Por Cleber Aguiar _ Ronaldinho Gaúcho na “Farra” !

Fonte: Futebolinterior.com.br

Ainda sem estrear no Fla, Ronaldinho é flagrado na “farra” no Rio
Craque tocou tantan ao lado do compositor Nelson Sargento, uma das atrações do evento

Rio de Janeiro, RJ, 24 (AFI) – O craque Ronaldinho Gaúcho ainda não fez sua estreia com a camisa do Flamengo, mas já está curtindo as noites no Rio de Janeiro. O jogador aproveitou a folga do último sábado para cair no samba. Ele foi visto no Candongueiro, famosa roda de samba de Niterói, cidade da Grande Rio.

Os fãs que encheram a casa puderam “prestigiar” a desempenho musical do craque, que mostrou habilidade com o “tantan”. Ele tocou ao lado do compositor Nelson Sargento, uma das atrações do evento.Apesar de presenciarem Ronaldinho em um momento de descontração, os fãs não puderam pegar autógrafos e muito menos tirar fotos ao lado do ídolo. Os seguranças tentaram impedir que as pessoas tirassem fotografias do jogador na farra.

O ex-atacante do Milan, ao contrário de outros craques, não “regou” sua noitada com bebidas alcoólicas. Durante sua permanência no Candogueiro, que durou das 23 horas até a madrugada, ele foi visto apenas consumindo apenas refrigerante dietético.

Enquanto aproveita as folgas, Ronaldinho ainda está sem previsão de estreia. Nos bastidores, comenta-se que o Fla aguarda apenas o término do contrato com seu atual patrocinador, Batavo, que será no dia 31 de janeiro. Com isso, poderá fechar com algum anunciante exclusivamente para a estreia.

Veja video do Jogador no Candongueiro

Parte 1

Parte2

Parte 3




Por Cleber Aguiar – Dilma recebe Marta meia do Santos e promete ajuda ao futebol feminino !

Fonte: Globo.com

Dilma recebe Marta e promete maior ‘atenção’ ao futebol feminino

Atleta recebeu título de melhor jogadora do mundo pela quinta vez.
Marta presenteou Dilma com uma camisa do Santos, time para o qual joga.

Nathalia Passarinho Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta segunda-feira (24) a atleta Marta, eleita neste mês, pela quinta vez consecutiva, a melhor jogadora de futebol do mundo. Durante a reunião, Dilma prometeu maior “atenção” ao futebol feminino. Marta, que é atacante do Santos, presenteou Dilma com uma camisa do time.

Presidenta Dilma Rousseff recebe camisa autografada pela jogadora de futebol Marta, durante encontro no Palácio do Planalto Presidenta Dilma Rousseff recebe camisa autografada pela jogadora de futebol Marta, durante encontro no Palácio do Planalto (Foto: Roberto Stuckert Filho /PR)

“Atenção ela falou que vai haver. Hoje temos poucos clubes [com times femininos] e a maioria que tem hoje é desconhecida. Tem muita menina boa, mas é complicado para elas por causa das poucas opções de trabalho”, disse Marta. A jogadora disse que ficou emocionada em se reunir com Dilma. O ministro do Esporte, Orlando Silva, e o presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira, também participaram do encontro.

“Foi uma honra, um encontro bacana entre duas mulheres que tiveram que batalhar muito na vida e se sobressaíram. Ela perguntou muito sobre como eu comecei. Queria saber minha trajetória”, contou.

Marta afirmou ainda que convidou a presidente para assistir a um jogo da seleção no mundial feminino de futebol, em junho, na Alemanha. “Ela não confirmou 100% que vai, mas disse que existem muitas chances de ir”, afirmou.

Bola de Ouro
Marta contou que fica no Santos até fevereiro e que negocia contratos para jogar nos Estados Unidos e na Suécia. Questionada, em tom de brincadeira, se daria chances para outras jogadoras ganharem o título de melhor do mundo, a atleta respondeu: “Eu não estou impedindo [outras jogadoras de ganharem]. Estou fazendo a minha parte. Espero que outra brasileira receba o título quando eu parar [de ganhar]”, afirmou bem humorada.

No último dia 10, a jogadora recebeu a Bola de Ouro da Fifa, em Zurique, na Suíça. O prêmio é um dos mais importantes do futebol mundial. O título de melhor jogador ficou com o argentino Lionel Messi.

Na ocasião, Dilma divulgou nota parabenizando Marta. ” A conquista de tantos títulos, e ainda em sequência, é um feito sem precedentes, que enche de orgulho a todos nós brasileiros”, afirmou a presidente, na nota.

O presidente do Santos afirmou, depois da reunião com Dilma, que o time acredita no futebol feminino e disse esperar que Marta permaneça no clube. “Marta é um exemplo e esperamos que ela continue conosco. O Santos acredita no futebol feminino.” Álvaro Oliveira também respondeu a uma pergunta sobre o jogador Neymar. “O Santos segura o Neymar pelo menos até a Copa de 2014”, disse

Por Cleber Aguiar – Jonas acerta com o Valencia da Espanha.

