HUMOR ICFUT – Quero o meu Muricy de volta!

Fonte: O Estado de São Paulo

Quero o meu Muricy de volta!

Tutty Vasques – O Estado de S.Paulo

Tão improvável quanto a adaptação de Zeca Pagodinho à vida como ela é em Doha ou Abu Dabi, Muricy Ramalho e o Rio davam a entender no domingo que nasceram um para o outro. Que bom humor é aquele, caramba?! Os jogadores do Fluminense ainda tentaram atiçar a velha alma ranzinza com um banho de água gelada durante a entrevista coletiva do técnico campeão, mas ele, como passou a dizer depois que se mudou de Copacabana para Ipanema, “não ixquenta” mais com nada.
Ou seja, o bom e velho Muricy perdeu inteiramente a graça! Sua irritação com a vitória proporcionava alguns dos raros momentos originais do futebol brasileiro nos últimos tempos. “Isso aqui é trabalho, meu filho!” – era a coisa mais gentil que conseguia dizer diante de um elogio pela conquista de um campeonato. Alguns de seus chiliques em dia de festa são, ainda hoje, tão memoráveis quanto sua incrível coleção de títulos.
Tamanho patrimônio moral pode ter enferrujado com a maresia. Seis meses arrastando sandálias pelo calçadão da praia a caminho do treino dá nisso. Capaz de voltar ao normal nas férias em São Paulo.

Los hermanos
Tudo bem, o craque do Brasileirão é argentino, mas isso não muda em nada a tradicional rivalidade com o país vizinho. A torcida do Fluminense já anda espalhando por aí que o Conca é melhor que Maradona, coisa que, cá pra nós, só faz piorar a guerra.

Corinthians

Nem tudo está perdido para a fiel torcida do Corinthians. Ronaldo Fenômeno fez ontem mesmo exame de DNA solicitado pela mãe de um menino de 5 anos. Quem sabe não ganha pelo menos um filho neste finalzinho de 2010, né? Seria o segundo só no ano do centenário do clube!

ICFUT – Mais um caso de Traição no futebol Inglês !

Fonte: Futebolinterior.com.br

Escândalo! Promessa da bola é acusada de trair noiva com stripper

De acordo com a imprensa inglesa, a noite de “amor” teria ocorrido na semana após a goleada do Arsenal sobre o Blackpool

 

Vai falar o que lá em casa, Wilshere?

Um novo escândalo de infidelidade está agitando o noticiário na Terra da Rainha. É que o meia Jack Wilshere, de apenas 18 anos, está sendo acusado de ter traído sua noiva, Lauren Neal, com a belíssima stripper Jessica Jensen.

De acordo com a imprensa inglesa, a noite de “amor” teria ocorrido na semana após a goleada do Arsenal sobre o Blackpool, por 6 a 0, no último dia 21 de agosto, ainda pela segunda rodada do Campeonato Inglês. Apesar do jogador ter pedido encarecidamente que o caso fosse mantido em segredo, o escândalo veio à tona. Pelo visto, a musa loira cedeu às boas propostas feitas pelos tablóides ingleses.

Wilshere é considerado umas das principais promessas do English Team. Ele foi revelado no própprio Arsenal, onde é chamado de o substituto de Cesc Fábregas. Ele também participou das seleções da base da seleção.

 

Por Cleber Aguiar – Jorge kajuru fez tatuagem de Claudia Leitte.

Fonte: Globo.com

Claudia Leitte agradece tatuagem que Jorge Kajuru fez em sua homenagem

Jornalista esportivo tatuou o rosto da cantora no seu braço esquerdo; veja

 Reprodução

Claudia Leitte agradeceu emocionada durante entrevista concedida nos bastidores de um de seus shows a homenagem que recebeu do jornalista esportivo Jorge Kajuru, que tatuou o rosto da cantora em seu braço esquerdo como forma de reverenciar a amiga.

“O que ele fez foi lindo, ele é muito querido”, comentou a cantora. Kajuru, por sua vez, afirmou que a tatuagem é uma forma de agradecer o carinho que recebeu de Claudia quando esteve doente. “Quem não tem gratidão não tem caráter e eu jamais vou esquecer o carinho que ela teve por mim no hospital”, comentou.

