Por Edgar Santista – Real Madrid diz que Cristiano Ronaldo tem ‘forte contusão’ e que Kaká segue bem na recuperação

Cristiano Ronaldo tem uma forte contusão. É o que afirma o Real Madrid em comunicado divulgado nesta quarta-feira. Segundo o clube espanhol, o craque português está com uma tenossinovite no tornozelo direito e ficará em observação nas próximas 48 horas.

Ainda segundo o Real Madrid, o procedimento ideal é tratamento médico e fisioterapia. O português não deve comparecer ao evento de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. Ele é um dos principais nomes da candidatura de Portugal e era esperado.

No mesmo comunicado, o Real falou sobre a situação de Kaká. Médicos do clube conversaram com o Dr. Toribio Leite, que avaliou o jogador aqui no Brasil, e ele está se recuperando bem. A expectativa de retorno é para janeiro de 2011.

Fonte: esporteinterativo.com

Por Cleber Aguiar – Neymar grava participação em seriado da Globo.

Fonte: Globo.com

Do futebol para a TV: Neymar grava participação especial na série Aline

O diretor Maurício Farias acompanha as gravações do craque do Santos

Craque do Santos e da Seleção Brasileira, Neymar grava uma participação especial na segunda temporada da série Aline, com estreia prevista para 2011 na Rede Globo. O diretor do programa, Maurício Farias, acompanha cada detalhe do ensaio da cena do jogador.

Neymar faz participação especial na segunda temporada da série AlineNeymar faz participação especial na segunda temporada da série Aline (Foto: TV Globo / Estevam Avellar)

Protagonizado por Maria Flor no papel da personagem-título, o programa conta ainda com Pedro Neschling, que vive o Pedro, e Bernardo Marinho, interpretando o Otto.

Por Cleber Aguiar – ABC tenta a Tríplice Coroa !

Fonte: Globo.com

Com ‘Felipão do Nordeste’, ABC-RN busca inédita Tríplice Coroa em 2010

Clube potiguar já conquistou o Estadual, o Brasileirão da Série C e enfrenta o Vitória nesta quarta-feira na final da Copa do Nordeste

Por Marcello Carrapito Rio de Janeiro

Quando a temporada começou e os Meninos da Vila, liderados por até então Dorival Júnior, arrebataram o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil respectivamente, a opinião pública não tinha dúvidas: o Santos estaria rumando para a conquista da Tríplice Coroa em 2010. No entanto, tropeços no Campeonato Brasileiro e eliminação precoce na Copa Sul-Americana tiraram a possibilidade do Peixe. Mas quem pensa que não há mais candidato a somar três títulos neste ano está enganado.

Maior vencedor de estaduais, com 51 conquistas, o ABC-RN poderá se tornar o único clube a garantir a Tríplice Coroa. Isso porque, além de já ter vencido o Campeonato Potiguar e a Série C do Campeonato Brasileiro (assista ao vídeo), retornando à Segunda Divisão em 2011, nesta quarta-feira o time abecedista disputará a final do Campeonato do Nordeste contra o Vitória, da Bahia. Com 10 vitórias, três empates e apenas uma derrota, terminou a primeira fase da competição na liderança e, portanto, terá a vantagem de decidir o título em jogo único no Frasqueirão. No entanto, a maior atração estará à beira das quatro linhas, orientando o Alvinegro da Frasqueira rumo a mais uma taça: o técnico Leandro Campos.

MONTAGEM - ABC-RN Time da final
Leandro Campos tem o estilo parecido com o de
Luiz Felipe Scolari (Foto: Divulgação / ABC-RN)

Reconhecido por muitos na região como ‘Felipão do Nordeste’, em alusão ao pentacampeão do mundo e comandante do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, assumiu o time ao fim do primeiro turno do Campeonato Potiguar, no lugar de Didi Duarte. Mas, para o treinador de 46 anos, que assim como o técnico alviverde é gaúcho, a semelhança fica somente no bigode e no estilo sulista de orientar sua equipe.

– Sou um pouco parecido. Particularmente não vejo isso. As pessoas que acham. Nem tenho amizade com o Felipão, respeito muito o trabalho dele, por tudo o que já realizou no futebol. O que fui, foi treinador do sobrinho dele, que hoje é seu preparador físico, e de quem sou amigo. Não sei nem se ele (Scolari) sabe que eu existo – disse, por telefone, bem-humorado.

