 1 para o Jorge Wilstermann na Bolívia, avançou como segundo colocado. O Emelec foi eliminado.

O Inter aguarda o fechamento da rodada para saber quem enfrentará nas oitavas de final. Antes, tem Campeonato Gaúcho. No domingo, visita o Juventude em busca de vaga na decisão de returno do estadual.

Fonte: Globoesporte.com

Por ICFUT – Adriano se machuca no treino, opera e para por cinco meses

Durante o treino da tarde, atacante sentiu problema no tendão-de-aquiles. Ligamentos rompidos e cinco meses fora

Imperador Adriano pode ficar até seis meses distante dos gramados
.
A estreia de Adriano pelo Corinthians irá demorar bem mais do que o previsto. Na tarde desta terça-feira, durante um treino solitário em um dos campos do centro de treinamento, o Imperador torceu o tornozelo esquerdo. O atacante foi levado às pressas para a clínica do consultor médico do clube, Joaquim Grava, e foi constatada ruptura total do tendão-de-aquiles.

A previsão dos médicos corintianos é que o Imperador leve cinco meses para se recuperar.  Assim, em vez de estrear no dia 22 de maio, Adriano deve iniciar sua trajetória no Timão no fim de setembro – isso se readquirir rapidamente a forma física e técnica.

O ambiente entre membros da comissão técnica e diretores após a confirmação da lesão era o pior possível. Adriano era visto por todos como um diferencial para os primeiros jogos do Timão no Campeonato Brasileiro. Aqueles que estavam mais próximos do jogador e que trabalharam diariamente com ele desde sua chegada ao CT Joaquim Grava, ficaram muito abatidos com a confirmação da lesão.

A fatalidade de Adriano ocorre no momento em que ele mais se dedicava para aprimorar a forma física, prejudicada pela passagem inexpressiva pela Roma e pelas seguidas lesões no clube italiano.

Diariamente, sob cuidados e orientações dos fisioterapeutas e fisiologistas do clube no centro de treinamento, o Imperador seguia à risca a cartilha de atividades.

A comissão técnica e a diretoria tinham Adriano como a figura de um jogador diferenciado, capaz de levar o Corinthians à conquista do Campeonato Brasileiro, assim como fez quando foi protagonista no título do Flamengo, em 2009 – foi artilheiro, com 19 gols, ao lado de Diego Tardelli, do Atlético-MG.

Agora, é possível afirmar que o presidente Andrés Sanchez e companhia terão de correr atrás de outro atacante de referência.

Recentemente, Grava disse que, se nada de anormal acontecesse, a recuperação física de Adriano aconteceria até o início do BR-12:

– Se nenhuma intercorrência ocorrer até lá, certamente Adriano vai estrear junto com o Corinthians no Brasileirão.