Por Cleber Aguiar – Ricardo Oliveira e Elkeson podem ser anunciado !

Semana começa agitada no Santos FC , veja as novidades !

Santos oferece 500 mil a Ricardo Oliveira , agora aguarda resposta e deve  ser anunciado a qualquer momento.

( Fonte: Estadão )

Elkeson deve anuncia nas próximas horas !

( Arenabaianafutebol e Portal IG )

Foi emprestado para o Atlético Paranaense.

( Fonte: Estadão )

Breitner foi emprestado para o Figueirense.

( Fonte: Estadão )

Marcel está acertando sua saída para o Vasco.

( Fonte: Estadão )

Obs: Wesley Santos,Renan e Jefferson foram emprestado para o Santo André

Por Cleber Aguiar – Barça domina eleição !

Fonte: O Estado de São Paulo

Barça domina eleição

Equipe catalã já tem o prêmio de melhor jogador da Fifa. Resta saber quem ficará com o troféu: Xavi, Messi ou Iniesta. Marta está na briga pelo 5º título

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA – O Estado de S.Paulo

2010 é mesmo o ano do futebol espanhol. O melhor jogador do mundo de 2010 é do Barcelona e agora só falta decidir quem receberá o prêmio. Os três melhores técnicos do mundo também atuam pela Espanha, país campeão do mundo na Copa da África do Sul.

Ontem, a Fifa anunciou os três jogadores na lista de finalistas para receber a Bola de Ouro: Xavi, Iniesta e Messi. Entre os técnicos estão Pep Guardiola, do Barcelona, José Mourinho, do Real Madrid, e Vicente Del Bosque, da seleção.

Este ano, a Fifa dará o prêmio ao lado da revista France Football, unificando os “cinturões”. Pela terceira vez na história, os três melhores jogadores do mundo atuam na mesma equipe, algo que nem o Real Madrid da era dos galácticos havia conseguido. Só o Milan havia obtido tal feito.

Agora, a grande diferença está nas conquistas internacionais. Xavi e Iniesta foram os pilares da seleção da Espanha no título de sua primeira Copa do Mundo, em julho – Iniesta fez o gol do título e é apontado como o ganhador do prêmio. Messi não brilhou como se esperava e a seleção da Argentina parou nas quartas de final. Mas, com toque de bola refinado, faro de gol e um estilo coletivo, o trio do Barcelona ganhou pelo clube todos os títulos disputados.

O que une os três, porém, não é apenas o time. Todos vieram da mesma escolinha, conhecida como La Masia, e que serve de base para a equipe catalã. Em 2009, já haviam estado entre os finalistas do prêmio da Fifa – Messi foi o campeão.

A escolha do trio do Barcelona mostra, também, que os maiores clubes não vivem apenas de contratações milionárias. Projetos de desenvolvimento de craques podem dar resultados ainda melhores do que a construção de um time marcado por salários sem precedentes.

Se a Espanha domina, os brasileiros são a grande ausência do ano. O Brasil é o país que mais títulos conquistou nos quase 20 anos do prêmio de melhor jogador do mundo – Ronaldo (três vezes), Ronaldinho Gaúcho (duas), Romário, Rivaldo e Kaká estiveram entre os escolhidos. Mas, em 2010, deixou de fazer parte da elite do futebol mundial. Os únicos indicados foram Maicon, Daniel Alves e o goleiro Julio Cesar, que apareceram na lista dos 32 melhores do ano.

Quem salva a honra do futebol brasileiro é Marta, jogadora que já se tornou um ícone do futebol feminino e que acumula o maior número de títulos de melhor do ano. Para 2010, ano em que foi campeã da Liga Americana com o Gold Pride, espera conquistar o pentacampeonato.

A atacante brasileira terá como rivais duas estrelas alemãs. Uma delas é Birgit Prinz, que levou o troféu três vezes. A outra é Fatmire Bajmaraj, de apenas 22 anos, e campeã nacional e europeia com o Turbine Potsdam.

