ICFUT – Árbitras do Futebol Paulista fazem sucesso !

Fonte: Portal Uol

Árbitras do Paulistão lidam com cusparada, ameaça de cartola e assédio da Playboy

Luiza Oliveira

Maria Elisa não entra em campo sem maquiagem. Tatiane não esquece o gel do cabelo e Regildênia limpa as chuteiras até com água mineral. Mais que a vaidade, essas mulheres têm em comum uma profissão bem masculina e, em campo, precisam esquecer o lado ‘mulherzinha’ para se impor como árbitra de futebol.

Além de conciliar duas profissões, elas convivem com as adversidades do jogo: xingamentos constantes da torcida, cobrança da imprensa diante de erros e situações mais complicadas como cusparadas e ameaças de dirigentes.

Árbitra assistente há dez anos, Maria Elisa Correia aprendeu a conviver com os percalços e ainda foi alçada ao posto de musa. A assistente foi convidada para posar nua na Playboy, em 2008, após a mais famosa das colegas, Ana Paula de Oliveira, trilhar o caminho e sair na capa da revista. Mas Maria Elisa manteve o foco no trabalho e não aceitou o convite, apesar de admitir ter ficado lisonjeada.

“Um dia te colocam como musa, um dia não vão colocar. Eu já achava que poderia acontecer por causa da Ana Paula, mas nem pensei em estudar a proposta. Não é minha linha de trabalho. Fiquei envaidecida, é bom te acharem bonita, mas não me iludo com isso”, disse ela, que reconhece a vaidade e não dispensa salto alto e maquiagem no dia-a-dia.

Maria Elisa concilia a carreira com a de professora de Educação Física em Ituverava, no interior de São Paulo. A bandeira tem chancela da Fifa e está acostumada à pressão dos clássicos paulistas. É com perfeccionismo que procura crescer. Ela grava todos os seus jogos para observar posteriormente e se orgulha das poucas falhas na carreira.

Porém, já foi vítima da linha tênue que separa acertos e erros. Na final do Paulista de 2010 entre Santos e Santo André, Maria Elisa assinalou impedimento num gol legal do time do ABC. “Eu errei, me cobro muito, mas bola pra frente. Em dez anos de carreira, talvez tenha três erros de que as pessoas se lembram. Por ser um meio masculino, acho que dão mais ênfase aos erros das mulheres”, ponderou.

Tatiane Saciloti ainda vai entender essa pressão. Em 2011, fará sua estreia na Série A1 do Paulistão como assistente, mas já com a bagagem adquirida ao longo dos sete anos que passou nas divisões inferiores.

Na Série A2, em uma partida do Velo Clube, ela teve de sair de campo com a camisa toda molhada por causa das cusparadas da torcida, mas manteve a concentração e terminou o jogo normalmente. O momento mais tenso da carreira, no entanto, foi ser ameaçada pelo dirigente de um clube do interior, que chutou a porta do vestiário após a partida e ameaçou: “você não sai daqui viva”.

Apesar de ter apenas 24 anos, ela fala com naturalidade e admite que interferir no resultado é o pavor de qualquer árbitro, além de jamais rever um lance no intervalo e de, muitas vezes, faltar convicção nas marcações de impedimento. “Bate a dúvida, mas não dá para pensar em nada. Tenho que decidir e pronto. Em três segundos”.

Quem fatalmente irá passar por esse tipo de polêmica no Paulistão-2011 é Regildênia de Holanda Moura. A central trabalhará como árbitra adicional atrás do gol na nova função criada para ajudar em lances polêmicos na grande área.

Mas ela não se intimida, ao contrário, gosta do desafio. Prova disso é que está entre as três únicas árbitras centrais do quadro da Federação Paulista de Futebol para apitar o estadual. Para se impor diante dos homens, ela deixa o alegre jeito nordestino de lado e incorpora a cara sisuda.

“Acho que as mulheres preferem bandeirar porque se intimidam no centro do campo. Não vou me achar a menininha do jogo, não fico melindrada. O cara vai testar e preciso ser forte. Mas é gostoso quebrar tabus, vencer algo mais difícil. Parece droga, veneno na veia”, afirmou.

