Por Cezar Alvarenga – Reflexões ao final do Brasileirão 2010

Terminou ontem o Campeonato Brasileiro de 2010, cercado de muitas polêmicas do começo ao fim, com mais ênfase nas três últimas rodadas, as decisivas. Porém, apesar de todas as polêmicas, o Fluminense foi o verdadeiro campeão com todos os méritos. Foi o time mais equilibrado da competição, com uma defesa bem montada, um meio de campo sólido com Conca (que jogou os 38 jogos) organizando muito bem as jogadas e um ataque que por um  tempo funcionou muito bem mas no final deixou um pouco a desejar. Corinthians e Cruzeiro também fizeram um ótimo campeonato, mas perderam muitos pontos considerados fáceis e deram a chance que o Flu precisava, pois a trÊs rodadas do fim, o Timão dependia só de si, mas dois empates sepultaram as chances de título. Em um campeonato longo o elenco sempre decidirá a favor do seu time. Exemplos disto é o Corithians que sem Ronaldo durante o quase todo o campeonato e Dentinho, Jorge Henrique e Chicão fora de alguns jogos, não teve reposição a altura e prejudicou demais a jornada do Timão. O Cruzeiro tinha um bom elenco, porém, seu melhor jogador do campeonato, Montillo, chegou muito tarde e não conseguiu dar a arrancada necessária. O Fluminense também teve o desfalque de Fred, Diguinho, mas foram bem substítuidos e teve Conca em todos os jogos e conseguiu manter o ritmo. Foi um campeonato equilibrado, aonde o São Paulo atual tri-campeão, ficou apenas em nono e o Palmeiras que em 2009 liderou grande parte do campeonato terminou em décimo lugar, 21 pontos atrás do líder e o atual campeão Flamengo em apenas décimo quarto, escapando do rebaixamento na penúltima rodada.

Muito se discutiu nas últimas rodadas sobre as camapnhas de entrega de Palmeiras, São Paulo e até o Guarani. Na minha opinião uma vergonha para estas equipes, que na minha visão, não era a opinião de verdadeiros torcedores e sim de algumas organizadas, que simplesmente quiseram dar uma demonstração de força dentros destes clubes e infelizmente conseguiram, inclusive, com anuência de alguns dirigentes.

Muitos colocaram culpa na fórmula de pontos corridos, mas não creio que seja isto, mas sim esta rivalidade exacerbada entre as torcidas organizadas, que em nada somam aos seus clubes e ao campeonato. Rivalidade é preciso, pois disto vivem os grandes clubes, mas tudo dentro da ética desportiva, sem violência e ferir os princípios básicos do esporte, que buscar sempre a vitória.

Na minha visão, a melhor saída para terminar com este entreguismo no final do campeonato seria punindo os clubes e as torcidas. Como? Por exemplo, se as torcidas forem aos Centro de Treinamentos dos clubes exigindo que o time entregue o jogo ou indo ao estádio com faixas, gritos e atirando objetos nos jogadores, o clube seria punido jogando todas as partidas como mandante do próximo campeonato com portões fechados, assim a torcida ficaria sem ver o time jogar durante todo o campeonato. Assim duvido que os verdadeiros torcedores e os dirigentes dos clubes seriam coniventes com as ações das facções organizadas.

E para dificultar que dirigentes forcem seu time a entregar a solução poderia vir do Clube dos Treze de duas maneiras: na próxima negociação dos direitos do campeonato, solicitar uma quota extra para os clubes do estado do atual campeão. Por exemplo, o Fluminense como atual campeão teria no próximo ano uma quota de televisão maior e os demais times cariocas da Série A receberiam o bônus. Assim, qual seria atitude dos dirigentes de São Paulo e Palmeiras, que não disputarão a Libertadores em 2011  e com isso arrecadarão muito menos, entregariam os jogos para o Fluminense ou prefeririam ver o Corinthians campeão, porém, com muito mais verba em 2011?

São questões que deverão ser muito bem discutidas antes do começo do Brasileirão 2011, para que possamos evitar cenas lastimáveis como as que vimos no final deste campeonato, que ano após ano torna-se cada vez melhor.

ICFUT – Lista de premiados do Brasileirão 2010!

Fonte: Uol.com.br

Ricardo Ayres/Photocamera

Conca é carregado na comemoração do título brasileiro com o Fluminense no Rio

Conca ganha Bola de Ouro, mas Corinthians domina seleção do Brasileiro

Gustavo Franceschini
Em São Paulo

Herói do título do Fluminense, Darío Conca confirmou o favoritismo e recebeu, nesta segunda-feira, a Bola de Ouro oferecida pela revista Placar e pela ESPN Brasil. O tradicional prêmio, no entanto, elegeu uma seleção dominada pelos corintianos, que terminaram o ano na terceira colocação.

