Por Cleber Aguiar – Ronaldo nega tira Ganso da Vila !

Fonte: Globo.com

Ronaldo nega interesse em tirar Paulo Henrique Ganso do Santos

Em mensagem no twitter, Fenômeno diz que reunião com o meia foi apenas para trazê-lo como cliente de sua empresa

Por GLOBOESPORTE.COM São Paulo

Se depender de Ronaldo, Paulo Henrique Ganso não trocará o Santos pelo Corinthians. O Fenômeno publicou uma mensagem em seu Twitter negando que a reunião entre o meia e sua agência de marketing esportivo, realizada na última semana, tenha qualquer ligação com uma possível transferência do jogador para o Parque São Jorge.

Segundo Ronaldo, o encontro foi apenas para apresentar uma proposta de exploração de imagem ao camisa 10 do Peixe.

“Bom dia. Quero deixar claro que meu contato com o Ganso foi para traze-lo como cliente da 9ine. Nao tenho interesse em tira-lo do Santos.”

reprodução twitter ronaldo corinthians ganso cliente 9ine (Foto: Divulgação / Twitter)

Por Cleber Aguiar – Série D já tem alguns classificados !

Fonte: Futebolinterior.com.br

Mais quatro clubes carimbam passaporte para a Série D 2011. Veja os classificados!

Metropolitano-SC, Porto-PE, Oeste e Mirassol são os novos integrantes da Série D

Com os campeonatos estaduais chegando em sua reta final, os clubes participantes do Campeonato Brasileiro da Série D vão aos poucos sendo definidos. Isto porque, em sua maioria, os Estaduais são classificatórios para a competição. Neste final de semana mais quatro clubes garantiram presença na Série D (Metropolitano-SC, Porto-PE, Oeste e Mirassol), e já são 21 classificados.

Além do quarteto que carimbou vaga neste final de semana, já estavam classificados Anapolina-GO, América-TO, Brusque-SC, CRAC-GO, CENE-MS, Cerâmica-RS , Gurupi-TO, Penarol-AM, Sampaio-MA , Santa Cruz-PE, Sendas-RJ, Trem-AP e Vitória da Conquista-BA, além dos rebaixados da Série C para D, Alecrim-RN, Gama-DF, São Raimundo-PA e Juventude-RS.

Assim como no ano de 2010, quarenta equipes vão disputar a competição. Mas vale lembrar que alguns clubes que conseguiram a classificação podem declinar e não participar do campeonato, que é extremamente deficitário.

Paulistas garantidos
Neste domingo os dois representantes do Estado de São Paulo foram definidos. Mirassol e Oeste asseguraram presença na competição nacional, além de garantirem vaga nas quartas-de-final do Campeonato Paulista.

Confira as equipes que já estão classificadas à Série D:

Alecrim-RN (rebaixado Série C 2010)
América-TO (classificado via estadual)
Anapolina-GO (classificada via estadual)
Brusque-SC (campeão Copa SC 2010)
CENE-MS (campeão Copa MS 2010)
Cerâmica-RS (classificado como vice da Copa RS 2010)
Coruripe-AL (classificado via estadual)
CRAC-GO (classificado via estadual)
Gama-DF (rebaixado Série C 2010)
Gurupi-TO (campeão estadual 2010)
Juventude-RS (rebaixado Série C 2010)
Metropolitano (classificado via Copa SC)
Mirassol (classificado via estadual)
Oeste (classificado via estadual)
Penarol-AM (campeão estadual 2010)
Porto-PE (classificado via estadual)
Sampaio-MA (campeão estadual 2010)
Santa Cruz-PE (classificado via estadual)
São Raimundo-PA (rebaixado Série C 2010)
Sendas-RJ (campeão Copa RJ 2010)
Trem-AP (campeão estadual 2010)
Vitória da Conquista-BA (campeão Copa BA 2010)

Por Rogerinho – Maria vencedora do BBB 11 ,fala do jogo inesquecível do São Paulo !

Fonte: Globo.com

Meu Jogo Inesquecível: a festeira Maria, do BBB, e o hexa do São Paulo

Vencedora do prêmio de R$ 1,5 milhão do último reality show brinca com o namorado Wesley, palmeirense, e diz que sonha ver Tricolor no estádio

Por Márcio Mará Rio de Janeiro

A cena parecia do Big Brother Brasil 11 em dias mais descontraídos. Em vez da enorme casa onde os candidatos ficaram confinados por três meses, o local era o pequeno camarim do “TV Xuxa”. A bela Maria, sempre às gargalhadas, corria atrás de Wesley. Nas mãos, a camisa do São Paulo, seu time de coração. A vencedora do reality show queria porque queria que o namorado posasse para as fotos ao seu lado segurando a blusa. O médico avisava gesticulando, aos gritos: “Não!!!!!!! Eu sou Palmeiras!!!”