Regildênia escolheu ser central justamente por causa de um homem, o ex-marido, que a aconselhou dizendo que era mandona e autoritária demais. Ela leva a profissão tão a sério que decidiu não ter filhos, tampouco outra atividade.

Agora, terá um ganho financeiro importante, já que um árbitro central da Série A1 ganha cerca de R$2 mil por jogo, enquanto o assistente recebe R$1 mil. Na Série A2, os valores caem praticamente pela metade e diminuem proporcionalmente de acordo com as divisões. Compensação para quem tem a dificil tarefa de aliar a vaidade feminina à firmeza para conter atletas, torcedores e dirigentes raivosos.

ÁRBITRA RECEBEU CANTADA DO SUB-20

  • Fernando Donasci/UOL
  • Fernanda dos Santos interrompeu a carreira para ter seu segundo filho e agora concilia a vida de mãe com a de árbitra central. Por ter ficado afastada, ela recomeçou nos torneios das categorias de base como Copa São Paulo de futebol júnior, sub-20 e até sub-11 e sub-12.A bandeira usa instinto maternal para lidar com os garotos do infantil e até ensinar, mas quem dá trabalho mesmo são os atletas do juvenil. Segundo Fernanda, eles são abusados nas cantadas.

Por Cleber Aguiar – Futebol também tem suas perdas com a tragédia no rio.

Fonte: Folha Online

Futebol também é vítima das enchentes na região serrana do Rio

DANIEL BRITO
DE SÃO PAULO

As primeiras pessoas chegaram à casa de Márcio Guindani Soares, 30, em uma região plana da cidade de Nova Friburgo (RJ), na madrugada da última quarta-feira.

Eram parentes atingidos pela forte chuva que devastou a região serrana do Rio, matou mais de 650 pessoas e deixou mais de 16 mil desabrigados e desalojados.

Com uma casa grande, confortável e fora de risco, adquirida com o dinheiro que recebe como jogador de futebol, Márcio acolheu membros da família dele e da mulher, Soraia, com quem está casado há seis anos.

Daniel Marenco-17.jan.2011/Folhapress
TERESÓPOLIS, RJ, BRASIL, 17-01-2011, 18h00: Arquibancadas do Estádio Antônio Savatonne, pertencente ao Teresópolis Futebol Clube. Com as fortes chuvas que castigaram a região os times da região também acabaram sendo prejudicados no calendário esportivo. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress, COTIDIANO)
Estádio Antônio Savatonne, campo onde o Teresópolis manda seus jogos

Márcio é volante do Friburguense, time que disputará, a partir de 13 de fevereiro, a segunda divisão do Campeonato Estadual do Rio.

O jogador é conhecido como Bidu e já vestiu a camisa de times como Avaí e Brasiliense. Ainda teve uma rápida passagem pelo Botafogo.

“Estou abrigando 15 pessoas na minha casa. Vão ficar lá por tempo indeterminado”, disse Bidu. “Eles [parentes] estão só com a roupa do corpo. Não conseguiram salvar muita coisa da enxurrada”, afirmou o volante.

No município vizinho, Teresópolis, o roupeiro do time que leva o nome da cidade perdeu cinco membros da família na enchente. Na família da mulher dele foram 11.

Como o time está em formação e os membros da equipe, incluindo atletas e comissão técnica, não são moradores de Teresópolis, eles não foram alvo da fúria das águas. Mas presenciaram o terror causado pela chuva.

“Acordei de madrugada com um barulho absurdo. Parecia chuva de tijolo na nossa cabeça”, declarou Marquinhos Curtição, treinador do Teresópolis, equipe que também disputará a segunda divisão estadual.

O temporal começou na noite de terça passada, e os primeiros mortos foram identificados no dia seguinte.

Em Nova Friburgo, o estádio Eduardo Guinle, que pertence ao Friburguense, também serve como heliporto. Foi lá que a presidente Dilma Rousseff pousou quando visitou áreas afetadas pela enchente, na semana passada.

O amistoso contra o Americano, preparatório para o Estadual, marcado para amanhã, foi cancelado, e os jogadores foram liberados.