CONFIRA A LISTA DOS PREMIADOS

Bola de Ouro Conca (Fluminense)
Artilheiro Jonas (Grêmio)
Goleiro Fábio (Cruzeiro)
Lateral-direito Mariano (Fluminense)
Zagueiros Alex Silva (São Paulo)
Chicão (Corinthians)
Lateral-esquerdo Roberto Carlos (Corinthians)
Volantes Elias (Corinthians)
Jucilei (Corinthians)
Meias Conca (Fluminense)
Montillo (Cruzeiro)
Atacantes Neymar (Santos)
Jonas (Grêmio)
Chuteira de Ouro Neymar (Santos)

Chicão, Roberto Carlos, Elias e Jucilei formam a base da equipe que ainda tem Mariano(Fluminense), Alex Silva (São Paulo), Fábio e Montillo (Cruzeiro), Neymar (Santos) e Jonas (Grêmio), além do próprio Conca. Jonas também recebeu uma segunda Bola de Prata por ter sido o artilheiro da competição, com 23 gols marcados.

Já a Chuteira de Ouro teve empate de Neymar com Jonas, com 42 gols. Mas o prêmio, no desempate, foi para o atacante do Santos, que anotou um pela seleção. “Foi uma disputa sadia e maravilhosa com o Jonas”, exaltou o jovem.

O prêmio é oferecido pela revista Placar anualmente aos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro. Todos os jogos são acompanhados por jornalistas da publicação, que dão notas para todos os atletas. As melhores médias por posição são premiadas com a Bola de Prata, e o melhor do torneio ganha a de Ouro.

A briga de Conca pela taça era com o também argentino Montillo, que comandou a arrancada do Cruzeiro rumo ao vice-campeonato do Brasileirão. Os números do meia do Fluminense, no entanto, comprovam sua eficácia, especialmente na reta final.

Conca esteve em campo em todos os 38 jogos da competição e marcou nove gols, sendo seis deles nos últimos oito jogos do ano. Montillo, no mesmo período, foi às redes uma só vez e não conseguiu decidir o campeonato em favor de seu clube.

O argentino tricolor é apenas o quarto estrangeiro na história a receber a Bola de Ouro. Antes dele, Ancheta (do Grêmio) e Cejas (do Santos) haviam dividido a honraria em 1973, e Tévez (Corinthians) ganhou em 2005.

Esta não deve ser a única premiação de Conca. Na noite desta quinta-feira, o argentino pode ser agraciado com o prêmio Craque do Brasileirão da CBF, que será entregue no Rio de Janeiro.

O meia foi indicado para uma das posições de meio-campo. A categoria melhor do ano não teve indicação prévia e elegerá o jogador mais lembrado pelos votantes.

ICFUT – Entrevista com o narrador Cléber Machado !

Fonte: Folha Online

Cleber Machado fala de cinema, Twitter e Copa do Mundo; leia entrevista

FABIANA SERAGUSA
DE SÃO PAULO

Ele é a voz do futebol em São Paulo. Na rede Globo desde 1988, Cleber Machado comanda os principais jogos dos times paulistas, em cerca de quatro horas de transmissões por semana. E com direito a muitos “pro fundo do gol”.

Nascido na Aclimação, o narrador –que também está à frente do Carnaval de SP– morou a maior parte dos seus 48 anos nos agitados bairros de Pinheiros e Vila Madalena. Mas ele gosta mesmo é de passeios simples, como caminhar num parque ou ver o pôr do sol.

Sobre a Copa do Mundo, acha que a cidade tem muito a ganhar, independente de sediar ou não a abertura do Mundial, e gosta quando a paixão pelo futebol supera o amor pelo clube. Abaixo, leia a entrevista exclusiva com o narrador.

Guillermo Giansanti/Folhapress
Locutor Cléber Machado (foto), da rede Globo, diz que adora a tabelinha cinema com pipoca e bom restaurante

Em quais áreas São Paulo faz um golaço?
São alguns belos gols. Na gastronomia, certamente. As óbvias opções para todos os gostos também são, como teatro, cinema, show, exposições. Quem tiver disposição, tem boas atrações diariamente e pode ser artilheiro de belos gols.

Qual programa pode ser tão legal para o paulistano quanto ir ao estádio?
Se a cidade não é exatamente famosa pela beleza natural, um programa bom e simples pode ser uma caminhada seguida de um não fazer nada em um parque. Ou só olhar o pôr do sol, na praça da Pôr do Sol, por exemplo. Preciso é ir de novo ao Museu do Ipiranga, eu gosto muito de história e faz tempo que não vou.

O que você mais gosta de fazer por aqui quando está de folga?
Eu sou bem caseiro. Folga pode ser a chance para viagem, mesmo que curta. Uma praia tem seu valor. Ficando na cidade, sou bem chegado naquela tabela tradicional: cinema com direto a pipoca e um bom restaurante depois. Também gosto muito dos lugares onde a gente pode ouvir música ao vivo, é bem legal.

E sobre seu perfil no Twitter?
Ah, procuro não pensar muito nisso. Dizem que é falso, confesso. Sei lá o motivo de alguém começar um negócio assim e ser seguido. Espero que tenha bom senso e responsabilidade. Esse papo de opinar em nome de outro… não sei se é legal, se eu faria isso em nome de outra pessoa.