Desde 1988 como técnico de futebol, com passagens por Joinville, times do interior de São Paulo e Oriente Médio, Campos mantém os pés no chão quanto a possibilidade de levantar o seu terceiro troféu em 2010 e enriquecer ainda mais o seu currículo.

– Esse jogo contra o Vitória será muito difícil. Esse negócio de Tríplice Coroa serve para o torcedor, mas estamos muito concentrados neste objetivo. Continuamos com a maior simplicidade, não é porque nós ajudamos ao clube com estas conquistas que deixaremos de nos manter humildes – completa.

ABC-RN João Paulo
O jovem João Paulo é o artilheiro do time no ano
(Foto: Divulgação / ABC-RN)

Artilheiro do time com 33 gols marcados na temporada, João Paulo reconhece que o ABC-RN leva vantagem sobre o Vitória por decidir o título do Nordestão no Frasqueirão.

– A expectativa é a melhor possível. O objetivo principal do clube era voltar à Série B. A gente, que é da casa, já tinha isso em mente e, quem chegou, também compactuou com o mesmo objetivo. Será um jogo muito difícil, pois o Vitória é um clube de Série A, mas a vantagem que a gente tem é de decidir em casa, com o apoio de nossa torcida. Mesmo que eles venham com time B, será complicado, jogamos contra eles lá na Bahia, na primeira fase, e empatamos em 2 a 2 – recorda o atacante, de 22 anos, que apesar de ter contrato até 2012, ainda não sabe se continua para a próxima temporada.

– Houve propostas de Portugal, outras especulações, mas vamos esperar o ano terminar para conversarmos e ver o que é melhor para mim – despistou.

Mudança na forma de gestão reestrutura o clube

Há um ano, ao fim do Campeonato Brasileiro da Série B, o ABC terminaria na lanterna, rebaixado à Terceira Divisão e com uma dívida estimada em R$ 2,5 milhões. Sem credibilidade, o torcedor se afastou e passou a não mais acreditar no time. Coube então ao empresário do ramo farmacêutico, Rubens Guilherme Dantas, apoiado por conselheiros e ex-presidentes abecedistas, como Paiva Torres, Ives Bezerra, Cláudio Porpino e José Wilson, a missão de reestruturar o tradicional clube o Rio Grande do Norte.

ABC-RN FrasqueirãoFrasqueirão lotado na final da Série C do Campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação / ABC-RN)

– Levei o modelo de administração da minha empresa (rede de farmácias) para o clube e o transformei em empresa, com departamentos independentes. Formamos uma equipe comprometida e competente. Quando assumi, só tínhamos três jogadores profissionais no clube, praticamente não havia jogadores disponíveis no mercado e não tínhamos recursos para contratar atletas conhecidos. Então, foi estabelecido um teto de R$ 5 mil e apostamos em desconhecidos. Deu certo – explica o mandatário.

Poucos clubes no Brasil têm a Tríplice Coroa. A torcida realmente está em estado de graça, motivadíssima.”
Rubens Guilherme Dantas

E se por um lado o ABC cresce, o mesmo não se pode dizer do arquirrival América-RN. Sem vencer um Estadual desde 2003, disputou pela última vez a Série A do Brasileirão em 2007, quando foi rebaixado à Segunda Divisão. Este ano, após 38 rodadas, o Dragão terminou na lanterna da Série B, caindo para a Terceira Divisão. Segundo o mandatário alvinegro, apesar da rivalidade, o descenso do América-RN só diminui a projeção do futebol potiguar.

– Há realmente uma gozação por parte da torcida. É normal que tenha esse comportamento. Já por parte da diretoria, com relação aos clubes, não é bom para o Rio Grande do Norte essa queda do América-RN, pois o futebol é um negócio e o futebol da região acaba perdendo visibilidade – completou.

ABC-RN e Vitória se enfrentam nesta quarta-feira, às 23h (de Brasília), no Frasqueirão, pela final do Campeonato do Nordeste.

ICFUT – Candidatos a Copa de 2018 & 2022.

