Por Edgar Santista – Boca é eleito o melhor da década na América do Sul; São Paulo é o vice

Federação Internacional de História e Estatística do futebol (IFFHS) classifica os dez primeiros dos anos 2000

 

 

O São Paulo foi eleito o segundo melhor time da América do Sul na década de 2000 pela Federação Internacional de História e Estatística do futebol (IFFHS), que apontou o Boca Juniors em primeiro lugar. Na sequência, figuram o argentino River Plate e os brasileiros Cruzeiro e Santos. A lista dos dez primeiros contém cinco equipes argentinas, quatro brasileiras e o Nacional, do Uruguai.

Veja a classificação:

1. Boca Juniors (ARG) 2.095,0 pontos.
2. São Paulo (BRA) 1.939,0
3. River Plate (ARG) 1.692,0
4. Cruzeiro (BRA) 1.622,0
5. Santos (BRA) 1.567,0
6. Internacional (BRA) 1.469,0
7. Nacional (URU) 1.459,5
8. San Lorenzo (ARG) 1.442,0
9. Estudiantes de La Plata (ARG) 1.370,0
10. Vélez Sarsfield (ARG) 1.367,0

ICFUT – Do Inferno ao Céu com o Corinthians !

Dia 02/02/2011 ( Quarta – Feira )

Derrota na Pré – Libertadores 2011 , por 2×0 para Tolima e eliminação!

03/02/2011 – ( Quinta-Feira )

Muros Pinchados CT Pq. Ecológico !

04/02/2011 ( Sexta-Feira )

 

Pressão da torcida no CT Pq Ecológico

05/02/2011 ( Sábado )

Ônibus do clube é apedrejados por torcedores .

06/02/2011 ( Domingo )

MADRUGADA !

Willian Morais ex jogador do clube, emprestado ao América Mineiro é assassinado durante assalto em Belo Horizonte.


Á TARDE

Timão bate Verdão por 1×0 e respira um pouco aliviado !

ICFUT – Nova musa do Santos FC – Paulistão 2011

Entrevista do Site oficial da Federação Paulista de Futebol

Nome: Camila Braga
Time: Santos
Apelido: Camy
Profissão: Dançarina
Idade: 22 anos
Estado Civil: Solteira

Frase preferida: Com Deus Todas as coisas são possíveis

Seu estilo musical preferido: PAGODE, mas gosto de tudo um pouco…

Suas medidas:
Busto: 92 cm
Cintura: 66 cm
Quadril: 101 cm
Coxa: 54 cm
Altura: 1,63 m
Peso: 60 kg

O Que Significa Ser A Musa Do Seu Time? É uma honra muito grande poder representar o meu time do coração, sou apaixonada desde criança.

Quando Decidiu Participar Da Gata Do Paulistão 2011? Quando minhas amigas e família me incentivaram.

Qual É O Seu Jogador Preferido De Todos Os Tempos? Robinho

Para Você, Qual O Momento Mais Marcante Na História Do Seu Time? O brasileirão de 2002 e 2009, vibrei e me emocionei muito.

O Que Um Homem Tem Que Ter Para Te Conquistar? Atitude, tem que me aceitar do jeito que sou, respeito e ser sincero.

Qual Seu Segredo De Beleza? Auto-confiança! Não faço dieta e estou sempre de bem com a vida!

ICFUT – Ronaldinho faz seu 1º gol pelo Flamengo !

Fonte: Gazetaesportiva.net

Após primeiro gol, Ronaldinho elogia conexão de time e torcida

Macaé (RJ)

O primeiro gol com a camisa do Flamengo deixou o meia Ronaldinho extasiado. O craque, que marcou de pênalti na vitória por 3 a 2 sobre o Boavista neste domingo, elogiou a torcida rubro-negra e seus companheiros de equipe.

“O time está embalando e a torcida também. A conexão está ficando cada vez melhor e vamos trabalhar para que continue assim”, afirmou o jogador, que participou dos 90 minutos da partida e demonstrou cansaço após o apito final do árbitro.

Depois da partida, o camisa 10 do Flamengo recebeu nos vestiários a visita dos músicos do Grupo Revelação. Os pagodeiros são amigos do jogador e aproveitaram um show em Macaé, onde o jogo foi realizado, para parabenizar o meia pela atuação contra o Boavista e o primeiro gol com a camisa do Flamengo.

