ICFUT – Capa de revista masculina é empresária de jogador !

Fonte: Futebolinterior.com.br

Capa da Playboy argentina é empresária de jogador do Benfica-POR
Magali Aravena não esconde o jogo e falo tudo sobre o futuro do seu namorado argentino Salvio

Realmente o mundo dos agentes de futebol está cada dia mais excitante. O atacante argentino Salvio, do Benfica-POR, não pode ser conhecido mundialmente pelo seu futebol, mas sim pela sua namorada Magali Aravena, que também é sua empresária.

A beldade é de parar qualquer quarteirão, não é por menos que a musa argentina já foi capa da Revista masculina Playboy. Magali Aravena não esconde o jogo e falo tudo sobre o futuro do seu namorado. Que sorte a do Salvio.

Atualmente, o passe de Salvio pertence ao Atlético de Madrid e o atleta está emprestado ao Benfica. “Mas se não voltar para o Atlético, ficamos aqui no Benfica”, disse a musa. Agora cá entre nós, com Magali Aravena moro até de baixo da ponte e vocês? Veja algumas fotos da Beldade e tirem suas próprias conclusões.

Por Cleber Aguiar – Maradona diz que passou o luto pela Copa 2010.

Fonte: O Estado de São Paulo

Maradona: ”Já passou o luto”

O desastre da Argentina na Copa já foi absorvido pelo ex-treinador da seleção, que quer voltar a dirigir um time

Ariel Palacios – O Estado de S.Paulo

Diego Maradona afirmou a respeito da Copa na África do Sul: “Já passou o luto. Já estou recuperado”. O “Pibe de Oro” (Garoto de Ouro) tenta voltar a ser técnico há sete meses e, até agora, não acertou nada. O ex-treinador da seleção argentina sustenta que a torcida o respaldou após sua saída da equipe, embora diversas pesquisas indicassem que a opinião pública estava a favor de sua demissão categórica. A Argentina deixou a Copa depois de ser goleada por 4 a 0 pela Alemanha, nas quartas de final. “Enquanto estive (na seleção) trabalhei duro e coloquei o melhor time que eu tinha.”

Surpreendentemente, Maradona afirmou estar de stand by para ser chamado como técnico de seleção ou de um time argentino ou estrangeiro. “Estamos vendo a possibilidade de continuar trabalhando. E, quando nos derem a chance, lá estarei”, disse. Confirmou que vai à Inglaterra, mas não para negociar um posto de técnico. Antes de chegar a Londres, contou, vai a Madrid, visitar o neto Benjamín, filho de Yanina, sua filha, com o jogador argentino Sergio Agüero, do Atlético de Madrid.

Maradona descartou a hipótese de ser candidato a deputado nas eleições deste ano, proposta por um grupo de parlamentares aliados da presidente Cristina Kirchner. “Não quero um lugar no governo. Eu sou do povo”. Sua relação com a presidente é boa. Maradona falou que gostaria de “colaborar com o país, mas sem se engajar com uma bandeira política”.

ICFUT – Flamengo no coração de Guiné Bissau !

Fonte: O Estado de São Paulo

Flamengo no coração de um sofrido e pequeno país africano

Por meio de um brasileiro, povo da Guiné-Bissau se apaixona pelo time carioca e tem um pouco de alegria

Mirella Domenich – O Estado de S.Paulo

Através do bairro da Tchada, uma onda rubro-negra começa a avançar por Bissau. Se antes só se falava sobre o andamento dos campeonatos europeus, de um ano para cá o interesse pelo futebol brasileiro vem ganhando espaço na capital da Guiné-Bissau – uma ex-colônia portuguesa localizada na África Ocidental – graças à crescente paixão pelo Flamengo. E agora, com a contratação de Ronaldinho Gaúcho, os flamenguistas da Tchada desfilam ainda mais orgulhosos vestindo o “manto sagrado” – como se habituaram a chamar a camisa do time.