Fonte: Globo.com

Nove candidaturas lutam por Copas de 2018 e 2022: conheça as propostas

Países começam a mostrar projetos nesta quarta-feira à Fifa. Decisão sobre onde serão os Mundiais depois de 2014 será revelada na quinta, em Zurique

Por Lucas Loos e Márcio Iannacca Rio de Janeiro

O planeta vai saber nesta quinta-feira quais serão as sedes das Copas do Mundo de 2018 e de 2022. Mas, a partir desta quarta, 11 países divididos em nove candidaturas começarão a apresentar ao Comitê Executivo da Fifa, em Zurique, os seus projetos pela última vez. Rússia, Inglaterra e as propostas conjuntas de Portugal/Espanha e Bélgica/Holanda estão no páreo para receber o primeiro evento, enquanto Japão, Qatar, Coreia do Sul, Estados Unidos e Austrália brigam pelo direito de organizar a edição seguinte.

As apresentações finais começarão com os países que sonham sediar o Mundial de 2022. Nesta quarta, a Austrália vai ser a primeira a mostrar o seu projeto, às 11h (horário de Brasília). Em seguida, Coreia do Sul, Qatar, Estados Unidos e Japão, respectivamente, terão uma hora. No dia seguinte, a candidatura de Bélgica e Holanda será a primeira a fazer a sua exposição, às 6h (de Brasília), para depois entrarem Espanha/Portugal, Inglaterra e Rússia. O anúncio das sedes das duas Copas depois de 2014 será feito às 13h (de Brasília) na quinta.

O GLOBOESPORTE.COM pesquisou cada uma das candidaturas e selecionou os principais pontos fortes e fracos de cada uma delas. Além disso, um infográfico mostra todos os estádios oferecidos pelos países à Fifa. Embora a entidade só tenha exigido 12 arenas de cada, alguns oferecem mais do que o necessário e essa escolha está sujeita à mudanças futuras. Portugal e Espanha, por exemplo, sugeriram 21 estádios, enquanto o Qatar foi mais econômico, com apenas 12, sendo que nove deles ainda precisarão ser erguidos. Confira abaixo tudo sobre a briga para 2018 e 2022.

Rússia

Estádio Krasnodar Copa 2018 Russia
Projeto do estádio de Krasnodar, na Rússia: país
é o favorito para a  Copa de 2018 (Foto: Divulgação)

Favorita nos bastidores para receber a Copa do Mundo de 2018, a Rússia aposta no seu forte poderio econômico para receber a competição. Com a promessa de investir U$ 3,8 bilhões (R$ 6,5 bilhões) em estádios, U$ 2,2 bilhões (R$ 3,8 bilhões) no futebol no país e U$ 11,5 bilhões (R$ 19,8 bilhões) em infraestrutura, a candidatura promete erguer nada menos que 13 arenas e ainda reformar outras três. Os russos ainda usam o argumento de que nunca sediaram uma Copa e, com isso, poderiam abrir novos mercados para o torneio, assim como aconteceu com a África do Sul, neste ano, e com os Estados Unidos, em 1994.

– Nunca recebemos uma Copa do Mundo. Recebê-la aqui seria abrir novas cabeças e corações para o futebol. Seria um capítulo completamente novo para a Copa do Mundo – disse o meia Arshavin, um dos principais nomes do Arsenal, capitão da seleção russa e embaixador da candidatura.

Maior país em território do planeta (17.075.200 km²), a Rússia atravessa a Europa e a Ásia, ligando Ocidente e Oriente. Isso implica também em longas distâncias de uma sede para outra. A organização da candidatura, porém, diz que vai concentrar os jogos na parte leste do país para evitar longas viagens das delegações. Por conta da questão dos transportes, a candidatura é considerada de médio risco na avaliação da Fifa, enquanto as suas concorrentes europeias são mais bem avaliadas nesse sentido.

Inglaterra

David Beckham no estádio olímpico de Londres
Beckham no Estádio Olímpico de Londres, que
poderá ser usado na Copa (Foto: Reuters)

Berço do futebol, a Inglaterra usa a sua tradição no esporte e suas arenas bem cuidadas como trunfos na votação desta quinta-feira. Na capital, por exemplo, a candidatura oferece o futuro estádio Olímpico de Londres (ainda em construção), a nova casa do Tottenham (ainda um projeto), o lendário e remodelado Wembley e o Emirates Stadium, do Arsenal. Fora outras cidades com clubes fortes, como Manchester (Old Trafford e City of Manchester) e Liverpool (Novo Anfield Road), que também serão sedes. Além disso, a comunidade britânica está bem envolvida com o projeto. Nomes como o primeiro-ministro do país, David Cameron, e o astro David Beckham vão a Zurique para a votação.

