Por Edgar Santista- Real goleia Tottenham no retorno de Kaká e fica muito perto da semifinal

Adebayor (duas vezes), Di María e Cristiano Ronaldo marcam na vitória de  4 a 0 no Bernabéu. Decisão de vaga será na próxima semana em Londres

Espantado o fantasma das oitavas de final da Liga dos Campeões, o Real Madrid está com um pé na semifinal do torneio desta temporada: com gols de Adebayor (dois), Di María e Cristiano Ronaldo, além de boa atuação de Marcelo e retorno de Kaká, o time de José Mourinho bateu o Tottenham por 4 a 0 nesta terça-feira, no Santiago Bernabéu, e abriu excelente vantagem para a partida de volta em Londres.

O Real, que em 2011 encerrou o tabu de seis anos sem passar das oitavas, busca o décimo título da Champions. A partida decisiva com os Spurs será no dia 13 (quarta-feira da próxima semana) no estádio White Hart Lane, às 15h45m (de Brasília). O vencedor deste confronto pegará quem sair de Barcelona x Shakhtar, o que pode gerar o clássico espanhol na decisão por um lugar na final de 28 de maio em Wembley.

Fonte: Globoesporte.com

Por Edgar Santista – Atual campeão é praticamente eliminado em casa

Três dias após pesada derrota no clássico, italianos são atropelados pelos alemães em pleno Giuseppe Meazza: 5 a 2. Edu, ex-Guarani, se destaca

Os torcedores do Inter de Milão muito provavelmente já se esqueceram da pesada derrota no clássico de sábado, por 3 a 0, para o Milan, pelo Campeonato Italiano. Mas de uma maneira nada agradável. Por ora, o desespero está por conta da possível eliminação na principal competição do continente. Avassalador, o Schalke 04 aproveitou novas falhas da defesa italiana e atropelou os atuais campeões por incríveis 5 a 2, nesta terça-feira, em pleno estádio Giuseppe Meazza, pelo jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões.

O maior destaque dos alemães foi o brasileiro Edu, ex-Guarani, que marcou dois gols. Matip, Raúl e Ranocchia, contra, completaram para os visitantes. Stankovic, com um golaço do meio-campo, e Diego Milito fizeram para os donos da casa. No lado adversário, os brasileiros Julio César, Maicon e Thiago Motta, naturalizado italiano, foram titulares. Lúcio, suspenso, foi desfalque. Philippe Coutinho não foi relacionado.

Texto: Globoesporte.com

ICFUT–Dentinho acompanha Mulher Samambaia

Fonte: uol.com.br

dentinho_f_001

Dentinho assumiu recentemente o namoro com Dani Souza, conhecida como Mulher Samambaia

image

Dentinho acompanhou Dani Souza, conhecida como Mulher Samambaia, em sessão de fotos em Goiânia

image

Dentinho aproveitou a segunda-feira de folga no Corinthians para ir com Dani Souza, a Mulher Samambaia, em sessão de fotos em Goiânia

image

Dentinho assumiu recentemente o namoro com Dani Souza, a Mulher Samambaia, e aproveitou sua última folga para acompanhá-la em Goiânia

image

Dani Souza, a Mulher Samambaia, mostra nova tatuagem que fez em homenagem ao namorado Dentinho, atacante do Corinthians cujo nome é Bruno Bonfim

Por Cleber Aguiar – Deputado de São Paulo cria projeto de lei para eventos esportivos termine as 23:00hs no Estado.