Mirella Donerich/AE

A “invasão” vermelho e preta começou timidamente em janeiro de 2010, quando o carioca Ricardo Rodrigues, de 30 anos, chegou a Bissau para trabalhar como voluntário da ONU (Organização das Nações Unidas). Torcedor fanático do Mengão, ele não perdia – na verdade, ainda não perde – chance de falar para os guineenses, com os olhos brilhando, sobre as glórias de seu time e o entusiasmo da “nação”, como se refere à torcida. Sua frase preferida, que ele repete como um mantra e hoje é usada por vários moradores do bairro, é a seguinte: “Todos nascem flamenguistas, mas alguns degeneram.” E assim, na base da conversa, pouco a pouco a Flamengo foi conquistando simpatizantes na Tchada.

Em junho Ricardo recebeu de seu pai, Donaldo, que mora em Patos de Minas, um pacote com oito camisas do Flamengo. Foi um alvoroço no bairro, e ele teve de fazer um sorteio para decidir os felizardos que ficariam com elas. Com a chegada do “manto”, o time do bairro, que estava inativo havia dois anos por falta de patrocínio para a compra de uniformes, voltou a campo. E batizado como Flamengo de Tchada – em Bissau existe também o Flamengo de Pefine (um outro bairro), que disputa a Segunda Divisão do país e usa o uniforme da equipe carioca da época em que o patrocínio era da Petrobrás.

No fim do ano, Donaldo foi visitar o filho e levou, a pedido dele, mais 30 camisas do Mengão. A nova remessa e as notícias sobre a negociação para a contratação de Ronaldinho transformaram de vez o bairro num reduto rubro-negro. Ricardo teve certeza disso na madrugada do dia 2 de janeiro, quando foi acordado por um barulho vindo da rua. Nuno Mancabú, de 28 anos, bradava ao microfone seu amor pelo Flamengo e tocava um CD com os cantos da torcida que o carioca havia lhe dado. Em pouco tempo a rua estava cheia de gente gritando “Flameeeengo! Flameeeengo!”, para a satisfação de Ricardo, que saiu da cama e se uniu à festa.

Contágio de alegria. Até quem não ligava tanto assim para o futebol foi contagiado pela “Flamengomania”. Decalian Insali, de 24 anos, negro forte que é chamado de “NBA” por só usar camisas dos times de basquete dos Estados Unidos, balançava a cabeça para um lado e para o outro e dizia: “Agora eu entendi o que é ser Mengão”.

Mas não é fácil ser um flamenguista na Tchada. A precariedade na distribuição de energia do país faz com que poucas casas do bairro tenham eletricidade. Por isso, onde não há energia nem gerador – como na casa de Ricardo, por exemplo – é impossível se informar sobre as notícias e resultados do time – as tevês e rádios (principal meio de comunicação do país) locais não transmitem os jogos. Para se atualizar sobre o Mengão, só mesmo pela internet ou pelo canal da Record Internacional.

Camisa pendurada. Para driblar as dificuldades, Ricardo inventou um método para avisar os moradores de seu bairro sobre o resultado dos jogos, que costumam acabar de madrugada no horário de Bissau (hoje o fuso é de duas horas a mais em relação a Brasília e, sem o horário de verão, chega a três) e são acompanhados por ele via internet. Quando pendura a camisa da equipe na janela de sua casa, os torcedores ficam sabendo, assim que acordam, que o Flamengo ganhou. E começam o dia mais felizes.