– Os ingleses querem muito ser sede da Copa. E eu acho que eles estão muito preparados para isso. Mesmo sem terem sido eleitos para organizar a Copa do Mundo, eles já estão preparados desde antes – disse o brasileiro Gomes, que atua no Tottenham.

Pesa contra os ingleses o fato de já terem sediado uma Copa do Mundo e ainda receberem as Olimpíadas de Londres de 2012. Isso porque a Fifa não gostaria que os britânicos organizassem dois grandes eventos desse nível em um pequeno intervalo de tempo para dar a oportunidade a uma outra nação. Outro ponto que levantou polêmica é a questão do torneio de Wimbledon, que pode coincidir com os jogos da competição. A Fifa exige que nenhum outro evento esportivo de grande porte aconteça em uma das sedes simultaneamente ao Mundial e, por isso, levou em conta o Grand Slam do tênis em seu relatório.

Holanda e Bélgica


Após organizarem a Eurocopa de 2000, Holanda e Bélgica se juntaram novamente para tentar realizar uma Copa do Mundo. E dessa vez sustentabilidade e facilidade de locomoção são as palavras de ordem. Com planos de reaproveitar água e reciclar resíduos, os dois países pretendem utilizar materiais que produzam um Mundial verde. Além disso, enquanto a Rússia enfrenta dificuldades com as longas distâncias, o maior trajeto a ser percorrido entre as sedes dos dois países será de 374km, das cidades de Enschede (Holanda) para Charleroi (Bélgica).

Pouco cotada nos bastidores, a candidatura perdeu força com a desistência dos Estados Unidos na briga por 2018 para se concentrar exclusivamente para 2022, na qual são favoritos. Com isso, holandeses e belgas só podem brigar pelo direito de sediar a edição logo após o Mundial do Brasil, já que os europeus não estarão na concorrência de 2022 devido ao rodízio de continentes promovido pela Fifa. Além disso, a pouca tradição da Bélgica no futebol não fortalece a proposta.

gullit, campanha para copa de 2018Ex-jogador Gullit (esquerda) é o principal nome da campanha de Holanda e Bélgica (Foto: AP)

Espanha e Portugal

montagem Cristiano Ronaldo José Mourinho camisa candidatura CopaCristiano Ronaldo e José Mourinho dão apoio à
candidatura ibérica (Fotos:EFE)

O grande trunfo de Portugal e Espanha para receberem a Copa do Mundo de 2018 é a boa estrutura de estádios e hotéis que os países contam atualmente. Das 21 arenas oferecidas para o Mundial, apenas cinco vão precisar ser construídas, sendo que das existentes sete não precisariam nem de reforma. Além disso, a boa rede hoteleira é considerada boa e vai além do que a Fifa exige para a competição. Jogadores e ex-jogadores consagrados dos países também fazem parte da campanha e alguns deles, como Iker Casillas, Fernando Hierro, Luís Figo e Cristiano Ronaldo, prometeram marcar presença na escolha em Zurique.

Com a grande quantidade de estádios oferecidos pela candidatura conjunta, a Espanha vai dominar o Mundial caso a dupla seja escolhida pelo Comitê Executivo da Fifa. Isso porque Portugal só teria três dessas sedes – Dragão (Porto), José Alvalade e Estádio da Luz (ambos em Lisboa). Além disso, a situação econômica dos países não é das melhores e pode pesar contra a proposta ibérica.

Copa 2022

Austrália

Daniel Jordaan, Mayne-Nicholls Inspeção FIFA copa 2018 AustráliaAustrália espera levar a Copa pela primeira vez
para a Oceania (Foto: Getty Images)

Assim como a Rússia, a Austrália argumenta que sua candidatura poderá conduzir o futebol a novas localidades, podendo levar a Copa pela primeira vez para a Oceania e a deixar próxima da Ásia ao mesmo tempo. Além disso, o país é dono de um grande potencial turístico e abriga uma das mais antigas civilizações do mundo. Após organizar grandes eventos recentemente, como as Olimpíadas de Sidney (2000) e o Mundial de Rugby (2003), os australianos garantem que já têm uma infraestrutura bem adiantada para o evento.