Técnico. Neste ano, a Fifa ainda traz mais uma novidade: a escolha do melhor técnico do ano. Entre os finalistas estão José Mourinho, campeão europeu pela Inter de Milão em 2010 e atual técnico do Real Madrid.

O outro é Pep Guardiola, que ganhou tudo o que disputou em seus poucos anos como treinador. Mas é Del Bosque quem aparece como favorito, depois de levar a Espanha a seu primeiro Mundial, na África do Sul.

Por Cleber Aguiar – Clima esquenta em voo com torcedores de Bahia e Vitória !

Fonte: O Estado de São Paulo

Clima esquenta no voo com torcedores de vitória e Bahia

Notícia do rebaixamento rubro-negro agita viagem entre Recife e Salvador com a provocação tricolor

Tiago Décimo – O Estado de S.Paulo

O clima era tenso no lotado voo 6727 da Webjet, que faz a rota entre Recife e Belo Horizonte, com escalas em Salvador e Brasília, no fim da tarde de domingo. Os cerca de cem passageiros que desembarcariam na capital baiana, muitos deles vestidos com as camisas de Vitória e Bahia, não conseguiam disfarçar a ansiedade por notícias sobre a rodada final do Campeonato Brasileiro, que determinaria o último rebaixado para a Série B.

Ainda antes de entrar no avião, muitos deles cercavam um passageiro que assistia aos jogos em um celular com sinal de TV digital, na sala de embarque. Perto dos 30 minutos do segundo tempo das partidas, porém, o aparelho teve de ser desligado, para a decolagem. O placar do jogo entre Vitória e Atlético-GO não havia saído do zero – resultado que rebaixava o time baiano. Não se falava em outra coisa dentro do avião.

Meia hora depois de o voo ter início, na metade do caminho entre Recife e Salvador, a voz do piloto invade a cabine. Enquanto ele passa informações sobre a viagem – altitude, previsão de chegada, clima nos destinos, etc – a conversa entre os passageiros continua animada. “Gostaria de parabenizar os torcedores do Fluminense pelo título do Campeonato Brasileiro”, diz o comandante, impondo silêncio absoluto a bordo.

Foram três longos segundos para o complemento. “Queria informar, também, que o Vitória…” Nem deu tempo para ouvir o fim da frase, porque um torcedor do Bahia, devidamente unifomizado, gritou: “Caiu!”, e soltou uma sonora gargalhada a bordo, dando início a uma comemoração tricolor.

Os torcedores do Vitória, claro, não gostaram. Em segundos, estava estabelecida a confusão, com direito a troca de provocações e ofensas a bordo. Uma comissária, preocupada, tomou o microfone da cabine. “Pedimos, por favor, para que não haja brigas.” O tom das ofensas diminuiu, mas a provocação continuou até a chegada.

Era apenas o início da “tortura” que os passageiros torcedores do Vitória sofreriam. Na saída do aeroporto, a principal rota, para quem segue a Salvador, é a Avenida Paralela – a mesma usada por quem sai do Barradão, o estádio do Vitória. Ali, torcedores do Bahia passaram fazendo festa, com direito a fogos de artifício, buzinaços e bandeiras nos carros, para desespero dos rivais recém-rebaixados.

Por Cleber Aguiar – Trio de ferro ou lata ?

Fonte: O Estado de São Paulo

Um ano para o trio de ferro esquecer

Corinthians, Palmeiras e São Paulo frustram seus torcedores com resultados ruins e nenhum título e refazem planejamento para 2011

Valéria Zukeran, Wagner Vilaron – O Estado de S.Paulo

O futebol paulista está no divã. Depois de reinarem absolutos no Campeonato Brasileiro entre 2004 e 2008, com três conquistas do São Paulo (2006, 2007 e 2008), uma do Santos (2004) e outra do Corinthians (2005), os clubes paulistas deixaram o topo do pódio e tiveram de aplaudir o ressurgimento do futebol carioca, com Flamengo (2009) e o Fluminense neste ano. Em 2010, exceção feita ao Santos, que compensou a discreta campanha no Nacional (8.º lugar) com um primeiro semestre espetacular, no qual venceu o Paulista e a Copa do Brasil, Corinthians, São Paulo e Palmeiras “colecionaram” decepções.