O próximo compromisso da equipe rubro-negra na Taça Guanabara é no domingo, contra o Resende, no Estádio Raulino de Oliveira.

ICFUT – Botafogo 3×2 Fluminense – Carioca 2011

Fonte: Gazetaesporttiva.net

Botafogo vence o clássico e acaba com invencibilidade do Flu

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Em partida emocionante o Botafogo derrotou o Fluminense por 3 a 2, na noite deste domingo, no Engenhão, interrompeu uma invencibilidade de 14 partidas do campeão brasileiro e assumiu a liderança isolada do Grupo B da Taça Guanabara com 16 pontos ganhos. Já o Tricolor das Laranjeiras caiu para a segunda posição da chave e segue com 15 pontos.

O clássico teve de tudo. Duas expulsões, dez cartões amarelos, muitas reclamações contra a arbitragem. Também houve um pênalti perdido por Loco Abreu que logo depois converteria outra cobrança, ambos batidos com cavadinha. Além disso, o jogo serviu para comprovar a grande fase do goleiro Jéfferson que salvou seu time em vários lances. No Fluminense, o estreante Rafael Moura marcou os dois gols da equipe dirigida por Muricy Ramalho.

Na proxima rodada o Tricolor terá pela frente o Madureira enquanto o Botafogo vai encarar o Macaé.

O jogo – O clássico começou de forma lenta com o Fluminense tentando impor seu ritmo enquanto o Botafogo, mais fechado, tentava sair nos contra-ataques. Com o passar do tempo, o time comandado por Joel Santana foi adiantando sua equipe para impedir que o time tricolor trocasse passes muito perto da sua área. O lateral-esquerdo Márcio Azevedo atuava como verdadeiro ponta para impedir que Mariano tivesse liberdade para apoiar.

Aos oito minutos, depois de cruzamento de Alessandro, Loco Abreu subiu mais do que os zagueiros e cabeceou para fora. O jogo ficou muito equilibrado mas sem que os dois times conseguissem criar jogadas de perigo. Só aos 17 minutos, Loco Abreu foi lançado, mas o goleiro Diego Cavalieri saiu bem e aliviou o perigo. A resposta tricolor veio aos 19 minutos quando Leandro Euzébio aproveitou cobrança de escanteio de Souza e cabeceou por cima do travessão.

O Botafogo se mostrava mais agressivo e aos 22 minutos, Alessandro entrava pela meia esquerda quando foi derrubado. Renato Cajá cobrou com grande categoria no ângulo direito de Diego Cavalieri e marcou o primeiro gol da partida. O Botafogo continuou atacando e aos 25 minutos, Loco Abreu recebeu na área e recuou para Renato Cajá que mandou outra bomba e a bola explodiu no travessão.

Aos 28 minutos, o Fluminense quase empatou. Mariano tabelou com Fred, entrou na área e chutou cruzado, mas o goleiro Jéfferson defendeu com os pés e impediu o gol tricolor. Na cobrança de escanteio, o estreante Rafael Moura subiu mais do que a zaga alvinegra para cabecear e empatar.

O Botafogo pareceu não ter sentido o golpe e aos 36 minutos, Renato Cajá, em nova cobrança de falta, voltou a assustar o goleiro tricolor. Aos 42 minutos, Valencia derrubou Márcio Azevedo. Loco Abreu correu para o árbitro exigindo o cartão vermelho ao volante tricolor. O árbitro advertiu o atacante alvinegro com cartão amarelo e depois expulso Valencia, o que fez Fred empurrar o uruguaio, gerando um princípio de tumulto entre os jogadores das duas equipes.

Aos 44, o Fluminense virou. Após cobrança de falta, Fred resvalou, Jéfferson não conseguiu segurar a bola e Rafael Moura desviou para anotar o seu segundo gol na partida. Logo depois, Marcelo Mattos derrubou Conca e recebeu cartão vermelho, o que gerou mais revolta entre os botafoguenses. O técnico Joel Santana acusou Fred de estar influenciando as decisões do árbitro.

