Por Cezar Alvarenga – Elias já fala como jogador do Atlético de Madri

Fonte: Yahoo! Esportes

 

Elias está de malas prontas para assinar com o Atlético de Madrid. Na Espanha, o meia terá que lidar com jogadores como Cristiano Ronaldo e Kaká, do rival Real Madrid, e Xavi, Iniesta e Messi, do Barcelona. O confronto com o astro argentino não é novidade para o atleta, que jogou o amistoso da seleção brasileira contra a Argentina, em novembro. Entretanto, o duelo particular foi vencido pelo jogador blaugrana, que marcou o gol da vitória hermana.

“O Messi eu já marquei. Ele fez gol, mas eu não estava perto dele”, brincou. “Vai ser difícil, pois são grandes jogadores. Lá a gente vai ver quem é quem. Aqui eu já marquei grandes jogadores, que estarão na Europa logo mais, como o Neymar”.

O acordo com o time colchonero só será firmado em 3 de janeiro, mas o atleta já fala como jogador do clube. Elias não se preocupa em mudar de país e jogar no futebol espanhol, mas alerta que pode demorar um pouco para se adaptar plenamente.

“Futebol é igual em todo lugar. Ganhei a Bola de Prata no futebol mais competitivo do mundo”, exemplificou, em referência ao prêmio da revista Placar e da emissora de televisão ESPN Brasil por ter sido um dos melhores volantes do Campeonato Brasileiro. “Há uma adaptação ao tempo, ao clima, ao campo, mas isso é normal. Espero me adaptar o mais rápido possível para jogar que nem aqui”, desejou.

Por Cezar Alvarenga – Grêmio oferece plano de carreira para o artilheiro Jonas

Fonte: Yahoo! Esportes

 

Jonas está em alta no Olímpico. A diretoria do Grêmio manteve a palavra e ofereceu um plano de carreira para o seu atacante, nos mesmos moldes do que acertou com o goleiro Victor. O artilheiro do Campeonato Brasileiro analisará a proposta durante o período de férias.

“Tenho contrato até o final do ano que vem, e o pessoal da diretoria vem se reunido com os meus familiares para prorrogar o compromisso. Eles querem fazer um projeto de carreira para mim”, contou Jonas, em meio à entrega do Troféu Mesa Redonda, da TV Gazeta. “Isso será definido após as férias”, confirmou.

De qualquer forma, Jonas dificilmente recusará a oferta do Grêmio. A ideia de deixar o Olímpico não passa pela cabeça do jogador. “Não, não, não. Quero ficar. Devo muito ao Grêmio. Estou à vontade no clube”, disse.

Só um uniforme além do que Jonas já veste é capaz de seduzi-lo: o da seleção brasileiro. “Tive o privilégio de trabalhar com o Mano Menezes no Grêmio. Ele pediu a minha contratação para o clube. Sei que é difícil, até porque tem muita gente de qualidade na minha posição, mas tomara que o Mano me chame para a seleção também”, sorriu o gremista.

Por Cezar Alvarenga – Zé Roberto pode voltar ao Brasil

Fonte: Yahoo! Esportes

 

O meia Zé Roberto, que tem contrato com o Hamburgo até o fim da atual temporada, quer encerrar a carreira no Brasil, onde vários clubes estão interessados em sua contratação.

O empresário do jogador, Juan Figer, afirmou ao jornal Sport Bild que Fluminense, que conquistou o campeonato brasileiro no domingo, Corinthians, Grêmio e Santos estariam interessados em contratar o meia de 36 anos, assim como o New York Red Bulls.

O ex-jogador do Bayer Leverkusen e do Bayern de Munique, que disputou 91 partidas pelo Brasil, foi campeão alemão pelo Bayern em quatro ocasiões.

 

Por Cleber Aguiar – Tv Record vai mudar grade para transmissão do Brasileirão 2011.

Fonte: Folha Online

Mônica Bergamo: Record inclui mudança no horário em proposta de exibição do Brasileiro

Além da oferta milionária que preparou, a TV Record vai incluir em sua proposta para conseguir os direitos de transmissão do Brasileiro-2011 a mudança no horário de exibição dos jogos.

O destaque é da coluna de Mônica Bergamo desta quarta-feira

O novo trunfo da emissora será encaminhado ao Clube dos 13, que reúne os principais times do país, e é um dos responsáveis pela decisão.

A Record quer tirar da TV Globo a exclusividade no direito de transmitir o Nacional. O horário em que a emissora carioca exibe as partidas (22h), depois da novela, tem espantado o público e esvaziado os estádios, o que desagrada, inclusive, os próprios clubes.