Maria bbb meu jogo inesquecível  (Foto: André Durão/Globoesporte.com)Vencedor do BBB 11, Maria pressiona o namorado Wesley, que é palmeirense, para posar com a camisa do São Paulo. E consegue, ainda que sob protestos  (Foto: André Durão/Globoesporte.com)

Depois, ele explicou que, no máximo, faz uma torcida paralela pelo Galo em Minas. A prova? O doutor cantarolou musiquinha que selou aliança das torcidas organizadas dos dois clubes. E foi aí, nesse momento, que Maria o mandou para o paredão: sentou no colo do amado e conseguiu, enfim, a foto desejada, mesmo sob protestos.

Maria bbb meu jogo inesquecível  (Foto: André Durão/Globoesporte.com)Maria sonha ir a um estádio assistir a uma partida
do Tricolor (Foto: André Durão/Globoesporte.com)

Maria é assim mesmo: a vida parece uma festa para a ex-BBB. Na base da alegria e espontaneidade, ganha simpatia de quem está em volta e consegue o que quer. Foi assim que entrou na casa de milhões de brasileiros para se tornar a preferida e faturar a bolada de R$ 1,5 milhão. E, tal como era perguntada por Pedro Bial no confessionário, não se esquivou ao revelar o nome do seu jogador favorito do Tricolor paulista. A resposta arrancou mais risadas:

– Ah, eu gosto muito do Richarlyson… Hã? Ele saiu do São Paulo? Foi para o Atlético? Ah, gente, “mariei” então… Mas foi no início do ano, né? Eu estava lá no BBB, não estou por dentro das notícias… Eu nem sabia que o Ronaldo tinha se aposentado… – disse a ex-BBB, tentando explicar a “mariada”, expressão que ficou comum no reality show.

Hexa brasileiro

Richarlyson, na verdade, acertou com o clube mineiro no fim de 2010. Mas, apesar de não ser mais do Tricolor, o jogador contribuiu na última festa de Maria com o São Paulo campeão. A vencedora do BBB 11 reconhece não ser daquelas que saibam a lei do impedimento ou a escalação de cor do time quando entra em campo. Mas lembra que a conquista do hexa brasileiro lhe deu muita alegria. Não se recorda do dia exato: foi em 7 de dezembro de 2008, na última rodada do Brasileiro. O São Paulo venceu o Goiás por 1 a 0 no Bezerrão, na cidade-satélite de Gama. Foi uma conquista dois em um: o time sagrou-se hexa com o tricampeonato consecutivo da era Muricy Ramalho.

– Ah, festejei muito quando o São Paulo foi hexa brasileiro. Lembro que eu vi o jogo em casa. Estava com parentes e amigos e vibrei muito com a vitória do meu querido Tricolor. Eu não sou daquelas que entendam muito de regras e conheçam bem todos os jogadores, mas gosto de acompanhar o meu time sempre que possivel. Sou são-paulina desde pequena, eu e minha irmã, Araceli – disse, no Projac, depois de aparição no “Mais você”, de Ana Maria Braga.

Naquele dia em que o São Paulo foi hexa, as duas irmãs, que acompanhavam a partida, nem se importaram que o gol de Borges, aos 22 minutos do primeiro tempo, foi em impedimento. O lance, que assegurou o título tão sonhado, começou quando Henrique derrubou Borges na meia-lua. Rogério Ceni atendeu aos gritos da torcida e se apresentou para a cobrança. O goleiro-artilheiro bateu, Harlei espalmou, Hugo completou, e Borges – impedido por 1,31m – desviou para o gol, aos 22 minutos do primeiro tempo. O auxiliar Alessandro Rocha Matos, achando que o gol teria sido contra, validou a jogada. E o árbitro endossou.

Maria bbb meu jogo inesquecível (Foto: André Durão/Globoesporte.com)A vencedora do BBB 11a diz que é são-paulina desde pequenininha (Foto: André Durão/Globoesporte.com)

Durante toda a semana, a partida tinha sido recheada de polêmicas. Já na segunda-feira, o assunto “mala branca” dominava a mídia. Para incentivar o adversário são-paulino, pessoas ligadas ao Grêmio, que também tinha chances de ser campeão, cogitaram mandar um incentivo de R$ 300 mil, que seria dividido entre o elenco do Goiás. O Tricolor nem ligou… E fez a sua parte. Mas, de lá para cá, não levantou mais a taça. Festeira, Maria sonha ver o time novamente campeão. E revelou mais um desejo que sonha realizar um dia.