Os dois times voltaram modificados e jogando de forma aberta, sem preocupações defensivas. Aos seis minutos, Rafael Moura puxou a camisa de Loco Abreu na área. O árbitro marcou pênalti. O próprio atacante cobrou, com paradinha, e o goleiro Diego Cavalieri, parado no meio do gol, fez a defesa. Aos dez minutos, Edinho empurrou Bruno Tiago na área. Loco Abreu pegou a bola para bater. E voltou a usar a famosa cavadinha, mas sem dar qualquer chance para Diego Cavalieri. Por contestarem a marcação, quatro jogadores do Fluminense receberam cartão amarelo.

Aos 17 minutos, Herrera fez grande jogada e rolou para Loco Abreu mas Gum dividiu a jogada e impediu o terceiro gol do Botafogo. No minuto seguinte, Renato Cajá enfiou uma bola magnífica para Herrera que entrou na área e encobriu o goleiro Diego Cavalieri, anotando o terceiro gol alvinegro.

Aos 20 minutos, em cruzamento sobre a área. Herrera ganhou da zaga e a bola se ofereceu a Loco Abreu que mandou uma bomba para grande defesa de Diego Cavalieri, evitando o quarto gol alvinegro.

Depois da parada técnica, Muricy Ramalho trocou o meia Souza pelo atacante Araújo para compensar a saída de Rafael Moura. Aos 24 minutos, Conca fez um bom lançamento para Fred mas Antonio Carlos conseguiu chegar primeiro e aliviou o perigo. Aos 26, Alessandro cruzou e Loco Abreu ganhou de André Luís na cabeçada mas o goleiro Cavalieri conseguiu fazer uma boa defesa.

O Fluminense tentava chegar na área através de lançamentos para Fred e aos 30 minutos, o artilheiro ganhou de Antonio Carlos mas cabeceou sem direção. O Tricolor seguiu pressionando e aos 32 minutos foi a vez de Jéfferson se esticar todo para espalmar uma cabeçada de Fred e evitar o gol do empate. Aos 36 minutos foi a vez de Carlinhos bater cruzado e Jéfferson fez outra grande defesa mandando para escanteio. Na cobrança, Gum cabeceou e a bola passou muito perto da trave.

A pressão continuou e aos 40 foi a vez de Conca que bateu forte por cima do travessão. O Botafogo recuou para defender o resultado e tentava prender a bola no ataque. Aos 44 minutos, Carlinhos arriscou de novo e Jéfferson novamente defendeu de forma espetacular, definindo o placar da partida.

ICFUT – Palmeiras 0x1 Corinthians – Paulista 2011

Fonte Gazetaesportiva.net

Corinthians “joga por terror” e ri por último contra o Palmeiras

Helder Júnior e Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

A torcida do Palmeiras recebeu o Corinthians no Pacaembu com um mosaico criativo, ironizando a eliminação do maior rival na pré-Libertadores, com a inscrição: “Ha ha ha”. Quem riu por último neste domingo, no entanto, foi a combalida equipe comandada por Tite. Um dos jogadores poupados da revolta dos corintianos, o lateral direito Alessandro marcou o gol da vitória por 1 a 0, aos 37 minutos do segundo tempo.

O resultado ameniza a crise no Corinthians, que enfrentou uma série de protestos violentos após a vexatória derrota para o colombiano Tolima. A torcida ameaçava durante a semana, em coro: “Ou joga por amor, ou joga por terror!”. O time respondeu dentro de campo, justamente contra o maior rival. O astro Ronaldo, que afirmou em seu Twitter “só jogar por amor”, não estava no Pacaembu porque alegou lesão muscular na coxa direita.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press 

Com grande atuação, Julio Cesar ajudou Corinthians a começar a contornar a crise contra Palmeiras de Kleber

Mesmo sem a vitória, o Palmeiras continua em grande fase no início de 2011, na primeira colocação do Estadual, com 16 pontos ganhos. Já o Corinthians, que agora disputa apenas o Paulistão, tem 9 pontos e dois jogos a menos em relação à maioria dos concorrentes. A equipe dirigida pelo até então ameaçado Tite só havia vencido uma partida na temporada, a estreia contra a Portuguesa.O Corinthians voltará ao Pacaembu na quarta-feira, para tentar acalmar definitivamente seus torcedores com um bom resultado contra o Ituano. Por sua vez, o Palmeiras só atuará no próximo sábado, também no estádio municipal, contra o Americana.