Um ginásio utilizado pelo clube, o Celso Peçanha, faz as vezes de necrotério.

O gerente de futebol da equipe, José Eduardo Siqueira, está em contato com cidades vizinhas, que não sofreram com as chuvas, para o time concluir sua preparação para o campeonato.

O meia Marquinhos, que defende o time, contou que a água invadiu a loja de sua família, que vende material de construção na cidade, e levou o caminhão de carga.

Ele é irmão do lateral direito Rafael Galhardo, que disputa o Sul-Americano do Peru com a seleção sub-20.

Por Cleber Aguiar – Irmãos de jogadores viram empresários de sucesso !

Fonte: Folha Online

Irmãos de atletas abraçam emprego familiar e ganham espaço como empresários no futebol

ADRIANO FERNANDES
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
RAFAEL REIS
DE SÃO PAULO

A fama e o dinheiro ganhos por um jogador de futebol costumam alterar a vida de toda a família. E, em alguns casos, até criam novas carreiras para familiares.

O empresário do momento, Roberto de Assis, é irmão do seu principal agenciado, Ronaldinho. Além do caçula, agora jogador do Flamengo, ele é o responsável pela carreira de outros atletas. Em geral, jovens que ele tenta emplacar no futebol do exterior.

Antonio Lacerda – 6.jan.2011/Efe
Ronaldinho (dir.) e o irmão e agente Roberto Assis (esq.)
Ronaldinho (dir.) e o irmão e agente Roberto Assis (esq.)

Assis não é figura única. Os bastidores do futebol convivem com muitos agentes que, embarcando no sucesso de seus irmãos em campo, tentam alçar novos voos na carreira de empresário.

Daniel Pereira é sempre procurado por pais de meninos maranhenses interessados em fazer carreira no futebol. Ele é irmão e empresário do atacante Kléber Pereira, que foi artilheiro do Brasileiro de 2008 e é considerado um dos melhores jogadores maranhenses da história.

“Eles sabem que eu conheço muita gente [de clubes]. Mas ainda não encontrei nenhum garoto que me enchesse os olhos”, conta o agente, que procura um clube para seu irmão, desempregado desde que saiu do Vitória.

Para Daniel, a carreira de Kléber tem grande influência sobre a família. “Todo mundo depende dele, ele ajuda a maioria de nós”, afirma.

Um agente que graças ao irmão já conseguiu negócio com outros jogadores é Renato Abonízio, irmão do zagueiro Edu Dracena, do Santos. Abonízio agencia a carreira de outros atletas, que estão nas categorias de base.

Ele diz que recebe 10% de todos os contratos que fecha para o irmão, mas não cobra nada dos meninos que estão começando. “Não acho justo”, afirma. “Depois, quando eles tiverem um contrato melhor, quem sabe…”

PLANO DE METAS

Irmão do atacante Jonas, do Grêmio, o empresário Tiago Gonçalves interrompeu a entrevista para atender a uma ligação de negócios.

“É um atleta de bom nível, de boa estatura”, afirmava ele, descrevendo um dos seus agenciados a um clube à procura de novos talentos.

Ele tem em seu cardápio três jovens de sua cidade, Taiúva, no interior de São Paulo. Diz que sempre traça um plano de metas para eles. “O mundo do futebol cria uma certa ilusão na cabeça desses jovens”, justifica.

Gonçalves, que é advogado, pretende dedicar a maior parte de seu tempo à carreira de empresário de jogador.

Se Jonas ficar no Brasil –ele tem propostas do exterior, e seu futuro está indefinido no Grêmio–, Gonçalves vai mudar definitivamente de atividade ainda neste ano.

“Se não fosse o meu irmão, eu jamais pensaria em ser agente de jogador”, afirma o empresário. “Tenho que aproveitar esse período em que o Jonas está em alta.”

Por Cleber Aguiar – Tuta pode jogar no futebol carioca !

Fonte: Futebolinterior.com.br

BOMBA! Tuta, ele mesmo, deve ser anunciado como reforço do Resende
O experiente atacante já vem treinando com o restante do elenco

Restando dois dias para estrear no Campeonato Carioca, o Resende está muito perto de acertar com um reforço de peso para a temporada 2011. Trata-se do experiente atacante Tuta, que acumula passagens por grandes clubes do futebol brasileiro.