A ideia da Record é transmitir os jogos antes das 21h.

Por Cleber Aguiar – Hermanos perdem forças no futebol Sulamericano.

Fonte: Folha Online

Argentina perde talentos e domínio nas competições sul-americanas

RAFAEL REIS
DE SÃO PAULO

Hegemônica no continente na primeira metade desta década, a Argentina perdeu nas últimas temporadas o domínio que tinha nas competições de clubes da América do Sul.

As equipes da terra de Diego Maradona venceram cinco das últimas 11 edições da Libertadores e ganharam quatro títulos nos seis primeiros anos da Copa Sul-Americana.

Rafael Andrade – 06.dez.2010/Folhapress
Dario Conca, do Fluminense, recebe o prêmio "Craque do Brasileirão"
Dario Conca, do Flu, recebe o prêmio “Craque do Brasileirão”

Só que a crise econômica que se abateu sobre a Argentina e a decadência de Boca Juniors e River Plate, maiores forças locais, tiraram boa parte da força do futebol do país.

Na atual temporada, nenhum clube argentino chegou sequer à semifinais da Libertadores.

Na Sul-Americana, o Independiente conseguiu alcançar a final. Mas Banfield e Newell’s Old Boys caíram pelo caminho, diante de adversários estrangeiros. Como comparação, nenhuma equipe brasileira foi eliminada por rival de outro país.

Pior. Os jogadores argentinos de maior destaque na América do Sul nesta temporada não atuam no futebol local, mas sim no vizinho Brasil.

Casos do meias Darío Conca, campeão brasileiro e melhor jogador da competição pelo Fluminense, Walter Montillo, do Cruzeiro, e Andrés D’Alessandro, vencedor da Libertadores com o Inter.

O Independiente serve como retrato do atual futebol da Argentina. Dono de história gloriosa –é o maior campeão da Libertadores, com sete títulos– estava afastado das decisões continentais há 15 anos. Hoje, não terá o atacante Silvera, expulso na partida de ida.

Por Cleber Aguiar – Fracassa a revolução de Eric Cantona !

Fonte: O Estado de São Paulo

Fracassa ”revolução” de Eric Cantona

Ex-jogador havia sugerido que todos sacassem o dinheiro das contas num protesto contra os bancos

A “revolução para acabar com o sistema bancário” proposta pelo polêmico ex-jogador de futebol do Manchester United Eric Cantona, que incitava milhares a retirarem dinheiro de suas contas, parece não ter abalado o sistema financeiro global.

Ontem, em Paris, uma sucursal do Société Generale informou que alguns poucos ativistas sacaram dinheiro de suas contas correntes para, em seguida, depositarem no Credit Cooperatif, com o objetivo de rejeitar os serviços das principais instituições financeiras que foram resgatadas com fundos públicos. Os ativistas atendiam a um chamado feito em vídeo por Cantona em outubro para que todos sacassem seus depósitos no dia 7 de dezembro em protesto contra o sistema bancário.

Mas nem mesmo o antigo atacante de 44 anos esvaziou sua conta. O jogador deixou um exército de câmeras de televisão, fotógrafos e jornalistas esperando por ele na porta de uma agência do BNP Paribas sem aparecer. O chamamento de Cantona, duramente criticado pelo governo, pela oposição, pelo setor financeiro e pela União Europeia, só teve certa popularidade nas redes sociais da internet.

Em nota, a ministra da Saúde e Esporte francesa, Roselyne Bachelot, criticou Cantona e sua mulher. “Eric Cantona fez comerciais para carros, lâminas de barbear. Sua mulher fez propaganda para uma instituição bancária. Acredito que uma pessoa deva ter o mínimo de responsabilidade quando de fato faz louvores à sociedade de consumo.”

A atriz e mulher de Cantona, Rachida Brakin, apareceu em um recente comercial de TV para o Crédit Lyonnais, um dos maiores bancos da Europa.

Relembre um momento polêmico do jogador !

Por Cleber Aguiar – Hoje começa o Mundial de Clubes da FIFA 2010.

Fonte: O Estado de São Paulo

Equipe ‘exótica’ da Oceania abre o Mundial de Clubes

Hekari, da Papua Nova Guiné, onde em muitas cidades não há nem TV, tenta surpreender, hoje, o Al-Wahda, time da casa

Giuliander Carpes – O Estado de S.Paulo

Internacional e Internazionale são os favoritos a fazer a final do Mundial de Clubes, mas a competição começa hoje, às 14 horas (de Brasília, com SporTV), em Abu Dabi, sem as duas equipes. Seis dias antes de o time brasileiro entrar em campo, a atração é o confronto do atual campeão nacional dos Emirados Árabes, o Al-Wahda, com o completo desconhecido Hekari United, da inexpressiva (no futebol) Papua Nova Guiné, da Oceania, no Estádio Mohammed bin Zayed.