Fonte: Globo.com

Na Libertadores sem o artilheiro do Brasileirão: Jonas deixa o Grêmio

Diretoria surpreende e anuncia a saída do atacante na manhã desta segunda

Por Eduardo Cecconi Porto Alegre

Antônio Vicente Martins, vice de futebol do Grêmio
Vicente Martins mostra o contrato de Jonas
(Foto: Eduardo Cecconi/Globoesporte.com)

Artilheiro do Brasileirão de 2010, à frente de Renato Gaúcho na lista dos maiores goleadores da história do clube e considerado um dos ídolos recentes da torcida. Dados e curiosidades sobre o “Mestre Jonas” que ficaram para trás na manhã desta segunda-feira. Em entrevista coletiva na sala de conferências do Estádio Olímpico, a diretoria do Grêmio provocou surpresa ao anunciar a saída do atacante. Jonas vai para o Valencia, da Espanha, e nem defende o Grêmio na Libertadores.

Jonas teria pago o valor da multa rescisória – aproximadamente € 1,25 milhão (ou R$ 2,85 milhões) – e fica livre para negociar com qualquer clube. Desde o fim do ano passado a diretoria tricolor tentava antecipar a renovação de contrato do atacante, que inicialmente ficaria no Grêmio até dezembro deste ano. As conversas, entretanto, foram interrompidas enquanto os tricolores tentavam em vão acertar-se com Ronaldinho Gaúcho.

Coube ao vice de futebol Antônio Vicente Martins esclarecer a situação, em pronunciamento oficial:

– Estamos aqui para comunicar lamentavelmente que o Jonas está saindo do Grêmio. Ontem ele nos comunicou que está se acertando com um clube espanhol. Estávamos negociando a renovação, que começou com a diretoria anterior. Em troca de uma extensão do contrato até dezembro de 2011, foi estipulado um valor extremamente baixo de multa rescisória para o mercado brasileiro e absurdamente baixo para o mercado internacional. Tomamos conhecimento desse valor, tentamos com isso renovar, criar alternativas que pudessem ser satisfatórias para o jogador. Ele aceitou alguns valores que o Grêmio ofereceu, em determinado momento até abria mão de algumas propostas. O Grêmio aumentou muito, mas surgiu essa proposta vinda da Espanha.

O dirigente reiterou que o Grêmio perdeu Jonas em função da cláusula rescisória estabelecida pela diretoria anterior.

– O Grêmio não está perdendo o jogador pela proposta oferecida, mas pela multa extremamente baixa colocada pela outra diretoria. O Jonas sempre foi correto conosco, mas optou por uma decisão profissional diferente. Tentamos fazer com que ele ficasse até o final da Libertadores, mas não foi possível – disse, para completar:

– Não estou criticando a outra diretoria (do ex-presidente Duda Kroeff), mas a multa estipulada, extremamente baixa. Ficamos à mercê. O Grêmio tem que aprender. Não podemos estabelecer uma multa incompatível com o jogador. Mas sei que também seremos criticados porque ele está saindo nesta gestão. Ele não sai porque não tivemos capacidade de negociação, mas sim pela multa colocada. Se nós fizéssemos uma vaquinha aqui (apontando para os jornalistas) talvez conseguíssemos arrecadar este valor.

Vicente Martins disse ainda que a saída de Jonas explica a manifestação agressiva do jogador, que criticou a torcida do Grêmio ao marcar um gol na partida contra o São José-Poa, na última sexta-feira.

– Não tem relação com a saída dele, mas isso explica alguma coisa. Ele estava sob alto estresse, estava decidindo o próprio futuro. É como aquela pessoa que você pergunta as horas e ela te responde: “mas você não tem relógio?” – concluiu.

ICFUT – Fluminense faz 6 com show de Fred; Botafogo goleia com ajuda de ex-bugrino

Fonte: http://www.futebolinterior.com.br

Tricolor e Fogão dividem a liderança do Grupo B, com seis pontos

Duas grandes goleadas fecharam com tudo o domingo no futebol carioca. No Engenhão com apenas 5 mil pessoas, o Fluminense de Muricy Ramalho tomou sustos durante o primeiro tempo, mas bateu o Olaria por 6 a 2. Já em Cabo Frio, o Botafogo de Joel Santana nem teve dificuldades para fazer impiedosos 5 a 0 no Cabofriense. Os dois times dividem a liderança do Grupo B, com seis pontos em duas rodadas.

Show no Engenhão!
Antes da partida, os tricolores receberam a faixa de campeão brasileiro de 2010. Dentro de campo, eles demonstraram um futebol forte no ataque. Foi um primeiro tempo extremamente divertido para os torcedores. Um jogo muito movimentado, com boas jogadas das duas equipes. Foram cinco gols antes do intervalo.

Aos 11 minutos, Fred começou seu show com um toque de calcanhar para Marquinho abrir o placar. Dois minutos depois, porém, Renan Silva também começou a se destacar. Ele deixou Felipe em condições de empatar com chute colocado. Aos 17, outro bom passe de Renan Silva e pênalti de Valencia em Ivan. Renan Silva converteu.