Contratação do ídolo Ronaldinho Gaúcho é motivo até de desfile

Mirella Domenich – O Estado de S.Paulo

Eram mais de 2 horas quando Decalian Insali, conhecido por NBA (referência aos jogadores fortes da NBA, a liga de basquete norte-americana), desligou a tevê e saiu correndo para a casa de Ricardo Rodrigues a fim de lhe dar a grande notícia. Ao chegar foi barrado por um guarda (todos os funcionários da ONU têm segurança), que não queria deixá-lo passar por causa do adiantado da hora. Então ele disse a frase que serviu como senha para autorizar sua entrada: “Tenho um assunto importante sobre o Flamengo para falar com ele.” Passagem liberada, NBA subiu a escada aos pulos e berrando “o gajo é nosso, o gajo é nosso!” O gajo, no caso, era Ronaldinho Gaúcho, que havia acabado de ser contratado.

A novela sobre a transferência do craque foi acompanhada por algumas notícias nas rádios e, principalmente, pelo noticiário da Record Internacional. E a expectativa pela sua ida para o clube da Gávea logo virou um dos assuntos mais comentados na Tchada.

A confirmação de sua contratação teve efeito imediato no aumento de flamenguistas no bairro. Por causa do imenso prestígio que Ronaldinho tem na Guiné-Bissau, como em praticamente toda a África, muitos moradores que antes torciam pelo Benfica, pelo Porto ou pelo Sporting – os três principais clubes de Portugal – agora engrossam a “nação rubro-negra”.

“O Fla será lembrado por ser a única equipe por onde o império do amor com muito samba já passou”, brinca Nuno Mancabú, jogador do Flamengo da Tchada, em alusão a Adriano, Vágner Love e Ronaldinho Gaúcho.

Desfile. Para comemorar a contratação, os moradores da Tchada improvisaram um desfile pela rua principal do bairro em que carregavam uma faixa com a seguinte inscrição: “Ronaldinho, Guiné-Bissau é Mengão. Estamos contigo”. Um oceano de distância não é nada para os seus fãs.

”O time tem a cor de meu sangue e da minha pele”

Mirella Domenich – O Estado de S.Paulo

O guarda Pedro Na M”berra, conhecido como Baião, de 24 anos, é um dos moradores da Tchada que ganharam a camisa do Flamengo. E, desde que recebeu o presente, vai ao trabalho todos os dias com o “manto sagrado” por baixo do uniforme. Quem o vê falar sobre sua paixão pelo time carioca pensa que ele nasceu flamenguista e foi criado nas ruas do Rio. “O Flamengo tem a cor do meu sangue e da minha pele. Sou rubro-negro até a morte.”

Dois de seus colegas também passaram a ir trabalhar com a camisa de futebol por baixo do uniforme, e um deles já foi multado pelo dono da empresa de segurança no equivalente a R$ 5, porque um dia exagerou e foi trabalhar só com a camisa do Flamengo.

A febre rubro-negra foi responsável por algo que no Brasil parece inimaginável: fazer um corintiano mudar de time. O nome do vira-casaca é Dionísio Dias, um policial de 30 anos que em 2009 viveu seis meses em Brasília. Ele voltou para casa como torcedor do Alvinegro, mas não resistiu à avalanche flamenguista. “Dei minha camisa do Corinthians para um amigo. Agora eu sou Mengo.”

E ele não é apenas um dos muitos novos torcedores do time carioca em Bissau. É também o técnico do Flamengo de Tchada. “O Flamengo do Brasil está ficando cada vez mais conhecido aqui, porque, com o nosso time, divulgamos a nação rubro-negra por toda a cidade.”

ICFUT – Titulares gremistas entram em campo pelo Gauchão antes da Libertadores

Fonte: espn.com.br

As aparências enganam. Grêmio e São José, nesta sexta-feira, vale mais do que uma partida antecipada da quarta rodada do Campeonato Gaúcho. O Olímpico espera ver a primeira vitória tricolor no ano. O jogo, das 20h30 (de Brasília), serve para que os titulares ganhem ritmo de jogo e o elenco chegar empolgado para a disputa da pré-Libertadores. Fatores que, agregados, valem mais do que os três pontos em disputa.