Apesar de estar presente nas duas últimas edições da Copa, a Austrália deixa a desejar quando o assunto é tradição no futebol. Potência olímpica, os australianos só participaram de três Mundiais e, a partir das eliminatórias passadas, filiou-se à AFC (Confederação de Futebol Asiático) para ter chances maiores de disputar a competição. Além disso, a questão da rede hoteleira deixa a desejar, já que o país apresentou 43 mil quartos enquanto a Fifa exige 60 mil.

Japão

projeto estádio de osaka, copa de 2022Projeto do estádio de Osaka, o único que ainda
não está pronto no Japão (Foto: Divulgação)

O Japão tem uma nova paixão: o futebol. Desde os anos 90, o esporte no país se desenvolveu a ponto de a seleção local participar os últimos quatro Mundiais de forma consecutiva. Os números são impressionantes se levar em conta que a equipe nipônica fez sua estreia em Copas em 1998. Além disso, a tecnologia desenvolvida e a cultura milenar também são argumentos usados pelos organizadores para sensibilizar o Comitê Organizador da Fifa na próxima quinta-feira.

Pesa contra o país o fato de ter organizado o evento há oito anos. Sede da Copa de 2002, em conjunto com a Coreia do Sul, o país receberia a competição por duas vezes em um intervalo de 20 anos, caso seja o escolhido na votação em Zurique. Até hoje só o México organizou duas edições em um intervalo próximo a esse, em 1970 e 1986, e assim mesmo porque a Colômbia, que deveria sediar o Mundial vencido pela Argentina, desistiu por conta dos problemas políticos e econômicos que atravessava na década de 80.

Coreia do Sul

É com o legado de competições do porte das Olimpíadas de Seul, em 1992, e da Copa do Mundo, em 2002, que a Coreia do Sul espera convencer os membros do Comitê Executivo da Fifa para receber novamente o Mundial. Com uma boa infraestrutura por conta dos eventos recentes, a candidatura aposta também nas vitórias da seleção local, que garantiu vaga nas últimas sete edições da Copa, para se mostrar como a maior força do futebol asiático dos últimos anos e ganhar uma nova oportunidade.

Assim como o Japão, a Coreia recebeu um Mundial recentemente e, caso seja a escolhida nesta quinta, estaria tirando a chance de uma outra nação receber o evento. Além disso, tem a questão da eterna tensão com a Coreia Norte, que pode servir como empecilho para o sonho asiático. A candidatura, no entanto, promete usar essa questão a seu favor e pretende oferecer dois ou três jogos do torneio para os vizinhos.

estádio da Coreia do Sul Seoul Coreia do Sul aposta no sucesso de 2002 para repetir os estádios cheios em 2022 (Foto: Reprodução)

Estados Unidos

Há 16 anos, os Estados Unidos organizavam a Copa do Mundo mais lucrativa da história, ao faturar cerca de R$ 3,4 bilhões. Favoritos nos bastidores para organizar novamente o evento, os americanos preferem deixar de lado o passado e focam o presente e o futuro ao usar como trunfo a boa disponibilidade de estádios no país aliada à possibilidade de abrir ainda mais o mercado do esporte para a América do Norte. Com nomes como Brad Pitt, Morgan Freeman e Bill Clinton apoiando a candidatura, os EUA apostam ainda que a sua população cosmopolita poderá atuar como um fator preponderante na decisão da Fifa.

Uma escolha favorável aos americanos, no entanto, iria contra a política de rodízio da Fifa. Apesar da experiência bem sucedida, o país recebeu a Copa em 1994 e estaria tirando a oportunidade de uma outra nação que nunca recebeu uma Copa. Além disso, a Fifa apontou em seus relatórios que os governantes locais não estariam dando o devido apoio à candidatura

Brad PittBrad Pitt é um dos embaixadores dos Estados Unidos para sediar novamente a Copa (Foto: Getty Images)

Qatar

Estádios com tecnologia de ponta, sedes próximas umas das outras e a possibilidade de levar a primeira Copa do Mundo até o Oriente Médio, região apaixonada pelo futebol. Estes são os três grandes trunfos do Qatar para convencer os membros do Comitê Executivo da Fifa. Com o apoio de nomes de peso, como Zinedine Zidane e Pep Guardiola, a proposta asiática oferece estádios climatizados e facilidade de locomoção para driblar os contras que ameaçam a candidatura.