Você acha que São Paulo tem a ganhar com a Copa do Mundo?
Todas as cidades têm a ganhar. No caso de São Paulo, é pena a demora e a dúvida que ainda dá sinais de existir sobre a abertura, mas a cidade deverá estar na Copa e poderá ganhar muito com as melhoras estruturais. Principalmente se deixar mais confortável a vida de quem vai ao estádio: chegada, saída, instalações, facilidade para comprar ingresso.

Você é a voz do futebol e do Carnaval em SP. Essas são as duas maiores paixões da cidade?
Não sei se são as duas maiores, mas certamente são paixões. O Carnaval é um exemplo de gente apaixonada pela escola, pelo samba. E futebol, claro, é apaixonante. Acho muito bacana perceber quando se gosta do futebol independente das camisas em campo. Ultimamente anda mais difícil, mas já houve um tempo em que o jogo e o craque eram mais festejados. Ainda rola, de vez em quando, sabe como é? Bate um romantismo e a gente ouve falar do artista, do espetáculo. Vira um bom papo.

Por Cezar Alvarenga – Cristiano Ronaldo isolado no Real?

Fonte: Yahoo! Esportes

O diário El Mundo Deportivo, de Barcelona, coloca em dúvida nesta segunda-feira o relacionamento do atacante Cristiano Ronaldo com os demais companheiros de Real Madrid. As suspeitas do jornal catalão recaem sobre o fato do português ter comemorado praticamente sozinho seus dois gols marcados no último sábado, contra o Valencia, no Santiago Bernabéu.

No primeiro, Cristiano Ronaldo celebrou apenas com Pepe e Marcelo. E após ter marcado o segundo, nenhum companheiro chegou perto, até que o atacante correu para o banco de reservas e abraçou o goleiro reserva Dudek. Depois recebeu um cumprimento discreto de Marcelo e Xabi Alonso.

Para o El Mundo Deportivo esse é um reflexo de como o comportamento extra-campo de Cristiano Ronaldo está afetando os demais jogadores do Real Madrid. Segundo a publicação, um dos mais insatisfeitos com a forma individualista de ser do português é o goleiro Casillas. Justamente o capitão do time.

Após a vitória sobre o Valencia por 2 a 0, o técnico José Mourinho foi perguntado pelos jornalistas sobre o distanciamento de Cristiano Ronaldo. O treinador, como não poderia ser diferente, defendeu o seu comandado.

– Ele é assim, joga como treina. Sempre nos dá o que precisamos – limitou-se a dizer Mourinho.

O diretor-esportivo do Real, Jorge Valdano parece estar preocupado com esse início de insatisfação. O El Mundo Deportivo assinala que o dirigente levará o problema até o presidente Florentino Pérez.

 

Por Cleber Aguiar – Jonas o aritlheiro do Brasileirão !

Fonte: Gazetaesportiva.net

Artilheiro do Brasileiro, Jonas finaliza um ano de quebras de recordes

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

O ano de 2010 ficará marcado para sempre na carreira do atacante Jonas. Autor de 44 gols na temporada, o jogador foi o artilheiro do Grêmio no Campeonato Gaúcho, na Copa do Brasil e no Brasileirão. Somente na principal competição nacional marcou 23 vezes, o maior número de tentos marcados por um jogador do Tricolor gaúcho em uma só edição do campeonato.

Artilheiro do Campeonato Brasileiro, seis gols à frente do segundo colocado (o santista Neymar), Jonas quebrou também o recorde de gols marcados por um jogador desde que o campeonato de pontos corridos passou a contar com 20 clubes, em 2006. Com 75 gols anotados com a camisa do Grêmio, o atacante tornou-se o quinto maior goleador do clube na Era Olímpico, superando nomes como Jardel, Paulo Nunes e até Renato Gaúcho, maior ídolo da torcida gremista e atual técnico do time.

O único recorde não superado por Jonas foram os 46 gols de Jardel no ano de 1995, a melhor marca de um jogador do Grêmio em uma só temporada. Com 44, foi o terceiro maior artilheiro gremista de um ano só: ficou também um gol atrás de Baltazar, que atingiu um total de 45 gols em 1980.

Em entrevista à Rádio Gaúcha antes da partida deste domingo, contra o Botafogo, o irmão e procurador do jogador, Tiago Gonçalves, garantiu que a intenção é que Jonas permaneça no Olímpico enquanto não surgir uma proposta irrecusável. “Ele está muito bem adaptado. O Grêmio é um marco na carreira dele”, explicou.

Segundo Gonçalves, pode ser proposto a Jonas um plano de carreira como o que o Tricolor ofereceu ao goleiro Victor, que recebeu substancial aumento de salário em julho e um prolongamento do contrato até 2015. O acerto envolveria até mesmo a participação de Jonas em ações de marketing do clube. O atual contrato vai até dezembro do ano que vem.

ICFUT – Mundial de Clubes da FIFA 2010.

Internazionale
Dados do Clube
Nome: Football Club Internazionale Milano
(Internazionale de Milão)
Fundação: 1908
Como chegou ao mundial:
Campeão da Copa dos Campeões da Europa 2009/2010
Site: HTTP://WWW.inter.it
Títulos mundiais: 1964 e 1965
Perfil
Detentora dos últimos cinco títulos italianos – são 18 no total -, a Internazionale poderia chegar à briga por seu terceiro título mundial mais embalada do que qualquer outro time, já que faturou também a Tríplice Coroa na temporada 2009/2010, ao vencer o Italiano, a Copa dos Campeões e a Copa da Itália. No entanto, o técnico José Mourinho acertou com o Real Madrid e deu lugar a Rafa Benítez, que faturou a Supercopa da Itália, mas ainda busca a afirmação no comando da equipe nerazzurri.  