Será a segunda vez que os principais jogadores entrarão em campo em 2011. Antes, os titulares jogaram no empate por 2 a 2 com o Lajeadense, após abrir vantagem de dois gols. Com os reservas, o Grêmio empatou por 1 a 1 com o Ypiranga, na quarta. Esses resultados deixam o Grêmio na quinta colocação da Chave 2.

A falta de ritmo de jogo e o preparo físico abaixo do ideal, graças a curta preparação, foram apontados como os principais fatores para a vitória ter escapado, no fim de semana. Na terça-feira, o time foi derrotado pelo Avaí por 1 a 0, em jogo-treino, no Olímpico. Esta será a última partida dos titulares antes de enfrentar o Liverpool, do Uruguai, pela pré-Libertadores. Uma atuação consistente servirá para animar os jogadores e a torcida, ainda frustrada pela falta de reforços para a equipe.

“Precisamos dar ritmo aos atletas e conquistar os pontos necessários. Vamos torcer para não perdermos ninguém machucado”, explicou o técnico Renato Gaúcho, visivelmente incomodado com a forte sequência de jogos enfrentada pelo seu elenco neste início de temporada.

Com André Lima aparecendo no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, o centroavante poderá atuar pela primeira vez na temporada, assim como o goleiro Victor, recuperado de dores musculares. O meia Lúcio e o atacante Borges, seguem de fora.

Já Vinícius Pacheco, recém contratado, ainda não possui condições legais de jogo. A surpresa na escalação é o volante Mateus Carioca, da base tricolor. O jovem irá atuar pela primeira vez pelo time principal.

Tendo folgado na segunda rodada, por causa da antecipação do jogo contra o Grêmio, o São José vai para a sua segunda partida no Gauchão. Na estreia, empatou por 2 a 2 com o Inter-SM, fora de casa.

Ciente das prioridades da dupla Gre-Nal, o São José montou uma equipe que mescla experiência e aproveita os jovens da base para tentar ser campeão estadual pela primeira vez. No elenco aparecem nomes com Chiquinho, ex-Inter, e Marcelo Labartte, com passagem pelos dois grandes da Capital.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO X SÃO JOSÉ

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data: 21 de janeiro de 2011, sexta-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Vilmar Burini e Maurício Penna

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Gilson; Fábio Rochemback, Matheus Caioca, Maylson e Douglas; Jonas e André Lima
Técnico: Renato Gaúcho

SÃO JOSÉ: Rafael; Marabá, Alexandre, Gustavo e Leandro Maciel; Tairone (Labartte), Zaquel, Glaydson e Lê, Gabriel e Xavier
Técnico: Itamar Schulle

Por Cleber Aguiar – Diogo é anunciado oficialmente!

Fonte: O Estado de São Paulo

Fim de outra novela: Diogo treina no Santos

Atacante chega por empréstimo até o fim do ano e vai receber R$ 150 mil por mês. Ontem, já correu no CT Rei Pelé

Sanches Filho – O Estado de S.Paulo

O Santos confirmou ontem a contratação de Diogo. O atacante foi adquirido por empréstimo até o fim do ano do Olympiacos, da Grécia, por 400 mil (cerca de R$ 900 mil) e terá salário de R$ 150 mil. Se ao final do empréstimo o Santos quiser manter o jogador terá de pagar 7 milhões (R$ 15,4 milhões).

Diogo chega à Vila Belmiro no momento em que a diretoria está sendo pressionada para não vender os seus 60% dos direitos econômicos de Zé Eduardo ao Genoa, da Itália, e para impedir que Maikon Leite respeite o contrato assinado com o Palmeiras, a vigorar depois de 23 de junho.

Em entrevista à Santos TV, o atacante que defendeu o Flamengo no ano passado, disse que ao ver o time jogar, ele fica com vontade de estrear mais cedo. “Estou contente e orgulhoso por pertencer ao clube do Rei Pelé”, afirmou. Ontem à tarde, Diogo correu em volta dos campos do Centro de Treinamento Rei Pelé e deve participar do treino com bola hoje.