O técnico Paulo Campos confirmou que restam apenas alguns detalhes para que a negociação seja concretizada. Tuta está treinando com o restante do elenco e também foi lançamento dos novos uniformes do Resende no último final de semana.”Ele é um atacante experiente e deverá ser um reforço que vai qualificar ainda mais o grupo. Faltam algumas pendências a serem acertadas e esperamos contar com ele o mais breve possível. Tuta pediu para treinar com o grupo e fez questão de ir ao lançamento dos novos uniformes mesmo antes de assinar. Isso mostra seu comprometimento”, comentou o treinador.

Tuta tem 36 anos e deve ser anunciado oficialmente como o mais novo reforço para o Campeonato Carioca. Em sua carreira, o atacante acumula passagens por Flamengo, Fluminense e São Caetano.

Por Cleber Aguiar – Eleições no Palmeiras !

Fonte: O Estado de São Paulo

Decepção marca fim da gestão Belluzzo

Palmeiras elege amanhã substituto do economista, que era a esperança da torcida, mas encerra mandato sob críticas, sem título e com finanças instáveis

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

Há pouco mais de dois anos, o Palmeiras estava em situação complicada, mas o torcedor festejava. Surgia uma luz no fim do túnel e a expectativa de dias vitoriosos. Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, renomado economista e, acima de tudo, apaixonado palmeirense, assumia a presidência aceitando a missão de recolocar o time nos eixos. Nos primeiros meses, chegou a distribuir autógrafos. Agora, deixa o posto com alguns inimigos e uma gestão considerada fracassada pela maioria de conselheiros e torcedores.

Amanhã, na Academia de Futebol, cerca de 290 conselheiros escolherão o presidente que o substituirá. Belluzzo não manifestou sua preferência, mas pessoas próximas dizem que ele votará em Paulo Nobre. Salvador Hugo Palaia reclama abertamente da postura de Belluzzo – o atual 1.º vice-presidente gostaria que o amigo lhe desse apoio, como teriam combinado dois anos atrás. Lucrando com o racha na situação, Arnaldo Tirone, da oposição, chega como favorito.

Nenhum dos três candidatos assumirá o cargo com o rótulo carregado por Belluzzo em 2008, o de “salvador”. Na prática, não foi o que houve. O dirigente de 68 anos deixa o poder sem títulos, com a economia do clube instável e com o prestígio arranhado. “Tenho pena de quem assumir o Palmeiras”, diz Palaia.

Não se pode dizer, no entanto, que o presidente não se esforçou ou poupou dinheiro para formar um time ganhador. Mas as contratações não deram resultado. Em 2009, fracasso no Paulista e na Libertadores. No mesmo ano, após surpreendente anúncio da Traffic de que não negociaria nenhum atleta durante o Brasileiro, todos imaginavam que a hora de uma grande conquista havia chegado. Mesmo com Muricy Ramalho (que substituíra o também caro Vanderlei Luxemburgo) no comando, a equipe que liderou boa parte da competição patinou na reta final e não alcançou nem a vaga na Libertadores. Os altos investimentos não tiveram retorno e as finanças, consequentemente, sofreram forte abalo.

Belluzzo seguiu otimista com o time. O ano passado, porém, foi ainda pior – para esquecer. “Claro que foi uma grande decepção pelo que se esperava dele”, comenta Paulo Nobre.

A amigos, Belluzzo diz serem injustas as críticas à sua gestão. Alega ter pago mais de R$ 40 milhões em débitos fiscais e iniciado as obras da Arena Palestra. Mas até do lado financeiro as cobranças são muitas. Os últimos balancetes foram reprovados pelo Conselho de Orientação Fiscal, atrasos no pagamento de direitos de imagem de alguns atletas foram recorrentes e, até novembro, o departamento de futebol tinha dívida de R$ 9,5 milhões.

O Estado vem tentando ouvir Belluzzo há semanas, mas a assessoria do Palmeiras afirmou que o dirigente só vai se pronunciar depois do pleito de amanhã.
DOIS ANOS COMPLICADOS

Principais contratações:

Kleber, Lincoln e Valdivia.