O jogo – Os jogadores do Corinthians pareciam evitar olhar para as arquibancadas do Pacaembu quando entraram em campo. No setor destinado aos palmeirenses, havia uma bandeira da Colômbia, em homenagem ao Tolima, e até o mosaico para caçoar da eliminação na pré-Libertadores, com a inscrição: “Ha ha ha”. Entre os corintianos, alguns ainda estavam revoltados pela queda precoce no torneio continental.

A ordem do técnico Tite, à beira do gramado, era para o seu time tentar deixar os problemas fora do Pacaembu – por mais que os gritos da torcida do Palmeiras fizessem questão de lembrar o rival da crise. Com faixas pretas nos braços, em luto pelo falecimento de William Morais (emprestado ao América-MG, o jovem jogador foi assassinado em Belo Horizonte), o time visitante formou uma roda em campo para também cobrar atenção exclusiva ao clássico.

Logo aos dois minutos, o Palmeiras mostrou que o Corinthians realmente precisava estar focado. O atacante Kleber ajeitou a bola para o meio-campista Tinga, que chutou forte. Um dos poucos atletas poupados da ira dos corintianos, o goleiro Julio Cesar fez bela defesa e pediu para a sua equipe reagir.

O meio-campo corintiano atendeu ao apelo. O volante Jucilei apareceu livre de marcação dentro da área do Palmeiras, mas chutou em cima do goleiro Marcos, ovacionado por causa da intervenção. A partir de então, as duas equipes passaram a se alternar no ataque.

O Palmeiras foi mais incisivo em suas investidas. Aos 24, por exemplo, Kleber desviou para trás uma cobrança de falta de Marcos Assunção e quase abriu o placar. A oportunidade do zagueiro Maurício Ramos, completando 100 jogos pelo clube neste final de semana, foi ainda melhor: ele ficou à frente do gol, sem goleiro, e inacreditavelmente bateu para fora. Torcedores levaram as mãos à cabeça para lamentar. Um senhor até duvidou do que havia visto: “O que aconteceu? Foi isso, mesmo?”.

A pressão do Palmeiras aumentou o nervosismo dos jogadores do Corinthians. O lateral direito Alessandro não se conteve e discutiu com Luan e Kleber, em meio a palavrões, porém não foi advertido com o cartão amarelo. Os palmeirenses não deixaram o adversário impune. “Timinho! Timinho! Timinho!”, gritaram.

Nos minutos finais do primeiro tempo, o Palmeiras ficou ainda mais ofensivo. Kleber, aos 46, obrigou o goleiro Julio Cesar a fazer uma defesa com os pés. O goleiro ainda espalmou uma cobrança de falta do sempre perigoso Marcos Assunção em seguida. Assim que o árbitro encerrou a etapa inicial, ele se ajoelhou no gramado e ergueu as mãos aos céus para agradecer por não ter sido vazado.

O intervalo despertou os protestos dos torcedores do Corinthians, que haviam dado uma trégua ao time até então. Enquanto Tite e seus comandados reclamavam do árbitro, o público avisava que é preciso “ser homem para jogar no Coringão” e pedia a saída do presidente Andrés Sanchez. Quem deixou o campo no segundo tempo foi o lateral esquerdo Fábio Santos (mais uma vez, nulo no ataque e na defesa), substituído por Marcelo Oliveira.

Palmeiras e Corinthians diminuíram o ritmo no início da etapa complementar. Em seu 300º jogo pelo time que levou ao título da Libertadores em 1999, o técnico Luiz Felipe Scolari entrou em ação e colocou Patrik e Adriano nos lugares de Dinei e Tinga. Tite também não esperou muito para mexer em seu ataque, com o recém-contratado Willian na vaga de Edno.

O clássico ficou mais movimentado depois das alterações. Enquanto o Corinthians apostava nas jogadas de bola parada, o Palmeiras tentava chegar ao gol através da velocidade. Mas nenhum dos times criava grandes chances para marcar.

Tite deu a sua última cartada com Morais no lugar de Cachito – neste instante, o ex-titular Bruno César se irritou no banco de reservas e acenou negativamente com a cabeça. Coincidentemente, contudo, o Corinthians conseguiu abrir o marcador logo depois da mudança. Aos 37 minutos, Alessandro invadiu a área do Palmeiras e concluiu na saída de Marcos. Devolveu as provocações aos palmeirenses em sua comemoração. Nos acréscimos, Julio Cesar ainda operou um milagre para sacramentar a vitória e a reação corintiana.