Sendo assim, o talento individual dos jogadores tornou-se o principal trunfo dos italianos: além do experiente volante/lateral esquerdo argentino Javier Zanetti, ídolo dos torcedores, os brasileiros Júlio César, Maicon e Lúcio dão sustentação à defesa e têm a companhia de astros em grande fase no setor ofensivo, como o holandês Wesley Sneijder, o camaronês Samuel Eto’o e o argentino Diego Milito.

Reportagens/Futebol – (22/11/2010 12h37min00 – Atualizado 02/12/2010 11h14min05)

Equipes – Pachuca

Pachuca Club de Fútbol
Dados do Clube
Nome: Pachuca Club de Fútbol
Fundação: 28 de novembro de 1901
Como chegou ao mundial:
Campeão da Liga dos Campeões da CONCACAF (América do Norte, Central e Caribe).
Site: http://www.tuzos.com.mx/
Títulos mundiais:
Copa Sul-americana (2006); Liga dos Campeões da CONCAFAC (2002, 2007, 2008 e 2010)
Perfil
Mais antigo clube mexicano, (a fundação data de 1901), o Pachuca demorou para ganhar destaque no mundo do futebol.  

Somente em 1967, os tuzos sagraram-se campeões da segunda divisão local e ascenderam, pela primeira vez em sua história, à elite azteca. No entanto, com o rebaixamento precoce, a equipe voltou ao patamar de mediana e permaneceu quase trinta anos protagonizando idas e vindas.

A inconsistência chegou ao fim em 1999, quando o Pachuca, próximo do centenário, levantou a taça do Torneio de Inverno (espécie de Apertura). O principal responsável pelo sucesso foi o técnico Javier Aguirre (que, posteriormente, dirigiu a seleção nacional e, atualmente, comanda o Zaragoza, da Espanha).

Omar Torres | AFP
Omar Torres | AFP
Depois de repetir a façanha de vencer o torneio de Inverno em 2001, a equipe abocanhou mais três títulos nacionais (2003, 2006 e 2007) e garantiu o rótulo de o clube mexicano mais bem-sucedido do século XXI.  

A força do Pachuca começou a romper fronteiras em 2006, quando foi convidado pela Conmebol para participar da Copa Sul-americana. Desempenhando o papel de intruso, os tuzos ficaram com o título e entraram para a história como o primeiro time fora da América do Sul a vencer um título da entidade. Campeão da Liga dos Campeões da CONCACAF em 2002, 2007, 2008 e 2010, a equipe interiorana irá disputar o Mundial da Fifa pela terceira vez. A melhor participação foi em 2008, quando chegou às semifinais e terminou na quarta colocação.

Internacional
Dados do Clube
Nome: Sport Club Internacional
Fundação: 1909
Como chegou ao mundial:
Como chegou ao Mundial: Campeão da Copa Libertadores
Site: http://internacional.com.br
Títulos mundiais: 2006
Perfil
o Internacional se tornou nos últimos anos um dos maiores papa-títulos internacionais da América do Sul. De 2006 para cá, foram cinco: a Libertadores e o Mundial de Clubes daquele ano, a Recopa de 2007 e a Copa Sul-americana de 2008, além da última Libertadores, cuja conquista lhe rendeu a chance de tentar, pela segunda vez em quatro anos, o título de melhor time do planeta. Todas as últimas conquistas internacionais do futebol brasileiro são coloradas.  

Dono do maior quadro associativo da América Latina, o qual ultrapassa os 100 mil inscritos, o Inter é hoje um exemplo de gestão moderna no futebol brasileiro. Suas categorias de base revelaram nos últimos anos grandes jogadores para o mundo. O mais célebre deles é Alexandre Pato, atualmente no Milan.

Com um alto poder de investimento para os padrões sul-americanos, o Internacional reforçou seu elenco com jogadores de renome para conquistar sua segunda Libertadores. Entre eles destacam-se os goleiros Renan e

Roberto Vinícius | Gazeta Press
Roberto Vinícius | Gazeta Press
Pato Abbondanzieri, o meia Tinga e o atacante Rafael Sobis (campeões continentais em 2006), além do meia argentino Andrés D’Alessandro, peça mais cara do elenco, que atua pelo clube desde 2008.
Al Whada
Dados do Clube
Nome: Al Whada Cultural Sport Club
Fundação: 1984
Como chegou ao mundial: Campeão nacional do país sede
Site:http://www.alwahda-fc.com/
Títulos mundiais: nenhum
Perfil
O Al Whada Cultural Sport Club surgiu em 1984, após a fusão do Emirates Club, resultado da união do Al Ahli com o Al-Falah, e do Abu Dhabi Club, ex Al-Ittihad e Al-Wahda. No ano seguinte, venceu a Copa União Al Etihad. Em 1999, venceu seu primeiro título da Liga dos Emirados Árabes, conquista que seria repetida em 2001, 2005 e 2010.  