– Ah, eu até comentei isso lá no Big Brother. Queria muito um dia ver um jogo do São Paulo ao vivo, no estádio. Com certeza eu ainda vou lá assistir. Fiquei feliz em saber que o Luís Fabiano voltou, ele é muito bom jogador. E gostaria muito de conhecer também o Rogério Ceni. Quero dar os parabéns a ele pelo centésimo gol, fiquei muito feliz por isso – afirmou, enquanto autografava a camisa.

Mãe torce pelo River Plate

A família da vencedora do BBB 11 não é toda são-paulina. Apenas a irmã, Araceli, torce também para o Tricolor. O pai, Vicente, falecido há três anos, era italiano e palmeirense. A mãe, Alicia – sempre ao lado da vencedora do reality show -, é argentina… Mas para que time ela torce, Maria?

– Eu acho que é Boca Juniors… River Plate, mãe? Iiiiiiiiiih, ‘mariei’ de novo… – brincou a mais nova milionária na praça.

Maria contou que, em dia de Brasil x Argentina, cada uma torce para a sua seleção, e a rivalidade toma conta da casa. No maior bom humor, claro.  Mas quando o Brasil está fora…

– Aí eu torço para eles, claro. Afinal, tenho sangue argentino nas veias!!!!!!!!! – afirmou, antes de entrar no estúdio para gravar, feliz da vida, o “TV Xuxa”. Afinal, no momento, Maria é a dona dos holofotes. Só falta ela aparecer nas arquibancadas e fazer a torcida tricolor “mariar”.

goiás 0 x 1 são paulo
Harlei, Henrique Santos, Rafael Marques e Ernando; Vítor, Leandro Fahel (Romerito),  Ramalho, Paulo Baier, Thiago Feltri e Júlio César (Adriano Gabiru); Fausto (Alex Terra). Rogério Ceni, Rodrigo, André Dias e Miranda; Joílson (Jancarlos), Richarlyson, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto (Bruno) e Borges.
Técnico: Hélio dos Anjos Técnico: Muricy Ramalho
Gol: Borges, aos 22 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Henrique, Ramalho, Vítor, Harlei e Paulo Baier (Goiás) e Rodrigo e Jorge Wagner (São Paulo)
Local: estádio do Bezerrão. em Gama (DF). Data: 7/12/2008. Competição: Campeonato Brasileiro. Árbitro:Jailson Macedo Freitas. Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Milton Otaviano dos Santos (RN). Renda: 1.662.000,00 Público: 18.093 pagantes.

 

Por Cleber Aguiar – Cabeças a prêmio !

Fonte: Folha de São Paulo

Nem bom desempenho tem evitado demissões em um começo de temporada implacável com os treinadores dos times da elite do Brasileiro-2011



NELSON BARROS NETO
DE SÃO PAULO

A pouco mais de um mês para o início do Brasileiro, 11 dos 20 participantes da Série A já trocaram de treinador.
Desses, dois já mudaram duas vezes de comando. Porém em somente 3 dos 13 casos o desempenho do técnico ficou abaixo dos 50%.
O mais recente episódio aconteceu na noite de domingo, quando Vágner Benazzi foi demitido do Bahia, ao vivo, durante entrevista do presidente Marcelo Filho a uma rádio de Salvador.
Benazzi caiu com oito vitórias, três empates e duas derrotas. Hoje, o time estaria classificado para as semifinais do Estadual. E, amanhã, começará duelo pelas oitavas de final da Copa do Brasil diante do Atlético-PR.
O adversário, aliás, é dono da situação mais emblemática neste começo de temporada: uma semana atrás, rescindiu o contrato de Geninho após ele vencer um clássico e ostentar 83% de aproveitamento em dez jogos.
A diretoria de futebol alegou ter sido uma decisão “de cima”, partindo da cúpula da equipe. O treinador, o mesmo do título do Brasileiro de 2001 conquistado pelo Atlético-PR, não se conformou.
“Isso não é uma despedida, é um adeus. Se o clube precisar de mim algum dia, se quiser me trazer de volta, quero deixar bem claro que não conte mais comigo”, disse, em entrevista coletiva.
Menos de 24 horas depois, Adilson Batista já havia sido apresentado no time paranaense. No final de fevereiro, era ele quem era mandado embora do Santos, com uma derrota em 11 partidas.
Na oportunidade, a própria cartolagem santista acabou caindo em contradição.
Enquanto o diretor Pedro Luiz Nunes Conceição disse que a equipe não se pautava por eventuais queixas da torcida, o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro declarou: “A pressão que ele estava sofrendo era muito forte, de um jeito que não se pode fazer com um ser humano”.
Bons números também não foram suficientes para Joel Santana continuar no Botafogo. Embora a decisão de sair tenha sido dele, justificou a atitude com base na insatisfação nas arquibancadas do estádio Engenhão.
“Fizemos um baita Nacional, somos líderes do Carioca e essa cobrança não é bem por aí”, afirmou Joel. Em quase 14 meses no cargo, conheceu apenas 12 derrotas.
O grupo apresenta duas exceções. Dimas Filgueiras, “eterno” auxiliar do Ceará, foi efetivado no final de 2010 para salvar a equipe do rebaixamento e, após ter 82% de desempenho até semana passada, resolveu assumir cargo de dirigente no time.
Muricy saiu do Fluminense com 67% (mas mal na Libertadores), sob o argumento de má estrutura no clube.