O novo atacante santista começou a carreira na Portuguesa, em 2006. Em 2007 foi o destaque na campanha da volta do clube à Série A2 Paulista e no retorno à Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Terminou como o artilheiro do time com 18 gols em 28 jogos. A Lusa foi a terceira colocada da Série B.

Publicidade. O Santos assina hoje à tarde o primeiro contrato de publicidade para a camisa do time. Será com a Netshoes que pagará R$ 5,5 milhões anuais para estampar a sua marca nas mangas das camisas do campeão paulista de 2010. O clube negocia o peito e as costas da camisa com três empresas e pretende arrecadar 24,5 milhões por ano.

A proposta do Genoa pelo atacante Zé Eduardo é de 5 milhões. A transferência deve ser concluída logo que o jogador obtiver o passaporte comunitário e o Santos vai receber aproximadamente R$ 6 milhões.

QUEM É

DIOGO LUIS SANTO
Nascimento: São Paulo, em 26 de maio de 1987
Clubes: Portuguesa (2006-08); Olympiacos-GRE (2008-2010); Flamengo- (2010)
Títulos: Campeonato Paulista Série A2 2007 (Portuguesa); Superliga Grega (Olympiacos) 2008-2009

ICFUT – Dudu, 20, estende luta contra doença rara para o Paulista

Fonte: folha.com

Dudu Próspero, 20, não vê a hora de estrear no Paulista.

Tentou ir a campo anteontem com seu Oeste, no Canindé, contra a Lusa, mas foi vetado pela federação paulista.

Dudu (o 3º da esq. p/ dir, à frente), junto com familiares e amigos no estádio do Canindé

Partiu para Itápolis, onde o Oeste receberá o Palmeiras domingo, e, se a “documentação” dele ficar pronta na federação, já terá uma vitória contra seu adversário: a mucopolissacaridose (MPS).

Dudu é portador dessa doença rara que é caracterizada pela falta de enzimas no organismo. Estudante de direito e palmeirense, ganhou apoio do clube de sua cidade natal para divulgar sua causa no Estadual. A ideia é levar a campo nos jogos do Oeste contra os grandes uma faixa.

“Eu quero viver, luto pela vida” é a mensagem principal. Por trás dela está Regina Próspero, mãe de Dudu, que preside a Associação Paulista de Mucopolissacaridose.

“Quem tem MPS é um paciente perdido. Não tem tratamento reconhecido. Há medicamento para os tipos 1, 2 e 6 da doença, mas não são regulamentados. Os pacientes precisam de liminar para ter o remédio”, diz Regina.

Há 173 portadores de MPS no Estado de São Paulo e 510 no país. A expectativa de vida média deles é dez anos.

“Não há protocolo clínico fechado, lutamos por isso e para que ele não diga que só crianças acima de cinco anos podem tomar o medicamento. Pequenos morrerão sem medicamento”, diz Regina.

Dudu esteve em 2009 no Morumbi, num São Paulo x Vitória, com outros portadores para uma volta olímpica. Foram aplaudidos de pé pelo público, mas pouco mudou.

“Prefiro acompanhar jogos por TV e rádio. No estádio, com minha deficiência visual, não vejo o jogo. Enxergo só luz e vultos”, conta Dudu, que, ao ter a entrada em campo proibida anteontem, ganhou um ingresso do Oeste para ficar na tribuna.

Não pôde levar sua faixa para onde estava, próximo às rádios para ouvir uma narração. A polícia ainda o tirou do lugar porque não era a área para a torcida visitante.

Se a folha de pagamento do Oeste é R$ 400 mil, o custo mensal do tratamento de MPS é R$ 50 mil. Se desvalorizam o Paulista, para Dudu ele não tem preço.”Não vejo pelo tamanho do campeonato, vejo pelo tamanho da ajuda. Isso é mais importante que qualquer coisa”, diz.