Este ano, o clube registrou um recorde de 19 vitórias na competição nacional e o jogo do título foi uma vitória por 3 a 0 sobre o Al Sharjah, na penúltima rodada. Os principais destaques da equipe foram os brasileiros Fernando Baiano e Pinga, que marcaram 30 dos 42 gols da equipe na temporada. O Al-Whada terminou a competição invicto em casa.

A vitória no torneio veio com o técnico austríaco Josef Hickersberger, que deixou a equipe para treinar a seleção do Bahrein. O substituto foi o romeno Lazslo Boloni campeão em Portugal e na Bélgica. O profissional de 57 anos, no entanto, não agüentou e foi substituído por Tite, no começo de setembro. Em outubro, o brasileiro abandonou o clube para treinar o Corinthians

Amer Hilabi | AFP
Amer Hilabi | AFP
Hickersberger fracassou no Bahrein e retornou ao clube. Aos 62 anos, o treinador tem vasta experiência na região, já tendo treinado o Al-Ahli, Al-Shaab, Al Wasl e Al-Ittihad. Começou a carreira na seleção austríaca em 1988, time ao qual voltou em 2006. Disputou a Eurocopa em casa, com uma má campanha de duas derrotas, para Croácia e Alemanha, e um empate, com a Polônia. Pelo Rapid Viena, foi campeão austríaco em 2005.
Hekari
Dados do Clube
Nome:Petroleum Resources Kutubu Hekari United Football Club (Hekari United)
Fundação: 2003
Como chegou ao mundial:
Campeão da Copa dos Campeões da Oceania 2009/2010
Site: não possui
Títulos mundiais: nenhum
Perfil
O Hekari United foi fundado em 2003 na cidade de Port Moresby, capital da Papua-Nova Guiné. O time, que foi primeiramente chamado de PRK Souths United, levou dois anos para chegar à primeira divisão de seu país, e logo se destacou como principal força do campeonato nacional. Desde então, o Hekari conquistou quatro vezes a competição, em 2006, 2008, 2009 e 2010.  

Depois de se destacar dentro de seu país, o Hekari teve como passo seguinte a busca pela conquista da Copa dos Campeões da Oceania, principal torneio de seu continente. Em sua primeira participação no torneio, em 2009, o Hekari chegou na quarta colocação. No ano seguinte, mantendo a mesma base de jogadores, o clube conseguiu vencer a competição, e se tornou o primeiro clube de fora da Austrália e da Nova Zelândia a vencer a Copa dos Campeões.

Na final do torneio, o Hekari enfrentou o Waitakere, da Nova Zelândia, e venceu a primeira partida, dentro de casa, por 3 a 0. Na partida de volta, mesmo com a derrota por 2 a 1, o time de Papua-Nova Guiné se sagrou o campeão da Oceania, e garantiu a vaga do continente na disputa do Mundial de Clubes da Fifa.

Seongnam
Dados do Clube
Nome: Seongnam Ilhwa Chunma
Fundação: 1989
Como chegou ao mundial:
Campeão da Copa dos Campeões da AFC
Site: http://www.esifc.com
Títulos mundiais: Nenhum
Perfil
Vencedor da Liga dos Campeões da Ásia, o Seongnam garantiu sua vaga no próximo Mundial de Clubes da Fifa, disputado no próximo dia 8 de dezembro, nos Emirados Árabes. Uma das surpresas entre os times da competição, a equipe sul-coreana entra nas quartas de final e aguarda o confronto entre os árabes do Al-Wahda e o Hekari United, da Papua-Nova Guiné. Caso avancem no torneio, encontrarão a Inter de Milão, campeã da Liga dos Campeões da Europa, na fase de semifinais.

Gols do Mundial da FiFA 2010

Al Wahda 3×0 Hekari


PLAYOFF – Quartas de final
Jogo Data/Horário Resultado Local
1 08/12/2010 14:00 (qua) Al Wahda 3×0 Hekari United
Mohammed bin Zayed
QUARTAS DE FINAL
Jogo Data/Horário Resultado Local
2 10/12/2010 14:00 (sex) Mazembe x Pachuca Mohammed bin Zayed
3 11/12/2010 14:00 (sáb) Venc. jogo 1 x Seongnam IC Zayed Sports City
SEMIFINAIS
Jogo Data/Horário Resultado Local
4 14/12/2010 14:00 (ter) Venc. jogo 2 x Internacional Mohammed bin Zayed
5 15/12/2010 15:00 (qua) Venc. jogo 3 x Internazionale Zayed Sports City
DISPUTA – QUINTO COLOCADO
Jogo Data/Horário Resultado Local
6 15/12/2010 12:00 (qua) Perd. jogo 2 x Perd. jogo 3 Zayed Sports City
DISPUTA -TERCEIRO COLOCADO
Jogo Data/Horário Resultado Local
7 18/12/2010 12:00 (sáb) Perd. jogo 4 x Perd. jogo 5 Zayed Sports City
Final
Jogo Data/Horário Resultado Local
8 18/12/2010 15:00 (sáb) Venc. jogo 4 x Venc. jogo 5 Zayed Sports City
Ano Campeão Vice