Por Cleber Aguiar – Falcão promete espetáculo

Fonte: O Estado de São Paulo

No Inter, Falcão fala em espetáculo

Ídolo da torcida colorada, ex-camisa 5 é apresentado no Beira-Rio como novo treinador. ”Rei de Roma” quer se divertir após afastamento de 15 anos

Carlos Alberto Fruet – O Estado de S.Paulo

ESPECIAL PARA O ESTADO
PORTO ALEGRE

Sob o grito de 400 torcedores, Paulo Roberto Falcão chegou ontem ao Beira-Rio, na sua volta ao comando técnico do Internacional, exatamente às 16h30. Uma hora depois, na estrutura montada no vestiário para atender a imprensa, Falcão já deu a entender como quer ver o Inter jogando: “”Quero ver um espetáculo. Quando digo espetáculo, não quero dizer futebol irresponsável, mas sim um futebol leve. Vou me divertir com meus atletas. Isto é o que eu espero””.

A apresentação do ídolo, que teve a presença dos jogadores Tinga, Kléber, D”Alessandro, Bolívar e Rafael Sóbis, serviu para que o novo comandante colorado definisse, também, que seu objetivo principal é ganhar a Libertadores, um título que ele não tem: “Chamei alguns jogadores aqui que são algumas lideranças. Isso dá uma ideia do coletivo””, explicou o “Rei de Roma””.

Falcão estava afastado do trabalho de treinador havia 15 anos. Apesar do longo período, ele afirmou que não mudou muita coisa, mas que só o tempo poderá revelar se conseguirá o mesmo sucesso obtido dentro de campo: ” Em relação aos 15 anos afastado, só o tempo vai dizer. Voltei aqui e me dei conta que o roupeiro é o mesmo, é o Gentil. Então não mudou muito. Quero conversar com os atletas, são jogadores vitoriosos””, disse. “Estou aqui com cinco campeões da América. Minha maneira de trabalhar é muito simples. O segredo é buscar o equilíbrio, que se consegue com jogadores de qualidade.””

As emoções que o futebol proporciona foram determinantes para o retorno de Falcão ao vestiário. Durante a entrevista, ele revelou que já sentia falta do ambiente de clube: “Esse é um momento histórico para mim. A gente não consegue viver sem adrenalina. E já estava sentindo falta disso.””

Futebol descontraído. Além de um futebol mais solto, o técnico defende um clima mais descontraído fora dele. Falcão destacou que ambientes pesados não combinam com o futebol e descartou mudar seu estilo sereno de ser. “O Falcão no vestiário é o mesmo fora, com muita cobrança, mas uma cobrança em que o ambiente tem que estar leve. No futebol, a coisa tem que ser mais leve, mas com respeito, hierarquia, participação. Futebol é importante, emprega tanta gente, mas não é uma guerra. Futebol é alegria””.

O novo comandante não deixou de falar da sua experiência como comentarista: “Como um homem de imprensa, por ser muito profissional, ser remunerado para dar opinião deixei minha relação com o Inter anestesiada. Agora isso muda. Estou do outro lado. Não significa estar contra, não. Mas estou do lado dos atletas, da instituição.””
PARA LEMBRAR

Um jogador de alto nível. Mas como treinador…

Paulo Roberto Falcão foi um ótimo jogador. Como treinador, porém, sua trajetória foi sofrível. De 1990 a 1995 aventurou-se por seleções e clubes, com pífios resultados.