O primeiro deles é o forte calor que faz no país nos meses de junho e julho, época em que acontece o torneio. Por conta disso, a Fifa inclusive inseriu em seu relatório que um eventual Mundial no Qatar poderia oferecer riscos à saúde dos jogares, classificando a proposta – entre outros motivos – como de grande risco. A pouca tradição no futebol é outro fator que pesa contra os asiáticos, que não estão nem entre as 100 seleções mais bem colocadas do ranking e nunca disputaram uma Copa do Mundo.

camisa gigante promove a candidatura da copa do mundo Qatar 2022O comitê do Qatar produziu a maior camisa do mundo para divulgar a candidatura do país (Foto: Reuters)

ICFUT – Mercenários do Bugre acertam mala branca !

Fonte: Futebolinterior.com.br

Reunião de mercenários do Guarani confirma “mala branca” do Timão

Estima-se que o Bugre deve receber R$ 1,3 milhão para que segure, ao menos, um empate diante do Fluminense

 

Campinas, SP, 30 (AFI) – Na tarde desta terça-feira, o técnico rebaixado Vágner Mancini chamou seu jogadores e confirmou que há uma premiação de R$ 1,3 milhão, do Corinthians, para que o Guarani, ao menos, empate com o Fluminense no próximo domingo no Rio de Janeiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado beneficia o Corinthians que, em caso de vitória sobre o Goiás, será campeão brasileiro.

Antes do convocar todo o elenco, Vágner Mancini fez uma reunião reservada com quatro jogadores: Douglas, Renan, Baiano e Ailson. Eles são os responsáveis pela discussão dos valores a serem recebidos diretamente do Corinthians. Douglas, inclusive, nem vem jogando no gol bugrino, tendo se escondido no Departamento Médico após ver que o time iria ser rebaixado, sendo substituído por Émerson. Embora não exista nenhum erro formal em receber dinheiro para ganhar jogos, fica incoerente a posição do treinador Vágner Mancini e dos jogadores. Se o time não vem bem de muitos jogos e está antecipadamente rebaixado, discutir o recebimento de importância financeira de um terceiro passa a ser imoral, caracterizando o mercenarismo do grupo bugrino que levou o clube ao rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

O ala Moreno, que deu entrevista ao Diário Lance! confirmando a mala branca, foi advertido rispidamente pelo treinador Mancini, dizendo que jamais era para ele ter tocado no assunto pois, assim, este assunto chegaria à diretoria. E que este dinheiro era dos jogadores e da comissão técnica, diretamente enviado pelo Corinthians. Na verdade, Mancini não queria que os diretores do Guarani soubessem da movimentação que houve para que a mala branca chegasse ao elenco bugrino.

“Um diretor muito influente lá do Corinthians me ligou, dizendo que eles vão oferecer dinheiro para a gente. Eu até li no jornal que o Andrés (Sanchez, presidente do Corinthians) não iria oferecer, só que esse diretor disse que o Corinthians vai nos enviar dinheiro, sim”, disse Moreno.

Nos bastidores, cogita-se que o Guarani pode receber um valor ainda maior, que chegaria até R$ 2,5 milhões de “incentivo”, conforme informou o Jornal Agora, de São Paulo.

O coordenador técnico do Guarani, Waguinho Dias, espera que com ou sem ajuda financeira, os atletas possam honrar a camisa do clube, que está há 12 jogos sem vitórias no Brasileirão. “Mesmo sem ajuda financeira, espero que os joagadores honrem a camisa, pois não vencemos há 12 jogos. Vencer no domingo é obrigação”.

ICFUT – Sulamericana 1º Final Goiás x Independiente .