ICFUT – Paulistão: Resultados da 2ª rodada

Fonte: http://www.futebolinterior.com.br

Quarta-feira

Ponte Preta 0 x 2 Mogi Mirim
Portuguesa 1 x 0 Oeste
São Caetano 0 x 1 Americana
Santo André 1 x 1 Linense
Santos 3 x 0 Mirassol
São Paulo 3 x 0 São Bernardo
Bragantino 1 x 1 Corinthians

Quinta-feira
Grêmio Prudente 1 x 2 Paulista
Botafogo 2 x 2 Noroeste
Ituano 1 x 4 Palmeiras

ICFUT – Copa SP: Flamengo atropela e está nas semifinais da competição

Fonte: http://www.futebolinterior.com.br

O Flamengo é o último semifinalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Na noite desta quinta-feira, a equipe carioca derrotou o Coritiba, por 6 a 2, no Estádio Major Levy Sobrinho, em Limeira e segue caminhando ruma à decisão da competição.

Na próxima rodada, os cariocas irão enfrentar o Porto Feliz, que derrotou o Pão de Açúcar, na tarde desta quinta-feira, por 4 a 1, no Estádio Nicolau Alayon, em São Paulo. A partida deve acontecer no próximo sábado.

Logo no primeiro tempo, o Flamengo definiu a partida com três gols de Lucas. Na segunda etapa, Guaraci e Bruno diminuíram para o Coritiba. Adryan, duas vezes, e Lorran definiram o placar para o time carioca.

Confira os jogos da quartas-de-final da Copinha:

Quinta-feira
Desportivo Brasil 4 x 1 Pão de Açúcar
Internacional 1 (3) x 1 (4) América-MG
Santos 1 x 2 Bahia
Flamengo 6 x 2 Coritiba

ICFUT – Tirone ” O caro e exagerado não deu certo”

Fonte: O Estado de São Paulo


Arnaldo Tirone, novo presidente do Palmeiras, condena administração anterior, fala em equilibrar as finanças e planeja reviver a filosofia do ”bom e barato”

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

O trabalho no Palmeiras já começou para Arnaldo Tirone. Eleito presidente na noite de quarta-feira, o empresário de 60 anos passou o dia, ontem, se informando da real situação do clube. É apenas um início de leitura de documentos oficiais e conversas para saber como trabalhar nos próximos dois anos. Mas ele já sabe o que fazer: “A primeira coisa é organizar e equilibrar a administração”, falou Tirone, cuja administração pelo menos no campo começou bem: o Palmeiras goleou o Ituano por 4 a 1 à noite.

Pituca, como também é conhecido, quer enxugar a dívida que imagina ser de mais de R$ 150 milhões (Luiz Gonzaga Belluzzo diz ser R$ 90 milhões) e diminuir a folha salarial do clube – o departamento de futebol gasta em média R$ 10 milhões/mês.

Tirone recebeu o apoio de três ex-presidentes. Mustafá Contursi, Affonso Della Monica e Carlos Facchina. Mustafá é o mais polêmico de todos. Foi com ele que o time conseguiu as maiores glórias, com os lucros da parceria com a Parmalat que rendeu vários títulos, o principal deles o da Libertadores. Foi também com ele que o Palmeiras colocou o chamado “bom e barato” em prática, economizando dinheiro na formação da equipe. E Tirone deve adotar a mesma filosofia.

“O bom e barato foi uma tentativa válida, mas o caro e exagerado também não está dando certo”, disse. O presidente se refere às últimas contratações, que têm causado um rombo aos cofres do clube: Luiz Felipe Scolari, Valdivia, Vagner Love, Kleber, Lincoln e tantos outros.