2009 (*)
Barcelona (ESP) Barcelona (ESP)
Estudiantes (ARG)
2008 (*)
Manchester United (ING) Manchester United (ING)
LDU (EQU)
2007 (*)
Milan (ITA) Milan (ITA)
Boca Juniors (ARG)
2006 (*)
Internacional Internacional
Barcelona (ESP)
2005 (*)
São Paulo São Paulo
Liverpool (ING)
2004
Porto (POR) Porto (POR)
Once Caldas (COL)
2003
Boca Juniors (ARG) Boca Juniors (ARG)
Milan (ITA)
2002
Real Madrid (ESP) Real Madrid (ESP)
Olímpia (PAR)
2001
Bayern de Munique (ALE) Bayern de Munique (ALE)
Boca Juniors (ALE)
2000 (*)
Corinthians Corinthians
Vasco
2000
Boca Juniors (ARG) Boca Juniors (ARG)
Real Madrid (ESP)
1999
Manchester United (ING) Manchester United (ING)
Palmeiras
1998
Real Madrid (ESP) Real Madrid (ESP)
Vasco
1997
Borussia Dortmund (ALE) Borussia Dortmund (ALE)
Cruzeiro
1996
Juventus (ITA) Juventus (ITA)
River Plate (ARG)
1995
Ajax (HOL) Ajax (HOL)
Grêmio
1994
Vélez Sársfield (ARG) Vélez Sársfield (ARG)
Milan (ITA)
1993 (6)
São Paulo São Paulo
Milan (ITA)
1992
São Paulo São Paulo
Barcelona (ESP)
1991
Estrela Vermelha (IUG) Estrela Vermelha (IUG)
Colo-Colo (CHI)
1990
Milan (ITA) Milan (ITA)
Olímpia (PAR)
1989
Milan (ITA) Milan (ITA)
Nacional de Medellín (COL)
1988
Nacional (URU) Nacional (URU)
PSV (HOL)
1987
Porto (POR) Porto (POR)
Peñarol (URU)
1986
River Plate (ARG) River Plate (ARG)
Steua Bucarest (ROM)
1985
Juventus (ITA) Juventus (ITA)
Argentinos Juniors (ARG)
1984
Independiente (ARG) Independiente (ARG)
Liverpool (ING)
1983
Grêmio Grêmio
Hamburgo (ALE)
1982
Peñarol (URU) Peñarol (URU)
Aston Villa (ING)
1981
Flamengo Flamengo
Liverpool (ING)
1980
Nacional (URU) Nacional (URU)
Nottingham Forest (ING)
1979 (5)
Olimpia (PAR) Olimpia (PAR)
Malmo (SUE)
1978 (4) Liverpool (ING) e Boca Juniors (ARG) não acertaram a data para realizar a disputa do duelo
1977
Boca Juniors (ARG) Boca Juniors (ARG)
Borussia Mönchengladbach (ALE)
1976
Bayern de Munique (ALE) Bayern de Munique (ALE)
Cruzeiro
1975 (3) Bayern de Munique (ALE) e Independiente (ARG) não acertaram a data para realizar a disputa do duelo
1974 (2)
Atlético de Madri (ESP) Atlético de Madri (ESP)
Independiente (ARG)
1973 (1)
Independiente (ARG) Independiente (ARG)
Juventus (ITA)
1972
Ajax (HOL) Ajax (HOL)
Independiente (ARG)
1971 (1)
Nacional (URU) Nacional (URU)
Panathinaikos (GRE)
1970
Feynoord (HOL) Feynoord (HOL)
Estudiantes (ARG)
1969
Milan (ITA) Milan (ITA)
Estudiantes (ARG)
1968
Estudiantes (ARG) Estudiantes (ARG)
Manchester United (ING)
1967
Racing (ARG) Racing (ARG)
Celtic (ESC)
1966
Peñarol (URU) Peñarol (URU)
Real Madrid (ESP)
1965
Inter de Milão (ITA) Inter de Milão (ITA)
Independiente (ARG)
1964
Inter de Milão (ITA) Inter de Milão (ITA)
Independiente (ARG)
1963
Santos Santos
Milan (ITA)
1962
Santos Santos
Benfica (POR)
1961
Peñarol (URU) Peñarol (URU)
Benfica (POR)
1960
Real Madrid (ESP) Real Madrid (ESP)
Peñarol (URU)

(1) Ajax (HOL) não quis participar
(2) Bayern de Munique (ALE) não quis participar
(3) Bayern de Munique (ALE) e Independiente (ARG) não acertaram a data para realizar a disputa do duelo
(4) Liverpool (ING) e Boca Juniors (ARG) não acertaram a data para realizar a disputa do duelo
(5) Nottingham Forest (ING) não quis participar
(6) O Olympique de Marselha foi suspenso por manipulação de resultados
* Torneios que contaram com representantes dos cinco continentes. Os demais tiveram apenas os campeões da América do Sul e da Europa

Fonte: Gazetaesportiva.net




ICFUT – Fim do Brasileirão 2010 – Série A

Fonte: Diário do Comércio – SP

Quatro Estrelas

Marcelo Theobald/AOG
Toda grande conquista tem um herói, e no Fluminense campeão brasileiro de 2010 não é diferente. Mas, ao contrário da maioria dos times de futebol, o Tricolor das Laranjeiras tem um que não calça chuteiras e que, embora transpire muito, o faz correndo apenas num pequeno espaço ao lado do campo.