Fonte: Diário Oficial do Estado de São Paulo – Caderno Legislativo
05/04/2011
PÁG. 17
PROJETO DE LEI Nº 221, DE 2011
Regulamenta o horário de competições esportivas no
Estado de São Paulo
A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO
DECRETA:
Artigo 1º – – Fica determinado que no Estado de São Paulo
todas as competições esportivas, realizadas em estádios, ginásios
ou qualquer outro complexo esportivo, quer sejam públicos
ou privados, devem obrigatoriamente, ser finalizadas até as 23h
(vinte e três horas).
Artigo 2º – A autoridade policial constituída deverá proceder
à imediata interrupção de qualquer evento que não cumpra
o que determina o Artigo 1º desta Lei.
Artigo 3º – O descumprimento do que prevê esta Lei implicará
aos organizadores e responsáveis pelo evento esportivo
uma autuação no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais), que
será atualizada, anualmente, conforme previsto pela variação
do Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, acumulada
no exercício anterior e, em caso de reincidência, o valor da
autuação será cobrado com acréscimo de 100% (cem por
cento).
Artigo 4º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
JUSTIFICATIVA
As competições esportivas, quando noturnas, iniciam sempre
por volta de 21h50. Se com a luz do dia a violência impera
e nos preocupa, à noite a incidência é bem maior.
A quantidade de vítimas fatais, após confrontos originados
em conseqüência de eventos esportivos, é inúmera. O fato é
que interesses financeiros não devem mais se sobressaltar ao
dever das Autoridades Constituídas no Estado de São Paulo que
devem dar proteção a população que deseja prestigiar qualquer
modalidade esportiva.
Por outro lado, o sistema de transporte coletivo deixa de
ser eficiente, tornando-se caótico. Os trens do metrô deixam de
correr à meia noite e os ônibus por volta dessa mesma hora.
No término de cada competição esportiva, os adeptos ao
esporte que não têm como voltar para suas casas, ficam pelas
ruas causando tumultos, provocando brigas e agredindo uns
aos outros.
A flexibilidade para a redução da finalização dos eventos
esportivos deve ser uma preocupação de seus organizadores.
O que queremos é que as competições esportivas terminem, o
mais tardar às 23 horas. Se assim for os torcedores chegarão
às suas casas mais cedo; as crianças poderão ir as praças
esportivas à noite e os idosos que não costumam dormir tarde,
poderão assistir as atrações do esporte.
O que propomos é que a população volte para casa com
segurança, possibilitando que as pessoas que residem ao entorno
das praças esportivas, tenham tranqüilidade para descansar
após um dia de trabalho.
A intenção desta Lei é evitar mais confrontos entre cidadãos,
causando em conseqüência disso mortes desnecessárias.
Sala das Sessões, em 31-3-2011
a) Rafael Silva – PDT

Por Edgar Santista – Em Milão, a Inter enfrenta o azarão Schalke, em busca do bicampeonato

Na primeira fase, o Werder Bremen, nas oitavas-de-final, o Bayern de Munique, agora, nas quartas, o Schalke. O caminho da Inter para a conquista do bicampeonato tem escalas regulares na Alemanha. Justo a Alemanha, país que recentemente ultrapassou a Itália no ranking da UEFA que determina a quantidade de vagas que cada país tem em competições européias de clubes.

Para continuar defendendo o troféu, e por que não seu país, a Inter tem como seu ponto forte o artilheiro Eto’o, autor de oito gols em oito jogos. Além disso, Leonardo parece ter reencontrado a forma certa de montar a equipe, criada por José Mourinho e que havia sido modificada e em certos pontos até mesmo esquecida quando o time era comandado por Rafa Benitez.

A derrota para o Milan por 3 a 0 no clássico regional pode ter abalado um pouco o ambiente do grupo, mas além da boa fase de Eto’o, o retorno de Milito, recuperado de lesão, dá um novo ânimo aos italianos.

No Schalke, a Liga dos Campeões é vista como uma possível salvação de uma temporada que pode ser classificada no mínimo como irregular. Figurando apenas a 11ª colocação do Campeonato Alemão, o técnico Ralf Rangnick deposita suas esperanças em dois jogadores em especial. Manuel Neuer e Raúl.