Dentro de campo, Falcão brilhou. Volante clássico, técnico, de inteligência e visão de jogo ímpares, fez parte do esquadrão do Internacional – clube que o revelou – bicampeão brasileiro em 1975/76. Participaria da campanha do tri, invicto, de 1979.

No ano seguinte, foi para a Roma, onde se tornaria rei. Liderou, na temporada 1982/1983, o time na conquista de um scudetto após 40 anos e entrou no coração dos romanos. Encerrou a carreira em 1985, no São Paulo, já em baixa – foi reserva do apenas esforçado Márcio Araújo.

Pela seleção, disputou duas Copas, fez parte da ótima equipe de 1982, mas não teve nem sequer um título expressivo.

Como treinador, não teve brilho. Começou por cima, dirigindo a seleção brasileira. Assumiu após a Copa da Itália, em 1990, e caiu pouco mais de 10 meses depois, ao fim da Copa América de 1991 – o Brasil foi vice. Foram 17 jogos, com 6 vitórias, 7 empates e 4 derrotas.

No América do México foram quase dois anos e dois títulos: o da Copa Interamericana de 1991 e o Copa dos Campeões da Concacaf em 1992. Em 1993, assumiu o Internacional. A passagem foi rápida: 5 vitórias, 4 empates e 5 derrotas em 14 jogos. Entre 1994 e 1995 comandou a seleção do Japão, sem grandes resultados.

Por Cleber Aguiar – Brasil é país que mais repatria jogadores

Fonte: O Estado de São Paulo

Na temporada passada, 135 atletas voltaram. Em contrapartida, brasileiros também lideram ranking de saída de profissionais

JAMIL CHADE – Correspondente – O Estado de S.Paulo

GENEBRA – Ronaldo desembarcou no Corinthians em dezembro de 2008. Depois dele vieram Roberto Carlos, Rivaldo, Liedson, Luis Fabiano e Adriano. Chegou-se até a especular sobre a vinda de Kaká. A realidade é que, em pouco tempo, o Brasil se transformou no recordista mundial em repatriamento de jogadores. Dados divulgados nesta segunda-feira pelo Observatório de Jogadores Profissionais, uma entidade de pesquisa reconhecida pela Fifa, revelam que em 2010 nenhum outro país registrou a volta de atletas nacionais em um volume tão grande quanto o Brasil.

No total, 135 jogadores brasileiros que atuavam no exterior resolveram voltar, tanto para clubes da Primeira quanto da Segunda Divisão. Mas a média de idade revela que a chegada desses profissionais não seria exatamente um reforço. O Brasil aparece como o país onde se importa jogadores com a maior média de idade do mundo, acima de 29 anos. Na Itália, um dos principais mercados do planeta, esse número não ultrapassa os 22 anos. Por outro lado, a média de idade dos jogadores brasileiros que vão para o exterior é uma das mais baixas do mundo: 24 anos.

O Brasil continua dono do maior “déficit” no cálculo entre jogadores que saem e aqueles que voltam. Em 2010, o País continuou na liderança mundial de venda de craques. No total, foram 283 atletas negociados apenas para clubes pertencentes às grandes divisões mundiais, contra 213 argentinos. Constata-se que o País tem trocado seus jovens craques por veteranos em fim de carreira.

O próprio instituto de pesquisa admite que clubes brasileiros tentam compensar a saída dos mais jovens com a contratação dos mais velhos. Só o Flamengo repatriou dez jogadores na temporada passada, seguido por Guarani, que trouxe oito, Vasco (sete), Sport e Vila Nova (seis), além de três que aterrissaram no Fluminense.

Será que resolve? Se o Brasil tem repatriado seus velhos astros, a pesquisa alerta que a estratégia tende a não ter resultados positivos em campo. Na Europa, por exemplo, apenas quatro dos 16 clubes que chegaram à fase final da Liga dos Campeões contavam com algum jogador repatriado. Todos os demais tinham apenas novos craques ou esperanças dos times de base.

Para os jogadores, a volta ao Brasil é a chance de relançar sua carreira, estendê-la por mais alguns anos antes da aposentadoria, voltar a ser notado pela torcida e, acima de tudo, pela comissão técnica da seleção, comandada por Mano Menezes, que busca montar um time para a Copa do Mundo de 2014.