Tirone promete um mandato bem diferente do de seu antecessor. Na sua opinião, Belluzzo errou em várias frentes e servirá como exemplo. “O Belluzzo tentou uma administração agressiva, investindo em todas as áreas, mas não deu certo. Não temos mais espaço para o erro – o erro financeiro, do descontrole, do deslumbramento, isso não vai mais acontecer. Não vou fazer fantasia”, garantiu. “Temos de fazer uma reflexão de tudo e colocar uma meta de trabalho. Não temos orçamento porque já foi tudo usado”, afirmou, lembrando que o clube recebeu adiantadas as cotas do Estadual e do Brasileiro dos próximos anos.

Roberto Frizzo, eleito 1.º vice com larga vantagem (168 votos, diante de 78 de Seraphim Del Grande e 18 de Osório Furlan), também avisou que o Palmeiras terá de ter os pés no chão. “Temos de buscar o que o clube puder pagar”, afirmou. “Isso tem de ser visto com equilíbrio e viabilidade porque o clube está desgastado financeiramente.”

Força política. A eleição deu poder total à chapa de Tirone. Além de os quatro vices terem sido eleitos (Evaldo Frasson Teixeira, Mário Giannini e Walter José Munhoz completam o quarteto com Frizzo), 14 dos 15 escolhidos para o Conselho de Orientação Fiscal (COF) fazem parte do mesmo grupo.

O fato mostra não apenas a força da até então oposição, mas também um descontentamento com Belluzzo. E deve dar dias de paz para Tirone trabalhar. “O conselheiro respondeu ao que estava acontecendo no clube, o Palmeiras estava precisando de uma virada”, declarou Tirone.

O novo presidente diz que vai pedir opiniões aos ex-presidentes, mas garante que quem manda, agora, é ele. “Com 60 anos ser marionete é brincadeira, quem vai decidir meu trabalho é minha consciência.”

Desempenho no Paulista vai definir o futuro de Felipão

Mau desempenho no Estadual deve encerrar ciclo do treinador no Palestra Itália. Mas, por enquanto, ele vai ter paz

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

O Campeonato Paulista será uma espécie de laboratório para o Palmeiras. Luiz Felipe Scolari e o resto do elenco seguirão normalmente em seus cargos por enquanto, mas um mau resultado no Estadual acarretará uma série de mudanças no clube.

As alterações na diretoria não são nenhuma novidade. Roberto Frizzo, 1.º vice, comandará o departamento de futebol. Arnaldo Tirone ainda estuda quem colocar no marketing, na administração e em outras alas. Na quarta-feira, muitos dos diretores da gestão Belluzzo se desligaram dos seus cargos.

No futebol, a ordem é deixar as coisas como estão. Ao menos abertamente, o discurso de Tirone é de apoio. “Nós vamos dar força para essa comissão técnica, estou com expectativa boa no trabalho do Felipão”, falou. “No primeiro momento não vamos atrapalhar o trabalho de ninguém, só observar.”

Essa observação, no entanto, durará pouco. O Estado apurou que muitos membros da diretoria já queriam mudanças imediatamente, mas acharam melhor dar um tempo para Felipão mostrar o seu trabalho. Se o time for mal no Paulista, o treinador deve ser um dos primeiros a cair. Lincoln, que pouco mostrou em 2010, também tem prazo curto.

Essas possíveis mudanças seriam para justificar o corte nos gastos. E outra reclamação dos novos diretores é com a ação dos agentes. Um deles anda irritado com o trabalho de Roberto Tadeu, que teria recebido R$ 500 mil do Palmeiras apenas pela tentativa de trazer Ronaldinho Gaúcho para o clube.

O trabalho de Felipão à frente do Palmeiras ainda não agradou a ninguém. O time fracassou na Copa Sul-Americana (perdeu para o Goiás nas semifinais) e não conquistou a tão sonhada vaga na Libertadores deste ano – no Brasileiro, ficou em 10.º. Ganhar o Paulista pode ser a única salvação.