Fonte: Gazetaesportiva.net

Goiás tenta fazer história contra maior campeão da Libertadores

Goiás é Brasil !
Goiânia (GO)

Mesmo rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro após 11 anos na elite do futebol nacional, o Goiás poderá fazer história em 2010. Isto porque a equipe esmeraldina tem a chance de conquistar seu primeiro título internacional. Após eliminar o Palmeiras nas semifinais, o clube alviverde encara outra pedreira, nesta quarta-feira, no Serra Dourada: o Independiente, da Argentina, time com maior número de títulos da Libertadores da América (ao todo, são sete troféus obtidos, sobretudo, durante a década de 70).

Otacílio Neto, companheiro de ataque de Rafael Moura (artilheiro da atual edição, com seis gols) na inesquecível quarta-feira passada, enalteceu a qualidade dos argentinos, que passaram pela LDU, do Equador, para se credenciar a uma vaga na decisão.

“Sabemos das conquistas deles. É uma equipe vencedora, mas estamos confiantes”, analisou. Apesar do currículo invejável, o ‘El Rey de Copas’ não emplaca uma boa campanha há anos. Atualmente, o ‘Diablo Rojo’ ocupa a modesta 18ª posição, entre 20 clubes, no Campeonato Argentino (Apertura 2010).

Além do poderio da dupla de ataque, o Goiás terá outra carta na manga. A experiência do zagueiro Marcão, atleta que pode se tornar o primeiro bicampeão da competição. Além do título em 2008 (defendendo o Internacional), o defensor tem quatro participações em Libertadores. Um dos líderes do grupo, Marcão ressaltou a responsabilidade do Goiás, que representará o Brasil.

“Converso bastante com o grupo para mostrar o quão importante é chegar a uma final. Nessas horas, nossa responsabilidade triplica. Não somos mais apenas o Goiás, somos o Brasil”, afirmou.

Apesar do clima agradável na capital goiana, o treino da última segunda-feira não acabou bem. Após receber uma entrada dura do volante Rithelly, o ‘He-man’ foi tirar satisfação com o reserva. A situação ficou tão tensa que foi necessário o apoio dos outros jogadores para apaziguar e separar os ‘brigões’. No entanto, minutos depois, os dois selaram a paz e finalizaram a atividade de forma tranquila.

A partida de ida será realizada nesta quarta-feira, no Estádio do Serra Dourada, às 22h (de Brasília). O título será decidido na próxima quarta, em Avellaneda. A forma de disputa dá vantagem, teoricamente, ao Goiás, pois tanto nas quartas de final (contra o Peñarol, do Uruguai), quanto nas semi (ante o Palmeiras), o clube esmeraldino garantiu a classificação fora de seus domínios.

FICHA TÉCNICA

GOIÁS x INDEPENDIENTE-ARG

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 1º de dezembro de 2010, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Torres (Paraguai)
Assistentes: Nicolás Yegros e Rodney Aquino (Paraguai)

GOIÁS: Harlei; Ernando, Rafael Toloi e Marcão; Douglas, Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa e Wellington Saci; Otacílio Neto e Rafael Moura
Técnico: Artur Neto

INDEPENDIENTE-ARG: Navarro; J. Velázquez, Tuzzio e Galeano; Cabrera, Fredes, Godóy, Battión e Marque; Parra e Silvera
Técnico: Antônio Mohamed

Fonte: Diário Olé – Argentina

Tradutor Google

“No Brasil, ele sairá vivo”

Mohamed sei que você tem 180 minutos para ganhar o Sudamericana. “Não devemos perder mais de um gol”, alertou o turco em Goiana. A primeira final será disputada na quarta-feira, 21.

ICFUT – Entrevista do craque Fred para o Estadão!

Fonte: O Estado de São Paulo

‘A reação incrível de 2009 levou nosso time a outro nível’

Bruno Lousada, Leonardo Maia / RIO – O Estado de S.Paulo

ENTREVISTA
FRED
Atacante do Fluminense, um dos “heróis” do ano passado

Um dos atletas mais caros do elenco do Fluminense, salário superior a R$ 600 mil por mês, o atacante Fred vive a expectativa de conquistar seu primeiro título do Campeonato Brasileiro. Nesta entrevista ao Estado, o ex-jogador da seleção brasileira – esteve na Copa de 2006 – classificou o técnico Muricy Ramalho como um dos melhores do mundo e disse que a experiência da equipe tricolor deve fazer a diferença na partida contra o Guarani, domingo, no Engenhão.
Muitos dizem que o Fluminense já é campeão, pois vai enfrentar um Guarani rebaixado na última rodada. Concorda?