Técnicos no seu mandato:

Vanderlei Luxemburgo, Muricy Ramalho, Antônio Carlos Zago e Luiz Felipe Scolari.

Fracassos nas 4 linhas:

Em 2009, chegou à semifinal do Campeonato Paulista, caiu nas quartas da Taça Libertadores e terminou em 5º do Brasileiro. Em 2010, acabou o Estadual em 11º, perdeu para o Atlético-GO na Copa do Brasil, passou vergonha contra o Goiás na semifinal da Copa Sul-Americana, e no Brasileiro ficou apenas em 10º.

Extracampo

Belluzzo provocou polêmica com suas declarações. Em uma delas, em festa da Mancha Verde, disse: “Vamos matar os Bambis (referindo-se ao São Paulo, em 2009)”. No ano passado, sofreu um problema no coração, foi operado e ficou 3 meses afastado. Foi também na sua gestão que o Palmeiras fechou contrato para a construção da Arena Palestra.

”Sem pacificação, o clube não vai para a frente”

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

Salvador Hugo Palaia
Um dos candidatos da situação à presidência do Palmeiras

Quais seus planos de governo?

Minha 1.ª atitude, como vencedor ou não, será trabalhar pela pacificação. Sem isso, o Palmeiras não vai para a frente. Vamos criar o departamento orçamentário, que será responsável por acompanhar as contas de cada departamento, e manter o Conselho Gestor.

O senhor fala em pacificação, mas tem disparado contra o Paulo Nobre. Como pedir paz?

Minha declaração é sobre o candidato que rachou a situação. Conforme um acordo anterior, com o próprio Belluzzo, o candidato natural da situação seria o Salvador Hugo Palaia. Eu até ofereci a ele o cargo de 1.º vice, mas ele não aceitou.

Com a situação rachada, o Arnaldo Tirone é o favorito?

Isso eu só falo depois da eleição. Mas, evidentemente, ele ganhou uma forcinha a mais. Eles estão unidos há dois anos.

Quais os pontos positivos e negativos da gestão Belluzzo.

Ele trouxe recursos para o Palmeiras, mas delegou poderes para quem não tinha condições. Não tomou a atitude que eu tomei, de demitir o departamento de futebol. Durante 4 anos, eles deixaram nas costas do Palmeiras dívida de mais de R$ 150 milhões, contrataram 96 jogadores, com uma folha salarial de R$ 6 milhões. Como pagar 45 jogadores com apenas 22 deles tendo qualidade para vestir a camisa do Palmeiras? É isso que tem de rever.

Está otimista em ganhar?

Sou Palmeiras acima de tudo. Quem é que vença, meu 1.º ato vai ser dar as mãos, me colocar à disposição do clube.

”Se eleito, vou herdar um problema”

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

Arnaldo Tirone
Candidato da oposição
Quais seus planos de governo?

Vamos reorganizar o clube e equilibrar a parte financeira. A prioridade é o futebol. O clube tem administração inchada, com cerca de 700 funcionários. O Palmeiras tentou crescer, mas foi descontrolado. Fizeram contratações que até eu faria, mas no momento errado. Temos de conseguir recursos novos, por meio dos projetos de marketing.

O senhor é marcado por ter ligação com Mustafá Contursi. Isso atrapalha? Ele terá um cargo de diretor?

Como colocar um ex-presidente como diretor? E eu tenho minha história aqui dentro, não será o Mustafá que vai determinar o que vou fazer.

Mas dizem que, com o senhor no cargo, o Mustafá poderá voltar ao poder também…

Tem gente colocando uma coisa que não é verdade. O Mustafá já é conselheiro atuante no clube. E seu eu fizer algo de errado ele vai me criticar.

O departamento de futebol tem uma folha salarial de cerca de R$ 6 milhões mensais. É muito?

Não é muito nem pouco, é parecido com a de outros clubes, mas dá pra diminuir.

Como o senhor viu a gestão do Belluzzo?

Ele começou imprimindo um ritmo bom e depois acho que colocou muita emoção. A culpa não é só dele, e sim da diretoria. Como torcedor, eu não fiquei satisfeito.