O jovem goleiro, que foi titular da Alemanha na última Copa do Mundo, mantém a tradição de bons arqueiros do país e, com seus incríveis reflexos, atrai a atenção de diversos gigantes da Europa. O atacante Raúl dispensa apresentações. O espanhol é nada menos que o maior artilheiro em competições européias de clubes, com 70 gols.

As equipes não têm grandes problemas para apresentar o seu melhor futebol no estádio Giuseppe Meazza. Lúcio, suspenso e Samuel e Suazo, lesionados, são os desfalques italianos. Pelos azuis reais, Kluge e Gavramovic, suspensos, são as ausências.

Possíveis escalações:

Inter de Milão: Julio Cesar; Maicon, Chivu, Ranocchia, Zanetti; Stankovic, Cambiasso, Thiago Motta; Sneijder; Milito, Eto’o.

Schalke 04: Neuer; Uchida, Höwedes, Metzelder, Sarpei; Jurado, Matip, Draxler, Farfan; Raúl, Edu.

Fonte: www.esporteinterativo.com.br

Por Edgar Santista – Mourinho surpreende e relaciona Kaká para enfrentar o Tottenham

Camisa 8 estava em fase final de recuperação de lesão no joelho esquerdo. Ele não joga desde o dia 26 de fevereiro. Marcelo e Cristiano também jogam

O técnico português José Mourinho surpreendeu nesta segunda-feira e anunciou o nome de Kaká entre os relacionados para a partida contra o Tottenham, nesta terça-feira, às 15h45m (de Brasília), no Santiago Bernabéu, pelo jogo de ida pelas quartas de final da Liga dos Campeões. O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real a partir das 15h30m.

cristiano ronaldo kaka real madrid treino (Foto: agência EFE)Kaká ao lado de Cristiano Ronaldo em atividade nesta segunda-feira: meia deve ficar no banco (Foto: EFE)

O meia brasileiro treinou normalmente nesta segunda-feira e, pelo visto, está totalmente recuperado da lesão que sofreu no joelho esquerdo no fim de fevereiro. A última vez que Kaká jogou foi em 26 de fevereiro, quando entrou no segundo tempo do empate em 0 a 0 com o Deportivo La Coruña, pela 25ª rodada do Campeonato Espanhol.

Além do camisa 8, o atacante Cristiano Ronaldo, lateral-esquerdo Marcelo e o meia Di María também foram confirmados para o jogo. Os três eram dúvidas mas, pela importância do confronto, o treinador optou pela convocação em comum acordo com os jogadores.

Confira a lista dos 19 relacionados:

Goleiros: Casillas, Adán e Dudek;
Defensores: Sergio Ramos, Arbeloa, Pepe, Ricardo Carvalho, Garay e Marcelo;
Meio-campistas: Lass Diarra, Xabi Alonso, Khedira, Granero, Kaká, Özil e Di María;
Atacantes: Cristiano Ronaldo, Higuaín e Adebayor.

Texto: Globoesporte.com

Por Cleber Aguiar – Entrevista com Felipe do Vasco !

Fonte: O Dia Online

‘Se não vencer o ABC, Vasco volta à estaca zero’, diz Felipe

‘A gente pode manter a empolgação ou zerar tudo o que foi feito. Ser considerado favorito não significa nada’, destaca o Maestro cruzmaltino

POR MARLUCI MARTINS 05.04.11 às 00h06

Rio – Os flashes sobre o maestro Felipe em todos os gols da vitória de 4 a 0 em cima do Bangu não refletiram o coração que batia forte sob a nova camisa preta. Ali estava um marido dedicado, um pai às vezes ausente pelas seguidas concentrações e, também, um filho preocupado.

Felipe não é de misturar as estações. Se fosse, talvez não conseguisse trocar os problemas pelos passes precisos e o gol que marcou no domingo. Seu pai, o ex-taxista Jorge Loureiro, operou recentemente o coração e desde então vem tendo febre atrás de febre.