Seja qual for o motivo, os pesquisadores estimam que a volta de craques ao Brasil é, talvez, o fenômeno mais relevante na nova fase da globalização das negociações que envolvem o futebol. A entidade responsável pelo estudo estima que fatores econômicos estejam pesando também no novo fluxo de jogadores que voltam ao Brasil.

Dinheiro. Um deles é o surgimento de contratos e salários mais altos, ainda que apenas poucos craques tenham acesso a esses valores. Normalmente são pagos graças a patrocinadores e outros acertos publicitários. Nisso pesa o fortalecimento da economia brasileira e a expansão do mercado, já de olho em 2014.

Segundo a pesquisa, vários clubes sul-americanos têm adotado a mesma estratégia. Na Argentina, foram 131 atletas repatriados em 2010. O Uruguai é outro que também optou por trazer de volta seus craques, ainda que em idade mais avançada.

Futebol brasileiro é a fonte preferida de ”pé de obra”

Jamil Chade – O Estado de S.Paulo

GENEBRA

Nunca a exportação de jogadores brasileiros esteve tão diversificada e globalizada como em 2010. Dados do Observatório de Jogadores Profissionais indicam que o Brasil exportou atletas para 58 países no ano passado.

Se Portugal é ainda o principal destino, o levantamento também mostra que o Brasil já negocia mais jogadores para Irã, Coreia e Japão do que para tradicionais mercados, como Espanha, Itália e Inglaterra.

No total, mais de um quarto de toda a exportação mundial de jogadores teve origem em apenas três países: Brasil (283), Argentina (215) e Sérvia (150). Mas nenhuma outra nacionalidade tem jogadores espalhados por tantos países como o Brasil. Os argentinos, por exemplo, estão em 44 países.

No ano passado foram 15 brasileiros transferidos para a Coreia, 14 para o Japão e 12 para o Irã.

O Atlético-MG destaca-se com 10 exportações, contra oito do Botafogo. Na Argentina, só o River Plate vendeu 14 e se tornou o clube que mais exportou no mundo. O Brasil diversificou seu produto. Apenas 60% das vendas eram de atacantes ou meias.

No mundo, o país que mais comprou jogadores foi o Chipre, com 219. Mas o campeonato mais internacional é mesmo o inglês. Só em 2010 os clubes compraram atletas de 27 países diferentes. Porém, a principal rota é mesmo entre Brasil e Portugal, com 95 exportações.



Por Edgar Santista – Ganso diz ‘sim’ ao Corinthians e pode chegar após a Libertadores

Meia se encontrou com Andrés Sanchez na sede da 9ine, na última sexta. Saída será por meio de briga judicial com o Peixe

Bruno Andrade
Felipe Bolguese
Plínio Rocha
Publicada em 12/04/2011 às 00:02
São Paulo (SP)

Depois de meses de negociação, o meia Paulo Henrique Ganso aceitou a proposta do Corinthians – salários e todas as bases – e vai começar a brigar para deixar o Santos após a disputa da Libertadores.

O acordo foi encaminhado na última sexta-feira, em encontro do jogador com Ronaldo, na sede da 9ine, agência de marketing esportivo que pretende administrar a imagem do meia. O presidente corintiano, Andrés Sanchez, que é conselheiro da empresa, participou da reunião para negociar a transferência e ouviu o “sim” de Ganso.

A ideia é anunciar um contrato longo (três ou quatro anos), mas o acordo prevê a venda do jogador após a disputa do Brasileiro. Ou seja, apenas uma maneira de “disfarçar” a ponte para a Europa, principal objetivo do craque na carreira.

Os próximos passos dependerão do desempenho do Santos na Libertadores. No Parque São Jorge, a torcida contra é grande para que o rival seja eliminado nesta quinta-feira e a negociação seja logo concretizada.

O otimismo aumentou com a resposta do jogador, mas ainda há o temor para um imbróglio jurídico que o caso pode ter.

O Corinthians foi a maneira de a DIS, braço esportivo do Grupo Sonda – que agencia a carreira do santista – facilitar a transferência para o exterior. A empresa e o clube praiano estão em guerra declarada após discordância no contrato de diversos jogadores em comum. Quando viu que o Santos dificultaria a venda, a DIS correu para colocá-lo no rival.

Ganso tem contrato com o Santos até fevereiro de 2015, e sua saída seria por meio do pagamento da multa rescisória. Para o mercado nacional, o valor é de R$ 59,4 milhões. O Timão contará com a ajuda de um investidor, que ainda não atua na área do esporte, para bancar seis milhões de euros (cerca de R$ 13,7 milhões). Com isso, o clube garante parte do lucro em uma futura transferência.