O senhor pegará uma herança ruim, se eleito?

Vou herdar um problema. Vou enfrentá-lo, mas com o orgulho por ser o presidente.

”Não sou mágico, quero conter a expectativa”

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

Paulo Nobre
Outro candidato da situação, da chamada Terceira Via
Quais os planos de governo?

A primeira coisa a ser feita é separar o departamento social do futebol. Assim, formamos dois grupos, com um diretor financeiro remunerado de cada lado. Só assim podemos conseguir descobrir o vilão da dívida para conter o prejuízo e cortar os gastos desnecessários. Acredito que eu consiga fazer cair de 22% para 12% os juros de nossas dívidas.

E como será seu projeto?

Temos primeiro de saber o que o torcedor valoriza. Um anseio de todos é participar da vida política e escolher o presidente. Minha ideia é ter eleição em dois turnos. O 1.º seria do Conselho Deliberativo, que escolheria dois de oito candidatos, por exemplo. Aí, a Assembleia Geral, formada por sócios do clube e os sócios-torcedores, votaria. Eu vejo hoje que tenho aprovação de 95% da torcida, isso me deixa feliz, mas não cria ilusão. O Paulo Nobre não é mágico. Quero conter essa expectativa.

O que dizer da gestão Belluzzo?

O ponto positivo é que as receitas cresceram neste período. E o negativo é que as despesas acompanharam. Não sei até que ponto ele ficou engessado com compromissos políticos.

É possível acabar com as brigas políticas no clube?

Acho oposição uma coisa saudável. Por mais que você tente acertar, a oposição enxerga defeitos que você não vê. O problema é a maneira que a oposição age. É possível pacificar o clube. Quem ganhar tem de ter a liberdade de convidar qualquer cabeça de outro grupo. É prepotência achar que só tem gente boa do seu lado.

Por Edgar Santista – É NEYMARAVILHA…………….

Mesmo com dois a menos, Neymar dá show, e sub-20 vence o Paraguai  

Sob a batuta do craque, Seleção Brasileira supera nervosismo inicial e vence rivais no Sul-Americano. Equipe tem dois jogadores expulsos

Neymar gol Seleção Sub-20Neymar marca o primeiro gol da Seleção sub-20 no Sul-Americano, realizado no Peru (Foto: Mowa)

Na véspera, Neymar já havia avisado: “assumo a responsabilidade de jogar todo o meu futebol”. Não deu outra. Com uma atuação de gala, o craque marcou os quatro gols da vitória da Seleção Brasileira sub-20 por 4 a 2 sobre o Paraguai, no Estádio Jorge Basadre, em Tacna, no Peru, pela primeira rodada do Grupo B do Sul-Americano da categoria. Mesmo com dois jogadores a menos durante a etapa final, já que Zé Eduardo e Henrique foram expulsos, o time canarinho soube conter o ímpeto dos rivais para somar os primeiros três pontos no torneio.

Na arquibancada, além do apoio dos peruanos, que se encantaram com Neymar, os brasileiros atuaram sob o olhar atento de parte da comissão técnica da Seleção principal, comandada por Mano Menezes. O assistente Sidnei Lobo e o preparador físico Carlinhos Neves observaram a ótima atuação da equipe na estreia da competição, que dá duas vagas para as Olimpíadas de 2012, em Londres, e quatro para o Mundial, em julho, na Colômbia.

Com o resultado, o Brasil assumiu a liderança do Grupo B do Sul-Americano, com três pontos. Na próxima quinta-feira, às 21h10m (0h10m, de Brasília), a Seleção volta a campo para enfrentar a Colômbia, também em Tacna. O Paraguai vai encarar a Bolívia, no mesmo local.

Neymar marca duas vezes e garante vantagem brasileira na primeira etapa

O Paraguai iniciou melhor a partida, tomando a iniciativa do jogo e tentando encurralar o Brasil no campo de defesa. Mas foi a Seleção comandada por Ney Franco que teve a primeira chance de abrir o marcador. Aos seis minutos, Danilo cobrou falta da esquerda para Bruno Uvini. O zagueiro subiu mais dos que os adversários e escorou de cabeça. A bola caprichosamente bateu no travessão do time paraguaio.