As idas ao hospital viraram rotina na vida de Felipe, mas ainda sobra tempo para o futebol com os filhos, Lucas, 5 anos, e Thiago, 1. Foi entre um e outro compromisso que o apoiador recebeu a equipe do MARCA BRASIL para uma entrevista em sua casa, na Barra da Tijuca.

“Pai, vou fazer cocô!”, avisou, de algum cômodo da casa, o primogênito Lucas, num berro que invadiu o condomínio feito grito de torcida organizada. “Precisava avisar?”, respondeu, de primeira, Felipe, no mesmo tom alto, entre a reprovação e a ironia.

Com o maestro do Vasco, é assim. Não há uma ação sem reação, um castigo sem resposta. De novo por cima, o ex-jogador do Al-Sadd, que largou o Catar para reviver o amor antigo com o Vasco, ainda traz engasgado na garganta o afastamento que sofreu no início do ano, quando o trem-bala andava fora dos trilhos.

Enquanto ainda busca uma explicação para a injusta punição, Felipe faz do futebol o remédio para calar os críticos e espantar os problemas da vida. Mas nem tudo são flores no mundo da bola: as viagens e concentrações foram o tema da última conversa que teve com o amigo Juninho Pernambucano. “Ele vai sofrer”, disse.

MARCA BRASILH: Já está no melhor da forma física?

FELIPE: Eu já vinha me sentindo bem há alguns jogos. Dessa vez, fiz um gol, o que é coisa rara. Sabe como é… Com o tempo, a gente vai perdendo umas coisas e ganhando outras. Hoje, sou muito mais dedicado aos treinos do que quando tinha 18, 19 anos. Compenso a falta de velocidade da juventude com um bom posicionamento, passe preciso e inteligência.

MBH: Por que no início do Campeonato você disse que iria embora, se a torcida te considerasse o problema do time?

F: Nunca vou estar num lugar em que não sou querido. Nunca pedi a ninguém para ser titular numa equipe. Não vai ser diferente agora, depois de velho. Por isso, não determinei quando vou parar. Estou com 33 anos e, quando não acompanhar mais o ritmo do time, serei o primeiro a dizer que, opa, chegou a minha hora. Já faço parte da história do Vasco e não vou ficar me arrastando. Um jogador não pode manchar tudo o que fez. Não pode virar motivo de chacota.

MBH: Você acha que foi injustiçado?

F: Todo mundo estava chateado com aquela situação, mas tentaram me colocar como o vilão da história. Lembra da minha suspensão? Até hoje não recebi nenhuma explicação para aquilo. Não faltei a nenhum treino. Estava jogando mal? Isso acontece com qualquer um.

MBH: Seu relacionamento com PC Gusmão era bom?

F: Era. Pelo menos, eu achava que era. Agora, se as pessoas agem de um jeito pela frente e de outro por trás eu não sei.

MBH: Afinal, quem foi o responsável pela suspensão?

F: Eu não sei. A melhor pessoa para responder isso é o Rodrigo Caetano. Até agora, também não sei o motivo. Vão falar que foi pra me preservar? Ah, não foi, né? Uma coisa é um jogador ser poupado de um jogo, mas quando afastam o cara estão tentando colocar a culpa nele por algo que não está dando certo.

MBH: Ficou magoado?

F: Deixa pra lá. Em vez de me desmotivar, uma situação como essa só me dá força para que eu queira mostrar quem eu sou. Tenho prazer no que eu faço e levo comigo uma frase do Abel Braga: “Hoje, eu trabalho no futebol. Não dependo do futebol”.

MBH: Tem condição de parar e manter um bom padrão? E a sua família?

F: Agradeço ao futebol por tudo que tenho. Comprei dois mercados da rede Supermarket, que são administrados por meus dois irmãos mais velhos. Fico satisfeito se puder dar estudo e alimentação para meus filhos. Não preciso de muito. Fui nascido e criado em Higienópolis com dificuldade. Dava calote no ônibus e não tinha dinheiro para o lanche.