Muricy Ramalho foi o responsável por transformar num time vencedor um elenco que juntava medalhões consagrados, como Fred, Washington, Deco e Belletti, a novatos sedentos por fama, como Maquinho, Gum, Leandro Euzébio e Ricardo Berna. Assim que o árbitro Carlos Eugênio Simon apitou o fim da vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, gol de Emerson, outro dos medalhões acima citados, Muricy pôde extravasar a tensão e comemorar o quarto título brasileiro de sua carreira.

“Foi bom demais, o mais difícil campeonato. O Fluminense mereceu e agora vai melhorar em todos os sentidos”, afirmou um Muricy no seu momento mais comum, ou seja, sem papas na língua. “O Fluminense está muito atrás no tempo nas coisas.”

A cobrança veio junto com um autoelogio. “A estrutura é importante, ajuda muito, mas são os homens que fazem a diferença. Se o técnico não for bom, o preparador, não adianta. Normalmente o técnico não tem tanta importância assim, mas acho que contribuí bastante para essa conquista.”

Ivo Gonzalez/AOG
Título com o Fuminense foi o mais difícil de todos, disse Muricy.
A festa de campeão brasileiro está longe de ser uma novidade para ele, um especialista nos pontos corridos: além dos três títulos com o São Paulo, de 2006 a 2008, ainda foi vice com o Inter em 2005, atrás só do Corinthians, e quinto com o Palmeiras no ano passado, quando o tive liderou quase metade do campeonato. “Eu me cobro muito. Preciso ganhar. É o único remédio que me faz bem. Às vezes confundem futebol com diversão, mas isso aqui é trabalho. A disciplina não precisa ser uma loucura, mas é preciso cumprir os horários e se doar nos treinos.”

O título premiou o homem que recusou a Seleção Brasileira para cumprir seu contrato com o Fluminense, que não o liberou. “Se hoje a gente não ganhasse, muita gente ia me criticar, mas tenho que pensar nos meus princípios. Se tiver outra oportunidade eu posso ir, mas, se ela não vier, paciência”, disse o técnico, que contou, emocionado, ter sonhado com Telê Santana na véspera do jogo decisivo. “Sonhei que dei um abraço nele e ele estava contente. Eu senti o abraço dele, senti que ele estava feliz. Acordei feliz, porque ele representa muita coisa. É um cara vencedor, um exemplo de conduta.” Telê foi seu chefe no São Paulo, no início dos anos 90, e um dos grandes ídolos da história do Fluminense.

Fluminense Campeão 2010

Classificação Final

Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1 Fluminense-RJ 71 38 20 11 7 62 36 26 62.3
2 Cruzeiro-MG 69 38 20 9 9 53 38 15 60.5
3 Corinthians-SP 68 38 19 11 8 65 41 24 59.6
4 Grêmio-RS 63 38 17 12 9 68 43 25 55.3
5 Atlético-PR 60 38 17 9 12 43 45 -2 52.6
6 Botafogo-RJ 59 38 14 17 7 54 42 12 51.8
7 Internacional-RS 58 38 16 10 12 48 41 7 50.9
8 Santos-SP 56 38 15 11 12 63 50 13 49.1
9 São Paulo-SP 55 38 15 10 13 54 54 0 48.2
10 Palmeiras-SP 50 38 12 14 12 42 43 -1 43.9
11 Vasco da Gama-RJ 49 38 11 16 11 43 45 -2 43.0
12 Ceará-CE 47 38 10 17 11 35 44 -9 41.2
13 Atlético-MG 45 38 13 6 19 52 64 -12 39.5
14 Flamengo-RJ 44 38 9 17 12 41 44 -3 38.6
15 Avaí-SC 43 38 11 10 17 49 58 -9 37.7
16 Atlético-GO 42 38 11 9 18 51 57 -6 36.8
17 Vitória-BA 42 38 9 15 14 42 48 -6 36.8
18 Guarani-SP 37 38 8 13 17 33 53 -20 32.5
19 Goiás-GO 33 38 8 9 21 41 68 -27 28.9
20 Grêmio Prudente-SP 28 38 7 10 21 39 64 -25 24.6
38ª RODADA
2/12 – 21h00 Grêmio Prudente-SP 0 x 3 Internacional-RS
5/12 – 17h00 Grêmio-RS 3 x 0 Botafogo-RJ
5/12 – 17h00 Fluminense-RJ 1 x 0 Guarani-SP
5/12 – 17h00 Goiás-GO 1 x 1 Corinthians-SP
5/12 – 17h00 São Paulo-SP 4 x 0 Atlético-MG
5/12 – 17h00 Vitória-BA 0 x 0 Atlético-GO
5/12 – 17h00 Santos-SP 0 x 0 Flamengo-RJ
5/12 – 17h00 Cruzeiro-MG 2 x 1 Palmeiras-SP
5/12 – 17h00 Atlético-PR 1 x 0 Avaí-SC
5/12 – 17h00 Vasco da Gama-RJ 2 x 0 Ceará-CE