Os fãs brasileiros e italianos – além dos mexicanos torcedores do Pachuca, campeão da Concacaf, e dos coreanos do Seongnam, donos do título asiático – prometem invadir Abu Dabi, mas o jogo de hoje, mesmo com uma equipe da casa, não deve atrair muito público. A curiosidade é descobrir do que é capaz a equipe papuásia, que surpreendeu a Oceania ao bater o neozelandês Waitakere na final da competição continental e quebrou um tabu ao ser o primeiro time de fora do eixo Austrália-Nova Zelândia a conquistar um título oceânico.

O Hekari United é uma espécie de seleção de parte das ilhas do Pacífico. Além de jogadores papuásios, conta com atletas do Fiji e das Ilhas Salomão. O principal ídolo do time é Kema Jack, artilheiro do torneio continental com sete gols em oito jogos.

“Quando nos vejo juntos com a Inter de Milão, a pergunta que me faço é como conseguimos isso”, diz o atacante, que também não tem ideia de que tipo de oposição sua equipe pode fazer ao primeiro adversário. “Em algumas das nossas cidades não existe internet, jornal ou televisão. Os habitantes de Koparoko (vilarejo onde nasceu) conhecem os grandes clubes do mundo, mas uns acham que estou inventando a história de que nos classificamos para o Mundial.”

Na cidade do principal jogador papuásio será impossível assistir à partida – o meio para acompanhar os jogos de futebol é apenas o rádio de pilha. Quem tiver curiosidade de ver qual papel a equipe poderá fazer na competição terá de se deslocar uma hora e meia até a capital Port Moresby. “Não há eletricidade”, conta Jack. Em Papua Nova Guiné há cerca de 6 milhões de habitantes.

O torneio também será a última oportunidade que um clube dos Emirados Árabes terá para avançar no Mundial no próprio país. A partir do próximo ano, a competição volta para o Japão. Na temporada passada, o Al-Ahli decepcionou ao perder na estreia para os neozelandeses do Auckland City (2 a 0). O Al-Wahda pelo menos tem mais experiência de atletas estrangeiros e conta com os brasileiros Magrão, Hugo e Fernando Baiano. “Aprendemos a lição e não trairemos as esperanças que depositaram em nós”, diz o capitão Haidar Ali.

O vencedor desse jogo enfrenta o Seongnam, nas quartas de final, domingo. Antes, no sábado, os congoleses do Mazembe desafiam o Pachuca. Quem passar nesse confronto será o adversário do Internacional, que estreia na terça-feira nos Emirados Árabes.

Inter: mudanças na véspera da viagem para Abu Dabi

Lucas Azevedo – O Estado de S.Paulo

Imprevistos atrapalharam o ambiente do Internacional ontem, na véspera do embarque para Abu Dabi, onde estreia no Mundial de Clubes na terça-feira. Primeiro, Glaydson teve de ser retirado da delegação que tenta o segundo título colorado na competição. O volante não conseguiu se recuperar de lesão na panturrilha e dará lugar ao jovem atacante Eduardo Sasha. Depois, a Fifa não aceitou a inscrição de Rodrigo. Segundo a entidade, o zagueiro defenderia a quarta equipe na mesma temporada, o que não é permitido. A diretoria do clube gaúcho tenta colocar Sorondo, que estava em vias de ser dispensado, no torneio.

O técnico Celso Roth aproveitou o último treino em Porto Alegre antes do Mundial para testar os dois tipos de esquema que pode utilizar em Abu Dabi, Há a hipótese de jogar com dois atacantes ou com apenas um isolado, no mesmo sistema de jogo que levou a equipe ao título da Taça Libertadores.
Porto Alegre já está em clima de Mundial. Ontem, 30 mil torcedores foram ao Beira-Rio para a despedida dos jogadores e ver a projeção do filme “Absoluto”, documentário sobre a conquista do bicampeonato da Libertadores. O time embarca ao meio-dia e a viagem para Abu Dabi deve durar 16 horas.

Por Cleber Aguiar – Goiás pode conquistar o maior título da sua história!