MBH: Ainda anda por lá?

F: Vou direto a Higienópolis. É passagem. Minha mãe mora lá e, meu pai, no Cachambi. Meus amigos são os mesmos da época em que eu nem era profissional. É a rapaziada que sofreu comigo. Dentro do possível, ajudo os amigos.

MBH: Por falar em amigo, você tem falado com Juninho Pernambucano?

F: Ele me ligou no ano passado para perguntar como estava o Vasco. Como está há mais tempo fora do que eu estava, acho que ele pode sentir muito mais. Conversamos sobre a concentração. Eu disse que será tão sacrificante pra ele como tem sido também pra mim. A gente amadureceu e é responsável. Concentrar é muito chato. Juninho também não gosta.

MBH: Você vai enfrentar o ABC?

F: Vou. Particularmente, não gosto de ser poupado. Odeio fazer fisioterapia, embora não tenha nada contra os fisioterapeutas. Fui poupado porque a viagem era longa e estava com dor na panturrilha.

MBH: Sem você, em Natal, o time não venceu. Acha que há uma dependência?

F: Acho que não. O grupo é forte. O Vasco tem vinte e poucos jogadores que podem ser titulares. Basta a torcida incentivar e deixar o pessoal à vontade. Muitos desses jogadores vêm de equipes de menor expressão e precisam se adaptar. Ou são jovens ainda. Allan e Rômulo têm um futuro brilhante. Do Allan, posso falar porque divido quarto com ele na concentração. Ele tem muita qualidade. Viu a lambreta que ele deu? Não é qualquer um que faz aquilo, não.

MBH: Por que homenageou sua mulher (Carla) no gol que marcou ?

F: Porque minha família sempre esteve comigo, e foram cinco anos no Catar. Vamos completar sete anos de casados no dia 23. Sou um cara privilegiado por ter saúde, fazer o que gosto e poder proporcionar aos meus filhos coisas que não tive na infância. Se bem que eu não trocava minha infância no subúrbio por nada. Meus filhos vão viver num condomínio com segurança, sem soltar pipa, jogar bola de gude e brincar de pique na rua. E a vivência de rua foi fundamental pra mim.

MBH: Por que após o jogo você citou os críticos que o acham velho? Você é discriminado?

F: Ah, já estou muito calejado. Um exemplo: Ronaldo, por ser um ídolo, era tratado como um jogador experiente. Nunca disseram que era velho. Mas, se não gostassem dele, teriam dito que era velho. Os críticos têm uma resistência a mim.

MBH: Por que acha isso?

F: Porque tiram conclusões sem me conhecer.

MBH: Você se considera marrento?

F: Não, mas sou sincero.

MBH: Arrepende-se de algo no futebol?

F: Meu único arrependimento foi, jogando pelo Fluminense, ter dado um soco num rapaz (Marcos Mendes, do Campinense) num jogo da Copa do Brasil, no Maracanã. Fui lá no tribunal e aquilo parecia um circo. Peguei quatro meses de suspensão. O futebol tem dessas coisas. Se é fulano, amenizam. Se o cara é sincero, ferram ele.

MBH: Mas, você não se arrepende?

F: Claro. E me arrependo por não ter feito uma história no Fluminense. Tenho muita consideração pelo Celso Barros, que sempre me tratou com respeito e merecia mais.

MBH: Havia rato nas Laranjeiras, na sua época? E em São Januário?

F: (Risos) Olha, eu nunca vi. Em São Januário, com certeza não tem, porque os gatos estão em tudo que é canto. Mas foi bom ter acontecido esse episódio do rato no Fluminense. Serve de alerta para o futebol carioca, que está muito atrás em estrutura. Não sou nenhum administrador, mas acho que um clube deveria deixar de contratar um jogador que fosse ganhar R$ 80 mil para investir o valor todo mês em melhorias.

MBH: Pensa em ser treinador no futuro?