A partir da bola na trave, o Paraguai passou a ter mais posse de bola, mas não assustava o goleiro Gabriel. Parecia que os brasileiros estavam ansiosos para imprimir o seu ritmo de jogo e tocar a bola para chegar aos três pontos. Até que aos 25, Casemiro fez uma bela jogada individual, invadiu a área e foi derrubado pelo arqueiro Ovando. Pênalti para o Brasil. Na cobrança, Neymar não desperdiçou e abriu o marcador para o time canarinho. Na comemoração, a “dança do créu”.

Neymar gol Seleção Sub-20Neymar comanda dancinha na comemoração do primeiro gol da Seleção sub-20 (Foto: Mowa Press)

Enquanto os brasileiros vibravam com o gol, o técnico do Paraguai, Adrian Coria, esbravejava com o quarto árbitro. O comandante reclamou do pênalti marcado a favor dos brasileiros.

O gol deu mais tranquilidade à Seleção Brasileira. Não demorou para pintar mais um. Aos 33, Lucas lançou Neymar já dentro da área. O craque da sub-20 deu um belo drible no marcador e chutou para vencer o goleiro Ovando: 2 a 0 Brasil. Dois minutos depois, quase o terceiro. Danilo chutou prensado e o arqueiro paraguaio quase foi enganado com o desvio.

Os gols aguçaram a habilidade de Neymar. O jogador passou a desfilar o repertório variado de dribles que costuma aplicar no Campeonato Brasileiro. A cada lance, os torcedores no Jorge Basadre vibravam e iam ao delírio com o jogador. No último lance da etapa inicial, Lucas cobrou falta da entrada da área e o goleiro Ovando fez uma linda defesa.

Nem expulsão atrapalha segundo ato de Neymar

Neymar gol Seleção Sub-20Neymar comemora fazendo o coração para ostorcedores no Jorge Basadre (Foto: Mowa)

A Seleção Brasileira voltou para a etapa final com a mesma formação. Aos 2, Zé Eduardo levou o amarelo por uma falta no meio-campo. Dois minutos depois, mais uma infração no círculo central e cartão vermelho. O lance despertou o Paraguai, e o técnico Ney Franco, que chamou o volante Fernando para entrar em campo.

Porém, antes da alteração, os paraguaios aproveitaram o descontrole emocional da sub-20 para diminuir o marcador. Após cobrança de escanteio e desvio para o meio da pequena da área, Viera escorou para marcar o primeiro dos paraguaios. Já com Fernando em campo, a Seleção tentou colocar os ânimos no lugar para tentar marcar o terceiro ou segurar o resultado.

Com Casemiro inspirado desde o primeiro tempo, o time começou a tocar a bola no meio-campo e a explorar a velocidade de Neymar, Lucas e Henrique. E foi justamente em uma bola esticada pelo volante que o Brasil chegou ao terceiro gol, aos 15. Lucas ganhou no corpo de um defensor paraguaio e rolou para Neymar. O craque adiantou a bola e dividiu com o goleiro para marcar mais um para a sub-20.

O lance acabou com qualquer tipo de reação do Paraguai. Aos 18, em mais um contra-ataque, Rafael Galhardo, que entrara no segundo tempo na vaga de Danilo, lançou para Neymar pelo lado esquerdo do ataque. O craque invadiu a área, percebeu a saída do goleiro e tocou por cima. Um golaço e delírio no Jorge Basadre.

Ney Franco e Henrique também são expulsos na etapa final

Neymar ainda protagonizou mais uma cena curiosa. Aos 37, ao ser derrubado por um adversário, o jogador abraçou a bola. Três paraguaios o cercaram para dar prosseguimento ao jogo, mas em vão. A torcida agradeceu. Um minuto depois, Montenegro recebeu dentro da área, driblou Gabriel e diminuiu: 4 a 2.

A partir daí, a cada lance de Neymar, os paraguaios caçavam o craque em campo. Mesmo com a violência dos rivais, o jogador não se intimidou com as jogadas mais ríspidas. Inconformado, o técnico Ney Franco reclamou do árbitro e acabou expulso. Aos 41 foi a vez de Henrique. O jogador fez nova falta na entrada da área e levou o cartão vermelho.