A maior expectativa, sem dúvida, estava sobre o time do Parque São Jorge. Os corintianos lutaram o ano todo contra a maldição do centenário. Em vão. Assim como outros grandes clubes, viram o ano de seu 100.º aniversário passar sem que nenhum novo troféu do futebol fosse integrado a seu memorial.

No clube, o discurso dos dirigentes e jogadores mostra que todos reconhecem a falta de títulos na temporada como um problema. Fazem, porém, questão de minimizar a questão ao apontar conquistas fora do campo. “Infelizmente não conseguimos esse título (do Brasileiro). Mas o Corinthians mostrou grande evolução no seu departamento de futebol. Agora temos um CT de primeiro mundo”, lembrou o volante Elias, que vai defender o Atlético de Madrid em 2011.

Além do Centro de Treinamento, a direção corintiana não esconde a satisfação por ter fechado acordo para a construção do sonhado estádio, que será erguido em Itaquera. “E o centenário só termina no ano que vem”, costuma dizer o presidente Andrés Sanchez, utilizando-se de discurso comumente usado por seus diretores no Parque São Jorge.

Para acabar com a frustração da torcida, a diretoria se movimenta para montar o time de 2011 e planeja contratações de impacto. Uma delas é a do atacante Adriano, atualmente na Roma, da Itália. A negociação, porém, caminha aos trancos e barrancos. De um lado, Ronaldo e alguns diretores mantiveram contato com o Imperador e se dizem animados. Do outro, o agente do atleta, Gilmar Rinaldi, desmente. “Oficialmente a situação está na estaca zero”, disse. “Ninguém falou comigo. As pessoas vão direto nele (Adriano). Estão tentando me atropelar.”

Desilusão. Para o torcedor do Palmeiras, 2010 foi o prolongamento do drama vivido na temporada anterior. Depois de verem o time sofrer uma queda vertiginosa no fim do ano passado, que resultou na perda do título e da vaga na Taça Libertadores, o palmeirense voltou a ter sua paciência testada. Nem mesmo a passagem dos três treinadores mais badalados do futebol brasileiro (Vanderlei Luxemburgo, Muricy Ramalho e, agora, Luiz Felipe Scolari) deu jeito no time.

A estratégia de contratar os principais ídolos da torcida não deu certo. Mesmo com o meia Valdivia e o atacante Kleber sob o comando de Felipão, o time ficou mais uma vez fora da Libertadores. Terminou o Brasileiro em décimo e sofreu uma dolorosa derrota para o Goiás, na semifinal da Sul-Americana, daquelas que entram para a história.

Nos bastidores, o alardeado projeto da Arena Palestra, que segundo as previsões iniciais já deveria ter começado, segue enrolado em meio a ações na Justiça e burocracia.

E a perspectiva para 2011 é sombria. Além das dificuldades financeiras, agravadas pelo fato de o clube não contar com a receita da Libertadores, um processo eleitoral vai agitar o Palestra Itália em janeiro. Salvador Hugo Palaia, Paulo Nobre e Arnaldo Tirone concorrem à sucessão de Luiz Gonzaga Belluzzo.

Humildade. O São Paulo terá um 2011 mais humilde. Acostumado com o glamour do tricampeonato brasileiro consecutivo e das decisões da Libertadores (disputou as últimas sete edições) e do Mundial de Clubes, o Tricolor está de volta à Copa do Brasil e à Sul-Americana. Como se não bastasse o desempenho aquém do esperado da equipe, torcedores e dirigentes ainda tiveram de amargar a exclusão do Morumbi da Copa do Mundo de 2014. Para piorar, todos os indícios apontam que o posto será ocupado pelo estádio corintiano.

O técnico Paulo César Carpegiani definiu a estratégia para recolocar o time no rumo das vitórias. Em 2011, o clube fará contratações “cirúrgicas” de jogadores experientes e vai misturá-los com jovens talentos que voltam de empréstimo.