F: Hoje, não penso. Se um dia eu for treinador, muitos vão gostar de mim porque vou acabar com a concentração. Mas vou ser exigente.

MBH: Está se preparando para encerrar a carreira? Quer parar jogando pelo Vasco?

F: Tenho contrato até o fim de 2012, mas vou parar quando não estiver bem. Se tiver que parar jogando no futebol brasileiro, eu gostaria que fosse no Vasco por causa da minha identificação com o clube. Mas não gosto de falar sobre isso. Vai que daqui a um tempo o Vasco não me quer… Olha, eu sou profissional. Extremamente profissional…

MBH: O Vasco é o favorito ao título da Taça Rio?

F: Hoje, pode-se dizer que é, mas no início do Campeonato a gente era a quarta força. Sabe qual é o lado ruim e bom do futebol? É que na quarta-feira (amanhã) a gente tem a possibilidade de manter a empolgação da torcida ou voltar à estaca zero. Se a gente não vencer o ABC, zera tudo o que foi feito até agora. Essa é a realidade do futebol. Ser considerado favorito não significa nada.

MBH: Como tem sido entrar em campo com o pai internado num hospital?

F: Ele vai sofrer outra cirurgia amanhã (hoje) porque está com febre e os médicos acham que algum ponto inflamou. Eu não misturo essas coisas. Posso estar com o maior problema do mundo, mas entro em campo e jogo o meu futebol. Só espero que meu pai não tenha visto o jogo de domingo. Se viu, deve ter corrido o risco de um enfarte. Aliás, quando eu soube que ele estava todo entupido, não permitia que assistisse aos jogos. Agora, ele vai ficar bom.

MBH: Apesar do problema do seu pai, ficou feliz com o desempenho na goleada sobre o Bangu?

F: Estou muito feliz, não pelo meu gol ou os passes que dei, mas porque é gratificante acordar e ver um monte de gente indo trabalhar com a camisa do Vasco. Sou um cara feliz.

Por Allisson Tiago – Wellington Paulista novo matador do Verdão !

Fonte: Wikipédia.org


Em 2008, Wellington Paulista acertou sua ida, num contrato de 4 anos, para o Botafogo, com ajuda do grupo Ability, que o comprou para o Villa Rio. Fez sua estréia pela equipe contra o Stabæk, da Noruega, pela Copa Peregrino, da qual o Botafogo se sagrou campeão.

Destacou-se durante o Campeonato Carioca de 2008, se tornando rapidamente xodó da torcida alvinegra. Fez gols importantes, na semi-final e na final da Taça Guanabara de 2008, contra respectivamente Fluminense e Flamengo. Chegou a marcar quatro gols num só jogo, contra o Macaé, na vitória do Botafogo por 7 a 0 em confronto valido pelo segundo turno da competição[3], se tornando o maior goleador do Estádio Olímpico João Havelange no geral e em um só jogo.

Na semifinal da Taça Rio de 2008, marcou um dos gols da vitória alvinegra por 3 a 0 contra o Flamengo. Tendo sido depois campeão do turno em cima do Fluminense. O Botafogo perdeu a decisão para o Flamengo, mas Wellington Paulista sagrou-se o artilheiro do Carioca, com 14 gols, sendo também escolhido para a seleção do Campeonato.
Cruzeiro

Após discussões relativas a salários atrasados, o atacante acabou acertado sua ida para o Cruzeiro, em Dezembro de 2008, assinou um contrato com duração até o fim de 2011. Estreou no dia 17 de Janeiro de 2009, em clássico contra o Atlético Mineiro no Torneio Verão, no Uruguai.

Títulos

Juventus-SP

Paulista A2: 2005

Botafogo

Taça Rio: 2008

Cruzeiro

Torneio de Verão: 2009

Campeonato Mineiro: 2009

Artilharias

Botafogo

Campeonato Carioca de 2008: 14 gols
Copa do Brasil 2008: 10 gols