Nova virada viria. Aos 26 minutos, Fred recebeu de Deco e tocou na saída de Renan. O meia, porém, voltou a sentir dores musculares e deixou o gramado. Renan Silva quase desempatou de novo. Ele entrou pelo meio da zaga, driblou Ricardo Berna, mas Carlinhos salvou em cima da linha. Bom para Fred, que escorou de cabeça o cruzamento de Mariano e recolocou o time tricolor na frente.

Na segunda etapa, o Fluminense resolveu por fim à brincadeira e abriu vantagem. Logo aos dois minutos, Rodriguinho, que entrou na vaga de Deco, desviou de cabeça o escanteio e fez o quarto. Aos 20, Tartá, outro destaque, lançou bem o mesmo Rodriguinho, que fez mais um. Em ritmo de treino, a trupe de Muricy chegou ao sexto. Marquinho cobrou falta com precisão, aos 38, sem defesa para Renan.

E a dificuldade?
O Botafogo construiu a vantagem parcial na primeira etapa do jogo com dois gols contra. E o mais curioso, do mesmo jogador: Goeber colocou a bola para as próprias redes em duas oportunidades. O volante da Cabofriense promoveu dois lances bisonhos. Aos 24 minutos, escorou de cabeça cruzamento pela direita. Seis minutos depois, errou ao cortar outro levantamento, para desespero do goleiro Schneider.

Com a vantagem de 2 a 0, coube ao Botafogo cadenciar a partida. Sem se esforçar, o time do técnico Joel Santana não corria riscos em busca de um terceiro gol. Na volta do intervalo, o treinador da Cabofriense sacou o desolado Goeber, para entrada de Diego Sales. Certamente será um jogo que o volante não se esquecerá.

Dada a comodidade botafoguense, a Cabofriense resolveu atacar um pouco mais. Aos 15 minutos, Felipe aproveitou rebote de Jefferson e colocou a bola para dentro do gol, mas o lance foi anulado pelo árbitro, que marcou impedimento.

Para evitar surpresas desagradáveis, o meia Renato Cajá resolveu a partida com o terceiro gol, aos 30 minutos. Com a vitória consolidada e o adversário entregue, foi fácil para o Botafogo chegar à goleada. Aos 35, Loco Abreu desviou o cruzamento de cabeça e Caio tocou para as redes. E aos 41, novo cruzamento, que o zagueiro Antônio Carlos cabeceou para fazer 5 a 0.

Confira a 2ª rodada do Carioca:

Sábado
América 1 x 3 Flamengo
Volta Redonda 0 x 1 Boavista

Domingo
Resende 1 x 1 Americano
Nova Iguaçu 3 x 2 Vasco
Duque de Caxias 4 x 0 Macaé
Madureira 0 x 1 Bangu
Fluminense 6 x 2 Olaria
Cabofriense 0 x 5 Botafogo

ICFUT – Displicência, calor e pontaria viram vilões de empate brasileiro

Fonte: http://www.terra.com.br

Displicência, calor e pontaria viram vilões de empate brasileiro

Brasil de Neymar não brilhou em seu terceiro jogo no Sul-Americano Sub-20
Foto: Martín Borda/Terra

Fábio de Mello Castanho

O empate por 1 a 1 contra a Bolívia, no último domingo, em Moquegua, deixou um sabor amargo na Seleção Brasileira depois daquela que teoricamente seria a partida mais fácil da primeira fase do Sul-Americano Sub-20. Os vilões escolhidos para o resultado surpreendente passaram pelo clima, pelo estado de espírito do grupo e por falhas técnicas.

Geralmente sereno em suas entrevistas, o técnico Ney Franco desta vez mostrou um pouco de irritação com aquilo que classificou de displicência do Brasil. Na avaliação do treinador, o Brasil entrou muito dono de se si em campo e pecou pela falta de atenção em um jogo em que criou e falhou muito.

¿Nossa equipe foi um pouco displicente. Achamos que poderíamos ganhar a qualquer momento. Tivemos várias chances do jogo, mas não aproveitamos. Poderíamos ter uma performance mais focada¿, afirmou, deixando no ar que o Brasil não tratou a partida com a seriedade que era necessária.

Na defesa, o Brasil mostrou um pouco de insegurança e o gol boliviano saiu após um escorregão de Bruno Uvini. No meio-de-campo, os volantes não atacaram como nos jogos anteriores. O ataque criou oportunidades, mas por quatro vezes parou na trave e por outras inúmeras no goleiro Cárdenas.

¿Eu acho que faltou acertar o pé. Perdemos chances que não costumamos perder. Chances que naturalmente a gente marca nas partidas¿, disse o atacante Diego Maurício, que entrou no segundo tempo da partida e não conseguiu resolver o problema apresentado desde o primeiro tempo.

Por último, houve um incomodo com o calor na cidade de Moquegua. Na hora do jogo, a temperatura chegou à casa dos 30° C e o Brasil mostrou menos desenvoltura do que nos jogos anteriores, disputados durante a noite de Tacna. ¿Estávamos acostumados a jogar à noite. E hoje enfrentamos um forte calor¿, disse Diego Maurício