Fonte: O Estado de São Paulo

Dia para o Goiás esquecer a tristeza

Rebaixado no Brasileiro, time tenta na Argentina, diante do Independiente, a sua maior façanha. Pode até perder por 1 gol

Fábio Hecico – O Estado de S.Paulo

Eles choraram muito ao longo da temporada. Viram o Goiás fracassar no Campeonato Goiano e na Copa do Brasil e dar vexame e ser rebaixamento no Brasileiro. Mesmo assim, não abandonaram em nenhum momento o time de coração. Ergueram o moral dos jogadores, a quem apelidaram de “guerreiros”, e hoje, a partir das 22 horas, diante do Independiente, na Argentina, os torcedores esmeraldinos podem fechar a temporada com lágrimas nos olhos, mas de alegria e emoção com a maior conquista da história do clube. Até derrota por um gol de diferença dá a taça da Copa Sul-Americana ao Goiás e, consequentemente, uma vaga na Libertadores de 2011.

Chegada da equipe na Argentina.

“Não vai ser fácil, mas vamos ganhar. Pelo que o time fez na competição, ele merece ganhar. Será importante para a gente, pois não temos nenhuma conquista internacional”, diz o jovem Murilo Nogueira, de 17 anos, da torcida organizada Força Jovem. “E o título vai apagar tudo que deu de errado no ano. Vamos ganhar um título, ir para a Libertadores e isso dará moral para retornarmos à Série A”, segue, lamentando, apenas, não poder estar entre os 800 torcedores que foram para a Argentina.

Com medo de uma reação violenta dos torcedores argentinos, o pai do garoto, senhor William, pediu que ficasse e torcesse pela tevê. “Além do mais, estava caro. Mas me propus a trabalhar para pagar os R$ 1,3 mil. Só que ele ficou muito preocupado com possíveis brigas.”

Murilo é um dos tantos torcedores que passaram o fim de semana no estádio Hailé Pinheiro, o Serrinha, onde o time principal passou treinando para a decisão. Com uma faixa de “Time Guerreiro” os esmeraldinos levaram voto de confiança ao time. Eram crianças, jovens, mulheres, todos vestidos com o verde da camisa, cor que simboliza a esperança. “Vamos sofrer muito, vai ser duro, mas os jogadores prometeram suar a camisa e nos trazer o título. E eu acredito muito neles”, enfatiza Monica Percim.

Como ganhou por 2 a 0 no Serra Dourada, o Goiás joga com a possibilidade até de derrota por um gol para erguer a taça. Mas os jogadores prometem empenho para voltar não apenas com o troféu, como um resultado positivo. “Fomos muito bem nos jogos fora de casa e vamos lutar muito para dar essa alegria à torcida”, garante o lateral-esquerdo Wellington Saci.

“Precisamos manter o espírito guerreiro que demonstramos durante toda a competição, a nossa vontade, mas sempre pensando em vencer. Se entrarmos imaginando qualquer outro resultado, que não seja a vitória, a chance de termos um insucesso será muito grande”, endossa o artilheiro Rafael Moura, dono de sete gols na competição. “Espero que nosso time leve a melhor e fique com o caneco, que seria importante para o Goiás, depois de ano tão difícil.”

A torcida confia nas palavras do jogador. E o endeusa. “Aha, uhu, o He-man vai te pegar”, cantam, em coro, para saudar seu goleador. “Não vou não, sou da paz”, brinca o jogador, que nos últimos treinos, ainda em Goiânia, recebeu apoio intenso e caloroso de toda a família.

O que deixa os goianos ainda mais motivados para a conquista são os resultados da equipe na competição fora de casa. Todos garantiriam a taça. O time fez 2 a 0 no Grêmio, no Olímpico, perdeu por 3 a 2 do Peñarol, no Uruguai, bateu o Avaí por 1 a 0 em Florianópolis e, por fim, fez 2 a 1 no Palmeiras, no Pacaembu.

‘Sempre sonhei em estar na maior conquista do clube’

ENTREVISTA

HARLEY
Goleiro do Goiás
GOIÂNIA

O treino é puxado, debaixo de sol forte, num calor de mais de 30 graus. Ele não reclama, pula para cá, para lá, se estica, faz pontes, leva boladas e, após duas horas de trabalho, ainda encontra tempo para atender aos fãs e distribuir autógrafos. Mesmo sofrendo com uma infecção estomacal, ele não deixa de falar com ninguém. Ao lado do filho Leandro, de 11 anos, Harley, 38 anos, se dirige ao vestiário para, antes do banho, conversar com a reportagem do Estado. Simpático, contraria as ordens do assessor de imprensa do Goiás e faz questão de contar sobre seus 11 anos de clube, dos 690 jogos, da expectativa de entrar para a história do clube com a conquista da Sul-Americana diante do Independiente e o que deu errado para o time ser rebaixado. “Posso estar me despedindo na Argentina e quero fechar o gol para, caso não renove o contrato, sair festejando a maior conquista do clube.