23 GOLS
Grêmio – Jonas

18 GOLS
Santos – Neymar

14 Gols

Corinthians – Bruno César

12 gols
Atlético-MG – Obina
Atlético-GO – Elias

11 GOLS
Botafogo – Loco Abreu

Grêmio – André Lima
Palmeiras – Kléber
Santos –
Zé Eduardo

10 GOLS
Atlético-MG – Diego Tardelli

Atlético-PR – Paulo Baier
Fluminense – Washington

Grêmio Prudente – Wesley
Internacional – Alecsandro

Festa do Fluminense

Por Cleber Aguiar – Vitória é o último rebaixado !

Fonte: O Estado de São Paulo

Atlético-GO se segura e Vitória cai para Série B

Time baiano pressiona em busca da salvação, mas esbarra na retranca de René Simões: 0 a 0 garante goianos na elite

– O Estado de S.Paulo

SALVADOR
No jogo da morte, o Atlético-GO se manteve vivo. Conseguiu segurar o 0 a 0 com o Vitória ontem, no Barradão, e se manteve na elite do Brasileiro. Os baianos, que tiveram apoio de 35 mil torcedores, vão disputar a Série B na próxima temporada.

Apesar de entrar em campo com uma formação ofensiva e de pressionar o adversário, o Vitória criou pouco e sofreu com a forte marcação do Atlético-GO.

No segundo tempo, após o volante Gabriel Paulista ser expulso, o time baiano entrou em pânico. Nos últimos minutos, o Vitória, que só conseguiria se salvar com o triunfo, foi todo à frente e a torcida chegou a gritar gol, de Júnior. Mas o juiz Sálvio Spínola marcou falta de Schwenck e anulou o gol que seria o da salvação.

ICFUT – Flu & Unimed um verdadeiro casamento !

Fonte: O Estado de São Paulo

Flu e Unimed: parceria de altos, baixos, amor e ódio

Patrocinadora do clube desde 1998, empresa faz contratações, monta e desmonta times, recebe elogios e muitas críticas

Bruno Lousada, Leonardo Maia, Sílvio Barsetti / RIO – O Estado de S.Paulo

A conquista do título brasileiro, o primeiro do Fluminense em 26 anos, é o ápice de uma longa parceria que ajudou a resgatar o clube de seus anos mais delicados, mas também foi apontada como razão de muitos fracassos e temporadas pífias. A seguradora de saúde Unimed está ligada ao Tricolor carioca desde o fim de 1998, justamente o ano de sua maior depressão, a queda para a Série C.

Tudo indicava que a história do Flu repetiria a de outros clubes outrora grandes que perderam o rumo. Mas surgiu a Unimed, comandada por um tricolor fanático, o médico Celso Barros, disposta a investir na desprestigiada marca. Naquele ano, o acordo era simplório. Não havia um investimento anual fixo. A seguradora pagava R$ 50 mil por partida ao clube e ajudava a custear despesas de viagem. Veio o título da Terceira Divisão, uma virada de mesa no ano seguinte que permitiu ao clube retornar à elite sem jogar a Série B, e os valores foram crescendo ano a ano.

Os números atuais são mantidos em sigilo por uma cláusula no contrato, ao contrário de outros clubes. Estima-se, de acordo com pessoas ligadas ao clube, que a operadora de saúde investiu R$ 30 milhões este ano pela exposição de sua marca na camisa do time e em contratações. É difícil calcular o montante total, no entanto, porque a parceria entre Unimed e Fluminense não segue os padrões dos demais clubes brasileiros.

A maior parte do dinheiro aplicado não passa pelo clube. Não são os dirigentes que determinam o destino dos recursos. O patrocinador, representado por Celso Barros, investe diretamente na vinda de reforços e no pagamento dos salários dos jogadores. Apenas com os ganhos de Fred, Deco e Muricy Ramalho, são R$ 1,7 milhão mensais.

Envolto em uma dívida que supera os R$ 340 milhões, o clube não tem fluxo de caixa para manter a folha salarial em dia sem o auxílio externo. Se o técnico quer trazer um jogador e Celso Barros simplesmente não observa interesse na contratação do atleta, não há negócio. Essa ingerência clara é o principal motivo das muitas críticas ao atual formato do acerto, e o cerne da discordância entre muitos tricolores.

Em 12 anos determinando os rumos do futebol do clube, porém, foram poucas as taças levadas para as Laranjeiras. Sem contar a conquista da Série C e o Brasileiro deste ano, são apenas três títulos de Primeira Divisão: dois Estaduais (2002 e 2005) e uma Copa do Brasil (2007), além dos vice da Libertadores (2008) e da Sul-Americana (2009). As muitas contratações a cada ano e o desmonte quase anual da equipe também levaram o Fluminense a sofrer com a ameaça de novo descenso em 2003, 2006, 2008 e 2009.