No fim, mesmo com dois a menos, o Brasil conquistou os três primeiros pontos no Sul-Americano. Para quem já o conhecia, mais uma atuação de gala do atacante. Para os peruanos que não sabiam quem era: prazer, Neymar!

BRASIL 4 X 2 PARAGUAI
Gabriel, Danilo (Rafael Galhardo), Bruno Uvini, Juan e Alex Sandro; Casemiro, Zé Eduardo, Lucas (Romário), Oscar (Fernando) e Neymar; Henrique. Mario Ovando, Raúl Cáceres, Gustavo Gómez, Diego Viera e Nelson Ruiz (Oscar Ruiz); Diego Benitez, Hernán Pérez, Marcos Gimenez e Ivan Torres (Montenegro); Jorge Ortega (Contrera) e Claudio Correa.
Técnico: Ney Franco Técnico: Adrian Coria
 Gols: Neymar, aos 25 minutos, e Neymar, aos 33 minutos do primeiro tempo; Viera, aos seis minutos, Neymar, aos 15 minutos, Neymar, aos 18 minutos, Montenegro, aos 38 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Danilo, Henrique, Zé Eduardo e Neymar (Brasil); Gustavo Goméz (Paraguai)
Cartões vermelhos: Zé Eduardo e Henrique (Brasil)
Árbitro: Diego Abal (ARG)
Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Francisco Mondria (CHI)
Estádio: Jorge Basadre, em Tacna (Peru)

Fonte: Globoesporte.com

Por Edgar Santista – Peixinho avança na Copinha !

Santos vence o Rio Preto e aguarda por Bahia ou Vitória nas quartas

Mesmo com um a menos, Peixe derrota o adversário por 2 a 1 em São Carlos

Com um jogador a menos durante boa parte do segundo tempo, o Santos derrotou o Rio Preto por 2 a 1, na noite desta segunda-feira, em São Carlos, e se classificou para as quartas de final da Copa São Paulo de futebol júnior. Na próxima fase, o Peixe enfrenta o vencedor do clássico entre Vitória e Bahia, que será disputado nesta terça-feira, às 16h (de Brasília).

O primeiro tempo foi muito bom, com os dois times se atirando ao ataque. E logo aos sete minutos, Kassio acertou uma bomba de fora da área, sem chances para o goleiro Eduardo, que viu a bola passar à sua direita e estufar as redes. Aos 13, Tutu fez boa jogada na entrada da área, tocou com consciência, mas a bola passou a direita do gol santista.

Aos 23, após boa tabela entre Pedro Castro e Dimba, o primeiro chutou de direita e acertou a trave.Aos 33, não teve jeito. Dimba cruzou da direita na cabeça de Pedro Castro, que só teve o trabalho de desviar para o gol: 2 a 0 Santos.

No segundo tempo, o time da Vila continuou mandando no jogo. No primeiro lance de perigo, aos 3, Kassio bateu colocado no ângulo esquerdo de Eduardo, mas o goleiro do Rio Preto fez uma linda defesa e espalmou a escanteio.

Aos 13, gol do Rio Preto: Tiago tocou da entrada da área com categoria, à esquerda de Altemir, deixando o placar em 2 a 1. Pouco depois, Tiago Alves, que havia entrado no lugar de Dimba, perdeu na frente do gol uma ótima chance de fazer o terceiro para o Santos. Pouco depois o lateral-direito Cristian entrou violentamente sobre Assolan, recebeu o segundo cartão amarelo e em seguida o vermelho, deixando o Peixe com dez homens. O lance deu mais motivação ao Rio Preto, que foi com tudo em busca do empate.

Aos 27, Mario arriscou de longa distância e assustou o goleiro santista, mandando a bola raspando o travessão. Cinco minutos depois, Bahia entrou pela esquerda e chutou forte para uma bela defesa de Eduardo. Com o passar do tempo, as duas equipes foram perdendo o fôlego, e o jogo terminou mesmo 2 a 1 para os santistas.

Fonte: Globoesporte.com