Como prevê a decisão?

Fizemos uma boa vantagem no Serra Dourada (2 a 0). Porém, tenho bastante experiência de jogos internacionais quando defendi o Cruzeiro, em Libertadores e Supercopa. Contra argentinos, na casa deles, os jogos são sempre duríssimos e vamos para lá cientes disso. Apesar das dificuldades, estamos preparados para tudo.

Qual mensagem mandaria para a torcida sobre essa final?

Queria dizer que todas as nossas forças, nossa alma, será colocada em campo nesta quarta-feira. Depois de alguns insucessos no ano, o Goiás vai ressurgir a partir deste título e, com certeza, fará uma passagem rápida na Série B.

Se você não sofrer gols, o time é campeão. Isso aumenta sua responsabilidade?

Desde que cheguei, sempre ouvi que o Goiás tinha de ganhar um título importante. E pedi muito a Deus para que fizesse parte disso como atleta. Posso estar me despedindo do Goiás na Argentina e quero fechar o gol para, caso não renove, sair festejando a maior conquista do clube (após 11 anos e 690 jogos, ainda não foi procurado para uma renovação).

Se não te procurarem, vai se aposentar após o jogo?

Ainda quero jogar por duas temporadas. Mas darei total preferência para seguir no Goiás (ele já recusou convites de Corinthians, Santos, Internacional e Atlético-MG). Estou bem aqui e se receber propostas semelhantes, vou optar por onde passei os melhores momentos da carreira, onde sou querido e respeitado por todos, que é aqui no Goiás.

Você falou da Série B. O rebaixamento foi a maior frustração?

Minha maior frustração foi não ter conseguido um título de expressão. Já fizemos grandes temporadas aqui, brigamos até quase o fim, só que o clube acabou se perdendo no caminho (foi terceiro, por exemplo, no Brasileiro de 2005), depois deixamos escapar. Sobre a Série B, vai ser bem passageiro, muito rápido. E eu gostaria de reconduzir a equipe à Série A.

O que deu de errado, já que o time melhorou no fim do ano?

Começamos a temporada com uma diretoria muito despreparada. E, para piorar, os problemas políticos atrapalharam muito. Em 11 anos de clube, eu nunca tinha visto o salário atrasar. Esse ano fiquei três meses sem receber. O senhor Hailé Pinheiro reassumiu o clube, pagou cinco salários em 60 dias, deu uma revigorada, mas já era num momento tardio para saírmos do rebaixamento. Todo o desgaste que houve com a diretoria passada acabou nos derrubando.

Sobre a carreira, o que pretende fazer depois que parar?

Sou um cidadão goianiense (nasceu em Belo Horizonte). Meus investimentos estão aqui, minha família toda está aqui. Fiz questão que meus filhos nascessem em Goiânia. Sou apaixonado pelo Goiás, foi algo que entrou no meu coração. Sem jogar, vou vestir minha camisa, pegar minha bandeira e ir para o estádio torcer pela equipe.

Mas não é pouco ser apenas um torcedor?

Sempre serei torcedor. Mas penso em ter um cargo no clube, seguir colaborando.

ICFUT – Ronaldo confirma Paternidade !

Fonte: O Estado de São Paulo

Ronaldo anuncia via Twitter que é pai de garoto de 5 anos

Alex é fruto de um relacionamento de Ronaldo com uma brasileira que morava no Japão

O atacante Ronaldo admitiu nesta terça-feira, 7, que é pai de Alex, fruto de um relacionamento com uma brasileira, Michele Umezu, no Japão, quando ele defendia o Real Madrid – o time estava em pré-temporada na Ásia em julho de 2004.

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter
Ronaldo realizou o exame de paternidade na última segunda-feira

A confirmação do atacante foi dada via Twitter: “O resultado do exame comprovou o que meus sentimentos me mostraram na hora em que vi o Alex. Alex é meu filho, irmão de mais de mais 3 crianças lindas como ele. E me terá sempre como pai para todos prazeres e deveres. Seja bem vindo”.

O garoto vive com a mãe em Cingapura, onde tem um pai adotivo. O caso veio à tona em entrevista de Michele à revista Quem. Michele é garçonete. Ronaldo, de férias no Corinthians após a disputa do Brasileirão, já tem outros três filhos: Ronald, de 10 anos, Maria Sophia, de 2, e Maria Alice, que nasceu neste ano e são frutos de seu atual casamento com Bia Antony.