O restante viria da própria DIS e do futuro clube de Ganso na Europa, que vai pagar bem menos do que o previsto no contrato. A multa para o mercado internacional é de 45 milhões de euros (R$ 102,8 milhões).

Depois de Tite declarar o desejo de ter o camisa 10 para a disputa do Brasileirão, em entrevista coletiva na semana passada, o presidente corintiano começou a proibir a todos de falarem sobre a contratação. Sinal de que os próximos passos podem ser decisivos e de que o desfecho da negociação pode estar próximo.

OPÇÕES PARA PAGAR A MULTA

O ‘certo’
A DIS, empresa que gerencia a carreira de Ganso, com ajuda de investidores, depositaria 100% do valor da multa rescisória (R$ 59,4 milhões). Então, o Santos repassaria os valores aos envolvidos no negócio. Destes, R$ 26,7 milhões (45% do total) seriam do próprio clube e o restante dividido entre a DIS (com 45%) e o jogador (10%).

A manobra
O jogador acionaria a Justiça do Trabalho para depositar apenas a parte que cabe ao Santos (R$ 26,7 milhões). Na ação, declararia que abre mão do que teria direito e a DIS usaria a mesma estratégia.

9INE: PEÇA-CHAVE NA NEGOCIAÇÃO

Amigos, amigos, negócios à parte? Não para Ronaldo. Após pendurar as chuteiras, em fevereiro, o Fenômeno voltou olhares para a 9ine, sua agência de marketing esportivo. Mas nem por isso ele esqueceu do Corinthians.

A primeira iniciativa em conjunto com o ex-clube foi a contratação de Adriano, cuja imagem será gerenciada pela 9ine. Ronaldo foi quem convenceu o Imperador a defender o Timão e, ao lado do presidente Andrés Sanchez, intermediou diretamente da negociação.

Mas a “parceria” não parou por aí. Em viagem recente para Europa, o ex-atacante se reuniu com o meia Seedorf, do Milan (ITA), e o convidou para defender o Corinthians no próximo semestre.

Fonte: http://www.lancenet.com.br/corinthians/Ganso-fala-Corinthians-chegar-Libertadores_0_460754141.html

Por Edgar Santista – Liverpool vence o City

Em dia de homenagens à ‘Tragédia de Hillsborough’, Andy Carroll ‘estreia’ com dois gols nos 3 a 0 em Anfield. Já são 13 pontos contra times do G-4

O Liverpool confirmou sua fama de “Robin Hood” e voltou a vencer um time do G-4 do Campeonato Inglês. Nesta segunda-feira, no fechamento da 32ª rodada, os Reds não encontraram dificuldades para derrotar o Manchester City, por 3 a 0, em um Anfield repleto de homenagens à “Tragédia de Hillsborough”, que completa 22 anos no próximo dia 15. Maior contratação da história do clube, Andy Carroll, o homem de R$ 96 milhões, anotou seus primeiros dois gols. Kuyt completou o placar. Os brasileiros Lucas e Fábio Aurélio foram titulares pelos mandantes.

Andy Carroll gol Liverpool (Foto: AFP)Sob olhares da torcida do City, Andy Carroll pula para comemorar um de seus dois gols pelo Liverpool (AFP)

Este foi o 13º ponto conquistado somente em duelos contra times que atualmente figuram entre os quatro melhores, o que comprova a fase de “tirar dos grandes e doar para os pequenos” do Liverpool, irregular na competição por conta das derrotas para equipes de menor porte – duas para o Blackpool, por exemplo. Além do City, o Chelsea, duas vezes, e o Manchester United, recentemente, já foram vítimas dos Reds. Ainda há um empate com o Arsenal, logo na primeira rodada.

Na tabela inteira de classificação, o Liverpool chegou aos 48 pontos e voltou a sonhar com uma vaga em uma competição europeia na próxima temporada. O quinto lugar, atualmente do Tottenham (53), leva o time para a Liga Europa, enquanto do quarto em diante para a Liga dos Campeões, tarefa que parece improvável no momento diante da distância de oito pontos para os próprios Citizens (56).

As equipes voltam a campo no próximo fim de semana. No sábado, a equipe do técnico Roberto Mancini encara o Manchester United em um clássico que vai parar… Londres. A semifinal da Copa da Inglaterra, a FA Cup, será disputada em jogo único no lendário estádio de Wembley, às 13h15 (de Brasília). No domingo, o time de Kenny Dalglish visita o Arsenal, no Emirates Stadium, às 12h, já pela 33ª rodada da Premier League.