Não. Muitos também diziam que atropelaríamos o Goiás em casa. E não foi isso que ocorreu. Encontramos muita dificuldade e, por pouco, não perdemos aquela partida no Engenhão. Todo cuidado é pouco.

O Fluminense foi campeão da Primeira Divisão do Brasileiro pela última vez em 1984. Isso provoca ansiedade?

Com ou sem jejum, a ansiedade sempre vai estar presente. Mesmo que o Fluminense tivesse sido campeão no ano passado, a ansiedade agora seria pela conquista do bicampeonato. Por isso, não temos escolha. A melhor saída é usar a experiência de jogadores consagrados como Deco, Emerson, Conca, Fernando Henrique, Belletti, Diguinho, entre outros, para transformar essa ansiedade em autoconfiança e, assim, nos tornarmos um time vencedor.

Muricy Ramalho pode conquistar o quarto título brasileiro em cinco anos. O que ele tem de diferente dos outros?

A perseverança e a justiça. Se ele almeja algo, sabemos que não vai descansar até concretizar suas metas. É sem dúvida um treinador acima da média e, sem dúvida, está no grupo dos melhores técnicos do futebol mundial. Estar prestes a conquistar o quarto título brasileiro num período de apenas cinco anos não é para qualquer um. Ainda bem que ele está do nosso lado.

O Fluminense se preocupa com a mala branca?

O Fluminense se preocupa apenas com seu adversário. Se vencermos, estará tudo resolvido. Contudo, sabemos que nossa vida não será nada fácil.

Acha que a arbitragem teve influência na classificação dos clubes durante o Brasileiro?

Não. Depois que o lance polêmico passa 100 vezes, em câmera lenta, nos programas de TV, aí fica fácil opinar. Quero ver ali na hora. Mas sou completamente favorável à profissionalização da arbitragem no Brasil, até mesmo para ela poder ser mais cobrada.

A classificação para a Libertadores está garantida. O grupo entra como favorito para conquistar o título internacional?

O plantel é forte. Acredito que o Flu está mais confiante e amadurecido para enfrentar decisões. Esse grupo que está aqui é muito experiente e entra, sim, como favorito ao título da Libertadores.

Em 2009, o Flu se superou com uma arrancada histórica para evitar a queda no Brasileiro. O que mudou de um ano para cá?

Aquela reação incrível, a 10 rodadas do fim do campeonato, levou nosso grupo a outro patamar. Desta vez, a confiança prevalece no nosso ambiente de trabalho. O plantel já tinha esse espírito vencedor desde o ano passado, só que não tínhamos conseguido demonstrar isso dentro de campo.

Você sofreu com muitas lesões. Como foi ficar ausente tanto tempo, com especulações sobre sua vida fora de campo, e voltar agora na reta final?

Nada na vida ocorre por acaso. Se, assim como no ano passado, estou tendo a oportunidade de retornar ao time numa reta final de campeonato, é porque algo de bom me aguarda. Tenho muita fé em Deus, e na minha vida nada foi conquistado com facilidade. Tive de suar muito e ainda tenho muitos objetivos a serem alcançados, como, por exemplo, voltar a defender a seleção brasileira.

Em relação às especulações sobre minha vida particular, penso o seguinte: se você é uma pessoa pública, tem de ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

O Conca é o melhor jogador do Brasileiro? O argentino é fora de série. Feio, mas fora de série (risos). Sem dúvida, o craque do Brasileiro. Teve participação importante na campanha, com gols e assistências. Mas prefiro destacar a união e a raça de todo o grupo. Isso é o grande diferencial da equipe.

QUEM É

Nome: Frederico Chaves Guedes
Idade: 27 anos (3/10/1983)
Local de nascimento:
Teófilo Otoni (MG)
Altura: 1,85 m
Peso: 85 kg
Posição: Atacante
Trajetória: Revelado pelo América-MG, defendeu também Cruzeiro e Lyon, da França. Disputou a Copa do Mundo de 2006