Liverpool x Manchester City Homenagem (Foto: EFE)Um minuto de silêncio foi respeitado no Anfield nesta segunda-feira: homenagem aos 96 mortos (Foto: EFE)

Homenagem à tragédia

Antes da partida, um minuto de silêncio foi respeitado em homenagem às vítimas da “Tragédia de Hillsborough”, que completa 22 anos no próximo dia 15 de abril. Na ocasião, em uma partida entre o Liverpool e o Nottingham Forest, em Sheffield, 96 torcedores dos Reds foram esmagados contra as grades da arquibancada do estádio de Hillsborough. Muitas faixas relembrando o desastre foram levadas a Anfield.

– Esse episódio sempre emociona os que são ligados ao Liverpool. Isso pôde ser comprovado hoje no Anfield Road. O estádio ficou em silêncio total por um minuto. Esses torcedores que nos deixaram jamais serão esquecidos enquanto o Liverpool existir – afirmou o volante brasileiro Lucas.

Em campo, sob olhares do técnico da seleção da Inglaterra, o italiano Fabio Capello, o Liverpool sobrou. Desde os seis minutos, quando Luis Suárez acertou a trave, até o apito final do árbitro Mark Halsey, os Reds pressionaram e mereceram sair do primeiro tempo com larga vantagem.

Maior contratação do clube, Carroll enfim ‘estreia’

O primeiro gol saiu aos 12. Kompany afastou mal a bola na entrada da área e Carroll acertou um belo chute de canhota, rasteiro. Hart poderia ter defendido. Foi o primeiro gol em seu sexto jogo com a camisa do novo clube após ser contratado por valor recorde de R$ 93 milhões. E também o primeiro desde o “Boxing Day”, no dia 26 de dezembro, quando ainda atuava pelo Newcastle, justamente contra os Citizens.

Tevez Manchester City x Liverpool (Foto: AFP)Carlos Tevez em um de seus poucos lances: substituído aos 15, ele é dúvida para pegar o United (Foto: AFP)

A situação do City ficou ainda pior quando perdeu Carlitos Tevez, aos 15 minutos, com uma lesão muscular na coxa direita. De acordo com as primeiras informações da imprensa inglesa, ele passa imediatamente a ser dúvida para o clássico de sábado.

Com Balotelli no lugar de seu craque argentino, os visitantes mal conseguiam trocar passes no campo ofensivo. O Liverpool seguiu sua blitz e marcou dois gols em um intervalo de dois minutos. Aos 33, após um bate-rebate na grande área, Kuyt aproveitou a sobra e colocou no canto direito de Hart. No lance seguinte, Raul Meireles fez belo cruzamento da esquerda, na cabeça de Carroll, que ganhou de Kolarov e não perdoou.

O placar poderia ter sido ainda maior caso o uruguaio Luis Suárez, um dos melhores jogadores do atual elenco, tivesse em uma boa noite. Dessa vez ele sequer precisou manter sua média de atuações convincentes. E o sonho de voltar a disputar uma competição europeia na próxima temporada segue vivo. Com pequenos e grandes no caminho.

– Ficamos muito felizes pelo Carroll porque sabíamos que ele estava sofrendo uma pressão grande para marcar seu primeiro gol. Eu mesmo já tinha vindo a publico pedir para que os torcedores confiassem nele, que uma hora ele iria marcar. Carroll já vinha nos ajudando nos últimos jogos, sendo importante taticamente para a equipe. Só faltava que o gol saísse para que as coisas pudessem melhorar. Fiz questão de comemorar muito cada gol e de abraçá-lo ao final da partida – disse Lucas.

Liverpool x Manchester City Homenagem (Foto: EFE)Bandeira com o nome dos 96 mortos na ‘Tragédia de Hillsborough’: 22 anos na próxima sexta (Foto: EFE)

Confira a 32ª rodada completa:

Sábado
Wolverhampton 0 x 3 Everton
Blackburn 1 x 1 Birmingham
Bolton 3 x 0 West Ham
Chelsea 1 x 0 Wigan
Manchester United 2 x 0 Fulham
Sunderland 2 x 3 West Bromwich
Tottenham 3 x 2 Stoke City

Domingo
Blackpool 1 x 3 Arsenal
Aston Villa 1 x 0 Newcastle

Segunda-feira
Liverpool 3 x 0 Manchester City

Por GLOBOESPORTE.COM Liverpool, Inglaterra